Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

deiafranzoi

Colômbia - Bogotá, Medellin, Cartagena e San Andres

Posts Recomendados

Oi Pessoal

 

Quase um ano depois resolvi postar o relato da minha viagem pra Colômbia, que foi um tanto diferente de outras que já fiz, porque fiquei na casa de uma amiga que conheci na Argentina um ano antes, em Puerto Madryn!

Visitei as seguintes cidades: Bogotá, Medellin, Cartagena e San Andres. Como já faz tempo que fui, não lembro e nem tenho anotado os custos e outros detalhes dessa viagem, porém posso passar minha impressão e informações dos locais que visitei.

 

LIMA

Bom, sai de POA as 5 da madrugada, depois de uma noite particularmente engraçada na casa da minha amiga Greice. Fizemos uma escala em Lima. O aviao chegou em Lima umas 9 da manha, e teria que esperar 12 horas pelo voo p/ Bogotá. Decidi sair do aeroporto e conhecer a cidade! Quando finalmente consegui sair da area de desembarque, estava morrendo de sede, parei no 1º lugar que vi e pedi uma água sem gas, que assim que recebi abri e já fui tomando. A surpresa foi quando fui pagar, eles me cobraram o equivalente a uns 10 reais. Um roubo. Cuidado no aeroporto de Lima, que apesar disso, é muito legal! Próxima parada: informações turísticas. Perguntei o que poderia fazer em um dia em Lima e me indicaram o bairro de Miraflores e o Centro Histórico. Saí do aeroporto e fui em busca de um ônibus. Cheguei na parada e entrei no (micro) ônibus que ia para Miraflores. Que horror, nunca vi um transporte público desse jeito. Pra começar, o ônibus estava caindo aos pedaços, o teto nao tinha forro, os bancos quebrados, sujo... Enfim, um lixo. Ainda por cima o motorista dirigia que nem um louco e o cobrador ia pendurado na porta com meio corpo pra fora gritando para as pessoas na parada o destino do tal ônibus. Quando alguém queria subir, o motorista simplesmente diminuia e a pessoa se jogava pra dentro.

Foi uma experiência muito engraçada, e apesar de ter achado o transporte público horrível, sei que são questoes culturais e que quando estamos visitando outros países devemos nos adaptar a essas situações.

 

Miraflores é realmente muito bonito, andei por aquele calçadao todo, com vista para o Pacífico. Almocei em um restaurante típico peruano, comida boa e cara, mas como só tinha esse dia no Peru, queria provar a comida de lá.

Depois de passear por Miraflores, peguei outro ônibus e fui conhecer o centro histórico de Lima. Bonito também, porém nao acho que eu passaria mais um dia em Lima, nao sei o que mais tem pra fazer lá mas fiquei com a impressao de que já vi o que tinha que ver.

 

Onibus louco novamente rumo ao aeroporto. Tive que pagar uma taxa de U$80,00 pra poder embarcar de novo, sacanagem.

A sala de embarque do aeroporto de Lima é um show à parte, muito legal, enorme e cheio de lojas e bares.

Finalmente embarquei pra Bogotá com previsao de chegada as 2 da madruagada.

 

BOGOTÁ

1º dia

Chegamos em Bogotá, eu e uma guria de POA que conheci no Salgado Filho e nao quis ir conhecer Lima comigo. Bom, todos os passageiros já tinham coletado suas bagagens e nada da nossa chegar. Pois é, extraviaram a minha bagagem. Já que nao tinha o que fazer, peguei um taxi, passei em um mercado 24 hs e comprei o essencial para sobreviver até o dia seguinte, escova de dente, material de higiene, calcinha. Cheguei na casa da minha amiga eram quase 3 da manha, coitada! Tomei um banho e fui dormir exausta.

 

O dia seguite era domingo, e ela e mais um amigo tiraram o dia pra passear comigo, fomos conhecer a Catedral de Sal em Zipaquira, cidade vizinha de Bogotá.

Nao gosto de igrejas, mas essa é totalmente diferente de tudo que já conheci. A igreja foi construida abaixo da terra, tem que descer por túneis subterraneos, cujas paredes sao de sal. Na descida vai passando por umas aberturas que tem esculturas de santos, anjos, cruzes, tudo de sal. No fundo da mina, está a catedral propriamente dita. tem também um espelho de água, que reflete a caverna inteira. Dá impressao de que a profundidade é enorme, porem tem apenas 10 cm de altura a água do espelho.

 

Fomos almoçar em um restaurante típico em Zipaquirá, que é uma cidade pequena com um centro histórico bem simpático. De tarde eles me levaram em um parque lá perto, que tem apresentaçoes de animais (cachorro, cavalo...) Achei mais ou menos. Voltamos p/ Bogotá e foi então que descobri o restaurante que me acompanhou pelo resto da viagem: o Creps ans Waffles. Que delícia, o crepe de strogonoff deles era muito bom, e ainda tinha sorvete de sobremesa. Esse lugar que a gente foi jantar fica na Zona T da zona Rosa, bem famosa em Bogotá por ser o centro de compras, alimentação e diversao.

Chegamos em casa e minha bagagem já tinha chegado, ainda bem! Uma preocupação a menos! Nem precisa dizer que fui dormir exausta.

 

 

2º dia

Combinei com a minha amiga que iria conhecer o centro histórico e o Museo del Oro nesse dia, que era uma 2ª feira. Como ela tinha que trabalhar, e o trabalho dela era lá perto, acordei cedo, ela já tinha preparado um mega café da manha, pegamos o ônibus e fomos pra lá. Aliás, o sistema de transporte público de Bogotá é de dar inveja no nosso, pelo menos no daqui do sul. As linhas sao organizadas como se fosse um metro, no centro das avenidas, pra chega só por passarela, sem risco de atropelamento. Dá pra pegar vários ônibus e paga só uma passagem. Pra se localizar em Bogotá também é muito fácil. A cidade é como se fosse um quadrado, e as ruas sao por nº, entao nao tem erro.

 

Bom, enfim, minha amiga me deixou bem perto da Candelária, bairro onde fica o centro histórico da cidade, o palácio do governo, os museus e tudo que os turistas querem ver e fazer. A cidade é super segura, andei sozinha o tempo todo e nao vi nada que me deixasse com medo. As pessoas sao muito prestativas e hospitaleiras, sabem mesmo receber turistas!

Bom, fiquei andando pela Candelária um tempão, queria absorver todas aquelas ruelas e cosntruções maravilhosas. Nisso acabou a manhã, fui almoçar pensando em visitar o Museo del oro depois. Cheguei na entrada do museu e adivinhem: estava fechado. Óbvio, era 2ª feira, dia que 90% dos museus estao fechados. Ainda bem que minha amiga tinha me convencido a ficar um dia a mais em Bogotá e ir pra Medellin (que nao estava inclusa no meu roteiro) com ela para o Natal.

 

Resolvi entao ver se o Museu do Botero estava aberto, e estava! Visitei ele e como ainda tinha tempo aproveitei para subir o Monteserrat. Um dos limites de Bogotá é uma cadeia de montanhas, que é onde a cidade inicia e vai se estendendo por toda a planície. Um dos montes dessa cadeia é o Montesserat, que sobe por teleférico e tem uma vista incrível da cidade! O curioso é que fui pedir informaçao em um bar de como eu fazia pra chegar lá, e o garçon que estava no balcão disse: eu te levo até lá, é pertinho daqui! largou o trabalho e me acompanhou até a entrada do teleférico!

 

Fiquei lá um tempao, só curtindo a paisagem. Estava lá eu viajando quando ouvi dois caras falando em português! Puxei assunto e descobri que um deles era brasileiro e estava na casa do outro, que era colombiano. Eles tinham se conhecido em uma viagem também! Bom, resumindo, descemos do Monteserrat e fomos tomar um café em um dos points da cidade, que eu nao lembro o nome! Eu tinha combinado com minha amiga de encontrar com ela em um shopping que estava decorado para o natal, e como eu perdi a hora com os amigos recem feitos, tive que pegar um taxi e correr pro tal shopping. Acabei chegando junto com ela (ainda bem, detesto me atrasar). Demos uma volta no shopping e fomos para um parque que também estava todo decorado para o natal. Tinha um presépio feito de areia muito legal, e um outro feito de palha. O curioso é que nao vi papai noel lá! A decoração tem bastante luzes, renas, trenós, mas papai noel, eu não vi. Enfim, cultura de cada lugar!

 

Terminamos o tour noturno pelos principais parques aí pelas 9 da noite e fomos para a casa de umas amigas dela, que estavam fazendo uma novena de natal. Eu já pensando que tinha entrado em uma furada, porque nao curto esse lance de natal e rezas e coisa e tal, mas enfim, eu estava na casa dela né! Fui junto, cheguei lá, tinha uma galera reunida, e a tal da novena consistia em ler um livrinho com umas historinhas natalinas, que durou tipo uns 10 minutos. Depois disso, comes e bebes, e bebes, e bebes. Muda o lugar mas certas coisas sao iguais! Era 2ª feira, todos eles tinham que trabalhar no dia seguintes, e a festa rolando madrugada a dentro. Foi nesse dia que eu descobri a bebida típica da Colômbia, o Aguardiente! É tipo uma cachaça com um gostinho de anis. Gostei, quase acabo com o litro da guria! So sei que a festa rolou solta, no final estávamos dançando até em cima das cadeiras. Eita que esses colombianos sabem fazer festa hein!

 

 

3º dia

Bom, meu último dia em Bogotá começou cedo e de ressaca. Novamente acordei junto com minha amiga, que foi trabalhar, coitada, e eu fui em direção à Candelária pois queria visitar o Mudeo del Oro. Desci em um parque da cidade lá perto, dei uma caminhada pra conhecer, muito bonito e limpo. Depois fui a pé em direção à Candelária e parei pra tomar um café. Aliás, pra quem nao sabe, assim como eu não sabia, o café colombiano é famoso mundialmente, e realmente é uma delícia! Provem que vale a pena!

 

Cheguei no Museo e estava abrindo, porém a visita guiada gratuita iria começar em meia hora. Dei um tempo lá dentro mesmo até chegar a hora. O Museo é incrível, são 3 andares de peças em ouro, que além do valor por ser em ouro, tem imenso valor histórico, algumas delas sendo centenas de anos antes de Cristo. Além das peças, eles possuem múmias, todos os objetos usados para fazer as tais peça, as ferramentas, contam a história, qual era a utilização desses objetos, enfim, muito, muito legal, super recomendo. tenho que agradecer mais uma vez a Yulieth por esse dia extra em Bogotá!

 

Terminei o museo perto do meio dia, fui almoçar e como nao tinha mais o que fazer, resolvi visitar o Museo Nacional que ficava pertinho dali. Legal, mas depois do Museo del Oro, nao teve muita graça. Do lado do museo Nacional, tinha o planetário. Lá fui eu, e por sorte havia uma sessão começando em poucos minutos. Aconteceu o inevitável, quando apagou as luzes pra começar a explicaçao das estrelas e coisarada, eu que praticamente nao dormi e estava de ressaca, capotei. Acordei só quando eles acenderam as luzes pra ir embora, hahaha!!

 

Voltei pra casa da minha amiga porque tinha que arrumar as coisas, pois viajaríamos naquela noite para Medellin, onde morava o irmao dela e ela ia passar o Natal. Ela já havia comprado as passagens, entao nao tive que me preocupar com isso!

O ônibus bem tranquilo, confortável, eu dormi a viagem inteira, acordei só quando estávamos chegando em Medellin no dia seguinte de manha.

 

 

MEDELLIN

4º dia

 

Ainda bem que decidi passar um dia em Medellin, gostei muito da cidade. Limpa, bonita e organizada. A cidade é cercada por montanhas, áchei mais bonita que Bogotá! Chegamos e fomos direto para a casa do irmão dela, que estava trabalhando, largamos as coisas, tomamos café e fomos atrás do Tur Bus, que é o ônibus turísitico que leva os passageiros para os pontos turísiticos da cidade, com paradas pra conhecer e tal. Achei muito bom, porque nao é caro e poupa tempo com deslocamentos e buscas por informações. Voce pega o ônibus e segue o fluxo! Paramos na Plaza Botero, com esculturas por toda parte, Na Plaza Pies descalços, Em outro parque que nao lembro o nome e em um parque no alto de um morro com vista pra cidade. Nesse ônibus conheci uma argentina que estava mochilando também, e ela acabou acompanhando eu e minha amiga pelo resto do dia.

 

Como ainda sobrou tempo do passeio pelo TurBus, fomos ao Jardim Botanico de Medellin. Achei legal, estava bonito, todo decorado pro natal também. O natal em Medellin é bem famoso na Colômbia, acho que que nem em Gramado aqui no Brasil. Já era noite quando saímos do Jardim Botânico, fomos para o metro e decidimos andar no metrocable, o teleférico de Medellin. O metrocable não é um ponto turísitco. Ele foi construido para ser o meio de transporte para os moradores das comunas (favelas). Paga-se a passagem do metro, e saí do metro direto para o teleférico, sem pagar passagem extra. E que visual, ver Medellin de noite daquela altura! Show de bola. Demos a volta, descemos e pegamos o metro para o terminal de onibus, pois a argentina tinha que pegar o onibus para Cali e eu e a Yulieth resolvemos jantar lá com ela.

 

Saímos do terminal e fomos para a rua principal de Medellin, que estava toda decorada para o natal. Nessa rua fica o rio da cidade dividindo as duas pistas, e em cima do rio estava tudo decorado. Na rua também, de pouco em pouco tinha presépios e outras coisas iluminadas, muito lindo. Eles fazem também um show de águas, tipo aquele que tem em Dubai, muito legal. Toca uma música e vai subindo uns jatos de água coloridos e sincronizados com a música. Chegamos em casa podre de cansadas e tarde da noite, tomamos aquele banho e dormimos que nem uns anjinhos. Nem vimos o irmao dela, hehehe!

 

5º dia

 

Acordamos tarde e refeitas. Nesse dia eu iria pra Cartagena, de avião, pois como meu tempo era curto nao podia perder 22 horas num ônibus. Meu vôo era de tarde, entao fui visitar o Museu de Medellin. Depois, resolvemos pegar o metro e voltar pro teleférico pra ver a cidade de cima. A irmâ da Yulieth chegou de Bogotá e fui junto com a gente! Foi bem legal e divertido, fora que a vista da cidade de dia era maravilhosa! dava pra ver toda a cidade rodeada de montanhas. E os barracos da comuna também, tem uns que não sei como param em pé. Igual ao Brasil.

 

O legal é que tu pega esse teleférico junto com os moradores da comuna, assim fomos conversando e trocando impressoes.

Esse teléférico foi construido como parte do plano para diminuir a criminalidade de Medellin, que era uma das cidades mais perigosas do mundo. Acho que todo mundo já ouviu falar do cartel de Medellin! Hoje, a cidade é a capital da moda da América do Sul e a principal cidade colombiana. prova de que com um bom governos as coisas podem mudar.

 

Almoçamos, e de tarde arrumei minhas coisas e fui para o aeroporto rumo à Cartagena. Detalhe: o aeroporto nao fica em Medellin, mas em uma cidade próxima. A cidade tem dois terminais de ônibus, e minha amiga me indicou o terminal errado pra pegar o ônibus para o aeroporto, acabei tendo que ir de taxi, que dividi com mais duas pessoas! Hora de me despedir da Yulieth e da irmã dela, que me receberam e me trataram muito, muito bem. Nunca vou poder retribuir o que elas fizeram por mim! Como eu ia voar no dia 24/12, no final da tarde, e deixei pra comprar as passagens aéreas quando cheguei na Colombia, consegui um preço bem legal. Bora pra Cartagena!

 

CARTAGENA

6º dia

 

Cheguei em Cartagena quase 10 da noite do dia 24/12, morrendo de fome. A irmã da Yulieth trabalha numa agência de turismo, e ela reservou um hotel barato pra mim em um lugar que ela disse que era ótimo para ficar, a duas quadras da praia. No aeroporto tentei pegar um ônibus, porém aquela hora da noite não tinha mais. Fui de taxi pro hotel, larguei minhas coisas e fui procurar um lugar pra comer. Não tinha nenhum restaurante aberto, por ser véspera de natal os que abriram naquela noite já estavam fechando. O jeito foi comprar um pacote de Doritos na máquina do hotel. Sem alternativa, fui dormir, já decidida a acordar e procurar por um hostel. O hotel até podia ser bem localizado e tal, mas achei sujo, e não tem o mesmo clima de hostel. A argentina que eu conheci em Medellin estava vindo de Cartagena e me recomendou o Media Luna, que já vi várias vezes nesse site!

 

Acordei cedo e fui procurar um lugar pra ficar. Achei um hostel perto do hotel, mas nao gostei muito. Peguei um ônibus e fui pro bairro Getsemani, próximo das muralhas, e dando uma volta por lá, dou de cara com o Media Luna! Era muita coincidência! Entrei pra conhecer e meu Deus, o hostel era show de bola, com piscina e tudo, quartos espaçosos, um bar enorme pra fazer festa e aquele clima. Era cedo ainda, e o calor já estava de matar. Peguei um taxi, fui pro hotel, fechei a conta e me mandei pro Media Luna com o mesmo taxi que ficou aguardando. Alias, taxi na Colômbia é muito barato.

 

Cheguei no hostel, larguei minhas coisas e fui pra muralha conhecer. Eu estranhei que aquilo estava vazio, mas enfim, caminhei suando, desidratando de tanto suar, mas cada lugar que eu passava era mais legal e bonito que o outro, as construções, a muralha, a vista de cima da muralha, eu não conseguia parar de caminhar, mesmo sofrendo com o calor. E aquele lugar, tão falado por todos, deserto e eu sem entender porque. Claro, com aquele calor, estavam todos na praia, ou dentro de algum lugar com ar condicionado! Só a retardada aqui desavisada que resolve conhecer as muralhas naquele horário perto do meio dia!

Mas tive uma vantagem, minhas fotos ficaram show, sem aquela multidão toda!

 

Finalmente fui vencida, e voltei pro hostel, coloquei o biquini e fui pra piscina! Lá já estava um francês, umas argentinas e uns australianos. A galera que estava no hostel era show de bola, foi alta integração! Ficamos um tempão por lá, então decidi procurar por um meio de ir a Playa Blana no dia seguinte. Arranjei tudo, voltei pro hostel e junto com a galera fomos ver o por do sol no Caribe das muralhas, que agora sim estava fervendo, cheia de gente. Voltamos para o hostel e os australianos agitaram a galera pra cada um cozinhar uma comida típica do país. Eu como não sei cozinhar, e tinha comprado um nissin miojo pra fazer de janta, só filei a bóia de todos!

 

7º dia

 

Acordei cedo pra pegar a embarcação pra Playa Blanca. O frances, as argentinas e um dos australianos também foram. Navegamos por aquele mar do Caribe, sujo, feio, hehehe! Fizemos uma parada em um aquário com apresentação de golfinhos, muito legal! Seguimos para Playa Blanca onde teve o almoço, que já estava incluso no valor do passeio. Como eu ia voltar no mesmo dia, resolvi não almoçar e aproveitar a praia, afinal ia ser meu 1º mergulho em águas caribenhas! Que delícia, água quentinha,e limpa. Pra quem é acostumada com as águas geladas e sujas do Rio Grande do Sul, aquilo foi o paraíso!

Claro que fiquei na água até a hora de ir embora e fui a última a voltar pro barco. O pessoal do hostel passou a noite lá mesmo, eu voltei porque queria conhecer a cidade de Cartagena no dia seguite! De noite fui dar uma volta nas muralhas de novo, não dá vontade de sair daquele lugar.

 

Além das construções serem lindas, tudo é muito conservado e limpo. Na entrada das muralhar pela Torre do Relógio, sempre tem grupos fazendo apresentações de danças típicas da Colômbia. Andando à esquerda, tem um barzinho na esquina, que dia e noite toca aquelas músicas com ritmo contagiante, salsa, merengue, essas coisas. Aí as pessoas estão passando, ouvem a música, entram e começam a dançar! Dançam algumas músicas e continuam o passeio! Por falar em dançar, os colombianos dançam, e dançam muito bem! Nessa noite tive uma prova disso! Mas voltando às muralhas, pra mim Cartagena girou em torno das muralhas. Ainda bem que saí daquele hotel e fui pro Media Luna que era duas quadras da muralhas. Acabei nem indo pra praia em Cartagena, sempre optava por passear pelas muralhas! Até porque no hostel tinha piscina né!

 

Voltei pro hostel, tomei um banho e encontrei o resto da galera. Nisso chegaram uns caras de Bogotá, que estavam lá pra organizar um festival que ia ter dentro do hostel, com o palco em cima da piscina e várias bandas tocando, aberto ao público! Combinamos de sair depois, e fomos para um bar dentro das muralhas, mas não ficamos. Sei que acabamos a noite em um bar na esquina do hostel, muito legal. O problema era que tinha eu e uma outra guria e mais uns 6 homens, todos querendo dançar! Levei um suador, eu nao aguentava mais, até porque eu não sei dançar, muito menos esses ritmos latinos! Mas a festa tava boa, assim como todas na Colômbia.

 

8º dia

 

Acordei e fui direto pra piscina. De tarde eu queria pegar o Tur Bus de Cartagena, porque tinha gostado da experiência de Medellin! Ninguém do hostel topou, fui sozinha mesmo. Conheci uma guria da Espanha, que também estava viajando sozinha e acabamos fazendo amizade. o Tur Bus passa pelos principais pontos turísticos da cidade, como o forte, o monumento Sapatos Viejos, e o Castelo de São Felipo. Esse castelo foi uma fortaleza usada nos tempos das invasões, e possui vários túneis internos que eram usados para armazenar comida e como rota de fuga caso o castelo fosse invadido. Muito legal mesmo! Nesse passeio fiquei sabendo que tinha um ônibus parecido de noite, só que com bebidas e música! Claro que combinei com a espanhola de ir de noite!

 

O Rumbia in Chivia, que era o tal ônibus foi muito legal! Esse ônibus é todo aberto dos lados, e tinha um porta copos e garrafa e balde de gelo em cada fileira!

Na saída cada fileira recebia duas garrafas de rum, copo e gelo, e o ônibus circula pela cidade com um pessoal tocando música ao vivo no ônibus! Achei bem original e diferente. Ainda o motora fica fazendo competição pra ver qual das fileiras é a mais barulhente, uma festa só! A última parada é nas muralhas, onde decidimos abandonar o ônibus e terminar de curtir a noite em um dos barzinhos de lá! Ufa!

 

9º dia

 

Acordei, e como já era hábito, fui pra piscina. Não tem como não ir pra piscina ou praia, é muito quente lá, um calor diferente do que aquele que estou acostumada. Eu nunca suei tanto na minha vida, aliás, posso contar nos dedos as vezes que suei, mas lá, o negócio é desidratante! Até pensei em ir pra praia, mas a preguiça e a ressaca da noite anterior falaram mais alto e fiquei na piscina mesmo. De tarde fui pras muralhas, comi no Creps and Waffles de lá novamente! Não sei como não enjoei desse lugar!

 

Esse dia era meu último em Cartagena, no dia seguinte eu ia pra San Andres. Tive que sair do Media Luna, porque nesse dia ia começar o tal festival de bandas e as diárias subiram absurdamente. Eu estava sem grana, porque meu cartão de crédito deu problema, eles estavam implantando o sistema com chip lá, entao nos lugares que tinha a máquina com chip meu cartão não funcionava. Um saco isso. Fui para um hotel na frente do Media Luna, que possuia alguns quartos compartidos. No fim fiquei eu e um cara de Israel no quarto só. De noite fui dar uma volta nas muralhas sozinha, já que todo o pessoal estava na festa do hostel, e eu me babando pra ir e sem grana. Acontece.

 

10º dia

 

Acordei já sentindo falta do Media Luna e amaldiçoando o tal do festival, hehehe! Dormi até tarde, porque não tinha nada pra fazer mesmo. Decidi ir pras muralhas, e ficar até o último minuto do meu tempo curtindo aquele lugar! De tarde eu tinha que ir pro aeroporto pra última parte da minha viagem: San Andres!

Pra ir pra ilha só de avião mesmo, porque de barco demora uma eternidade. Segindo a Yulieth, eu paguei muito barata a passagem, que também deixei pra comprar lá na Colômbia.

 

Nem cheguei a pesquisar se tinha hostel na ilha, a irma da Yulieth reservou uma pousada bem barata lá pra mim! Nada como contar com serviço personalizado!

Cheguei na ilha e já estava escurecendo. Peguei um taxi e fui direto pra tal pousada, que funcionava em baixo da casa do Luis, o proprietário! O Luis foi uma figura à parte! Muito educado, me tratou super bem, a mulher e as filhas também! Pena que eu não lembro o nome pra indicar pra todo mundo! A pousada era bem simples, mas limpa e aconchegante, e o principal: do lado da praia! Ficana na parte sul da ilha, onde estão as melhores praias. Claro que larguei minhas coisas no quarto e fui correndo pra beira da praia até anoitecer! Ah, nada como estar em uma ilha no meio do mar do Caribe! E que ilha! Fui dormir feliz!

 

SAN ANDRES

 

11º dia

 

Não tem palavras pra descrever o que é San Andres. Dizem que o mar é de sete cores. Eu não sei quantas cores ele tem, só sei que é a coisa mais linda que eu já vi! Sabe quando tu ve as fotos na internet e chega lá e não é nada daquilo que te fazem propaganda? Em San Andres não é assim, o mar é realmente azul piscina, verde turquesa, tudo de bom! Pra se locomover em San Andres, dá pra alugar aqueles carrinhos de golf, que cabem até 6 pessoas, e os ônibus urbanos deles são bem velhos, mas quebraram o maior galho pra mim!

 

Quem chega em San Andres, a 1ª coisa que quer fazer é dar a volta na ilha! Fui para uma praia que pertence a um hotel mas é aberta ao público, afinal as praias são públicas. Bem diferente de alguns lugares no Brasil né! Fiquei lá por um tempo e comecei a bater papo com um dos garçons que trabalham no hotel tentando descobrir qual a melhor e mais barata maneira de dar a volta na ilha. De ônibus meio impossível, ia demorar uns dois dias. Resolvi ir de taxi mesmo. O problema é que o preço era 60 pesos (não foi caro, mas eu tava sem grana). Decidi arriscar, azar se ficasse sem dinheiro pra comer, hehehe!

 

O taxista era muito gente boa, me levou pra todos os principais pontos da ilha. A 1ª parada foi em um hotel que ficava em cima de um morro e dava pra ver toda ilha de cima, com aquele mar de vários tons, muito, muito lindo. Fomo também para uma piscina natural, que tinha até um trampolin, cheia de peixes em baixo. Nem parecia mar aquilo, parecia piscina mesmo. Fiquei lá um tempão tomando banho e o taxista esperando e batendo as fotos ainda! Fomos em um outro lugar que conforme bate a onda, tem um buraco que sobe água tipo um geyser! Enfim, valeu muito a pena fazer a volta na ilha! O cara levou quase todo meu dinheiro, mas foi muito bacana comigo!

 

Parei na parte norte da ilha, que é a mais agitada, e fui procurar um restaurante que aceitasse cartao pra comer. Qualquer lugar que eu ia comer 1º eu tinha que passar o cartao pra depois comer. Se não funcionasse o cartão, já era! Mas o 1º lugar que fui funcionou, meu dia estava salvo! Esse restaurante ficava do lado de uma escola de mergulho. San Andres possui a 3ª maior barreira de corais do mundo. Achei que era um bom lugar pra estrear na arte do mergulho! Fui na escola e agendei para o dia seguinte de manha. Passei o cartão, ele funcionou! Uhu! Mergulhar no mar do Caribe, em San Andres, na 3ª maior barreira de corais do mundo!

 

Voltei pra pousada, larguei as coisas e fui pra praia do lado tomar mais um banho de mar até anoitecer. Quando anoiteceu, meu, que lua! Alta lua cheia brilhando naquele mar! Voltei pra pousada, tomei um banho e fiquei conversando com o Luis. O telefone tocou, e era pra mim. Pra mim? Quem ia ligar pra mim em San Andres? Era a Yulieth, querendo saber se estava tudo bem comigo! Querida da Yulieth e da irmã dela! QUe pessoas mais legais! A yulieth me contou que assaltaram o hostel Media Luna e roubaram todos os hóspedes. O hostel acabou fechando porque descobriram que não tinha licensa pra funcionar. Muita sorte a minha!

 

Peguei o ônibus e fui dar uma volta na parte norte da ilha, jantei, e fiquei curtindo a lua um tempo. Tinha que voltar pra pousada porque os ônibus só fncionam até um determinado horário, que agora eu não lembro. enfim, fui dormir.

 

12º dia

 

Acordei, me arrumei e fui pra escola de mergulho. Lá fizemos um curso (em espanhol) de como eram os procedimentos para mergulhar. Pensei que não ia conseguir acompanhar, por ser linguagem tecnica e tal, mas foi tranquilo. Depois da parte teórica, fomos para a piscina de um hotel para praticar, e só depois que todos estavam craques é que saímos de barco em direção ao ponto de mergulho!

 

Tinha eu, a Marta, que era de Bogotá, e mais um outro cara. Na hora do mergulho, quando descemos do barco, a Marta se apavorou e desistiu do mergulho. Que pena! A 1ª coisa que vimos foi uma arraia! Demais, não tem explicação. Depois chegamos perto dos corais e não sei quantas variedades de peixe tinha lá, mas eram muitos, muitos, muitos. A barrreira de corais linda, toda colorida. Passamos no meio de vários cardumes de peixe. A sensação de mergulhar é muito boa! Isso é uma coisa que quero fazer de novo mas não tive oportunidade! Ficamos uma hora submersos!

 

Voltamos e contei pra Marta a experiência, ela prometeu tentar de novo no dia seguinte. Voltamos para o hotel, que era o que ela estava hospedada, e ficamos na piscina até os pais dela ligarem pedindo pra ela ir na praia que eles estavam. A Marta me convidou pra ir numa boate na festa de ano novo que era nessa noite, mas como eu tava com o problema da grana disse que não podia. Ela puxou 50 pesos da carteira e queria me dar, disse que entendia a minha situação que depois eu devolvia e tal. Não aceitei, não achei correto, até porque não sabia como ia devolver pra ela. Mas ela insistiu muito pra eu ficar com a grana. A gente encontra muitas pessoas bacanas nesse mundo!

 

Me despedi dela e fui passar o tempo na praia do norte da ilha, que era maravilhosa também, só que com mais gente que as praias do sul. Voltei pra pousada e o Luis me convidou pra passar o ano novo com a família dele e uns amigos. Não tive como recusar dessa vez, afinal a festa ia ser na própria pousada ao ar livre na beira da praia! Todos foram muito atenciosos comigo, fui muito bem tratada, e os amigos do Luis e da família dele eram muito gente boa. A filha dele me convidou pra sair, e eu mais uma vez recusei. Estava só com o dinheiro pra pagar o taxi pro aeroporto, já que o dia seguinte era feriado e os ônibus não estariam funcionando. Mas foi tudo beleza! Foi uma noite bem agradável!

 

13º dia

 

Acordei, tomei um banho e arrumei minhas coisas pra pegar o vôo pra Bogota. O taxista estava na pousada na hora combinada. Me despedi de todos e fui pro aeroporto.

Cheguei em Bogotá, e fiquei procurando onde era o portao de embarque do meu voo pro Brasil, que seria daqui umas 3 horas. Procura, e procura, e procura e nada. Até que decidi pedir informação e descobri que eu estava no aeroporto errado, hahahaha! Só eu mesma pra fazer essas coisas! Peguei o ônibus gratuito que ligava os dois aeroportos, cheguei com folga ainda. Despachei minha bagagem e achei um restaurante da Creps and Waffles dentro do aeroporto. Foi a despedida perfeita!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

deiafranzoi

 

Parabens pelo post.... informações válidass...

 

tem como postar umas fotos????

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola deiafranzoi

 

Este roteiro é exatamente o que penso em fazer em abril/11.

 

Tenho algumas duvidas, se voce puder me ajudar, ficarei muito agradecida.

 

1º) Qual melhor bairro para me hospedar em bogotoa? Li que talvez Candelaria seria uma boa opção.

2º) Esse roteiro seria bacana para levar uma criança de 12 anos? Bom, temos praias lindissimas e cidades cheias de museus.

 

Obrigada

 

Saludos,

Gabriela

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Gabriela

Pelo que me disseram a Candelária é o melhor lugar mesmo pra se hospedar, só de noite pode ser um pouco perigoso, tipo não andar a pé e sozinha nas ruas!

Ou voce pode optar pela Zona Rosa, onde ficam os centros comerciais e bares e pubs.

E com certeza é muito tranquilo pra levar criança, pode ir sem medo e aproveita que a Colômbia é demais!

Com certeza a criañça vai curtir a catedral de Sal, o museo de oro, o Montesserat!

E as praias, nossa, nem precisa dizer que é tudo de bom!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola

 

Obrigada pelo retorno.

 

Estava um pouco receosa de levar meu filho, porque escutei duas coisas: a primeira que era perigoso e a segunda que Cartagena era romantica demais....rsrs

 

Que bom que vc desmistificou..heheh

 

Agora, é só preparar o roteiro. Voce gastou quanto, por cima, mesmo porque vc ficou hospedada na casa de sua amiga. Só pra eu ter uma leve noção.

 

Obrigada mais uma vez !!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi! Bah, não lembro mesmo quanto gastei com essa viagem. Ficou mais cara que as outras por causa dos trechos aéreos internos...

Mas tu pode calcular R$100,00 por dia, sem as passagens! Normalmente funciona.

Ah, eu não achei Cartagena romântica não viu, achei beeeem mochileira a cidade! E vai tranquila que não é perigoso!

 

Abraço, Déia!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Déia,

 

Tudo bom?

Meu nome é Carlos e eu estou indo pra Bogotá no dia 24 de Dezembro e sigo pra Santa Marta no dia 28. Você tem alguma dica do que fazer no natal? Conheço algumas pessoas em Bogotá mas ninguém estará lá no natal e estou meio perdido pois não sei o que fazer. Olhei os melhores restaurantes mas todos estarão fechados...

Você tem alguma dica pra mim?

 

Obrigado,

 

Carlos

[email protected] (gtalk)

[email protected] (msn)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Carlos

Eu realmente não sei, mas se tu for ficar em hostel provavelmente o pessoal se organiza pra fazer alguma coisa juntos.

Eu não dou muita bola pro natal, quando fui pra Colômbia passei a véspera viajando e de noite nem jantar eu consegui!

Dois anos antes passei o natal em Torres del Paine e jantei arroz com passas, hehehehe!!!

Acho que se tu for na zona rosa vai conseguir achar alguma coisa, lá é o local do agito no natal!

Desculpa não poder te ajudar muito!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguem conhece um hotel nao muito caro na zona rosa para indicar???

Muito bom o post ia so para cartagena e sta marta mas a descricao de san andres me deixou tentada (ai meu rico dinheirinho rsrsrsrsr)

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...