Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Fernando Paiotti

Londres - 4 dias - - Informações detalhadas sobre todos os pontos turísticos da cidade

Posts Recomendados

Olá pessoal! O que irei compartilhar com vocês foi uma compilação bastante abrangente de informações sobre todos os pontos turísticos da cidade de Londres, que reuni para montar minha viagem. As informações foram extraídas aqui do site e também de muitos blogs. Aproveitem!

ROTEIRO LONDRES

 

Marble Arch: Construído em 1828, originalmente como entrada de Buckingham Palace. Fica perto de Hyde parque, no final oeste da rua Oxford Street.

Admiralty Arch: Uma arcada magnificente localizada no final da alameda The Mall, que segue até ao palácio de Buckingham. Estação de Metrô: Charing Cross, Embankment. Se for até próximo a ele, note a presença de um nariz “perdido” na parede do arco onde passam os carros que vem em direção à Charing Cross. Não se sabe ao certo o significado, mas a teoria mais aceita é que seria uma “homenagem” ao Duque de Wellington, general britânico que ajudou a derrotar Napoleão Bonaparte na Batalha de Waterloo, e que tinha um nariz um tanto quanto avantajado...

Greenwich: Localizado na marginal sul do rio Tâmisa, faz parte do sudeste de Londres, sendo famoso pelo meridiano de Greenwich que marca o grau de longitude 0°. As atrações turísticas incluem, o Observatório Astronômico Real, o observatório marítimo, o relógio 24 horas, o palácio real de Placentia, O2 Arena (cúpula do milênio), o colégio naval real e o centro de visitantes de Greenwich. Existem passeios de barco disponíveis através do rio Tâmisa até Greenwich, passando também pelo Big Ben. Greenwich é uma área bonita com uma vista panorâmica da cidade de Londres, onde pode-se também fazer caminhadas ao lado do rio Tâmisa e também pelo parque de Greenwich aonde se encontra uma das casas da rainha com vista para o parque, o palácio real de Placentia (Queen House). Estação de metrô: Greenwich.  Saindo igualmente um pouco do centro de Londres mas bem mais perto e podendo usar transportes públicos de forma independente, poderá visitar Greenwich, zona considerada património mundial pela UNESCO por ser um símbolo da inovação artística e científica inglesa dos séculos XVII e XVIII. Greenwich é também o local entendido internacionalmente como a “casa do tempo”, o primeiro Meridiano do mundo. Os fusos horários são todos estabelecidos a partir de aqui. Alguns dos locais que poderá ver ou visitar são o National Maritime Museum, a Queen’s House, o Old Royal Naval College e Greenwich Market. As vistas para Londres desde o Royal Observatory do Greenwich Park são fantásticas. Para chegar a Greenwich tem muitas opções: barco, comboio/trem, teleférico ou mesmo o metro. É só escolher a sua preferida.

Abbey Road: Rua famosa de Londres aonde os Beatles atravessaram a faixa de pedestre perto do estúdio aonde o álbum Abbey Road foi produzido. Estação de Metrô: St John’s Wood.  Leia mais…

Portobello Road Market: Mercado famoso de Londres que vende antiguidades raras, frutas, verduras e roupas, entre outros. Situado na rua de Portobello Road que é também famosa entre artistas brasileiros incluindo Caetano Veloso e Paulo Coelho. Estação de Metrô: Notting Hill Gate. Nesta rua ocorre uma feira ao ar livre, com barracas com antiguidades (aos sábados), artesanato, roupas, coisas vintage, todo tipo de bugiganga. Famoso bairro onde foi gravado o filme Um Lugar Chamado Notting Hill, aos domingos rola um mercado que vende antiguidades, fotografias, gravuras, quadros e livros. Para quem é leitor de carteirinha não perca esse mercado pois você encontrará livros muito bons a preços de bananas (a partir de 1 pound). Não se restrinja somente as banquinhas do mercado, as lojas ao redor também são sebos e contam com muitos títulos.  Que tal começar com o café da manhã no Recipease, loja/café do Jamie Oliver? O café fica no segundo andar, mas aproveite para fuçar a loja no térreo, e tente resistir aos produtos que levam a assinatura do famoso chef. Aproveite a barraca de comidas mais pra frente pra fazer uma boquinha, ou então, caso a fome esteja mais avançada, uma boa pedida é comer um hamburguer no GBK (Gourmet Burger Kitchen) que tem por ali

Hyde Park: O maior e mais famoso parque no centro de Londres. Cheio de atrações turísticas, incluindo passeio de barco e o memorial da Princesa Diana. Inclui também Kensington Gardens (Jardim de Kensington). Aberto ao público em 1635 pelo rei Charles I, o Hyde Park é uma área verde ampla no centro de Londres onde as pessoas descansam, andam, correm e tomam banho de sol no verão. Um parque ideal para relaxar e fazer piquenique. Estação de Metrô: Hyde Park  

St James Park / St James Palace: parque e palácio mais antigo de Londres, construído pelo rei Henry VIII, fica perto do palácio de Buckingham e Green park. Um parque real muito bonito, com um pequeno lago no centro, muito pitoresco. Estação de Metrô: St James Park. 

 Green Park: Situado próximo ao palácio de Buckingham Palace, um local ideal para um piquenique e descanso durante seu passeio em Londres. Estação de Metrô: Green Park.  

 

Design Museum – Num antigo armazém de bananas, vai encontrar peças de design de produto, industrial, gráfico, moda e arquitetura.

 

Temple Church: Esta igreja está escondida entre prédios de escritórios de advocacia e órgãos públicos ligados à Justiça conhecidos como Inns of Court. Parece um condomínio fechado, mas não se preocupe: entre pela porta que há na Fleet Street, um pouco depois da Temple Bar e siga as placas, até encontrar a igreja. Atribui-se a sua construção à Ordem dos Cavaleiros Templários (daí o termo “Temple”). Quem leu o livro “O Código da Vinci” de Dan Brown com certeza se lembrará dela. É uma igreja simples, mas que cativa a gente. Se é verdade ou não que os Cavaleiros estiveram ali e a construíram, não sei, mas com certeza há algo de especial nela.

 

 

 

 

ROTEIRO DIA 1: sábado e noites

- NATIONAL GALLERY (GRATUITO)

- TRAFALGAR SQUARE

- PICCADILLY CIRCUS

- OXFORD STREET

- SOHO

 

Piccadilly: Uma das esquinas mais famosas de Londres, com outdoors de neon e a estátua de Eros. A praça de Piccadilly Circus conecta a rua Regent street com a rua de Piccadilly, uma das ruas de Londres onde se encontram vários shoppings e o Ritz Hotel. É uma rua famosa pelas lojas de boutique, fica entre o Hyde Park e o Piccadilly Circus. É a principal rua de compras em Londres, incluindo Fortnum & Mason, the Burlington Arcade. Estação de Metrô: Piccadilly Circus. é o cruzamento com a rua Regent St, uma das mais famosas da cidade. Possui uma estátua de Eros e é famoso por seus anúncios em neon, indicando a entrada do bairro de entretenimento da cidade. DICA: Não deixe de visitar, no entorno, as lojas Lillywhites (uma megastore de artigos esportivos, com preços competitivos) e a Cool Britania (uma loja gigante de souvenires, todos lindos e com preços bons, sendo uma ótima opção para comprar uma bela lembrança para alguém especial ou para você mesmo).

Leicester SquarePraça badalada no West End de Londres. É uma área pedestrializada com um parque na parte central sendo rodeada por restaurantes, bares, cinemas e boates. Uma área bem visitada de Londres tanto de dia como à noite, onde as vezes acontece premieres de filmes com a participação dos artistas de Hollywood.  Estação de Metrô: Leicester Square. DICA: Aproveite para comprar o ingresso para assistir a um dos musicais que estão em cartaz no West End de Londres. coração do bairro do entretenimento, onde tem salas de cinema, lojas, bilheterias dos musicais, muito movimentado e agitado. Siga em frente até Picaddily. Praça central em Londres, sempre com imenso movimento. O único edifício no centro (TKTS) é um ótimo sítio para comprar bilhetes para o teatro e musicais com descontos, mesmo no próprio dia. Bairro onde estão os principais teatros da cidade e consequentemente bons pubs e restaurantes, minha dica aqui vai para o pub The Sussex, boas cervejas e comida excelente. Aqui também está a loja da MMs.
 

SohoÁrea bem badalada com vários restaurantes e boates abertas durante toda a noite. Uma área de diversão bastante notória e atraente no West End de Londres, ideal para uma noite fora agitada, com várias boates, restaurantes e bares. Estação de Metrô: Oxford Circus.  

Trafalgar Square: Praça no centro de Londres com um dos espaços abertos mais vibrantes no coração de Londres onde fica a National Gallery, Galeria Nacional. Uma área cultural onde acontecem vários eventos artísticos. Possui a estátua de Nelson, que derrotou Napoleão na batalha de Trafalgar. Admiralty Arch – Edifício icónico de Londres. Se passar por baixo vai reparar na estrada vermelha (The Mall) que vai dar aos portões do Palácio de Buckingham. Estação de Metrô: Charing Cross. 

Regent Street: Rua famosa pelas lojas de boutique em Londres. Estação de Metrô: Piccadilly Circus. 

Hamleys Toy Shop: Uma das maiores lojas de brinquedo do mundo! A loja tem 7 andares e um total de 5.000 m2. Hamleys fica na rua Regent Street, no. 188-196, em Londres e recebe cerca de 5 milhões de visitante todos os anos, sendo uma das atrações turísticas mais conhecida de Londres. Estação de Metrô: Piccadilly Circus, Bond Street.

Bond StreetRua fina e elegante de Londres conhecida como fashion street, com várias lojas refinadas e de luxo. Estação de Metrô: Bond Street.  Leia mais…

Oxford Street: Uma rua central de Londres com vários tipos de lojas, sendo a maior rua para compras em Londres. Oxford Street é famosa pelas lojas de marcas mais conhecidas do mundo, ideal para fazer compras. Estação de Metrô: Oxford Circus.  a rua mais famosa e principal rua com milhares de lojas de todos os tipos! Primark, Channel, Top Shop, H&M, Forever 21, são lojas que eu gosto e a Primark é super hiper mega barata mas lotada! Horários: Seg – Sex 9.30am -10pm/ Sab: 9am – 9pm/Dom: Sunday 12pm-6p. Enquanto passeia pela Oxford Street, você passará por 2 ruas transversais importantes: a Bond Street, com várias lojas de grifes, e a Regent Street, que é tão eclética quanto a Oxford. Destaques na Regent Street: a Hamley's, uma das maiores lojas de brinquedos do mundo (imperdível até pros adultos) e a Liberty, uma loja de departamentos chiquérrima, famosa pelos artigos com estampado típico.

China Town – lojas coloridas e restaurantes. Na Gerrard St tem arcos com ornamentos orientais. Concentram-se moradores asiáticos e você pode fazer compras em supermercados chineses, barracas de rua e lojas. Não faltam restaurantes excelentes. Você vai querer voltar muitas vezes aqui, tenho certeza! Uma imensidão de restaurantes e mercados asiáticos e com comidas de altíssima qualidade. Anotem 3 nomes extremamente recomendados: Misato (restaurante japonês autêntico e fiel a culinária japa), Gold Dragon (restaurante chinês também fiel aos pratos do país e MUITO saboroso, prato da foto abaixo) & Wok to Walk (uma janelinha que faz Woks de sua escolha, nunca comi um Wok tão bom na minha vida, pedi o Egg Noodles com pato e molho de amendoim).

 

 

 

ROTEIRO DIA 2: domingo

MANHÃ:

- MADAME TUSSAUDS MUSEUM (9:00)

- CAMDEN TOWN

- MUSEU BRITÂNICO (GRATUITO)

- COVENT GARDEN

 

TARDE:

- HARRY POTTER

 

The Making of Harry Potter – Estudio Warner Bros.: Passeio turístico no estúdio de cinema aonde os filmes de Harry Potter foram filmados. Localizado em  Aerodrome Way, Leavesden, Watford, Hertfordshire. Horário de abertura de segunda a domingo entre as 10am–6:30pm. O estúdio fica em Watford, a estação de trêm mais próxima é Watford Junction à 32 kilometros de Londres. Os trens saem da estação de Euston em Londres. Chegando na estação de Watford Junction, existem ônibus executivos de 30 em 30 minutos que levam os passageiros até o estúdio. Planeje chegar na estação de Watford Junction pelo menos 45 minutos antes do horário do seu passeio.

Estação de trem King’s Cross: não deixe de visitar a famosa estação do Harry Potter, a famosa Plataforma 9 ¾, que fica na. Ao lado dessa plataforma há uma lojinha que vende produtos do Harry Potter!

Camden TOWN/Lock Market: É um mercado de rua tradicional de Londres, famoso pelos seus artesanatos locais. O mercado de Camden é uma atração turística famosa de Londres, com um estilo rústico e eclético. Estação de Metrô: Camden Town.  Existem muitas opções para comer por ali – pubs (como o The Lock Tavern e The Hawley Arms), restaurantes e barracas de comida. No caminho você vai atravessar o Regent’s Canal, o canal mais famoso de Londres (é possível caminhar por ele desde a região de Maida Vale até King’s Cross, inclusive). é uma região super interessante e animada, também com feiras, roupas, artesanato, lojas, restaurantes que você encontra pessoas mais alternativas e do rock. Foi em Camden Town que muitos artistas mundialmente famosos atuaram, tais como Sid Vicious, The Clash, The Smiths, The Killers, Paul McCartney,… Mais acima, em Camden Lock Market, faça compras nas lojas dos punks e no mercado. Também há muitos lugares onde poderá almoçar. Mercado de ruas bem louco, antigamente era o local onde os hippies se aglomeravam e residência onde Amy Whinehouse viveu até seus últimos dias, lá você pode caminhar pelas ruas por onde ela cambaleava, passar em frente a casa dela que está sempre cheia de flores e inclusive tomar uma cerveja em seu pub predileto. As comidinhas do mercado também são bem saborosas, comi um Kebab e um pedaço de pizza bem italiana mesmo.

Covent Garden: Praça atraente de Londres, com mercados de frutas e verduras, shopping, cafés e bares. Uma área pitoresca dominada por várias lojas é também um centro de diversões com artistas atuando na rua, sendo o portal de entrada para a Casa de Ópera Real (Royal Opera House). Estação de Metrô: Covent Garden.  é uma das áreas mais agitadas da cidade, que eu adoro! Um local popular tanto entre londrinos quanto entre turistas. É a primeira praça planejada da cidade, com restaurantes, lojas e concertos ao ar livre. É uma delicia de lugar, dá para almoçar lá no restaurante do Jamie Oliver (Union) ou comer a famossa paella gigante. Esse bairro é um dos meus favoritos! Bem no centro de Covent Garden há um grande mercado chamado Apple Market com bancas de artesanatos em meio a restaurantes (inclusive um James Italian) e lojas. Em frente você tem uma praça na qual artistas de rua fazem performances de dança, músicas e outras artes. O bairro também tem boas livrarias e pubs além de um beco colorido lindo. Dicas: tem shake shack e bem’s cookies.


Museu Britânico: O museu britânico de Londres fica situado no distrito de Holborn e contém mais de 7 milhões de objetos. O museu tem uma coleção impressionante, sendo um dos maiores e mais abrangentes do mundo, ilustrando e documentando a história e a cultura da humanidade em todos os continentes desde o começo da existência da espécie humana até os dias de hoje. O museu britânico foi criado no ano de 1753 e inclui antiguidades egípcias, romanas, gregas e do oriente médio, artefatos pré-históricos, entre outros. Estação de Metrô: Holborn. Ele possui uma arquitetura linda, com uma fachada lembrando um edifício greco-romano e um hall interno com um belo teto de vidro. Há muitas relíquias da antiguidade. Só pra citar os mais famosos: a Pedra de Roseta (que permitiu decifrar os hieróglifos egípcios) e os Mármores de Elgin (os famosos frisos do Parthenon de Atenas). 8 múmias do antigo Egito e máscaras mexicanas e esculturas astecas. Estátua da ilha de páscoa.

Madame Tussaud’s: Localizado em Marylebone Road, perto da estação de metrô Baker Street, o museu foi criado em 1884 pela artista francesa Marie Tussaud que imigrou para a Inglaterra durante a revolução francesa. As esculturas de cera incluem estrelas de Hollywood tais quais Robert Pattinson, Morgan Freeman, Leonardo Dicaprio, Nicole Kidman, Brad Pitt, Angelina Jolie, Tara Palmer-Tompkinson, James Bond e muitos outros. Ao todo o museu tem 300 esculturas de cera! A família real britânica também está incluida na coleção de cera, assim como cantores famosos como Michael Jackson, Madonna, Beyonce, Britney Spears, Os Beatles, Justin Bieber entre outros artistas famosos. As réplicas de ceras são de excelente qualidade e parecem reais! Muito impressionante mesmo! Comprando o ingresso com antecedencia você evita a fila muito longa, pois se comprar o ingresso na porta você pode ficar até 3 horas na fila, durante a temporada de pique (época de verão e férias escolar, entre os meses de julho e agosto). Enquanto que se comprar com antecedência pode esperar na fila em torno de 1 hora.

 

 

 

ROTEIRO DIA 3: segunda (London Pass)

- THAMES RIVER BOAT CRUISE

- LONDON EYE

- BIG BEN

- PALACE OF WESTMINSTER

- CHURCHILL WAR ROOMS

- ABADIA DE WESTMINSTER

- PALÁCIO DE BUCKINGHAM

- CATEDRAL DE WESTMINSTER

- HARRODS

- MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL (GRATUITO)

- KELSINGTON PALACE

- PORTOBELLO MARKET

Museu de Natural History: Um dos maiores museus de Londres com exibições de esqueletos de dinossauros e também espécimes coletados por Darwin. Estação de Metrô: South Kensington

Museu Imperial de Guerra: Contém coleção sobre as guerras ocorridas no século vinte e vinte um envolvendo a Grã-Betanha, incluindo a primeira e a segunda guerra mundial. Estação de Metrô: Waterloo Station.

 

Churchill War Rooms - é o bunker de onde Churchill comandou as tropas britânicas durante a Segunda Guerra Mundial.  Ele conta toda a história de como Churchill comandou os passos dados na segunda guerra mundial. O que achei muito legal é a interatividade do museu, quase que brincando você vai aprendendo a história toda. No centro do museu tem uma mesa gigante com uma timeline gigital e interativo onde você vai escolhendo determinadas datas e reações surpreendes acontecem na mesa toda atraindo a atenção de todos ali em volta, por exemplo: eu escolhi a data em que foram lançadas as bombas de Hiroshima e Nagasaki no Japão, em poucos segundos a mesa toda foi “bombardeada” e cinzas começaram a cair (tudo simulação nas telas que ficam sobre mesa).

 

Big Ben: é o nome popular dado ao relógio na torre da Casa do Parlamento britânico, sendo um dos monumentos mais famosos e reconhecidos de Londres. Mas na verdade o nome Big Ben refere-se ao sino que fica dentro da torre do relógio. O nome oficial do sino é Great Bell (sino grandioso). Este sino pesa mais de 13 toneladas (13.760 kg) e também faz parte do relógio. Ao decorrer de toda hora o sino do relógio bate para marcar as horas.O número de badaladas coincide com o número de horas, marcando assim cada hora completa.Não se sabe exatamente porque o sino foi chamado de Big Ben, mas existem duas teorias a respeito. A primeira é que o sino foi nomeado em homenagem ao Senhor Benjamin Hall, que trabalhou com a instalação do sino. Benjamin Hall era um homem grande que era conhecido como Big Ben. A segunda teoria é que o sino foi nomeado em homenagem ao campeão de boxe peso pesado da época chamado Benjamin Caunt, que também era conhecido como Big Ben.

A História do Big Bem: O palácio de Westminster foi destruído em um incêndio em 1834. No ano de 1844 foi decidido que a nova construção para a casa do parlamento deveria incluir uma torre e um relógio. O sino foi modelado em Whitechapel no ano de 1858 e o relógio terminou de ser construído no dia 10 de abril de 1858 e o sino Big Ben tocou pela primeira vez em Westminster no dia 31 de maio de 1859. O Big Ben é o terceiro relógio de torre mais alto do mundo e o maior relógio com quatro faces do mundo. Dois meses depois de instalado o sino Big Ben quebrou, quando obteve uma rachadura causada pela batida forte do martelo que faz o sino vibrar ao completar de uma hora. Então um martelo mais leve foi instalado e o sino foi roteado para que o lado intacto do sino seja usado para as batidas do martelo. O sino continua rachado até hoje. Características do Big Ben – O Relógio de Torre de Londres: O nome da torre do relógio Big Ben é Elizabeth Tower (Torre Elizabeth). O Big Ben fica deslumbrante durante a noite quando as quatro faces do relógio são iluminadas. Cada face do relógio mede 49.15 metros quadrados. O ponteiro do minuto mede 4.26 metros e as figuras na face do relógio medem 0.6 metros. A torre do relógio é de estilo Gótico, com 96.3 metros de altura e 334 degraus em uma escada espiral. Quando o Parlamento está com sessão em andamento, uma luz especial acima da face do relógio é iluminada, para que o público fique sabendo quando o parlamento está em funcionamento. A hora do Big Ben é regulada por uma pilha de moedas colocadas sobre um pêndulo. O relógio Big Ben raramente parou de funcionar. Até mesmo durante o bombardeamento de Londres e da Casa do Parlamento na segunda guerra mundial, a torre do relógio sobreviveu e o Big Ben continuou marcando as horas. As badaladas do sino Big Ben foram primeiramente mostrada na televisão no dia 31 de dezembro de 1923 e hoje em dia continuam sendo transmitidas. Visitando o Big Bem: A torre do relógio não está aberta ao público, mas os residentes do Reino Unido podem requerer uma visita através do seu representante parlamentar (entre aqui para achar o seu representante). As reservas podem ser feitas com até 6 meses de antecedência, pois as visitas são muito populares. O topo da torre do Big Ben tem uma vista espetacular de Londres. Dentro da torre pode-se também ver o mecanismo do relógio e ver também como o relógio funciona. Turistas não tem permissão para entrar dentro da torre do relógio Big Ben. Mas de qualquer forma o mais interessante é a vista do lado de fora. Mas, os turistas podem visitar o Palácio de Westminster

Palácio de Westminster: (House of Parlament) é a sede do parlamento britânico em Londres e consiste de duas casas legislativas, a Casa dos Lordes e a Casa dos Comuns. O palácio fica localizado na margem norte do Rio Tâmisa (River Thames), no coração do distrito de Londres chamado City of Westminster, perto do mosteiro histórico de Westminster Abbey e os prédios do governo Whitehall e 10 Downing Street (residência oficial do Primeiro Ministro). O palácio de Westminster foi construído na idade média e foi quase todo destruído em um incêndio no ano de 1834. O palácio foi então reconstruído, mantendo as sua características originais e funcionando também como cerimonial para ocasiões reais. Originalmente o palácio de Westminster era a principal residência da família real britânica até que um incêndio anterior em 1512 destruiu o complexo real. Depois disso o palácio de Westminster virou sede do parlamento, que se reune neste palácio desde o século treze. Depois do último incêndio em 1834, o arquiteto Charles Barry reconstruiu o palácio em estilo gótico. Westminster tem 1.100 salas e dois pátios, parte do palácio onde se localizava a câmara legislativa  foi destruída durante a segunda guerra mundial no ano de 1941. O palácio foi então reconstruído no final da guerra. A torre do relógio do palácio de Westminster é conhecida como Big Ben (apelido dado ao sino do relógio). O Big Ben é uma das maiores atrações turísticas de Londres. O palácio de Westminster faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO. Visitantes estrangeiros podem entrar no palácio para assistir a implementação de leis na câmara dos Lordes e dos comuns ao visitar a galeria pública quando o parlamento estiver em sessão. Visita ao Parlamento: Visitantes podem também assistir debates e sessões parlamentares que estejam acontecendo no dia e podem também acessar arquivos antigos sobre a história do parlamento de segunda a sexta-feira (é necessário mostrar um documento de identidade). Visitantes podem passear pela câmara do parlamento aos sábados e durante as férias de verão britânico quando o parlamento está de recesso. Horário de visita: Aos sábados entre as 9.15am até 4.30pm Ingressos: Bilhetes podem ser comprados na bilheteria ao lado da torre Jewel Tower perto de Abingdon Green.Alternativamente, você pode comprar o ingresso online. Chá das 5 no Parlamento – Além da visita você pode também tomar o chá inglês tradicional das 5 na casa do parlamento por £25. Este chá está disponível em dias variados. O chá acontece na câmara chamada Pugin com vista ao Rio Tamisa e inclui salmão, queijo, ovos, bolo, geleia, chá e café.

London Eye: A roda gigante de Londres, é uma construção espetacular. A roda gigante é enorme e proporciona uma vista incrível da cidade de Londres. London Eye foi construída no ano de 1999 e tem 135 metros de altura, sendo a roda gigante mais alta da Europa e uma das atrações turísticas mais populares de Londres. A engenharia e arquitetura da London Eye são impressionantes, pois a roda gigante é sustentada por uma estrutura em forma de “A” somente por um lado, com tiras de aço semelhante a uma roda de bicicleta. A estrutura de aço completa da London Eye pesa 1.700 toneladas. London Eye é composta de 32 cabines, cada cabine pesa 10 toneladas e pode carregar até 25 pessoas. As cabines têm um formato oval e são ar-condicionadas. Os visitantes ficam em pé para apreciar a vista, mas todas as cabines têm um banco no centro para quem preferir sentar. London Eye gira 26cm por segundo, levando 30 minutos para fazer uma rotação completa. Proporcionando um passeio agradável e uma vista deslumbrante da capital Britânica. A roda mantém uma rotação constante e os passageiros entram e saem na cabine com a roda gigante girando, pois como a rotação é lenta da tempo suficiente para os passageiros sairem e entrarem. Local: London Eye fica localizada na margem do rio Tâmisa, em Jubilee Gardens, South Bank, perto do Palácio de Westminster e o Big BenAs estações de metrô mais pertas são Waterloo, Embankment, Charing Cross e Westminster.

Mosteiro de Westminster Abbey é um mosteiro e igreja situado no distrito de Westminster em Londres. A Westminster Abbey tem uma architetura gótica e fica perto do Palácio de Westminster. Esta igreja é famosa por presidir enterros e sepultamentos de pessoas famosas e também quase todos casamentos da família real britânica. No dia 6 de setembro de 1997 o funeral da princesa Diana foi realizado na Westminster Abbey. A igreja de Westminster Abbey é um dos símbolos anglicanos da história da monarquia inglesa. Construída no ano de 624, no reinado de Mellitus, passou por várias restaurações e modificações. Sendo o local aonde o antigo e novo testamento foram traduzidos do latin para o inglês. A nova bíblia inglesa também foi composta na Westminster Abbey no século 20. No dia 17 de setembro de 2010, o Papa Benedict XVI foi o primeiro Papa católico a entrar na igreja anglicana de Westmisnter. Desde 1066 todas as coroações reais são realizadas na Westminster Abbey. Desde século 20 todos os casamentos da família real foram realizados em Westminster Abbey, com exceção do casamento de Príncipe Charles e Diana. Príncipe William e Kate também se casarão na igreja de Westminster no dia 29 abril de 2011. Entre as pessoas sepultadas na igreja de Westminster estão Isaac Newton em 1727 e Charles Darwin em 1882.

Kensignton Palace / Gardens: foi o lar da princesa Diana. Os jardins reais! Um grande e belo parque onde estão localizados alguns pontos importantes da cidade: residência do príncipe Charles e Kate Middletown e um memorial a princesa Diana.

Palácio de Buckingham: O Buckingham Palace em Londres é a residência oficial da Rainha da Inglaterra (Monarca do Reino Unido). O palácio fica localizado no centro de Westminster, sendo usado para eventos especiais de estado e também como hospitalidade real e banquetes. O palácio de Buckingham foi construído no ano de 1702 pelo Duque de Buckingham como sua casa em Londres. No ano de 1761 o duque vendeu a casa para o rei George III e em 1774 a casa foi nomeada Queen’s House (casa da rainha), quando a rainha Charlotte passou a morar lá. O palácio tem passado por muitas alterações e renovações, mas a frente do Palácio de Buckingham tem permanecida intacta como o original a mais de 300 anos atrás. A rainha Victoria foi a primeira monarca a fazer o palácio de Buckingham sua residência no ano de 1837. Hoje em dia o palácio é a residência da rainha Elizabeth II e o seu marido o Duque de Edinburgh. Quando o mastro da bandeira do palácio está levantada significa que a rainha está presente no palácio, quando a rainha está ausente a bandeira é abaixada. Se você entrar no palácio ficará impressionado com os móveis de antiquidade e com um dos maiores tesouros da família real, incluindo pinturas de Rembrandt, Rubens, Vermeer, Poussin, Canaletto e Claude. Também encontrará esculturas de Canova e Chantrey, porcelanas de Sevres e um dos móveis ingleses e franceses mais finos do mundo.  O jardim de Buckingham Palace é o maior jardim particular de Londres. O palácio mede 108 metros por 120 metros e 24 metros de altura, com 77,000m2. O interior do palácio inclui uma sala de música, galeria de arte, a sala de guarda, a sala de trono e a ante- sala, que são usados para cerimônias reais e eventos oficiais. O palácio também tem a sala de café da manhã da rainha, com estilo chinês e a sala de entretenimento chamada Ballroom,que é a maior sala do palácio, aonde se realizam os eventos de banquetes e a cerimônia de nomeação e honra de cavalheiros. Residência oficial da monarquia britânica desde 1837 com 775 quartos, está aberto ao público de julho à setembro. Em exibição estão os tesouros reais, tal quais, pinturas de Rembrandt, esculturas de Canova, porcelanas de Sevres e um dos móveis mais finos do mundo. Troca da Guarda é uma das atrações mais famosa de Londres – um ritual onde os soldados que protegem a rainha trocam de turno – começa diariamente às 11.30 da manhã de segunda à sábado e 10 da manhã aos domingos entre abril e julho (dias alternados entre agosto e março). Dura meia hora. Dica para assistir: Victoria memorial. Estação de Metrô: Victoria Station.

Harrods: A maior loja de departamento da Europa. Situada em Knightsbridge um dos distritos mais sofisticados de Londres. Harrods é uma loja riquíssima com produtos de alta qualidade. Estação de Metrô: Knightsbridge.  Ficou conhecida por ter sido comprada pelo pai do namorado da princesa Diana logo após seu falecimento, era um dos lugares favoritos dela. No subsolo há um memorial ao casal. Visitar todos seus andares é um evento, está cheia de mercadorias refinadíssimas com preços também extraordinários. Tem de tudo, desde móveis, cristais, piano, decoração, grifes, comida e muitas delícias. Não deixe de visitar as áreas de alimentação lindamente decoradas, com mais de 29 bares e restaurantes. A Harrods foi aberta em 1849 como uma pequena e impecável mercearia e em 1905 foi construído este monumento com mais de 300 departamentos. A loja é mais impressionante à noite, com mais de 11.500 luzes. Funcionamento: Segunda a Sabado das 10:00am – 9:00pm e aos domingos 11:30am* – 6:00pm

Natural History Museum: abriga coleções relacionadas às ciências da vida e da Terra, tem mais de 70 milhões de espécies ou itens catalogados. Entre os destaques estão a área dedicada aos dinossauros, a bela coleção de mamíferos, a seção de biologia humana e a galeria dedicada aos terremotos, com direito a uma simulação real onde o chão treme.

Science Museum: possui mais de 30 mil itens em seu acervo, com marcos da história industrial, conqusitas tecnológicas, obras de arte e objetos históricos, tais como a primeira lâmpada e o primeiro motor a vapor. Distribuidas por seis andares estão galerias que abordam assuntos como o espaço, atmosfera, agricultura, telecomunicações, computação, matemática e energia. O museu conta ainda com um cinema IMAX 3D em seu interior.

Victoria e Albert Museum: considerado o museu nacional da Grã-Bretanha de arte e design, possuindo a melhor coleção de arte decorativa do mundo, com mais de 4,5 milhões de objetos espalhados em 13 km de galerias e corredores abordando 5 mil anos de história da arte. Museu de artes mais importante do mundo, conta com pinturas, esculturas e peças encontradas em escavações e pesquisas. Você pode estar se perguntando qual a diferença dele para o British Museum e National Gallery? Bom ele conta a história da arte apoiando-se nas diferentes civilizações e como a arte foi importante para nossa evolução. Já o BT conta muito mais do que isso, fala sobre o ser humano, como evoluímos, quais era as civilizações e como elas se formaram, a cultura e rituais de cada civilização em diferentes épocas, como surgiu a escrita e assim por diante, sempre apoiando-se na arte e objetos encontradas ao londo da história. A National Gallery é puramente pintura, representações reais e fictícias através das telas comandadas por pintores importantes da história, que mesmo com poucas ferramentas conseguiam reproduzir o cotidiano com uma riqueza de detalhes perfeita.

Catedral de Westminster:  é a maior igreja católica na Inglaterra, sendo a principal igreja da comunidade católica em Londres. A catedral se localiza em Victoria, no distrito de Westminster, Londres. O topo da torre da catedral fica à 64 metros de altura, tendo uma vista encantadora da cidade de Londres. A igreja de Westminster foi construída em 1895 com o estilo de arquitetura Bizantina. A decoração da igreja inclui mosaicos, mármores e esculturas. Os visitantes podem fazer um passeio pela igreja e também pela torre para apreciar uma vista panorâmica da cidade.

 

 

 

 

ROTEIRO DIA 4: terça (London Pass)

MANHÃ:

- CASTELO DE WINDSOR

 

TARDE:

- LONDON TOWER (9:00)

- TOWER BRIDGE EXHIBITION

- THE LONDON BRIDGE EXPERIENCE

- THE SHARD

- SOTHWARK CATHEDRAL (GRATUITO)

- BOROUGH MARKET

- TATE MODERN (GRATUITO)

- MILLENIUM BRIDGE

- CATEDRAL DE SÃO PAULO

- MUSEU DE LONDRES

 

 

Windsor Castle: Castelo mais antigo do mundo. Diz a lenda que a rainha ainda passa diversos finais de semana por aqui. Eu diria que é o mais importante castelo da Inglaterra em virtude de seu acervo, conta detalhes da história do país e fez parte de todos esses fatos exibidos. Fato interessante: a Mary Queen construiu um quarto de bonecas em 1921 e está intacto até hoje, pode ser visitado normalmente. é preciso pegar um trem a partir da estação de Waterloo ou Paddingdon. A viagem dura cerca de uma hora.

 

Galeria Tate Modern: Galeria de Arte Moderna em Londres com exibições de arte contemporânea, incluindo exposições de vários artistas famosos. A galeria Tate contém coleções de arte britânica desde 1500 até os dias atuais e também tem uma coleção moderna impressionante de artistas internacionais desde 1900 até hoje. O museu é em uma antiga usina elétrica com arte moderna. Tem bastante obra do Salvador Dali e Picasso. Entrada grátis. Estação de Metrô: Southwark ou London Bridge.  

 Museu de Londres: Contem artefatos, fotos e objetos de arqueologia sobre a história de Londres e sua população. Ele conta a história da cidade desde os seus primórdios até os dias de hoje. Vemos maquetes e peças que nos mostram como era Londres na época pré-histórica, na época dos celtas e dos romanos, na época medieval, na época vitoriana, na época das grandes guerras... Tudo muito bem representado e ilustrado.Estação de Metrô: Barbican. 

A Torre de LondresNo começo do ano de 1080, William o conquistador começou a construir uma torre imensa de pedra no centro do seu forte em Londres, uma construção como nunca foi vista antes. A torre é uma complexa construção com vários cômodos entre quatro anéis concêntricos de defesa rodeado por água. A principal função da torre é de defesa, sendo também um palácio e prisão real onde a rainha Elisabeth I foi mantida em cativeiro durante a inquisição em 1554. A torre de Londres tem uma história macabra por ter sido usada como prisão e tortura de prisioneiros na Idade Média. Durante a segunda guerra mundial a torre foi usada mais uma vez para reter prisioneiros de guerra. Este castelo foi originalmente usado como residência da família real, mas desde 1100 foi usado como prisão para pessoas acusadas de infidels. Hoje em dia é uma das atrações turísticas mais populares de Londres. Estação de metrô: Tower Hill.  A Torre de Londres na verdade é um palácio e forte real no lado norte da margem do rio Tâmisa no centro de Londres. O forte foi criado em 1066 depois da conquista normânica da Grã-Bretanha, por William, o conquistador. Contendo um total de 20 torres! Um forte poderoso em um local estratégico do rio Tâmisa contra ataques estrangeiros. O castelo foi usado como prisão desde 1100, antes disso era usado como residência real. A Torre de Londres desempenhou um papel proeminente na história da Inglaterra, tendo emprisionado pessoas relacionadas com a corôa real, incluindo dois príncipes, Anne Boleyn e Elisabeth I. A Torre de Londres ficou famosa e com uma reputação local de tortura e morte. A torre também foi usada como prisão durante a primeira e a segunda guerra mundial, sobrevivendo o bombardeio da guerra. Hoje em dia é uma das atrações turísticas mais famosas de Londres. O horário de abertura da torre é entre 9.00h às 17.30h de terça à sábado e 10.00h as 17.30h entre domingo e segunda. É aqui onde estão as jóias reais, você pode visitar uma sala onde as mais importantes jóias inglesas estão exibidas, incluindo a coroa da rainha (27,5 milhões de libras). Como a torre é bem grande você pode levar em torno de 2 ou 3 horas para ver tudo. Mais de 9 milhões de soldados e 7 milhões de civis morreram durante a guerra, que envolveu os países aliados Reino Unido, França, Russia, Japão, Estados Unidos e Italia contra Alemanha, Austria e Hungria, Bulgaria e Império Otomano (Turquia).

Tower BridgeA Ponte da Torre fica entre os distritos de Tower Hamlets e Southwark, ligando os dois lados da cidade de Londres através do rio Tâmisa.  A ponte é móvel do tipo báscula e também suspensa. Como o nome diz a Ponte da Torre tem duas torres que são conectadas por duas passarelas horizontais na parte superior da torre.  As partes de operação da báscula são situadas dentro das torres. A ponte começou a ser construída em 1886 e levou 8 anos para ser concluída, sendo inaugurada em 1894. A estrutura da Tower Bridge tem 224 metros de comprimento e 65 metros de altura. Tendo uma vista esplêndida e extraordinária da cidade de Londres, situada ao lado da Torre de Londres. Estação de metrô: Tower Hill. 

Shakespeare, The GlobeUm teatro rústico baseado na época de Shakespeare à beira do rio Tâmisa, que foi reconstruído com as mesmas características da casa de espetáculo construída em 1599, onde Shakespeare trabalhava e aonde ele escreveu várias peças. As sessões de teatro estão abertas de abril a outubro com produções dos trabalhos de Shakespeare e outros escritores da sua época assim como escritores atuais. A platéia assiste as peças de uma galeria com bancadas ou em pé na arena central, exatamente como se fazia a 400 anos atrás. Estação de Metrô: London Bridge ou Southwark. 

HMS Belfast – Navio de guerra da marinha Britânica que poderá visitar.

 

The London Bridge Experience – Atração turística onde atores recriam alguns dos episódios mais assustadores da História da cidade como o Incêndio de Londres e Jack, o Estripador. Os adolescentes adoram este lugar. Alguns adultos, nem por isso.

 

Southwark Cathedral – Catedral gótica de Southwark. Tire umas fotografias no exterior e espreite lá dentro.

National Gallery: A famosa galeria de arte tem entrada franca e possui mais 2.300 pinturas, que vão desde a metade do século 13 até o século 20. Dentre elas a versão light da “Madona das Rochas” de Leonardo da Vinci e um dos quadros dos “Girassóis” de Van Gogh, entre muitas outras obras maravilhosas, incluindo artistas como Michelangelo, Manet, Monet. Se ainda não for muito tarde, há a opção de visitar o museu que fica atrás do National Gallery: o National Portrait Gallery. Ele expõe retratos pintados de personalidades inglesas famosas desde o século 14. Veja como eram as feições da Rainha Vitória, do Rei Henrique VIII e suas 6 esposas, de Isaac Newton, de William Shakespeare, entre muitos outros. Um passeio bem interessante.

Millenium Bridge:  foi inaugurada no ano 2000 para celebrar a passagem do milênio. A Ponte do Milênio na verdade é uma passarela sobre o rio Tâmisa que liga a Catedral de St Paul’s até a galeria Tate Modern e o teatro de Shakespeare. Esta ponte foi construída com aço e tem uma tecnologia inovadora que permite que seja suspensa por cabos laterais. A Catedral de St Paul’s fica perfeitamente enquadrada pelos suportes da ponte. O design da Ponte do Milênio tem 325 metros de comprimento com dois pilares  no rio e oito cabos laterais de suspensão. Os cabos de suspensão são tencionados criando uma força de 2.000 toneladas contra os pilares em cada ponta da ponte. Força suficiente para aguentar 5.000 pessoas na ponte de uma vez. Se você estiver fazendo uma visita a catedra lde St Paul’s vale a pena atravessar a ponte e apreciar uma vista incrível de Londres. Local: a estação de metrô mais perto da ponte é Mansion House.

Shad Thames – uma zona histórica de Londres correspondente a docas com armazéns antigos convertidos em edifícios modernos como, aliás, grande parte do South Bank. The Shard, o prédio mais alto de Londres que foi recentemente inaugurado. É possível subir e ter uma impressionante vista 360 graus da cidade. São dois níveis: primeiro você vê o andar 69 e então pode subir as escadas pro andar 72 que está a 244 metros do chão e é parcialmente descoberto. Tem um formato de pepino e a entrada é 25 libras.

Catedral de St Paul’sA catedral de St Paul’s é um dos pontos turísticos mais deslumbrantes e famosos de Londres. A construção atual é considerada como a quinta catedral construída no mesmo local desde do ano 604 AD e foi o prédio mais alto de Londres entre os anos de 1710 até 1962 com 111 metros de altura. A Catedral de St Paul’s está situada no centro da cidade de Londres, no topo da ladeira de Ludgate Hill, o ponto mais alto da cidade. A arquitetura de St Paul’s Cathedral é grandiosa e a construção atual foi construída no século 17 pelo arquiteto Sir Christopher Wren. A catedral de St Paul’s é uma das igrejas mais prestigiosas de Londres, aonde eventos religiosos importantes são realizados, incluindo o enterro de Lorde Nelson, Duque de Wellington e o Primeiro Ministro Winston Churchill, o jubileu da rainha Victoria, jubileu de ouro e 80th aniversário da rainha Elisabeth II e o casamento do Príncipe Charles com a Princesa Diana. St Paul’s Cathedral é uma igreja anglicana com arquitetura de estilo renascente, a igreja antiga foi destruída no grande fogo de Londres em 1666 e reconstruída com o atual design. O design atual foi baseado na Basílica de St Peter em Roma e a  cúpula da igreja foi inspirada por Françoi Mansart’s Val-de-Grâce, durante uma visita de Wren à Paris em 1665. Visita a Catedral de St’ Paul: Turistas podem pagar uma taxa para entrar na igreja e subir 259 degraus até o topo da  catedral aonde pode-se obter uma vista panorâmica fantástica de Londres. Horário de abertura – A catedral está aberta para visitas entre as 8.30 da manhã até as 4 da tarde. Ingressos – podem ser comprados online ou na entrada (o bilhete online é um pouco mais barato, custando £1.50 a menos). O ingresso de um adulto custa 16 libras na porta e 14.50 online. O ingresso de família (2 adultos e duas crianças) custa 39 libras na porta e 35.00 online. Chá em St Paul’s – Há também um restuarante na catedral aonde os visitantes podem tomar o famoso chá das 5. O chá é servido entre as 2.30h e 4.30h de segunda a sábado. Local – St Paul’s fica perto da estação de metro St Paul’s, na linha vermelha chamada central line.

 

TRANSPORTE AEROPORTO – CIDADE 

 [Heathrow – LHR]

  • Heathrow Express – trem de alta velocidade, sem paradas, que liga o aeroporto à estação de trem e metrô Paddington, em Londres, em apenas 15 minutos. Atenção ao seu terminal na hora de fazer o trajeto Londres-aeroporto. Se seu Terminal for o 2 ou o 3, desembarque no Heathrow Terminal 2 and 3. Se estiver indo para o Terminal 5, continue a bordo após a parada no Terminal 2&3. Os trens continuam até o Terminal 5 (em mais 6 minutos de viagem). Agora se estiver indo para o Terminal 4, desembarque no Heathrow Terminal 2 & 3, e pegue um transfer grátis (trem), que sai a cada 15 minutos (apenas 4 minutos de viagem). 
  • Metrô – Piccadilly Line (azul) – Em alguns minutos de metrô é possível ir do aeroporto de Heathrow até a cidade, com paradas em todas as estações da Piccadilly Line (linha azul). Muito fácil fazer baldeação para qualquer outra linha. No trajeto cidade-aeroporto, atenção ao seu terminal. Alguns trens vão para os terminais 2, 3 & 4 e outros vão para os terminais 2, 3 & 5. Pegue o trem certo (e quando estiver esperando na estação, cheque no letreiro do TREM, pois às vezes o letreiro da estação está confuso/quebrado). O metrô chega praticamente dentro do aeroporto. 

[Gatwick – LGH] 

  • Gatwick Express – trem de alta velocidade, sem paradas, que liga o aeroporto de Gatwick à estação de trem/metrô no centro de Londres, Victoria Station, em apenas 30 minutos de viagem. 

[London City – LCY]

  • Metrô – DLR Line (verde água) – O aeroporto London City é bem central e está ligado à cidade pela “tube” londrino.


 

METRÔ & ÔNIBUS 

Para quem for ficar muito tempo em Londres, vale a pena comprar/fazer o Oyster Card (nas próprias máquinas dos metrôs). Assim as suas viagens, tanto de metrô como de ônibus, sairão muito mais baratas. É só ir recarregando nas máquinas conforme uso (só se recarrega no metrô – se entrar no ônibus sem créditos vai passar vergonha! rs). Vale lembrar que o ônibus custa MUITO mais barato do que o metrô (aliás, metrô é caríssimo em Londres, apesar de super eficiente). Gostei de andar de ônibus porque são aqueles de dois andares e é como um passeio turístico, mas há certo trânsito e pode demorar muito em alguns horários. Aí é melhor mesmo o metrô. Aqui nesse site você pode planejar as suas viagens e ver que ônibus e linhas de metrô precisa pegar para chegar ao destino desejado. Para quem for passar pouco tempo, recomendo comprar o ticket que vale por um dia inteiro, ilimitado (nas máquinas também). 

Antes de começar, não se esqueça de comprar seu cartão Oyster, para usar no transporte público. Compre o tipo travelcard de uma semana para zonas 1/2 e aí não terá nenhuma preocupação! Clique aqui para ler o post que explica tudo sobre tipos de tickets e tarifas.

 

COMES E BEBES

café da manhã inglês: tradicional prato com ovos, bacon, salsichas, feijão docinho e torradas com manteiga. O lugar ideal para provar um bom prato sem pagar tão caro é o Garfunkels.

     

um pub antigo, cheio de história

 

  • Bob Bob Ricard
    1 Upper James Street, SOHO / Estação: Piccadilly Circus (ñ mto perto)

Esse restaurante mistura a culinária britânica com a russa (adooooro! Saiba mais aqui), mas a visita vale mesmo pela atmosfera/decor (e pela sobremesa!!!). Possui dois ambientes, “the blue dining room” e “the red dining room”. Nós ficamos na blue (não dá para escolher na reserva) e o lugar é todo azul marinho e dourado (bem exagerado mesmo) e recria um vagão do trem Orient Express (tem até cortininha entre uma mesa e outra). O destaque fica para o botão “press for champagne” que existe em cada mesa. Achei o máximo!!!! Claro que perguntei como funcionava antes de apertar (se não, poderia ser aquele susto na conta!!!) e é o seguinte: ao apertar, o garçom vem imediatamente com o menu de champagnes/vinhos pra você escolher, e depooooois vem a garrafa. O prato imperdível é a sobremesa BBR Signature Chocolate Glory, que além de ser linda, é deliciosa. Precisa reservar (pelo site) e o dress code é elegante (sugestão de roupa: homens – calça social ou jeans, sapato e camisa, blazer opcional / mulheres – vestidinhos, calças, saias, salto, bolsinha… Um pouco menos do que a roupa que você iria para balada e um pouco mais do que um jantar normal). 

 

Esse bar foi eleito pela 4ª vez consecutiva O MELHOR BAR DO MUNDO! E é realmente fantástico. Fica no The Langham Hotel, na continuação da Regent Street, em um ambiente tradicional de bar (lindo). O destaque fica para os coquetéis surrealistas, que são surpreendentes, cheios de efeitos especiais (e ainda super deliciosos e diferentões! Combinações inusitadas que deram certo!). Há comida no horário do almoço, mas no fim da tarde/noite, apenas aperitivos. Fui sem reserva e sentei facilmente. 

Bubbledogs 
70 Charlotte Street, FITZROVIA / Estação: Goodge Street

Você imaginaria um restaurante que só vende cachorro quente e CHAMPAGNE?? Não, né?! Em Londres, esse lugar existe e é o maior sucesso! O Bubbledogs tem a maior pompa de restaurante, mas no cardápio, apenas hot dogs gourmets e uma lista bem grande de espumantes (por garrafa e por taça). Confesso que já comi hot dogs melhores, mas um lugar criativo desses merece sua visita. 

Bubbledogs LondonRestaurante de hot dogs e champagne | Bubbledogs London

Essa sorveteria no descolado bairro de Camden não poderia ser outra coisa que não descolada!! Todos os sorvetes são feitos de nitrogênio líquido, na frente do cliente. Você escolhe o sabor e lá vai o funcionário fazer um fumacê para o seu sorvete ficar pronto. O meu, de salt caramel, estava ótimo!!!

  • Franco Manca Sourdough Pizza
    Há dezenas de unidades espalhadas por Londres – veja aqui
    Eu fui na de COVENT GARDEN: 39 Maiden Lane / Estação: Covent Garden

A pizza sourdough tem uma massa feita com leveduras selvagens, mais ácidas/azedas, um pão de verdade, ancestral e, na minha opinião, delicioso. Um verdadeiro achado em Londres pois tem ambiente descontraído, pizzas gostosas e… PREÇO BOM!! A Franco Manca tem dezenas de unidades em Londres, mas fui na do Covent Garden e adorei. 

  • Radio Rooftop Bar | Hotel ME London by Melia
    336 – 337 Strand, prox. Covent Garden / Estação: Temple ou Covent Garden

Quando faz calor em Londres as pessoas correm todas para os rooftops da cidade!! E um dos que estão bombando é o Radio Rooftop Bar, no Hotel ME (vizinho ao hotel que me hospedei, Strand Palace). Recomendo ir no fim de tarde… Ambiente gostoso! Não fica muito no alto, mas mesmo assim a vista é linda! Não achei fácil conhecer esse lugar, pois é daqueles que barram na porta (não sei com base em que, mas disseram que é por lotação), portanto recomendo reservar (+44 845 601 8980), pois fui em uma terça-feira e estava lotado (fui sem reserva, mas era apenas eu, sozinha). DJ e povo animado. 

O nome engraçado desse restaurante não é por acaso: waffles com recheio de pato é o prato principal da casa (duck & waffle: crispy leg confit, fried duck egg, mustard maple syrup). O restaurante chama a atenção na cena gastronômica londrina por 3 motivos: 1. fica aberto dia e noite (em Londres, muita coisa fecha cedíssimo), 2. está em um andar MUITO alto (40º andar), oferecendo vistas maravilhosas dos skyscrapers da cidade, e 3. está no mesmo prédio de outro restaurante famoso chamado SushiSamba. Recomendo reservar com bastante antecedência pelo site, pois o lugar é mega concorrido, até mesmo de manhã, de madrugada e em dias de semana!!

  • POLPO
    Há várias unidades espalhadas por Londres – veja aqui
    Eu fui na de: NOTTING HILL – 126-128 Notting Hill Gate
    e na de: COVENT GARDEN – 6 Maiden Lane

O que achei legal desse restaurante é que ele é de TAPAS. Só que tapas ITALIANAS! Como tem Polpo em vários endereços de Londres, e normalmente fica aberto para almoço e jantar, pode ser uma ótima opção para uma refeição rápida, no meio de um dia de tour. As almôndegas são deliciosas. 

  • Ben’s Cookies
    Covent Garden – 13a The Piazza / Estação: Covent Garden (veja outras localidades aqui)

Sério, é crocante por fora, molinho por dentro, quentinho… Hummmmm! Ainda bem (ou infelizmente) que tem lojas da Ben’s Cookies em vários endereços de Londres (veja aqui), eu fui várias vezes na de Covent Garden, que fica dentro da pracinha coberta.

Ben’s Cookies – LondresO melhor cookie do mundo!!! Ben’s Cookies, Londres

 

O The Ivy Market Grill é a versão informal (e mais acessível) do tradicional restaurante The Ivy, aberto em 1917. O menu é composto por pratos “comfort food” da culinária britânica e outros internacionais. O lugar ideal para pedir um icônico fish and chips. De sobremesa, peça uma deliciosa bombe de chocolate

Apesar do Chef Gordon Ramsay (aquele do programa Hell’s Kitchen) ser considerado o melhor chef britânico (e de fato é… Mega estrelado Michelin), eu gosto muito mais do Jamie Oliver!  Há vários restaurantes diferentes que levam o nome do chef, espalhados pelos quatro cantos do mundo e claro, por Londres (veja todos aqui), mas gostei muito de conhecer o Jamie’s Union Jack, que fica no Covent Garden (dentro da “pracinha”). É bem informal e é de culinária britânica “nostálgica”, utilizando apenas ingredientes naturais/artesanais. Perfeito para um almoço rápido ou um jantar. Destaque para o prato de “free range chicken”. Para quem não sabe, o Jamie Oliver é um ativista que luta contra várias práticas da indústria alimentícia, entre elas, a forma como hoje frangos são “produzidos”. Defende e incentiva que os animais vivam livres e que sejam bem tratados (saiba mais aqui). Não sei se foi por causa disso ou não, mas realmente meu frango estava muito mais gostoso que a média, com sabor de fraaaango da fazenda, sabe?!

  • PUB

existem vários com o selo “Taylor Walker”, que é quem fornece a comida e faz os menus (ou seja, garantia de que é bom!). Veja aqui todos os pubs com selo Taylor Walker. Os pratos típicos dos pubs britânicos, além de cervejas, são: burgers, fish&chips e tortas salgadas. Fomos no The Glassblower, em Piccadilly (40-42 Glasshouse Street, Piccadilly – perto da Regent Street).  

Ah, não poderia me esquecer das milhares de lojas da Pret A Manger e EAT espalhadas por Londres. Chegam a ter às vezes mais de 4 no mesmo quarteirão!!! São de comidas prontas ou semi-prontas, geralmente mais naturebas, ideais para um almoço rápido. É febre entre os londrinos. Pelo que percebi, só almoçam assim agora!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

As descrições são bem bacanas, mas o roteiro tá bem cheião né? Vc já o colocou em prática? Dá tempo de fazer tudo isso não, rs! :)

Não dá pra ir num museu como o de história natural ou o british mais outra atração num mesmo período, a não ser que seja só passar na frente... 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@karinerribeiro Obrigado Karine! Essa viagem tem 2 anos e na época não tomei notas. Lembro que gastava na faixa de 8-12 pounds para almoço/jantar e uns 4 pro desjejum.

 

@Juliana Champi oi juliana. é que eu faço roteiros não muito engessados,  pensando nos locais que estarei no dia. Não necessariamente irei visitá-los, mas acabo reunindo informações de tudo para poder escolher o que fazer (discutir com a pessoa que está comigo, oferecendo opções).

Partindo do seu exemplo, o museu de história natural não fui. Visitei apenas o british e o fiz em meia tarde, vendo coisas que eu tinha muito interesse. 

 

  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

20 horas atrás, karinerribeiro disse:

INCRIVEL seu resumão.

senti falta de preços, que é sempre bom botar uma média.

No geral, incrivel, parabens.

Obrigado Karine! Essa viagem tem 2 anos e na época não tomei notas. Lembro que gastava na faixa de 8-12 pounds para almoço/jantar e uns 4 pro desjejum.

19 horas atrás, Juliana Champi disse:

As descrições são bem bacanas, mas o roteiro tá bem cheião né? Vc já o colocou em prática? Dá tempo de fazer tudo isso não, rs! :)

Não dá pra ir num museu como o de história natural ou o british mais outra atração num mesmo período, a não ser que seja só passar na frente... 

oi juliana. é que eu faço roteiros não muito engessados,  pensando nos locais que estarei no dia. Não necessariamente irei visitá-los, mas acabo reunindo informações de tudo para poder escolher o que fazer (discutir com a pessoa que está comigo, oferecendo opções).

Partindo do seu exemplo, o museu de história natural não fui. Visitei apenas o british e o fiz em meia tarde, vendo coisas que eu tinha muito interesse. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...