Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Conexão longa em Amsterdam (8h - Schiphol) Imigração e Roteiro básico para conhecer a cidade


Posts Recomendados

  • Membros

Olá pessoal!

 

Estou indo para londres e farei uma conexão longa em Amsterdam (8h) pela KLM e gostaria de conhecer rapidamente a cidade (somente os principais pontos, sem entrar em nenhum museu). Chego 12:30 e meu vôo para londres sai às 20:30. Sei que passarei pela imigração tanto em amsterdam como em londres, mas no desembarque em amsterdam eu vou sentido "conexão" ou vou para saída normal, como se estivesse já no meu destino? terei que pegar as malas despachadas ou elas irão direto para londres? Como devo responder na imigração? Digo que estou em conexão mas gostaria de deixar o aeroporto para conhecer a cidade? quais documentos vocês consideram importantes p/ apresentar?

Sei que são muitas dúvidas mas to mega perdida (e com medo de ficar perdida lá tbm kkkkkk) Consigo sair do aeroporto de metrô?

Alguém tem dicas de roteiro nos pontos principais da cidade? Pensei em fazer tudo de bike, mas nem sei como funciona pra alugar e nem se é um meio rápido de se locomover.

 

VALEU GALERIS❤️

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 1 mês depois...
  • Membros
Em 21/01/2020 em 10:18, eloisacanedo disse:

Cara, mandou muito!! 

Vi que consigo reservar uma bike online, vou seguir a rota que vc sugeriu! 3h sem entrar em nenhum museu e de bike acho que vai rolar ❤️ muito obrigada!!!

OI Eloisa, depois conta como foi sua experiência nessa conexão. Farei essa mesma indo pra Londres em Maio. Também tenho medo de me perder... haha. 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Mari Brito
      Olá pessoal!

      Sou iniciante e gostaria da ajuda de vocês para comprar uma barraca. Minha ideia é usar ela no Brasil e América Latina. 
      Com base em experiências com outras barracas, tô procurando um modelo que seja durável, resistente a chuva (!), arejado e leve (!). Porém meu orçamento está bem curto e o dólar tá alto então foi difícil achar boas barracas que estivessem dentro das minhas necessidades e realidade. Cheguei a três modelos:

      Nautika Takoma 2 Pessoas: 
      - É a primeira barraca de duas pessoas que realmente parece caber duas pessoas confortavelmente. 150x240x115
      - 2000mm, porém o sobreteto é incompleto o que me deixa apreensiva de entrar água pela porta. 
      - É comprida então dá pra colocar a mochila dentro.
      - Duas laterais praticamente completas de tela de mosquiteiro.
      - Parece que o acabamento do zíper não é tão bom, a bolsa não tem alça nem nada.
      - Tem espeques mais grossos e de plástico, o que deixa muito mais leve mas pode ser um problema em chão duro. 
      - É muito leve (2.3kg)

      MH100 2 e 3 pessoas:
      - A barraca de duas pessoas: 105x130x210 e 2,4kg
      - Barraca de três pessoas: 120x195x210 e 3,3kg
      - O acabamento parece muito bom, desde os bolsos internos que são grandes, até o próprio saco da barraca.
      - 2000mm
      - Sobreteto completo. 
      - Pequeno avanço frontal.
      - Parece um modelo bem mais fechado e abafado.
      - Não tem zíper duplo. 
      Falcon, da Náutika, 2 e 3 pessoas:
      - Duas pessoas: 110x130x200 e 2,2kg
      - Três pessoas: 110x160x205 e 2,3kg
      - É o modelo mais barato, a de três lugares é o mesmo valor que a de 2 lugares das outras duas. 
      - Apenas 1000mm, diferente das outras duas que são 2000 mas vi algumas resenhas dizendo que é bastante resistente e não entra água, provavelmetne o sobreteto completo e a distancia entre o quarto e o sobreteto ajudem bastante nisso. 
      - Laterais do quarto completamente em tela de mosquiteiro.
      - Pequeno avanço frontal. 
      - Possui fixação lateral do sobreteto o que ajuda bastante na resistência a chuva e vento. 
      - Muito leve. 
       
      E aí pessoal, dentre esses modelos, quais vocês escolheriam? 
      Indicariam outros modelos com custo benefício melhor?
      Tem experiência com esses aqui? 

       
    • Por MARTINS CRISTIANE
      Olá, iniciante no pedal e louca por viagens. 
      Quem puder dar dicas, depoimentos e sugestões para quem busca iniciar no cicloturismo eu agradeço.
      Abraços
    • Por Piter Nunes
      E ai genteee!
      sou do RS aqui do litoral norte ,estou pensando em fazer meu primeiro mochilão, já vi muitas pessoas saírem por ai sem destino certo e queria fazer parte desse mundo também, sabe visitar lugares conhecer gente nova outras culturas... ( meu sonho seria começar pelo Uruguai)
      mas n faço ideia de:
      por onde começar?
      de quanto dinheiro preciso?
      do que preciso?
      😀contem como foi o primeiro role de vocês se tiveram medo, como fizeram  para sanar a duvidas simples?
      contato: [email protected]
       
      link face add! https://www.facebook.com/piter.nunes.735/?viewas=
    • Por Bruuhniinhaah
      Site: https://girlspmundo.blogspot.com
      Um blog voltado para as mulheres que adoram viajar...!! #Embarque em nossas aventuras!
      Objetivo de realizar encontros entre as viajantes, promover interação entre as mulheres, criar laços de amizades, viagens em grupos sem fins lucrativos. Abordar experiências, compartilhar dicas:  restaurantes, hospedagens, passeios que ajudem no planejamento da viagem! Tem histórias bacanas e boas dicas compartilhe no Blog!
      Gostou do projeto! Seja uma membra colaboradora.
      Whats: 61 98423-1976 - Bruna.

    • Por Felipe Marques Santana
      Venho aqui compartilhar o meu mochilinha de 27 dias pela Europa. Essa foi a 1ª experiência no continente. Com certeza, voltarei muitas outras vezes.
      Bom, iniciarei pelo planejamento.
      Comprei passagens de ida e volta por Bruxelas, pois tenho uma amiga que mora numa cidadezinha não muito longe de lá: Boortmeerbeek.
      Comprei com muita antecedência, no mês de maio, mas consegui um bom negócio: 2400 reais pela cia Air Europa. Os voos tinham escala em Madri, pois não há, por nenhuma cia, voos diretos até Bruxelas.
      No mês de setembro reservei os hostels em Paris, Amsterdã, Berlim e Londres. E comecei a pensar como faria os trechos internos. Bom, na maioria dos casos utilizei o trem, todos tíquetes comprados com 3 meses de antecedência para pagar um menor valor. Os trechos Bruxelas>Paris e Paris>Amsterdã foram realizados com o Thalys. No primeiro paguei 22 euros e no segundo 29 euros. Já de Amsterdã a Berlim, preferi fazer aéreo, pois o trem demorava 6 horas e além de tudo o preço não era atraente. Acabei comprando a passagem pela Easyjet (60 euros, com direito a despachar uma mala); no trecho Berlim>Londres comprei pela Easyjet também, com o mesmo preço e as mesmas condições. Em Londres queria fazer um bate-volta a alguma cidade do interior, e acabei escolhendo Cambridge pelo preço das passagens de trem (12 libras ida e volta!). Para finalizar, fiz o trecho Londres>Bruxelas de Eurostar, uma facadinha: 60 euros! =(
      Tíquetes de atrações, só comprei 2 de forma antecipada: visita à casa da Anne Frank em Amsterdã (10 euros) e London Eye (24 libras).
      Com tudo certo, só restava viajar!
      E numa data inusitada: 31 de dezembro! Como não ligo muito para Ano Novo, decidi ir nessa data: um dos motivos para as passagens estarem baratas! hehehe
      Fiz o voo de São Paulo a Madri em uma saída de emergência, pois o atendente ao ver a minha altura (1,91m), ficou com pena de mim! O voo foi ótimo! =) A aeronave era um pouco antiga, mas não foi um problema. A comida servida era muito boa! E tinha água e refrigerante no fundo da aeronave à vontade, era só pedir. Uma vez em Madri, esperei cerca de 3h pela conexão, nada que atrapalhasse, mas o aeroporto estava com as lojas fechadas e meio vazio. O segundo voo também foi em aeronave antiga, mas foi tão tranquilo quanto ao outro. Ao chegar em Bruxelas, andei, andei, andei, andei até chegar à área onde estavam as esteiras, peguei a minha mala (ufa, ela chegou!) e esperei a minha amiga chegar para me buscar.
      A casa dela não era muito distante do aeroporto, em cerca de 40 minutos, já estava lá, local que ficaria 4 dias no início da viagem e mais 1 no final.
      Nesse primeiro dia, praticamente descansei, almocei e depois à noite fui até Bruxelas encontrar uma amiga que estava lá por coincidência! =) Para ir até lá, fui de trem. Na Bélgica os trens regionais funcionam bem e quase sem atrasos. As compras podem ser realizadas pelo site da Belgium Rail, ou em máquinas nas estações. As máquinas aceitam cartão e moedas, esqueçam dinheiro!
      Passagem de ida e volta comprada, era só embarcar. De Boortmeerbeek até Bruxelas era mais ou menos 1 hora, com uma troca de trem em Mechelen, uma cidade maior e com mais conexões. Há trens muito antigos, mas também há aqueles modernos, porém vários deles são pichados na parte externa, achei estranho Bom, chegando na estação Brussels Centraal/Bruxelles Central (tudo em Bruxelas é bilingue, inclusive o nomes das cidades!) fui até a Grand Place/Grote Markt de lá, que é um espetáculo à parte. Ainda estava rolando a feira de Natal, além de a cada hora um lindo show de luzes. Quando cheguei encontrei a praça assim:

      Linda, não? É o lugar mais bonito de Bruxelas, sem dúvida! =)
      Encontrando a minha amiga, fomos até ao Bar Little Delirium (não fomos ao grande, por ser muito lotado). Lá pudemos provar vários tipos de cerveja belga (as melhores da viagem) por preços razoáveis. Também aproveitei a ocasião para provar uma daquelas delícias culinárias belgas: o waffle. Esse tinha nutella e morangos! Muita vida! hehehe
      Depois de mais um rolê pela cidade, me despedi dela, pois era tarde e tinha que pegar o trem até Mechelen (ou Malines, em francês), onde a minha amiga e o seu noivo me esperavam, pois não haveria mais trens para Boortmeerbeek. =(
      Eles aproveitaram para me mostrar, de carro, como era a cidade. O lugar mais interessante é a Catedral Metropolitana, que possuía na idade média, uma das torres mais altas da Europa, pois a cidade era um entreposto comercial importante.

      Bom, escrevi bastante. No próximo post continuo o relato. (Obs: pode ser que demore um pouco, tanto pelos detalhes, quanto falta de tempo mesmo! hehehe)
      Até a próxima!
×
×
  • Criar Novo...