Ir para conteúdo

Argentina :Depois do desgoverno vem o sofrimento


Posts Recomendados

  • Colaboradores

De volta a Buenos Aires 

Domingo,dia 1.3,últimos dias de Argentina, ouvindo falar em vírus por todos os lados, voltei a capital porteña,após um belo sábado de desfiles e de conhecimento do carnaval argentino. As tardes de domingo são paradas no Centro,mas precisava ir a algum lugar distrair.Lembrei do planetário que está próximo aos parques da Plaza Itália. Vi na net,havia sessão as 19h ao custo de 200 pesos. Fui lá. Como era cedo,fiquei um tempo nos jardins,e depois,fila.O planetário de Bs As exibe filmes muito interessantes e científicos, além de ter um museu espacial muito bom.Dessa vez em reforma,mas a sessão matou o tempo e fez-me aprender um pouco mais de ciências. 

No outro dia ia conhecer o famoso Zoo de Lujan, mas o motorista do ônibus avisou que este zoo também fechou, como vários no país. Fiquei sem ter aonde ir,pois 2 feira,tudo fechado, segundo o site do zoo seria a única atração aberta.Que nada,tive que tomar o bus,pagar 70 pesos e descer no terminal final,aonde está a Basílica Nacional e um complexo de museus,também fechados. 

Planetario iluminado.jpg

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 meses depois...
  • Colaboradores

Dia 2.3,terça, aonde ia pensei.Já tinha ido a toda Buenos Aires dessa vez,esse dia seria de Teimaken,também fechado.Fui perguntar em informações turísticas, o cara lá me indicou o museu de armas,desde a idade das trevas até a guerra imperialista das Malvinas. Não gosto de armas, muito pelo contrário,por mim destruía todas do mundo. 

Fui de metro,pois não sabia que é perto de Retiro. Daria para ir a pé,porém o metro da cidade é tão barato, menosde 1 Real.Cheguei ao museu, para quem gosta pode ser muito bom,para mim só aumentou meu ódio ao capitalismo e os impérios do inglês que massacraram os argentinos nas Malvinas. 

20200303_154412.jpg

Dia 3.3-Último dia-Sai do hotel por volta das 11h,despedi-me do meu novo amigo recepcionista é fui matar tempo na rua.Passei no correio estatal que foi recriado pelo excelente governo Kirchner, caminhei pela Av de Mayo já vazia e fui ao edifício Palácio Barolo,aonde há subidas de 2 em 2h. Estava pensando em não ir,pois custava 990 pesos,caro,mas a visita guiada é muito boa.Não sei se compensa,mas nas últimas horas valeu. 

Voltei ao hotel e fiquei com meu outro amigo da recepção torcendo contra o Santos até meu horário. Foi assim o término da viagem para continuar por Punta Cana,mas não fazia ideia que caminhava para um dos piores momentos do Brasil,entregue as baratas pelos coxinhas. Ali na Argentina, já era tudo diferente. O rapaz da Azul disse-me para ir rápido ao check-in, pois seria demorado. Chegando lá, vi a grande burocracia que faziam, mas enfim,liberado.

Cheguei a BH para ficar 1 semana e aqui estou por tempo indeterminado.Diferente de Ezeiza,o aeroporto daqui parecia que nada acontecia no mundo,ao contrário de lá, aonde as pessoas estavam indo para o isolamento voluntário. É a diferença, isso é a terra da velha direita.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...