Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Cerro Currumahuida (Lago Puelo, Argentina) - mar/20


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

20200306_144835.thumb.jpg.39c8987d39d775c45f5cefe7544ca421.jpg

Lago Puelo e delta do Rio Azul

Início: cemitério de Lago Puelo
Final: porto de Lago Puelo
Distância: 16,1km
Maior altitude: 1197m no cume do Cerro Currumahuida
Menor altitude: 198m na margem do Lago Puelo
Dificuldade: alta pois a inclinação é bem forte para atingir o cume do Cerro Currumahuida, exigindo um pouco de escalaminhada meio exposta. Desníveis positivos de 405m e 724m do cemitério ao cume.

A leste e sudeste da cidade de Lago Puelo se estende o Cerro Currumahuida, cujo cume está na porção central da cadeia montanhosa, a 1197m de altitude, de frente para o lindo Lago Puelo. Esse curioso nome significa morro preto em idioma mapuche (curru=preto e mahuida=morro). Infelizmente a encosta mais próxima ao cume sofreu incêndios em 2015 e 2011 e uma parte da subida se dá entre troncos caídos e queimados.

06/03/2020 - Saí do Camping Las Rosas às 10h13 e caminhei 1,2km até o cemitério municipal, ao sul do centro da cidade, na Avenida Los Alerces. Altitude de 225m. Na frente do cemitério há um grande painel dando as boas-vindas à Área do Cerro Currumahuida e mostrando num mapa as quatro trilhas principais: La Virgen, La Cruz, Camino del Faldeo e Subida La Lidia. Dessas meu plano era percorrer o Camino del Faldeo (ou Sendero El Faldeo) até o Puesto Maninga, em seguida subida ao cume do Currumahuida (não mostrado nesse mapa) e então descida pela "Bajada a La Playita", com final no Lago Puelo e retorno ao centro de ônibus. 

Esse percurso tem a seguinte altimetria: sobe dos 225m do cemitério aos 630m, depois desce aos 473m no Puesto Maninga. Sobe aos 1197m do cume e finaliza baixando aos 198m na margem do Lago Puelo.

Entrei na rua à esquerda do cemitério às 10h38 e em 100m inicia uma trilha com placa de Sendero La Virgen. E já começa com uma subida bem íngreme dentro do bosque. Mais acima aparece uma sinalização de duas faixas horizontais de cores verde e branca. 

20200306_153113.thumb.jpg.83b63d0ca2bbcb02cbe5c369a4034a7d.jpg

Vista do cume do Currumahuida: Cerro Três Picos e Cerro Plataforma à esquerda; Cerro Cuevas e Cerro Aguja Sur à direita

Às 11h14 cheguei aos escombros de uma cabana de madeira com uma placa "Puesto Tatin Fernandez" e o primeiro mirante para o Lago Puelo, já a 512m de altitude. Depois vieram trilhas da direita e da esquerda mas me mantive na principal. Subi até os 630m de altitude e comecei a baixar. Às 12h23 parei em outro mirante para fotos da cidade e do lago. Cruzei um bosque de pinheiros com o chão repleto de cones (pinhas) e às 12h51 cheguei a uma bifurcação em T com um banco para descanso. A trilha que vem da direita é outro acesso desde a cidade e se chama Subida La Lidia, segundo a placa no cemitério.

Segui para a esquerda e encontrei o primeiro riacho da caminhada, porém era apenas um fio d'água. Muito recomendável trazer água suficiente para o dia todo desde a cidade. Às 13h cheguei a um cruzamento de trilhas num local chamado Puesto Maninga. Há restos de uma cabana ali também. A sinalização agora é de duas faixas horizontais de cores azul e branca e aponta para a esquerda, que é o caminho ao cume. 

Essa sinalização verde/branca e azul/branca parece ser uma convenção local para o Cerro Currumahuida, mas nesse trecho a trilha de cores azul/branca coincide com o traçado da Huella Andina, que tem exatamente essas cores. A Huella Andina é uma trilha argentina de 570km de extensão dividida em 42 etapas. Vai da província de Neuquén à província de Chubut, no norte da Patagônia. A subida do Currumahuida, porém pela Playita e não pelo cemitério, é parte da Etapa 33: PN Lago Puelo-El Desemboque (informações aqui e aqui). 

Seguindo em frente nesse cruzamento a trilha desaparece no bosque. A direita no cruzamento é a trilha que desce para La Playita e Lago Puelo, que tomarei na volta. Mas antes de continuar me fartei com as amoras maduras que havia ali.

Para chegar a esse cruzamento havia descido até a altitude de 473m. Agora volto a subir, e bastante! A trilha continua para o sul e aparece uma sinalização branca e vermelha também. Saio do bosque e encontro água, mas estava parada. Nova paisagem do Lago Puelo à direita. Às 13h46 cruzo o limite do Parque Nacional Lago Puelo com um portal simples e uma placa. Uns 5min depois uma seta vermelha manda subir para a esquerda, aparentemente sem bifurcação nenhuma, porém ela existia e foi soterrada por árvores que caíram. A trilha da direita seria a continuação da Huella Andina contornando o Cerro Currumahuida pelo sul até El Desemboque.

O cume já estava próximo se olharmos no mapa mas o pior ainda estava por vir. Logo inicia uma ladeira longa e íngreme de pura terra solta numa área devastada por incêndio. Lugar muito ruim de caminhar pois a terra solta muito fina subia como poeira a cada passada e as árvores queimadas sujam a roupa de carvão. A recompensa é a vista cada vez mais larga do azul Lago Puelo. Alcancei um platô onde a trilha se tornou menos íngreme. Numa bifurcação fui à esquerda e na seguinte à direita, alcançando às 14h58 um gramado bom para acampar (há água de um lago não muito distante). A trilha segue em nível por uns 150m e uma seta pintada na pedra manda subir à direita. Já se vê o cume e é um grande rochedo de paredes bastante íngremes. 

Cheguei à base desse rochedo e não conseguia visualizar alguma trilha subindo, mas havia. Subi com cuidado e até usando as mãos pois alguns trechos eram muito inclinados mesmo. Atingi o topo às 15h23. Há dois cumes: leste e oeste. Fui primeiro ao cume leste, onde há restos de um cruzeiro de madeira. Depois ao cume oeste, onde há um pau fincado, talvez restos de um outro cruzeiro. Altitude de 1197m em ambos. Dali se avista, além do Lago Puelo e da cidade homônima, o Lago Epuyen a sudeste; o Cerro Três Picos e Cerro Plataforma ao sul-sudoeste; Cerro Aguja Sul a oeste-sudoeste; o Lago Inferior (no Chile) a oeste; Cerro Aguja Norte a noroeste; El Bolsón e Cerro Piltriquitron a norte-nordeste. 

20200306_160910.thumb.jpg.caa84b88665d955c9a1b262e005bc36c.jpg

Cume escarpado do Currumahuida

Iniciei o descenso às 15h55. Desci do rochedo com bastante cuidado, passei pelo gramado e depois o trecho ruim de terra solta com a ladeira bem inclinada. Ali cruzei com três pessoas subindo, os primeiros que encontro na trilha. Às 17h02 passei pela placa do Parque Nacional, reentrei no bosque e cheguei ao cruzamento Puesto Maninga às 17h30. Ali segui em frente (oeste), descendo, e em 280m chego a uma bifurcação em que sigo à esquerda. Às 18h06 me deparo com uma placa do parque nacional apontando para o "Ciprés Abuelo" (cipreste avô) a 100m e fui conhecer esse bonito exemplar datado de 1850 e que sobreviveu a tantos incêndios. Mais 220m de descida e alcanço uma bifurcação: a trilha continua à direita, mas vou à esquerda conhecer o Mirador del Lago. A caminho dele há um riacho, única água corrente do dia. O mirante tem painel com o nome das montanhas.

Voltei à trilha principal e continuei a descida. Logo convergiu uma trilha à direita chamada Sendero El Chucao, mas continuei em frente. Uns 80m depois cruzei um portal e para a direita sai uma trilha com placa apontando Sendero Pitranto Grande, mas ainda continuei em frente. Cheguei ao Lago Puelo às 19h e fui visitar a Playita, um lugar bem sem graça. Voltei ao portal e segui à esquerda a trilha Pitranto Grande. Em 15min aparece o pitranto, que é um bosque de pitras preservado neste parque e que fora dele tende a desaparecer pela urbanização, segundo ensina a placa. 

Continuando na direção do porto principal (oeste) passei às 19h30 pela entrada da trilha (à direita) para o Jardim Botânico e Sendero Antiguos Pobladores, mas não havia tempo para conhecer, infelizmente. Segui em frente e com mais 200m cheguei à entrada da trilha do Bosque de las Sombras, e esse eu queria muito conhecer, então entrei. Essa trilha tem um trajeto circular de 400m por plataformas ainda dentro do bosque pitranto. 

Saindo dele tomei o caminho mais próximo à margem do lago, passei pelo porto principal (de concreto) e consegui alcançar o ônibus das 20h para o centro de Lago Puelo.

Informações adicionais:

. o ônibus que vai do Lago Puelo (parque nacional) até o centro da cidade de Lago Puelo (e continua para El Bolsón) é diário e sai a cada hora redonda (13h, 14h, 15h,...), segundo me informaram. Na internet há tabelas mostrando saídas a cada 30min de 11h a 22h. Valor da passagem ARS20 (R$1,25). Transportes La Golondrina.

. site do Parque Nacional Lago Puelo: www.argentina.gob.ar/parquesnacionales/lagopuelo

Rafael Santiago
março/2020
https://trekkingnamontanha.blogspot.com.br

 

1070747083_Currumahuida4.thumb.JPG.e91e62ca4fe11efd3b297dcdd4f04e1f.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Silnei featured this tópico

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...