Ir para conteúdo

[EM CONSTRUÇÃO] Eurotrip com a mãe - 25 dias entre França, Itália e Amsterdam


Posts Recomendados

  • Membros

Como eu demorei muito tempo para escrever o relato pela França, a partir de agora vou fazer um relato mais resumido e direto. Desculpe se sair muito superficial, mas vou detalhar mais as partes que não conseguimos encontar na internet, dicas e roteiros pesquisados. Informações fáceis ou que varia muito, como linhas de metrô, preços de ingressos e atrações, horários etc. não vou entrar em detalhes.

 

DIA 9 – ROMA

Chegamos no Aeroporto Fiumicino pouco depois do meio-dia. Achei bem simples o aeroporto, principalmente por ser o principal da Itália, mas o terminal até que é grandinho. Apesar de ser um voo internacional, por conta do Espaço Schengen não passamos nem pela imigração nem pela alfândega. Comemos alguma coisa em uma lanchonete e fomos procurar a estação para pegar o trem. A ideia era ir com o trem regionali para Tiburtina, pois o Leonardo Express era mais caro, apesar de ser mais rápido. Entretanto, andando pelo terminal vimos o lugar onde os ônibus param, então decidimos ir de ônibus mesmo, o preço era bem mais barato, e comprando ida e volta ainda tinha um desconto (saiu 9 euros por pessoa), e o tempo de viagem até Termini é praticamento o mesmo do trem regionali. Tem várias empresas, fomos de TAM por que era o primeiro que saía quando a gente chegou. A viagem demora cerca de uma hora, depende muito do trânsito, horário de pico etc., o ônibus até que é confortável para a duração da viagem, mas comparando com o padrão brasileiro as poltronas são bem mais apertadas. Ao chegar em Roma o ônibus passou em frente ao Coliseu, que emoção, fiquei de boca aberta com a imponência da estrutura. Chegando em Termini pegamos um tram até o hotel. Para a nossa situação, foi mais vantajoso pagar os bilhetes avulsos do que comprar o Roma Pass ou o Passe de Transporte, pois nosso roteiro estava estruturado para conhecer as atrações a pé, usando o transporte só para ir e voltar ao hotel. Ficamos hospedados no SHG Hotel Portamaggiore (R$ 825,09 por 3 diárias, mais 24 euros de taxa de hospedagem). Neste dia estava previsto dar uma caminhada para conhecer um pouco a cidade, mas chegamos cansados e fomos para o quarto descansar e dormir. A noite jantamos no restaurante do hotel mesmo (comemos pizza hahaha). 

DIA 10 – VATICANO e ROMA

Chegamos no Aeroporto Fiumicino pouco depois do meio-dia. Achei bem simples o aeroporto, principalmente por ser o principal da Itália, mas o terminal até que é grandinho. Apesar d

Descansamos um pouco no quarto e saimos para ter o primeiro contato com Roma. Flanamos a esmo pelo centro histórico. A primeira impressão que tive da cidade (ainda dentro do ônibus) foi de uma cidade muito linda, arborizada, com grandes monumentos e a primeira vista do Coliseu. Ao chegar na Estação Termini, vi uma cidade muito suja, com lixo nas ruas e calçadas, muitos moradores de ruas, pessoas mal encaradas, não senti nenhuma sensação de segurança. Até o hotel pegamos um tram bem velho, lotado de pessoas e mal conservado. Ao andar por Roma uma coisa que me irritou muito foi a diferença de precisão entre os mapas do Google Maps (que tinha baixado para funcionar offline) e as ruas reais. Lembro que procurando a entrada do Foro Romano para achar a bilheteria o Google Maps mandou para a saída, que é beeeemmm longe da entrada, e nisso foi mais de meia hora de caminhada para dar a volta e chegar na entrada, que era do Coliseu. Por outro lado, Roma é um museu a céu aberto, a cada esquina eu ficava impressionado com algum monumento ou alguma praça, até as árvores da cidade são imponentes. As estátuas são imensas e muito altas, incrível. Outra problema que tive com Roma foi para achar um banheiro público. Certa hora mamis precisava ir ao banheiro e procurei no Maps (dessa vez online) e simplesmente não achei um banheiro. Tive que chamar um Uber para nos levar de volta ao hotel.

 

 

domingo, 10 de fevereiro de 2019 e segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

  • DOMINGO - Praca San Pedro - 12h ver o Papa (chegar com bastante antecedência)
  • Basílica de São Pedro – gratuita
  • Coliseu, Forum Romano e Palatino (12 euros avulso, comprar antecipado; de graça com Roma Pass): para pegar menos fila, evite usar a entrada que fica perto do Coliseu, que estará apinhada. Caminhe por 5 minutos na direção do centro pela Via dei Fori Imperiali e use a entrada que fica ali. Ou, melhor ainda, inicie sua visita pelo Fórum, usando a entrada do Monte Palatino -- neste caso, reserve sua entrada para o Coliseu entre duas e três horas depois do horário programado para entrar o Fórum. Coliseu a noite é fechado em fevereiro. O ingresso vale por 2 dias (Coliseu num dia e Forum Romano e Palatino no outro). Procurar a fila 'Prenotazioni con orario' e se apresentar cinco minutos antes.
  • Cupula
  • Galeria Borghese (18 eur)
  • Castelo de Santo Ângelo (15.50 eur)
  • Piazza della Repubblica
  • Santa Maria degli Angeli
  • Quattro Fontane
  • Quirinal Hill
  • Fontana di Trevi
  • Piazza Venezia
  • Monumento a Vittorio Emanuele II
  • Piazza della Rotonda
  • Piazza Navona
  • Piazza Campo de' Fiori

 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

  • 11h – Check-out no SHG Hotel Portamaggiore
  • 14h15, trem para Veneza


DIA 10 – ROMA
DIA 11 – ROMA
DIA 12 – ROMA/VENEZA
DIA 13 – VENEZA
DIA 14 – VENEZA
DIA 15 – VENEZA/MILÃO
DIA 16 – VENEZA/FLORENÇA
DIA 17 – FLORENÇA/PISA/LUCCA
DIA 18 – FLORENÇA/ROMA
DIA 19 – ROMA
DIA 20 – ROMA/AMSTERDAM

  • Obrigad@! 1
Link para o comentário
  • Colaboradores

@D FABIANO Salvo engano, somente na Basílica de São Pedro não entra de bermuda. Mas não precisa ser roupa formal... um jeans e uma t-shirt já resolvem o problema. Mesmo porque, se for no verão, Roma é um forno! Nunca peguei um calor daquele na vida.

Aliás, não aconselho Roma no verão... muito tumultuado, tem fila grande até para beber agua numa fonte. Transporte público cheio. Dentro do Vaticano é um absurdo de gente, fica difícil até apreciar as obras.

Link para o comentário
  • 3 meses depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Rafaelafreitas
      Oi pessoal, eu pretendia viajar para o japão no ano que vem, mas pelo jeito não vai abrir, por isso, estou mudando meu roteiro para a Europa.
      Minha vontade é ir para Portugal, depois ir para a França e talvez ir para Itália, caso eles abram.
      Minha dúvida é, vou fazer o teste do covid no Brasil para ir até Portugal. Pretendo ficar três dias, depois vou ir para a França... Preciso fazer outro teste de covid para entrar na França? Tomei a coronavac, pelo que eu li em algumas notícias, quem tomou essa vacina é considerado como se nem tivesse tomado...
      Vou ficar cinco dias na França, aí devo fazer mais um teste para ir até a Itália?
      Estou confusa, na minha mente eu achava que se eu estivesse em Portugal por primeiro não haveria problema transitar nos outros países sem precisar fazer o teste....
      Eles pedem terceira dose para quem tomou coronavac, mas eu acho inviável fazer isso no Brasil, já que somente os idosos estão tomando o reforço, não seria justo.
    • Por Lizandrablank
      Oi pessoal!
      Estou programando 10 dias em Amsterdam no início de 2022, sabe como tem sido a questão da Covid-19 pra viajantes totalmente vacinados? E todos os protocolos no aeroporto?
      Aceito dicas e companhia!!! 
      Boa viagem 🛩️
    • Por philip_rodrigo
      Fala, pessoal, 
      tudo bem?
      Tenho uma passagem pro reveillon em Portugal pela TAP. Estou em dúvidas sobre a abertura da fronteira, sera que vai rolar? 
      Ja estou vacinado e a França ja anunciou abertura. Caso Portugal nao abra, e eu comprar um trecho de Portugal pra França, será que consigo utiliza-lo?
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Se você está planejando a sua primeira visita a Utrecht, saiba que você terá um passeio encantador no centro da Holanda medieval. A cidade desempenhou um papel importante na história do país, e muito disso ainda pode ser visto hoje nos incríveis marcos de Utrecht já que esse local costumava ser o principal centro político, econômico e cultural da Holanda.
      Como o turismo é uma das principais indústrias aqui, as melhores coisas para fazer em Utrecht envolvem muitas caminhadas, passeios turísticos, comer e beber, e apenas apreciar a beleza encantadora desta cidade pitoresca, especialmente na Cidade Velha, onde você pode encontrar uma série de edifícios históricos.
      Há muitas coisas para fazer e desfrutar aqui, mas se você está limitado a fazer apenas algumas, aqui estão as que eu mais recomendo.
       
      Continue lendo em: 6 Melhores Coisas para Fazer em Utrecht, uma das Principais Cidades Holandesas
    • Por camilandarilha
      Em 2019, realizei a maior viagem da minha vida e agora, finalmente decidi compartilhar um pouco dela aqui  espero que gostem!
      Capítulo 1: Preparação e França
      Em setembro de 2018, decidi largar a faculdade e juntar dinheiro para me jogar em uma aventura na Europa. Estava trabalhando em uma ONG de intercâmbio voluntário e fechei um pacote para passar 45 dias na Croácia por R$400 reais. Muito barato! Pelo menos tinha a hospedagem garantida. (Só vim saber exatamente onde ia dormir quando cheguei na Croácia, mas essa parte fica para outro momento)
       Tinha pouquíssimo tempo e pouquíssimo dinheiro (somente R$1000 guardados) pois planejava passar o ano novo em Paris (já que as passagens no inverno são mais baratas). Vendi praticamente TUDO o que eu tinha, roupas, livros, e vendia comida na rua (principalmente bolo vegano)! Contava a história de que estava indo realizar meu sonho de mochilar, e muitas pessoas me davam dinheiro sem nem pegar a fatia, para que eu vendesse para outra pessoa. Lembro-me de um dia em que ofereci o bolo para dois senhores em um restaurante chique: Um me deu uma nota de R$50 e outro, de R$20. Quase engasguei de surpresa hahaha 😅 depois de vender muito bolo, pastel e etc, consegui juntar R$2500, que somando com o que eu tinha guardado, foi o preço da passagem de ida e volta! Poderia ter pago bem mais barato se tivesse comprado com mais antecedência, então essa é a primeira dica: Se você for fazer na loucura que nem eu, presta atenção nas promoções e procure as datas mais baratas (usei o Skyscanner para isso) mas se você tem mais tempo, compre com antecedência, pois isso pode te fazer economizar uma boa grana! 
      Outra dica: se você vai vender na rua para juntar grana e viajar, não seja seletivo. Eu era um pouco mais tímida, e só oferecia para pessoas que não estavam em grandes grupos e ainda era seletiva, escolhia na rua para quem ia oferecer. OFEREÇA PRA GERAL! HAHA Sério!
      Fiz vaquinha, continuei vendendo e tive também uma ajuda dos meus pais. Acabei indo com cerca de 800/900 euros (ou seja, eu iria me virar com uma média de 100 euros por mês). Na época, isso seria mais ou menos R$4000. 
      Cheguei em Paris e nem podia acreditar que estava ali. Eu nunca nem havia saído do nordeste! Estava fazendo 7 graus, e eu estava com um agasalho de inverno. Porém quando eu digo inverno, é inverno nordestino, ou seja, não servia para quase nada  me lasquei de frio, então outra dica: Não seja mão-de-vaca como eu fui na hora de investir em roupa de inverno. Porquê meu pensamento foi "São menos de três meses de frio, eu vou sobreviver". NÃO PENSEM ASSIM, PELO AMOR DA BICICLETINHA! 
      Fiquei uma semana em Paris e dei um bate e volta em Versailles com uma amiga peruana que fiz através do Couchsurfing. Fui no museu do Louvre de graça (o Louvre é gratuito nos sábados à noite, na baixa temporada! Outro motivo de querer ir pra Paris no ano novo). Fui na Sacred Coeur, Notre Dame (não entrei porquê era pago) e bati bastante perna! Os franceses a quem pedi informação foram gentis e prestativos. O segredo é começar com "Bonjour/Bonsoir! Excusez-moi parlez-vous anglais?" (Bom dia/boa noite! Com licença, você fala inglês?)
      A ideia era pagar pelo transporte (e ainda paguei algumas vezes) mas os próprios parisienses me ensinaram como burlar o metrô 🤷‍♀️ quase não paguei transporte público nesse mochilão. Não estou dizendo que é certo, mas era a forma que eu tinha de economizar. Se você puder pagar, pague, pois se você for pego, paga uma multa de em média 100 euros! 
      Duas vezes pedi informação sobre como comprar um ticket de metrô pois estava toda enrolada, nas duas vezes, as pessoas tentaram me explicar, mas resolveram pagar pra mim. Gentileza que você não espera!
      Fiquei na casa de duas pessoas do Couchsurfing. Me senti muito desconfortável na casa do meu primeiro host, era um francês que morava sozinho e era uma pessoa inconveniente, mas no da segunda, foi ótimo ❤️ uma paquistanesa super gente fina, que morava com o namorado francês e tinha um gatinho, o Pablito. Eles foram ótimos! A paquistanesa falava seis idiomas, incluindo português (se eu não soubesse que ela era do Paquistão, diria que era paulista pelo sotaque!)
      Maas, na noite de ano novo, acabei dormindo no hostel onde a minha amiga do Peru estava se hospedando. O metrô estava fechado (eram 3h da manhã) e eu teria que esperar até às 7h. Tinha uma cama vazia no quarto que ela estava: Ela parou um pouco, pensou e disse baixinho: "Fica aí até às 7h, antes de checarem os quartos para limpeza"! Dei um cochilo, às 7h acordei e meti o pé. Passei pela recepção sem olhar para trás, mas a pessoa que estava na recepção nem disse nada. Provavelmente é difícil saber quem é hóspede ou não em uma época tão festiva. 
      Voltei para a casa do meu host com o c* na mão, pois quando cheguei na estação da zona que ele mora, eram 8h da manhã e ainda estava escuro - e não tinha ninguém na rua. Porém em um determinado momento passei por uma menina que estava andando e mexendo no celular tranquilamente e fiquei um pouco mais tranquila. A pessoa só faria isso em um lugar minimamente seguro, não é?  Mas ainda fiquei em alerta até chegar na casa do meu host. 
       
      Depois da França, peguei um voo para a Croácia (que estava incluso naqueles R$3500). Cheguei em Zagreb e peguei uma van até Rijeka, a cidade onde ficaria por 45 dias (acabei ficando 50 dias). 
       
       
       








      20190102_161214.mp4 20190103_132615.mp4

×
×
  • Criar Novo...