Ir para conteúdo

12 dias Na região dos Lagos – Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios


Posts Recomendados

  • Membros

 

Meu primeiro relato no site. Viajei com a namorada, ficando hospedados em locais baratos onde teria pelo menos um fogão e geladeira. Planejei fazer mais ou menos isso: tomar um café da manhã reforçado, levar guarda sol, canga e cooler pra praia, procurar almoço barato, cozinhar um jantar e saindo pra beber de noite.   

Conheci no total 22 praias (25 se contar 3 minúsculas) Vou colocar aqui um ranking das praias que eu conheci, esse critério é pessoal, eu levei em consideração: beleza, ter um espaço pra fugir da muvuca, conforto da praia, entre outros. Durante a descrição dos dias vai dar pra entender melhor o ranking. As praias minúsculas não entraram no ranking, contam como um acessório da praia principal. 

 Ranking 

 1 – brava arraial  2 - farol arraial  3 - ferradurinha  buzios  4 - prainha  arraial 5 - conchas cabo frio  6 - forno arraial 7 - tartaruga  buzios  8 - azedinha buzios  9 - forno         buzios 10 - praia grande arraial 11 azeda  buzios 12 fernandinho buzios 13 - peró  cabo frio 14 - dunas  cabo frio 15 - geribá  buzios 16 - foca buzios 17 – jose fernandes    buzios 18 - ferradura buzios 19 - brava buzios 20 - pontal do atalaia arraial  21 - olho de boi  buzios  22 - ilha do japones cabo frio 

 Cabo Frio - Já estive em Cabo Frio faz 15 anos, porém por ignorância só fui na Praia do Forte e ignorava a existência de outras praias. As areias são em geral brancas e a água é azul e transparente. As praias possuem infraestrutura e pra se deslocar do Forte/Dunas para Japones/Peró/Conchas vc vai precisar de um transporte. A noite fiquei numa travessa da Rua Porto Alegre, uma rua com dezenas de bares e algumas baladinhas.  

 Dia 1 – Praia das Dunas 

 Saí de São Paulo as 2:00 e cheguei em Cabo Frio 9:40. Me surpreendi com a rapidez, esperava uma viagem mais longa. Já arrumei minhas coisas (sempre levei o cooler com bebidas) e fui pra Praia, na intenção de sair na Praia do Forte sem querer parei na Praia das Dunas (as duas são a mesma praia mas mudam de nome pela característica da praia). Praia lotada e eu só vendo guarda sol na minha frente. A chegada na praia é bonita com as dunas na entrada dela, de longe avistava a Praia do Forte mas desanimei de ir pois parecia mais lotada ainda. Areia branca, mar azul e transparente com ondas. Agua fria mas da pra entrar. Estava a uns 200 metros das dunas maiores e decidimos irmos até lá. Chegando no local tivemos uma lição que levaríamos pro resto da viagem. Jamais parar no primeiro local e ficar, sempre tentar fugir da muvuca de guarda sóis. Subimos numa duna e fincamos o guarda sol lá. Se for ficar nessa praia recomendo fazer isso. Tinha quase ninguém do lado e a vista fica linda, afinal antes só via guarda sol pra onde olhava. Pedi uma porção de peixe, 60 reais e uma caipirinha, acho que 15 reais. De noite cansados da viagem não saímos. 

 

 Dia 2 – Ilha do Japonês / Praia das Conchas 

 Acordamos cedo e seguimos em direção a ilha do Japones, pra entrar no local precisa pagar 25 reais. O tempo estava nublado e logo de cara não gostei do local. Atravessamos por dentro da agua com agua no tornozelo até chegar na ilha, isso é uma experiência legal. Chegando lá não gostei muito e mais uma vez a estratégia de não parar no 1º lugar deu certo. A praia da frente da ilha não é tão legal, faixa de areia minúscula e muito cheio, peguei uma trilha de 30 segundos e sai na parte de tras, mais bonita, com uns barcos de pescas no fundo dando um visual legal e uma faixa de areia maior. Com o tempo horrível a agua não estava numa cor bonita igual nas fotos, nem dava vontade de entrar, a areia é branquinha. Fiquei lá por umas horas, levamos uns lanches e tomei umas cervejas pro cooler ficar mais leve. Voltamos por dentro d’água e ela já estava na cintura. Estava bem decepcionado, esperar muito da Ilha do Japones, mas no meio da travessia olhei pro lado e vi aquele cenário, muito legal a travessia, a decepção melhorou um pouco. Eu não recomendo e talvez só voltaria pra Ilha com o sol rachando pra tirar a prova dos 9, porém acredito que tive azar e não que a Ilha é feia. Talvez compense ir lá e caso se decepcione ir rapidão pra Conchas ou Peró. Na ilha tem uns barquinhos legais que oferecem porções, churrascos e e bebidas e muitos ambulantes. Em frente a ilha tem uns quiosques que parecem ter um bonito visual. Saindo da Ilha, dentro da mesma propriedade, fui em direção a Praia das Conchas (precisa de carro pq é longe, o lugar é imenso) logo de cara já sai no meio de um monte de quiosques (bem legais os quiosques, são sobrados) e centenas de guarda sol. Usando a estratégia fui andando um pouco pro lado esquerdo e logo me vi longe da muvuca. Areia com cor normal, mar tava meio desbotado pelo tempo e a agua é transparente e fria mas tolerável. Essa praia não foi a mais linda da viagem, mas eu tenho uma definição pra ela, aconchegante, que praia gostosa de ficar, foi uma das que eu mais me senti a vontade na viagem. Dos 2 lados, morros que decidimos explorar depois de curtir bem a praia. Primeiro exploramos o costão do lado direito, muito bonito. Depois subi um caminho bem pequeno no fim do costão. Em seguida rumamos pro Morro do Vigia, esse lugar parece um complexo de trilhas, demora muito pra conhecer tudo, não devo ter conhecido nem metade, é lindo. Peguei uma trilha e fui pra Praia do Pescador. Na foto ela é bonita mas é areia é meio feia, cheia de detritos, um lugar pra visitar apenas. Subi e minha namorada saiu correndo de um rato, quando eu fui ver era um preá, kkkk. Isso atrapalhou um pouco a exploração pq ela queria ir embora com medo do “rato”. Tenho medo de altura, subi em um local com um aviso “não se aproxime das pedras” e umas meninas malucas tirando foto, fui em uns 3 pontos legais. Tinha mais trilha pra fazer mas o “rato” nos espantou. Kkkk. De noite fomos pra rua Porto Alegre, muito, mas muitos bares, bonito pra caramba, me surpreendeu. Parei em um boteco que tava rolando um sertanejo. Esquina da resenha, não era dos mais bonitos mas tinha cerveja e sertanejinho, bebidas e porção a preços justos. Até barato pro padrão de São Paulo. Cansados das trilha fomos dormir.  

 Dia 3 - Praia do Peró 

Acordei com uma idéia maluca na cabeça, ir pra Praia Brava, um local de surf de um lado e nudismo do outro, minha namorada embarcou na ideia e seguimos, sem saber que era dentro da propriedade da Ilha do Japones, novamente morreu 25 reais e fomos buscar a tal trilha, tava meio difícil de achar e minha namorada foi ficando estressada, acabou desistindo, na saída da trilha um cara que parecia meio perdido voltou e nos explicou como ir e que dava pra ir pelos quiosques também. Achei o cara meio estranho, Talvez fosse um naturalista meio tarado sei lá.  Fomos pra Peró, ao lado das Conchas. Bem extensa, com estrutura de quiosques, muito vento, água transparente, azul e gelada. Almoçamos em um restaurante beira mar que não lembro o nome, existem vários.

 Dia 4 - Praia Grande - Arraial - 29/12

 Fomos para Arraial, da pra fazer praticamente tudo a pé. Fomos pra Praia Grande e novamente fugindo da muvuca de guarda sóis, fomos pro lado esquerdo, quase no fim da praia. Praia linda, Mar azul, areia branca e água super gelada, mas de um jeito que é impossível entrar, eu dei uma corrida pra conhecer a praia e aquecer o corpo, sai correndo, dei um mergulho e voltei correndo. Começou a chover e voltamos pra casa. Almoçamos num buteco/restaurante Amarelinho do lado da hospedagem. comida gostosa e cerveja gelada. Em Arraial não deu pra sair um dia, por cansaço ou por causa da chuva. Não conheci a noite da cidade. 

 Dia 5 - Prainha / Deck dos Pescadores / Por do Sol na Praia Grande

 Fui de carro pra Prainha, nem precisava pq dava pra ir a pé e ainda tomei uma multa por estacionar em local proibido. Chegando, lado direito pra fugir da muvuca. Areia branca, mar azul e transparente, água fria porém da pra ficar nela tranquilo , a fama de agua gelada de arraial não se estende pra todas as praias. Porém de cara não gostei muito da praia, não é tão bonita igual a praia grande, tem muitas construçoes e da pra ver a rodovia ao fundo. todavia no decorrer do dia ela virou uma das praias mais aconchegantes da viagem, Praia muito gostosa e se eu tivesse que escolher apenas uma praia pra passar o dia em Arraial seria nela. Fiz snorkel pela primeira vez e vi alguns peixes, tomei uma caipirinha a preço justo em um quiosque. Pegamos uma trilha curta e fomos pra Praia da Graçainha, no caminho avistamos tartarugas. A praia da Graçainha é minuscula e bem bonitinha, tinha algumas tartarugas. Fomos pra Praia Grande ver o Deck dos Pescadores. é legal mas nas fotos é mais bonito. 5 reais pra tirar foto no deck. Achei bobeira e tirei fotos em outros pontos de graça. Embaixo de um barco parado no deck vi um pinguim! Depois subimos, fomos no mirante, tiramos fotos na janela do céu. O por do sol é realmente um espetaculo lá de cima. 

Dia 6 - Praia Brava / Prainhas do Pontal

Sem cooler e apenas com guarda sol e canga partimos para Praia Brava. Pegamos um taxi que nos deixou quase na entrada da trilha. O visual de cima é uma espetaculo. Quase chegando na praia tem um trecho que eu achei bem perigoso, porém eu tenho medo de altura e vi gente passando ali com criança pequena e cachorro. Quando pisei na praia fiquei impressionado. Conheço poucos locais, praticamente não viajei pra lugar nenhum. A Praia Brava é o lugar mais bonito que eu já vi. De longe, muito longe é a praia mais bonita da região. Dei uma incrivel sorte que a mare tava bem baixa e a faixa de areia tava bem maior do que todos os videos e fotos que eu vi. Tem videos no youtube que o pessoal não consegue nem descer pra praia pq não tem faixa de areia. Areia branca, agua de um azul incrivel e gelada pra caramba, um pouco menos que a Praia Grande mas bem dificil de entrar.  0 infraestrutura. Na sequencia subimos a trilha de volta e andamos até onde passam os taxis. Foi bem cansativo. No caminho 2 mirantes com lindas vistas. Chegando nas Prainhas do Pontal do Atalaia já vi que tava muito lotado, escadaria famosa lotada, quando cheguei no final e dei uma boa olhada na Praia exclamei "que bosta" eu tinha saído da paradisíaca Praia Brava pra ir pra um lugar parecido com a Rua 25 de março no Natal. achei um lugarzinho quase encostado no quiosque e ficamos por lá. Ao redor só guarda sol e caixa de som. eu nem conseguia ver a praia. Fui no mar, a agua é azul bem bonita, fria mas dá pra entrar e com ondas. A maré já tinha subido e fui com a agua na cintura até a outra prainha. Bem melhor, mas cheia também. como faria o passeio de barco no dia seguinte, decidi dar outra chance pras Prainhas e ficar na Prainha menos cheia no outro dia. Essa foi a maior decepção da viagem, a praia mais famosa de arraial é uma bosta. Passamos a virada de ano novo na areia da praia, devido a pandemia não teve show. Só um monte de gente, adolescente com caixa de som com funks ridículos.  Bem ruim. 

 DIA 7 - Passeio de Barco

 Acordamos bem cedo, o passeio tava programado para as 9 horas. O barco foi o Holandes Voador, o passeio acho que foi R$ 60,00 cada. É bem interessante, principalmente por ser a única forma possível de ir pra Praia do Farol. Devido a pandemia a parada na Praia do Farol foi de 15 minutos. Praia linda, agua fria mas dá pra entrar. não vi peixe nenhum de snorkel. Depois o barco foi pra Prainhas do Pontal. dessa vez ficamos na praia menos movimentada. Mesmo assim não gostei, bem cheio e muita gente desembarcando dos barcos. Uma muvuca. Tomei umas caipirinhas, cerveja e comi espetinho. Gastei uns 80 reais no barco. Na volta pra casa paramos no Amarelinho pra beber e comer. É um barzinho bem legalzinho, estilo boteco que eu adoro. 

 DIA 8 - Praia do Forno - Arraial

 Fomos cedo pra praia, proibido entrar com garrafas de vidro. Trilha de uns 10 minutos, tranquilo. Mesmo cedo, umas 10 horas, a praia tava bem cheia no canto direito e no meio muito guarda sol de barraca, mais pro meio e no canto esquerdo muito desembarque de barco. Decidimos ficar numa barraca, sem muita opção nessa praia pra um cantinho mais reservado. Gostei da praia, areia vermelha, agua transparente, fria mas da pra entrar. No canto direito eu vi muitos peixes com o snorkel. No canto esquerdo tem um deck bem legal. 

 Dia 9 - Praia da Tartaruga / Praia da Ferradura - Búzios. 

 Pegamos estrada pra búzios, 1 hora de viagem. Fui sozinho pra Praia pq a mulher tava cansada. Búzios tem um problema, muitas praias e longe umas das outras, então dependendo de onde estiver hospedado, precisa de carro. Gostei da Praia da Tartaruga, uma praia de tamanho médio, mar calmo, verde e transparente, mar menos frio que arraial, mas ainda não é o ideal. Muito bonita a praia, com umas pedras dentro do mar. Fui até lá tirar fotos e voltei de snorkel, dei de cara com uma tartaruga, quase bati a cara nela. Fiquei no canto esquerdo, depois andei até o meio e fiquei lá sozinho curtindo. Parti pra praia da Ferradura, não gostei, parece um lago gigante, o clima nublado não ajudou muito também. Tomei umas 2 caipirinhas.

 Dia 10 - Ferradurinha e Geribá

 Na chegada pra praia de Ferradurinha, um corredor com varios restaurantes com comidas a preços justos. Chegando na praia fiquei até sem jeito, parece que vc tá chegando no quintal de alguem, a praia tava bem vazia. é a praia mais confortavel de buzios. linda, mar calmo, umas pedras do lado pra subir e tirar fotos. Pegamos um caiaque e fomos até a prainha em frente, no Google tá como Praia do Amor. Minuscula e nada demais. Almoço em um dos restaurantes do corredor, comida boa. Pra Geribá da pra ir a pé. Praia bem grande, com ondas médias, agua fria mas dá pra entrar. Bem mais movimentada, pagode, caixa de som,  porém tinha espaço pra ficar de boa. É uma praia bonita mas destoa das praias com cara de praia particular de Búzios. De noite hora de conhecer a rua das pedras, bonito mas muito chique pro meu gosto. Tudo caro, comida cara, bebida cara. dezenas de estabelecimentos e nenhum boteco com cerveja de 600 ml barata. Acabei parando num lugar que não tinha cara de bar, vendia algo pra comer mas tinha double caipirinha por 20 reais e cerveja long neck a preço justo. Uma caracteristica da cidade é que tudo é caro mais vc acha caipirinha de 10 a 15 reais. Na volta eu ia entrar em um dos becos pra ver a praia do canto e entrou um cara super estranho atrás. Meu instinto de paulista me diz que seriamos assaltados se não déssemos meia volta. Quando voltar pra buzios pretendo pesquisar antes os butecos com cerveja de 600 ml pra não cair na furada da rua das pedras. 

 Dia 11 - Praia do Forno - Praia da Foca - Praia Brava  - Praia Olho de Boi

 Praia do forno - bem gostosinha, parecida com a praia da ferradurinha no estilo. Praia bonita de aguas calmas, agua fria como sempre,  do lado tem uma prainha minuscula que da pra ir nadando, eu pisei num ouriço do mar indo pra lá. Peguei um caiaque e fui até a entrada da Praia da Foca só pra olhar, perigoso entrar de caiaque. Do Forno da pra ir pra Foca a pé. tem uma trilha de 5 minutos. 

a Praia da Foca é bonita mas parece ser bem mais nas fotos. Tem uma faixa de areia minuscula, uma piscininha natural pra tirar fotos e da pra dar um mergulho no mar, vi algumas tartarugas. do lado tem um mirante muito bom pra tirar fotos da Praia da Foca. Não tem muito o que fazer lá. Não é uma praia pra colocar o guarda sol e passar a tarde. 

De lá fomos pra praia Brava, uma pessima ideia, ir a pé. Na entrada beach clubs chiques, sofá. Porra, quem vai na praia pra deitar em um sofá longe do mar ? Achei a praia feia perto das outras de Búzios. Andamos por umas pedras e fomos pro lado direito da praia. Mais bonitinho. Sentamos numa barraquinha, consumação minima 100 reais e tomamos umas caipirinhas pra criar coragem pra ir pra Praia Olho de Boi. 

A Olho de Boi é uma praia de nudismo, pegamos uma trilha de uns 20 minutos bem puxada. Chegando na praia uma placa pra tirar a roupa, eu fiquei peladao e a mulher não quis tirar o biquini. Tinha uns 20 caras na praia e só uma mulher além dela. depois chegaram mais duas. A praia é bem pequena então fica todo mundo junto, é bem bonitinha. Dei uns mergulhos peladão e vi uma tartaruga. Tem um tiozinho vendendo cerveja mas não pega sinal lá, só aceita dinheiro. Fui em um dia ruim, tinha pouca mulher, me deixou bem constrangido por estar com a minha lá, além disso lá é um ponto de azaração e pegação gay. No geral todo mundo comportado mas tinha um cara bem na nossa frente pegando toda hora na bingola, vi outro fazendo isso também, e pra completar quando eu fui no mar um taradão ficou encarando minha namorada, fui embora decepcionado, alguns idiotas conseguiram estragar o local que não era pra ser sexualizado. Depois pesquisando na Internet eu vi que praticamente toda praia de nudismo é um ambiente sexualizado, o povo não sabe separar. Não é perigoso, ninguem mexeu com a gente mas não me senti a vontade. 

Dia 12 Azeda, Azedinha - José Fernandes, Fernandinho

A Praia Azeda tava bem cheia, é bonita, confortável, mas por ser a praia mais famosa da cidade é lotada. No último dia da viagem encontrei uma praia com a água agradável, uma praia que vc poe o pé e não pensa "tá fria". Essa praia deve ficar legal fora de temporada mas tinha muito guarda sol. Fomos para a azedinha que estava menos cheia.  Uma praia bem pequena e bonita. Tinha uma dupla tocando e o clima tava bem legal. 

A pé mesmo fomos pra a João Fernandes. Praia lotada, grande, faixa de areia curta e o espaço pra ficar no mar deve dar uns 3 metros. Minha namorada fico p. de ter saído da azedinha pra lá. Eu também não gostei muito.  Fui andar e vi que o bonito dessa praia é ficar nos quiosques em cima dela. dá um visual legal, mais ou menos no meio dela tem um ponto de mergulho mas não fui. Fui andando até a Praia do Fernandinho tomando uma caipirinha. Achei a Fernandinho bem bonitinha, parece a Azedinha. Fiquei só um pouco pq tinha deixado a mulher sozinha na outra praia.  Ambas as praias também tem água agradável como a Azeda e Azedinhas, as únicas de toda a viagem

Finalizando é isso. Com essa experiência e com pesquisas no Youtube, hj eu faria um roteiro um pouquinho diferente:

Cabo Frio

1 – Forte e Dunas

2 – Japones (apenas se não tiver chovido nos dias anteriores e estiver muito sol) e Peró

3 – Conchas e as trilhas nos morros

Arraial

4 – Grande, Deck dos Pescadores e por do sol.

5 – Prainha e Pontal

6 – Passeio de barco e Forno

7 – Brava e Prainhas do Pontal (ficar na praia da esquerda)

Búzios

8 – Tartaruga e Amores

9 – Ferradurinha – Por do sol em Manguinhos

10 –  Forno e Foca

11 – Azeda, Azedinha, João Fernandes e Fernandinho

12 – Jose Gonçalves e Caravelas

 

  • Gostei! 2
Link para o post

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...