Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Naty_SP

Mochilão Inglaterra, França, Suiça e Espanha - 3ª Parte - Suiça

Posts Recomendados

SUIÇA

 

17/03 Dijon – Interlaken

 

Acordamos cedo e arrumamos as malas (que a essas alturas somava 1 só de roupa suja) e fomos tomar o café no hotel.

Fomos à estação para pegar o TGV Lyria para Lausanne que teve um pequeno atraso de uns 10 minutos – o que foi ótimo pra nós já que achar o vagão certo não foi tão fácil como pensávamos.

 

No trem quase levei uma bronca do bilheteiro por não ter preenchido a data do passe ANTES de entrar no trem. Fica a dica, na espera do trem, já preencham a data certinha porque eles conferem meeesmo!

 

A primeira coisa que reparamos quando o trem entrou na Suiça foi a presença de “verde”. Foi o único país onde a vegetação se manteve no inverno. A imagem da floresta logo abaixo dos Alpes quando se chega ao país é realmente muito bonita.

 

20110204001857.JPG

 

De Lausanne, trocamos de trem para Interlaken. Esse troca-troca de trem ficou bem corrido e confuso para nós porque lá já era uma região onde se falava predominantemente alemão, e a única coisa que sabemos em alemão é “Kaiser”, kkkkk. ::hahaha::

 

Em Interlaken há duas estações principais de trem a West e a Ost. Por não saber desse detalhe, acabamos descendo na estação errada! Não foi um grande empecilho pois o tempo entre uma e outra é de uns 5 minutos e passava trem a cada 20 minutos.

Ao chegar na estação correta fomos procurar o ferry para Isetwald, mas não funcionava no inverno, então pegamos o ônibus e sentimos a primeira de muitas “bicas” que levamos por lá: CHF 11,20 duas passagens, só de ida!!!! :shock:

 

A distância é de uns 12 km e levou uns 20 minutos pois a estrada é bem sinuosa e tem trechos com uma pista só, para um carro passar, o outro tem que esperar no acostamento ou dar a ré até encontrar onde encostar.

O ônibus tem um pequeno letreiro onde passavam as estações que ele estava e a próxima, além de anunciarem pelos alto-falantes (ajuda muito!!!)

A paisagem da estrada é se sombra de dúvida a mais linda que já vi. Encostas verdinhas com trechos floridos, lagos de um azul fabuloso com os picos nevados ao fundo. A própria ida já é um passeio fantástico.

 

20110204002041.JPG

 

Isetwald é um povoado menor que muitos bairros conhecidos, bem pequeno mesmo, mas estrategicamente alocado entre duas montanhas e de frente para um grande lago.

 

20110204002234.JPG

 

O Hostel é relativamente simples, não posso dizer que é o mais limpo que já fiquei, mas também não é imundo. Havia bastante pó embaixo da cama, mas no geral não era ruim. Já fiquei em bem piores aqui no Brasil.

O staff se resumia a 1 pessoa, Denize, que foi super atenciosa – apesar de só a ter visto na chegada ao hostel.

 

Ficamos num quarto de casal comunitário com banheiro partilhado. Quarto bem simples – 1 cama, 1 mesa, 1 armário para as bagagens e 1 pia. O aquecimento do quarto não era muito bom, o que nos forçou a usar tudo que tinha no quarto para nos aquecermos (incluindo a toalha de mesa! hahaha).

O banheiro era limpo, a água esquentava bem e não tivemos maiores problemas com filas. O que não é nenhum mérito, uma vez que só havia nós e 1 holandês que ficamos conversando durante a noite e reencontramos no passeio do dia seguinte.

 

No Hostel havia máquinas de refrigerantes, cigarros, café e petiscos, mas estavam todas fora de operação. Segundo Denize, é porque a temporada era baixa e não compensava mantê-las abastecidas. Ou seja, em temporada a coisa deve ficar mais animada e farta por lá! rs

Tem também uma sala de convivência com água quente, saches de chá, jogos de tabuleiro, TV de 60”, DVD e lareira.

A grande sacada do Hostel é que, ao se fazer o check in, ganha-se um passe gratuito para os ônibus de Interlaken e isso alivia muito! Também tem um café da manhã bem simples – e isso nos foi avisado qdo chegamos – 2 fatias de pão de forma, 2 fatias de peito de peru, 1 suco de caixinha e 1 potinho de manteiga.

 

20110204002608.JPG

http://www.lakelodge.ch/

 

Prós:

- Preço

- Passe gratuito para ônibus

- Café da manhã (fraco, mas tem)

- Paisagens

- Ótima área para integração

- Staff prestativo

- Banheiro com água quente a qualquer hora

 

Contras:

- Aquecimento do quarto ruim

- Distante do centro urbano (sem banco, mercado, nada)

 

Nota final: Recomendado ::cool:::'>

 

Deixamos nossas coisas no Hostel e voltamos para Interlaken para comer alguma coisa, pois os 2 restaurantes em Itsewald eram de hotéis e meio caros.

Interlaken é uma cidade super bonitinha, limpa, organizada. A paisagem da cidade é linda, mas as pessoas são bem reservadas.

 

20110204004950.JPG

 

Achamos um restaurante (Los Alpes) onde comemos uma caçarola de batatas com queijo e bacon. Meio gorduroso, mas muito bom. A conta deu CHF 36,00 (comida + serviço + 4 cervejas).

 

No restaurante conhecemos um nativo, esquiador olímpico, que ficou conversando conosco até o amigo dele chegar. O interessante dessa conversa foi comprovar o profundo desprezo dele pelo povo americano (e segundo ele o sentimento é generalizado por lá). Nos elogiou muito pela “descoberta” do pré-sal e pela decisão de realizar a extração sem a ajuda dos americanos (nessa parte da conversa até o garçom nos parabenizou), por nossos atletas, pelo nosso futebol, enfim. O papo não passou muito disso, mas foi interessante poder conversar com alguém de lá.

 

Ao sairmos do restaurante, passeamos pela cidade e fomos ao Mercado Coop comprar os suprimentos para o dia seguinte. Os mercados lá fecham cedo (o último fechava às 20:00), então tivemos que correr. Compramos água, pringles, cervejas, 2 fogazzas congeladas, suco e muuuuito chocolate (realmente é barato!!! Rsrsrs). A compra deu CHF 26,00.

 

Checamos o horário dos trens na estação e vimos que havia diversas saídas para o passeio do dia seguinte e que não era necessário reserva e então, pegamos o ônibus de volta para o Hostel. Estava bem frio mas só sentimos na rua mesmo, dentro do ônibus e do hostel era quentinho (só o quarto que nem tanto)

Voltamos ao hotel e ficamos assistindo filme, tomando cerveja e conversando com o holandês até a hora de ir dormir.

 

18/03 Jungfraujoch

Ao acordarmos vimos que havia nevado e nem percebemos. Pela janela estava tudo branquinho!!! :D

Tomamos o café rapidinho e saímos correndo para pegar o ônibus, mas ele tinha acabado de sair. Esperamos quase 1 hora a 6°C de temperatura pelo próximo ônibus.

 

Chegamos na estação do trem, checamos o time-table e as conexões se encaixavam direitinho! Felizes, entramos no trem e pegamos nossos assentos. E daí veio nossa surpresa: as reservas realmente não eram obrigatórias... porque especificamente esse trecho não era coberto pelo passe! :o Qdo abrimos o guia do passe, bem pequeninho, em letras miúdas no fim do guia estava lá que aquela linha realmente não era coberta pelo passe. Então veio a 2ª bica: a reserva não era obrigatória porque o trecho não era coberto, mas, se fosse feita antecipada saía bem, mas beeeeem mais barata.

 

Como já estávamos no trem, com o trem em movimento, as opções eram descer na próxima estação e arcar com as conseqüências de tomar um transporte público sem pagar (uma visitinha ao centro policial), ou pagar a passagem. Santo cartão de crédito, pois não tínhamos os CHF 273,00 (isso mesmo, quase R$ 500,00!!!!!!!!! ::ahhhh:: ). Se tivéssemos reservado na noite anterior, sairia por CHF 90,00, mas.... não tinha nenhum lugar avisando e não havíamos notado esse pequeno trecho descoberto. Paciência (e bolso vazio).

 

No exorbitante valor estava incluso ida e volta nos 3 trens necessários para chegar ao Topo do Mundo (como eles chamam a montanha) e as entradas para o lugar.

 

Uma vez passada a tristeza do sangramento no bolso, começamos a apreciar a viagem (não tinha outro jeito né! rs). Durante o trajeto, vai passando um filme numas telas que tem dentro do trem sobre como o túnel foi construído e um guia vai explicando em diversos idiomas os pontos interessantes da viagem.

 

20110204005131.JPG

 

Esse é outro ponto que eu poderia escrever páginas e páginas, porque “o barato realmente é louco”, mas vou tentar ser o mais sucinta possível.

 

O Jungfraujoch não é a montanha mais alta da região dos Alpes (na verdade é a terceira), porém era a de melhores condições para os alpinistas escalarem e terem uma maravilhosa visão de toda a região. Sua altitude em relação ao nível do mar é de 3500m. Para que fosse facilitado o acesso a mais turistas para a região foi criada uma estrada de ferro até o cume da montanha.

 

A própria estrutura da estrada de ferro que sobe a montanha é algo monstruoso, espetacular, digno de crédito por muitos, mas muuuitos anos. Daqueles com direito a entrada no Guiness e de lá não sair mais. Daí me perguntaram “Mas porquê? É só mais um trem!”.

E eis a resposta (engenheiros de plantão, babem!): Pense num trem, que sobe por um túnel escavado dentro de uma montanha, por míseros 1811m a partir da base. Nada de mais né? Agora pensem que esse túnel foi escavado com trabalho braçal em 1894!!!! Há 117 anos. Sem maquinário, escavadeiras-tatu, nem nada dessa parafernalha atual. A construção total – da aprovação ao primeiro trem a subir os Alpes – levou cerca de 18 anos. Em 1912 o primeiro trem de passageiros subiu ao Junfgrau. Simplesmente fantástico! E ela funciona com o mesmo sistema até hoje – apenas com vagões mais modernos.

 

20110204003745.JPG

 

A inclinação do trem é tão íngreme que ele só consegue subir com sistema de cremalheiras e cabos, tendo que parar a subida a cada 30 minutos para evitar superaquecimento e acidentes (não consegui obter nenhuma informação se já houve ou não algum acidente). No total são 3 paradas com mirantes em vidro por dentro da montanha.

Seu corpo sente muito enquanto se está subindo, dá um certo mal estar e o ouvido para de funcionar! rs As paradas acabam sendo estratégicas também para seu corpo ir se acostumando com a altitude, já que se sobe rápido pela cremalheira.

 

20110204004141.JPG

 

Ao chegar no topo, encontramos uma estrutura completa com restaurante, lanchonete, loja de souvenir e diversos mirantes e passarelas para passear por entre o gelo.Claro que tudo era superfaturado, caro mesmo! Não compensa comer ou beber nada lá em cima. Fica a dica: levem água e comida se não quiserem estourar o orçamento.

 

Há também um observatório lá em cima para estudos climáticos, meteorológicos e astronômicos, mas não é permitido o acesso. :(

 

20110204003930.JPG

 

Lá em cima é frio. Bem frio. Qdo chegamos a temperatura estava em -10°C, ::Cold:: mas no decorrer das horas abaixou para confortáveis -6°C. Mas como dessa vez, estávamos preparados para o frio de lá não sentimos tanto frio. Aliás, estava bem suportável.

 

20110204004316.JPG

 

20110204004432.JPG

 

Tem também um castelo de gelo para visitação que é bem bacana, com esculturas em gelo e com iluminação especial que dá um toque a mais no visual.

 

20110204004651.JPG

 

Sim, foi caro – principalmente porque os palermas aqui não reservaram antecipadamente – mas valeu a pena.

Com essa bagunça do trecho não ser aceito, acabou rasurando um dia do meu passe de trem (tinha marcado antes de subir no trem, conforme a bronca anterior do bilheteiro), e isso me levou a dores de cabeça posteriores...

 

Passamos algumas horas passeando pelo topo e depois tomamos o trem para descer. Se a subida causou certo mal estar, a descida então nem se fala. Parece que sua cabeça vai explodir com a pressão. Fiquei com dor de cabeça por algumas horas depois de descer. Tem até um alerta no guia de visitação informando para procurar a assistência médica caso se sinta mal (então isso deve ser relativamente comum) e há um posto de assistência médica em cada parada, um no topo e um na base do passeio.

 

Ao voltarmos para Interlaken, comemos nosso primeiro Mc Donald’s da viagem: CHF 12,70 pelo n° 1. Com esse preço, foi a 1ª e única vez que comemos no Mc.

Compramos mais algumas tranqueiras pela cidade e voltamos para o Hostel. Nosso colega holandês já tinha ido embora, mas pouco tempo depois chegou mais um casal - nada comunicativo.

 

Tomamos um banho quente e fomos dormir pra não perder o horário de novo.

Um ponto curioso do Hostel é que ele fica aberto e sem ninguém do staff por lá. Ninguém controla nada. Se chegasse alguém para dormir lá durante a noite, era só entrar e dormir. Confiança total.

 

Considerações finais da Suiça:

- Thun parece bem maior que Interlaken, logo, pode ser mais barato Tb.

- Em Lauterbrunnen tb tem hostel. Se o intuito for conhecer apenas os Alpes, talvez seja mais negócio já ficar no meio do caminho.

- Se o intuito for esquiar, vá para Wegen que é uma cidade voltada exclusivamente para isso.

- No McDonald’s o catchup e mostarda são cobrado por sachê.

 

No momento em que deixamos a Suiça, tive a certeza de estar saindo do lugar mais bonito em que já fui. E a certeza permanece até hoje.

 

Continuo os relatos da viagem em outro post (só faltam 2! uhuuuuu)

Boa Sorte e Boa Viagem a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Naty...

 

Muito show esta parte do seu relato... era a que eu mais estava esperando...

 

Estou indo pra europa em agosto e vou passar 4 noites em Lauterbrunnen (região de interlaken) e pelo que eu vi, e vc mostrou no seu relato, a natureza do lugar é fantástica...

 

Abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá Naty...

 

Muito show esta parte do seu relato... era a que eu mais estava esperando...

 

Estou indo pra europa em agosto e vou passar 4 noites em Lauterbrunnen (região de interlaken) e pelo que eu vi, e vc mostrou no seu relato, a natureza do lugar é fantástica...

 

Abs!

 

Oi Renato,

 

Obrigada, que bom que estou indo bem no relato (pois sou marinheira de 1a viagem nisso também - nunca havia escrevido relatos antes)!

Já que vc está indo com mais tempo, tente visitar a outra alça do percurso à Jungfraucjoch (indo por Lauterbrunnen e voltando por Grindelwald), não tive tempo de visitar mas me disseram que tb é muito bonito e um pouco mais barato que Lauterbrunnen - por ser uma rota menor de turistas - mas só comentaram comigo (o holandês que conheci na viagem), não cheguei a conferir pra ver se é verdade, mas tem umas fotos legais de lá pela net...).

A época que vc vai, dá pra fazer mais passeios a pé, então vc deve aproveitar bem a paisagem do lugar, pq é realmente muito lindo.

Não ou muito boa fotógrafa (boa parte das fotos foram tiradas de dentro do trem mesmo) mas dá pra se ter uma idéia que é uma paisagem única!

Aproveita bastante que vale muito a pena!

 

Bjs e Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, boa tarde e obrigada pelo seu relato. Sua viagem pelo visto foi perfeita.

Você pode me dar uma ajudinha? Ficarei apenas 2 noites em Interlaken (que pena), chegando por volta das 15h de uma quinta e indo embora por volta do meio-dia do sábado seguinte. Quero muito ir ao Jungfraujoch, mas também queria conhecer alguma cidadezinha dos Alpes, com as famosas vaquinhas e com aquelas construções típicas.

Pelo que andei lendo, algumas opções seriam Lautterbrunnen, Grindelwald e Wengen, certo? No site do Jugfraubahn consta a informação de que o caminho até Jungfraujoch pode ser feito via Lautterbrunnen ou via Grindelwald, então imaginei que eu poderia descer em uma dessas localidades, dar uma volta pela região e depois voltar para a estação e seguir caminho para o Jungfraujoch. Mas pelo que entendi do seu post as paradas são rápidas e não dá para sair da estação, você saberia me dizer se é isso mesmo?

Ah, abusando um pouquinho, algum dos trechos é feito via teleférico? Meu sonho bobo é andar de teleférico nos Alpes. rs

Agradeço muitíssimo se você puder me ajudar.

Bjos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, boa tarde e obrigada pelo seu relato. Sua viagem pelo visto foi perfeita.

Você pode me dar uma ajudinha? Ficarei apenas 2 noites em Interlaken (que pena), chegando por volta das 15h de uma quinta e indo embora por volta do meio-dia do sábado seguinte. Quero muito ir ao Jungfraujoch, mas também queria conhecer alguma cidadezinha dos Alpes, com as famosas vaquinhas e com aquelas construções típicas.

Pelo que andei lendo, algumas opções seriam Lautterbrunnen, Grindelwald e Wengen, certo? No site do Jugfraubahn consta a informação de que o caminho até Jungfraujoch pode ser feito via Lautterbrunnen ou via Grindelwald, então imaginei que eu poderia descer em uma dessas localidades, dar uma volta pela região e depois voltar para a estação e seguir caminho para o Jungfraujoch. Mas pelo que entendi do seu post as paradas são rápidas e não dá para sair da estação, você saberia me dizer se é isso mesmo?

Ah, abusando um pouquinho, algum dos trechos é feito via teleférico? Meu sonho bobo é andar de teleférico nos Alpes. rs

Agradeço muitíssimo se você puder me ajudar.

Bjos

 

 

Oi Dani,

Obrigada, sim foi uma viagem fantástica! Até as "merdas" foram bem vindas! rsrsrs

Então... estive em Lauterbrunnen e realmente é bonito, mas deu a impressão que não tem muito a fazer senão andar, tirar fotos e babar nas paisagens. Como não consegui ir a Grindelwald, não posso dizer se é melhor ou pior, mas ouvi ótimas recomendações de lá. Talvez o melhor a fazer seja procurar algum post que fale especificamente de lá pra ver se vale a pena.

Nem tentamos por causa da falta de tempo, mas não custa pesquisar: ir por Lauternrunnen e voltar por Grindelwald (não sei se dá, é apenas uma suposição - seria o melhor dos mundos! rsrsrs).

As paradas são rápidas sim, mas vc não precisa entrar no mesmo trem, pode pegar o seguinte. Qdo vc paga o passeio, vc pode pegar qq trem da linha em qq estação pelo caminho. Ou seja, se quiser passar uma horas em Lauternrunnen e pegar o trem depois, dá pra fazer sem problemas - basta ficar atento ao horário das últimas conexões.

Pode-se ir parando de estação em estação e esperar o trem seguinte.

Quanto a tempo pra fazer tudo, se vc conseguir pegar o 1° trem da manhã, tem bastante tempo pra ir fazendo as paradas com calma. Nós pegamos o 3° e sobrou tempo...

É que não estou com o time-table aqui, senão até te passava os horários. ::putz::

 

Agora quanto ao teleférico, de bobo isso não tem nada - deve ser muito louco aquilo!!!! :D Se eu não tivesse tanto medo de altura, teria ido com certeza (de andar no bonde de Mont Serrat na Espanha já comecei a suar frio, imagina eu em um teleférico!!! kkkkk). Lá em cima não vi teleférico (acredito que não tenha), mas durante as paradas tem algumas cidadezinhas (povoados na verdade) que são estações de esqui e lá tem os teleféricos ( e hotéis, restaurantes e tudo mais. Não é por ser um povoado que a estrutura deixa a desejar). Vc pode parar em uma estação, andar um pouco neles e pegar o próximo trem para a subir ou descer o resto do percurso.

 

O passeio pode até ser meio caro, mas ele te dá uma liberdade de aproveitar os lugares como melhor convier, vc não fica preso a um único transporte de ida e volta!

 

Qq coisa, tamos aí!!!

 

Beijão!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito obrigada, Naty.

Estou ansiosa pela viagem. Não é fácil achar informações sobre a Suíça e as suas dicas me ajudaram muitíssimo.

Bjos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Naty

 

Pelo que eu entendi em Lauterbrunnen só mesmo andar e tirar fotos. Em outubro quero passar 2 dias lá e queria saber se o 1º dia seria para conhecer o Jungfrau e o 2º para conhecer Wegen por exemplo dizem que tem uma estação de ski por lá (mas outubro tem neve para esquiar?) ou mesmo Zermatt? Vocês podem me ajudar?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Tha... não soiu a Naty mas acho que posso te responder pelo que andei pesquisando...

 

Provavelmente outubro ainda não dê para esquiar, a não ser em Zermatt, onde se esquia o ano inteiro praticamente... Porém de Lauterbrunnen a Zermatt é beemmm longinho... dá entre 2:40hs e 3hs de trem tranquilo...

 

Abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Tha!

 

O Renato tem razão, em outubro não é comum abrir as estações de esqui. Porém Zermatt, apesar de longe, é bem viável já que os trens te proporcionam uma viagem tranquila.

O ideal é não contar com Weggen para esquiar em outubro. Não é impossível, mas apenas improvável que a neve já esteja estável para esquiar.

 

Bjão!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...