Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Lençóis Maranheses - Travessia a pé! Dicas práticas!


Luis Ecoturista

Posts Recomendados

  • Colaboradores

Olá, mochileiros!

Ao procurar um cartão de uma pousada para um amigo, encontrei minhas anotações sobre a Travessia dos Lençóis Maranhenses a pé, que fiz em dezembro/2010! Ok, estou atrasadinho!

 

É fundamental alertar que as condições dos Lençóis variam muito entre a época da seca e das chuvas.

São ambientes diferentes.

Por exemplo, na seca você caminhará entre 60 km a 70 km pra atravessar os Lençóis, se não se perder, claro!

Na cheia, você pode caminhar mais de 90 km por causa dos desvios exigidos pelas imensas e infindáveis (e maravilhosas) lagoas.

 

- DINAMITES!

 

- Quando você encontrar uns fios elétricos saindo da areia, se você tiver um GPS, marque as coordenadas. Você acabou de encontrar uma das dezenas de bombas abandonadas pela Petrobrás!

Se você quiser emoção, ligue uma pilha nestes fios. Lembre-se de fazer um testamento. Não, um band aid não te ajudará em caso de imprevisto! 30 litros de Super Bonder, talvez!

Os moradores locais tem os cartazes com os dados da Petrobrás, para informá-los sobre a bomba.

Já morreram pessoas nas explosões destas bombas.

 

- ÁGUA PRA BEBER E O "GOSTO DE RAIZ":

 

Fiz a travessia em outubro/dezembro 2010 e nesta época as lagoas estavam com pouca água.

O gosto dela não é agradável.

E não é potável, pois os carneiros, cavalos, porcos e outros animais adoram as lagoas semi vazias.

Usando Clorin ou outro desinfetante, pode-se beber.

 

Os nativos costumam fazer um buraco na areia dentro da área seca das lagoas. Lá brota água que eles bebem.

Como eles costumam dizer, tem "gosto de raiz". Pra mim, é cheiro de podre mesmo! rs

Nada que um Clorin ou umas gotas de água sanitária (hipoclorito de sódio) não resolvam!

Durante a época de chuvas este "detalhe" é minimizado e a água é bem melhor!

Eu levei inicialmente 5 litros de água e ao longo dos 3 dias fui misturando-os com a água das lagoas e pingos de hipoclorito!

 

- BANHO NAS LAGOAS SEMI VAZIAS E COCEIRA:

 

Na Lagoa dos Peixes, no começo da trilha, nadei bastante. Ela estava com água pela metade.

Na lagoa das Gaivotas (sem elas, na época!) havia um restinho de água, que pegava na altura das canelas. Mergulhei rapidinho, mas fiquei uns 20 minutos andando nesta água.

Resultado: 4h depois, já na cidadezinha de Santo Amaro, começou uma coceira danada nos pés!

Motivo: água da lagoa semi vazia!

Melhor não imaginar se eu tivesse ficado deitado nesta água... ::lol4::

Também causa coceira a lama que está nos rios e alagados na região das Queimadas dos Britos e na Baixa Grande!

Assim que atravessamos os alagados, é bom retirarmos esta lama.

 

Com as lagoas cheias não há este problema!

- CALÇADO PRA TRILHA:

 

No primeiro dia eu usei meia e papete. Foi bom!

No segundo dia, testei as botas de cano alto, e gostei mais! Como estava de calças compridas, não entrava areia nas botas, mesmo nas descidas de dunas, quando a perna fica coberta de areia até acima das canelas!

A esposa de um morador local foi de chinelos e disse que estava acostumada, pois nasceu lá.

Só que ao final dos 3 dias de caminhada nos Lençóis, ela chegou com as unhas dos pés sangrando e muitas bolhas.

 

Acho estranho indicarem os chinelos havaianas para a trilha nos Lençóis!

Não é só areia que encontraremos pelo caminho, pois nas lagoas há galhos espetados e outros objetos perigosos.

Atravessei lagoas secas e vi o que fica escondido quando elas estão cheias: perigo!

Além disso, na Baixa Grande, na Queimada dos Britos e dos Paulo, há trechos alagados, mata fechada e etc. que podem ferir os pés. Um morador que fez a travessia comigo, quando estava descalço, cortou os pés.

Será a mesma pessoa que dirá para um turista que dá pra fazer a travessia descalço ou com havaianas! ::putz::

Eu tirei as botas apenas nas travessias d´água. Ah! No final do dia também! ::lol4::

 

ROUPAS:

 

Durante o dia:

- Camisas de mangas compridas;

- Calça comprida;

- Óculos com proteção UV real;

- Chapéu enorme ou boné legendário.

Um boné com um pano qualquer por baixo, que proteja as orelhas, parte das bochechas e a parte de trás do pescoço, está ótimo!

 

Dá pra ir de bermudas, calça curta, sem boné e sem óculos? Dá! Escolhas pessoais!

 

É importante salientar que lá VENTA BASTANTE e estaremos permanentemente sendo refrescados, mesmo com mangas e calça compridas!

 

OLHOS:

 

AREIA

Li aqui no Mochileiros que a areia só incomoda até as canelas! Errado!

Isso seria verdade se os Lençóis fossem um plano. Como há ondulações e dunas, dá pra perceber que a areia também atingirá nosso corpo inteiro.

Claro que na maior parte ela atinge até os joelhos, mas a toda hora subimos e descemos dunas.

Eu uso óculos de grau, que tem lentes que escurem e proteção UV.

Mesmo assim, comprei um óculos de segurança de acrílico (R$ 9,00) enorme, e dava pra usá-los sobre meus óculos.

Há óculos de segurança de diversos tipos. Encontrei um modelo que tinha abas laterais.

Ou seja: mesmo com vento lateral meus olhos estavam protegidos!

Este acessório eu usei em toda a travessia dos Lençóis e foi a minha melhor idéia!

As pessoas que estavam comigo e só com óculos de sol sofreram com a areia nos olhos.

 

Esta proteção eu usei também fora da travessia: nas Toyotas (os bancos vão em cabines abertas) que peguei nos trechos entre as cidades, os óculos de acrílico foram úteis!

 

SOL:

Pela posição geográfica, nos Lençóis os raios UVB e UVA entram com tudo!

E tudo é multiplicado pela reflexão deles na areia! Precisa falar mais? :lol:

 

CAMA E MESA!

 

Geralmente dorme-se em redes dentro ou fora das casas dos moradores locais.

Aqui, muita calma!

Por serem pessoas simples, eles tem o hábito de falarem pra você pagar "o que o seu coração diz" ou "o que você acha justo".

Só que na hora de pagar é constrangedor!

No meu caso, com delicadeza, eu fechava antes de tudo um preço com o morador.

A média por uma noite numa rede é de R$ 15 a R$ 20. A refeição, uns R$ 10.

Se você estiver em 3 ou 4 pessoas, vale a pena pagar R$ 50 por uma refeição com frango.

Criar galinhas é uma forma de ganhar um dinheirinho, pra eles.

Lembre-se que você está num lugar remoto e felizmente há moradores por lá!

 

Os moradores são simples, simpáticos, agradáveis e gente boa. Mas não são tolos!

 

GUIAS

 

Alguns guias fazem uma tradicional safadeza, segundo os moradores locais: tem guia que negocia com o turista de levá-lo até a Queimada dos Britos. Porém, o guia chega só até a Baixa Grande, e diz pro cliente que lá é a Queimada!

Sacanagem corriqueira, segundo os moradores!

 

Eu indicaria a agência Omegatur, cujo dono (Aldo) é o mesmo que arrenda o Posto Madalena.

Detalhe: na região só há caixa eletrônico do BB ou do Bradesco; o Aldo, através do seu cartão de crédito, te arranja dinheiro em papel, descontando apenas a taxa da operadora.

Omegatur: 98 3349-1117 - 98 8827-5079

 

CONTRATAR GUIA OU IR COM GPS?

 

É uma longa discussão é há excelentes opiniões aqui no Mochileiros.

Depende dos objetivos do aventureiro: desafio, prazer, condição física, autoconfiança, etc.

Eu indicaria a contratação de guia!

Mas se algum maluco quiser ir sem guia, com GPS, há detalhes fundamentais:

 

DURAÇÃO:

 

A travessia é feita em 3 dias, com guia.

Sem guia eu incluiria 1 ou 2 dia a mais, prevendo o tempo gasto a mais em 2 itens:

- Sem guia o mochileiro não saberá quais lagoas poderão ser atravessadas ou não encontrará o caminho menos cansativo.´

- Sem guia o mochileiros despenderá um tempo extra na procura das casas dos moradores.

Também levaria uma barraca levíssima (sem isolante ou saco de dormir) para uma emergência ou para um pernoite programado mesmo!

 

Os moradores locais, quando saem para buscar seus animais de criação (que vivem soltos nos Lençóis) fazem bivak enrolando-se numa lona! Mas eles estão acostumados! ::lol3::

 

HORÁRIO DE CAMINHADA:

 

Se você começar a travessia por Barreirinhas, terá dificuldades pra ir até o começo da trilha, pois as Toyotas que fazem os passeios só saem a partir das 8h da cidade. E começar a travessia depois das 10h, sem guia, é desaconselhável.

 

Saindo de Atins, os guias iniciam a caminhada lá pelas 4h da madrugada.

Se houver Lua Cheia, aí fica perfeito!

À noite, a dificuldade de quem vai sem guia é ter uma visão parcial das lagoas e das dunas, dificultado a escolha do melhor caminho.

O guia sabe quais lagoas podem ser atravessadas.

Isso tem a ver com o próximo item!

 

INICIO POR ATINS OU BARREIRINHAS:

 

Sem guia é aconselhável fazer a travessia começando por Atins.

Saindo de Atins, durante umas 5h vc caminhará pela praia e pode fazer isso à noite.

E só desviará para o interior dos Lençóis quando o sol já estiver aparecendo!

Conheci um pescador que vai da casa dele, na Queimada, até o mar pescar. Vai de triciclo. Ou seja: há uma rota bem demarcada! O detalhe é que há dezenas de bifurcações!

 

PERNOITE NA VÉSPERA:

 

Se você for começar a travessia por Atins, ao invés de vc ficar na tradicional pousada da Rita, fique na pousada do Sr. Antonio (98 8881-3138). Ele está bem mais perto do inicio da trilha!

Você andará menos numa trilha estafante e ainda ganhará preciosas horas que serão úteis no final do dia!

 

CLARA DE OVO IRREGULAR!

 

A Baixa Grande e a Queimada dos Britos são extensos. No GPS eles aparecerão como "pontos".

Cuidado ao achar que, atingindo um "ponto" vc estará perto da casa de um morador!

Provavelmente este ponto indicará algum lugar qualquer nos limites da Baixa ou das Queimadas.

Imagine um ponto na borda de uma clara de ovo irregular; e que as casas estão em algum lugar lá dentro, cercada de água e matagal!

 

BUSCA DAS CASAS DOS MORADORES:

 

Detalhe importante: só algumas casas possuem gerador elétrico. Ou seja, à noite, geralmente só há luz de lampião. E pra piorar, os lampiões estão dentro das casas e é dificil enxergá-los de longe.

E vamos piorar mais ainda: além disso, algumas casas estão no meio de matagal alto ou atrás de morros!

Procurar as casas à noite, em terreno alagado, com riachos, sem luz, é mais complicado do que entrar por engano no meio da torcida do Corinthians com a camisa do Palmeiras!

 

Programe-se da seguinte forma:

 

Além de contar o tempo de travessia nas areias dos Lençóis até a chegada nos limites da Baixa ou das Queimadas, reserve um tempão pra encontrar as casas dos moradores.

E a luz do sol será fundamental! Nos Lençóis, como em todo Norte/Nordeste, escurece cedo. O sol se põe geralmente às 17h30 e está escuro às 18h.

Chegar nos limites dos oásis antes das 16h é bom! rs

Ao partir destes limites você iniciará o desafio de atravessar o matagal e áreas alagadas até adentrar a área dos moradores. Que estão espalhados, aliás!

 

SECA OU CHUVAS?

 

Sem GPS o melhor é fazer a travessia na época da seca, pois haverá menos exigência de desvios das lagoas enormes.

Na seca, a trilha entre a Lagoa dos Peixes e Santo Amaro será acima de 60 km. Na época de chuvas, acima de 90 km.

Nas chuvas as lagoas estão mais belas... Não há milagres.

 

ATINS - SANTO AMARO OU O CONTRÁRIO?

 

Atins - Santo Amaro! Com certeza!

O vento sopra quase a favor. E o principal: você não precisará subir pelo lado íngreme das dunas!

Sabendo escolher o caminho, conseguirá subir nas dunas usando a rampa menos inclinada.

Praticamente só fará descidas nas caídas das dunas!

 

DORMIR NA QUEIMADA DOS BRITOS OU QUEIMADA DOS PAULOS?

 

Eu sugeriria escolher o pernoite no segundo dia na Queimada dos Paulos.

E na última casa que tiver estadia, ficando o mais próximo possível da trilha do último dia!

 

E o horário de saída do último dia também é de noite, lá pelas 1h ou 2h da madrugada.

A não ser que você pretenda pernoitar no povoado de Santo Amaro.

As Toyotas costumam sair às 14h para Sangue. Algumas Toyotas saem mais tarde, mas é incerto. São os motoristas que fazem transporte de mercadorias para os comerciantes. Eles também levam turistas!

 

Ufa! É isso!

Tem mais detalhes, mas cansei de digitar!!! ::lol4::

 

Boa sorte a todos!

 

Luis

Link para o post
  • 3 anos depois...

  • 2 meses depois...
  • Membros

Valeu Luis por todas as dicas e relatos! Vou utilizá-los em minha viagem, dez/2014. Carol e William, vou tentar seguí-los para saber como foi td com vcs e tb me inspirar!

Por enquanto estamos armando o roteiro, definimos mais ou menos as localidades, ainda faltam o tempo de parada, passeios, trechos a pé/transporte, pousos... enfim, falta quase td ::hãã2::

ABÇS!

13DIAS

FOR-CE

JERI-CE

CAMOCIM-CE

PARNAÍBA-PI

TUTÓIA-PI

CABURÉ-MA

BARREIRINHAS-MA

LENÇÓIS-MA

ATINS-MA

SÃO LUIZ-MA

Link para o post
  • 4 semanas depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...