Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Novos Tópicos

Visitante
What's on your mind?
  1. Trilhas no litoral de SP: a boa do verão

    Aproveite as férias para fazer trekking pelas areias de Ilhabela ou pelas cachoeiras da rota Salesópolis-Boiçucanga

     

    Silvia Campos

     

    São Paulo - Sol, sombra e água fresca não faltam nas trilhas promovidas por operadoras de ecoturismo no litoral norte de São Paulo. Passeios como o das praias desertas, em Ubatuba, a 248 quilômetros da capital, combinam caminhadas à beira-mar com trechos de mata atlântica e mergulhos em lagoas de água doce. Outros roteiros, como a travessia de Salesópolis a Boiçucanga, em São Sebastião (a 245 quilômetros de São Paulo), incluem cachoeiras geladas - opção para lavar a alma no primeiro mês de 2007.

     

    “No verão, é gostoso estar ao lado da praia”, diz Márcio Pires, assessor de Marketing da Pisa Trekking. Do ponto de vista atlético, a estação nem é a melhor para o trekking: o calor pode até atrapalhar as caminhadas. Em dias ensolarados com poucos afazeres, no entanto, ninguém liga para isso. “As pessoas procuram as caminhadas no litoral durante o verão porque é quando tiram férias”, explica Lucia Pires Castanho Valente, diretora da operadora Harpyia.

     

    Para não sofrer com o calor, a dica é fazer passeios curtos - ou com várias paradas - e que não exijam muito esforço. Tudo no ritmo preguiçoso das férias. A vantagem é que as trilhas do litoral norte são cheias de lugares para se refrescar, como rios, cachoeiras, lagoas e, claro, o mar.

     

    EXUBERÂNCIA

     

    Suar um pouco nos roteiros pelas praias de São Sebastião, Ubatuba ou Ilhabela (a 234 quilômetros de São Paulo) tem recompensas que vão além de queimar os quilinhos adquiridos no Natal. A beleza das trilhas da região fez com que o assistente administrativo Aléssio Nunes, de 44 anos, repetisse várias vezes passeios como o das praias desertas de Ubatuba. “À beira-mar, as caminhadas são legais pela beleza e pela exuberância da paisagem”, afirma.

     

    Nunes achou fantásticas as Praias Figueira, Mansa, da Ponta Aguda e da Lagoa, trechos de areia branca quase intocados, com acesso somente de barco ou por trilha. As operadoras Cia. Nacional de Ecoturismo e Trilha da Aventura estão entre as que levam turistas para o programa de trekking em Ubatuba (veja acima).

     

    Em Ilhabela, a dica é a trilha no meio da mata atlântica até Bonete, ponto paradisíaco com areias claras. O local abriga a maior comunidade caiçara do arquipélago, com cerca de cem famílias, e também só é acessível por barco ou pela trilha de 15 quilômetros, que passa pelas Cachoeiras da Lage e do Areado. A Cia. Nacional de Ecoturismo tem um roteiro de quatro dias na ilha. Inclui acampamento e passeios nas Praias Vermelha, Mansa e dos Castelhanos.

     

    Uma opção mais curta são as trilhas de duas horas e meia a quatro horas do Tuim Parque, em Barra do Una. Inspirado em empreendimentos ecoturísticos da Costa Rica, o parque é um espaço voltado para a aventura na mata atlântica. Além de trilhas, tem passeios de caiaque e arvorismo. Para a prática de trekking, conta com a trilha do Poções, que margeia o Rio Pouso Alto, e a do Escorrega, que permite brincar de deslizar nas pedras lisas da Cachoeira do Escorrega.

     

    Uma aventura mais desafiante é o caminho pela Serra do Mar, de Salesópolis a Boiçucanga. A trilha é estreita e conta com 12 travessias de rios, além de 4 cachoeiras.

     

    Fonte: estadao.com.br

    •   
  2. Conforto e aventura nos trilhos até Puno

     

    Comece a viagem por Lima, a capital do Peru. De lá, tome um avião para Cuzco, o antigo centro do império inca. Depois de passar por Machu Picchu, volte a Cuzco e, aí, pegue um trem até Puno, cidade que serve de base para desbravar o Lago Titicaca. Parece um roteiro maluco, mas é perfeito, acredite.

     

    A caminho de Puno, vale pegar o trem Andean Explorer, da Peru Rail (http://www.perurail.com). A composição sai de Cuzco às 8 horas e chega a Puno às 18. A viagem é longa, mas muito proveitosa. Além do visual encantador da Cordilheira dos Andes, são feitas paradas em pequenos povoados, em que é possível comprar artesanato típico.

     

    Também há entretenimento a bordo, com shows de música e desfile de malhas feitas com lã de alpaca. De quebra, os passageiros ainda podem aprender a preparar o pisco sour, a bebida nacional do Peru. Diversão na certa!

     

    O serviço, aliás, é de alto nível e o trem, bastante confortável. Vale a pena desembolsar US$ 109 para viajar na primeira classe, que não deixa nada a desejar aos trens europeus.

     

    Situada no altiplano, Puno fica na ponta oeste do Lago Titicaca, extremo Sul do Peru. A 3.810 metros acima do nível do mar, a cidade tem o ar bastante rarefeito e temperatura média de 8 graus. A cidade não tem grandes atrativos turísticos. Mas está à beira do Titicaca, bem perto do céu.

     

    Anote na agenda: o escritório de informações turísticas em Puno fica localizado no Jirón (rua) Deustua, 458, na Plaza de Armas. Abre diariamente, das 8h30 às 19h30.

     

    Além disso, é bom saber que o aeroporto mais próximo fica em Juliaca, a aproximadamente 44 quilômetros de Puno. Há vôos regulares diários para Lima, com a LAN Peru (http://www.lan.com). O preço médio do trecho único é de US$ 115.

     

    Fonte: estadao.com.br

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  614 mais
    2. rodrigo.2014

      rodrigo.2014

      Pois é, tem que ficar de olho. Não acredito que seja comum acontecer (conosco nunca aconteceu), mas não dá pra vacilar.

      Sobre as notas, assim que você pegar os primeiros soles, dê uma analisada neles. Os sinais para identificar são parecidos com os das notas brasileiras. Em alguns lugares o teste que eles fazem é esfregar a nota em um pedaço de papel para ver se não solta tinta. Outra técnica é dobrar a nota bem apertado (passando a unha na dobra) para ver se ela não ameaça rasgar igual um sulfite.

      Essa nota que os franceses pegaram (não sei se você chegou a ler este relato, se não me engano descrevemos no post de Iquitos) era visivelmente falsa. Pegando rápido não se notava, mas analisando dava pra ver que até o papel era de má qualidade.

      Mas vai tranquilo, não é nada que seja motivo de paranoia. Só prestar atenção com notas maiores mesmo, como 50, 100 e 200.

       

      Abraço!!

       

       

      Beleza,

      Obrigado pelo ajuda!

      •  
    3. Dérien

      Dérien

      Rodrigo, leva a caneta testa-nota. Custa 10 reais e me livrou de pegar duas notas de 100 soles falsas.

      •  
    4. rodrigo.2014

      rodrigo.2014

      Rodrigo, leva a caneta testa-nota. Custa 10 reais e me livrou de pegar duas notas de 100 soles falsas.

       

       

      Boa! vou procurar uma!

      •  
  3. Gol faz propaganda enganosa, dizem agentes de viagem

     

    Representantes do setor de agentes de viagem reclamam da diminuição da comissão paga às empresas e da falta de transparência nas tarifas da companhia

     

    Beth Moreira

     

    SÃO PAULO - Representantes de seis entidades do setor dos agentes de viagem de todo o País classificaram nesta terça-feira a Gol de fazer propaganda enganosa com as promoções de vendas de passagem a R$ 1,00.

     

    "Nunca conheci uma pessoa que já tenha conseguido comprar passagem da empresa por esse preço", desafiou o fundador da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Goiaci Alves Guimarães, durante encontro dos representantes do setor, o qual iniciou uma verdadeira guerra contra a empresa, desde que a companhia anunciou a redução das comissões pagas aos agentes de viagem.

     

    O fundador da Abav defendeu a suspensão por tempo indeterminado da venda de passagens da empresa pelos agentes de viagem, e não apenas na terça, data que foi formalizada como de protesto contra a nova política comercial da companhia. Segundo o executivo, que é dono de uma das maiores consolidadoras de São Paulo, a Rextur, a redução das comissões foi a gota d´água e trouxe a tona uma série de insatisfações do setor em relação a empresa.

     

    O objetivo das entidades é pressionar uma reestruturação administrativa da Gol, que na sua opinião faz "dumping" de mercado. Para Guimarães, a companhia está dando 50% de desconto em todas as novas rotas iniciadas pela Varig, como forma de ganhar mercado. "O SDE (Secretaria de Direito Econômico) deveria ficar mais atento a esse tipo de atitude", disse.

     

    As regionais da Abav de todo o País deverão entrar com liminar na Justiça ainda nesta semana para barrar a redução das comissões, aplicada pela Gol desde o início do ano.

     

    A falta de transparência na composição da planilha de tarifas da companhia aérea é mais uma das reclamações das entidades. "A prática de tarifas médias estão longe de serem low fare", afirmam.

     

    A estimativa inicial do executivo é de que pelo menos 9 mil passagens deixem de ser vendidas por conta do boicote, que na sua opinião deverá trazer conseqüências financeiras para a companhia mais cedo ou mais tarde.

     

    O executivo apresentou ainda um levantamento feito por agentes de que a Gol tem a tarifa média mais alta do mercado. "Em dezembro, a tarifa média praticada pela empresa foi de R$ 432,89, contra R$ 377,99 da TAM, R$ 318,07 da Varig e R$ 281,23 da Ocean Air."

     

    Também participaram do encontro representantes da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), do Fórum das Agências de Viagens Especializadas em Contas Comerciais (Favecc), da Federação Nacional de Turismo (Fenactur), do Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo (Sindetur-SP) e da Associação das Empresas Administradoras de Viagens de Negócios do Brasil (TMC Brasil).

     

    Fonte: estadao.com.br

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  1 mais
    2. marcelvinicius

      marcelvinicius

      agência de viagem tem que parar de querer ganhar dinheiro com comissões... como diz o "chavão"... isso é coisa do passado

      •  
    3. alineeeee

      alineeeee

      Bah, agência de viagem é uma merda hehe

      é por isso que existimos: os mochileiros hehehehe

      eu NUNCA viajei por agência e consegui comprar 3 vezes as passagens por um real da GOL... É claro que teria que ser comprada a ida e a volta, mas sempre foi claro no regulamento da promoção que a promoção era válida para os vôos cadastrados (que eram geralmente os que saíam de manhã bem cedo ou os pela madrugada...) e em apenas UM DOS TRECHOS.

       

      Esse tipo de "revolta" é infantil.

       

      Grande abraço.

      •  
    4. Peterson

      Peterson

      bueno...eu comprei no final de 2006 minha passagem de ida e volta pra santiago, por R$ 8,00 a mais em relação ao ônibus que saía de porto alegre...mas naquelas de comprar adiantado, pra 23/07...mas pensa bem: 8 reais a mais e 30 horas a menos de viagem, tá valendo muito!!

      Só espero que esse boicote não prejudique meu vôo, e que até lá os "apagões" estejam solucionados...

      •  
  4. Pacífico devora dezenas de metros do litoral chinês ao ano

     

    A erosão é agravada por fenômenos naturais, como tufões, mas também é causada por atividade humana, de acordo com relatório de agência do governo

     

     

     

    PEQUIM - A China assiste a um recuo gradual de seu litoral leste, devido ao avanço do Oceano Pacífico, que a cada ano destrói dezenas de metros de costa, segundo um relatório da Administração Oceânica Estatal, citado pela agência Xinhua.

     

    O aumento do nível das águas, a fraqueza natural do litoral arenoso e as freqüentes tempestades aceleraram um processo de erosão, pelo qual o homem tem grande parte de culpa.

     

    Na província de Jiangsu, por exemplo, o litoral, de 19,75 quilômetros de extensão, perdeu uma média de 16,8 metros a cada ano, desde 2003.

     

    Desde aquele ano, o litoral da província de Shandong perdeu 6,8 quilômetros, elevando a 35,6 quilômetros a extensão de litoral afetada pelo processo de erosão.

     

    Um estudo feito ao longo de 15 quilômetros do litoral da província de Liaoning mostra que o mar avança 0,7 metro a cada ano, e que a proximidade da água destruiu estradas litorâneas e ameaça plantações, edifícios e florestas.

     

    A extração de areia de praias e fundos marítimos, bem como a construção de edifícios no litoral, entre outras atividades, são causas de erosão que devem ser atribuídas exclusivamente ao ser humano, diz o relatório.

     

    Fonte: estado.com.br

    •   
    1. Michael Darolt

      Michael Darolt

      É bom que nossa geração se conscientize da necessidade de proteção e cuidados para com o planeta, senão nossas futuras gerações terão que viver sobre a água...

      •  
  5. Farmacêutico entra em coma após ingerir 20 Viagras

     

    Comprimidos comprados em Hong Kong seriam para cliente, segundo jornal chinês

     

     

     

    PEQUIM - Um farmacêutico chinês da província de Shandong, no leste do país, permaneceu duas horas em coma em um hospital após ter ingerido de uma só vez 20 comprimidos de Viagra, remédio indicado para tratar a disfunção erétil.

     

    Segundo a edição de sexta-feira do jornal "China Daily", o farmacêutico, identificado como Chen, comprou as pastilhas em Hong Kong como uma encomenda especial para um de seus clientes.

     

    No entanto, o cliente nunca foi buscar os comprimidos, e Chen decidiu, sem ler a bula, tomar todos de uma só vez.

     

    Pouco depois da ingestão, Chen começou a se sentir enjoado, seu corpo ficou inchado e ele decidiu ir ao hospital, onde entrou em coma. O farmacêutico recuperou a consciência duas horas depois.

     

    O Viagra é muito popular na China, onde a Pfizer, a empresa produtora dos comprimidos, mantém uma batalha legal para proteger seus direitos. No ano passado a companhia ganhou um caso contra uma farmacêutica chinesa que imitava o remédio sob o nome de "weige".

     

    Fonte:Estadao.com.br

    •   
    1. Michael Darolt

      Michael Darolt

      Este cara em vez de doidão ficou durão...ahahuhuahuauhahu

      •  
    2. eliasjcj

      eliasjcj

      Achu que este cara não era farmacêutico não, se fosse farmacêutico saberia os efeitos adversos do Viagra!

      •  
    3. Gabriel_lost

      Gabriel_lost

      essa notícia,me lembrou essa:

      •  
  6. Diário para a Patagônia.

     

     

    (Viagem realizado em Nov./Dez.2006)

     

     

    patagnia2006120mn9.jpg

     

     

    Olá Mochileiros,

     

     

    a minha penúltima viagem, a 4º na América do Sul, via o Amazonas para as três Guayanas realizei em Abril/Maio de 2006. Planejei a 5º viagem.

    Sabia que para a Patagônia não poderia ir no inverno/inicio da primavera, para não chegar lá no frio com chuvas, com os ventos fortes e as noites escuras muito compridas. Lendo muito cheguei à conclusão o melhor seria ir no meio da primavera, isso significava esperar até meados de Novembro. Era difícil de esperar tanto tempo e pensei, vou para a América Central em Setembro. Fiz os planos, estava todo pronto para sair.

     

    O problema era eu tinha o compromisso comigo mesmo de conhecer a América do Sul do Norte até o Sul, do Leste até o Oeste e todos os seus paises e respectivas capitais. Então faltava a Patagônia. Não tinha jeito, esperei, planejei todo para sair em Novembro e estar de volta antes Natal. Fiz as contas e escolhi o dia 16.11.2006 como a data da saida.

    Ir de ônibus ia ficar muito cansativo. De São Paulo via Buenos Aires para chegar até Ushuai ia gastar 4 dias e noites e depois a volta de Buenos Aires para São Paulo mais 2 dias/noites. Consultei os vôos e achei que pelo preço dificilmente poderia fazer o mesmo trecho com ônibus. Quem vai com Aerolineas Argentinas com vôo internacional para Argentina recebe um bom desconto para os vôos domésticos na Argentina. Então comprei a passagem São Paulo – Buenos Aires ida e volta mais o trecho Buenos Aires – Ushuaia, total 1074 Reais.

    Era a primeira das minhas 5 viagens para descobrir a América do Sul, que fiz um trecho da viagem com avião.

     

    O meu roteiro foi o seguinte:

    SP – Buenos Aires – Ushuaia – Punta Arenas – Puerto Natales – Parque Torres del Paine – El Calafate – Glaciar Perito Moreno – El Chalten – Parque Fitz Roy - Rio Gallegos - Comodore Rivadavia – Esquel – Carretera Austral – Chaitén - Islã Chiloé – Puerto Varas – Bariloche – Mendoza – Buenos Aires – SP.

     

    Eram 32 dias e 31 noites de viagem.

    Dormi:

    1 noite na cadeira do aeroporto em Buenos Aires

    4 noites viajando durante a noite no ônibus

    6 noites em albergues de juventude

    20 noites em hostalagens, hostales ou hosterias e hotéis.

     

    Gastei 2163 US$ incluído os vôos. 2 pessoas viajando, fica mais barato, devido ao preço da hospedagem que cai para dois terços ou até a metade por pessoa.

    Em Buenos Aires e Bariloche aceitam Reais para cambiar. O cambio direto sem passar pelo US$ é vantajoso.

     

    O que me impressionou mais além da natureza tão exuberante, os lagos azuis no meio das montanhas com os picos cobertos de neve, as planícies sem fim, era a explosão da natureza na primavera. Flores tão delicadas neste vento ainda forte e gelado no meio da primavera, arvores fortes com os troncos destorcidos se agarrando firme nas encostas das montanhas. Aparece que todo obedece a um sinal para começar ao mesmo tempo: ficar verde, crescer, florear e gerar frutos.

     

     

     

    16.11. 1º dia, Quinta: São Paulo – Buenos Aires.

    Chegou finalmente o dia do inicio da minha 5° viagem. Já esperei demais, precisava sair, não estava mais agüentando. O avião ia sair as 18.30 do aeroporto internacional de Guarulhos. Já às 13.00 horas peguei o táxi, fui até o aeroporto de Congonhas e de lá com o ônibus até o aeroporto de Guarulhos. As 15.30 já começou o check in, depois passei logo o controle dos passaportes e entrei na ala do embarque.

    Os passageiros na maioria viajando em negocio ou familiares que moram no Brasil ou Argentina e visitam parte da família que trabalha no outro pais. Turistas, acho era o único. Saida pontual e chegada pontual as 21.57, mas com a diferença do horário era 20.57. Passar pela Policia para todos igual, formando uma fila grande. Pensei que os moradores do Mercosul tinham um tratamento especial sem fila com saida sem controle como na Comunidade Européia, mas não a mesma fila para todos.

    Na saida tinha um Cambio. Fiz o primeiro erro da viagem, cambiei logo 250 US$, cambio 1US$ = 2,74 Pesos. Depois vi que poderia pagar no restaurante com US$, ao cambio de 3,10 e em qualquer lugar fora do aeroporto o cambio era de 3,00 – 3,05. Portanto chegando trocam só o necessário para ir até a cidade e lá tem muitos lugares para trocar ou pagar em US$.

    Fui para a ala dos vôos domésticos para confirmar o meu vôo para Ushuaia no outro dia as 08.20 e voltei para a ala internacional. Escolhi um restaurante sem ser fast food, pedi Ravióli com molho Roquefort e uma cerveja grande. Como em todos os restaurantes depois na viagem o garçom traz uma cesta com vários tipos de pão fresco e manteiga. Paguei 36 Pesos =12 US$.

    Como passava já das 23.00 horas o movimento era pouco agora, as vôos intercontinentais para Europa já tinham saído. Tinha algumas pessoas dormindo nas poltronas e eu já sabia que ia fazer o mesmo. Tirei o anorak para me cobrir a toalha para por abaixo da cabeça, empurrei o saco da viagem abaixo da poltrona fechei a bolsa com cadeado e fixei-a no braço. Tinha policia rondando, era todo seguro. Dormi logo e muito bem.

     

    patagnia2006010ws1.jpg

    Ushuaia, a cidade no fim do mundo.

     

     

    17.11. 2° dia, Sexta: Buenos Aires – Ushuaia.

    Acordei eram 06.10, estava com muito sono ainda, mas vi que a maioria dos meus companheiros de dormir já tinham levantado. Fui para um banheiro lavar a cara e os dentes e estava pronto para iniciar o novo dia. Tomei café de manha, medalones (croissants) com um café grande com leite.

    Quando cheguei a sala de embarque tinha muita gente para as poucas portas de saida e misturaram-se passageiros de vôos diferentes. Partiram muitos vôos com pouca diferença de horário. Para Ushuaia já estavam chamando, quando entrei no avião já estava cheio. Eram turistas de vários paises europeus, todos com a volta da minha idade, portanto aposentados. Ouvi italiano, espanhol, francês, alemão. Perguntei a pessoa a meu lado, mas ele não estava de muito conversa. Iam todos para El Calafate com um pacote turístico. Portanto o avião ia via El Calafate para Ushuaia.

    Tinha um ótimo lugar na janela e vi lá embaixo El Calafate, uma cidade relativamente nova vivendo do turismo. Num lado os Andes e no outro a planície. De El Calafate até Ushuaia o avião era quase vazio.

    Chegamos as 14.50 horas em Ushuai, o vôo demora 3horas e meio. Como tinha o saco de viagem no avião sai direto para fora do prédio do aeroporto, fui chamado de volta para uma revista da minha bagagem referente produtos agrícolas proibidas de entrar. Era uma revista de rotina e nada foi aberto. Perguntei a Senhorita quanto custa o táxi para o centro. Sempre pergunto para evitar problemas com taxistas, ela disse 5-6 pesos.

     

    O dia era cinzento e chuvoso com 13 graus. Tinha escolhido 3 hotéis do meu Guia “O Viajante independente na América do Sul”, mas esta vez o Guia não ajudou muito o turismo mudou tanto a cidade nos últimos 3-4 anos, o 1° hotel não encontramos e os outros dois tinham feito reformas e custaram acima de 100 US$. O taxista também não sabia ajudar muito. Estávamos na Calle Gobernador Paz e pedi para sair para não rodar mais, ele cobrou 8 pesos. Vi que nesta Calle tinha algumas hostales, mas na minha frente estava a HI albergue de juventude Torre al Sur, também no meu Guia. Entrei e tinha vaga num quarto com 2 beliches e poderia escolher, duas camas estavam ainda livres. O banheiro era logo em frente. Topei por 20 Pesos/noite, portanto 6,60 US$. Deixei a bagagem tirei o anorak e um cachecol comprido e ansioso fui para a rua.

     

    Fui para a rua mais movimentada, a Avenida San Martin e depois para a rua a beira do canal do Beagle. A cidade e o canal são rodeados de montanhas com os picos ainda com neve. O sol começava sair era forte e brilhante. Eles recomendam de não sair sem óculos de sol e sem protetor solar abaixo 30. O sol queima mesmo por causa do buraco de ozônio. O vento era forte e gelado.

     

    Na entrada do Porto tem um escritório de turismo. Na Argentina vale a pena ir lá em qualquer cidade que você visita, eles tem lista dos hotéis ordenados por preços, mapas da cidade e informações para excursões. Deixei carimbar no meu passaporte que cheguei à “Ushuaia, La Ciudad Mas Austral Del Mundo”.

     

    Em frente tinha estantes típicas de madeira com venda de várias excursões com barco ou lanchas pelo Canal do Beagle ou para o Parque Nacional e o trem do fim de mundo. Comprei uma excursão para o Sábado às 15 horas, quarto horas pelo Canal e 40 minutos de trecking. Paguei 110 Pesos e mais 5 no outro dia para entrar no Porto, portanto nada barato.

    Já eram 19.30 horas, tinha fome e fui ver os restaurantes na Avenida San Martin, fast foot ou bufês com valor fixo para comer o que quiser, o ultima 23-28 pesos com direto a churrasco também. O Sol estava ainda lá acima das montanhas, a rua cheia de turistas na maioria lógico Argentinos. Mas também muitos mochileiros e turistas da 3° idade de Europa. As restaurantes ainda vazias. Não queria comer bufê, pois sei que como demais. Escolhi o restaurante Lá Casa de los Mariscos, Av. San Martin 232, Salmão de várias maneiras entre 26 – 28 Pesos. Tinha já um casal comendo e entrei também. Pedi Salmão e uma garrafa vinho da casa tinto 15 Pesos e água mineral com gás 4 pesos. O pão fresquinho ainda quente com manteiga. Sem perceber bebi a garrafa de vinho toda. A comida uma delicia. Os dois dias seguintes pesquisei muito, mas sempre jantei no mesmo restaurante. Também o bife era muito bem servido.

    Mas nunca mais na viagem pedi uma garrafa de vinho grande, pois sai do restaurante cantando e ainda cantei chegando na albergue. Eram 21.30 e começou escurecer.

    Fiquei ainda na sala com vista fantástica sobre a cidade e o Canal de Beagle com as montanhas cobertas de neve. A sala cheio de mochileiros. Tomei banho e fui dormir, cai nem morto na cama. Acho dois dos meus companheiros do quarto já estavam dormindo.

     

    patagnia2006012cv4.jpg

    Ushuaia, Canal de Beagle.

     

     

    18.11.-19.11. 3°-4°dia, Sábado e Domingo: Ushuaia.

    Dormi muito bem. Levantei às 08.00 horas e já estava sozinho no quarto, os outros 3 já tinham saído. Tomei café de manha na albergue, 5 Pesos. De repente senti um cansaço e deitei-me novamente, só um pouco, mas adormeci e dormi até as 11.30. Fui para a Av. San Martin para a agencia de viagem e comprei a passagem para Punta Arenas na Segunda. Uma das viagens de bus mais caras, talvez por causa do ferry para atravessar o estrecho de Magellanes. 150 Pesos = 30 US$.

    Comprei um sandwich de queijo e jamon e uma Coca e fui para a Av. Maipu a beira do Canal de Beagle. Tinha sol e quase nenhum vento. Como outros mochileiros e turistas sentei e comi o meu sandwich esperando a saida da lancha às 15.00 horas.

    Éramos 9 pessoas mais o guia e o homen da leme na pequena lancha. Subimos no meio do Canal com boa vista da cadeia de montanhas nos dois lados. Aqui o vento era forte e as ondas altas, era necessário sempre se segurar com a mão. Passamos por várias ilhas, uma com uma pequena colônia de Pingüins e Leões marinhos e uma grande colônia de Comerantes. O guia tinha mapas e explicou a rota da lancha. Paramos numa ilha e iniciamos a caminhada de 40 minutos.

    Passamos por abrigos dos índios da Ilha de Fogo. Eram só buracas contra o vento, à volta os restos da comida de mariscos. Quando era muito frio eles se cobriam com peles, mas normalmente andavam no. Comiam mariscos e algas e com sorte na caçada Leão marinho ou Guanaco. Já no inicio do século 20 não existia nenhum destes índios mais.

    Eram obrigados pela igreja de se vestir, deixaram de comer mariscos cru e algas. Não estavam habituada a nova comida e muitos morreram devido aos novos hábitos impostos e as doenças que o homem branco trousse. Dos que ficaram livres sem duvida uma grande parte morreu pela caçada praticamente livre a eles. Hoje estão homenageado com monumentos, como o grande monumento no meio da praça de armas em Punta Arenas.

     

    Voltamos às 19.00 horas e passei pela agencia para comprar a excursão para o Parque Nacional no Domingo, mas era já fechado. Fui jantar, mas esta vez tomei só uma garrafa pequena de vinho da casa, 8 Pesos.

     

    No domingo tentei ainda a excursão para o Parque Nacional as 14.30, mas nada. Tinha um van esperando e passei. O homem perguntou o que procurava, expliquei e ele disse que vai levar um casal para o Parque às 15.00 horas. Se queria poderia ir com eles por 60 Pesos, portanto 35 pesos mais baratos do que o tour pela agencia. Era o Casal de Espanha que tinha encontrado no dia anterior na lancha.

    Passamos pertinho das montanhas, visitamos dois lagos e depois deixou-nos num vale. Descemos a pé e subimos no outro lado mais ou menos 1hora e meio e após mais uma curta parada num lago voltamos para Ushuaia aonde chegamos as 19.30.

     

    patagnia2006047mn0.jpg

    Punta Arenas, Plaza de Armas.

     

     

    20.11.-21.11. 5°-6°dia, Segunda e Terça: Ushuaia – Punta Arenas.

    Levantei às 06.00 horas, pois pediram para já estar em frente da agencia de onde sai o bus para Punta Arenas as 07.30 para sair pontual as 08.00. Já tinha pagado na noite anterior os 60 Pesos referente à minha estadia na albergue.

    Fui a pé os 20 minutos até a agencia na Av. San Martin. O bus era quase cheio e no caminha pegou mais pessoas em Rio Grande e San Sebastian. No inicio passamos em curvas pelas montanhas que acompanham o Canal de Beagle, depois só Planícies com vegetação ralo. Muitos carneiros pastando.

    Pouco depois San Sebastian a fronteira entre Argentina e Chile. A parte da estrada de San Sebastian até o Ferry ainda não esta asfaltado. As 15.30 chegamos ao Estrecho de Magallanes. No meu Guia diz que atravessa do Estrecho demora 2 horas, mas estranhei porque o Estrecho aparecia-me aqui muito estreito. Como o Ferry entrou em serviço só no governo de Kirchner, talvez o Guia se refira a atravessa entra Punta Arena e Provenir. Demoramos só 20 minutos para atravessar sempre acompanhado de Golfinhos Preto e Branco, que só vivem aqui no Estrecho. As 18.30 chegamos em Punta Arenas.

    Na parada tinha uma Menina que oferecia hospedagem no Blue house. Já tinha visto os folhetos deles na fronteira. 2 Mochileiros e eu fomos com ela.

    Quarto precário, cama de casal e banho privado 12 000 pesos chilenos = 24 US$, café de manha fraco incluído. Eles tinham quartos para 4 e mais pessoas por 3000 por pessoa = 6 US$.

    Já à noite fui ver a cidade toda. A Praça de Armas é muito bonito com as arvores grossos e as copas das arvores compactas. Crescem pouco por ano, mas crescem forte. A catedral em frente da Praça. Fui até a Avenida Colon passando pelo centro histórico.

    Esta noite comi a 1° e ultima vez bufê na viagem, comida abundante e sobremesa, 4500 Pesos mais uma caneca grande de cerveja 1200 pesos total = 11,4 US$.

    No outro dia novamente sol e clima agradável. Em toda a viagem, nunca tinha chuva que demorava mais de 10 minutos.

    Fui visitar o escritório do turismo ao lado da Praça de Armas e peguei a planta da cidade e a relação dos hotéis, também já referente Puerto Natales. A agencia ao lado cobrava 10 000 Pesos para visitar os Pingüins, mas tinha já vista outra que cobrava 7000.

     

    Comprei a visita aos Pingüins para as 16.00 horas. No Van tinha um mochileiro de Alemanha de 36 anos ele vivia na parte da antiga Alemanha Oriental, portanto tínhamos muito para falar. Chegando perto dos Pingüins paga-se mais 4000 Pesos de entrada, portanto total de 11 000 pesos = 22 US$. Os caminhos são cercados e de madeira acima das dunas. Os pingüins andam sem qualquer atenção para as pessoas. Procuram seus buracos entra 20 – 80 metros da praia. È época de acasalamento, portanto muito namoro e beijinhos. Eles vão para o mar 10 horas /dia para pegar comida. A organização privada que cuidava todo fazia contagem para ver se a colônia aumenta ou esta diminuindo.

    À noite mostrei ao Alemão o restaurante bufê, mas eu não queria comer lá. Comi num restaurante de massas Ravióli com jamon e queijo roquefort, 1600 Pesos mais dois cervejas 350 ml, 1400 pesos, pão fresco e manteiga total 3000 Pesos = 6US$.

     

    patagnia2006066pg3.jpg

    Pinguins no estrecho de Magalhães.

     

    patagnia2006091qh4.jpg

    Puerto Natales, Parque Torres del Paine.

     

     

    22.11.-24.11. 7°-9° dia, Quarta, Quinta e Sexta: Punta Arenas – Puerto Natales, Parque Torres Del Paine.

    Já tinha comprado no dia anterior a passagem com saida para as 14.00 horas, preço 3000 pesos, 3 horas de viagem.

    Chegando em Puerto Natales aparece que todos já tinham um lugar para onde ir, fiquei sozinho na parada. Perguntei no táxi e mostrei os 3 lugares anotadas, duas descartei pelo ambiente e a terceira era muito mais caro do que as no maximo 15 – 20 US$ que queria gastar. A taxista disse, mas porque ficar aqui no centro tem o Hostal Patagônia, com banho privado e café de manha por 5000, achei longe do centro, mas fomos até lá e fiquei. Paguei a simpática taxista, eram só 2000 pesos.

    Realmente uma escolha boa um quarto bonito um café de manha completo, 10 minutos a pé do centro passando pela linda Plaza B.O’Higgins. Indo com táxi custava só 1000 pesos. A Dona era muito simpático, queria ir para o centro, chamou um táxi e fui com ela. Indicou-me uma agencia e comprei a visita para o Parque Torres Del Paine 18 000 pesos mais a entrada no Parque 15000 Pesos mais a visita da Milodon Cave 3500 = total 73 US$. È realmente caro, mas quem vai visitar o Parque pode fazer trecking lá dentro e acampar em caminhadas de 3-4 até 12 dias.

    Jantar, a volta da Plaza de Armas com a linda Catedral, tem vários bons restaurantes para jantar barato e bom.

    No outro dia levantei às 06.00 horas. O café de manha realmente bom pão, manteiga, iogurte, frutas, suco. Pouco depois das 07.00 horas chegou o Van. Era o ultimo de um total de 11 pessoas, incluído os italianos que conheci na visita aos Pingüins em Punta Arenas. Chovia e muitas nuvens, pensei novamente vou ver nada, como quando visitei a Cordilheira Branca no Peru e esperei 3 dias para finalmente ver os picos das montanhas.

     

    Mas nada, chegando perto do Parque as nuvens foram e sol durante todo o dia. Escrever sobre a beleza do Parque é difícil. Após cada curva novas emoções. Eu não tenho as palavras certas acho só indo para lá e estar bem preparado para ver tanta beleza num só dia. Quem tem a fibra, o dinheiro e o tempo, fica lá alguns dias e faça trecking.

    Passamos na geleira grey, era eu uma japonesa e dois jovens americanos. No lago passou um iceberg caído da geleira. Eu pedi ao Americano de tirar uma foto. Quando vejo os olhos dele assustados, surpresos “O my God”, olhei para o lago e vi o iceberg partir com um estrondo em duas partes. Fugimos para trás para não pegar a onda que veio do lago.

    Só as 21.30 chegamos em Puerto Natales. Decidi de ficar mais um dia, era cansado e feliz e queria gravar as emoções deste dia na minha mente antes de enfrentar outras.

    Informei-me e poderia ir para El Calafate e o Glaciar Perito Moreno sem voltar para Puerto Natales. Na minha agencia custou 30 000 Pesos, na agencia ao lado 25 000, comprei lá no outro dia. Jantei, fui a pé para o Hostal.

    Valeu a pena e se toda a viagem se fosse resumir só neste dia, valeu a pena.

    Dormi até as 09.00 horas e passei todo o dia perto do mar e as montanhas. No jantar Salmão com purê de piemont e vinho tinto, água mineral, como sempre pão fresco e manteiga. 9000 Pesos = 18 US$.

     

    patagnia2006099pt1.jpg

    Parque Torres del Paine.

     

    patagnia2006129rf2.jpg

    Parque Torre del Paine, Glacier Grey.

     

     

    25.11. 10° dia, Sábado: El Calafate, Glaciar Perito Moreno, El Chalten.

    Levantar as 05.40, tomar banho, tomar este gostoso café de manha e as 07.30 estava o Van na porta para ir para El Chalten e o Glaciar Perito Moreno. Disse adeus à simpática Dona do Hostal. Ficamos emocionadas com lágrimas nos olhos, ela disse você esta sempre cantando. Realmente quando estou feliz estou sempre cantando, sem perceber. E cantei muito ainda nesta viagem.

    Novamente passamos de Chile para Argentina, mais dois carimbos no passaporte. Muitos no nosso bus não iam seguir na Argentina iam voltar à noite para Puerto Natales, portanto vão ganhar 4 carimbos neste dia.

    Chegamos em Calafate pagamos a entrada no Parque 35 Pesos, 11,60 US$ e entrou uma Guia. Paramos para comprar um lanche, pois não íamos ter tempo para almoçar. No caminho para o Parque a Guia explicou todo sobre o Glaciar. Não é o maior da Argentina, mas o mais bonito e mais acessível. O campo de Gelo a volta dele conforme ela é o terceiro maior do mundo após a capa de gelo no Pólo Norte e a Antártica. Pensei na Groenlândia, mas estou na duvida. Perto do Parque uma ducha fria, quem quer comprar a passagem com o barco em frente do Glaciar? Fiquei pensando. Todos compraram e comprei também, 36 Pesos, mais 12 US$.

    Mais uma coisa única, que nunca tinha visto. Esta parede de gelo de 500 metros de largura entrando no Lago Argentino entre duas cadeias de montanhas cobertas de neve. 500 metros e 60 metros de altura. Todos os dias caem 2 metros para dentro do lago às vezes icebergs grandes com estrondo forte.

    Conheci um rapaz descendente alemão vivendo nos EU e podia dividir com ele o entusiasmo vendo este espetáculo. A viagem, do barco demora 30 minutos e chegando ao pé da parede de gelo aparece um brinquedo.

    O bus levou-nos de volta até El Calafate. Eu pensei porque ficar em El Calafate? Poderia ir até El Chalten. A Guia falou que o ultimo bus para El Chalten vai as 18.30 e ia ter tempo para apanhar ele. Assim poderia ficar mais um dia em El Chalten. Falei com o Americano e ele gostou da idéia. Mas tinha já marcado um Hostal. Comprei a passagem já ida e volta 90 Pesos = 30 US$. Esperando pela saida do bus um rapaz argentino começou falar comigo. Disse vai ser difícil arranjar lugar em EL Chalten, é todo caro e os lugares bons e baratos cheios. Ele conhecia a dona do albergue de juventude Patagônia, ligou para ela e tinha uma vaga. Agradeci muito ao rapaz, uma preocupação a menos na chegada após 4 horas de viagem. Acima da hora da saida do bus veio o Americano.

    Chegando perto de El Chalten a volta das 21.30 um por de sol fantástico atrás das montanhas Cerro Torre e Cerro Fitz Roy. Chegamos as 22.30.

    O Americano acompanhou-me até o albergue, mas não tinha mais lugar. Ligaram para dois lugares nada, assim ele foi à procura.

    Eu fui jantar num belo restaurante ao lado. Depois, antes de entrar no quarto tirei a roupa para não acordar ninguém. Eram 3 beliches, portanto 6 pessoas num quarto pequeno, rapazes e meninas. Dormi bem.

     

     

    patagnia2006142mf4.jpg

    Puerto Natales.

     

    patagnia2006163ao0.jpg

    El Calafate, Glacier Perito Moreno.

     

     

    26.11. 11° dia, Domingo: El Chalten – Trecking para o Lago Torre.

    Acordei às 07.00 horas, pulei da cama. Era o ultimo, todos já tinham saído. As 08.00 iniciei a caminhada para o Lago da Torre. São12 km, tempo previsto para 24 km ida e volta 6 horas. O caminho começa a 100 metros do albergue. Uma caminhada tranqüila por florestas nunca tocadas e no inicio sempre o Fitz Roy na frente. Após 3 ½ hora de caminhada cheguei ao Lago. Uma vista! O Cerro Torre em cor laranjada e a volta as montanhas mais baixas com neve. A água entra no lago pela caída do gelo do glaciar que vem da cadeia de montanhas com o Cerro Torre o pico mais alto. No outro lago a água sai, formando o Rio Fitz Roy.

    Sentei a beira do lago e comi as nozes e a chocolate que tinha levado. Bebi a água do lago. Após um descanso de meia hora iniciei a volta. Chegando num cruzamento peguei o caminho para o centro de EL Chalten. Era um pouco mais comprido com vistas sobre o Vale do Rio Fitz Roy. El Chalten tem a volta de 500 habitantes vivendo do turismo. Na cidade comprei nozes e chocolate para a caminhada de amanha.

    Cheguei cansadíssimo na albergue, tomei banho e fui jantar no restaurante ao lado. È bom mesmo, comi chuleta e tomei meia garrafa vinho da casa branco. Fiquei mais um pouco curtindo a conversa dos outros mochileiros e acho as 22.00 já estava na cama.

     

    patagnia2006206ib0.jpg

    El Chalten, Trecking para 0 Lago Torre.

     

    patagnia2006220bh7.jpg

    El Chalten, Fitz Roy.

     

     

    27.11. 12° dia, Segunda: El Chalten – Lago de los Três.

    Novamente 24 km ida e volta, mas esta vez a previsão são de 8 horas de caminhada com os ultimas 1500 metros de subida forte. À frente sempre o majestoso pico do Cerro Fitz Roy.

    Perdi-me no caminho e perdi meia hora. Ao meio dia, após quarto horas cheguei ao Camping do Rio Branco. Tinha lá 3 barracas de mochileiros. Um camping sem apoio, só água não precisam levar podem beber do rio. È o campo base para quem quer iniciar o alpinismo para o Cerro Fitz Roy.

    Agora subir 1500 m. Faltou fôlego, mas melhorei meu empenho subindo. Mais 5oo metros com trechos retos e subindo.

    O vento forte derruba as pessoas, estou deixando quase todos atrás de mim. A neve chega horizontal e bate na cara e nos olhos como graus de areia. Usando óculos fica difícil de ver, deveriam ser óculos especiais. Estou me agarrando nas pedras e passo por mais duas meninas atrás de uma pedra grande. Preciso chegar lá. Estou-me abaixando e mais 50 metros até um abrigo ao lado do Lago. Têm lá 3 Italianos, os únicos que chegam lá neste dia fora de mim. Tiram um foto de mim, mas o vento e a neve estragam a foto. Eles vão embora. Sozinho solto o grito da Victoria. Tiro algumas fotos atrás do abrigo e me rasteando vou voltar. As meninas estão ainda lá assustadas e digo a elas para voltar. Depois encontro três alemães, eles perguntam se da para seguir, eu digo que não, a nevasca esta aumentando. Um dos 3 volta comigo.

    De volta no camping Rio Blanco, me deito na grama junto com outros turistas, come meu chocolate e as nozes e bebo como os outros a água de um riacho. As 17.30 chego à albergue.

    Vou novamente cedo para a cama, pois amanha levantar cedo para pegar o ônibus. Pago os 60 Pesos para as 3 noites, mais 6 de gorjeta para os empregados.

     

    patagnia2006230aq0.jpg

    Fitz Roy, trecking para o Lago de los Três. De mais ou menos 40 pessoas subindo, só eu e 3 italianos chegamos até o Lago.

     

     

    28.11.-30.11. 13°-15° dia, Terça – Quinta: El Chalten - El Calafate – Rio Gallegos – Comodoro Rivadavia - Esquel.

    Levantei as 05.15. e para perturbar ninguém tirei logo todas as minhas coisas para fora do quarto. Arrumei-me na sala e as 06.00 fui sair para pegar o ônibus para El Calafate. Era só ultrapassar a rua em frente do albergue.

    Tentei-me informar nos dias anteriores, se existe a possibilidade de pegar a “Rota 40” a partir do Vilarejo Tres Lagos até Esquel, mas fui desaconselhado. Só para alguém que não tinha os dias contados e um plano fixo para cumprir.

    Então como já tinha comprado a passagem de volta para El Calafate, segui até lá. Chegamos as 10.20 e comprei logo a viagem para Rio Gallegos, saida as 12.30, portanto tinha quase duas horas para ver a cidade El Calafate. Uma cidade fundado há pouco mais de 40 anos, vivendo só do turismo para o Perito Moreno. O bus para Rio Gallegos (4 ½ horas de viagem, 33 Pesos) era de dois andares, e eu tinha o lugar acima mesmo em frente. Após ter passado pela linda paisagem do Lago Argentino só planície com vegetação ralo, sem arvores e arbustos. Só poucas vezes alguns carneiros pastando. Estrada reta até o horizonte onde ela aparecia cair num sem fim.

    As 17.00 chegada em Rio Gallegos, comprei a passagem para Comodore Rivadavia às 19.00 horas, 65 Pesos, previsão da viagem 12 horas. Primeira vez nesta viagem fui á noite. Cheguei as 05.30 no outro dia. Como queria ficar a noite, informei-me quando ia o bus para Esquel. Tinha só uma companhia para este destino, era o bus executivo leito para Bariloche e ia só às 21.30 horas. Portanto tinha dois dias e uma noite na cidade Comodore Rivadavia.

    Fui para a Hostaria Rua Mariana, Calle Belgrano 738, com banho privado e café de manha, todo muito precário e os preços nada mais conforme o meu Guia. 59 Pesos = 20 US$. Tomei banho e fui dormir, meu corpo doía do esforço nas caminhadas em El Chalten e o meu dedo indicador direito estava machucado, todo vermelho e começou pulsar. À tarde comprei pomada de penicilina e começou melhorar

    Fui ver a Cidade de um lado ao outro, visitei dois museus fora da antiga estação de trem da Patagônia, também museu. Comer difícil. No final da principal Av. San Martin um Shopping, um Supermercado e um restaurante self-service enorme. Aparecia que todos comeram lá, estava cheio na hora do almoço e do jantar. As pessoas comiam muito, sempre com pratos cheio de papas fritas. Nunca vi tantas mulheres gordas. Não queria viver nesta cidade longe de todo, num lado o mar e no outro a subida para a planície.

    Finalmente chegou a hora de partir para Esquel, Quinta às 21.30 horas. O bus executivo custou 85 Pesos, o bus normal 65 Pesos. O bus executivo com jantar a bordo.

     

    patagnia2006282rk5.jpg

    Carratera Austral, Vulcano Corcovardo, vista da pequena vila Chaitén em frente da Ilha Chiloé.

     

     

    01.12. 16° dia, Sexta: Chegada em Esquel – Bus até a fronteira – Carretera Austral – Chaitén.

    Chegamos as 06.00 em Esquel. Uma cidade que se compara com Bariloche, mas menos conhecida. As casas de madeira aparecem estar dentro de um grande parque. Tem um grande centro de esqui e esta encostada nas montanhas dos Andes. Queria ficar uma noite, mas informaram na rodoviária que um bus até a fronteira com Chile ia só nesta Sexta já às 08.00 horas e depois só na Segunda. Era difícil de tomar a decisão, mas não queria comprometer a parte da viagem para a Carretera Austral e a Ilha Chiloé. Tomei café de manha com os deliciosos medalones e as 08.00 segui para a fronteira.

     

    Passamos pela cidade de Trevelin e chegando mais perto da fronteira o bus ficou quase vazio. Paramos mesmo em frente do posto da fronteira, carimbar o passaporte e a pé para o outro lado. Lá tinha um Van velho, já tinha gente, mas cabiam mais dois chilenos eu e dois mochileiros um da Israel e outra da França. 2 mochileiras ficaram de fora. O Van ia até o vilarejo de Futaleufú, pagamos 3000 pesos =6US$. No mapa aparecem estes Vilarejos, mas na verdade são só algumas casas no meio de uma natureza exorbitante. Chegando em Futaleufú não tinha mais transporte publico antes de Segunda. Começou chover e ficamos-nos 3 mochileiros em frente de um tipo de bar abrigado. O Francês tinha 56 anos e queria descer primeiro para Puerto Aisen e depois ver como seguir. Após mais ou menos uma hora chegaram as 2 mochileiras de corona, eram também Israelitas. Após muita discussão o que fazer os 3 Israelitas foram embora, não sei como e para onde, nunca mais os vi. Então o Francês e eu tentamos também ir de corona. Após mais uma hora passou um Van que levava turistas para fazer rafting até Puerto Ramirez e para 2000 Pesos/pessoa ia levar nos dois.

    Chegado em Puerto Ramirez tínhamos sorte e um engenheiro da construção da estrada nos deu corona até Villa St. Lucia. Aqui o Francês decidiu de dormir numa casa particular pagando 2500 Pesos = 5 US$. Eu decidi de pegar o ultimo mini-bus desta semana para Chaitén, 3000 Pesos.

    Vale a pena de fazer toda a Carretera Austral é uma terra onde poucos colocaram o pé, portanto uma viagem numa parte do mundo que quase é única e existem poucos iguais hoje em dia. (O Francês mandou-me um e-mail ele desceu até o final da Carretera para Villa O’Higgins e a pé com barco e carona em caminhão conseguiu chegar até El Chalten, sem passar por postos de fronteira).

    Cheguei só às 20.00 horas em Chaitén. O Bus deixou-me em frente do mar com vários hotéis e hostales. Escolhi o Hotel/Restaurante Corcovado, como todas as casas em Chaitén uma casa totalmente feita em madeira. Dentro da casa sente-se o conchego e a leveza do ambiente. 7000 Pesos = 12 US$ por noite, incluído o café de manha. Fiz uma volta, começou escurecer e achei nenhum lugar para comer. Voltei para o Hotel, tinha dois hospedes comendo. Sentei-me também, comida ótima com vinho e água mineral, 7500 Pesos.

     

    patagnia2006335zc7.jpg

    Puerto Varas, com a linda igreja toda feita em madeira e no fundo do lago o Vulcano Osorno.

     

    patagnia2006340dl9.jpg

    Puerto Vara, Lago Llanquihue e Vulcano Osorno.

     

     

    02.12. 17° dia, Sábado: Chaitén.

    Levantei cedo, pois tinha combinado encontro com o meu amigo Nicolas La Penn da agencia Chaitur para estar lá as 08.30 e caso ele arranjava pelo menos mais duas pessoas íamos para o Parque Nacional, custo 29 000 Pesos. Infelizmente não arranjou ninguém. Então levamos um amigo dele de Santiago para um rio para pescar trutas. Chegamos mais perto do Vulcão Corcovado (o mesmo nome do hotel), o pico coberto com neve sempre atrás das nuvens. Mas no domingo de manha felizmente poderia tirar a desejada foto sem as nuvens.

    Depois fomos juntos para a agencia comprar a atravessa com barco para a Ilha Chiloé. O barco não tinha chegado neste Sábado por causa de uma avaria do motor, então tinha já alguns carros e caminhões esperando. O barco eram 16000 Pesos e ia no Domingo de manha as 07.30.

     

    Depôs o Nicolas explicou-me o caminho a pé para o Parque, para ver pelo menos a cascata do rio e o museu militar sobre a historia da Patagônia chilena sua descoberta e incorporação no estado chileno, bem como a construção da Carratera Austral com as dificuldades para ultrapassar montanhas vales e rios.

     

    patagnia2006348mf5.jpg

    Puerto Varas, Parque Vicente Pérez Rosales, Vulcano Osorno.

     

     

    03.12.- 05.12. 18°-20° dia, Domingo – Terça: Ilha Chiloé, Chonchi, Ancud.

    Tinha avisado que ia sair as 06.45. Quando desci tinha ninguém na sala, mas o café de manha estava na mesa. Não esperava esta, fiquei contente. Sai sem ver ninguém.

    Vi que o barco já tinha chegado e pouco depois das 07.00 cheguei lá. Eram poucos passageiros, mas os carros, caminhões e bus não cabiam todos. Algumas tinham de esperar a volta do barco anunciado para as 19.00 horas. Só caminhão com tanques de filhotes de Salmão tinha 5 esperando. Filhotes criados na cabeçada dos rios e agora transferido para os tanques de rede no mar. Eles constantemente controlaram a temperatura e o oxigênio dos tanques.

    As 07.30 saímos, são 5 1/2 horas de atravessa até o vilarejo de Quellon na Ilha Chiloé. Uma vista muito bonita do mar para as montanhas do continente e especialmente para o Vulcão Corcovado, que mostrou agora na despedida o seu pico coberta de neve sem nuvens. Durante a atravessa vimos muitos pingüins caçando sem ligar o mínimo para o barco.

    As 12.40 chegamos em Quellon. Fui para a saida dos bus para o interior. O bus para Chonchi ia às 16.00 horas. Comprei a passagem, 800 Pesos e fui para o centro tirar dinheiro numa caixa automático. Comprei Iogurte e frutas e comi na sala da linha do ônibus.

    Uma paisagem linda até Conchi, as casas ao lado da estrada todas em madeira, tal como em Chaitén e depois em Conchi. Aparecem casas de bonecos, cada um criando o seu estilo de fazer a casa. Também as igrejas em madeira. A igreja de Conchi é uma das mais bonitas. Chegado em Conchi perguntei pelo Hostal Esmeralda, conforme o meu Guia o dona é Canadense. Tinha quartos compartilhados e banho separado por 6000 Pesos por pessoa. Optei por um com banho privado por 10.000 Pesos, mais 1500 Pesos café de manha com panquecas à moda do Dono. Ele fez questão de mostrar todo o Hostal, lógico também feito todo em madeira. No jardim mais uma casa com quartos e uma cozinha grande e sala de jantar.

    Fiz uma volta pela praia até o centro. Decidi de comprar pão fresco, manteiga, queijo, salame, frutas e vinho num dos 3 supermercados (na verdade são mercearias) que vi.

    Comi na sala de jantar do Hostal, tal como outros mochileiros.

     

    No outro dia peguei o bus para Ancud, 2200 Pesos. O bus vai hora em hora e passa por Castro a capital da Ilha. Cheguei às 13.30 horas em Ancud. Tinha uma moça simpática que me convidou para a Hospedaje “Don Luis” que era dela, 5 minutos a pé da rodoviária e 15 do centro. 5000 Pesos sem banho privativo. Aceitei. Também aparece uma casa de bonecos. Saindo para o centro fui passar em zikzak por ruas diferentes, para ver os lindos jardins e as casas de madeira. O movimento no Porto. O Fuerto San Antonio com os canhões grandes mostrando o ano de fundição e a coroa espanhola. Ancud foi o ultimo lugar dos espanhóis no Chile, ainda no poder deles após 8 anos da declarada independência de Chile. Perderam a ultima batalha Naval e em 1826 foram definitivamente embora.

    No outro dia peguei um bus até Puñihuil para visitar as ilhas com suas colônias de pingüins e comorantes. No bus tinha um casal de namorados de Paraguai hospedado na mesma Hospedaje como eu e ainda o casal de Suíços que tinha encontrado no meu Hostal em Conchi. O bus deixa as pessoas na praia e é necessário uma caminhada de 3 km, sempre a beira do mar. Chegando à praia em frente das ilhas, só com barco e Guia, 3000 Pesos. Na volta, me separei dos outros, pois tinha deixado a caixa dos óculos num lugar para tirar fotos. Achei, ela ainda estava lá.

     

    Eram 16.00 e o bus ia chegar só as 17.00. Então pedi corona e consegui logo, as 16.45 já estava no centro de Ancud.

    Jantar salmão com vinho e pão fresco, muito barato, 4500 Peso = US$. Tem restaurantes de fast food ou lanches, más quase sai pelo mesmo preço ou você come só Hambúrguer mesmo.

    Mais uma noite de sono profundo, acho nestas casas de madeira se ganha uma tranqüilidade adicional.

     

    patagnia2006365jg7.jpg

    Barioloche, visto do Cerro Otto.

     

     

    06.12.-07.12. 21°-22° dia, Quarta e Quinta: Puerto Montt, Puerto Varas.

    Na chegada em Ancud tinha-me já informado sobre o Bus direto para Puerto Varas. Era às 10.15 horas, 3000 Pesos. O bus saindo de Ancud vai direto para o ferry para o continente. A atravessa demora 20 minutos, mas sem espera, tem 3 ferrys num ir e vir constante. Novamente vimos pingüins e esta vez também leões marinhos. O bus passou pela rodoviária de Puerto Montt.

    Chegamos ao terminal da companhia do bus em Puerto Varas e decidi de comprar já a passagem para Bariloche para Sexta, um feriado no Chile e Argentina, 10 000 Pesos. Fiz bem, eles colocaram um bus extra para as 09.50 e este também já estava cheio, só um lugar, o 38, fiquei com ele. Depois vi porque, o bus estava cheio com turistas de idade, (jubilados= aposentados) da Holanda.

     

    Fui a pé subindo a rua para o centro, pensei de encontrar um Hostal barato, mas nada, só hotéis caros com três estrelas e mais. Saindo novamente do centro, na rua principal na primeira rua à direita, C. Pio Nono vi uma Hospedaje, meio velho. Tinha vaga e era limpo e o pessoal simpático. Banheiro em frente do quarto e ducha descendo a escada. 13500 Pesos, com café de manha.

     

    A cidade tem muitos colonos alemães. Vi as meninas e meninos vestido e o cabelo arranjado como nos anos 50 na Alemanha. Mas aparece após ganhar a independência dos pais se vestem e comportam como os outros. A igreja em madeira tem tamanho de uma catedral, toda branca com as torres em vermelho.

    Comprei bolo, cerejas e água mineral e fui para a praça de armas para comer. Ao lado o edifício mais pomposo da cidade, o Cassino.

    Todas as cidades maiores têm Cassinos, quem freqüenta eles? Os turistas? Sei que Alemanha tem Cassinos, mas poucos e o Alemão em geral é poupado demais e não brinca com dinheiro em Cassinos. Visitei 3 vezes o Cassino em Estoril/Portugal, nunca ganhei.

     

    Fiquei uma hora sentada em frente do Lago Llanquihue com o Vulcão Osorno e seu pico branco lá no fundo. Peguei um bus até Frutillae, 2000 Pesos para ver uma outra cidade perto do lago. Também com 2 lindas igrejas em madeira e vista para o Osorno, aqui mais perto.

    Na quinta de manha peguei um bus, 2000 Pesos para o outro lado seguindo o lago até, mesmo no pé do Vulcão no vilarejo de Ensenada.

    Entrei no Parque Vicente Pérez Rosales, 2000 Pesos com as quedas de água do rio Petrohue saindo da cadeia das montanhas com o Osorno no meio. Segui ainda até o Lago Todos Santos. Neste lago chega-se com barco até o lado de Argentina e de lá tem transporte regular até Bariloche. Perguntei no outro dia o rapaz ao meu lado no bus para Bariloche se era mais rápido e mais barato este caminho para Bariloche, mas ele disse que não, não tem horários fixos para nada, portanto não é aconselhável.

     

    patagnia2006388mc6.jpg

    Primavera em Bariloche.

     

    patagnia2006381ju4.jpg

    Trecking-way em Bariloche.

     

     

    08.12.-10.12. 23°-25° dia, Sexta – Domingo: Puerto Varas – Bariloche.

    São 09.20, peguei um táxi para o terminal. São só umas 300 metros, mas os táxis cobram só o valor mínimo, 300 Pesos. As 09.50 saímos. Fiquei muito ansioso, no final ia visitar a tão comentada Bariloche. A previsão eram 8 horas de viagem, mas gastamos quase 2 horas na policia da fronteira de Chile e mais uma na da Argentina.

    Paisagens lindas, especialmente descendo da fronteira para Bariloche. Chegamos às 18.20 horas. Encontrei no bus uma menina alemã, falamos um pouco. Ela estuda na Alemanha e como parte do estudo queria-se informar no Chile como funcione a criação dos salmões em tangues de rede no mar. Ia ficar 60 dias no Chile.

    Na rodoviária decidi de tomar um táxi até o primeiro hotel anotado na minha lista. Vi a menina vindo da paragem dos bus para a cidade e ela falou que não tinha Pesos argentinos, então pegamos junto um táxi para a cidade, eram só 8 Pesos. Juntos entramos no Hostal Sur, mas queriam 27 US$ em vez dos 17 do meu Guia e tinham vaga só para uma noite. Disse adeus à menina. Fiz uma volta inteiro no quarteirão com muitos hostales e escolhi a Hospedaje Tito na C. Eduardo O’Connor 100 metros da Catedral, 50 Pesos =21US$, com banho privado s/café de manha.

    Tinha pressa de sair para ver o lago, as montanhas, mas primeiro a rua principal a Av. Mitre.

    Andei para acima e para abaixo, para mim uma coisa nova aqui na América Latina, tanto chique, hotéis até 5 estrelas, lojas bonitas, restaurantes bonitas e não caras e muitos muitos turistas de todas as idades. Muitos mochileiros. Jantei num restaurante Italiano, comida típica da Alemanha e Áustria, Gulasch com Spetzle (ensopado de carne com tipo especial de massa) 18 Pesos, Salada mista cinco Pesos, Vinho da Casa oito Pesos, água mineral e como sempre colocaram uma cesta com pão fresco e manteiga na mesa. Total eram 38 Pesos, 12,5 US$.

     

    No outro dia fui à beira do lago passando pela estação do trem que ainda funcione até a cidade de Viedma na costa Atlântico para a rodoviária para comprar a passagem do bus até Mendoza. Na volta subi a Av. Mitre e peguei o bus para turistas até o Cerro Otto, 20 Pesos preço especial para jubilados, incluída subida e descida com teleférico. Lá acima têm um restaurante giratório, 360 graus em uma hora. E andando a volta uma vista para Bariloche lá embaixo o lago e as montanhas cobertos de neve. Também tem 3 opções de caminhadas nas montanhas a volta.

    A tarde queria comprar a excursão e o passeio de barco para a Islã Victoria. Entrei numa agencia e a menina falou 56 Pesos, mais 21 de bus do hotel até o Pto.Pañuelo.

    No folheto dizia Jubilados metade do preço, mas ela falou só para Jubilados argentinos.

    Pensei vou amanha pegar um bus até o Pto. Panuelo e lá comprar a excursão.

    No outro dia peguei o bus as 11.00 que demora quase 1 hora para chegar ao Porto, 2,6 Pesos. Fiquei nervoso, pois pensei ainda vou perder o barco, que sai às 12.00 horas. Chegando lá acima da hora tinha 2 agencias, uma fazia a excursão com Catamaran e a outro com um barco construído em 1939 na Holanda, mas totalmente renovado com motores novos. Escolhi este, que surpresa a menina que vendia a excursão era a mesma da agencia da cidade. Ambos rimos e o preço lógico ficou nos 56 Pesos sem desconto.

     

    Uma tarde gostosa navegando a volta da Islã Victoria, com vistas fantásticas e caminhadas na Islã. De volta muitos ônibus esperando para levar as pessoas de volta para o Hotel. Como não tinha nenhum queria pegar o bus municipal, mas tinha um minibus esperando quase cheio e ia direto para o centro por 5 Pesos. Entrei, faltavam mais 2 e com o bus cheio partimos, 30 minutos mais tarde já estava no centro.

     

    Muita badalação no Centro. Mochileiros, não percam, Bariloche deve ser visto! Fui dormir tarde, mas como o bus para Mendoza ia só às 13.00 horas, dormi até as 09.30.

     

    patagnia2006409jg6.jpg

    Visitando Viñedos e uma Bodega em Mendoza.

     

     

    patagnia2006430jz9.jpg

    Mendoza, vista para o Aconcagua com 6960 metros a montanha mais alta das Américas. O pico abaixo do meu braço esquerdo.

     

     

    11.12.-13.12. 26°-28° dia, Segunda – Quarta: Bariloche – Mendoza.

     

    patagnia2006441dp7.jpg

    Mendoza, as ruas e avenidas com uma sombra gostosa.

     

    patagnia2006475pr2.jpg

    Buenos Aires, Casa Rosada, Palácio do Presidente.

     

     

    O bus, 125 Pesos foi até a cidade de Neuquén, um bus de dois andares e novamente tinha um lugar na fila da frente. Chegamos lá às 18.00 horas. Tomei um lanche e uma cerveja e às 20.00 horas seguimos em ônibus leito para Mendoza. No bus serviam novamente um ligeiro jantar.

    As 07.45 chegamos. Perguntei qual era a melhor área para procurar um hotel barato e bom e o custo do táxi. Peguei um táxi até a Avenida das Heras cruzamento com Av. San Martin. O táxi custou 4,60 Pesos. Escolhi o hotel Imperial, eram 45 Pesos com banho privado. Perto tem a Plaza de Independência e em toda esta zona tem hotéis e hostales baratos.

    Na Av. San Martin tem um Inf. Turístico, é bom ir lá e pegar uma mapa da cidade e informar-se sobre excursões e lugares p/visitar.

    Resolvi de pegar um ônibus municipal para a região das Bodegas e fui visitar uma com a ajuda de um argentino que conhecia bem as bodegas. Não aconselho ir sozinho, é melhor ir com uma agencia que cobra 25 pesos. Mas vale a pena ver de onde vem tanto vinho que é exportado para vários paises do mundo e um vinho cada vez mais apreciado. Mostraram também o sistema de irrigação, cada Viñedo recebe sua cota de água 14 em 14 dias.

    O rio Mendonza entra na cidade para abastecer as casas e os viñedos. Eu tinha a impressão que a água vinha mesmo já usada e filtrada para as viñedos. De qualquer maneira o rio sai da cidade sem nenhuma gota de água. Viñedos até onde se poderia ver, mas tem ainda muita terra para plantar, o que falta é mesmo mais água.

    Mendoza aparece uma cidade rica que vive do vinho e do turismo.

    A cidade dorme entre 13.00 horas e 16.00 – 16.30, todo fechado. Depois começa de novo a vida e as ruas, os calçadões da Av. Sarmiento e as muitas esplanadas ficam cheios de pessoas alegres.

    Comprei a excursão no outro dia para as montanhas altas por 56 Pesos. Saímos as 07.30 e fomos seguindo o rio Mendonza que antes entrar na cidade era cheio de água agora na época do degelo. Fomos até a fronteira com Chile vendo as pistas de esqui Los Penitentes e depois a vista para o Aconcagua, com 6959 metros, a montanha mais alta das Américas. Aqui se pode alugar Mulas para levar o equipamento até a base da montanha para quem quer subir o Aconcagua.

    Na Quinta de manha andei novamente pela cidade, comprei uma camisa mais adequada para as temperaturas acima de 30 graus aqui.

    As Ruas e Avenidas têm arvores grandes nos dois lados, como não tem prédios acima de 3 andares eles crescem até esta altura e depois as copas das arvores se expandem e fecham como um túnel acima das ruas. Andamos sempre numa sombra gostosa.

    Às 13.00 horas as ruas ficaram novamente vazias. Só algumas pessoas nas esplanadas. Sentei para tomar um suco de laranja, um café e medalhones.

     

     

    14.12.-17.12. 29°-31° dia, Quinta – Domingo: Mendoza - Buenos Aires.

     

     

    patagnia2006466by7.jpg

    Os ídolos de Argentina e em especial de Buenos Aires, perdido no passado: Futebol, Diego Madona, Tango, Carlos Gardel, Evita Perón, Che Quevara o grande filho da Argentina, mito e revolucionário.

     

    patagnia2006484hw3.jpg

    Tentando voar em Buenos Aires.

     

     

    O bus para Buenos Aires saia às 18.00 horas, 135 Pesos. Ônibus leito de dois andares. Serviram um lanche e depois jantar, era muita comida.

    O bus quase vazio.

    Passamos quase uma hora por viñedos e bodegas bonitas no meio delas. Auto-estrada reta muito larga com faixa enorme no meio. Postos grandes de luz iluminaram a Auto-estrada, pensei será até Buenos Aires? A volta das 22.00 horas cai no sonho e só acordei as 07.30 já começando entrar na cidade. Chegamos as 08.30. A rodoviária é perto do centro, informaram que o táxi custa à volta de 8 Pesos.

     

    Com taxistas não tinha sorte em Buenos Aires. Falou muito, disse na Calle Lavalle para onde queria ir seria muito caro etc. Paramos no Cruzamento Calle Lavalle e Calle Esmeralda. Ele pediu 11 Pesos, dei 12 e ele disse que a nota de 10 era falsa, dei outra, falso também. Ainda desconfiei nada, abri novamente a carteira ele disse deixe ver e de repente tinha todo dinheiro na mão. Disse assim esta bom devolvendo o resto. Contei e vi que faltava uma nota de cem pesos. Insisti de receber de volta e ele negando. Começamos discutir e ele devolveu a nota, dizendo pega esta falsa. Sai dizendo hijo da ...., contei o dinheiro e vi que em vez de dez ele tinha tirada a nota de 50 Pesos. Primeira vez que cai neste golpe de um taxista bacana fazendo você tão confuso que começa reagir perdendo a atenção.

    Entrei no Hotel O’Rei, cobraram 55 Pesos, quarto com banho particular, mas estava completo. No outro lado o Hotel El Cabildo, 80 Pesos. Fiquei com este. O quarto e o banheiro eram recente restaurados, tinha ar-condicionado central e ainda ventilador. A temperatura no quarto era muito agradável, era o melhor quarto de toda a viagem. A Calle Lavalle cruza com a Florida, ambas as mais movimentadas da cidade e o hotel esta a cem metros da Av. 9 de Julho, com o famoso obelisco de 65 metros de altura.

    Já estava em 1983 em Buenos Aires, mas não tinha mapa e andei perdido, mas entrando na Calle Florida comecei-me lembrar e fui até a Plaza San Martin, Casa Rosada e Plaza de Mayo. No Inf. Turístico da Av. Rivadavia peguei a mapa da cidade e folhetos de interesse. Na Plaza de Mayo, como sempre tinha uma demonstração e desta vez contra Kirchner e os supostamente 600 desaparecidos ou presos políticos no governo dele. Diziam que a policia continua agir impune.

    Buenos Aires deve-ser realmente a cidade mais perto da aparência de cidades europeus. Mas não vi mais o charme de 1983 na época já em decadência. Comparar Buenos Aires com Paris ou Madrid é um insulto para estas duas cidades.

    Fui ver a parte recuperada do Puerto Madero com muitos restaurantes levando a cidade mais perto para o Rio de la Prata. Depois fui até o outro lado da Av. 9 de Julho até o Congresso. Aqui escolhi um bom restaurante para jantar.

    No hotel comprei a excursão para o Delta do Rio Tigre no Rio de la Prata, 75 Pesos. Primeiro com bus passando pelos subúrbios residenciais tipo favela e depois luxuosos. Pegamos o tren de la Costa até a cidade dormitório com casas luxuosas San Isidoro. Seguimos até o Rio Tigre para pegar um Catamarán. O rio esta morta ou quase morta, tipo Pinheiros, só chegando perto do Delta del Rio Paraná ele ganha vida novamente.

    Esta noite queria comer na Calle Lavalle, tem muitos restaurantes, mas todos adaptados a turistas que querem comer muito gastando pouco. Tem massas custando o prato 10 Pesos até churrasco ou chuletas enormes de 25 -30 Pesos

     

     

    18.12. 32° dia, Segunda: Buenos Aires – São Paulo.

    Chegou a ultima noite da minha viagem. Talvez foi a viagem mais bonita das 5 que fiz tipo mochileiro. Mas vi, para encontrar um mundo ainda puro e selvagem, você pode ir até o fim do mundo e sempre esta lá alguém vivendo. A Fauna e Flora estão tentando se adaptar, mas estão perdendo. O avião com turistas chegou também ao fim do mundo há muito tempo.

     

    Sabia que o táxi para o aeroporto ia custar acima de 70 Pesos. Então chamei um táxi para tomar o bus para o aeroporto. O custo do táxi seria a volta de – 8 pesos. Parece impossível, mas o taxista não sabia onde partia o bus. Por 60 pesos ia me levar até o aeroporto, mas não queria. Tinha anotado Tienda Leon atrás do hotel Sheraton. Perguntando chegamos lá. O taxímetro mostrava 12 Pesos, o taxista estava suando, queria só 8 Pesos, mas paguei os 12. É um prédio novo e o bus parte cada 15 minutos, custo 25 Pesos.

    No aeroporto tinha 12 balcões de check in da Aerolinas Argentinas, mas só quarto estavam abertas, uma fila enorme. Fiquei mais de uma hora na fila, muitas pessoas nervosas porque estava acima da hora para o avião partir. Tinha lá a TV filmando e abriram mais 4 balcões. Tempo para ir para o shopping Duty Free não tinha mais. Passei e fui até a sala do embarque, o avião ia atrasar uma hora, portanto ia as só as 15.20. Com os últimos pesos comprei um lanche. Sentado no avião avisaram novo atraso esta vez era uma equipa feminina de basquete do Brasil, o vôo de conexão delas era atrasado.

     

    Bom chegamos após as 19.00 horas em São Paulo com uma hora diferença no fuso horário eram 20 horas. Às 22.00 horas estava em casa. Agora feliz que todo tinha acabado bem.

     

     

    Tschau Patagônia! Talvez um dia posso voltar para esta linda obra de Deus.

     

    patagnia2006180ep8.jpg

     

    Abraços dieter

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  5 mais
    2. Márcio/Sp

      Márcio/Sp

      Muito interessante seu relato, em fevereiro também tenho a tarefa de ir de El Chaiten até Esquel, farei o possível para não ir até Comodoro Rivadavia, me parece que agora tem um empresa Chamada "Chalten Travel" que faz um tour pela rota 40, veremos.

       

      Abraço, me será muito útil seu relato

      •  
    3. pombo

      pombo

      Márcio,

      El Calafate – Perito Moreno (a cidade, não o glaciar) e de lá até Esquel por outra empresa é feito no verão regularmente.

      No inverno pelas condições da estrada (estrada de terra batida), a falta de apoio ao transito e a falta de viajantes ainda não é feito este trajeto.

      Depois ter feito a sua viagem no Fev. coloque aqui a sua experiência, pois ainda existem duvidas para esclarecer.

       

      Abraços Dieter

      •  
    4. Márcio/Sp

      Márcio/Sp

      Relatarei sim, principalmente a respeito de rafting em Futaleufu, é muito dificíl encontrar brasileiros que já tenham feito, a passagem já está paga, faltam menos de 30 dias, embarco dia 24/01/2009.

       

      Abraços

      •  
  7. Ai! sou novato tanto aqui como em camping

     

    Gostaria de saber mais opções em campings da Barra Grande

    além disso será que alguém ai vai fazer o mesmo?

     

    Obrigado, abraços e prazer em conhecer :D

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  175 mais
    2. Ludmila Duarte

      Ludmila Duarte

      Alguém indica um transfer com preço honesto? Vou na próxima quarta feira dia 26/07 me deslocar de ilhéus p BG, caso alguém se interesse em dividir o transporte

      •  
    3. Thaua Rangel

      Thaua Rangel

      Boa tarde,

       

      Pessoal vocês podem indicar alguns campings em Barra Grande? Quero acampar e precisava de indicações.

      •  
    4. ftm2001

      ftm2001

      Pessoal, fui em 2014 e seguem algumas dicas... Fora da temporada, em barra grande dá pra achar muitas pousadas baratas(booking, outros sites de pesquisa e chegando no local também acha, pois algumas mais simples não anunciam nesses sites). Em Taipu de fora, como ta ficando hype e aumentando o nro de frequentadores, o preço das pousadas está ficando mais cara. E é melhor fechar com antecedência pois esgotam rapido. Claro que se hospedar em Taipu é bom pra pegar a maré baixa e ver as piscinas naturais.

      •  
  8. Vou pra lá em Março e queria a experiência da galera que já se hospedou por lá. Como é a vida noturna (tanto da Taberna, qto pra dormir mesmo), dentre outras informações.

    Vou pra la sozinha, será q vai ser foda?

    Falow!!!

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  138 mais
    2. gabrielss277

      gabrielss277

      Gente, a Pousada Universitária é muuito show. O pessoal é super prestativo, te fazem sentir-se em casa. Parece com uma casa de praia mesmo. E fica bem à beira-mar. Achei perfeito. O café da manhã de lá, assim como o quarto, é bem simples, mas tudo muito bacana. Fora o preço que é bastante acessível. RECOMENDO DEMAIS!!!

      •  
    3. claytonbh

      claytonbh

      indicação mais recente de hostel ? As indicações de hostel que tem aqui são de 2013.

      •  
    4. gabrielss277

      gabrielss277

      1f603.png😃 ALUGUEL DE QUARTOS EM CASA À BEIRA-MAR DA PRAIA DE PONTA NEGRA 1f3d6.png🏖️ PRÓX. AO MORRO DO CARECA | INCLUSO: WIFI, ÁGUA, LUZ | VALOR POR DIÁRIA | 1f632.png😲 OPORTUNIDADE ÚNICA 1f632.png😲 | TEM WHATS 084 9995145621f3c3_200d_2642.png🏃1f4a8.png💨

      PÁGINA --> https://www.facebook.com/quartosabeiramar/

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.04 (1).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.04 (2).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.04 (3).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.04.jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (1).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (2).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (3).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (4).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (5).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (6).jpeg

      WhatsApp Image 2017-10-24 at 15.49.05 (8).jpeg

      WhatsApp Image 2018-03-14 at 10.04.17 (1).jpeg

      WhatsApp Image 2018-03-14 at 10.04.17.jpeg

      WhatsApp Image 2018-03-14 at 10.04.18 (1).jpeg

      WhatsApp Image 2018-03-14 at 10.04.18.jpeg

      •  
  9. e ai Mochilas...

    estou indo pra Bariloche em Julho de 2007, e de Bariloche quero descer pra Patagonia para conhecer, El Calafate, El Chaten e no TDP...só que estou tendo alguns problemas sou mochileiro de SEGUNDA viagem, e nao consigo montar meu roteiro de Bariloche a El Calafate, vi q tem avião mais é muito caro, sei tambem que de El Calafate pra Bariloche tem uma excurçao de mais ou menos 450 pesoas e um outro jeito que é uns 250 pesos...mais minha DUVIDA É como chego a El Calafate descendo por Bariloche?

    aceito dicas do que fazer em El calafate (preços) , el chaten e torre del paine...

    atenciosamente

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  29 mais
    2. Gui Torres

      Gui Torres

      Para atualizar, tb.

       

      A Chalten Travel está parando de fazer a Ruta 40.

      Com isso, só restará a Taqsa fazendo o percurso.

       

      Há um único onibus que faz a travessia, ele sai de 4 em 4 dias de Esquel e de El Calafate, e a próxima saída é 1° de Fevereiro (daí vcs contam os dias na sua programação).

      O custo da passagem está em $560 pesos.

       

      Para quem quiser para em Perito Moreno, tem que esperar 4 dias pra pegar o próximo onibus

       

      Os onibus enchem mais ou menos com 10 dias de antecedencia.

       

      O trajeto em direção ao sul (Bariloche/Esquel - Calafate) ainda está sendo feito pela Chalten. Mas os preços têm variado, muito.

       

      Eu desisti de ir. Boa sorte pra quem animar ! :wink:

      •  
    3. Sabrina Arrais

      Sabrina Arrais

      Gente,

      Olá.

      Estou precisando de uma ajudinha:

      Em 14/06 embarco para Ushuaia.

      Porém, nao me perguntem por que, a minha volta será via Bariloche.

      Loucura? Volto dia 24/06.

      Bom, queria aproveitar para conhecer um pouco cada lugar.

      Qual roteiro vocês me aconselham..

      Vou estar com minha mãe, então nao vou poder "puxar" muito.

      .

      Me ajudem... Será que vale a pena continuar com esse "plano" ou é melhor mudar o voo?

      O que sei e que queremos conhecer o Glaciar Perito Moreno...

      E que avião esta descartado pois esta muito caro...

       

      Gente, socorro.... Valeu!

      •  
    4. LiviaLT

      LiviaLT

      Olá, alguém tem informações atualizadas de quais empresas fazem o trajeto Bariloche X El Calafate? Se tem alguma baldeação para ficar mais em conta...assim como os valores em média? Estou tendo dificuldades de achar. Desde já agradeço!

      •  
  10. Edmilson Vieira

    Aqui começa a busca por Buenos Aires. A primeira atitude é dizer que você pode imaginar essa cidade portenha como um lugar bonito, cinematográfico e que foi construído com ternura e glamour. Um pouco do mundo numa populaçäo de 14 milhöes de habitantes.

     

    Se alguém no Brasil lhe encarregar de procurar alguma coisa na Argentina, o que seja, você encontra, menos a esperança de que dias melhores viräo. Isso näo é por causa da crise que foi impecável enquanto durou, mas devido ao barulho dos ônibus urbanos. O motor desses veículos parece que é feito com a turbina dos antigos aviöes da Aerolíneas Argentinas. Como iam ser usados nas ruas, regularam para o barulho ser ainda mais alto. A música remasterizada que eles produzem é uma ópera do inferno e os decibéis repercutem até na Cordilheira dos Andes, menos nos ouvidos do povo. Uma semana de férias na cidade e a única vítima ainda näo se acostumou com a cançäo, que faz parte do show imperdível pra quem caminha nas ruas centrais.

     

    A rotina é andar para ver a riqueza dos prédios que oferecem um museu a céu aberto. Como já está fazendo 16 anos da última visita, o passado pode ser comparado às muitas lojas e restaurantes fechados. As circunstâncias que levaram à quebradeira geral, estäo na época da ditadura militar, no fracasso do capitalismo mundial, no carater dúbio de quem escreve e na atençäo de quem lê.

     

    Esse primeiro ensaio sobre Buenos Aires e seu barulho, protagonizado pelos próprios ônibus argentinos, e vivido por quem está passando pela experiência de uma guerra, chega ao fim, pois está na hora de ir às ruas e se defrontar com os turbo-ônibus. Edmilson Vieira é artista plástico e escreve crônicas [email protected]

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  4 mais
    2. edmilson vieira

      edmilson vieira

      Valeu o contato. Buenos Aires é mais bonita do que PARIS!

      Veja o que escrevi sobre ela nestes outros relatos do mochileiros.

      abraço.

       

      http://www.mochileiros.com/viewtopic.php?t=14374

      http://www.mochileiros.com/viewtopic.php?t=20129

      •  
    3. Pedrada

      Pedrada

      argentina me encanta, mas estes onibus de buenos aires.... poderiam, pelo menos, colocar aqueles escapamentos pra cima dos onibus !!

      agora, estes outros tópicos seus são um pouco do que tb sinto por bs.as.

      boas trips !!

      •  
    4. VLADGUANACO

      VLADGUANACO

      Valeu o contato. Buenos Aires é mais bonita do que PARIS!

      Veja o que escrevi sobre ela nestes outros relatos do mochileiros.

      abraço.

       

      viewtopic.php?t=14374

      viewtopic.php?t=20129

      Dizer que Buenos Aires é mais bonita que Paris vc tá exagerando

      •  
  11. Cheguei da Venezuela há poucos dias, e como prometido vim relatar aqui a minha experiência de 15 dias que foram ótimos para mim, apesar de alguns contratempos! Vou contar as minhas experiências e, por favor, me desculpem pelos erros de português, esse relato vai ser contado em partes OK.

     

    19/12/06 Saímos eu, minha esposa e minha filha de 6 anos de Manaus no meu celta 1.0 2004 que foi previamente revisado com pneus e aros novos e pronto para encarar e viagem que nas minhas contas ia ser de 6000 km para conhecer os principais pontos da Venezuela, estava chovendo muito em Manaus coisa que é comum aqui no mês de dezembro sai um pouco atrasado, pois a chuva atrapalhou bastante sai as 6:30am pois iria dormir em Boa Vista RR e como já conhecia o caminho seria tranqüilo, a viagem entre Manaus e Boa Vista dura em torno de 10Hs são no total 750 km então dava pra chegar até as 17hs na capital de Roraima indo pela BR 174, o inicio foi difícil chuva torrencial até a cidade de Presidente Figueiredo terra das cachoeiras ainda no território amazonense onde paramos pra tomar um café da manhã regional bastante caprichado o estabelecimento fica na entrada do parque Urubuí na saída da cidade esse café regional e conhecido em toda a região pela tapioca gigante aconselho essa parada pois vale a pena, barriga cheia e hora de pé na estrada, apesar de estar de carro tratei a minha viagem como estivesse de mochila nas costas pois tentei economizar o maximo possível, a chuva deu uma trégua e o sol voltou forte como e normal na região norte onde no verão e comum a temperatura chegar aos 40 graus, até o km 110 a estrada e muito boa um ou outro buraco mais depois e estrada começa e ficar esburacada mais ainda dá pra correr cheguei na reserva indígena waimiri atroari que começa no km 200 da BR 174 ainda em terras Amazonenses onde o asfalto e lindo dá pra correr bastante 120 e o mínimo que o carro deve puxar, uma ponte e a divisa do AM com RR no km 255, o carro entra na ponte deslizando e sai tremendo a rua começa a ficar horrível e vão ser 30 km de buracos pela estrada, deve se tomar cuidado para não acabar mais cedo a viagem, nem adianta tentar correr e melhor ir devagar pra não forçar o carro, depois a estrada fica melhor e se pode correr novamente, parei para almoçar em Rorainopolis as 14h30min a maior cidade fora a capital Boa Vista, na peixaria e restaurante no inicio da cidade onde a comida e muito boa, pois e do tipo caseira, apos mais essa parada agora só iria parar na capital, logo apos Rorainopolis existe um rotatória onde deve se dobrar a esquerda nesse ponto que começa o verdadeiro martírio a estrada fica horrível e vc sente vergonha e raiva pela incompetência dos seus representantes que deixam uma BR que e muito importante pois liga duas capitais importantes na região norte e o Brasil a Venezuela ficar daquele jeito são uns 20 km de buracos com poucos pedaços de rua onde só pode escolher o menor buraco para cair, logo apos a esse tormento a estrada melhora mais deve se tomar cuidado pois vc esta a 120 e aparece de vez em quando uma cratera pela frente, uma dessas pouco antes de Camaçari quase me deixa na beira da estrada, o pneu agüentou mais ficou com um bolha lateral que me deixou preocupado, segui viagem e cheguei a Boa Vista as 17:20hs como já tinha reservado o hotel farroupilha que fica na frete da rodoviária internacional fiquei despreocupado, a diária para casal com ar condicionado e tv a cabo, apartamentos limpos e confortáveis custa R$ 48,00 com café da manhã que sem duvida e muito bom, dormir um pouco preocupado pois a direção estava trepidando o pneu dianteiro direito estava com uma bolha e o freio estava fazendo um barulho esquisito.

     

    20/12/2006 Acordei tomei um belo café no hotel e fui verificar o carro, eu queria sair bem cedo mais as lojas só abriam as 8:00hs então tive que esperar para consertar o carro, fiz novamente o balanceamento pois já tinha feito em Manaus 2 dias antes e troquei o pneu com problema para a traseira como o freio estava fazendo um barulho esquisito troquei as pastilhas isso me atrasou praticamente 5 horas mais voltei novamente a estrada que na sua maioria e muito boa até Pacaraima que fica na fronteira com a Venezuela a 220km de Boa Vista cheguei na policia federal e carimbei a saída do Brasil depois deve se voltar a Pacaraima e tirar a xerox da folha carimbada para poder tirar a autorização para dirigir na Venezuela os documentos para se entrar naquele pais são:

    Passaporte, cartão de vacina internacional (amarelo) com a vacina da febre amarela e deve se tomar à dose 10 dias antes da viagem que e o período de incubação da doença, se houver menor de idade mesmo com os pais deve se ter a autorização do juizado de menores para poder viajar, tudo original.

    Para o carro deve ter o nada consta do veiculo para viagem que consegue no Detram de Manaus, se o carro estiver no nome do motorista tudo bem, mais se estiver no nome de outra pessoa deve ter a autorização por escrito do dono do veiculo autenticada no cartório e mais o nada consta, a xerox da folha do passaporte já carimbada de saída do Brasil que deve se tirar em Pacaraima, o passaporte e apresentado na aduana Venezuelana isso normalmente demora um pouco pois sempre tem muita gente entrando e saindo do pais mais nada de estresse pois a viagem continua, troquei o dinheiro na loja em que bati a xerox em Pacaraima e mais seguro e o valor estava bom, mais pra quem quer trocar no melhor valor deve ir no centro de Santa Elena de Ueirem onde tem muita gente trocando dinheiro no meio da rua mesmo troquei da seguinte forma:

    R$ 1,00 = B$ 1250(um mil duzentos e cinqüenta Bolivares), quer dizer que em cada R$ 1,00 ganhei vinte e cinco porcento a mais na moeda venezuelana, no total troquei R$ 2620 que deu, Três milhões duzentos e setenta e cinco mil bolivares (B$ 655 bolivares a mais)pela primeira vez me senti um milionário (rsss)e somente essa diferença dava por exemplo para trazer 4 NIKES originais de 4 molas ou pagar 10 diárias de hotel para casal, a ultima observação e que no centro de Santa Elena estava R$ 1,00 = B$1300 que fazendo as contas em cima do dinheiro que eu troquei dava pra trazer mais um NIKE e pagar mais duas diárias de hotel.

    Sai de Santa Elena tarde, pois tirar a autorização pra dirigir demorou duas horas e parti as 15:30 rumo a maravilhosa gran sabana venezuelana local maravilhoso onde vc vê montanhas e cachoeiras como o salto kama e a laguna azul se vc tiver tempo vale a pena entrar em algumas que ficam a alguns metros da estrada como o salto kiwi que é muito bonita também, a gran sabana compensa todo o estresse do dia anterior entre Manaus e Boa Vista e uma linda paisagem que na temporada de férias fica cheia de carros tracionados dos venezuelanos que curtem esse paraíso, vale a pena separar pelo menos 2 dias para conhecer toda a gran sabana e também acampar mais com cuidado para não prejudicar a fauna e a flora, depois de 250 km entrei numa serra que eu já conhecia e sabia que era perigosa fiz de tudo pra não entrar nela a noite mais não teve jeito, essa serra são 40km de curvas perigosas e nesse local a chuva e constante, essa serra tem varias placas de informações onde vc pode ver que lá e a formação mais antiga da terra e que tem milhões e milhões de anos, logo no inicio tem uma alcabala(ponto de revista e verificação de documentos que existe em toda a Venezuela) onde os guardas são até simpáticos, nessa alcabala conheci um pessoal que estavam vindo de Manaus e iam para Mérida cidade que eu também ia conhecer e estava no meu roteiro, eram dois carros um fox que iam o Josimo e mais a esposa Andreza e dois filhos Brendo e Bruna, o outro era uma Fiesta sedan onde iam o Aguinaldo mais a esposa Graça e as duas filhas Yasmin e Gabi gente muito boa que logo fizemos amizade e combinamos de ir em comboio a partir dali, como eu já conhecia um bom hotel na próxima cidade Las Claritas que se chama Chalé Reymond eu disse que ia na frente para indicar o hotel a serra e muito escura e o asfalto fica escorregadio portanto eu ia a 50km por hora para não causar nenhum acidente, pra completar começou a chover e depois de dez minutos de descida na serra na escuridão eu não vi um buraco enorme no meio da pista e passei por cima, o pneu da frete secou na hora no susto parei o carro no meio da ladeira e fui olhar o prejuízo, os dois pararam e me ajudaram a trocar a roda que secou pois empenou o aro que eu havia comprado a menos de 15 dia e custou R$730,00 em Manaus, pronto quando olhei em volta tudo parecia um filme de terror um pneu vazio em uma serra de noite e com uma chuva muito forte ainda bem que eu tinha conhecido o pessoal que me ajudaram muito, minha esposa segurou o guarda chuva enquanto o Naldo e o Josimo tiravam o step e eu tirava o pneu furado, após esse incidente continuamos a descer a serra mais eu ia bem devagar e comecei a ouvir um barulho parecia que o porta malas estava aberto mais eu nem queria mais saber só queria chegar logo a cidade parei o carro a 1km da cidade na frente de uma mineradora dei uma olhada e vi que o pneu traseiro estava vazio e era melhor não continuar, tirei o aro e a minha esposa com a minha filha foram no carro do Naldo e eu fui no carro do Josimo chegamos na cidade já era 20:45 e não tinha nenhuma borracharia aberta decidimos que no outro dia iríamos procurar uma borracharia chegamos no hotel cuja a diária estava B$ 50,000(R$40,00) e fomos nos deitar.

     

    21/12/2006 Acordamos cedo e fomos na borracharia eu o Naldo e o Josimo, levei o aro que estava menos empenado e pedi pro borracheiro dar um jeito, tentamos desempenar o aro (que lá eles chamão de rim) mais depois de algumas batidas o cara fez aquele gesto negativo com a cabeça e eu pensei agora fud... pensei que ia ter que levar de volta o carro no guincho e pagar uma fortuna alem de não fazer a viagem ele pediu um tempo pois estava consertando o pneu (cauchiom) de um caminhão depois que ele terminou o serviço ele fez um remendo com a uma câmara velha e o pneu encheu, coloquei de volta no carro e as 8:30am seguimos viagem rumo a próxima cidade que era Eldorado, muito feia a primeira vista, cidade pequena que funciona através do ouro mais não vale a pena conhecer, nessa cidade tem uma outra alcabala eu estava um pouco preocupado pois não tinha step e estava com um aro meia boca mais conseguimos ir bem e com uma boa velocidade, eu queria chegar logo em Upata pois lá eu sabia que tinha loja pneus e aros antes de chegar em Upata vimos o primeiro acidente, um carro bateu numa ponte de concreto e caiu do lado deixando muito resto de concreto na pista passamos devagar pois já tinha ambulância e muitos curiosos, depois desse episodio o segundo susto, o carro do Naldo que vinha atrás de mim parou e eu voltei pra ver, o pneu traseiro dele estava furado e retribui a gentileza ajudando a trocar o pneu, as 15:00 chegamos a Upata uma cidade de médio porte mais também movimentada pelo ouro, achei incrível ver uma cidade tão pequena com concessionária da Toyota, GM, WG, Nissam e outras marcas importantes com carros importados pois na Venezuela não se fabrica carros, fui em uma loja da Bridgstone e depois da Good Year e achei uma absurdo eles cobrarem B$120,000(R$96,00) por cada aro, decidi ir na concessionária da GM que tinha lá e comprei cada aro original do corsa que e igual por B$60,000 montei balanciei e depois do almoço seguimos para Ciudad Guyana a terra do alumínio a autopista que liga Upata a essa cidade e maravilhosa são 3 faixas mais o acostamento bastante largo e o mínimo que pode se andar nessa estrada (carreteira) é 90km/h ao logo da rua vc vê os carros de socorro, bombeiros, guinchos e telefones de emergência enfim uma autopista completa, chegamos as 18:00hs e entramos na cidade para dormir fazia pouco tempo que tínhamos entrado na cidade e quando vimos as placas de endereço já dizia que era Puerto Ordaz outra cidade, e depois descobrimos que as cidade foram criadas muito próximas umas das outras e praticamente viraram uma só Ciudad Guyana, Puerto Ordaz, San Felix se tornam uma grande cidade cheia de shoping lojas e muito bem projetada com hotéis luxuosos o destaque negativo vai para o transito no horário noturno que é caótico ficamos num hotel razoável mais econômico por B$60,000 e na frente do hotel tinha uma senhora que vendia uns pasteis feitos na hora com suco de tamarindo que estavam ótimos dormimos pra no outro dia continuarmos a viagem.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  48 mais
    2. bebela

      bebela

      AVISO!!!!!

      Para as Pessoas q Pretendem em ir de carro pra MARGARITA(VENEZUELA) Eu aconselho em ir de AVIÄO!

      A ILHA DE MARGARITA É REALMENTE LINDA VALE A PENA CONHECER!Sendo q o perigo ta na estrada a Caminho do CONFERRY...Pois é raro serem divulgados as tragédias q acontecem nas estradas eo Poder q os nenezuelanos tem em fzer mal Á NÓS TURISTAS OU MELHOR BRASILEIROS.Passamos poR momentos de terror nas estradas de VENEZUELA Fomos Roubados levaram todas nossas coisas pessoais,Desd o nosso CARRO q tinhamos acabo de comprar uma(NISSAN FRONTIER). (ACHAMOS ATÉ Q A POLICIA TEM HAVER COM O ROUBO POIS QUANDO ENTRAMOS ELES JA FICAM DE OLHO ESPERANDO A NOSSA VOLTA NAS ACABALAS) Os carros de la aff säo todos velhos vc só ver CARRO BONITO AQ DO BRASIL sendo q com as placas de la.achamos até estranho quando entramos no PAÍS mais näo demos a atençäo q deveriamos:(.MAIS gRAÇAS AO MEU bOM DEUS näo roubaram nossas vidas e nm dxaram sequelas como costumam fzr com pessoas q entram de carro no PAIÍS DELES,(FICAMOS SABENDO DE Fatos q aconteceram e ACONTECE mais q nigm toma providencias e acaba ficando por isso mesmo; As MULHERES SÄO AS MAIORES VITIMAS DE ESTUPROS E ETC)Infelizmente mais é Verdade!

      O pior é q eles näo tem nehuma consideraçäo por nós Brasileiros coisa q deviam TER!!!! Pois somos nós q levamos dinheiros pra eles talvez por isso tenham tanta raiva ou inveja de nós ,bom foi oq senti!.O DELEGADO DE MANAUS DA FRONTEIRA disse sentir muito, sÄO varias vitimas Só nesse ANO,Fora outros CASOS de DESAPARECIMENTO DE PESSOAS Q OS FAMILIARES NÄO TEM RETORNO. Isso ocorre há tempos sendo q a POLICIA BRASILEIRA NÄO PODEM ENTRAR LA NM MUITO MENOS TOMAR UMA PROVIDENCIA É A LEI!Somos Nós q temos q alerta as pessoas divulgando o FATO OCORRIDO.Na verdade entramos na boca do leäo e näo podemos fzr nada nem mesmo se defender,Ou REAGIR pois corremos o risco de ficarmos presos talvez até como INDIGENTE q o q vale e prevalece é a palavra deles.Pois podem aqcreditar q fomos até expulssos da DELEGACIA onde fomos pedir ajuda'eles nem se comoveram com as CRIANÇAS CHORANDO no sol quente.

      ENQUANTO NÓS BRASILEIROS SÓ FALTAMOS ESTENDER O TAPETE VERMELHO PARA TODOS OS TURÍSTA Q ENTRAM EM NOSSO PAÍS!

      E Quanto ao NOSSO "'CONSULADO BRASILEIRO"' Q existi la disse q näo podia fzr nada por Nós, ai EU PERGUNTO Pra q entäo existi um CONSULADO BRASILEIRO?!!!]RESUMINDO:AS Pessoas de la se referindo principalmente a Policia TäO MAIS PRA MONTROS doq pra SER HUMANOS.

      Vcs querem saber como voltamos?!!!NA CARA E NA CORAGEM DE CARONA COM FÉ EM DEUS PRA NÄO PARARMOS EM ACABALA NEHUMA POIS NÄO TINHAMOS DOCUMENTOS;CORRERIAMOS RISCO DE FICARMOS PRESOS LA PRA SEMPRE.MAIS COMO DIZ O DITADO:TEM MALES Q VÉM PARA O BÉM! POIS PODEMOS VER O QUANTO AINDA SE AMAMOS E COM TUDO ISSO Q ACONTECEU PERCEBEMOS Q COISAS MATERIAS É FIXINHA PARA O LAÇO Q EXISTI ENTRE NÓS.Deus sabe sempre oq faz ele escreve o CERTO COM LINHAS TORTAS....

      O BRASIL PODE ATE TER SEUS DEFEITOS MAIS AINDA É O MELHOR PAÍS Q EXISTI.

      Estamos em casa!

      •  
    3. oseas.nascimento

      oseas.nascimento

      Que pena ter acontecido tudo isso com vcs, bandido tem em qualquer lugar, em janeiro fui ate margarita, meu carro é um Logan e não me aconteceu nada, fui com a minha esposa e duas filhas uma de 10 anos e outra de 1 ano e meio, fui bem tratado e não passei por nem um momento de perigo, inclusive em Caracas onde passei 2 dias, o passeio foi bom deu pra comprar muitas coisas em janeiro de 2012 vou de novo passar minhas ferias por lá mais dessa vez irei até merida e morrocoy.

      •  
    4. psoares

      psoares

      Ola Bebela, acho que foi a historia de vcs que eu tinha houvido falar outro dia, O Chefe do meu pai o Sr. Amilton tinha dito que tinham roubado o carro de um amigo dele na Venezuela e ele tinham voltado de carona, eu imagino que tenha cido vcs, sinto muito pelo que aconteu eu ja desisti de voltar a Venezuela nos proximos 3 anos e sei que muita gente aqui em manaus ta pensando assim pois a cada dia essas historias estão se tornando algo comum, meu propio pai foi estoquido 2 x em janeiro pela guarda nacional que so tem bandido, sendo que ele não estava errado em nada simplemente disseram na cara de pau que queriam dinheiro, e quando pedem não é pouco dinheiro.

       

      Espero que o desgraçado o Hugo Chaves morra logo e que implantem uma verdadeira democracia e mudem o sistema turisco da vanezuela pois tenho certeza que a cada ano o numero de turista na ilha de margarita está diminuindo pois 50% do turistas que a visitavam eram amazonenses e muitos não querem mais nem pisar la.

      •  
  12. Ola pessoal.

    No meio desse ano pretendo ir para machu pichu. Ainda não tenho data definida, pois ainda tenho que ver minhas férias do meio do ano.

     

    Moro em floripa e tenho 2 amigos que estão interessados em ir, se mais algúem quiser é só dar um toque.

     

    Roteiro:

    Curitiba / Campo Grande

    Campo Grande / Corumbá

    Corumbá/ Fronteira (Puerto Quijarro)

    Puerto Quijjaro / Santa Cruz de La Sierra (trem da morte)

    S. Cruz / Cochabamba

    Cochabamba/La Paz

    La Paz/Copacabana

    Copacabana/Puno (peru)

    Puno/Cuzco

    Machu Picchu

     

    Dependendo do tempo poderemos voltar descendo pelo chile.

     

    Cusco/Arequipa

    Arequipa/Tacna

    Arica/San Pedro do Atacama

    devemos pegar um ônibus de San Pedro até S.Antonio de Los Cobres ou para Salta (550 Km) e depois outro até Resistência ou Corrientes (800 Km), subimos até Assuncion (400 Km) e pegamos outro ônibus até Foz do Iguaçu (400 Km).

     

    Previsão de gastos: mínimo de U$500,00. Dá pra fazer com menos que isso.

     

    Tempo: mín de 3 semanas.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  37 mais
    2. Zanden

      Zanden

      Ae pessoal , estou indo para mp no final do ano mais ou menos dia 26/27 dezembro de 2007, estou indo só por enquanto, mas se tiver alguem

      saindo no final do ano podemos combinar.

      abração

      •  
    3. Vania Figueiredo1502428353

      Vania Figueiredo1502428353

      Primeiro, vc tem que viajar de dupla, geralmente um homem e uma mulher. Ai vc vem pela 060 de BH ao Acre de carona com caminhoneiros. Os caminhoneiros te dao carona de boa e vc ainda faz amizades com eles. Traga barraca para dormir nos postos de gasolina que é de boa tb, e comer come-se nos postos, mas traga sempre bolachas água e sal, granola e etc. te ajudam nas estradas até chegar ao próximo posto. O roteiro de caronas até o Acre segue abaixo:

      060: BH/Brasília

      070: Brasília/goiás

      BR 364: Goiás/Mato Grosso

      BR 364Mato Grosso/Rondönia

      Br 364: Rondönia/Acre

      Acre/porto maldonado (peru)

      Porto maldonado/cusco

       

      Chegando no Acre vc pode pegar um onibus na rodoviária de Rio Branco direto para cusco, que sai por 114 reais.

      Ou pegar um onibus até porto maldonado que fica 70 reais e da rodoviária de porto maldonado até cusco (que fica 40 solis, ou seja 27 reais). essa segunda opcao sai um pouco mais em conta.

      vc sai dez hras da manha de Rio Branco e chega as 7 da manha em cuzco.

      Por terra, há a vantagem de fazer o cambio numa boa nas paradas dos onibus, o visto sai muito rápido, dentro do onibus eles já te dao o formulário para vc prencher, entao quando chega na alfandega de assis brasil, ultima cidade brasileira, o camarada apenas carimba seu formulário e olha pro seu rg. É importante ter o cartao de vacina internacional, é um amarelhinho que se consegue em qualquer aeroporto do brasil, num posto da anvisa. Em iñampari (primeira cidade peruana) vc dá entrada no formulário/visto e já faz o cambio. O onibus para e te espera fazer tudo isso.

      Chegando em porto maldonado vc atravessa o rio num barquinho a 1 solis (0,35 centavos) e do outro lado pega uma motoneta para a rodoviária. Isto vai custar 20 solis. Na rodovbiária de porto vc pega um onibus para cusco por 40 solis. E pronto, vc chega em cusco em mais ou menos 20 hras saindo de rio branco e ainda curte a cordilheira.

      Nao se esqueca de levar um cobertor, na subida da cordilheira é muito friooooooooo

      vania

      •  
    4. Vania Figueiredo1502428353

      Vania Figueiredo1502428353

      Qualquer duvida ou curiosidade, podem mandar Mp, fico feliz em compratilhar esse roteiro louco que fiz!

      •  
  13.  

    Edmilson Vieira

     

    A chegada ao Rio de Janeiro, deixa confiante de que esta cidade tem coisas boas para oferecer ao turista, apesar do lema do tráfico e de parte da polícia de que “com violência venceremos”. Se a pessoa for persistente na busca, esquecendo do que dizem alguns de que o Iraque é aqui, e com alguns endereços na cabeca, descobrirá seu lugar ao sol. O ingrediente para encontrar o que equivale ao lado bom, é ser afoito, bater perna o dia todo, e se alimentar de um isotônico ou biotônico fontoura.

    O centro do Rio tem várias atraçoes. Sáo indústrias de museus, galeiras e monumentos resultando num complexo da mais alta categoría cultural. Para iniciar a mini-olimpíada do Pan, é só ir até o IPHAN, eles têm uma galeria. Protesto! Galeria só náo, tem livraria e fachada do prédio com uma porta que já começa a contar pontos para o nível cultural da cidade.

     

    Bom, recuperado o fôlego, a conquista agora é no Centro Cultural Banco do Brasil. Um semestre é pouco para controlar todas as áreas, mas pode dar a volta por cima frqüentando as galerias, e, num salto, usando o elevador, claro, avançar até a biblioteca. Movimentando-se para fora, já no prédio vizinho, está o Centro Cultural dos Correios, sáo três pisos de exposiçóes de artes plásticas.

     

    Nesse passeio ninguém pode alegar que gastou dinheiro, os diretores impuseram que a entrada é grátis e fim de papo! Mas a cada caminhada, a estimativa é de que logo venham aqueles ataques de fome. Náo há motivo para pânico. No centro da cidade do Rio de Janeiro de Sáo Sebastiáo tem, e isso você já sabia, uma confeitaria chamada Colombo. Por favor, evite o pior, temos que ir com moderaçao nos doces e salgados que desfilam aos nossos olhos.

     

    Este é um passeio especial para o primeiro dia, sem tiroteios e granadas. Estaria entáo a imprensa exagerando? Náo, ela está certa, o Estado foi baleado na perna direita e só consegue andar até o centro da cidade onde estáo os bancos e até a zona sul, onde moram alguns banqueiros, mas os turistas podem conquistar os monumentos e nem precisa de bandeira branca, só é preciso gritar: paz, paz e paz!

     

    Edmilson Vieira é artista plástico e escreve cronicas.

    [email protected]

    Obs: cheguei há pouco em Bs. As. e o teclado em espanhol náo ajuda, tive que colocar os acentos, um por um, e outros nem consegui descobrir ainda.

     

    Edmilson Vieira é artista plástico e escreve crônicas [email protected]

    •   
    1. Roberta Perini

      Roberta Perini

      Edmilson, muito divertido seu jeito de descrever sua viagem.

       

      Sou do Rio e viajei para a sua terra em janeiro de 2008. Passei 15 dias maravilhosos em Recife!

      Não pude deixar de notar as semelhanças que existeme entre o que pensam sobre o Rio e sobre Recife.

      Seu primeiro parágrafo me fez lembrar de todos os alertas que meu pai me deu antes da viagem. Felizmente a tal da violência tão presente em Recife pelo visto tirou férias durante o tempo que estive por lá. Ou talvez eu já esteja tão habituada à realidade carioca que não me assustei e evitei meio que sem querer possíveis perigos.

       

       

       

      "Quando eu tiver cacife vou embora pra Recife..."

      •  
    2. edmilson vieira

      edmilson vieira

      E este carnaval de 2009 eu me envolvi com o inverso, sai de Recife e fui passar no Rio de Janeiro. Pensei em levar um colete à prova de bala, mas desisti. Totalmente tranquila a cidade, não vi nada além de bloco, carro alegórico e samba no pé.

      Foi maravilhoso.

      •  
  14. Este tópico tem como única função a de servir como espaço para postagem de vídeos das férias, locais turísticos, atividades, ou algo que tenha lhe encantado no Estado de Santa Catarina.

     

     

    Rafting realizado pelos mochileiros em Ibirama/SC no dia 14/12/2006

     

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  11 mais
    2. IsmaelPereira

      IsmaelPereira

      Praia Mole - Florianópolis

      https://www.youtube.com/watch?v=H0sOMWDrTMA

       

      Pinheira - Palhoça

       

      Guarda do Embaú - Palhoça

      •  
    3. lclelles

      lclelles

      Olá!!!

      Em março vou pra floripa e de lá alugo um carro para deslocar até cambará do sul para conhecer os cânions, fiquei na dúvida se vou pela estrada da serra do rio rastro, pelo google maps o percurso aumenta um pouco, talvez fazer só a ida ou só a volta, alguém que já fez esse trajeto teria alguma sugestão para mim?

       

      VLW!!!!!

      •  
    4. rbersch

      rbersch

      Você pode descer a rota do sol e passar por Torres, que na minha opinião é a praia mais bonita do RS. 394km pelo rio do rastro e 405 passando por Torres.

      •  
  15. Secretaria do Meio Ambiente do Paraná restringe entrada de turistas na Ilha do Mel

     

    O número de pessoas que entram na ilha tem de ser igual ao que sai, diz Secretário.

     

    A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, através do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), suspendeu no último sábado (30) a entrada de turistas na Ilha do Mel, que já atingiu o limite máximo de 5 mil visitantes por dia. De acordo com o secretário Rasca Rodrigues, cerca de 1.500 pessoas estão apenas passando o dia na ilha e que estas vagas deverão ser liberadas já no período da tarde.

     

    "A partir do momento que estes turistas começarem a retornar ao continente, nós poderemos liberar a entrada de novos grupos. O número de pessoas que entram na ilha tem de ser igual ao que sai", explicou Rasca. Segundo ele, a Ilha do Mel possui um limite para o recebimento de visitantes, o que deve ser respeitado.

     

    O chefe do escritório regional do IAP na Ilha do Mel, Reginato Bueno, disse que os proprietários de campings e pousadas também devem respeitar a infra-estrutura para que não haja dano ao meio ambiente. "Estamos falando de uma unidade de conservação e a superlotação prejudica o bem-estar do próprio turista e da ilha também", lembrou.

     

    No terminal de embarque de Pontal do Sul, não estão mais sendo vendidas passagens para travessia de barco. Funcionários da Eco Paraná estão oferecendo aos turistas - que chegam ao terminal com destino a Ilha do Mel - passeios de quatro horas para a Ilha das Peças, também conhecida como Ilha dos Golfinhos, a partir de R$ 10,00.

     

    A Eco Paraná e o IAP, que administram o terminal de embarque, alertam para que os turistas procurem informações sobre o número de vagas antes de se deslocar até Pontal do Paraná para uma visita a Ilha do Mel. O telefone do terminal é (41) 3455-1690 .

     

    Segundo o chefe do IAP, cerca de 20% dos visitantes procuram a ilha apenas para passar o dia. "Por isso, é importante que os visitantes busquem informações antes de embarcar, pois o número de pessoas na ilha varia de acordo com o horário", concluiu Reginato.

     

    Fonte: Texto da Agência de Notícias do Paraná (Envolverde/Ecoagência)

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  4 mais
    2. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Vc ter uma rezerva em uuma pousada não garante sua entrada na ilha....Pois a capacidade de hospedagem com os campings e tudo mais é maior que a capacidade da ilha...

       

      Quanto a fiscalização contra Maconha sempre existiu na Ilha do Mel e inclusive foi no passado motivo para um topico com duras criticas contra a policia do PR que realmente busca fazer uma limpa nos "usuarios"....mas esquecem dos verdadeiros problemas...

      •  
    3. Sandro

      Sandro

      Agora sim... Uma boa resposta. As vezes você só precisa de um empurrão na ladeira... 8)

      Ainda que no meu ponto de vista os policiais não “esquecem” os verdadeiros problemas, é tudo uma questão de cada um cumprir com suas obrigações e respeito às leis. E o abuso no uso de drogas por alguns inconseqüentes é também um verdadeiro problema em qualquer lugar, só que não tem nada a ver com o assunto abordado neste tópico.

       

      Abraços.

      •  
    4. silvana paulista

      silvana paulista

      Olá pessoal!

       

      Pretendemos, eu e minha família ir para a Ilha do Mel, assim gostaria de saber se alguém poderia me esclarecer uma coisa. Como a entrada na Ilha é restringida, como que se faz a reserva em um hotel com antecedência e depois não há risco de perder um dia de estadia por não conseguir entrar?Agora nas férias de janeiro deve haver muita procura.

       

      Quem puder me esclarecer e me orientar eu agradeço desde já.

       

      Bom natal a todos.

      •  
  16. alguém pretende vim aqui?

    ...aqui tem muitas cachoeiras,onde é muito praticado "esportes radicais".

     

     

    fotos daqui:

    http://www.flickr.com/search/?q=paulo%20afonso&w=58036804%40N00

     

     

    image?id=3404

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  13 mais
    2. Glenda Santos

      Glenda Santos

      Um pouco das belezas de minha cidade!uploadfromtaptalk1356977502343.jpg.0d0f1df3e0cefc55d74af0921269a562.jpg

      uploadfromtaptalk1356977474317.jpg.b4e10999ef526cd0e550b276b4c52d28.jpg

      •  
    3. Luã Oliveira

      Luã Oliveira

      OLÁ, ALGUEM JA ESTEVE EM PAULO AFONSO? TEM ALGUMAS DICAS DE ESPORTES RADICAIS, TRILHAS, ETC... ?

      •  
    4. Luziária

      Luziária

      Olá! Estou pensando em ir a Paulo Afonso esse ano, mas ainda sem data. Certeza vou entrar em contato com essa agência: https://pt-br.facebook.com/KalangoDoSertaoEcoturismo fazem trilhas, canoagem e tudo mais. E o meu objetivo principal que é saltar da ponte com o pessoal dessa equipe https://pt-br.facebook.com/people/Uilams-Rappel/100001288730215...

      Abraços!

      •  
  17. Pessoal,

    Preciso da ajuda de vocês...

     

    Pretendo sair de SP em março/07 até Buenos Aires de avião e de lá alugar um carro para fazer o roteiro:

    Buenos Aires/Bariloche/Pucon/Santiago/Mendoza/Buenos Aires

     

    Alguém tem alguma indicação de locadora de autos em BA? em uma pesquisa rápida que fiz achei uma que faz 15 dias com 6000KM por US$900 (um assalto !!)

     

    Para eu entrar com este carro alugado no Chile precisarei de alguma documentação especial? ouvi dizer de um tal de "permiso de importacion"

     

    Só mais uma... Não estou afim de pagar para tirar a carteira internacional de habilitação, alguém já teve problema em trafegar pelo Chile com a nossa CNH ?

     

    Obrigado a Todos !!!

     

    Alessandro :D

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  2 mais
    2. agleizer

      agleizer

      Pessoal gostaria de agradecer as dicas, voltei agora de viagem e foi excelente, andei mais de 5000 Km nesta viagem, para que quizer fazer igual ou parecido aí vai !

       

      Aluguel do carro: ALAMO - www.alamo.com, ficou em US$ 600,00 para 14 dias com KM free e taxa para cruzar ao Chile.

      Em Bunos Aires não deixe de conhecer Puerto Madero, Recoleta, Galeria Pacífico, coma um alfajour da HAVANNA...

      Em Bariloche faça o passeio para o Cerro Tronador e Cerro Otto

      Em Pucon, não deixe de ir pelo menos à base do vulcão Villarica (de preferência faça a escalada), cuevas vulcânicas, termas e os Ojos de Caburgua.

      Em Santiago não deixe de ir em Viña del Mar parando em pelo menos uma vinícula pelo caminho (recomento a Casa del Bosque)

      Cuidado na travessia dos Andes entre Chile / Argentina, é o pior trecho da estrada, e depois que cruzar não deixe de ir ao parque Aconcagua (logo depois da Aduana), vale a pena conhecer Mendoza, o vinho mais barato esta na loja de chocolates Cabaña.

       

      Mais dicas, é só perguntar !!

       

      Até Mais

      Alessandro

      •  
    3. olga  valle

      olga valle

      oi pessoal, ::otemo::

      estou indo dia 10 de julho para mendonza,alguém pode me ajudar no roteiro, dando dicas, como faço para alugar um carro em mendoza para melhor conhecer, a carteira de habilitação daqui é valida? passarei 4 dias, depois sigo para santiago, gostaria de ir de trem, mas não sei... onibus, vans, o que faço? ::essa::

      por favor me ajudem ::love::::lol4::::sos::

      •  
    4. Liz Cachoeira

      Liz Cachoeira

      Olá!!

       

      Alguém poderia me dar referências de empresas de aluguel de carro na Argentina ou Chile, que seja barato? Alguém já fez a experiência de Alugar em uma cidade e deixar em outra no mesmo país e encontrou um preço menor que 5000R$?

       

      Agradeço desde já!!! ;)

      •  
  18. Fala Pessoal,

     

    Sou novo aqui e estou me preparando para minha primeira viagem de longa distância eu e um amigo vamos subir pra Natal dia 15/01 e esperamos voltar até o final do mês, vocês poderiam me dar alguma dica, o que não pode faltar? onde ficar?

     

    Valeu :D

    •   
  19. Estou indo para Venezuela de carro em fevereiro e pensei em conhecer T&T, mas, tenho dúvidas sobre o valor das coisas lá... tipo hospedagem, alimentação... alguém tem essas informações? Já sei que dá para pegar ferry em Guiria (Estado de Sucre/Venezuela), mas, queria saber se é caro como Aruba ou barato como Margarita. :?

     

    ------------------------------------------------------------------------------//--------------------------------------

     

     

    Trinidad e Tobago ou Trindade e Tobago (em inglês Trinidad and Tobago) é um país caribenho situado ao largo da costa da Venezuela. É constituído pelas ilhas de Trinidad e de Tobago e faz fronteira marítima com a Venezuela, a sul e a oeste, e com Granada, a noroeste. Sua capital, Port of Spain, é a favorita para sediar o Secretariado Geral da ALCA.

     

    Trinidad e Tobago são duas ilhas de clima tropical e terreno montanhoso. A principal cidade da ilha de Trinidad é a capital do país Port of Spain enquanto a cidade principal da ilha de Tobago é Scarborough. A localização do país é entre o mar do Caribe e o oceano Atlântico. Com mais de 1 milhão de habitantes, Trinidad e Tobago é o país com a segunda maior população de língua inglesa na região, depois da Jamaica. Atualmente, o território atrai investimentos externos e apresenta uma economia florescente, almejando tornar-se um Tigre do Caribe, a exemplo dos chamados Tigres Asiáticos.

     

    Em 1498, Cristóvão Colombo chega a Trinidad e Tobago.

     

    Depois ocupada pelos holandeses, logo é tomada pelos espanhóis em 1632.

     

    Em 1802, os ingleses conquistam as ilhas, mas 12 anos depois, em 1814 é cedida ao Reino Unido. As ilhas de Tobago passam a constituír uma colônia apenas em 1888.

     

    O jornalista e escritor português Ferreira Fernandes afirma no seu livro "madeirenses errantes", que alguns madeirenses protestantes radicados em Trinidad e Tobago após a sua expulsão de Portugal por motivos religiosos, se encontram entre os principais responsáveis pela revolução que se deu neste país.

     

    Em 1962, torna-se independente e livre da submissão dos colonizadores.

     

    Outras informações

     

    O nome indígena de Trinidad, usado pelos nativos desde o ano 1000 d.C., é "ieri" ou, Terra do Beija-Flor". Entretanto, oficialmente, o pássaro-símbolo da nação é o flamingo. O país conta com três jornais, cerca de dez estações de rádio, três canais de televisão e uma universidade.

     

    Trinidad e Tobago - informação geral Nome oficial República de Trinidad e Tobago Cidade importante Porto--Spain População 1, 300,000 (1994)·. Língua oficial Inglês Moeda corrente Dólar de Trinidad e de Tobago (TT$) (centavos TTD1=100) Taxa de troca Um sistema flutuando da taxa está na força. Atualmente $1US=$6.24TT; $1CDN = $4.48TT·. Zona de tempo Verão: EST (Tempo padrão oriental), equivalente a GMT-5; Inverno: EST+1, GMT-4. Não há horario de verão em Trinidad e em Tobago.

     

    Perfil Étnico: 39.6% Descendência africana; 40.3% Descendência Hindú; 18.4% Mestiços; 0.6% Descendência européia; 0.4% Descendência chinesa; 0.2% outros e 0.4% Não indicados.

     

    Aeroportos em Trinidad: Aeroporto internacional de Piarco, 17 milhas (27 quilômetros) do porto de Spain (código “posição” do aeroporto) Tobago: Coroar o aeroporto internacional do ponto, 7 milhas (10 quilômetros) de Scarborough (código a “ABA” do aeroporto)

     

    Linhas aéreas Air Canada, American Airlines, Airways internacionais de BWIA, Caledonian britânico, LIAT, areja Airways das Caraíbas, Surinam, e diversas fretam operadores.

     

    Meios, imprensa Diários: The Guardian Trinidad, Trinidad News, NewsDay. Um (1) tri-semanal: O espelho de TNT.

     

    COMO CHEGAR:

     

    Dois aeroportos sendo que o maior se localiza na ilha de Trinidad

     

    Aeroporto PIARCO

     

    American Airlines (Miami)

    American Eagle (San Juan)

    Air Canada (Toronto-Pearson)

    Avior Airlines (Caracas, Porlamar)

    British Airways (Bridgetown [encerra outubro de 2008], London-Gatwick, St Lucia [começa outubro de 2008])

    Caribbean Airlines (Antigua, Bridgetown, Caracas, Ft. Lauderdale (Começa em maio), Georgetown, Kingston, Miami, New York-JFK, Paramaribo, St. Maarten, Tobago, Toronto-Pearson)

    Continental Airlines (Houston-Intercontinental, Newark)

    Conviasa (Porlamar)

    Copa Airlines (Panama City)

    Delta Air Lines (Atlanta, New York-JFK)

    Insel Air (Aruba, Curacao, Paramaribo/Zanderij)

    LIAT (Antigua, Bridgetown, Curacao, Georgetown, Grenada, St. Lucia, St. Vincent)

    Rutaca (Caracas, Maturín, Porlamar) (Charter)

    Constellation Charter Group operated by EOS Airlines (Fort Lauderdale, Georgetown New York-JFK)

    Skyservice (Toronto-Pearson) (Charter)

    Spirit Airlines (Fort Lauderdale) [begins June 14]

    Surinam Airways (Oranjestad, Paramaribo/Zanderij, Willemstad)

    Travelspan operated by North American Airlines (Fort Lauderdale, Georgetown, New York-JFK)

     

    Aeroporto de Crown Point (Tobago):

     

    British Airways (Antigua, London-Gatwick)

    Caribbean Airlines (Barbados, Port of Spain)

    Condor Airlines (Frankfurt)

    Delta Air Lines (Atlanta)

    Leeward Islands Air Transport (LIAT) (Barbados, Grenada)

    Martinair (Amsterdam)

    Virgin Atlantic (Grenada, London-Gatwick)

    XL Airways (London-Gatwick)

     

    ACOMODAÇÕES:

     

    Acomodação na Capital custa caro, embora vc possa encontrar barganhas, Gingerbread Guest House - Carlos Street, 8, custa 30 USD a diaria, Durante o carnaval os preços duplicam na cidade)

     

    TOBAGO:

     

    Tobago para muitos é a melhor das duas ilhas, praias incrivelmente belas e acomodações com baixo custo:

     

    Surfisde Hotel - Pigeon Point Road, de 26 à 60 USD

    Coral Inn Guest House - John Gorman Trace de 25 a 50 USD

    House of Pancakes - Milford Road & John Gorman Trace de 25 a 38 USD.

     

    HIGHLIGHTS DE T&T

     

    Carnaval

    Tobago (Pigeon Point)

    Maracas Bay (Trinidad)

     

    183330_10150110916094556_3469978_n.jpg?oh=74675bef61524aed7f29d6991a6b36fa&oe=55B7C194

     

    181982_10150110916349556_7455044_n.jpg?oh=52d66f018c91bc7ecac66282dede20d7&oe=5580C3AD&__gda__=1438412668_067a7f95bb250a84897e3036b694b5e1

     

    183001_10150110916439556_3004082_n.jpg?oh=9fa312eff58dbdb941248c9d2095be93&oe=55B817D7

     

    183362_10150110917074556_3957436_n.jpg?oh=9a7de09c897207fe4b106f3b9b90aa27&oe=55873538&__gda__=1437840361_20dda7b6776a643be9f710e28434c015

     

    184366_10150110918014556_8287879_n.jpg?oh=c10edfeef5e977c5f31bc16b7727cd60&oe=5582FF0D

     

    184972_10150110919579556_2811384_n.jpg?oh=77c546a03af29ac7df30109732785d08&oe=5572C76E&__gda__=1433928407_24957e8dfd88ee0260a581a81d79e2d2

     

    184332_10150112907749556_2353003_n.jpg?oh=e7f5c99089c218aa9f1f5771745c0f3c&oe=5577A577

     

    184332_10150112907754556_2068124_n.jpg?oh=13464168238e62f6a9ec97193b129b1f&oe=557CF072&__gda__=1438237603_32b19fa04a9645ae09cc1d6f68b3fa4e

     

    10407493_10152719808814556_2377440374781875269_n.jpg?oh=4c41eda112bde95949e71b9b87f75822&oe=557AF159&__gda__=1434675426_277a80da284fbd592871cc12c30ca9bb

     

    10675548_10152720166249556_4910183499933381569_n.jpg?oh=63b7e10e56fa184f0d8c6c8c891d9fe1&oe=55B8F2CE

     

    10622710_10152722876299556_2765038370650923001_n.jpg?oh=1299ec7f4808fa66065ba0327b3fd84a&oe=5573F95D

     

    10382733_10152722877534556_6043606970398382811_n.jpg?oh=a8ce9e8f52bcdf48e82a993565198673&oe=557BCF93

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  16 mais
    2. alexandreVSilva

      alexandreVSilva

      Ola pessoal.. Agora que a Gol opera para Tobago direto, to pensando em ir passear por la. Poderiam me dizer qual a melhor epoca do ano??

      Grato desde ja.

      •  
    3. alexandreVSilva

      alexandreVSilva

      Valeu Andre!! Obrigado.. Vou em Abril!! Hehe..Vlw mesmo..

      •  
    4. netbeto

      netbeto

      Ola a todos,

       

      Andre_Franca, quando voce fala em dolares são americanos ou de Trinidade? Obrigado.

      •  
  20. Onda de violência causa ao menos 12 mortes no Rio

     

    A onda de violência que atingiu o Rio entre a madrugada e a manhã desta quinta-feira deixou ao menos 12 pessoas mortas. A maioria das vítimas estava em um ônibus da Viação Itapemirim que foi incendiado no viaduto que liga a rodovia Washington Luiz à avenida Brasil. As ações criminosas também deixaram cerca de 20 feridos.

     

    Além de queimar ônibus, os criminosos atacaram a tiros ao menos cinco delegacias, carros e cabines da Polícia Militar.

     

    Informações preliminares apontam que a série de ataques teria sido motivada contra ações de milícias em morros da cidade. No dia 12 de dezembro, reportagem publicada pela Folha mostrou que milícias formadas por policiais, ex-policiais, bombeiros, agentes penitenciários e militares já expulsaram traficantes de comunidades e ocuparam favelas.

     

    Violência

     

    Seis ônibus teriam sido queimados, em diferentes pontos do Rio. O da Viação Itapemirim havia saído de Cachoeiro de Itapemirim (ES) e deveria chegar a São Paulo na manhã desta quinta, com 28 passageiros.

     

    Segundo o Corpo de Bombeiros, seis corpos foram retirados do veículo. Em nota, a viação afirma que ainda não tem o número total de vítimas, pois "os trabalhos dos bombeiros e dos policiais ainda estão em andamento".

     

    De acordo com a empresa, alguns passageiros, assustados, fugiram do local e ainda são procurados pelas autoridades. A viação afirma que assumirá as despesas dos traslados dos mortos.

     

    A Polícia Militar informou que três homens apontados por uma testemunha como envolvidos no incêndio foram presos. Eles estão com as mãos queimadas e não teriam apresentado justificativas para os ferimentos.

     

    Durante as ações criminosas, também morreram dois policiais; uma mulher que trabalhava como ambulante em Botafogo, perto de uma cabine da PM atacada; e um homem que ainda não teve o nome confirmado.

     

    Conforme a PM, dois supostos criminosos também morreram depois de tentar atacar uma cabine em Mesquita. Os policiais reagiram e houve tiroteio. Com a dupla, os PMs afirmam ter apreendido uma granada, uma pistola e uma moto que havia sido roubada.

     

    A polícia afirma que ainda faz o levantamento do número total de vítimas e investiga a motivação dos ataques. Há suspeitas de que a ordem para a onda de violência tenha partido de um presídio.

     

    Fonte: Folha online

    •   
    1. Gabriel_lost

      Gabriel_lost

      :S

       

      botaram fogo num aqui perto

       

      a parada tá trevas

      •  
    2. viajandu

      viajandu

      Ainda bem que passei meu reveillon bem longe do rio de janeiro. Mas tenho planos de 1 dias ver os fogos de artificios em copacabana.

      •  
  21. PESSOAL,

     

    estou fechando um curso de inglês (www.omnicomstudy.com) que esta BEM barato. Tenho a opção de ir para TORONTO ou para CALGARY.

     

    CALGARY esta mais barato.

     

    Alguem pode me dar dicas e falar um pouquinho sobre as duas cidades?

     

    (Principalmente sobre Calgary, pois sobre toronto até tem bastante aqui no FORUM)

     

    Em tempo... alguem conhece alguma coisa sobre esse curso?

     

    Obrigado a TODOS!!!

     

    HAAAAAAAAAAAAA...

     

    F.E.L.I.Z. A.N.O. N.O.V.O.

     

    BRUNO

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  8 mais
    2. melleka

      melleka

      Fala pessoal tudo tranqüilo ?

       

      Estou planejando fazer um ou dois meses de aulas de inglês em Calgary e tenho algumas dúvidas:

       

      1. Serão 4 horas por dia . Será que algo me impede de procurar emprego? Distribuir currículos? E se admitido, poderei trabalhar e ficar por lá?

       

      2. Sou profissional de TI. Qual seria a forma mais fácil de conseguir trabalhar no país? Já fui em palestras que falam sobre Quebec. Fiz um ano de francês mas acho que a adaptação ao francês seria muito mais demorada do que com o inglês...por isso mudei. Além de que li que Calgary é uma boa cidade para TI. Mas para estrangeiros também?

       

      3. Esquiar é caro? hehehehe

       

      Obrigado!!!

       

      Olá Afro. Morei um ano em Calgary em um intercâmbio de trabalho. Não sei se você pode trabalhar com um visto de estudante e como isso funciona, mas o contrário pode (ter um visto de trabalho e fazer curso de inglês). O que posso informar é que para empregos genéricos (trabalhar em loja, cafés, restaurantes) é bem tranquilo de conseguir e se tem muita flexibilidade, pois é pago por hora de trabalho - muita gente trabalhava ilegalmente também. É mais complicado conseguir emprego na área, você deve ir pessoalmente às empresas e definitivamente precisa de um visto de trabalho e Social Insurance Number. O ideal seria conseguir um contato com a empresa já aqui do Brasil, pegar uma carta de recomendação e tentar o visto de trabalho. Acho que é assim que funciona.

       

      Esquiar é sim um pouco caro. Em Calgary você pode ir ao Olympic Park (http://www.winsportcanada.ca), que foi criado em uma dessas olimpíadas de inverno sediadas na cidade. No site você encontra os valores de ingressos. Tem também que alugar roupa adequada e esquipamentos. Outra opção é ir para as montanhas rochosas, vale a pena pelo passeio. Eu fiz em Banff, que fica a pouco mais de uma hora de viagem, se não me engano. É uma vila nas montanhas, você pode fazer o passeio para visitar o Lake Louise (congelado no inverno), as cachoeiras congeladas de Johnstons Canyons, além de esquiar ou fazer snowboarding em alguma das montanhas próximas. Se você for iniciante pode pagar por uma aula, vai ficar bem caro!

      •  
    3. krebi

      krebi

      Ola pessoal! Estou indo pra calgary agora em junho, gostaria de saber onde posso reservar um hotel , tipo, algum bairro ou rua onde se tem bastante variedades de restaurantes, lojas e que tenha algum movimento de noite( nao seja um deserto a noite)!

      Muito obrigado pela ajuda!

      •  
    4. ilbsinfo

      ilbsinfo

      Meu Deus !!!... Esses relatos e postagens são muito antigos... ! ::essa::::ahhhh::

      •  
  22. Para a matéria completa com fotos, acesse: O Eco

     

    Paraíso à deriva

     

    21.12.2006

     

    Na manhã do dia 14 de dezembro era possível ver, da vila de Abraão, um transatlântico ancorado na Baía de Ilha Grande, no sul do estado do Rio. Não era uma cena comum. Afinal, apenas uma vez, em novembro de 2005, um navio como esse fez escala na ilha, com 600 passageiros a bordo. Este ano, poucos minutos após a aparição do transatlântico, começaram a chegar lanchas que faziam dezenas de viagens levando os turistas para a região insular. Uma horda. No desembarque, foram recebidos com caipirinhas grátis, lotaram os bares, fizeram compras, abarrotaram as pequenas praias da enseada do Abraaão. No fim da tarde, voltaram ao navio.

     

    De janeiro a março, um outro navio, o Island Star, já tem pelo menos três paradas agendadas em Ilha Grande. Com 208 metros de extensão e capacidade para 1.875 passageiros, fora os 500 tripulantes, o transatlântico obteve a permissão da Capitania dos Portos para permenecer entre 10h e 20h parado na Baía de Ilha Grande. De acordo com o empresário Eduardo Galante, que é conhecido como a pessoa que conseguiu levar esse nicho do turismo para a ilha, os próximos navios poderão ancorar dentro da enseada, a apenas mil metros do pequeno cais de Abraão.

     

    Para os comerciantes o desembarque dos turistas significa muito dinheiro. “Em mais ou menos oito horas de permanência na vila, estimamos que as pessoas deixem, no mínimo, 45 mil reais”, comemora Galante, presidente do Ilha Grande Convention & Visitors Bureau. “Espero que no Island Star mais pessoas desçam. É fome de gastar”, diz.

     

    Galante só vê vantagens na visita de transatlânticos à Ilha Grande – que não tem resorts, grandes hotéis ou estrutura para absorver turismo de luxo, embora os preços dos serviços oferecidos em Abraão sejam sempre muito altos em função da presença quase majoritária de estrangeiros. Questionado sobre os impactos de tanta gente consumindo tudo que pode e abarrotando as praias em um curto espaço de tempo, o empresário assegura que a ilha comporta, e com folga, esse movimento. “Isso não é nada. A ilha recebe pelo menos duas barcas com capacidade para duas mil pessoas todos os dias. Quando os 1.700 passageiros do navio desembarcam em Abraão, eles praticamente somem”.

     

    Mas isso pode ser muita gente se somado ao movimento de cercade 12 mil pessoas em Abraão na época de Carnaval e Réveillon. São campistas e turistas de todas as classes sociais em busca de praias de águas límpidas, mas que há muito, nesses períodos, deixaram de ser aprazíveis. E, quando Galante lembra disso, diz que não quer ver a ilha superlotada. “O público de transatlântico é mais seleto, mais civilizado. Como há regras a serem seguidas dentro do navio, as pessoas sofrem uma 'educação interna' por lá”, diz. Diferente de quando desembarcam nas praias, onde nem sempre seguem esse tipo de conduta.

     

    Despreparo

     

    Até o fechamento desta edição, os policiais militares do Batalhão Florestal lotados em Ilha Grande e em Angra dos Reis não sabiam informar que tipo de atividades estão planejadas para o período de Natal e Ano Novo na ilha. Se acontecer como em anos anteriores, Abraão -- a maior vila, com cerca de 140 pousadas e principal ponto de chegada e saída de turistas -- corre o risco de ficar despatrulhada. Policiais contam que nesta época do ano costumam ser transferidos à cidade do Rio de Janeiro para reforçar a segurança durante o Réveillon em Copacabana, deixando Abraão totalmente desguarnecido.

     

    Segundo um policial que não quis se identificar, o Batalhão Florestal conta com no máximo quatro homens e em esquema de revezamento para patrulhar os 193 quilômetros quadrados de Ilha Grande. E, pelo andar da carruagem, pode ser que em mais este fim de ano reste apenas um em Abraão. “Essa é a época em que a ilha mais recebe gente. Ficamos sem controle”, diz. Sem barcos ou quaisquer veículos motores. É a pé que eles costumam fazer vistorias, sendo que hoje nem autuar crimes ambientais podem mais. Segundo ele, havia um convênio com o Ibama, que fornecia blocos de autuações, mas isso acabou e agora eles ficam de mãos atadas. Ou melhor, vazias.

     

    O assessor de imprensa e tenente coronel Leonardo, da Polícia Militar, diz que o convênio com o Ibama terminou e que é o órgão que deve apresentar uma nova proposta à Secretaria de Segurança Pública para ser reiniciado. O tenente coronel restringiu-se a dizer que o número de policiais militares na ilha é suficiente, e não quis responder à reportagem quantos homens estão lotados por lá. Também negou que os policiais sejam remanejados em ocasiões especiais. “Haverá um incremento principalmente no período entre o dia 26 de dezembro e 8 de janeiro, inclusive com a instalação de um posto ambiental na praia do Aventureiro”, informou.

     

    Tempo limitado

     

    A praia do Aventureiro é uma das mais procuradas por campistas e surfistas. É possível alcançá-la a pé, por longas trilhas, ou de barco, enfrentando mar aberto. Este ano há ainda uma situação inusitada. Ilegal desde que foi decretada a Reserva Biológica da Praia do Sul, em 1981, o camping na praia do Aventureiro está autorizado para 560 pessoas. O que ninguém sabe é de que maneira vão limitar o acesso dessas 560 pessoas - e não 570, 600, mil ou três mil pessoas - nesta pequena praia do lado oceânico da ilha, como por várias vezes já se constatou. A bióloga da Feema responsável pela reserva biológica, Norma Crud Maciel, ficou surpresa com o fato de o Ministério Público Estadual de Angra dos Reis estar obrigando a institutição a permitir camping numa unidade de conservação como aquela. “Pela primeira vez eu o vejo passando por cima do Snuc [sistema Nacional de Unidades de Conservação]”, reclama. “Eu esperava que o MP viesse violentamente em cima de nós, nos obrigando a desafetar a praia do Aventureiro da reserva. E nós responderíamos que é o Instituito Estadual de Florestas que pediu vistas ao processo e o mantém parado por um ano e meio”, explica a bióloga.

     

    Enquanto esse processo não anda por causa de uma outra proposta em curso para transformação da pequena praia de Aventureiro em Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS), os problemas ambientais continuam correndo em ritmo acelerado. “Houve um crescimento desordenado terrivel de bares. Aquilo lá está ficando um favelão”, explica Norma. E pelas mãos dos próprios moradores de Aventureiro que se dizem caiçaras e merecedores da RDS. “Caiçaras eles não são mais. Eu tenho uma lista com 12 casas que eles venderam, onde pessoas que não são da comunidade já estão morando. Vinte e dois deles têm residência em Angra, com geladeira, fogão, televisor, celular, como qualquer um de nós, e usam o terreno de Aventureiro para alugar a campistas”, diz.

     

    Procurada pela reportagem, a secretária de meio ambiente de Angra dos Reis, responsável pela região, não foi encontrada. Seu substituto, Leonardo Maltaroli, esquivou-se e pediu desculpas por não saber responder nenhuma pergunta sobre Ilha Grande porque está há apenas uma semana no cargo.

     

    Fonte: www.oeco.org.br

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  5 mais
    2. Silnei

      Silnei

      Deus Maria José!

       

      Ei Sandman,

       

      Parabéns pelas fotos. Isso me lembra um tópico que tinhamos aqui falando sobre "Grupos em Trilhas".

       

      Nossa hein! Que lamentável isso! Vão acabar com tudo mesmo!

       

      Esse tópico tinha que ir pra um tópico fixo lá no Papo Mochileiro pra servir de alerta pro pessoal que tá começando agora e acha que "Mochilar" é viajar dessa forma aí das fotos!

       

      Silnei

      •  
    3. Sandro

      Sandro

      É realmente deprimente nos depararmos com cenas como essas “numa trilha”, ainda mais sendo numa Área de Proteção Ambiental – (APA dos TAMOIOS).

       

      Esse processo não apenas vergonhoso mas CRIMINOSO se dá de duas formas:

      Durante a alta temporada “Reveillon, Carnaval e férias estudantis de julho” os turistas hospedados na Vila do Abraão ou apenas passando o dia se dirigem para Lopes Mendes pegando as escunas em Abraão que por R$ 10,00 os deixam na Praia de Pouso, onde se inicia a trilha.

      Cada escuna comporta em média 50 passageiros e os barqueiros fazem o possível para saírem com lotação máxima.

      Como a concentração de turistas está na casa dos milhares, durante a temporada são comuns várias escunas chegarem ao mesmo tempo em Pouso gerando grupos de dezenas a centenas de pessoas passando ao mesmo tempo na trilha.

      Durante o verão é comum ocorrer breves períodos de chuva no meio da tarde fazendo com que a maioria dessas pessoas em Lopes Mendes voltem quase todas ao mesmo tempo para Pouso.

      Por ser uma trilha muito “batida” e já bastante larga não tem forração vegetal nem a proteção das árvores fazendo com que o barro de tão pisado vire um sabão provocando este congestionamento humano que se segue nas fotos.

       

      Mas os problemas não param por aí... Tem muito mais! O leque da degradação ambiental aqui é amplo.

      Para a maioria dos viajantes, independente se são turistas de um cruzeiro luxuoso ou um mochileiro consciente de regras de mínimo impacto as fotos a seguir aparentemente não representam alguma ameaça:

       

      29-Caramujo-africano.JPG?et=%2BOhCmHxI6TD%2C869wWe%2CEkw&nmid=4459430426-Caramujo-africano.JPG?et=0RxAowfzHjuEMX6Z%2BayPmg&nmid=4459430424-Caramujo-africano.JPG?et=0HiGh2HUbN2Wh4H%2CjpQbSg&nmid=44594304

       

      Mas vamos saber mais sobre este bichinho, ignorados por muitos como um verme insignificante.

       

      "Este tipo de caramujo é bem conhecido na Ilha Grande, ele é um invasor, exótico, está em desequilíbrio ecológico e deve ser controlado.

      Esta espécie de caramujo é nativa do leste e nordeste africanos e chegou ao Brasil na década de 80, como alternativa econômica. A idéia inicial seria comercializá-lo a um preço inferior ao escargot.

      Importado ilegalmente, foi introduzido em fazendas no interior do Paraná e escapou para o meio ambiente, aclimatando-se em várias regiões brasileiras. Desde então, passou a ser chamado também de "falso-escargot". O caramujo africano é uma espécie exótica invasora. Tais espécies representam, atualmente, a segunda maior causa de perda de biodiversidade no Planeta, só perdem para os desmatamentos. Além das doenças que pode transmitir como a Angiostrongilíase meningoencefálica humana (que causa dores de cabeça e distúrbios nervosos) e a Angiostrongilíase abdominal (que causa perfuração intestinal e hemorragia abdominal), o caramujo ataca, destrói plantações e compete por espaços com outros moluscos da fauna nativa, podendo levá-los à extinção já que causam o desequilíbrio do ambiente. Ao aumentar sua população, os caramujos passam a dominar o território, expulsando os verdadeiros donos do lugar.

      As espécies expulsas não têm para onde ir causando o desequilíbrio ambiental. A partir daí outras pragas podem surgir, já que o ambiente perde seu controle no local. Para combatê-los a prefeitura e a população deve coletá-los e eliminá-los corretamente. Para efetuar as coletas, as mãos devem estar protegidas para evitar o contato da pele humana com a mucosa do caramujo. Estes caramujos devem ser colocados em sacos plásticos, amassados e enterrados com cal virgem, ou queimados, para evitar futuras contaminações. O trabalho para eliminá-los deve ser diário, até que se consiga reduzir significativamente a quantidade de caramujos.

      O controle do caramujo é a maneira correta de evitar o surgimento de doenças.

      Projeto Abelha - Natureza

      UFRRJ

      Letícia Mourão e Thiago Rodrigues e Cristina Lorenzon."

       

      27-Caramujo-africano.JPG?et=c4U%2CV1hlYmSm3Htz5SMDAw&nmid=44594304

      Na Ilha Grande o Caramujo africano foi introduzido no início da década de 80 por comerciantes que passaram a criá-los para atender “paladares refinados”, hoje é uma praga devastando a vegetação e provocando desequilíbrio biológico.

       

      Numa certa noite, ao abrir a barraca para sair me deparei com estes, e mais onze em volta dela.

      31-Caramujo-africano.JPG?et=%2CWltP1sbFMutqLnymi7qVw&nmid=44594304

       

      Para concluir esta série de fotos sobre poluição e degradação ambiental na Ilha Grande deixo um registro de lixo que encontrei num córrego que deságua na Praia de Santo Antonio e do entulho que está sendo acumulado por morador na estrada que liga Abraão a Dois Rios.

       

      Encontrei uma área de restinga na prainha selvagem de Santo Antonio destruída por acampamentos selvagens e em clareiras na mata além do lixo resultado de alimentação havia pedaços de rede de pesca, pedaços de isopor que são usados como bóia, frascos de óleo para motor e caixas plásticas quebradas utilizadas para transportar peixe.

       

      photo-129.jpg?et=a%2CwJ266I88htXzPHbktZbw&nmid=44715043

       

      Tem um trecho da estrada para Dois Rios que virou depósito de entulho de um morador, são fogões, máquinas de costura, restos de armários, forno de microondas e outras tranqueiras apodrecendo na estrada, não é nem ao lado dela é na estrada mesmo! Onde os carros de serviços públicos e pessoas passam no meio deste lixo.

      Estão lá há anos e nenhum fiscal da prefeitura, da FEEMA (Secretaria de Estado de Meio Ambiente), bombeiro ou outro morador se dignifica a tomar uma atitude para sua remoção.

       

      107-Estrada-para-Dois-Rios.JPG?et=7e137goUe1HtTAkQ8dh7Qg&nmid=44715043108-Estrada-para-Dois-Rios.JPG?et=l6vrtPLoG0bXvNSeCs4ePg&nmid=44715043

       

      Mais fotos da Ilha Grande acessem:

      http://docemundodeilusoes.multiply.com/photos/album/49

       

      http://docemundodeilusoes.multiply.com/photos/album/51/51

      •  
    4. edvandro

      edvandro

      É surpreendentemente impressionante o ponto em que os seres racionais chegam não é? Veja bem: antes os nativos viviam em prol de uma maravilha abençoada por Deus, hoje estes mesmos fazem parte da modernização e capitalização de tudo, seja de qual maneira for ou o que for... Triste, muito triste. O que deveria ser um local onde simplesmente a conexão com o puro e celestial fosse completamente assídua, agora vimo-nos indo preocupados com o que nos espera... Triste mesmo... Estou tão chocado com isso que sequer consigo colocar em palaras os milhões de pensamentos que cercam minha cabeça....

       

      =/

      •  
  23. Embora eu nao fosse aquela aclamada fa do Senhor dos Aneis, depois de reassistir a versao extendida, 6 cds com aproximadamente 1,40 minutos cada devo considerar que foi um dos filmes mais bem elaborados que ja vi. O filme levou cerca de 4 anos para ser finalmente exposto para o mundo e o seu diretor (Peter Jackson, new zealandes de Wellington, capital da NZ) teve diversas decepcoes antes de conquistar os diversos oscars em Hollywood. O filme contou com cenas de praticamente toda a Nova Zelandia e o tour que realizei era sobre Edoras, a capital de Rohan que voce podera ver no segundo filme, Duas Torres. O palacio em Edoras particularmente e o cenario levaram 11 meses para ficar prontos e muitos kiwis viajavam ate la com binoculos para acompanhar o processo.

     

    A cena foi montada no Monte Sunday, que fica nos arredores de Methven aproximadamente 2 horas de Christchurch na Ilha Sul. Methven e uma vila que torna-se point para os amantes de Sky e Snowboarding no inverno. A empresa que realiza esse tour e a Hassle Free Tour e eu diria que embora seja um tour bem salgado (Voce paga 199,00 dolares com direito ao tranporte 4x4 que vai ate a sua acomodacao, lanche, camiseta e todo o comentario sobre o filme) vale a pena pelo visu. Alem disso e uma area particular que sozinho voce nao teria acesso. Ate os diretores do filme tiveram que realizar diversas negociocoes com os fazendeiros justamente por ser uma area altamente rural.

     

    Embora estejamos no meio do verao, por ser uma altitude alpina a temperatura estava 3 graus e de repente aquela nuvem carregada se aproximou da gente com chuva de gelo. Depois de atravessar rios e vales com ovelhas voce chega ate o Monte e o visu e de encher os olhos. Todos cenarios e objetos utilizados no filme foram retirados apos o fim da filmagem. Esse foi o acordo realizado: a natureza deveria voltar ao seu estado natural. Ao chegar no topo do Monte voce tem um visu 360 graus com montanhas cobertas de neve e faz com que voce entenda o porque que o diretor resolver construir as cenas la.

     

    Bom, o segundo tour foi seguido pelo Rafting no Rangitata River, tambem set de uma das cenas do filme. Eu fiz rafting 3 vezes na minha vida mas esse foi hardcore. A agua do rio vem do derretimento das geleiras e e azul clara. No inicio voce tem 30 minutos de rio plano e com as explicacoes do guia. O nosso grupo era composto por um grupo de japoneses e coreanos que so reclamavam do frio da agua e mal sabiam remar. O guia resolver eleger Marlon e eu como lideres. Depois que comecaram as ondas, nao parou mais. O nivel de rafting comeca no 3 os ultimos sao nivel 5. Quando eu vi a primeira onda, e o guia gritando "Em frente, em frente" eu confesso que a unica coisa que eu queria era ir dentro do bote. Foi assustador. No meio da trip, voce pula de uma altura de 10 metros na agua congelado e depois disso ja nao estava sentindo meus dedos. Voltamos para o bote e depois de um break, o guia gritou: Surfing. Eu sabia do que se tratava pois tive isso em outros raftings e pensei: o tour esta no fim, essa e uma manobrazinha chata. Basicamente para quem nao fez rafting existe uma pedra plana em que a agua forma uma especie de cachoeira e o guia conduz o bote ate essa area para surfar. Contudo quando o bote tocou essa superficie, a parte de tras do bote levantou e todos que estavam na parte esquerda cairam incluindo eu. Gente, a unica coisa que lembro era eu tentando me agarrar na corda do bote e tentando tirar a minha cabeca daquele "liquidificador" para respirar. Eu so vi o Marlon tentando me agarrar e o guia tentando ajudar os outros. A forca da agua foi tao forte que nao pude me agarrar muito tempo e soltei a corda e fui me distanciando do bote ate que o guia me deu o remo e fui puxada para dentro do barco tossindo como uma louca. Olha, posso dizer que essa parte nao foi tao engracada...Mas no final depois de um banho quente e um churrasquinho (claro que nao o nosso brasileiro, mas enfim) demos boas risadas da cena.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  5 mais
    2. Mary Rocha

      Mary Rocha

      Olá Van,

       

      Tenho certeza que quando vier a Nova Zelândia, terá uma experiência fantástica. O país esbanja beleza natural e atividades para se fazer, tanto no inverno como no verão.

       

      Quando vier para cá, não deixe de me contatar. Será um prazer lhe dar várias dicas!

       

      Forte abraço!

       

      Mary Rocha

      www.nzega.com

      •  
    3. MuriloO

      MuriloO

      Sou fã de Senhor dos Anéis, um dia ainda conhecerei esses lugares!

      •  
    4. Van Magnin

      Van Magnin

      Olá Van,

       

      Tenho certeza que quando vier a Nova Zelândia, terá uma experiência fantástica. O país esbanja beleza natural e atividades para se fazer, tanto no inverno como no verão.

       

      Quando vier para cá, não deixe de me contatar. Será um prazer lhe dar várias dicas!

       

      Forte abraço!

       

      Mary Rocha

      http://www.nzega.com

       

      Também acho! =)

      Obrigada, pode deixar... =)

      •  
  24. 9216_foto1_1.jpg

     

    Enfim, a estrada!

     

    Para iniciarmos a Expedição Redescobrir foi necessário chegar até Porto Velho, de onde lhes escrevo. Partimos de Londrina dia 24 pela tarde e enfrentamos nada mais nada menos que 48 horas de ônibus. Bom começo, já que houve tempo suficiente para reoganizar o sentimento interior para enfrentar o longo caminho que teremos a seguir.O trajeto foi Londrina - Presidente Prudente - Campo Grande - Cuiabá - Vilhena - Ariquemes - Porto Velho, ou seja, passamos pelos estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia e o ônibus deve ter realizado, se não errei na conta, 3830 paradas!!!!

     

     

    A paisagem foi transformando-se muito ao longo do caminho. Nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, muitas plantações de soja, plantações gigantecas, que não deixam ver onde começa nem onde acaba! Fiquei pensando, ora, como pode o maior produtor de soja do mundo ter pessoas sofrendo de fome??? Ah, será que a soja não é alimento de gente?Cruzamos os Parecis, entre o estado do Mato Grosso e Rondônia e essas paisagens me despertaram fascínio. Lindas escarpas, montanhas e um lindo pôr-do-sol para comtemplar!No estado de Rondônia, prevalece a pecuária, tanto é que, ao pechinchar no restaurante dizendo que não queria comer a carne o dono surpreendeu-me dizendo que para ele a salada gera mais gastos do que a carne, já que esta tem de ser trazida dos estados do sul enquanto a carne é produzida em alta escala na região.

     

    Chegamos em Porto Velho e fomos direto para o mercado Cai N´agua onde compramos as passagens de barco para Manaus por R$80. Um ótimo preço... é claro que com muita conversa...Já passamos a noite dentro do barco, que está ancorado onde estão as ruiínas da estação de trem Madeira-Mamoré, que surgiu e desapareceu junto com um surto de desenvolvimento desta região.

     

    É incrível mesmo as dimensões deste país. Tente visualizar quantos países teríamos cruzado se fizessemos esta travessia num continente como o europeu. No entanto, aqui todos falamos a mesma língua, ouvimos as mesmas músicas, torcemos pelos mesmos times. É incrível! Só comemos coisas diferentes e falamos um pouco diferente, mas é difícil crer que vivia no país destas pessoas que habitam as margens do Rio Madeira.

     

    Ah, como fomos prevenidos com nossa comida para não gastarmos durante o caminho, sempre que o ônibus parava sacavamos nossos pães, bolos, etc e saciávamos muito bem nossa fome... o que logo nos rendeu o apelido de farofeiros... e nem levamos frango assado hein!Também logo que entramos no ônibus, a moça simpática que sentava ao nosso lado de cara perguntou "Vocês são turistas né??". Turistas?!? Hummm..acho que não...

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  17 mais
    2. marcia andreia

      marcia andreia

      QUERO CHEGAR A BOCA DO ACRE ,PARTINDO DE VISCONDE DE MAUA .E A PRIMEIRA EXPEDIÇAO MINHA DE BIKE .COMO FAÇO PARA TRAÇAR AS ROTAS .TERA UM SIMULADOR DE ROTAS ,QUE DESCONHEÇO...JA MANDEI MAIL PARA AS SECRETARIAS DE TURISMOS DOS ESTADOS QUE VOU ATRAVESSAR E ATE AGORA NADA DE RESPOSTA.QUANTOS KM DA PÁRA FAZER EM UM DIA . ESTOU NA FAZE DO SONHAR ,MAIS HEI DE REALIZAR .QUERO CHEGAR PARA UM ENCONTRO EM JUNHO A 9HORAS DE VOADEIRA DE BOCA SAO 3850KM MAIS OU MENOS ,SERA EM QUANTOS DIAS QUE GASTO ,ESSAS PREGUNTAS .QUE VC QUE LER, PODENDO AJUDAR ? AGRADEÇO ,NO AGUARDO E ABRAÇO.....

      •  
    3. leolavalle

      leolavalle

      Sou novo no fórum me cadastrei hoje, mas essa viagem foi sensacional parabéns aos dois que fizeram esse longo trajeto, a coragem, força de vontade... Realmente são vencedores, n sei se teria coragem de fazer uma viagem destas, mas da muita vontade... Você soube detalhar cada trajeto... Novamente parabéns...

      Abraços

      •  
    4. Guaxinim Amigo

      Guaxinim Amigo

      Excelente relato sobre um roteiro exótico e de difíceis obstáculos.

       

      Observei em algumas fotos no início uma bike de garfo rígido. Haja braço, hehehehe....

       

      O importante é pedalar e quanto mais longo o roteiro, melhor.

       

      Parabéns! ::otemo::

      •  
  25. :arrow: FONTE: Brasil Online

    http://www.bol.com.br

     

    [align=Justify]A nova Lei da Nacionalidade de Portugal, que facilita a aquisição da cidadania portuguesa por parte de filhos e netos de portugueses, entrou em vigor nesta sexta-feira - 15 / 12 / 2006.

    Segundo a nova lei, publicada quinta-feira no "Diário da República" --o diário oficial português--, os filhos de mãe portuguesa ou pai português que pretendam adquirir a nacionalidade portuguesa devem emitir uma declaração de que querem a cidadania lusa ou devem inscrever seu nascimento no registro civil de Portugal.

     

    As declarações devem ser encaminhadas à Conservatória de Registos Centrais. Atualmente em funcionamento apenas em Lisboa, a Conservatória --órgão responsável pela gestão de trâmites que digam respeito à nacionalidade portuguesa-- terá suas atribuições descentralizadas.

    A nova lei prevê a "possibilidade de serem designadas entidades públicas, associações ou outras entidades privadas para prestar informações sobre o tratamento e a instrução dos pedidos de (...) nacionalidade e encaminhar as respectivas declarações e requerimentos para a Conservatória de Registos Gerais".

     

    Netos

     

    A nova lei concede também a naturalização portuguesa aos "indivíduos nascidos no estrangeiro com, pelo menos, um ascendente do segundo grau da linha reta [netos] de nacionalidade portuguesa e que não tenham perdido essa nacionalidade".

    Contudo, o governo estabelece alguns requisitos, como o conhecimento da língua portuguesa e não terem sido condenados a penas de prisão igual ou superior a três anos.

    No ato da solicitação, é necessário apresentar atestado de antecedentes criminais e provas de domínio do idioma. No caso de países de idioma oficial português, basta um certificado da escola que freqüentou.

     

    Filhos de estrangeiros em Portugal

     

    Os filhos dos imigrantes nascidos em Portugal também poderão tornar-se portugueses a partir da nova Lei da Nacionalidade.

    Entre as alterações previstas na nova lei de atribuição e aquisição da nacionalidade portuguesa, destaca-se o "reforço do princípio do ius solis", diz o texto da lei.

    O documento afirma que foi levado em consideração o fato de que "muitos descendentes de imigrantes, embora sendo estrangeiros, nunca tenham conhecido outro país, além de Portugal, onde nasceram".

     

    "Neste contexto, pela nova lei é atribuída a nacionalidade portuguesa de origem aos nascido no território português, filhos de estrangeiros, se pelo menos um dos progenitores aqui tiver nascido e aqui tiver residência, independentemente do título, ao tempo de nascimento do filho", indica o diploma.

    A nova lei abrange também "os nascidos em território português, filhos de estrangeiros que se não encontrem ao serviço do respectivo Estado, se declararem que querem ser portugueses, desde que no momento do nascimento, um dos progenitores aqui resida legalmente há pelo menos cinco anos".

     

    Os menores filhos de estrangeiros e nascidos em Portugal podem ser naturalizados se, "no momento do pedido, um dos progenitores aqui residir legalmente há cinco anos ou se o menor aqui tiver concluído o primeiro ciclo do ensino básico".

    Para efeitos de atribuição ou aquisição de nacionalidade, a nova lei permite que a prova de residência seja feita através de qualquer título válido e não mediante documento específico, chamado Autorização de Residência, como até aqui.

     

     

    Informe oficial:

     

    NACIONALIDADE PORTUGUESA / REGULAMENTO

    @ Decreto-Lei n.º 237-A/2006, de 14 de Dezembro de 2006 / Ministério da Justiça. - Aprova o Regulamento da Nacionalidade Portuguesa e introduz alterações no Regulamento Emolumentar dos Registos e Notariado, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 322-A/2001, de 14 de Dezembro. Diário da República. - S.1 n.239 1.º suplemento (14 Dezembro 2006), p.8388-(2) a 8388-(16). http://www.dre.pt[/align]

    •   
    1. Tina.S.

      Tina.S.

      oooi, deixei uma msg em teu perfil sobre este tópico, se puderes me responder, muito te agradeço =)

      •  
  26. eu já fiquei no Ciudad Vieja, US$10 a diária, fica bem no centro velho, perto do porto, da av. principal, o pessoal que trabalha lá é bem simpático, 2 computadores com acesso grátis, café da manhã com pão frances, come quanto quiser, e certos dias da semana eles fazem jantar de pizza e chevitos (acho que é assim que escreve). Só tome cuidado à noite, eles recomendam não andar sozinho de madrugada, principalmente na região do porto.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  61 mais
    2. perlamundo

      perlamundo

      A principios de Janeiro:

       

      Todo mundo està en Rocha: Valizas, Punta del Diablo, La Pedrera, Camping en Parque Santa Teresa,

      es allì donde està la movida. Los jòvenes de Uruguay todos, absolutamente todos salen de ferias para esos lugares.

      Si vienes desde Porto Alegre, es posible decer del bus en Chuy

      •  
    3. claudita900

      claudita900

      Recomendo Dolce vita Hostel!

      é bem legal, o pessoal, o ambiente...

      alguns finais de semana fazem festinhas, dependendo do ambiente dos viajantes

      da para ir a pé ao centro e as ramblas

      •  
    4. maribah

      maribah

      Pessoal, no ano passado acabei ficando no Centro mesmo, no BB Casa Sarandi. Eu adorei! Pode ser um pouco caro pra algumas pessoas, mas como estávamos indo de casal e fomos aproveitar pra descansar um pouco, foi ótimo. Os donos são super simpáticos e solícitos. Adorei ficar no Centro e poder fazer tudo a pé. Além disso, ali na frente passam todos os ônibus que rodam a cidade toda. Aqui está o site deles http://www.casasarandi.com/

      •  
  27. Galera, na boa...é legal viajar barato e tals...mas, recentemente eu viajei de rio branco para belém parando em porto velho, manaus e santarém...e advinhem o que foi servido em cada trecho????

     

    Uma maxi bananinha pra quem acertar. E o pior é que, na volta vou fazer o mesmo percurso...

     

    Sei que isso não é certo, mas estou pensando seriamente em explodir a linha de produção da Bauducco de bananinha, ao menos eles trocam para o maxi chocolate...

     

    Se tiver alguém na mesma situação, me avisa, vamos rachar a pólvora....

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  6 mais
    2. Ever

      Ever

      Na Europa as companias 'low fare' como a GOL não servem nem água ... tudo é pago e em geral mais caro que os cafés do aeroporto. Então ... aproveite a barrinha e a bananinha e também o suco ou refrigerante ... pode ser que isso também seja cortado. ... :o)

      •  
    3. viajandu

      viajandu

      Quem sabe agora eles melhoram um pouco o servico fornecendo um produto novo da balducco, o Maxi-maca com canela.

      •  
    4. ogum777

      ogum777

      puts, aquelas maletinhas... eu tive tb! (olha eu entregando a idade!) nessa época os talheres usados em võo eram de metal (acho que só a tam ainda adota isso) e aquelas maletinhas cheias de potes, copos, talheres... até a garrafinha de vinho, devia ser de uns 250 ml.

       

      uma vez eu e meus irmãos saímos do vôo com duas daquelas maletas, pra cada um. na cabeça de criança, virava maleta de agente secreto.. hahahaha

       

       

      o fato é que uma refeição servida nas alturas tem um custo gigantesco. é uma logística fenomenal. a tendência é isso diminuir cada vez mais mesmo. imaginem se não fosse uma gol ou uma BRA, como estaria o mercado aéreo brasileiro? mesmo pra turma que viaja a trabalho: já vi neguim fazendo a conta e concluindo que, se pagar as passagens pela TAM pro funcionário ir prestar um serviço em um determinado local, nem vale à pena pegar o serviço.

       

      []s

      •  
  28. Alguém conhece? Vale a pena?

     

    Como estou indo de onibus até Ushuaia, creio que Puerto Madryn é uma parada estratégica. Se alguém conhecer e tiver sugestões, eu agradeceria.

     

    Abraços

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  158 mais
    2. D FABIANO

      D FABIANO

      @filiperocha Agência do Pancho,fiz Valdes com essa arriero ,mas depois que conheci o Pancho não quis outra vida.Pena não poder voltar ao país por questões ideológicas. 

      Tem muito o que ver lá,além da Península, há uma grande colônia de pinguins há cerca de 60Km ao Sul,a cidade de Trelew,aonde fica o aeroporto, tem um museu imperdível

      Também há a capital,Rawson,aonde há um passeio de barco para ver as orcas dentro do mar.

      Tudo o que há está em www.welcomeargentina.com

      •  
    3. filiperocha

      filiperocha

      Fabiano, obrigado pela pronta resposta!

       

      É que vejo muita gente passando por Madryn na volta de Ushuaia ou em um roteiro de vaaarios dias pela Argentina, e eu não teria essa disponibilidade.

       

      Iria para Buenos Aires, e de lá, embarcaria para Trelew apenas para conhecer Madryn e região (Punta Tomo, Peninsula Valdes, todos aqueles bate-volta que saem de Madryn).

       

      Nunca vi uma relato de alguem que tenha ido apenas para conhecer Porto Madryn, por isso indaguei se valeria a pena todo o deslocamento pra conhecer só esse destino, sem fazer o restante da Patagonia (Ushuaia, por exemplo) na mesma viagem

      •  
    4. D FABIANO

      D FABIANO

      @filiperocha Eu morava em Chile,fazia essa região em feriados ou em férias mesmo.Por isso conheço bem.Uma vez,já doente,peguei um ônibus em Santa Rosa e fui descendo.Conheci tudo,com a minha Lu eu tinha vida,infelizmente nada é eterno,mas conheci tudo. 

      •  
  29. Olá Galera,

     

    Passei a tarde toda procurando na net tipos de lonas para proteger a barraca do sol, porém não estou achando nada especial para o que quero. Estou viajando no fim do ano pra Pratigi/Bahia e vou ficar acampado na praia num festival de trance.

     

    Tipo que no último festival que fui vi várias barracas que ficavam protegidas pelo sol por uma espécie de lona que fazia sombra. Sempre acampei e tem um tempão q tenho a barraca e só agora resolvi cuidar melhor da pobrezinha.

     

    Como eu devo mochilar depois não estava querendo comprar daquelas lonas amarelas q são pesadassas e oculpam muito espaço, não queria das pretas convencionais pois se diferem muito pouco nesses dois quesitos e ainda por ser pretas esquentam bastante o ambiente, portanto, alguém sabe me informar algum tipo de material diferente utilizado para o que eu preciso? Meu intuito é simplesmente diminuir o sol incidente na barraca e deixar um pouco menos desconfortável por causa do calor, não necessariamente o "toldo" tem que ser bom pra chuva!

     

    Valeu pela atenção!!!

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  67 mais
    2. Gibelli

      Gibelli

      Vou acampar no Rio agora no final de Janeiro e provavelmente enfrentarei chuva.

      Farei como o viniciuspnc mostrou nas fotos.

       

      Assim que voltar dou o feedback para vocês!

      •  
    3. orlando.schindler-junior

      orlando.schindler-junior

      Caros colegas do fórum,

       

      Fico fascinado com a quantidade de informações de áreas específicas presentes em um fórum -- como esse -- de acesso livre e movido pelos ideais de ajuda mútua e respeito ao próximo.

      Ademais, tenho uma dúvida que acredito que possa ser tirada aqui, haja vista o vasto conhecimento de alguns membros: estou à procura de uma tenda de praia (com o intuito de sombrear-me enquanto curto o som do mar sentado em minha cadeira de praia) que seja resistente aos ventos praianos. Cabe observar ainda que uma vez comprei uma cuja marca nem lembro mais; simples e barata, mas de qualidade baixíssima -- teve sua estrutura entortada no terceiro dia de uso, após umas rajadinhas de vento.

      •  
    4. IgorMendesdaSilva

      IgorMendesdaSilva

      Utilizo ferragem igual com uma lona de 6 x 5 - ver imagem

      20100110125701.jpg

      Pra mim fica perfeito e ventilado.

      Amigo, gostaria de saber onde comprar ferragens, como comprar?

      •  
  30. Oi pessoal, o meu nome é Fernanda e sou nova aqui!!

    Vou para a Patagônia agora dia 20 de dezembro e gostaria de saber se dá pra comprar as roupas por lá, anorak, casacos e etc. Me informaram que em Ushuaia tem tipo um mercado que vende roupas a um preço mais barato. Será que alguém sabe algo sobre isso?

    Obrigada

    Fernanda

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  92 mais
    2. carol.roliveira

      carol.roliveira

      Pessoal, só gostaria de colaborar para esse tópico com minhas compras.

      Comprei todas as roupas da Columbia pelo Ebay!

      Comprei calça impermeável OminiTech e as Melhores jaquetas, ou parkas, de inverno ::Cold:: (aquelas com 2 camadas, que já vem com o fleece).

      Como comprei no Leilão (bid), acabei arrematando 4 jaquetas pra mim ::mmm: , (uma delas foi para o Mercado Livre, quem quiser: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-608600217-jaquetacasaco-feminino-neveski-columbia-omnitech-m-_JM), um exagero óbvio, mas saiu muito mais barato do que comprar tudo aqui.

      Comprei 5 peças (4 jaquetas e 1 calça), o que deu já com IOF, tx do dólar e frete, R$607 (R$121 por peça); As masculinas, um pouco mais caras, sairam R$177,00 a peça, ou seja, tudo de primeira linha, columbia, usado é claro, porém por um preço ótimo.

      A maioria não envia para o Brasil, mas usei um serviço de encaminhamento de encomendas (Box4World) que enviou tudo pra mim certinho!

      Fica a dica!

       

      Vejam as fotos:

      $_57.JPG?rt=nc

      $_57.JPG

      $_57.JPG

      $_57.JPG$_57.JPG?rt=nc

      •  
    3. Iara no mundo

      Iara no mundo

      Alguém sabe de loja em porto alegre para compra anorak e bota barata rs...para ir para a Patagônia?

      •  
    4. Patmattos

      Patmattos

      Oi gente... estamos indo no fim de julho e início de agosto para a patagonia (puerto madryn, el calafate, ushuaia) e compramos as roupas todas na decathlon: a primeira camada térmica (blusa e calça)... a segunda camada seria um fleece e a terceira um casaco impermeável (para neve), além de calça de ski, meias para neve e duas luvas.... uma mais leve e uma de ski.... gorros tb..... gostaria de saber se isso é suficiente ou precisamos de mais.... e também, além da calça térmica e a de ski..... se precisamos de outra calça e qual poderia ser..... obrigada

      •  


×
×
  • Criar Novo...