Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Novos Tópicos

Visitante
What's on your mind?
  1. A Rota mais conhecida é KTM para Lhasa, mas o contrario tambem pode ser feito e deve ser mais barato. Pode ser feito de Jipe, bike, moto...

    Tem posto da imigração em 3 pontos se nao me engano.

    Não é perigoso, a não ser pela falta de habilidade dos motoristas chineses...rs

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  32 mais
    2. Ladakh

      Ladakh

      Ótimas dicas. Essa permissão da China para o Tibet eh fácil de conseguir atualmente?

      •  
    3. heka

      heka

      Cada vez muda a situação do permit lá. AS vezes mais rigido as vezes mais frouxo. Tente falar com o Sim guesthouse en Chengdu pra verificar a atual situação.

      •  
    4. izinhapinheiro

      izinhapinheiro

      Olá galera,

       

      Quem fez o tour para o Tibet e Everest pode me dar uma dica de qual empresa contratar? Vejo várias empresas na internet mas não sei qual escolher, queria alguma referência.

       

      Obrigada!

      •  
  2. Opá.. to pensando em pegar esse trem até Vitória, subir pra Itaúnas, e depois Arraial D'Ajuda.. :wink: agora em Abril..

    Uma pergunta, vende cerveja no trem?? Ou então, dá pra ir comprando entre uma estação e outra? :wink:

     

    Valew moçada..

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  58 mais
    2. wanderluster

      wanderluster

      Estou planejando ir pra Minas mês que vem e depois iria pra Vitória, acabei de descobrir sobre esse trem, não fazia ideia! Acho que não é o mais prático, mas seria algo diferente e estarei de férias mesmo, então tenho tempo.

       

      Só pra confirmar, o trecho então seria BH - Cariacica (Pedro Nolasco), certo? De Cariacica eu precisaria ir ou pra Vitoria ou pra Anchieta, apesar de já ter ido diversas vezes pro ES, nunca passei por Cariacica, é fácil fazer esse trecho (Cariacica-Vitória) à noite mesmo que de ônibus? Pelo o que vi, o trem chega lá bem tarde...

      •  
    3. hakman.pacheco

      hakman.pacheco

      Estou planejando ir pra Minas mês que vem e depois iria pra Vitória, acabei de descobrir sobre esse trem, não fazia ideia! Acho que não é o mais prático, mas seria algo diferente e estarei de férias mesmo, então tenho tempo.

       

      Só pra confirmar, o trecho então seria BH - Cariacica (Pedro Nolasco), certo? De Cariacica eu precisaria ir ou pra Vitoria ou pra Anchieta, apesar de já ter ido diversas vezes pro ES, nunca passei por Cariacica, é fácil fazer esse trecho (Cariacica-Vitória) à noite mesmo que de ônibus? Pelo o que vi, o trem chega lá bem tarde...

       

      Então cara é uma viagem bem legal, demorada mais com certeza vale a pena e passagem é barata do que a de ônibus. O vagões hoje em dia são todos fechados climatizados então as velhas historias de chegar todo sujo de mineiro acabou kkk, Na classe executiva tem até WIFI caso for uma necessidade pra você.

      O trecho é esse sim sendo que faz varias paradas no caminho então dependendo aonde você estivar em Minas não vai precisar de ir em BH pra pegar o trem. Pra você ir pra Anchieta você terá que pegar ônibus neh, a Rodoviária de Vitoria é bem próximo(outro lado da ponte kk) então pelo horário de chegada que sem atrasos é envolta das 22horas vale apena você pegar um Taxi para rodoviária por segurança, acredito que deve encontrar um horário de onibus que bate com chegada do Trem.

      Espero ter ajudado se não tiver sido tarde, Sou de Vila Velha moro em uma da paradas do Trem em minas,Ja andei muito nesse trem e recomendo muito a viagem é muito calma pra quem não ta com pressa é ótimo. Para mais informações como preço e tal pode visitar a Pagina da VALE http://www.vale.com/brasil/PT/business/logistics/railways/Passenger-Train-Vitoria-Minas/Paginas/default.aspx

      •  
    4. drika.bourquim

      drika.bourquim

      Fiz essa viagem semana passada com meu namorado e recomendo a experiência.

      Compramos antecipadamente pela internet na classe executiva ( recomendo pelo conforto da poltrona, tomada e ar condicionado, wi-fi não funcionou) pelo site da empresa ( http://www.vale.com/brasil/PT/business/logistics/railways/trem-passageiros/Paginas/default.aspx).O bilhete custou 100 reais.

      Chegamos com antecedência de quase uma hora e o embarque para compras pela internet é mais rápido do que o embarque de quem compra na bilheteria.

      O trem parte pontualmente as 07h30, achei incrível, portanto não se atrase senão literalmente você perde o trem.

      A viagem é demorada mesmo, treze horas e com trinta paragens.

      Não é possível descer nas estações para dar uma olhada, tomar um café ou algo do tipo. Normalmente essas paradas acontecem entre um e dois minutos, a mais longa foi em Governador Valadares, 8 minutos.

      Se você pensava que poderia comprar algo nessas estações, esqueça e leve o que quiser usar e/ou consumir.

      Há um vagão lanchonete muito disputado logo que o trem inicia a viagem, depois fica mais tranquilo. Os preços são honestos ( pão de queijo R# 3,25, suco R$ 4).

      Há um vagão restaurante com pratos a partir de R$ 18 ( filé de frango) até R$ 25 ( parmegiana), achei a comida decente, você pode encomendar seu prato e comer na sua poltrona a partir das 11h ou frequentar esse vagão a partir das 11h30, o serviço encerra o atendimento as 13h, eu achei a comida decente.

      A viagem é tranquila, a paisagem é bem bonita e o ambiente familiar.

      Banheiro sempre limpo, esquema banheiro de avião. Leve lenço umedecidos ou seu papel higienico, há papel no local mas a reposição não é imediata e a qualidade é primavera versão branca.

      Gostaria que os vidros dos vagões fossem limpos, suas fotos sempre sairão com o efeito do vidro sujo (encardido) do trem.

      •  
  3. Este topico é pra reunir a galera do Brasil e do Mundo que esta nós dois movimentos Rotaract e Mochileiros

     

    O ideal de servir e de viajar

     

    icon_paperclip.gifDownload Attachment: Rota.jpg

    40,08 KB

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  1 mais
    2. Gabriel_lost

      Gabriel_lost

      alguém sabe me explicar oq é rotaract?

       

      eu boiei nesse tópico

      •  
    3. Ivan Garcia

      Ivan Garcia

      Dois! também num entendi nada. :roll:

      •  
    4. jmsoldera

      jmsoldera

      É um clube de serviços, internacional

       

      Leia isso, vai compreender

       

      http://www.omirbrasil.org.br/?ID=254

       

      Abraços

      •  
  4. Saint Vincent nao eh a ilha onde foi gravado Piratas do Caribe??

    Sempre quis saber onde fica, como chegar...para um futura trip!! Hehe!! Vou ficar de olho aqui pra ir anotando as dicas. Vou aproveitar pra ver se descubro alguma coisa tbm!!!

    Aquele lugar eh mto lindo....

    Ah....pra quem assistiu o filme...akela ilha q o Barbossa deixa o Jack (o pirata doidao) e a Elizabeth pra morrer eh de Saint Vincent??? Se for eu quero ir pra la mais ainda!! Nunca vi lugar tao lindo como aquele!!

     

    Entao....se eu achar alguma coisa posto aqui.

     

    []'s!

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  7 mais
    2. _Paulera_

      _Paulera_

      É uma rede social formada por pessoas do mundo inteiro que adoram viajar e fazer novas amizades.

       

      São pessoas hospitaleiras que na maioria da vezes oferecem suas casas como alojamento para quem está viajando ou marcam encontros palara se conhecer, visitar locais turiscos, baladas e etc.

      •  
    3. Visitante Andre_Franca

      Visitante Andre_Franca

      exato e é importante que vc tenha uma pagina bem elaborada e convincente! ;)

      •  
    4. Visitante Andre_Franca

      Visitante Andre_Franca

      179821_10150109258059556_2556934_n.jpg

       

      179821_10150109258079556_6201497_n.jpg

       

      179821_10150109258074556_5910574_n.jpg

       

      185869_10150109269124556_2364945_n.jpg

       

      185869_10150109269139556_6850103_n.jpg

       

      185939_10150109291699556_4213329_n.jpg

       

      181519_10150109292804556_549617_n.jpg

       

      185939_10150109291704556_3912829_n.jpg

      •  
  5. 200638145653_DSC03414.JPG

    Vista do Abraão

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  4 mais
    2. Kah_Littrell

      Kah_Littrell

      ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!

       

      saudadeeeeeeeee de abraaaaaaaaoo!!!

      •  
    3. eliasjcj

      eliasjcj

      Gabriel, 20 páginas não................ daria um livro[:D][:D]

      •  
    4. Nando

      Nando

      Vem K!!

      Acabou a história???

      Se eu não me engano alguém aí falou que daria um livro... e ainda não passou de 6 posts...rsrrs

      •  
  6. Embaixada do Brasil na Dinamarca

     

     

    DINAMARCA

    Embaixada do Brasil em Copenhague

    Ryvangs Alle, 24

    2100 Kobenhavn O, Danmark

    tel. ( 00xx45) 3920-6478

    fax.( 00xx45) 3927-3607

    e-mail: [email protected]

    •   
    1. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Embaixada do Brasil na Dinamarca

       

       

      DINAMARCA

      Embaixada do Brasil em Copenhague

      Ryvangs Alle, 24

      2100 Kobenhavn O, Danmark

      tel. ( 00xx45) 3920-6478

      fax.( 00xx45) 3927-3607

      e-mail: [email protected]

      •  
    2. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Embaixada da Dinamarca no Brasil

       

       

      EMBAIXADA DA DINAMARCA EM BRASÍLIA - BRASIL

      Endereço: SES - Av. das Nações - Qd. 807 - Lote 26 - Brasília - DF - Brasil - CEP: 70416-900

      Telefone: (0**61) 443-8188 - Fax: (0**61) 443-5232

      Expediente: Segunda a Quinta 09:00 - 17:00 - Sexta 09:00 - 14:00

      E-mail: [email protected]

       

      CONSULADO DA DINAMARCA SO SÂO PAULO - BRASIL

      Rua Oscar Freire, 379 3 And. CJ 31

      Cerqueira Cesar - São Paulo.

      Tel: (0**11) 3061-3625

      •  
  7. Embaixada do Brasil na Finlândia

     

     

    FINLÂNDIA

    Embaixada do Brasil em Helsinque

    Itainen Puistotie 4 B 1/2

    00140 Helsinki - Suomi - Finland

    tel. (00xx3589) 17-7922

    fax.(00xx3589) 65-0084

    e-mail: [email protected]

    •   
    1. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Embaixada do Brasil na Finlândia

       

       

      FINLÂNDIA

      Embaixada do Brasil em Helsinque

      Itainen Puistotie 4 B 1/2

      00140 Helsinki - Suomi - Finland

      tel. (00xx3589) 17-7922

      fax.(00xx3589) 65-0084

      e-mail: [email protected]

      •  
    2. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Embaixada da Finlândia no Brasil

       

       

      EMBAIXADA DA FINLÂNDIA EM BRASÍLIA - BRASIL

      Endereço: SES - Av. das Nações - Qd. 807 - Lote 27 - Brasília - DF - Brasil - Cep: 70417-900

      Telefone: (0**61) 443-7151 - Fax: (0**61) 443-3315

      Expediente: Segunda a Quinta 08:30 - 17:00 - Sexta 08:30 - 14:15

      E-mail: [email protected] - HTTP: www.tba.com.br/finlandia

       

      CONSULADO GERAL HONORÁRIO NO RIO DE JANEIRO - RJ

      ENDEREÇO:Praia do Flamengo, 344 - 9 Andar - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ - Brasil - Cep: 22210-030

      Telefone:(0**21)2553-5505 Fax: 553-1925

      E-mail: [email protected]

       

      CONSULADO GERAL HONORÁRIO EM SÃO PAULO - SP

      ENDEREÇO:Rua Machado Bittencourt, 190 - Conj. 607 - Vl Mariana - São Paulo - SP - Brasil.

      Telefone: (0**11)5087-9542

      Fax: (0**11) 5087-9520

      E-mail: [email protected]

      •  
  8. [align=justify][t1]Potsdam[/t1]

     

    A arquitetura prussiana e a modernidade de uma capital em constante crescimento.

    Capital da resignação e do atraso econômico. Assim foi descrita a cidade de Potsdam no guia de turismo de uma editora alemã em 1998. Sete anos se passaram e o que a capital do Estado de Brandemburgo tem a oferecer, hoje, ultrapassa a obstinação prussiana e a falta de perspectivas. Indo contra todas as projeções negativas, Potsdam se transformou em uma cidade viva, que contrasta o moderno com o tradicional.

    Potsdam é uma cidade jovem e ativa, com 143 mil habitantes (dos quais mais de 16 mil são estudantes universitários) e que, contra a tendência de cidades do Leste alemão, se desenvolve. Prova disso é a população, que registra a cada ano um crescimento significativo de pessoas que vêm de Estados do Oeste do país e escolhem a cidade como moradia.

    "Meu marido precisou trocar de cidade no início dos anos 90 por motivos profissionais", explica Regina Ebert, guia turística. Entre inúmeras opções no Leste, o casal escolheu Potsdam. O motivo? Os castelos, os jardins, a região cercada de lagos e rios e, não se pode esquecer, a proximidade da capital alemã: Berlim.

    Somente no ano passado, mais de dois milhões de pessoas visitaram Potsdam. Apesar de a cidade ter mais de 80% de força de trabalho voltada para a prestação de serviços, o turismo é um fator econômico importante.

    Residência de verão dos reis prussianos e imperadores alemães, Potsdam foi severamente atingida por bombas em 14 de abril de 1945. Muitas ruínas do centro histórico foram demolidas, mais tarde, por urbanistas da então República Democrática Alemão (RDA).

    Não somente o militarismo prussiano foi vencido, mas também a arquitetura. Anos depois, a reunificação alemã trouxe para a região a possibilidade de renovação. E Potsdam se tornou capital do Estado de Brandemburgo. Mais uma vez, a cidade pôde ser repensada.

    O desenvolvimento de Potsdam nos últimos 15 anos atingiu todo o perímetro urbano. Um dos principais problemas encontrados foi a reintegração de áreas militares à paisagem local e a cuidadosa renovação de castelos, casas, jardins e monumentos.

    Desde 1991 grande parte de Potsdam é reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. Entre as construções principais está o Palácio de Sanssouci, construído em 1745-1747 por desejo de Frederico, o Grande, o rei da Prússia.

     

    [t3]Hollywood alemã[/t3]

     

    Primeiro projetor alemão de 1895 Desde o início do século passado, Babelsberg (antigamente um subúrbio de Potsdam) é conhecida como pólo de produção de filmes. Especialmente na década de 20, quando alcançou o apogeu, a indústria cinematográfica alemã contava com um dos maiores estúdios europeus, onde trabalharam astros da época como Marlene Dietrich e Emil Jannings.

    Conforme a diretora do Museu do Cinema de Potsdam, o crescimento foi tão significativo, que metade da população de Babelsberg trabalhava no setor. "A tradição chegou a passar de pai para filho, formando gerações de profissionais que se ocupavam com áreas específicas da produção cinematográfica, como a marcenaria", explica Bärbel Dalichow.

    Investidores de Munique assumiram o estúdio recentemente, reduzindo o número de trabalhadores da empresa, que já empregou 2500 pessoas, a apenas 200 funcionários. De qualquer forma, turistas e interessados no assunto podem visitar diferentes cenários, entre eles o do filme O Gabinete do Doutor Caligari, clássico dos anos 20, dirigido por Robert Wiene.

     

    [t3]Os Jardins[/t3]

     

    Apreciadores da natureza e da arquitetura encontram em Potsdam um dos maiores exemplos do estilo rococó na Alemanha: o Palácio de Sanssouci. Construído sob a ordem do rei Frederico, o Grande, da Prússia, a obra tinha a função de residência de verão. Também famosos no local são o jardim com sete níveis de terraços e a Orangerie.

    Líderes dos países aliados decidem o futuro da AlemanhaNo Parque de Sanssouci, área verde com mais de 250 hectares e 70 km de trilhas, podem ser encontradas ainda, outras construções interessantes, como o Neues Palais, o pavilhão do chá e o castelo de Charlottenhof.

    Outro ponto de destaque na cidade é Cecilienhof, palco da conferência dos Aliados (Estados Unidos, Grã-Bretanha e União Soviética), ocorrida entre 17 de julho e 2 de agosto de 1945. No local, Harry Truman, Winston Churchill e Josef Stalin decidiram pela divisão da Alemanha e de Berlim em quatro setores. Estava plantada a semente da criação da RDA e da construção do Muro de Berlim.[/align]

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  7 mais
    2. Imposto Renda

      Imposto Renda

      Quanto custa o trem que vai de Berlin a Potsdam? Tem um site onde eu possa ver os horários do trem? é possível comprar o bilhete com antcedência?

       

       

      compre day pass para andar de metro pela região.... so compre para nadar dentro e fora deberlin sai bem mais barato e pode usar 24 horas

       

       

       

      Muito legal esse link, curti!

      •  
    3. julinhamc

      julinhamc

      Vocês acham que dá pra fazer em um dia Potsdam e Sachsenhausen Concentration Camp?

      •  
    4. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      Vocês acham que dá pra fazer em um dia Potsdam e Sachsenhausen Concentration Camp?

       

      então em um dia eu acho impossivel fazer os dois lugares usando meios publicos de transporte. São um pouco longe um do outro.

       

      Se precisar mais dicas de berlin e região eu tenho algumas em meu blog

       

      http://www.jonasschwertner.com/2011/11/berlin-alemanha.html

      •  
  9. Visite : www.aquiceara.com, um olhar françês sobre o Ceara.

     

    Petite Mimi da França

    •   
  10. Tailândia - Informações Gerais

     

     

    A Língua

     

    Os tailandeses são muito orgulhosos da sua língua.

    Como património artístico e cultural, muitos consideram a língua tailandesa como o símbolo da soberania e da independência do país.

     

    Dada a influência da antiga língua chinesa, a língua tailandesa consiste fundamentalmente em palavras monossilábicas.

     

    Sucessivamente adaptaram-se vocábulos de origem Khmer enquanto que as palavras de duas ou mais sílabas atribuem-se à influência do Sancrito e do Pali. O tailandês actual é, deste modo, o resultado de séculos de desenvolvimento e maturidade e fala-se em todo o reino.

     

    Com 44 consoantes, 32 vocais e 5 sotaques, é uma forma escrita que tem as suas origens na Índia e como segunda língua não é fácil de aprender.

     

    Afortunadamente, o inglês fala-se e entende-se amplamente, particularmente em Bangkok onde é a maior língua comercial. É difícil traduzir as palavras tailandesas para o alfabeto ocidental.

     

    O País

     

    O Reino da Tailândia estende-se por uma superfície total de 513.000 quilómetros quadrados (198.000 milhas quadradas) e situa-se na parte central da península indochina, a meio caminho entre a China e a Índia.

     

    O território caracteriza-se por quatro regiões diferentes, cada uma das quais oferece ao viajante a possibilidade de viver experiências e descobrimentos excitantes. O norte domina-se pela activa cidade de Chiang Mai, bosques exóticos e pelas suas tribos. As planícies do centro são na maior parte férteis terrenos agrícolas e a zona da antiga capital Lop Buri, com as suas ruínas que se remontam ao império Kmer. O nordeste é um altiplano árido que oferece esplêndidas vistas sobre as montanhas do norte e sobre o vale do rio Mekong.

     

    A península ao sul é a jóia da coroa: florestas tropicais e pomares de mangas onde se podem encontrar animais selvagens e algumas das praias e ilhas mais belas do mundo que fizeram da Tailândia o símbolo no planeta da beleza aínda intacta.

     

     

    População

     

    Definida no passado como a "Terra dos Livres", nos últimos anos, a Tailândia conquistou a reputação mundial de "Terra do Sorriso" , graças à filosofía e ao espírito acolhedor dos seus 60 milhões de habitantes.

     

    A Tailândia é também a terra de inúmeros grupos étnicos e excepto os povos das tribos das colinas, todos falam o thai apenas com algumas variações de dialecto regionais e todos vivem numa completa harmonia sócio-cultural. A maior parte da povoação provém do grupo étnico Thai, mas dada a história do território como ponto de entrada migratória, a Tailândia é a pátria dos Thai Yai do Burma, dos Thai Lue do Yunnan e dos Thai Song Dam do Vietname.

     

    Há também comunidades de chineses Haw, cambojanos, índios, laos, mon, malesianos, e vietnamitas. Mais de 750.000 pessoas de 11 diferentes grupos étnicos das colinas vivem na montanhosa e luxuosa zona ao leste do país e nas fronteiras do norte.

     

    A maior e mais conhecida tribo é representada pelos Karens, provenientes do próximo Myanmar. Aproximadamente 300.000 Karens estão espalhados em 15 províncias, falam uma língua sino-tibeta e praticam essencialmente a agricultura nas colónias deles ao longo dos pendeios dos vales. Conforme o grupo a que pertencem, os Karens praticam a religião budista, cristã ou animista.

     

    A capital norte de Chiang Mai e a cidade de Chiang Rai e Mae Hong Son representam os sitios ideais para fazer uma viagem até as montanhas vizinhas e conhecer muitas dessas coloridas, fascinantes e amistosas tribos. Estas tribos desempenham um papel importante oferecendo a cada região uma própria e única identidade. As zonas montanhosas no norte são povoadas pelas coloridas tribos das colinas e das planícies. O nordeste é estreitamente ligado aos laços culturais de Laos e da Camboja.

     

    As planícies centrais, as terras de arroz, são o berço da civilização Thai. Ao longo da península do sul o elemento Malaisiano-Musulmao na povoação confere à região um sabor cultural único especial. Para o viajante ansioso por explorar as divergências étnicas, religiosas, alimentares e culturais dos povos asiáticos do sudeste, não há sítio mais variado que o centro multicultural da Tailândia.

     

     

    Clima

     

    Na Tailândia existem dois tipos diferentes de clima: um tropical, típico da maior parte do país e o outro tropical monsónico nas regiões do sul e sudeste.

    O clima tropical da Tailândia, caracterizado por três estações, é suave durante todo o ano e particularmente aconselhável para todos os que amam o sol.

    A estação quente dura de Fevereiro até Maio, a estação das chuvas de Junho até Outubro e a estação fria de Novembro até Janeiro.

     

    As temperaturas não alcançam nunca altos extremos e variam de um máximo de 35º centígrados em Abril a um mínimo de 20º centígrados em Dezembro.

     

    As chuvas da estação da monção podem resultar significativamente pesadas e raramente longas e cada dia termina normalmente com um pôr do Sol espectacular.

     

    Religião

     

    O budismo foi introduzido pela primeira vez na Tailândia no ano 329 aC. e no decorrer dos séculos conseguiu uma grande popularidade graças aos seus princípios de tolerância e liberdade individual que se integram bem com o espírito da caridade e liberdade próprio dos tailandeses.

     

    Fundamentalmente, o budismo é um estilo de vida empírico, livre de dogmas e baseia-se na flexibilidade moral, ética e filosófica na qual cada um pode encontrar o caminho até à própria salvação.

     

    Com mais de 90% de sequazes, a religião do budismo Therevada (uma ramificação do budismo Hinayana) é a força mais potente da cultura nacional. Em linha com as doutrinas do budismo, os tailandeses amam a paz e crêem sempre no ideal da liberdade religiosa.

     

    Assim, as minorias de muçulmanos, hindus e sikhs seguem livremente as suas respectivas fés. Dos tempos da era Sukothai, o budismo tem-se convertido numa força cada vez maior na Tailândia.

     

    O budismo continua a exercer uma forte influência na vida quotidiana; os monges antigos são altamente respeitados e os templos e os wat das cidades e aldeias representam o centro da vida social e religiosa. A meditação, um dos aspectos mais populares do budismo, pratica-se regularmente tanto pelos monges como pelo povo.

     

    Os visitantes podem aprender os conhecimentos rudimentares da meditação em muitos centros em Bangkok ou em qualquer parte do país.

     

    História

     

    Desde os primeiros indícios da florescente civilização do Bronze em Ban Chiang, aldeia pré-histórica no nordeste do país, a história da Tailândia tem sido tudo menos monótona.

     

    Da China, através dos fertéis vales do rio Mekong, Monaci, Khmers e Thais povoaram gradualmente a terra hoje em dia conhecida como a Tailândia.

     

    No século XI, os Khmers representavam a força dominante.

    Este poder durou até o século XII quando os Thai começaram a construir as pequenas aldeias de Lanna, Phayao e Sukhothai. Pouco depois, dois chefes guerreiros Thai rebelaram-se contra os Khmers e fundaram o primeiro estado independente Thai perto de Sukhothai, ou literalmente "O nascer da felicidade".

     

    Desde Sukhothai começou a expansão ao longo da margem do rio Chao Phraya e o budismo Theravada constituiu a mais divulgada religião Thai. Sukhothai passou por um período de declinio e foi conquistada pelo jovem, dinâmico reino dos Ayutthaya.

     

     

    A dinastia dos Ayutthaya reinou sem oposição no centro da Tailândia como o estado mais potente da Ásia do sudeste durante 34 reinos até 1767 quando foi vencida pela invasão dos exércitos burmeses. Não obstante, com o passar dos meses, o Rei Taksin conseguiu repelir a invasão burmesa. O Rei Taksin mandou construir uma outra capital em Thon Buri desta forma dando vida ao período Rattanakosin que reina ainda hoje.

     

    Em 1782 o Rei Rama I, o primeiro rei da actual dinastia Chakri, estabeleceu a sua nova capital à beira do rio de uma aldeia chamada Bangkok (Aldeia das ameixas selvagens). No decorrer dos seguintes duzentos anos, os monarcas Chakri Re Mongkut (Rama IV) que reinou do 1851 até ao 1868 e o seu filho, Re Chulalongkorn (Rama V) que reinou do 1868 até ao 1910, são ainda hoje profundamente respeitados para terem preservado o país da colonização e terem modernizado o mesmo.

     

    Desde 1932 a Tailândia tornou-se uma monarquia constitucional. O actual monarca, a Sua Majestade o Rei Bhumibol Adulyadej é no mundo o monarca que tem reinado mais tempo e o mais amado pelos seus súbditos. Ele tem dedicado a sua vida ao melhoramento da qualidade de vida na Tailândia.

     

    Arquitetura

     

    A tradicional arquitetura Thai é quase exclusivamente dominada pela religião. Os arquitetos crêem que o acto da criação deve ser um acto de mérito e de representação de verdades estáveis, mais do que um acto de expressão. O complexo wat dos templos é um exemplo perfeito desta concepção.

     

    Talvez haja mais do que 30.000 wat no reino; cada complexo é único assim como cada período dos onze séculos de história religiosa tailandesa, todos caracterizados pelos mesmos componentes idênticos. A arquitetura religiosa e o desenvolvimento cultural podem-se traçar desde o período Khmer do nono século, através dos períodos Sukhothai, Ayutthaya e Lanna até à era actual Rattanakosin.

     

    Um dos wat mais incríveis do reino é o Wat Arun e o Templo do Nascer do Sol de Bangkok, construído ao longo da beira oeste do rio Chao Phraya durante o período Aytthaya. O templo pode-se gabar de um cume impressionante de prang de 79 metros, destino favorito dos visitantes durante muitos anos e, ainda hoje, a melhor vista da quente luz do pôr do sol.

     

    Mas onde quer que se encontrem no reino, nunca estarão longe de um templo cujo desenho deriva dos sucessivos.

     

    Longe de Bangkok e nas planícies centrais do reino encontram-se as antigas cidades de Ayutthata e Lop Buri. Os visitantes podem passar facilmente uns dias explorando as bem conservadas ruínas das duas cidades que testemunham a reminiscência da glória do reino. A beleza das ruínas é tão grande que Sakithai e Ayutthaya foram declaradas património mundial pela UNESCO. Pode-se encontrar uma arquitetura de natureza completamente diferente nas proximidades da cidade ocidental de Kanchaburi.

     

    É aqui onde, no decorrer da Segunda Guerra Mundial, as forças de ocupação japonesas fizeram uso dos aliados Pow e do trabalho dos escravos asiáticos para construir a infame ponte ferroviária sobre o rio Kwae Yai. A arquitetura doméstica tailandesa caracteriza-se pela forma simples e harmoniosa e adapta-se muito bem ao clima tropical. Existem muitos modelos comuns de casas tradicionais ao longo de todo o país.

     

    Zonas inteiras cresceram sobre os degraus para se protegerem das inundações e para permitir à vida prosperar ao longo da margem do rio ou na zona inundada; os tectos são muitas vezes inclinados para fazer correr rapidamente a água da chuva e muitos deles são decorados para reflectir as influências religiosas e históricas locais; o uso de madeira resistente, de bambú e de folhas secas na construção ajuda a manter as casas frescas e secas.

     

    Contudo existem diferenças regionais dentro dos diferentes estilos, as casas do norte têm janelas mais pequenas devido ao clima fresco enquanto que nas planícies do reino, as casas dispõem de uma ampla galeria que muitas vezes serve como área comum para várias casas.

     

    O desenho das casas tailandesas tradicionais é muitas vezes imposto pela vida nas áreas rurais, mas não é assim na cidade. Talvez a casa mais famosa que merece a pena visitar só pelo esplêndido jardim e clássica arquitectura tailandesa é a de Jim Thompson, no centro de Bangkok.

     

    A antiga residência do famoso produtor de seda tailandesa é um clássico exemplo de como as tradicionais casas tailandesas continuam a sobreviver perto dos modernos rasga-céus e grandes palácios da cosmopolita Bangkok.

     

    Fonte: Tourism Authority of Thailand

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  3 mais
    2. Luciahito

      Luciahito

      13/07/2006 - 11h53

      Tailândia: Rei e Buda "disputam" a atenção de turistas

      MARISTELA DO VALLE

      Colaboração para a Folha de S.Paulo, na Tailândia

      http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u5633.shtml

       

      Na Tailândia, além de real, a festa é oficial. Neste ano, o país comemora o 60º aniversário da coroação do rei Bhumibol Adulyadej. As cidades estão salpicadas de bandeiras amarelas (a cor do rei, porque ele nasceu numa segunda-feira), placas comemorativas e fotos do monarca em várias fases da sua vida, principalmente as mais jovens, dando a impressão de que ele ainda não envelheceu, apesar dos seus 78 anos.

      ]

      Toda essa homenagem tem um motivo simples: os tailandeses adoram o seu rei, que mantém o mais longo reinado do mundo --a rainha Elizabeth 2ª chegou ao trono em 1952.

       

      Dos taxistas aos vendedores, dos funcionários dos hotéis aos guias turísticos, todos dizem que seu soberano é um homem bom, que só fez o bem para os seus súditos. E sempre se referem a ele com respeito, sem fazer fofocas sobre sua vida pessoal, a qual, aliás, muitos desconhecem. Até os jornais diários tratam o soberano apenas como "Sua Majestade", sem citar o seu nome. Moedas, selos e cartões comemorativos, exposições especiais e espetáculos de teatro e dança são outras maneiras de celebrar a data (mais informações no http://www.60thcelebrations.com).

       

      Além da imagem do rei, a imagem de Buda também é onipresente no Reino da Tailândia. Há altares que a ele aludem nas entradas, nos arranha-céus, nos jardins dos parques, nas casas construídas à beira dos rios e mesmo nos aposentos das residências tailandesas, nas quais, inclusive, "Sua Majestade" aparece.

       

      Cerca de 95% da população é budista, e o país todo tem 32 mil templos dedicados à religião. Destes, 400 ficam na caótica Bancoc e 320 estão em Chiang Mai, a segunda cidade do país, a 700 km da capital. Além do budismo e da paixão pelo rei, outros aspectos tornam tão diferente para os brasileiros esse país asiático, a mais de 20 horas de vôo (mais o tempo de espera em aeroportos) e com o fuso horário dez horas à frente do Brasil.

       

      Os tailandeses têm língua e alfabeto próprios, ambos totalmente incompreensíveis para os falantes da língua portuguesa, e vivem atualmente o ano de 2049, número que é grafado em algumas das notas fiscais.

       

      Um hábito que faz parte do cotidiano da população é a massagem. Não faltam casas de massagem em cidades como Bancoc e Chiang Mai. Elas são muito fáceis de identificar, com letreiros em inglês e às vezes também os preços de cada terapia (cerca de 700 bahts, ou R$ 40). Muitas têm ainda funcionários nas portas distribuindo folhetos. A oferta é tão grande que confunde o turista. "Os tailandeses fazem massagem pelo menos uma vez por semana", conta a guia Krittanan Thonguipawon, para quem cada sessão tem de durar pelo menos duas horas.

       

      Na dúvida, peça indicações para um guia ou para o concierge do hotel. Ou então confie na tradição e experimente os serviços dos alunos da escola de massagem existente do lado do templo do Buda Deitado.

       

      E não se trata de uma massagem leve qualquer. Pelo contrário. Além das mãos, a massagista usa, por exemplo, os joelhos e as pernas para apalpar e dobrar o corpo do cliente. No começo dá até para dormir. Mas o freguês já está bem acordado quando ouve e sente um craque no pescoço, causado por um movimento brusco. Ou quando a massagista puxa a pele do seu antebraço repetidas vezes, proporcionando uma sensação de choque esquisita. Por fim, uma relaxante massagem facial o faz esquecer todos os tremores de minutos antes.

       

      A presença da massagem tailandesa em muitos spas brasileiros é um dos sinais de que o país asiático começa a se aproximar do Ocidente. Outro é a construção de um novo aeroporto em Bancoc, que deve ser inaugurado neste ano. O Suvarnabhumi será cinco vezes maior do que o atual e terá capacidade para 45 milhões de passageiros por ano, que deve crescer para 100 milhões quando estiver totalmente pronto.

       

      Maristela do Valle viajou a convite da operadora Raidho, da South African Airways (SAA) e da Thai Airways.

       

      Artigo extraído do site http://www.folha.com.br.

      •  
    3. Luciahito

      Luciahito

      12/09/2005 - 16h09

      Ponte do rio Kwai é ponto de partida para explorar a Tailândia

      ANA LUCIA BUSCH

      Diretora-executiva da Folha Online

      http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u5288.shtml

       

      Ponte sobre o rio Kwai, que ainda mantém os arcos da estrutura original

      A história real de Kanchanaburi (oeste da Tailândia), durante a Segunda Guerra Mundial, começou no início de 1942, após o país ter declarado guerra à Grã Bretanha e aos EUA e permitido que tropas do Japão ocupassem seu território.

       

      Os japoneses planejaram construir, em cinco ou seis anos, uma ferrovia para ligar a Tailândia à Mayanmia (antiga Birmânia), incluindo uma ponte sobre o rio Kwai Yai, em Kanchanaburi.

       

      A obra terminou em menos de três anos e provocou a morte por maus-tratos ou doenças de cerca de 16 mil prisioneiros de guerra, além de 240 mil asiáticos, empregados na construção.

       

      O episódio virou sucesso no cinema na pele do coronel britânico Kol Nicholson, vivido por Alec Guiness em "A Ponte do Rio Kwai" --em versão bastante romanceada. O filme, rodado na verdade no Sri Lanka, além de ter ganho sete Oscars, conseguiu chamar a atenção para uma das regiões mais belas da Tailândia --ponto de partida para explorar as belezas naturais do país.

       

      A cidade fica na junção de dois rios --o Kwai Noi e o Kwai Yai.

       

      O cenário montanhoso, que acompanha as margens dos rios, combina vegetação de selva --com samambaias gigantes e bambuais que lembram os filmes sobre Vietnã-- com locais para pesca, rafting, cachoeiras e até golfe.

       

      O parque nacional de Erawan, com 550 m2 revela os pontos culminantes --uma reserva com 80 espécies de animais, cavernas e um conjunto de cataratas com quedas divididas em sete níveis, em um total de 1.500 m.

       

      Para os mais entusiasmados, uma trilha percorre toda a extensão da 'ferrovia da morte', por dentro da selva. No caminho, banhos de cachoeira, passeios por orquidários naturais ou visitas a pequenas aldeias de nativos.

       

      Para quem dispensa aventuras em favor da história, o roteiro deve começar pela própria ponte, a cerca de 4 km do centro da cidade. A obra foi concluída com trabalho de prisioneiros de guerra, com peças trazidas de Java (Indonésia).

       

      Bombardeada várias vezes, a ponte foi reconstruída após o guerra, mas ainda mantém parte da original, em arcos. A ponte fica aberta para caminhadas --uma experiência que mexe com os nervos: o espaço entre os dormentes deixa ver a água do rio.

       

      Próximo da ponte, o Jeath Museum, construído em bambu e sapé, como os barracões dos prisioneiros, mantém mostra fotográfica permanente com cenas da guerra e do dia-a-dia dos presos, além de objetos pessoais e recortes de jornal.

       

      Há ainda um cemitério de guerra (Kanchanaburi War Cemetery) com 6.982 sepulturas de prisioneiros de guerra.

       

      Acesso

       

      A Tailândia não pede visto de entrada de brasileiros com passaporte dentro da data de validade --desde que o objetivo seja turismo e o período da viagem não ultrapasse 30 dias. Mas o serviço de imigração no aeroporto de Bancoc exige de todos os passageiros vindos do Brasil vacina contra febre amarela, aplicada no mínimo dez dias antes da chegada.

       

      Extraído de www.folha.com.br.

      •  
    4. heka

      heka

      Informações Gerais

       

      ATM: Sim

      Capital: Bangkok

      Custos: 20 a 30 dolares/dia

      Língua: tailandês

      Religião: budismo teravada

      Governo:Monarquia

      Moeda: baht

      Estações: alta Nov-Fev, baixa Mar-Jun, chuvas Jul-Out

      Vistos: não há necessidade de vistos

      Mulheres viajantes: o país é geralmente seguro para mulheres, mas como todo lugar sempre tomar as precauções de segurança, principalmente em áreas isoladas e remotas.

      Perigos e Cuidados: Algumas regiões ao sul da Tailândia, devido aos movimentos islâmicos separatistas, requerem especial atenção. Melhor pesquisar a segurança antes de ir. Apesar de o país ser geralmente seguro para viajar, evite comida e bebidas oferecidas por estranhos. Há muitos casos de pessoas sendo dopadas e depois roubadas. Quando em viagem noturna de trem e ônibus, deixe sua bagagem ou mochila com cadeados e presas a algum lugar para que não seja levada ou roubada. Verifique a segurança do quarto, se as portas estão bem travadas, pois há relatos de roubos nas pousadas e hotéis baratos de Kao San em Bangkok e Chiang Mai.

      •  
  11. Perin, é frio pra cacique, se prepara...eu fui em maio, à noite já era punk, de dia tinha sol, dava pra ficar de camiseta...

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  26 mais
    2. danilocp

      danilocp

      Valeu Alectus!! Até me animou mais ::otemo:: Bom humor tenho bastante rsrsrs. Minha maior preocupação mesmo é não poder subir em MP e também as fotos com minha câmara DSLR. Mas já olhei a previsão novamente, e no dia da ida pra MP, caiu de 25mm de chuva para 7mm!! Tô olhando a previsão do tempo 2x por dia e soprando as nuvens pelo pensamento kkkkkk

      •  
    3. Robertaa

      Robertaa

      Valeu Alectus!! Até me animou mais ::otemo:: Bom humor tenho bastante rsrsrs. Minha maior preocupação mesmo é não poder subir em MP e também as fotos com minha câmara DSLR. Mas já olhei a previsão novamente, e no dia da ida pra MP, caiu de 25mm de chuva para 7mm!! Tô olhando a previsão do tempo 2x por dia e soprando as nuvens pelo pensamento kkkkkk

       

      Danilo, no final das contas, como ficou a questão do tempo na sua viagem? Estou exatamente com o mesmo problema: previsão de 70% de chuva no dia que tenho MP e a subida ao Huayna Picchu marcadas! Já queria mudar a passagem de volta, mas queria saber na prática se previsão do tempo funciona em MP , haha? Bjs

      •  
    4. gabriel.höschele

      gabriel.höschele

      Valeu Alectus!! Até me animou mais ::otemo:: Bom humor tenho bastante rsrsrs. Minha maior preocupação mesmo é não poder subir em MP e também as fotos com minha câmara DSLR. Mas já olhei a previsão novamente, e no dia da ida pra MP, caiu de 25mm de chuva para 7mm!! Tô olhando a previsão do tempo 2x por dia e soprando as nuvens pelo pensamento kkkkkk

       

       

      E ae brother, estou planejando já há alguns meses ir pra machu picchu pela salkantay justamente nessa data que tu foi, só que agora em 2015! Como estava o tempo por lá? Alguma dica sobre?

      Obrigado desde já, um abraço!

      •  
  12. Finlândia - Helsinki

     

    A cidade é pequena e bem fofa. Tem 600.000 habitantes.

     

    Helsinki City Tourist Office

    Pohjoisesplanadi 19

    www.hel.fi/tourism

     

    Tem um outro que dá infos sobre toda a Finlândia

    Finnish Tourist Board

    Eteläesplanadi 4

    www.finland-tourism.com

     

    Lockers:

     

    Na estacao de trem e metro.

     

    Museus:

     

    Kiasma Museum of Comtemporary Art

    www.kiasma.fi

     

    Kansallismuseo

    www.nba.fi/natmus/Kmeng.html

     

    Ateneum

    www.fng.fi/atenum.html

     

    Sinebrychoff Museum of foreign Art

    Bulevardi 40

     

    Kaapelitehdas

    Tallberginkatu 1C

    www.kaapelitehdas.fi

    Aqui tb fica o museu de fotografia.

     

    Cynaeus Gallery

    Kaivopuisto Park, perto do Mannerheim Museum

     

    Amos Anderson Art Museum

     

    Mannerheim Museum

    Kaivopuisto Park

     

    Seurasaari Open-air Museum

    Fica na Ilha de Seurassari

    Os guias estäo vestidos a carater.

    Tour em inglês às11:30 e 13:30

    Pegar o onibus 24 da estacao central de trem.

     

    Urko Kekkonen Museum Tamminiemi

    Também na mesma ilha. Foi a casa o Presidente por 30 anos até a morte de Urko Kekkonen.

    Belo parque em volta da casa. Pegar o mesmo onibus 24 da estacao central.

    Kaupunginmuseo

    Conjunto de pequenos museus:

    Säo 8 no total espalhados pela Helsinki central.

    Burgher's House

    Hakasalmi Vila

    Helsinki City Museum

    Museum of Worker Housing

    Sederholm House

    Tram Museum

    Tuormarinkylä Museum & Children's Museum

     

    Museum of Art &Design

    Kasamikatu 24

     

    Natural History Museum

    Pohjoinen Rautatienkatu 13

     

    Postimuseo

    Asemaaukio 5 grátis

     

    Sports Musem of finnland

    Olympiastadion

    www.stadion.fi

     

    Military Museum

    Maurinkatu 1

    www.mpkk.fi

     

    Helsinki Zoo & Maritime Museum

    Na ilha de Korkeasaari

     

    Igrejas

     

    Uspenski Cathedral

    Tuomiokirkko - luterana, muito bonita

    Temppeliaukio Church

    St John's Church

     

    Parques e Jardins

     

    City Winter Garden

    È o jardim botânico

    Hammarskjöldintie 1

    Grátis - de mtro Ruoholahti ou Töölö

     

    University Botanical Gardens

    Unioninkatu 44 - maior colecao de plantas da finlândia. Com estufa e parque.

     

    Suomenlinna

    !5 minutes de ferry e você está nesta ilha que teve muito valor militar para a Finlândia. É patrimônio da Unesco, lugar muito legal de se visitar. Tem a única igreja do mundo que é igreja e farol ao mesmo tempo.

     

    Sauna - näo pode faltar ido a Helsinki!!!

    Yrjönkadun Uimahalli

    Yrjönkatu 21 5 euros

    É toda arte Deco, foi aberto em 1928.

    Há horas separadas para mulheres e homens. Näo é permitido roupa de banho!

     

     

    Piscinas

    Olympic Swimming Stadion

    é descoberta

     

    Melhor é o

    Itäkeskus swimming hall

    Metro Itäkeskus Östra centrum. Fica num shopping center. Tb tem sauna. Fica no subsolo, foi cavado na pedra e pode ser usado com Bucker para 3.800 pessoas

     

    Eventos especiais:

    Vappu (1 de maio) dia do trabalhador é realemnte comemorado na finlândia.

    Helsinki day (12 de junho) muitas atividades grátis ou baratas no parque esplanada.

     

     

    Albergues

     

    Abertos o ano todo säo 3:

     

    Eurohostel

    www.eurohostel.fi

    Era um hotel, tem dorms, singles e dobles. Sauna no último andar pela manhä.

    Dá desconto para quem tem carteira HI. Fiquei aqui e gostei. Se vai de tram pra o centro, é perto.

     

    Hostel Erottajanpuisto

    Uudenmaankatu 9

    T642 169

     

    Hostel Stadion

    www.stadionhostel.com

     

    No Veräo:

    Academia Summer Hostel

    www.hostelacademia.fi

    HI albergue, abre de 1 de junho a 1 de setembro.

     

    Hostel Satauntatalo

    Lapinrinne 1A

    É o mais barato da cidade.

    De 1 de junho a 31 de agosto

     

    Tikkurilan Youth Hostel

    HI albergue, perto do aeroporto Vantaa.

     

     

    DayTrip

     

    Porvoo

     

    Bela cidade com arquitetura típica.

    Visita guiada no centro antigo aos sábados 14:00 em inglês e custa 5 euros.

    Onibus na estacao de onibus de helsinki ou na praca do mercado, a cada 30 min, 8 euros, leva 1 hora.

    Trem no veräo: nos sábados. Parte às 10:16 e volta às 16:35, custa 18 euros ida e volta

    Barco: no veräo, sai às 10, volta às 16:00 custa 20 ida e volta www.msjlruneberg.fi

    Ou o barco rápido www.royalline.fi custa 35 euros.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  6 mais
    2. buarque_renata

      buarque_renata

      A Igreja Tuomiokirkko.

      20120422103949.jpg

       

       

      O nascer do sol, visão que tive do navio.

      20120422104035.jpg

      •  
    3. flora.oliveria

      flora.oliveria

      Oi gnt!

      estou no meu segundo dia aki em helsinki e tenho q dizer q, como a renata, a cidade(o pais em geral) deixou a desejar muito, fiquei ateh um pouco desapontada, pois esperava muito mais :( estive em Tampere tb e amanha pretendo ir para Porvoo... minha ultima esperanca p dizer a verdade! heheh tb achei aki muito caro, o meu orcamento nao funcionou como nas outras viagens q fiz pela europa ::dãã2::ãã2::'>

      Assim que eu estiver em casa novamente, vou postar algumas fotos e fazer meu relato de forma devida ::otemo:: E peco a vcs queridos mochileiros que nos passe todas e quaisquer informacoe! eh muito chato ir fazer uma viagem de ferias e acabar voltando frustrada p casa ::bruuu::

      Beijos e abracos!

      Ateh mais!!!

      •  
    4. MMAlbertini

      MMAlbertini

      Alow pessoal

       

      Meu voo de volta Helsinki-SP será as 7:00 de uma sexta-feira.

      O que recomendam? Não consegui localizar o Tikkurilan Youth Hostel do post da Dri Parra de 2006.

      É fácil o transporte centro-Vantaa?

       

      Obrigada

      •  
  13. Gostaria de qualquer tipo de informaçoes sobre estas "antigas"

    barracas para alta montanha.

    jl

    •   
  14. Esta cidade é muito linda. Para quem quer se hospedar o Albergue faça reserva antes senão fica sem lugr. E olha que é gigante o Hostel lá. Eu acabei me hospedando em Bamberg por causa disto. MAs a cidade vale a pena cada metro que se conhece dela.,

     

     

    http://nuernberg.de/

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  24 mais
    2. xxxxxxxxxx

      xxxxxxxxxx

      Pelo que lembro, em Nuremberg os ônibus da DB param bem frente a entrada/saída principal da estação, então basta você desembarcar do trem, achar a saída principal, que o seu ônibus estará esperando na frente da porta...

      •  
    3. miiyang

      miiyang

      Pelo que lembro, em Nuremberg os ônibus da DB param bem frente a entrada/saída principal da estação, então basta você desembarcar do trem, achar a saída principal, que o seu ônibus estará esperando na frente da porta...

       

      Opa, se for assim é mais fácil! rsrs Muito obrigada pela dica! ::otemo::

      •  
    4. VonScheibler

      VonScheibler

      Na Alemanha, só tive problemas com inglês quando fui comer em um restaurante em uma cidade pequena do interior, ninguém ali falava inglês, mas como estava acompanhada, não foi grande problema. Cidades grandes como Berlim, Stuttgart, Munique, etc. a maior parte do pessoal do setor de serviços (hoteis/hostels, restaurantes, museus) fala inglês. Alguns museus e castelos que visitei só tinham informação nos murais e guias em alemão. Às vezes, ofereciam audioguia em inglês, mas nos textos nas salas e paredes, só alemão, como é aqui no Brasil (é difícil achar um museu fora de Rio e SP que tenha informações em inglês).

       

      Nuremberg é uma cidade cheia de História. Quem gosta de cidade medieval pode explorar o centro antigo, os subterrâneos, o castelo. Quem, como eu, se interessa por questões de segunda guerra e domínio nazista, Nuremberg também é um prato cheio, não apenas por causa dos famosos Julgamento de Nuremberg. A cidade teve muita importância para a Alemanha Nazista, pois sediava as convenções do Partido e, por isso, vemos em Nuremberg vários exemplos da arquitetura nazista. Hitler ambicionava transformar Nuremberg na Roma de seu tempo, sede dos futuros Jogos Olímpicos da Germania e, para isto, diversas estruturas começaram a ser construídas - apesar da maior parte nunca ter sido acabada. Entre essas, cito o "Estádio Alemão", inspirado no Circo Máximo, e o "Kongresshalle", inspirado no Coliseu. Este último, mesmo inacabado, foi transformado no Centro de documentação no complexo do Congresso do Partido Nacionalista. Este museu conta com uma riqueza incrível de detalhes o antes, o durante e o depois da disseminação do nazismo na Alemanha. Afirmo que, só por esse lugar, a cidade já vale a visita. ::cool:::'>

      •  
  15. [align=justify][t1]História[/t1]

     

    Além de ser rica em cultura e história, a cidade medieval de Nurembergue possui fábricas nas áreas de eletrônica, papelaria e veículos pesados.

     

    Com cerca de 500 mil habitantes, a segunda maior cidade do Estado da Baviera, Nurembergue, é considerada uma cidade grande e moderna, apesar de seu estilo pacato e medieval.

     

    O centro histórico, com a muralha de cinco quilômetros de extensão, possui diversas atrações turísticas, como igrejas, museus, símbolos históricos, construções antigas e um castelo medieval.

     

    O castelo imperial (Kaiserburg), local característico da cidade na época da Idade Média, chama a atenção do visitante por ficar bem no alto e pela beleza da construção. A parte central do castelo, uma das mais importantes residências imperiais da Idade Média, começou a ser construída por ordem do rei Henrique III em 1050.

     

    Um passeio ao ar livre na parte aberta do castelo e pelos jardins é imperdível para aqueles que apreciam a natureza e uma bela vista. Na área fechada e coberta, os visitantes encontram tapetes, móveis e pinturas datadas dos séculos 16 e 17.

     

    Arte, design e cultura

     

    Para quem gosta de museus, uma boa dica é o Museu Novo (Neues Museum) - de arte e design contemporâneos - o primeiro museu estadual de arte da Baviera, inaugurado em 2000. O museu organiza exposições permanentes e itinerantes, de arte e design locais e até internacionais.

     

    Os interessados em história alemã não devem deixar de fazer uma visita ao Centro de Documentação, onde há documentos e fotografias do Terceiro Reich e da Alemanha nacional-socialista. Durante o Terceiro Reich, a cidade foi escolhida por Hitler como sede dos congressos de seu partido. Após a Segunda Guerra Mundial, aconteceram ali os julgamentos dos criminosos nazistas.

     

     

    Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: Entrada do Museu Nacional Germânico de NurembergueO Museu Nacional Germânico (Germanisches Nationalmuseum, de 1852) é o maior e mais importante museu alemão de arte, história e cultura. Para quem gosta de arte, o museu conta com um acervo de 1,2 milhão de objetos que retratam a história da arte das regiões de língua alemã desde a pré-história até os dias de hoje.

     

     

    O paraíso dos brinquedos está no Spielzeugmuseum, onde crianças e adultos encantam-se com a variedade de materiais usados, modelos e épocas de criação. Numa área de exposição de 1,4 mil metros quadrados, há salas com brinquedos de madeira, eletrônicos e bonecas desde a antigüidade até o presente.

     

     

     

    Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: O jeans do criador alemão Levi Strauss, nascido em ButtenheimQuem se interessa por moda, não deve deixar de visitar o museu do jeans Levi Strauss, que fica na cidade de Buttenheim, ao lado de Nurembergue. O museu é a casa onde o criador das famosas calças nasceu.

     

     

     

    Igrejas dos séculos 13 e 14

     

     

     

    Entre as duas maiores igrejas de Nurembergue, está a antiga St. Sebald, levantada entre 1230 e 1273, quase totalmente destruída durante a Segunda Guerra Mundial e, nos anos seguintes, reconstruída. St. Sebald possui em algumas partes da construção aspectos de decoração góticos e, em outras, românicos. Dentro dela, os visitantes podem ver fotografias da igreja após os bombardeios e outras da igreja reformada.

     

     

     

    A igreja Frauenckirche - construída entre 1350 e 1358 - localizada na praça principal, possui um relógio enfeitado em sua frente, onde sete pequenos príncipes dão três voltas em torno do imperador Carlos IV, todos os dias, sempre ao meio-dia. Além dos príncipes, outros discípulos tocam flauta, trompete e tambor em homenagem ao grande rei de 1356.

     

    Com 19 metros de altura, o chafariz Schöner Brunnen é o símbolo mais elegante da cidade. Localizado bem no coração de Nurembergue, em frente à Frauenckirche, o famoso chafariz com um anel de ouro foi construído no final do século 14. Entretanto, o que se vê hoje é uma réplica de calcário de quase 100 anos. Segundo a tradição, o visitante - ao girar o anel de ouro - pode fazer um pedido e este será realizado.

     

    Famoso Mercado do Menino Jesus

     

     

     

     

    Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: A prefeitura de Nurembergue enfeitada durante a famosa feira de NatalÉ em Nurembergue que acontece a feira de Natal mais conhecida e movimentada da Alemanha, a Christkindlesmarkt (Mercado do Menino Jesus), atraindo todos os anos habitantes de países vizinhos e turistas.

     

     

     

    A feira abre sempre às sextas antes do primeiro domingo de Advento, com diversas opções de artigos de decoração para o Natal. Entre as delícias da culinária local, destacam-se o Lebkuchen (pão de mel) e a Nürnberger Rostbratwurst, a salsicha típica da cidade.

     

     

     

    Não só os adultos têm diversão garantida nesta grande feira de Natal. A cidade prepara todos os anos um espaço de cultura e lazer para crianças a partir de quatro anos de idade, através de um programa educacional com teatro, apresentações de dança, música, fantoches e marionetes.

     

     

     

    Artistas de nome

     

     

     

    O artista Albrecht Dürer (1471-1528) morou quase duas décadas em Nurembergue, onde se inspirou para o conhecido quadro das mãos em prece. Uma dica é uma ida ao museu do artista, que mostra a história de sua vida e obra em todas as facetas.

     

    Outra importante personalidade nascida em Nurembergue é o escritor lírico e dramaturgo Hans Sachs (1494-1576).

     

     

     

    Pólo econômico e industrial

     

    Nurembergue não é só moderna, grande e desenvolvida no aspecto sócio-cultural. A cidade possui empresas conceituadas no parque industrial, como fábricas de indústria eletrônica (Siemens), de veículos pesados (MAN) e artigos de papelaria (Faber-Castell, Staedtler e Schwan). Entre Nurembergue e a vizinha Fürth foi inaugurada a primeira linha ferroviária da Europa, em 1835.

     

    [creditos]Fonte:Deutsch Welle[/creditos][/align]

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  27 mais
    2. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      [align=justify][t1]Dessau[/t1]

       

       

      A pacata Dessau atrai até hoje visitantes interessados na herança da Bauhaus, a primeira escola de design do mundo. Após a reunificação alemã, a cidade vem se tornando um pólo de reflexão sobre o espaço urbano.

      Quem quer conhecer um pouco da herança deixada pela escola de design Bauhaus, não pode deixar de visitar Dessau. A cidade, que entre 1924 e 1932 serviu de sede para a escola, enfrenta hoje um problema comum no Leste europeu e alemão: o êxodo da população. Desde a reunificação alemã, Dessau perdeu cerca de 25% de seus habitantes.

      Os que ficam, no entanto, não fazem disso um drama e acreditam que a situação pode até ser vantajosa para a cidade. A redução no número de habitantes é vista como oportunidade para eliminar espaços urbanos hoje dispensáveis, pois vazios, para criar aí, por exemplo, áreas verdes.

       

      Dessau responde prontamente: "Nosso futuro é verde". Se prédios precisam ser implodidos, eliminando um total de 15 mil domicílios, os defensores da idéia de uma nova Dessau mais verde apostam no emagrecimento como saída para a cidade: menos casas, mais áreas de lazer e respeito à natureza.

      A proposta é discutida pela sociedade e refletida, entre outros, pelo projeto de pesquisa e arquitetura Cidades Atrofiadas, coordenado pela Fundação Bauhaus Dessau - hoje reativada como centro acadêmico e científico voltado para questões urbanas. A Fundação oferece, inclusive, cursos e seminários a interessados de diversas áreas.

      Concebido para ser desenvolvido entre 2002 e 2005, o Cidades Atrofiadas engloba 15 subprojetos, que abrangem temas como mobilidade e transformação social, espaços livres e lazer, (des)industrialização e pós-industrialização. Tudo na tentativa de descobrir as raízes do encolhimento das cidades e o efeito do fenômeno para a cultura urbana.

       

      [t3]Ícones do modernismo[/t3]

       

      Walter GropiusA antiga sede da Bauhaus em Dessau (aberta ao visitante) foi construída a partir de um projeto de Walter Gropius (1883-1969) em 1925-1926. A edificação é considerada um "ícone do modernismo", bem como um manifesto-síntese das idéias veiculadas pela Bauhaus na Alemanha dos anos 20. Erguida após a expulsão da escola de Weimar por razões políticas, a sede inclui uma marcenaria, uma tecelagem, uma oficina de pintura e uma tipografia.

      Não apenas a antiga sede da escola, mas também o que sobrou das residências dos professores foi considerado patrimônio histórico da humanidade pela Unesco em 1996. Nessas edificações, viveram além do diretor da escola (inicialmente o próprio Gropius, autor do projeto) seis outros professores: László Moholy-Nagy, Lyonel Feininger, George Muche, Oskar Schlemmer, Wassily Kandinsky e Paul Klee.

       

      [t3]Casas de mestres[/t3]

       

      Essas "casas de mestres", que pareciam intercaladas umas às outras arquitetonicamente, foram em parte destruídas durante a Segunda Guerra Mundial. Do domicílio do diretor, por exemplo, sobraram apenas a garagem e o porão, sobre os quais foi construída em 1956 uma residência tradicional. A antiga casa de Moholy-Nagy desapareceu por completo e a de Feininger serviu de policlínica durante o regime comunista.

      Na tentativa de preservar os registros da história, a recuperação desses prédios é uma das prioridades da administração de Dessau, que pretende concluir os trabalhos de restauração em 2006. Além da reforma da infra-estrutura dessas edificações, há uma preocupação dos arquitetos envolvidos em recuperar a pintura original.

       

      [t3]Charme berlinense[/t3]

       

      Mas nem só de Bauhaus vive Dessau. Alguns de seus "cantos", com imponentes edificações do início do século passado, lembram um pouco a paisagem do lado oriental de Berlim, que ainda conserva, em determinados pontos, o cinza ou o marrom nostálgicos de prédios não restaurados, ao lado de reluzentes e recém-reformadas fachadas em tom pastel.

      A Bertold-Brecht-Strasse, por exemplo, é uma das ruas restauradas de forma exemplar. Entre suas atrações estão, por exemplo, o centro cultural Kiez e.V., um prédio laranja que serve ao mesmo tempo de cineclube e espaço para exposições.

       

      [t3]Jardins Reais de Wörlitz[/t3]

       

      E para finalizar a visita a Dessau, nada mais agradável que conhecer os Jardins Reais de Wörlitz, um exemplar interessantíssimo de paisagismo planejado durante o Iluminismo no século 18. Em estilo inglês, o complexo foi construído com os propósitos de unir beleza e utilidade.

      No projeto paisagístico dos jardins - hoje considerados patrimônio histórico da humanidade pela Unesco - foram levados em consideração aspectos não apenas econômicos ou estéticos, mas também e principalmente os ideais de formação que guiaram "o século das luzes".[/align]

       

      Site:http://www.dessau.de

       

      [creditos]Fonte:Deutsche Welle

      Pesquisa:Schwertner

      Editado por:Joycebandie Maurocuritiba[/creditos]

      •  
    3. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      [align=justify][t1]Bremen[/t1]

       

      A Cidade Hanseática Livre de Bremen é, após San Marino, a segunda mais antiga cidade-república do mundo. É formada pelos municípios de Bremen (543 mil habitantes) e de Bremerhaven (125 mil habitantes), localizados às margens do Weser e distantes 65 quilômetros um do outro. Entre as duas cidades, encontram-se territórios da Baixa Saxônia.

      Citada pela primeira vez em documento de 782 e dotada de direitos civis de cidade desde 1186, Bremen aderiu à Liga Hanseática em 1358. Com a construção da prefeitura em 1405 e da estátua de Rolando um ano antes, a cidade demonstrou sua pretensão de autonomia. Em 1646, Bremen foi elevada à categoria de cidade livre do Império e, desde 1806, denomina-se Cidade Hanseática Livre. Bremerhaven foi fundada em 1827, sendo elevada a cidade em 1851. O Parlamento estadual tem a tradicional designação de Bremische Bürgerschaft, o governo estadual chama-se Senado e o presidente desse órgão é o ministro-presidente (governador) do Estado.

      Os portos e a navegação marítima, as relações comerciais internacionais e produtos de primeira qualidade de indústrias altamente modernas são os fundamentos da vida econômica de Bremen. O terminal de contêineres de Bremerhaven é o maior centro de transbordo do gênero na Europa. Quase dez mil navios ligam Bremen e Bremerhaven a aproximadamente mil portos em todo o mundo. Além disso, Bremerhaven é o mais importante porto de embarque de carros da Europa.

      Bremen é também um dos centros da indústria alemã de gêneros alimentícios e comestíveis finos, sendo os mais conhecidos: café, chocolate, farinha, laticínios, condimentos, produtos de peixe e cervejas. As bolsas de mercadorias respondem pelo comércio de produtos agrários em todo o noroeste da Alemanha.

      Os estaleiros são garantia de qualidade na construção naval. E, no Centro Aeronáutico e Espacial de Bremen, são desenvolvidos e construídos componentes essenciais para foguetes, satélites e para os aviões da Airbus. Destacam-se ainda as indústrias elétrica, eletrônica e de tecnologias avançadas. A torre gravitacional de 148 metros de altura, na qual são possíveis experimentos sob condições de ausência de gravidade, é o símbolo da competência de Bremen no setor da tecnologia avançada.

      As atrações turísticas fascinam anualmente milhões de visitantes: a Praça do Mercado com a prefeitura renascentista, a estátua de Rolando e a catedral gótica de São Pedro, a famosa rua Böttcherstrasse e o bairro histórico Schnoor. Com mais de 960 anos, a festa popular Bremer Freimarkt é uma das maiores quermesses da Alemanha.

      A Cidade Hanseática de Bremen usa, desde 1366, o brasão com a chave prateada em campo vermelho. A chave é o atributo do apóstolo São Pedro, o padroeiro da arquidiocese, da catedral e também da cidade de Bremen. Sobre o escudo repousa uma coroa dourada de cinco folhas, que é enfeitada por pedras vermelhas e verdes.[/align]

       

      [align=justify]Existe um clichê renitente, que afirma que as pessoas de Bremen são cabeças-duras. A melhor maneira de se convencer do contrário é visitar a velha cidade hanseática. Ao lado do povo de Bremen, há ainda inúmeras atrações.

      Começar uma vida nova em Bremen ? foi para isso que os "músicos" se juntaram. No conto dos irmãos Grimm, o burro, o cão, o gato e o galo jamais chegaram a Bremen. Apesar disso, eles estão lá. A escultura dos bichos decididos a construir uma nova existência é a atração visitada em primeiro lugar por muitos turistas. E com isso, eles iniciam a sua visita diretamente no coração da metrópole. A Praça do Mercado (Marktplatz) em Bremen reúne elementos fundamentais da história, da atualidade e do futuro da cidade.

       

      A estátua do paladino Rolando também faz parte da lista da Unesco, desde julho de 2004 O governo, na antiga prefeitura, e o parlamento, num moderno prédio ao seu lado, são responsáveis pelos destinos tomados pelo menor Estado federado da Alemanha e têm sempre diante dos olhos a imponente estátua de Rolando, o paladino histórico da liberdade de Bremen. O gigante de 9,61 metros de altura e a prefeitura com a sua fachada renascentista foram incluídos pela Unesco na lista dos patrimônios culturais da humanidade no início de julho de 2004.

       

      No edifício Schütting, as questões econômicas são tratadas pela Câmara do Comércio. E de uma posição elevada, a majestosa catedral domina a vida espiritual da cidade. Os cidadãos de Bremen são orgulhosos da sua terra natal, das suas tradições e da sua história. E para eles, a história está ligada ao barulho do vento nas velas dos barcos, ao ranger das correntes das âncoras, ao martelar dos motores dos navios. Pois, no passado, eles deixaram os limites estreitos da sua terra natal principalmente de navio e chegaram a todos os cantos e confins deste mundo.

       

      Os negociantes trouxeram de todo o mundo muita coisa boa para a cidade. E, principalmente, muito dinheiro. Com ele, foram construídas inúmeras obras arquitetônicas de grande beleza às margens do Rio Weser. Bremen tornou-se uma das cidades mais ricas do Velho Mundo. E consagrou-se como a "capital do café" na Alemanha. Ainda hoje, mais da metade do café em grão beneficiado na Alemanha é comercializado aí. Mesmo em tempos difíceis, como a crise da economia mundial, o "dólar de Bremen" continuou sendo um meio de pagamento de grande estabilidade.

       

      A rápida ascensão de Bremen para a posição de uma potência econômica foi seguida, nas décadas passadas, por uma crise sem precedentes. Com o fechamento dos estaleiros Grosswerften AG Weser e Bremer Vulkan, a navegação marítima e a tradicional construção naval desapareceram inteiramente da imagem urbana de Bremen. Em seu lugar, surgiram novas indústrias e prestações de serviços. Para a fábrica de aviões Airbus, por exemplo, Bremen é o segundo mais importante centro de produção na Alemanha.

       

      O bairro Schnoor, com suas casas típicas, é uma das grandes atrações de Bremen Para quem vem de fora, os hanseáticos podem parecer reservados e fechados. "Isto não é de bom-tom!", teria dito há 200 anos o barão Adolph von Knigge. O "apóstolo" das regras de etiqueta foi diretor da escola Domschule de Bremen e ficou famoso em função das suas regras de bom comportamento em sociedade. E os cidadãos de Bremen reverenciam o especialista em bom-tom, no seu túmulo na catedral, com homenagens condizentes.

      Mas depois disso, quando vão tomar uma cerveja no Schnoor, o bairro mais velho de Bremen, eles se mostram descontraídos e à-vontade. Nessas ruelas estreitas, não muito longe do Weser e da Marktplatz, viviam pescadores e marinheiros desde o século 13 e, posteriormente, também os negociantes e artesãos. Hoje, as pequenas casas de enxaimel cuidadosamente restauradas abrigam pequenas butiques, cafés, restaurantes e bares típicos. Não é de se admirar que os músicos de Bremen quisessem vir para cá...[/align]

      •  
    4. Jonas.Schwertner

      Jonas.Schwertner

      [align=justify][t1]Floresta Negra[/t1]

       

       

      Em Baden-Württemberg, Estado no sul da Alemanha que faz fronteira com a França e a Suíça, é possível fazer um incrível passeio pela maior e mais bonita floresta do país: a Floresta Negra.

       

      A Floresta Negra, ou Schwarzwald para os alemães, não é apenas uma das mais variadas, mas também umas das mais conhecidas regiões para passar férias no país. A região oferece muitas opções turísticas, agradando tanto a quem procura a adrenalina de esportes radicais quanto aos que preferem a tranqüilidade das reservas naturais.

      Cobrindo uma área triangular no Estado de Baden-Württemberg, no sul da Alemanha, a floresta possui aproximadamente 145 km de comprimento e 40 km de largura. Feldberg, a montanha mais alta da região, com 1493 metros, é uma excelente pedida para esquiar no inverno e praticar escalada no verão.

      Vinhedos completam a paisagem da Floresta NegraPara quem gosta de pedalar, as condições para o esporte na região são ideais. São mais de três mil quilômetros de trilhas sinalizados para os mountain bikers. Os graus de dificuldade são diversos e agradam tanto aos iniciantes quanto aos mais aficionados do ciclismo. Quem tiver sorte verá Jan Ullrich, campeão alemão do Tour de France e astro do ciclismo, treinando para as próximas competições.

       

      [t3]Ensolarada[/t3]

       

      O nome Floresta Negra originou-se da grande quantidade de pinheiros escuros que crescem na região. Mas vale ressaltar que a floresta em si não tem nada de escura. Na verdade, essa é a região que mais recebe sol na Alemanha, propiciando o cultivo de uva e a produção de vinho.

      Opções de lazer em todas as épocas do anoIntermináveis pinheiros e bétulas misturam-se com vilinhas de contos de fadas. É muito difícil encontrar alguma parte da floresta que não tenha sua beleza e charme próprios. Antigas e belas casas em estilo enxaimel dão um toque todo especial à paisagem. Na região, pode-se achar até mesmo spas, bem como pequenas, rústicas e coloridas cidades, freqüentemente escondidas em vales de inigualável paz e beleza.

       

      [t3]Turismo[/t3]

       

      A região registra cerca de 28 milhões de pernoites por ano nas 138 mil camas em hotéis e pousadas, além de 60 mil quartos em casas para temporada, o que destaca a importância da Floresta Negra para o turismo em Baden-Württemberg.

      Águas termais, como as de Baden-Baden, Badenweiler e Bad Wildbad, têm uma longa tradição nessa área do país. Além disso, a sua localização é uma outra peculiaridade da região, um fato insólito, pois raramente tantas fontes estão em lugares tão próximos.

       

      [t3]Visitantes ilustres[/t3]

       

      Construções em estilo próprio dão à Floresta Negra um toque de conto de fadas. Pessoas famosas, provenientes de todas as partes do mundo, já passaram pela Floresta Negra, seja para descansar seja para se divertir na natureza. No século 19, por exemplo, qualquer pessoa considerada importante na Europa vinha passar um tempo no local: imperadores, príncipes, membros da família de Napoleão, atores, escritores ou compositores.

      Chapéu de bolas (Bollenhut): indispensável nos dias de festa Turgenev, Dostoiévski e Tolstoi também contemplaram a beleza da Floresta Negra. Victor Hugo foi um visitante freqüente. Brahms compôs melodias na calmaria do cenário. Até mesmo a rainha Vitória passou suas férias na região. Ainda hoje a Floresta Negra faz parte dos planos de férias na Alemanha, tanto dos citadinos nacionais quanto dos estrangeiros.

       

      [t3]Festas e costumes[/t3]

       

      A região da Floresta Negra guarda muitas tradições alemãs. Nos dias de festa, os trajes típicos saem dos armários e colorem as ruas. Não podem faltar, de maneira alguma, nos casamentos tradicionais.

      Carnaval mascarado: uma longa tradição. O carnaval é uma das principais atrações da região. Máscaras de madeira invadem a rua e surpreendem os visitantes. Vale a pena conferir o belo trabalho de escultura dos objetos carnavalescos.

       

      [t3]Tortas: especialidades da região[/t3]

       

      A região ganhou o mundo através da culinária. A torta Floresta Negra é uma das mais conhecidas e apreciadas na Alemanha, mas não se sabe ao certo onde a receita surgiu. Acredita-se que tenha sido na Suíça e que o nome tenha sido criado a partir de associações entre o chocolate raspado que serve de decoração à torta e as árvores da região. De qualquer forma, é possível degustar o clássico da confeitaria alemã em praticamente todos os restaurantes e bares da região.

       

      [t3]A via dos relógios[/t3]

       

      O relógio cuco faz parte da tradição regional.Um relógio cuco é uma lembrança típica e bastante cara. Os mais simples ficam em torno de 50 euros. As versões mais trabalhadas chegam a custar mais de 800 euros. Conta-se que Franz Ketterer criou o primeiro exemplar em 1740 em Schönwald, em plena Floresta Negra, e utilizou os elementos típicos da região para ilustrar a passagem do tempo: o canto dos pássaros e os caçadores.

      Lago Titisee: Em 1991, foi criada a "rota alemã dos relógios": partindo de Villingen-Schwenningen em direção a Titisee-Neustadt (onde também fica o famoso Lago Titisee), seguindo por St. Märgen, Furtwangen, Schramberg e Rottweil. Cerca de 30 cidades fazem parte do roteiro que inclui museus, fábricas e relógios monumentais.[/align]

       

      Site:Floresta Negra

       

      [creditos]Fonte:Deutsche Welle

      Pesquisa:Schwertner

      Edição:Joycebandi e Maurocuritiba[/creditos]

      •  
  16. Leipzig: a pequena Paris de Goethe

     

     

    "... é uma pequena Paris e instrui sua gente", dizia Goethe a respeito da cidade onde estudou. Leipzig continua mantendo sua fama e atraindo visitantes de todos os cantos do mundo.

    "Leipzig vem aí!" É esse o lema que sublinha, desde meados da década de 90, o pulo dado pela mais tradicional cidade da Saxônia em direção ao futuro. O propósito é fazer com que Leipzig retome a importância que teve no passado. Para isso, autoridades e população arregaçam as mangas, depositando grandes esperanças na mistura entre história e modernidade que a cidade representa.

     

    Tudo pode ser visto à pé!

     

    As estratégias são visíveis a olho nu: quem chega de trem a Leipzig tem a impressão de estar em uma das estações ferroviárias mais belas e modernas da Europa. Dali, são apenas alguns passos rumo ao centro histórico, quase todo restaurado, com suas duas prefeituras. A antiga e a "nova", que mesmo assim já contabiliza cem anos.

    Na avenida que circunda a cidade, há lojas e departamentos públicos, universidade e instituições culturais. Tudo com fácil acesso a pé. Leipzig, com meio milhão de habitantes, proporciona dessa forma as vantagens de uma grande cidade, sem no entanto trazer os incômodos que essas geralmente causam.

     

    Feiras e livros

    Centro de Feiras de Leipzig: A universidade local foi fundada há quase 600 anos, sendo uma das mais antigas da Alemanha. Com 24 mil estudantes e um leque variadíssimo de cursos, ela passa hoje por seus melhores dias. Economia e Administração de Empresas são alguns dos cursos de graduação que entraram rapidamente para o cânon universitário local. Afinal, Leipzig é, entre outras coisas, a cidade das feiras.

    Estas acontecem há mais de 800 anos e atraem visitantes de toda a Europa. As modernas instalações arquitetônicas do complexo Feira Nova (Neue Messe) oferecem uma infra-estrutura excelente para expositores e visitantes. Além dos diversos eventos industriais, a Feira do Livro de Leipzig goza de renome internacional.

    Também aqui procura-se estabelecer uma ligação com a tradição que paira sobre a cidade: tanto a imprensa quanto a literatura têm um pé fincado no cenário local. Em Leipzig estão instaladas algumas das mais importantes editoras alemãs e aqui foi editado, há 350 anos atrás, o primeiro jornal diário de todo o mundo.

     

    Coragem de enfrentar o poder

    Manifestantes nas ruas de Leipzig :Os habitantes da Saxônia são considerados comunicativos, tranqüilos, mas também ousados. Um exemplo da história recente: na Igreja de São Nicolau, situada no centro da cidade, começaram no segundo semestre de 1989 os chamados "protestos de segunda-feira", manifestações pacíficas contra o regime da ex-Alemanha Oriental.

    Sem a ousadia dos habitantes da cidade de ir às ruas, é provável que o Muro de Berlim viesse a ruir apenas bem mais tarde. Outro aspecto peculiar à cidade é a ironia das pessoas, principalmente em relação ao poder: em Leipzig foram levadas ao palco, mesmo durante o regime comunista, incontáveis peças satíricas.

     

    Lutero e Bach

    Johann Sebastian Bach: Os que vivem em Leipzig demonstram um orgulho especial em relação à Igreja de São Tomás, de confissão luterana, onde há mais de 780 anos está sediado um dos mais antigos e mais conhecidos coros juvenis do mundo: os "Thomaner" (Tomasianos). E foi exatamente nesta igreja, no ano de 1539, que Martinho Lutero introduziu a Reforma protestante.

    Pelo menos tão famosa quanto pelas mudanças provocadas por Lutero, a igreja se tornou conhecida, cem anos mais tarde, através da obra de Johann Sebastian Bach. O compositor atuou entre 1723 até sua morte em 1750 no coro da igreja, além de ter dado aulas na escola de música ligada à paróquia local.

     

    Deutschw Welle

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  8 mais
    2. felipebj182

      felipebj182

      Olá,

       

      Pessoal, gostaria de uma ajuda... estou indo a Leipzig para um festival em agosto agora, mas estou em dúvida de qual estação é a melhor para eu pegar o trem. Vou chegar em Berlin (Tegel) e preciso de lá do aeroporto ir para leipzig.. quais são as melhores estações para eu pegar o trem em berlin /saltar em leipzig?

       

      Obrigado!!!

      •  
    3. David Mattar

      David Mattar

      Prezados,

       

      Em julho deste ano (2012) vou fazer uma viagem com o objetivo de conhcer lugares ligados ao barroco musical alemão, com principal foco em Leipzig por conta de Bach.

       

      A viagem irá compreender:

       

      Berlim (4 dias)

      Potsdam (1 dia)

      Leipzig (2 dia)

      Dresdem (2 dias)

      Praga (4 dias)

       

      Devo fazer essa viagem de carro ou de trem? O que acharam o itinerário?

       

      Saudações bachianas!

      •  
    4. gabi_

      gabi_

      Oi David,

      Eu acho que dá pra ti fazer esses trechos de trem.. é tudo relativamente perto e se tu viajar acompanhado tu podes comprar os tickets de grupo que eles oferecem e acaba saindo mais barato.

      Há uns dois finais de semana fui com meu namorado de Dresden para Leipzig com um ticket desses nós dois juntos pagamos 26euros...

      E dá pra ir parando no meio do caminho, conhecendo as cidadezinhas e subir no próximo trem até a meia noite do dia da compra, se nao me engano...

      •  
  17. Hannover é um ponto de cruzamento de importantes rotas comercias. Cerca de 250 mil pessoas passam a cada dia pela estação ferroviária central da cidade, que tem apenas pouco mais de 500 mil habitantes.

    Hannover é conhecida por ser a sede da maior feira industrial do mundo e da CeBIT, a grande mostra internacional de tecnologia da informação e da comunicação. Seu parque de exposições o maior do mundo, com 240 mil metros quadrados.

     

    Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: A cidade da CeBIT Mas Hannover oferece muito mais aos seus visitantes. Tanto que a cidade pintou uma linha vermelha nas calçadas, para que os visitantes, na busca de atrações, não percam a orientação. Como um guia mudo, a linha acompanha os interessados por mais de quatro quilômetros, passando pelos principais pontos turísticos da cidade.

     

    Uma história agitada

     

    A antiga Praça do Mercado (Marktplatz), com a sua prefeitura velha (construída entre 1439 e 1455), está localizada no centro histórico (Altstadt). Nesta praça, que foi a base para a expansão da cidade, também se encontra a Igreja do Mercado (Marktkirche), uma das construções mais significativas do gótico em tijolo do Norte da Alemanha. O povoado Hannovere foi mencionado pela primeira vez em 1150, como colônia de comerciantes e recebeu em 1241 oficialmente os direitos de cidade.

     

    A nova Hannover

     

    Quase completamente destruída pelos bombardeios dos Aliados em outubro de 1943, a cidade ressurgiu praticamente das ruínas após a Segunda Guerra Mundial. Por causa do seu excelente planejamento de trânsito e sua rápida reconstrução pós-guerra, até hoje Hannover é considerada um exemplo. Ao redor do ponto de encontro Kröpcke-Uhr (relógio Kröpcke) localiza-se um dos maiores calçadões da Alemanha - com bares, restaurantes, arte e música na rua, cinema, cultura e teatro. O centro histórico também é um lugar que convida a um passeio entre casas bonitas e cuidadosamente restauradas, lojas e cafés.

     

    A cidade dos jardins

     

    Bildunterschrift: Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: Jardim no Castelo de HerrenhausenMuitas pessoas chamam Hannover de "cidade dos jardins", referindo-se aos jardins do Castelo de Herrenhausen, em estilo barroco. Entre os séculos 17 e 19, os príncipes eleitores e os reis da cidade mandaram construir vários jardins, como o Grosser Garten (Grande Jardim) e o Berggarten (Jardim de Plantas Alpinas). Vale a pena, também, conhecer a nova Tropenhaus (Estufa Tropical), que desde 1996 substitui a antiga Estufa das Palmeiras, destruída na Segunda Guerra Mundial. Seu objetivo não é apenas mostrar as belezas da Amazônia, mas sim contribuir para a proteção do meio ambiente através da sensibilização de crianças e adultos para esta temática.

     

    Mais um símbolo da cidade são as Nanas, esculturas grandes em forma de mulheres coloridas e gordas, criadas pela artista francesa Niki de Saint Phalle. Vistas como provocação, causaram um verdadeiro escândalo na sua instalação em 1974.

     

    O turista também não deve deixar ver a Casa Leibniz, na qual viveu o famoso filósofo, matemático e diplomata, barão Gottfried Wilhelm von Leibniz, no começo do século 18. Além disso, Hannover oferece uma grande quantidade de museus, entre os quais o famoso Museu de Arte Moderna Sprengel. Ele apresenta uma grande coleção de obras do expressionismo alemão, do cubismo francês, como também da arte abstrata do pós-guerra.

    Deutsch Welle

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  3 mais
    2. Pensador

      Pensador

      Pessoal, alguém que tenha ido recentemente a hannover pode dizer como está o preço das coisas por lá, tipo hospedagem, alimentação, transporte etc.

      •  
    3. marciog18

      marciog18

      Pessoal, alguém que tenha ido recentemente a hannover pode dizer como está o preço das coisas por lá, tipo hospedagem, alimentação, transporte etc.

       

       

      Pensador,

       

      calcule uns 60 euros por dia: 30 euros pra hospedagem e 30 euros para comida.

      •  
    4. Pensador

      Pensador

      Obrigado Marcio!

      •  
  18. O que eu gosto deles são os Chocolates....Nossa muito bons.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  8 mais
    2. CrisB

      CrisB

      Gente, pesquisei no fórum e não encontrei nada sobre isso, então acho que aqui é o local ideal pra perguntar.... alguma dica ou maneira especial de como conservar esses chocolates comprados lá enquanto dura a viagem? Pergunto porque em junho vou pra Bruxelas, e é bem no começo do meu roteiro... esses chocolates não vão estragar/derreter/whatever na mala? Se tiver frigobar no hotel, pode colocar ou não precisa (ou não deve)? ::sos::

      •  
    3. ElaineCristina

      ElaineCristina

      Gente, pesquisei no fórum e não encontrei nada sobre isso, então acho que aqui é o local ideal pra perguntar.... alguma dica ou maneira especial de como conservar esses chocolates comprados lá enquanto dura a viagem? Pergunto porque em junho vou pra Bruxelas, e é bem no começo do meu roteiro... esses chocolates não vão estragar/derreter/whatever na mala? Se tiver frigobar no hotel, pode colocar ou não precisa (ou não deve)? ::sos::

      Olá CrisB,

      Estive em Bruxelas no final do mês de julho desse ano e a cidade foi uma das últimas que conheci nessa viagem, depois só segui para Paris onde fiquei +- uma semana. Comprei diversas caixas de chocolate em Bruxelas (realmente vale a pena comprar!) e guardei todas o tempo todo dentro da mala (ocupam um bom espaço, viu?!) e chegaram em ótimo estado aqui no Brasil! Acho q não precisa guardar no frigobar, só se estiver um calor fora do comum, porque nas lojas que vendem os chocolates elas também não estão refrigeradas. E boas compras!!

      •  
    4. CrisB

      CrisB

      Estive em Bruxelas no final do mês de julho desse ano e a cidade foi uma das últimas que conheci nessa viagem, depois só segui para Paris onde fiquei +- uma semana. Comprei diversas caixas de chocolate em Bruxelas (realmente vale a pena comprar!) e guardei todas o tempo todo dentro da mala (ocupam um bom espaço, viu?!) e chegaram em ótimo estado aqui no Brasil! Acho q não precisa guardar no frigobar, só se estiver um calor fora do comum, porque nas lojas que vendem os chocolates elas também não estão refrigeradas. E boas compras!!

       

      Oi, Elaine!

      Eu realmente nunca tinha visto nada sobre isso, mas não custa perguntar, né? :) Fico tranquila então, até porque junho ainda não é tão calor... Obrigada pela resposta!

      •  
  19. Aqui estou deixando o meu site, que está voltado para viagens de moto e para quem curte uma grande aventura. No site tenho dicas sobre o Piauí e a história da minha última aventura sobre duas rodas. Tenho certeza que vão gostar.

     

    http://mototrilhas.freeforumhost.us/

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  73 mais
    2. Sheila aliehS

      Sheila aliehS

      Olá!

      Estou pretendendo ir para Parnaíba-PI e de lá vou dar uma volta em Esperantina para conhecer a Cachoeira do Urubu. Alguém sabe informar se no Mês de Julho é um bom período para ir, pois tem a questão do período em que as chuvas diminuem e ai diminuem também o volume de água das quedas dágua. Pretendo ir de após o dia 10/07. Desde já agradeço.

       

      Sheila

      •  
    3. Piauí

      Piauí

      As chuvas pelo Estado do Piauí cessaram no mês de Abril/Maio. As águas já começam a secar neste período, mas dá para contemplar um pouco as águas no mês de Julho. Em Agosto já é o início da seca por aqui. Não posso afirmar para você se encontrará bastante água no mês de Julho, mas é provável que encontrará de forma razoável.

      Qualquer dúvida estamos à disposição pelo Piauí.

       

      Saudações,

      Júlio César.

      •  
    4. Nícolas Barbosa Piauí

      Nícolas Barbosa Piauí

      Galera, tudo bem?

       

      Aqui estão algumas dicas de viagem para um roteiro que contempla diversos pontos entre Teresina e boa parte do trecho que vai a São Raimundo Nonato.

       

      http://www.acessepiaui.com.br/index.php?pg=ver_coluna2&id=964

      •  
  20. Alguem conhece algum lugar ressola sapatas? Qual o custo médio de uma ressola? Vale mesmo a pena?

     

    A minha sapata (Snake Anhangava) está toda arredondada, coitada... não sei se mando ressolar ou parto pra outra. Vi que a Nômade tem umas sapatas bem legais... qual o melhor custo x benefício?

     

    []'s

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  18 mais
    2. FBP1978

      FBP1978

      Estou com esse problema também Danilo, uso tenis 42 e a sapatilha 42 sem a mínima chance de entrar no meu pé.

      Também estou vendo o modelo Snake Anhangava, proveia a modelo novo Anhangava II número 44, ficou boa, dedos bemmm apertado, acho que será essa mesma,

      porém provei a Resilience 44 também, e ficou bemmmm mais apertada, acho que vou na Anhangava mesmo...

       

      Bom, eu tenho o pé largo, então estou procurando a mais indicada ainda...as 5.10 são caras infelizmente...

      •  
    3. gumamanske

      gumamanske

      Todos meus calçados são 42. Comprei uma /Trinity da Snake tbm 42 e mano, coitado dos meus pés! Os dedos ficam esmagados! Isso é normal? Desculpe minha ignorância, estou apenas iniciando no esporte.

      •  
    4. raphavet

      raphavet

      Sim é normal,

       

      vc ainda vai precisar assistir muita tv com a sapata no pé até ela e o seu pé sofrerem as adaptações necessárias, e lembre-se que o escalador tem 2 felicidades ao encadenar uma via, 1º pela conquista 2º pela retirada da sapatilha, kkkkkkk

      abraço

      •  
  21. Dias econômicas de Hospedagem sugiro os hostels daqui. Tem um em olinda, Recife e em porto de galinhas. Você ja tem carteira de alberguista?

    Em olinda, visite o sítio histórico, suas igrejas e casarões antigos, alto da sé (coma uma tapioca de la), os 4 cantos, mecado da ribeira e procure saber o que está rolando de atração cultural no período em que estiveres aqui.

    Recife tem muitos outros atrativos e são mais espalhados, mas muitos você encontrará no Recife antigo: casarões historios, pontes, fortes, a primeira sinagoga das américas, o porto do recife, museus...

    Mais afastado, encontrarás a oficina de cerâmica de francisco brennand, e o castelo de ricardo brennand, vale a pena tirar um dia para visita.

    Pode fazer uma trilha ecológica no horto de dois irmãos, comer uma peixada na Casa de Banhos nos diques do Recife e vê o por do sol, conhecer os casarões do poço da panela e de apipucos e ate mesmo conhecer uma fábrica de cachaça com enormes barris de carvalho da cachaçaria carvalheira. opções não vão faltar

    Segue alguns sites pra pesquisar:

    http://www.guiapernambuco.com.br/

    http://www.empetur.com.br/

     

    História

    http://www.fgf.org.br/

    http://www.pe-az.com.br/

    http://www.memorialpernambuco.com.br/

    http://www.orecifeassombrado.com.br/

     

    Você pode chegar a porto de galinhas pegando um ônibus na cidade ou no aeroporto. Custa em média 4 reais e chega em aproximadamente 40 min

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  126 mais
    2. Pablo Hawson

      Pablo Hawson

      O Booking é 100% confiável. Já fiz inúmeras viagens nacionais e internacionais por ele e nunca tive qualquer problema.

      •  
    3. jéssica.lourenzo
    4. Ana .macedooo

      Ana .macedooo

      Em Recife recomendo o Cult Hostel Design e o Ramon Hostel ;)

      Já me hospedei em ambos e gostei, principalmente o Cult Hostel Design, aaaah ... O Ramon Bar não serve café da manhã, mas fixa bem perto da praia de Boa Viagem e tem um bar em baixo do Hostel que sai comidas Argentinas e funciona a partir de 18h se não me engano, tudo muito gostoso e barato.

      •  
  22. Que coincidência, estava pensando num tópico sobre isso há dias!

     

    Além de "Diários de Motocicleta", que é nota 10, também vale citar "A Praia" e ainda, uma comédia muito louca chamada "EuroTrip"(em português chama-se "Passaporte para a Confusão") que é muito legal, sobre uma galera que roda a Europa atras de uma loira maravilhosa! hehe... dei muita risada.

     

    []'s

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  275 mais
    2. Debizinha

      Debizinha

      Into The Wild e Livre.

       

      Filmes tocantes com paisagens belíssimas. ::hãã2::

      •  
    3. Dust_Adventure

      Dust_Adventure

      Sugestões, que não li aqui no tópico, li meio por alto então pode ter sido mencionado, mas tá valendo:

       

      Last Stop for Paul (http://www.imdb.com/title/tt0930071/);

       

      The Straight Story (http://www.imdb.com/title/tt0166896/) - muito legal;

       

      The Way (http://www.imdb.com/title/tt1441912/) - caminho de Santiago;

       

      One Week (http://www.imdb.com/title/tt1104806/) - que curte moto vai gostar mais ainda.

       

      Adoro filmes sobre viagens, quem tiver mais dicas novas não deixe de postar rs

      •  
    4. Luis Moura

      Luis Moura

      Saindo do forno sobre o Caminho de Santiago de Compostela!!! ::otemo::

       

      CARTEL_FOOTPRINTS_pequen_o.jpg

       

      Onze jovens americanos do deserto do Arizona rumam para a Espanha com o intuito de realizar a caminhada rumo a Santiago de Compostela. No caminho as já conhecidas e exuberantes paisagens espanholas que acompanham os viajantes através da North Road (caminho do norte) e Camino Primitivo (Caminho primitivo ou Lebaniego) e os desafios impostos pelo clima e pelo próprio corpo humano.

       

      Por 40 dias e um pouco mais de 1.000 km o grupo relata uma bela história física e espiritual que certamente mudou a vida do grupo para sempre.

       

      http://www.omundoeseu.com.br/caminho-de-santigo-vira-documentario-faz-sucesso-cinema-espanhol/

      •  
  23. 10/12/2005 - Fortaleza/Guarulhos/Santa Cruz de La Sierra/Sucre

    Saí preparado pro dia mais cansativo da minha vida hehehe O plano era chegar em Santa Cruz e já vazar pra Sucre no ônibus noturno. Em Guarulhos, enquanto esperava o vôo no aeroporto fui reconhecido pelo Bruno, do RJ, através da minha foto do Mochileiros e acabamos viajando juntos até Arequipa. Essa foi a surpresa boa. Chegando em Santa Cruz, corremos pro Terminal Bimodal e era aquela zona, galera gritando "Sale Santa Cruz, ahorita ahorita, último bus!" e nós sem sabermos o que fazer, acabamos comprando pela Expreso Santa Cruz. Pior ônibus da minha vida!!!! As molas dos bancos saindo, os fios pendurados no teto, cheio até a tampa, estrada uma buraqueira só! A previsão era chegar em Sucre por volta das 7h da manhã. Só que o busão quebrou 3 vezes no caminho. A primeira o motorista consertou rapidão. A segunda ficamos parados mais de 4 horas na estrada. E a da terceira, já no dia seguinte, o ônibus não se recuperou e tivemos de completar o trajeto até Sucre de táxi!

     

    11/12/2005 - Sucre

    Começamos o dia por volta de 12:30pm. Foi foda porque estávamos exaustos e como era domingo, todos os museus estavam fechados na cidade e mesmo o passeio dominical clássico, visitar a feira folclórica da vizinha Tarabuco, já não dava mais pra fazer. Demos umas voltas pelo centro histórico e planejamos o dia seguinte: acordar cedo, ver os museus e igrejas que desse e pegar o busão pra Potosí de 11:00am. Assim chegaríamos lá às 14h, visitaríamos o Museo Casa de la Moneda e depois iríamos pra Uyuni de noitinha.

     

    12/12/2005 - Sucre/Potosí/Uyuni

    Segunda-feira nem todos os museus estavam abertos, mas deu pra ver alguma coisa e o mirante da Recoleta, que é bem legal, dá um vista boa da cidade. Seguimos para Potosí mas novamente tivemos problemas mecânicos no ônibus. Resultado: chegamos às 16h. E descobrimos lá que a Casa da Moneda não abria às segundas! Visitamos o museu e mirante da igreja de San Francisco em vez disso e demos umas voltas pelo centro. Valeu a parada antes de Uyuni! E nesse ônibus finalmente não houve qualquer falha mecânica, mas em compensação tinha um motorista Joselito que botou umas músicas super-bregas a todo volume enquanto todo mundo tentava dormir.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  26 mais
    2. fraga28

      fraga28

      Clayton, sou novo nessa estória de mochileiro, vou fazer minha primeira viagem assim agora em janeiro/07, seu relato inspirou meu cronograma. Valeu mesmo!

       

      Fiz um tópico no mochileiros 1ª viagem, se vc puder me responder as perguntas eu agradeceria imensamente.

       

      Abraços e boa viagem a todos.

      •  
    3. malucrazy

      malucrazy

      muiiiiiiiiiiiiito bommmmmmmmmmmmmmm

      •  
    4. storm1978

      storm1978

      Clayton, li teu relato inteiro. Sensacional!!! Viajei junto com tua narração!!

      Vou sair com a mochila em 05/01/08 para a Bolívia via Corumbá e "Trem da morte". A idéia é conhecer o que der - e valer a pena - de lá, incluindo o salar, depois ir para o Peru até Machu Picchu fazer a Trilha Inca. Sem dúvida seu roteiro foi de grande valia; vou encaixar o que vc dise q vale a pena.

      O duro é que só terei 20 dias...

      Muito obrigado pelo post. Muito bom mesmo!!! Espero por outros!!

      Grande abraço e boas viagens. :lol:

      •  
  24. Resolvi comecar o tópico por Gotemburgo onde moro.

    História

    Encomendada pelo rei Gustaf Adolf II cancado que estava de ter a cidade constantemente assaltada por Dinamarqueses.Por questão geográfica Gotemburgo foi construída há 40 km ao sul de onde existia o povoado.

    A área escolhida para a construcão não era muito propícia pois ficava abaixo do nível do mar , porém com algumas defesas naturais e fortificacões já existentes para conterem os piratas indicavam a possibilidade, engenheiros holandeses foram os responsáveis pela drenagem da água do mar por terem vasta experiência no assunto .Após a construcão os moradores daquela antiga Gotemburgo foram convidados a mudarem para a nova cidade nos idos de 1619.

    Entre pedras, colinas ,planícies, lagos, rios, canais e mar nasceu esta que é a segunda cidade do país com 481 mil habitantes aproximadamente,tendo um período de ouro como dos maiores portos de carga da Europa e hoje mescla entre o antigo e o moderno em perfeita harmonia.

     

    Visão geral

    Predios altos somente no centro da cidade em estilo vitoriano preservados externamente e totalmente modernizados internamente, nos bairros os prédios são baixos pois, pela lei não se pode cobrir o horizonte com construções.

    O melhor parque de diversões da Escandinávia está aqui localizado , o Liseberg,o velho e o novo diversão para todas as idades de um simples carrossel a uma montanha russa de matar de medo, palco com musica ao vivo , teatros , restaurantes, local para dancar e patinar, abundantemente arborizado e florido faz a alegria de turistas e moradores no periodo de abril a outubro e alguns dias em dezembro onde maravilhosamente iluminado comemora o natal.Ao lado do parque esto localizados dois museus , o Universeum e o Museu do mundo!

    Slotskogan, este também é imperdível , relax total , caminhadas , mini zoo com animais "locais" , encontro com a galera pra queimar uma salsichinha, bares restaurantes e quiosques, para quem quer sossego é um ótimo local no centro da cidade.

    Vários teatros, um cassino e a ópera a pleno vapor o ano todo, assim como as salas de cinema .

    Um passeio pela Aveny é imperdível , de longe se vê o museu de arte belíssimo prédio moderno guardado pela estátua de Poseidon o símbolo ou mascote da cidade, continuando a caminhada por bares e restaurantes com mesas nas calcadas povo descontraidamente tomando um café . O sueco é apaixonado por café , se quiser ganhar um sueco é dar um café pra ele,mas tomem cuidado os cafés são servidos em "baldes" [:D]

    Para quem vem no verão um passeio de barco pelo canal é essencial , uma visão diferente da cidade.

    Apesar de não ter as ruas arborizadas quando vc menos espera aparece um parque , um reduto verde onde no verão o povo toma sol , lê um livro, bate um papo , passeia com as criancas enfim "ta det lugnt " "despluga".

    Shoppings , cafeterias,esportes, artes , natureza , praias , lagos, colinas de tudo um pouco tem esta pequena grande cidade.

     

    Albergues

     

    Preços variam de 175,00kr a 800,00kr

     

    Alguns incluem café da manhã , roupa de cama e toalha de banho.

     

    Slottsskogen

     

    Localização: Vegagatan, central parte antiga do centro

    Preço: 175,00 kr p/p em salão

    Site: Slottskogen

     

     

    Mini-Hotel

     

    Localização:Tredje långgatan Central , parte antiga do centro

    Preço: 180,00 kr p/p em salão

    Site:Minihotel

     

    Göteborgs Vandrarhem

     

    Localização: Mölndalsvägen, Central , próximo ao Liseberg

    Preço:200,00 kr p/p em quarto 6 a 8 pessoas

    Site: Götebors vandrarhem

     

    Masthuggsterrassens vandrarhem

     

    Localização:Masthuggsterrassen , central parte antiga do centro

    Preço:190,00 kr p/p em salão

    Site: Masthuggesterrassen

     

    Stigsbergsliden Vandrarhem

     

    Localização: Stigsbergsliden, central próximo ao terminal navios para Dinamarca

    Preço: 200,00 a 215,00 p/p baixa e alta temporada em salão

    Site:Hostel

     

     

    Vandrarhemmet Linnè

     

    Localização: Vegagatan, central parte antiga do centro

    Preço:220,00 kr p/p em quarto até 8 pessoas

    Site: Linne

     

     

    STF Turiststation i Mölndal ( Albergue da Juventude)

     

    Localização: Kållered , tem que pegar o bonde nr 4 em Brunnsparken ha 5 minutos da central estação e o onibus 760 em Broplats i Mölndal ( ponte de Mölndal) até Torrekulla. Obs : não é tão complicado quanto parece.

    Preço: só para membros 125,00kr p/p em salão

     

    Formule 1 hotel

     

    Localização:Järnbrottsmotet , tem ponto de ônibus na porta .

    Preço: 390,00 p quarto / 2 pessoas

    Site: Järnbrott

    Importante: A maioria dos albergues cobram uma taxa de limpezade saída entre 50,00 e 60 ,00 kr além da diária.

     

    [t3]Consulte a meteorologia:[/t3]

    [linkbox]O tempo em Gotemburgo[/linkbox]

    •   
  25. Fala brother e o seguinte, La Higuiera fica depois de Samaipata, pra voce chegar la o modo mais facil e pegar uma trufe (tipo um taxi), tu pega essa trufe uma quadra do terminal de sta cruz, eu nao fui, quando cheguei em sta cruz estava tudo em greve (el paro)...

    Mas confesso que fiquei com muita vontade de chegar la...

     

    abrasss

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  66 mais
    2. Eduardo Pedroso

      Eduardo Pedroso

      Maria Emilia...

       

      Eu quero ir apenas ate Valle Grande... nao pretendo andar por Samapaita.

       

      Vc sabe me dizer se teria a possibilidade de eu sair a noite de Santa Cruz e ir para Valle Grande direto? Minha intençao eh chegar em Valle Grande com o dia claro fazer os passeios e as 18:00 ir direto pra Sucre ( com onibus pre reservado) ... seria possivela fazer esse percurso a noite? Dd Santa Cruz ate Samapaita e de Samapaita ate Valle Grande?

       

       

      Eaee Feer,, Vou fazer o mesmo esquema que vc, mais pretendo ir até La higuera... vai ser: Snta Cruz > ValleGrande > La Higuera > Valle > Sucre.

      Eae vc ja viajou? ou já resolveu alguma coisa?

      Aonde vc pré reservou de Valle até Sucre.

      Brother , se vcs puder me passar algumas informações de preços e horários, ficarei enormemente grato.

      Achei muito pouca informação completa, nesse trajeto to meio perdidão cara...

      Aguardo obrigadoooo!!!

      •  
    3. Feer Magalhães

      Feer Magalhães

      Oi Eduardo...

       

      Ainda nao fui nao... irei em janeiro/2015.

       

      Achei umas informaçoes em outros relatos da propria Maria Emilia.

       

      Tem onibus que sai diariamente de Santa Cruz para Valle Grande da Plaza Oruro, conhecida como Plazuela 3° Anillo.

       

      Tem tambem do Sindicato de transportes 24 de Septiembro.

       

      Espero ter ajudado.

       

      Sem mais,

       

       

      Fernanda Magalhaes.

      •  
    4. Eduardo Pedroso

      Eduardo Pedroso

      Oi Eduardo...

       

      Ainda nao fui nao... irei em janeiro/2015.

       

      Achei umas informaçoes em outros relatos da propria Maria Emilia.

       

      Tem onibus que sai diariamente de Santa Cruz para Valle Grande da Plaza Oruro, conhecida como Plazuela 3° Anillo.

       

      Tem tambem do Sindicato de transportes 24 de Septiembro.

       

      Espero ter ajudado.

       

      Sem mais,

       

       

      Fernanda Magalhaes.

       

       

      Eae Ferr...

      Valeu por essa informação,,

      Estarei indo antes então de vc então né,

      Vou procurar pegar todas as informações possíveis na viagem, e posto aqui.

      E vo da uma lida nos relatos da Maria Emilia, ver se consigo mais informações ainda ::hãã2::

       

      Valeuuuu,, tée maisss!!!

      •  
  26. [align=justify][t3]Carnaval de Colônia[/t3]

    O mais alegre da Alemanha .

     

    A metrópole à beira do Rio Reno é o bastião da folia mais similar à brasileira. Ao menos em sua filosofia: tchau para a realidade e cair na gandaia, com muita cerveja, fantasia e animação.

    O turista não tem melhor oportunidade para ver tanta animação, bom humor e alegria em Colônia do que no Carnaval, ou "Fastelovend", como a festa também é chamada na cidade. Há pessoas fantasiadas por todas as partes, bares cheios, bailes e desfiles. O bom humor contagia a população.

    O Carnaval de Colônia é quase tão velho como a cidade, fundada pelos romanos. Mas da forma como é festejado atualmente, existe desde 1823, quando cidadãos de Colônia fundaram um comitê organizador. Afinal de contas, para os alemães, tudo deve ter a sua ordem!

    Donos da festa - Este comitê, do qual só homens fazem parte, define o tema do Carnaval, além do percurso dos desfiles oficiais e quais sociedades carnavalescas podem participar do desfile mais importante, na segunda-feira, feriado inoficial em Colônia.

    O comando dos festejos cabe a um trio: um príncipe, um camponês e uma virgem, representada na verdade por um homem. Herança da Idade Média. Os dois primeiros simbolizam a força da nobreza e do povo para enfrentar o domínio de estrangeiros sobre a cidade. A virgem representa a resistência em pessoa.

    Quase toda coincidente com o inverno europeu, a quinta e mais quente estação do ano, como os colonianos ironicamente chamam o período carnavalesco, se inicia sempre, oficialmente, no dia 11 de novembro, às 11 horas e 11 minutos, com show e muita cerveja no centro da cidade. A partir de então, acontecem bailes e shows nos fins de semanas, preparando o ânimo do povo para o desfile principal.

    A vez das mulheres - Numa festa tradicionalmente comandada pelos homens, desponta como contraponto a chamada Quinta-feira das Mulheres (Weiberfastnacht), a última antes dos dias propriamente ditos de Carnaval. Neste dia, elas têm direito a fazer o que quiserem, a começar por cortar as gravatas de todo homem que estiver usando uma.

    Mulheres e homens festejam nos bares, salões ou onde quer que seja até o sol raiar, na talvez noite mais liberada da Alemanha. É comum ver os policiais que tratam da segurança da festa terem um coração pintado com batom na maçã do rosto.

    Na sexta-feira, há festas e muita vida nos bares. Aliás, nesta noite também acontece o já tradicional Baile Brasileiro, que reúne cerca de dois mil foliões ao ritmo de marchinhas, sambas e axé-music. O evento realiza também concurso de fantasias entre os foliões. Munique e Frankfurt também têm bailes brasileiros.

    No sábado à noite, a vez é do Desfile dos Fantasmas (Geisterzug). Um programa alternativo à agenda oficial, sem dinheiro, improvisado, mas muito criativo nas fantasias.

    No domingo, é a vez do concorrido desfile dos colégios e bairros, que serve de aquecimento para o dia seguinte, quando se apresentam os clubes e sociedades mais tradicionais e os vencedores do desfile da véspera.

    Rosenmontag - A Segunda-feira das Rosas é a data mais importante do Carnaval coloniano. Os turistas e a população - quase toda fantasiada - acorrem em massa para as calçadas e ficam horas esperando e assistindo ao grande desfile que percorre quilômetros, num trajeto sinuoso pelo centro da cidade. Nos últimos anos, o público tem chegado a um milhão e meio de espectadores.

    Membros de um comitê organizadorA partir das 11 horas da manhã, mais de 70 carros alegóricos e 100 sociedades carnavalescas passam pelas ruas, com seus integrantes jogando mais de 100 toneladas de balas, bombons, flores e pequenos presentes, para a alegria das crianças e adultos. A música fica por conta de bandas e fanfarras. As letras exaltam a paixão pelo Carnaval. O bairrismo e o humor também não faltam.

    A cerimônia tenta ser uma sátira às paradas de soldados franceses do início do século 19, quando estes ocupavam Colônia, mas o turista recém-chegado não perceberá isto, a não ser que alguém conte para ele.

    Muitos clubes carnavalescos mantêm a tradição de desfilar com uniformes vermelho e branco ou azul e branco, marchando ao som da banda. Hoje, alguns historiadores acreditam que, na verdade, a zombaria visava as próprias tropas que fugiram covardemente com a chegada dos franceses.

    O Nubbel - A priori, os festejos terminam à meia-noite de terça-feira, quando chega a hora de se cremar o Nubbel, um boneco de palha que passa os dias (e noites) de folia dependurado sobre a porta dos bares. Em julgamentos geralmente sumários, ele é acusado e condenado pela farra e pelos pecados cometidos durante o Carnaval.

    Já há porém versões mais modernas, em que o pobre Nubbel tem direito a um "advogado de defesa", mas, por outro lado, também acaba sentenciado pelos infortúnios e desgraças vividos cotidianamente pela população. E ele não escapa de seu destino: a fogueira.

    Então já é Quarta-feira de Cinzas, o dia em que o almoço tradicional tem peixe no cardápio. Hora de voltar para a realidade, se bem que alguns voltam é para os bares, até o sol raiar.[/align]

     

    [creditos]Fonte:Deutsche Welle[/creditos]

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  20 mais
    2. wwagner

      wwagner

      É , pelo que estou vendo Colônia é uma cidade boa mais para fazer uma escala, já que como disseram, de lá parte trens para outros lugares legais, para quem vai entrar/sair da Alemanha é excelente, mas nem vou me hospedar, vi que a maioria das atrações se concentram tudo no centrinho e da para fazer de a pé né?

      •  
    3. leocaetano

      leocaetano

      Cara, eu ficaria pelo menos uns dois dias em Colônia. É uma cidade pra se conhecer sem pressa, curtir o clima da cidade, passear pelo rio, curtir as vistas da Catedral e do outro lado do rio, sentar num biergarten... É uma cidade encantadora.

      •  
        • Gostei! 1
    4. elienemb

      elienemb

      2 dias ou até 3 em Köln é uma boa pedida.

       

      Para quem gosta de tirar fotos de natureza recomendo visitar o Jardim Botanico, mas claro que na primavera ou verao é a melhor época. 

      Existe um edifício chamado Köln Triangle , que é um prédio com 103 metros de altura com um terraço panorâmico que dá a possibilidade de apreciar Colônia do alto, com vista para a Catedral e a ponte de ferro. Boa pedida pra ótimas fotos também.

      Outra dica é alugar uma bicicleta e percorrer a orla do Rio Reno.  

      Pra quem gosta de baladas alternativas, o bairro de Ehrenfeld é o point.:)

      •  
  27. Estive recentemente em Santa Helena de Uiaren na Venezuela.

    Pesquisei os preços nas operadoras. A maioria tem um mesmo pacote padrão.

    - 3 dias para subir

    - 2 ou 1 dia em cima

    - 2 dias para descer

    - Carregadores que levam ateh 15 kg para cada um dos participantes

    - Comida inclusa

    - Caminhada em media de 5hrs por dia

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  333 mais
    2. Arthur Gazzinelli Rabelo

      Arthur Gazzinelli Rabelo

      Estamos fechando do dia 05 ao dia 13 de Maio! Somos 3 pessoas! 

      Se alguém topar, bora fazer juntos que sai mais em conta! Já estamos em contato com o guia, precisando apenas fechar o número de pessoas para confirmar o preço!

      Qualquer coisa é só chamar (31) 99836-8355

      •  
    3. cristianojansen

      cristianojansen

      Alguém indo em setembro??

      •  
    4. Srg Garcia

      Srg Garcia

      E aí, pessoas!

      Estou planejando fazer o Monte no carnaval. Entre os dias 1 e 10 de março.

      Alguém se habilita para fecharmos um grupo?

      Pelo que vi a melhor opção são os guias locais. 

      •  
  28. Que sufoco, hein?

    Quanto saiu a passagem entre Cuzco e Nazca?

     

    Abraço

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  4 mais
    2. baqueta182

      baqueta182

      Ola,

       

      sabe se tem algum onibus noturno sainda de Cuzco la pelas 22h?

      •  
    3. Dimitri

      Dimitri

      Realmente embarcar em ônibus no Peru e, principalmente, na Bolívia, não é coisa para principiante !!

       

      Dmtr

      •  
    4. Fernanda Pedroso

      Fernanda Pedroso

      Oi ... Meu nome é Fernanda Vou fazer extamente esta viagem em Dezembro agora, mas ao contrario, vou começar por lima e acabar em santiago.

      Será que vc poderia me dar algumas dicas, principalmente de onibus, tipo Tempo de viagem empresas de onibus... horários estou super perdida quanto a isso.

       

      Se vc puder passar alguma outra informação improtante seria bom, estou um pouco perdida.

      bjs e obrigada

      •  
  29. [info]Tópico criado para discussão de assuntos sobre mochilas da marca HIGH SIERRA.

    http://www.highsierrasport.com/[/info]

    Olá aventureiros!!

     

    To querendo compra uma mochila, para fazer algumas viagens ou Trekking.

     

    e encontrei essa mochila com um preço muito bom!!

     

    segue o link das especificações da moichila: http://www.hssc.com/index.php4?page=shop/flypage&product_id=252&category_id=7&ps_session=0a8f0784e9bb73eb65ea5855fe6c28f2

     

    alguem poderia me informa se essa eh uma boa mochila, o material, as dimensões, etc, são confiaveis??

     

    agradeço desde já a ajuda.

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  10 mais
    2. efavila

      efavila

      E a mala High Sierra, recomendam?

      Alguém conhece?

      •  
    3. lowpower

      lowpower

      Tenho uma Hight Sierra Summit 45 L .. Comprei ela na bolivia e gostei muito!!

      Ela me serve para pequenas viagens e trilhas de até 3 dias.

      Ela possui 3 compartimentos principais, o bolso na "cabeça" da mochila, o principal e um inferior. Tambem possui capa de chuva, bolso frontal, dois porta treco nas laterais e um porta celular/maquina fotografica na alça.

      Achei ela muito pratica.

       

      Ela é igual essa:

      41841AF72ZL.jpg

      •  
    4. mwamser

      mwamser

      Quero muito comprar uma High Sierra Titan, mas só encontrei este vendedor no ebay que não sei se é muito confiável...

       

      http://www.ebay.com/itm/320913051515?ssPageName=STRK:MEBOFFX:IT&_trksid=p3984.m1427.l2649

       

      Alguém sabe onde eu posso encontrar essa mochila?

      •  
  30. Cara, só pra compratilhar um pouco do seu relato, eu estava nesse dia acampando na Pedra do Sino com uns amigos... A bandeira do Brasil que vc viu lá no Sino era do meu pessoal, e o cara do botijão passou por nós da mesma maneira que passou por vcs... parou pra trocar uma idéia com um dos meus amigos que passou mal e dormiu lá no abrigo... Acho que ele era um dos guardas que ficam por lá... E assim que chegamos no Parque de Teresópolis, vcs chegaram... a hora que vc falou bate com a hora que minha câmera digital registrou nossa chegada, mais ou menos as 13:05...

     

    Detalhe: eramos 5 caras, fazendo uma aventura dessas pela primeira vez na vida, passamos por aqueles perrengues normais de pessoas sem o menor preparo (subimos a trilha do Sino no sábado, e voltamos no domingo), e ficamos muito deprimidos ao ver vcs chegando, inteiraços, dizendo pro cara que fazia o check-out da trilha que estavam vindo de Petrópolis...

     

    Só pra confirmar, no final da trilha do sino não tinha um grupo de turistas, na hora que nós chegamos???

     

    Grande abraço, cara... Esse mundo... tão imenso, e tão pequeno...

    •   
    1. Mostrar comentários anteriores  3 mais
    2. luana_surfer

      luana_surfer

      :D Olá! Que legal essa aventura...essa trilha deve ser linda.Ainda vou fazê-la ^^

      E não posso perder o por-do-sol...é chega de ficar os fins de semana só assistindo Faustão hehehehe...

      Até mais, boa semana!

      •  
    3. *Golum*

      *Golum*

      Olá, alguém tem track log para garmin da travessia petro-tere?

       

      Valeu!!

      •  
    4. myung lee

      myung lee

      Olá, alguém tem track log para garmin da travessia petro-tere?

       

      Valeu!!

       

      Olá Golum. Visite o bolg do Tacio Philipes. Aí tem tracklog da travessia Petro - Tere(http://www.tacio.com.br/tacio/arquivos/gps.shtml). E o Mapa de Track Source mesmo já tá marcado a trilha.

      Procure cidade Petropolis e vai achar todos ponto interessante da traveissia. Eu também interessado pra fazer essa travessia na feriado de Tiradentes. Sei que no feriado longo não é adequado mas como trabaho so posso usar feriado. Se alguém conhece travessia me informe seguinte.

      01. Precisa de autorização - se precisar como posso pegar.

      02. Navegação é dificil - se for como posso pegar o guia e quanto custa .

      •  


×
×
  • Criar Novo...