Relatos de viagens pelos países do Sudeste Asiático: Tailândia, Vietnã, Timor-Leste, Singapura, Mianmar, Malásia, Laos, Indonésia, Filipinas, Brunei e Camboja


#1205469 por Débora Inês Santos
25 Jul 2016, 09:27
Este ano de 2016 resolvemos dar uma escapadela em Janeiro para paragens quentinhas e com boa comida e por isso rumámos à Malásia com uma passagem por Singapura.

Vou colocar neste report todas as informações úteis de preços desta viagem pois acho que isso é sempre muito importante (pelo menos eu aprecio essa parte) e vou colocar algumas fotos e o vídeo do dia/s correspondente/s. Os vídeos não são uma maravilha de bons, mas certamente vocês desculparão o amadorismo e a falta de qualidade em algumas imagens e som. Usámos duas máquinas uma gopro (que é péssima para captar o som) e a nossa Canon (que é péssima para gravar pois a lente está em constante focagem e é preciso travar a focagem em cada movimento....)

Então aqui vai, espero que gostem e tirem dicas para lá ir. Caso falte alguma informação que achei importante digam.

[b]Introdução:[/b]

Escolhemos voar na British Airways por dois motivos, primeiro porque só tinha uma escala (Londres) e segundo porque ajustando um dia (vindo no Domingo em vez de no Sábado) o valor dos dois bilhetes ficava num total de 998,96€ o que achei uma boa promoção. A boa parte é que podemos andar no A380 que ainda não tínhamos andado, mas a British em termos de serviço deixou muito a desejar, já não andava nesta companhia há uns anos e estava à espera de mais, desde o entertenimento de bordo à comida, passando pelos assistentes de bordo que apesar de sempre simpáticos e educados tinham nitidamente pouca paciência e estavam mais numa de despachar... Adiante

LIS-LON
LON-SIN

SIN-LON
LON-LIS

Apesar de irmos à Malásia compensava voltar novamente por Singapura. O bilhete de retorno por Kuala Lumpur por ex. ficava muito mais caro. Além disso íamos aproveitar esse retorno a Singapura para visitar Pulau Ubin então planeei o seguinte:

Singapura – 2 noites
Malaca – 2 noites
Kuala Lumpur – 2 noites
Langkawi – 4 noite
Retorno a Singapura com dia livre e retorno para Londres às 23h00

Para referência em termos de câmbio:

1 SGD (Dólar de Singapura) = 0,65€
1 MYR (Ringgit) = 0,22€

Imagem

As notas em Singapura são uma seca, é o mesmo homem de bigode em todas....


1º/2º DIA – 21/22 Jan. 2016

phpBB [video]


Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A vista do nosso quarto

Imagem

Imagem


Para alojamento resolvemos voltar a tentar o AirBnB. O alojamento em Singapura não é barato como no resto da Ásia e os quartos em hostels (quase todos em Little India ou China Town) ficavam ao mesmo preço que um quarto no AirBnB então procurámos um quarto com uma localização que nos agradasse. Tivemos sorte pois o quarto que alugámos ficou ocupado à última da hora (por um familiar da pessoa) então o anfitrião alugou-nos um quarto na casa dele, pelo mesmo valor (mas este era mais caro no AirBnB) ficava na mesma zona mas era muito melhor, em termos de vista e pelo facto de ter piscina. Além disso tivemos a possibilidade de conhecer o anfitrião e isso é sempre uma experiência interessante.

Para transportes utilizámos sempre o Metro ou o Autocarro. Os transportes são muito eficientes em Singapura e com o cartão EZ-Link que funciona como o 7colinas aqui em Lisboa, era só carregar e está a andar. O valor debitado é conforme o número de estações percorridas, um ex. do aeroporto até à estação mais próxima do nosso alojamento foi 1,54SGD. O passe turístico para nós não compensava em termos de valores, mas para quem fica 3 dias de seguida na cidade então sim pode compensar.



Preços das refeições nestes dois dias:

21/1
Jantar: 10SGD (6,55€) para os dois, comida chinesa num sítio de self-service
22/1
Peq. Almoço: 7,10SGD (4,65€) para os dois
Almoço: 13SGD (8,52€) para os dois
Jantar: 15SGD (9,83€) para os dois



3º DIA – 23 Jan. 2016



Neste dia tínhamos apenas a manhã livre para ver mais qualquer coisa de Singapura. Sem grandes planos queríamos ver a estátua do Merlion que estava em falta, mas de resto não tínhamos nada planeado a não ser comer o famoso Chicken Rice. A parte da tarde estava todo ocupada pois íamos fazer a viagem de autocarro até Malaca na Malásia, por isso neste dia não temos tanto para mostrar, mas ficam aqui umas fotos:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem



Autocarro Singapura – Malaca: 15SGD
Almoço no Mercado Tiong Bahru: 6,5SGD
Táxi desde a estação Malaka Sentral até ao centro de Malaca: 25MYR
Jantar no mercado Jonker Street: 26MYR



4º DIA – 24 JAN 2016



Depois da viagem atribulada do dia anterior, chegou finalmente a hora de conhecer Malaca. Este era um ponto obrigatório de passagem nesta viagem e as expectativas, que eram elevadas, foram largamente superadas.

A cidade vê-se bem a pé ou de bicicleta, visto o centro ser pequeno.
O espólio que os portugueses por lá deixaram é o principal objectivo do turismo mas o ideal mesmo é vaguear e perdermo-nos pelas ruas que esta cidade é muito interessante.

Algumas fotografias:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Custos a destacar deste dia:

Aluguer bicicleta 24h – 5MYR/pessoa (2€) (existem muitas casas onde é possível alugar)
Almoço - 21,30 MYR/total (4,72€)
Jantar – 9,5MYR/total (2,10€)
Malaka River Cruise – 21,5MYR/pessoa (4,76€)




5º DIA – 25 Jan. 2016



Infelizmente, e depois de um dia super bem passado em Malaca, temos de despedir-nos desta pequena grande cidade que deixa saudades, até hoje de vez em quando me lembro o quão agradável era e certamente faço planos de um dia voltar.

Neste 5º dia estava programado uma coisa muito importante: acordar tarde
Depois dar um passeio a pé junto ao rio, uma parte muito agradável. Ver a Igreja de São Francisco Xavier que não tínhamos visto no dia anterior, almoçar ainda por Malaca e na parte da tarde seguir rumo a Kuala Lumpur.

Não tínhamos nada marcado. Sabíamos que era preciso ir até Malaka Sentral e depois lá íamos tentar comprar um bilhete de autocarro para Kuala Lumpur, mas não sabíamos nem horas nem quais as companhias.

Ao chegarmos dirigi-me a um pequeníssimo balcão que algures num ainda mais pequeno papel dizia “Kuala Lumpur” e foi só pedir um bilhete. Indicaram-nos a zona onde o autocarro parava e a hora, e pronto, mais nada, há vários autocarros ao longo do dia e vários horários e a viagem dura sensivelmente 2h30, mais atraso menos atraso. Os autocarros não são os mais confortáveis, mas enfim, não se pede muito por cerca de 2,20Eur

Já em Kuala Lumpur começa o caos dos transportes, e nós que estávamos tão bem a andar de bicicleta em Malaca...

Os transportes em si achamos que funcionam bem, usámos o comboio, Monorail e Light Rail, o mais usual era a combinação dos dois últimos pois o nosso hotel ficava na linha verde do Monorail. Os bilhetes são muito baratos e o preço varia conforme as estações andadas tal e qual como em Singapura. Só não conseguimos perceber se tinham algum cartão recarregável. Nas máquinas pelo menos não, e os bilhetes são um género de moedas de plástico usáveis apenas uma vez. Como íamos ficar pouco tempo não tentámos algo mais prático e diga-se de passagem que também não havia muita informação exposta.

A ideia com que ficámos de Kuala Lumpur é que é uma cidade que está no limbo entre o luxo e a pobreza extrema. Do quarto do nosso hotel, um boutique hotel razoável, via-se as traseiras de casas, onde o lixo era atirado pela janela, caixotes cá em baixo transbordavam e as pessoas remexiam neles à procura de comida. Muitos emigrantes em situação precária. Mas ao mesmo tempo muito Chinês e Ocidental com um nível de vida nitidamente bom. No centro, as lojas de marca, os carrões, os restaurantes com “doses pequeninas”.

Mas depois ao mesmo tempo a mistura de culturas, tão em harmonia que até dá gosto ver. Eles são muçulmanos, budistas, hindus, cristãos e não há cá confusões!!!!
Talvez por isso mesmo é que este destino é um dos preferidos pelos turistas do médio oriente, facilmente reconhecidos (elas não passam despercebidas).



Algumas fotografias:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Custos a destacar deste dia:

Almoço - 29,70 MYR/total (6,65€)
Jantar – 18MYR/total (4€)
Autocarro de Malaca até à estação central – 1MYR/cada (0,22€)
Autocarro Malaca-Kuala Lumpur – Não anotei por lapso quantos MYR foram mas foi cerca de 2,20€/cada
Uma embalagem com durião – 15MYR (3,35€)



6º DIA – 26 Jan. 2016



Depois de uma noite bem dormida, tomámos pequeno almoço no nosso hotel, finalmente um hotel com pequeno almoço incluído, já fazia falta um luxo, é claro que era uma porcaria para “americano ver”, mas enfim.

Decidimos iniciar o nosso dia em Kuala Lumpur, fora de Kuala Lumpur com as Batu Caves, mas já vão ver o que aconteceu... não temos sorte nenhuma...

O resto está tudo descrito no video, mas a destacar foi o casal iraniano que conhecemos por lá e que foram super atenciosos, queriam dar-nos tudo, mapas, dicas, ideias do que visitar, ainda nos deram o contacto para irmos visita-los a Teerão, um amor de casal.

Fotos do dia:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Custos a destacar:

Almoço: o nosso pick nick no parque ficou por 16,24MYR (3,67Eur)
Comboio para as Batu Caves: 5MYR cada viagem/pessoa (1Eur)
Lavámos a roupa por lá numa daquelas lavandarias de moedas: ficou em 11MYR (2,48Eur)
Jantar: 45MYR ( 10,17Eur) - um pouco caro não penso que tenha justificado o valor
Massagem 30min. aos pés: 30MYR (6,78Eur)




Dia 7/8 – 27/28 de Janeiro 2016




O dia 27/1 estava destinado a ser um dia de atrasos...

Deixámo-nos dormir, depois demorámos mais do que o previsto a comer e a arrumar as mochilas, depois entrámos no metro na direcção errada e só demos pela coisa muitas estações depois, a seguir não nos conseguíamos orientar na saída do metro para descobrir a mesquita nacional, depois chegámos à mesquita e tinha acabado de fechar para as orações e só reabria às 15h00 o que não dava para nós, depois entrámos no jardim botânico e não conseguíamos parar de andar em círculos e descobrir a saída, depois atrasamo-nos a ir buscar as malas ao hotel e fomos a correr para a estação KL Sentral já quase sem tempo para comer pois tínhamos de apanhar ainda um comboio para ir para o aeroporto.

Por isso mesmo, assim que chegámos a Langkawi já só pensávamos em comer, dormir e na manhã seguinte ir para a praia.
Passear e ver coisas é bom, mas já fazia falta um dia de “não fazer nada”....

Neste vídeo ainda não começámos a explorar a ilha, mas deu para ver logo desde inicio que ia ser um lugar ao nosso estilo, não muito grande, nem demasiado cheio, iríamos ter facilidade de explorar por conta própria e de provar bastantes coisas boas. Isto tudo apesar de ser virado para o turismo até porque é uma zona balnear muito conhecida, e já para não falar que estávamos no inicio das férias do ano novo chinês os preços sobem logo um bocado, mas mesmo assim não é caótico de maneira nenhuma. Gostámos e ficámos com vontade de explorar outras ilhas da Malásia.


Algumas fotografias:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Custos a destacar nestes 2 dias:

Bilhetes de KL Sentral até ao aeroporto: 55MYR/cada
Táxi entre o aeroporto de Langkawi e a zona de Pantai Cenang: 20MYR (nota: há um balcão que atribui um taxista e cobra o valor que é tabelado conforme a zona, aqui não há negociações é tudo controlado)
Jantar em bancas de rua em Pantai Cenang: 22MYR/total
Cadeiras de praia em Pantai Cenang: 10MYR até ao final da tarde
Almoço banca na praia: 31MYR
Aluguer Mota 48horas: 60 MYR



Dia 9 – 29 de Janeiro de 2016




Depois de um dia descanso a aproveitar a praia de Pantai Cenang voltámos à “viagem”.
A nossa scooter Maria Isaura levou-nos até à Oriental Village onde entre outras actividades, se pode subir ao teleférico que dá depois acesso à Sky Bridge. Para além de ser uma experiência nova (e para mim bastante assustadora) é uma oportunidade para ter a melhor vista sobre a ilha, e tivemos sorte pois o dia estava soalheiro, apesar do vento que soprava com bastante força. Em dias de maior vento o acesso à ponte pode estar cortado, por isso quando lá forem tenham isso em conta.
Relativamente à Oriental Village e suas actividades, os bilhetes são caros e é definitivamente uma zona criada para sacar dinheiro ao turista. Se incluir o museu 3D ou a exposição dos dinossauros o preço ainda dispara mais. E atenção que há um preço para Malaios e um preço para estrangeiros.

Preços:

Imagem

Aqui não aparece depois o adicional que se paga, já lá em cima, para passar a ponte que são mais 5MYR cada (na opção ir a andar)


Em seguida visitámos a cascata de Telaga Tujuh o que veio mesmo a calhar neste dia de muito calor. E mesmo assim não subimos até à parte mais alta (que também tem mais gente). Estavamos literalmente a escorrer litros de suor e o banho na água fresca soube mesmo bem. A zona é de acesso livre, mas cuidado com os macacos, tenham sempre um olho nos pertences.


Algumas fotos:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Imagem

Imagem



Custos a destacar deste dia:

Entrada para o SkyCab: 45MYR/cada (9€)
Entrada para a Ponte: 5MYR7cada (1€)
Almoço: 9MYR/total (1,80€)
Cerveja no bar da praia: 7MYR/cada (1,50€9
Jantar:100MYR (20€) - mais caro, mas valeu cada tostão




Dia 10 – 30 de Janeiro de 2016



Neste dia não tínhamos quaisquer planos, por isso agarrámos na Maria Isaura e rumámos a norte. O objectivo era dar a volta à ilha de Langkawi, que não é muito grande, e quem sabe parar numa praia ou onde quer que nos apetecesse. Foi exactamente o que fizemos, fomos andando, quando nos apetecia parávamos. Ao final do dia retornámos a Pantai Penang a toque de uma chuva de fim de tarde devolvemos a Maria Isaura que funcionou espectacularmente nestes dois dias, e ainda fomos dar um último mergulho nesta praia bem como à noite houve tempo para nos despedirmos da comida Malaia.
No dia seguinte de retornávamos a Singapura já com 1001 planos para voltar à Malásia, que foi um extraordinária surpresa, adorámos este País e queremos explorar mais no futuro.

Algumas fotos:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

O sítio onde alugámos a scooter

Imagem


Custos a destacar deste dia:

Meio depósito de gasolina: 4,25MYR (0,93€)
Festim de bolinhos fritos+bebidas: 8MYR (1,75€)
Jantar: 20MYR (4,30€)



Dia 11 – 31 de Janeiro 2016




A nossa viagem entra na recta final e saímos de Langkawi muito cedo, o nosso voo era às 7e30 da manhã directos a Kuala Lumpur e logo depois com ligação ao aeroporto de Singapura, onde deixámos as mochilas e saímos para ir visitar Pulau Ubin visto só termos voo às 23h00.
Esta pequena ilha é a última oportunidade de ver como era esta zona antes de Singapura se tornar na cidade/país que é hoje.
É um espaço muito agradável e bastante usado pelas pessoas de Singapura para passarem um bom dia de fim de semana em família.

Adorámos estas curtas férias e está nos nossos planos voltar à Malásia que foi um país que nos ficou no coração.

Espero que gostem do report e qualquer pergunta estou à disposição.

Algumas fotos:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Custos a destacar neste dia:

Táxi de madrugada para o aeroporto de Langkawi: 30MYR (6,5€)
Bilhete barco do terminal de Changi Village até Pulau Ubin: 3 SD/pessoa (1,95€) - (tem de haver 12 pessoas para o barco sair, caso não queriam esperar podem pagar o equivalente aos bilhetes em falta)
Almoço em Pulau Ubin: 26,5 SD (17,26€)

FIM



Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante