Ir para conteúdo
bunker

Relatos de viagem ate machu picchu

Posts Recomendados

Diario 1 dia na fronteira

R$220,00 VIAÇÃO ANDORINHAS

Depois de 28 horas de viagem cheguei em puerto soares as 17 horas.

Tudo para min era estranho.

nao para o nosso amigo polones (Jaco)e o nativo Andersson

chegando la o taxi nos cobrou 5 bolivianos para nos levar ao hotel luxuoso Bibosi.

**

o nosso amigo polones achou um absurdo cobrar 5 bolivianos que é igual a 1 real

temtou baixar para 3 bolivianos mais nao conseguiu.

logo em seguida veio outro taxi que nos cobrou 3 bolivianos.

Logo penssei (se estivesse sozinho....)

em 5 minutos chegamos ao bibosi a estadia nos custou 80 bolivianos

oque seria quase 10 dolares.

hotel que tinha piscina e tv a cabo.

la era aonde ficava os artista da cidade.....

--------------------------------------------------------------------

2º dia 06/07/2006

 

Todos acordaram cedo até a fronteira para caribar o passaporte.

surpresa era dia da independência da bolivia.

depois de pegar mais de 10 taxis hotel migraçao nada resolvido.

nesse vai e vem fomos aonde estava os militares no desfile da idependencia.

 

troquei de hotel fiquei no cochabanba 15 bolivianos pouco mais de 3 reais muito bom hotel.COLCHAO CONFORTAVEL VENTILADOR.BANHO QUENTE

JA estava dando ate role em puerto quijarro.

Embarque no trem da morte

 

A Estação de trem abre 08:00 horas mais ja tem gente na fila.tudo tranquilo.recomendo jantar ante de proceguir viagem.

a taxa de embarque custa 2 bolivianos.

A velocidade do trem que poderia ser o treM da tartaruga nao chegava aos 60 km em determinados trechos a velocidade media era de 40 km.

uma coisa interessante quando o trem chegava em determinadas estacoÊs.

varios caes chegava junto aos vagoes em busca de comida.

O TREm é importante para a sobrevivencia das comunidades que existem ao longo da via ferrea.passei por lugares muito pobres.ninguem entrava no trem para pedir esmola,mais dava para notas tinha muitas crianças senhoras fazendo de tudo para vende algum grude.

Isso na classe pulman do trem a mais cara.

 

O Penssamento do pessoal era esse

"aonde eu fui me meter"

O TREM É BOM NA CLASSE PULLMAN DA PRA SE TIRAR UM SONO.

NAO TIVE POBLEMAS COM MOSQUITOS(LEVEI REPELENTE)

A QUASER CERTO QUE A VIAGEM ATRASE.

O TREM DA INUMERAS PARADAS.A PAISAGEM NAO É BOA.PASSA-SE NO MEIO DO PANTANAL SECO BOLIVIANO

Chegando a santa cruz de la sierra

lA PAZ NAO TEM NADA DE INTERESANTE.CHEGUEI EM LA PAZ DE MANHAM QUASE 12:00.

A ESTAÇÃO E BASTANTE SEGURA. É BOM SE PREPARA UMA DUCHA CUSTA 2 BL

E DA PRA JANTAR NA ESTAÇAO.

A VIAGEM ATE LA PAZ É LONGA E REZE PARA O BUS NAO QUEBRAR NA SUBIDA.

SE QUEIZER IR BEM COMFORTAVEL

 

TEM A VIAÇÃO COPACABANA 100 A 150 BOLIVIANOS.

 

GASTEI NO TOTAL 70 BOLIVIANOS 40 BL P/COCHABANBA.COCHABANBA 30 P/LA PAZ

 

DURAÇAO DA VIAGEM ATE COPACABANA FOI DE 17 HORAS SE NAO QUEBRAR.

A PARTI DA I QUE VOCE COMEÇA A VER S MONTANHAS GELADA COBERTAS DE NEVES

CHEGANDO EM LA PAZ

prA COMPLETAR A VIAGEM O BUS QUEBROU NO TOPO DA MONTANHA

Ventava muito e no lado de fora do bus era um frizzer..muito gelado e tinha gente que morava nesse lugar terra de ningue durante a subida tinha reparado uma pessoa junto a um cachorro subindo aquela ladeira encrivel.

Ficamos 3 horas parado no topo daquele lugar Inóspito.e sem previsao de quando a gente ia sair dali...

ventava tanto que o onibus gigante balançava dava enjou por causa da altura,por causa de tudo.

 

LA PAZ E UMA BELA CIDADE COM SUAS MONTANHAS COBERTA DE GELO

TRANSITO CAOTICO.

EM QUALQUER LUGAR QUE VOCE VA TEM UMA SUBIDA OU DESCIDA ENCRIVEL.

LA PAZ ME PARECE ESTA DENTRO DE UM GIGANTESCO VA.....

 

Destino copacabana-Lago titicara

peguei uma van até o cemiterio 1 boliviano.

e la peguei outra van ate copacabana 15 bolivianos.chegue na cidade a noite peguei a ultima van.as quase 15 horas cheguei la as quase 20:00 .

quando se chega a uma cidade desconecida a sensação é de descomforto

e insegurança.mais depois de um dia voce se sente avontade ja conhece os caminhos e as pessoas.copacabana tem uma historia muito bonita e uma catedral gigantesca.e um lago que parece o oceano.

copacabana

cidade bastante religiosa agradavel.esperimentei jantar algo mais nao consegui escolhi um bar que tinha uma comida horrivel.comiga de ontem frango resquentado...cidade boliviana,mais muito cara.geralmente que vai para cuzco passa por copacabana.uma pizza custa no minimo 20 bolivianos.

e 5 min no siber cafe 5 bolivianos.

em la paz 1 hora custa 2 a 3 boliviano.

tem uma bela igreja no topo da cidade.

com uma subiba encrivel,tem disposição.

 

Destino cusco-MACHUPICCHU

A Passagem até cuzco.comprei em copacabana.me custou 90 bolivianos...tinha outros preços mais decidi chegar em cuzco as 06 da manham a viagem foi tranquila.poderia ter gasto menos....

no embarque conheçi um holandes que era fã de romario e rounaldinho etorcedo dp PSV.

 

NO LONGO DA VIAGEM CONHECI MUITA GENTE FIZ AMIZADE COM UMA Californiana e etc.

chequei em cusco na sexta feira bem de manhãn...

a cidade tem uma infra estrutura bem melhor que la paz parecia que estava na europa.cidade com muitas catedrais muitas ruinas.

a noite a praça das armas ferve de gente.muito artesanato e segurança nota 10..muitos teatros e etc....

o melhor lugar

de cusco peguei o trem e fui em direçaõ a machu picchu.

depois de 04 horas cheguei a aguas calientes.

UM TAXI CUSTA EM MEDIA 5 SOLES

 

Depois de 04 horas de lindas paisagens chego a aguas caliente.

Saindo da estaço existe a opção de se pegar um bus se nao me engano custa 10 ou 20 soles.

mais preferi ir a pé mesmo caminhada em torno de 02 horas.

ATÉ O município de Urubamba.QUE FICA AS RUINAS. No inicio é leve. tem um camping para quem quer passar mais uns dias.

estava cansado mais nao sabia o percurso mais barra pessada foi a subida quase morri subir uma trilha com uma mochila com quase 20 kg nao e mole.....

 

Aquilo é uma cidade gigantesca...muito grande se leva horas para explorar tem fonte de agua e etc é tudo organizado.

So indo a machu picchu mesmo..e ainda tem yanu??? picchu.

uma montanha ao lado. 02:30 da caminhada.....

tem as pradas do sacrificio.o observatorio astronomico..

fora os pedregulhos subir aquilo com uma mochila ´trabalhoso imagina com uma pegra de centenas de quilos...

mais vale apenar ir...

 

na volta subi ao monte chacaltaya mais isso é outra historia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ae pessoal do site mochileiros e todos aqueles que estão querendo visitar a cidade de Machu Picchu, realmente vale a pena conhecer essa maravilha. Não posso deixar de mencionar a cidade de La Paz-BO e a própria Cuzco-PE, que também vale a pena conhecer, mas venho aqui deixar um alerta sobre alguns perrengues que eu, meus amigos, um casal de argentino e duas chilenas que conhecemos em Cuzco, passamos.

Nossa trip começou dia 07/03/11 saindo de Corumbá-MS e terminou dia 13/03/11. Apesar de todos os sufocos passados na viagem (Trem da Morte, falta de informação nas rodoviárias e aeroportos da Bolívia e em Cuzco), nada se compara ao que passamos na volta de Machu Picchu no dia 10/03/11.

Primeiro, começou na nossa chegada na rodoviária de Cuzco, quando uma senhora gordinha, baixinha, de fala rápida (não me recordo o nome dela) nos abordou, oferecendo hospedagem barata (S 15,00) e passeios à Machu Picchu, além de táxi grátis até o Hotel oferecido por ela. Aceitamos na hora. Chegando nesse Hotel de nome HOTEL SAGARNAGA (LEMBREM BEM DESSE NOME), fomos recebidos pelo marido dessa senhora que já nos aguardava, nos encaminhando rapidamente para nosso quarto. Até então, o atendimento estava sendo mais do que VIP. Como bons brasileiros que somos, ficamos ressabiados com tudo aquilo, mas, deixamos rolar. Passados alguns minutos, a tal senhora chegou ao hotel já nos oferecendo o passeio à Águas Calientes e Machu Picchu, por meio de uma agência de nome SAN BLAS (TAMBÉM LEMBREM BEM DESSE NOME), que funciona dentro do seu hotel. Acertamos ali mesmo, pagamos 120,00 dólares por pessoa para irmos às ruínas de Machu Picchu no outro dia cedo e retornarmos no dia posterior por volta das nove da noite.

Na ida já ficamos preocupados com o estado de nossa van, os pneus de trás estavam TOTALMENTE CARECAS. Reclamamos com nosso motorista (Emerson) sob as condições dos pneus, esperando que, na volta, estariam melhores. Já na volta, depois de caminharmos a manhã toda e parte da tarde, embarcamos na van e vimos que o motorista apenas inverteu os pneus. Não deu outra, andamos cerca de duas horas, estourou o primeiro pneu, após trocado, andamos mais vinte minutos, estourou o outro. Resultado, ficamos no meio dos Andes, já quase anoitecendo abandonados a própria sorte.

Falando em sorte, não posso deixar de agradecer o nosso guia FRED (não sei o nome completo dele, mas ele se apresentou por Fred, TAMBÉM GUARDEM BEM ESSE NOME) se não fosse ele, estaríamos todos mortos agora. Passado cerca de uma hora no meio dos Andes, o nosso motorista Emerson, contatou outra van branca da Mercedes que levava umas bikes para fazer downhill que estava em um vilarejo chamado Santa Maria.

Embarcamos já a noite nessa van, sem percebermos que o motorista estava TOTALMENTE BÊBADO. Quando percebemos, pedimos insistentemente para ele parar, já que estávamos subindo uma os Andes, a noite, a 60km/h com um motorista chapado. Depois de muita discussão, a van parou e saltamos na hora. Já passados da meia noite, conseguimos carona em um ônibus de linha. Devia ter umas 60 pessoas nesse ônibus, a cena era digna de filme de terror e da máfia, homens e crianças deitadas no corredor do ônibus amontoados uns aos outros, um cheiro muito forte de coca misturado a outros odores, a argentina e uma chilena começaram a passar mal, estavam em pânico com a situação. Viajamos por cerca de 4 horas em pé, espremidos, até chegarmos em uma cidadezinha, onde pudemos pegar um taxi entre nove pessoas, contando com o motorista e nosso guia.

Finalmente, chegamos em Cuzco já de dia, fomos direto para o hotel esfriar a cabeça e tentar descansar um pouco, já que não havia mais nada a fazer, a não ser agradecer a Deus por estarmos vivos. Descansamos um pouco e fomos falar com a dona do hotel que nos vendeu o tour, ela por sua vez, chamou uma mulher dizendo ser a responsável pela agencia, esta, se quer, deu atenção a nossa reclamação, dizendo apenas, em um tom debochado, que havíamos chegados sãos e salvos, não tendo o que fazer a respeito e nem ao que reclamarmos.

Bom pessoal, espero que este meu relato possa alertar a todos que pretendem conhecer a cidade mágica de Machu Picchu a ficar longe desse hotel e dessa agência de turismo. Fiz a reclamação no sindicato das agências de turismos de Cuzco e na SUTRAN, que é o órgão responsável pela fiscalização das agências, ainda não obtive resposta, assim que tiver, informo a todos no site dos mochileiros. Independente de algum resultado das autoridades de Cuzco, temos a obrigação de usarmos a internet, principalmente sites como o mochileiros, para alertar outras pessoas, independentes da nacionalidade, sobre pessoas irresponsáveis como essas mulheres do HOTEL SAGARNAGA e da agência SAN BLAS em Cuzco.

Fiquem longe desse lugar. Não deixem que essas pessoas desonestas ofusquem o brilho e a magia que a cidade de Cuzco e Machu Picchu possa lhes proporcionar e se possível, alertem outras pessoas sobre esses lugares. Obrigado. Vladmir Tavares Lima. Ps: enviei uma cópia desse relato para o Hotel Sagarnaga e para agência San Blas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×