Cachoeiras de Macacu - Perguntas e Respostas

Guias e troca de informações sobre destinos do estado do Rio de Janeiro


Cachoeiras de Macacu - RJ

Mensagem não lidapor Schwartz » 16 Set 2005, 00:25

Cachoeiras de Macacu - RJ

Imagem
Vias de acesso a Cidade
Fonte: www.hfpa.com.br




Cachoeiras de Macacu fica situada entre as Serra dos Órgãos, do Mar, Santana e São João, onde se encontra a maior reserva de Mata Atlântica primitiva do estado do Rio de Janeiro. O clima quente-úmido convida para as mais diversas explorações da natureza e para a prática de muitos esportes de aventura, como caminhadas, mountain biking, off-road, cavalgadas, escaladas e rapel. Considerada o "Paraíso das Águas Cristalinas", possui mais de 70 cachoeiras, o lugar ideal para recarregar as energias e localizada a apenas 96 quilômetros da capital Rio de Janeiro.
Avatar do usuário
Schwartz
 
Mensagens: 8
Desde: 24 Set 2003, 21:00
Localização: Brasil

Cachoeiras de Macacu

Mensagem não lidapor elisape » 20 Set 2005, 14:21

Imagem
Vista da cidade
Fonte: http://www.brasilvision.com.br



Lindo. Já fui lá !!! Fala aê Schwartz ;-)
elisape
 
Mensagens: 45
Desde: 23 Jan 2004, 17:06
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor Julio Mello » 26 Set 2005, 18:14

Fala Swartz ai camarada, to querendo fazer a Castalia São Lourenço ainda este mês pra poder botar na revista de novembro, preciso de informações e claro se vc quiser a sua companhia,

Abraços meu irmão
Julio Mello
 
Mensagens: 9
Desde: 16 Jul 2003, 19:59
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor Julio Mello » 28 Set 2005, 14:40

fala cumpadi, vamos agitar então uma trip Cachu pra ficar no camping, cmo anda o projeto? o que já ta pronto?

da nuticias porra!!!!! A GALERA TODA PERGUNTA POR VC,

aBRAÇOS,

Julio
Julio Mello
 
Mensagens: 9
Desde: 16 Jul 2003, 19:59
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor Schwartz » 04 Out 2005, 00:28

Fala Júlio!!! Aqui o projeto está em fase final, acredito que no final desse mês, ja estará tudo pronto. Então pe só marcar.
Avatar do usuário
Schwartz
 
Mensagens: 8
Desde: 24 Set 2003, 21:00
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor cebola » 10 Out 2005, 17:47

Legal essas cachus!!!!!!!Um dia desses pretendo ir conhecer esse lugar!!!!
Avatar do usuário
cebola
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 1369
Desde: 14 Out 2003, 20:27
Localização: Sampa

Mensagem não lidapor Douglas_Fraga » 10 Out 2005, 19:23

ola eu adoro oe stado do rio e se vcs quiserem e/ou tiverem afim de mais uma compania eu gostaria muito de participar dessa trip espero o convite de vcs
Douglas_Fraga
 
Mensagens: 8
Desde: 20 Dez 2004, 01:00
Localização: Brazil

Mensagem não lidapor lucianno1975 » 20 Out 2005, 10:41

Morei em Friburgo por 06 anos e agora estou de volta a Niterói. Essa cidade de Cachoeiras de Macacu me remete às lembranças da minha adolescência qdo um amigo tinha um sítio lá - acho q o bairro se chamava Porta do Céu, ou algo assim - e ia a galera toda pra lá... Durante o dia explorávamos o rio q passava dentro do sítio e a noite íamos na pracinha q ficava no centro da cidade: uma outra atração, as meninas do local são muito receptivas com os "forasteiros". Mas cuidado com isso e não vá se meter com a mulher alheia, uma vez um amigo desavisado fez isso e se arrependeu (hehehehe). Mas tem um bom tempo que não vou a essas bandas (uns 14/15 anos) e muita coisa deve ter mudado. Gostaria de dicas pra poder aproveitar essas cachoeiras lindas que o Schwartz tirou as fotos.
lucianno1975
 
Mensagens: 38
Desde: 06 Dez 2004, 22:53
Localização: Brazil

Mensagem não lidapor rodrigoschemes » 20 Out 2005, 21:56

E aí Lucianno.. encontrei essas dicas, espero ter ajudado.

Entre no site http://www.cachoeirasonline.com.br que tem muitas fotos além da história da cidade.

[]'s
Rodrigo

<hr noshade size="1">

<b>ROTEIRO 01
PEDRA DO COLÉGIO</b>

ASPECTO Segundo a lenda, a Pedra do Colégio foi local de fixação de Padres Jesuítas, onde estes teriam começado a catequese das tribos indígenas surussus e puris. Entretanto, fatos documentados discordam. A lenda se mantém nos dias de hoje ainda cercada de mistérios curiosos, embelezando o seu cenário. A entrada do Colégio teria sido coberta por enormes lajes de granito, desmoronadas por um cataclismo, quando um terrível raio a teria atingido, após um eclipse do sol.


Para os montanhistas, assim como os praticantes do vôo livre, parapente e os mais corajosos alpinistas, a Pedra do Colégio é marco característico de nosso potencial turístico. Já na história, tornou-se famosa por ter sediado nos anos 79/80, os primeiros campeonatos de vôo livre que foram organizados a nível brasileiro.


O trilheiro deve aproveitar e observar descontraidamente o que se vai vendo. À medida que se sobe, as fontes de água se escasseiam e a mata cresce, mas o prêmio está próximo, um pouco mais de 20 minutos, continuamos subindo. De repente, o topo, e se descortina o vale. Para quem nunca esteve na Pedra do Colégio, não acredita o que verá da paisagem, os olhos se abrem alucinados de tão magnífica beleza e a emoção nos toma de euforia por vencermos nosso próprio esforço pela conquista da jornada.


Para quem já participou deste programa, somente o que se pensa é senão o sorriso do reencontro e a vontade de voltar outras vezes e levarmos alguém muito especial... Restarão o prazer do passeio, as fotos, as histórias para contar a outros amigos. Subir a Pedra do Colégio é se elevar e estar mais perto dos deuses...

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO

Altitude: 620 Metros.
Posição geográfica:
Lat. 22° 30' Long. 042° 38' - Leste.
Localização: Boa Vista - 1° Distrito - Cachoeiras de Macacu - RJ. Saindo do centro de Cachoeiras, pegaremos o bairro Santo Antônio, seguiremos pela Avenida Aristides Falcão, pela estrada da Reserva Ecológica Santa Fé e pegaremos a trilha. Grau de dificuldade: Leve Superior
Classificação: Passeio Ecológico
Escalada: 90° de verticalização frontal negativa 4° e 5° graus. Tempo de caminhada: 3 horas.
Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"

<b>ROTEIRO 02
RESERVA ECOLÓGICA DE SANTA FÉ </b>ASPECTO

A área da Reserva Ecológica de Santa Fé, apresenta uma superfície de 4.389,80 ha ou 907,0 alqueires, no entanto, para fins de avaliação, suas terras estão classificadas como as mais produtivas para as culturas da Banana, da Mandioca, do Feijão, do Milho e Leguminosas, considerando sua rica disponibilidade de água, visto as suas espetaculares quedas d'água.

A comunidade agrícola de Santa Fé ocupa cerca de 40% apenas da metragem a ser desapropriada, mas na realidade somente próximo de 25% é aproveitável para a lavoura, fator este limitado devido a exuberante floresta primária de Mata Atlântica.

Diante disso, torna-se preciso orientar seus legítimos ocupantes para os devidos cuidados de utilização e a quem de direito se beneficiar, conforme exposição dirigida pelo Superintendente Regional da Reforma Agrária. Referente ao levantamento Ocupacional do Parque Ambiental Santa Fé, ficou a proposta de se criar uma Comissão de Parceria Institucional para elaborar em conjunto um Projeto Específico Economicamente Auto Sustentável de Preservação Ambiental Permanente ao Turismo Ecológico-Rural.

A Fazenda Santa Fé nos traz leve lembrança do seu passado, pode-se observar ali traços indeléveis de sua passagem, incluindo algumas famílias de colonizadores italianos que vieram para Santa Fé.

Existem outras construções interessantes, mas infelizmente não foram conservadas à altura de seu grande valor histórico-cultural. De alguns destes vestígios estão a capela e o antigo convento de Santa Fé, o aqueduto, o caminho das troles, o armazém e o colégio são relíquias históricas que só restam legados em contos ou ao desaparecimento total.

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO

Altitude: 260 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22o28,674' Long. 042o36,550' - Leste. Localização: Fazenda Santa Fé - Boa Vista - 1ª Distrito - C.M. - Saindo do centro de Cachoeiras, pegaremos o bairro Santo Antônio, se-guiremos pela Avenida Aristides Falcão, pela estrada até a Reserva Santa Fé e pegaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Leve Superior
Classificação: Passeio Ecológico Tempo de caminhada: 04:30 horas Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"

<b>ROTEIRO 03
BOCA DO MATO </b>

ASPECTOS

Ao visitar Cachoeiras, você logo irá notar estar diante de um verdadeiro paraíso ecológico, porém ainda pouco descoberto, com muito por ser explorado pelo turismo.

A localidade de Boca do mato, já de anos se destaca como um bairro nobre de veranistas, hoje muitos residentes. Localizado a oito quilômetros do Centro, na subida da serra, chegar até aqui não há dificuldade. O maior empasse é se você vai querer sair depois. Não faltam motivos para querer ficar, pois Boca do Mato é um reduto especial de muitas histórias, causos dos bons tempos da Maria-Fumaça, das boas piadas que se criam aqui.

Um ponto de encontro de pessoas alegres, de bom astral, gente bonita, galera bacana, cantorias enluaradas. Boca do Mato é mística, música, arte, esporte e poesia, tudo em família, com defumados e a melhor caipirinha da cidade maravilhosa, tem fama internacional, onde também se reúnem fabulosos desportistas e artistas consagrados no Brasil. Deslumbrados com o verde da serra, o clima envolvente, o calor aconchegante da comunidade, a hospitalidade e tranqüilidade, chegaram de visita e se renderam apaixonados. Casos estes de paixão à primeira vista, Boca do Mato se fez um pedacinho do céu na terra das águas cristalinas. Olha que coisa mais linda, as belas garotas para machucar coração. Diante de tantas maravilhas, a Sete Quedas é a nossa musa cristalina. Dentre as mais de setenta quedas d'água do muni-cípio, é a que está mais em destaque. Quem não se orgulhava ao vê-la na cena de abertura da novela Felicidade?

A Furna da Onça, que jogadinha de recanto, você vai adorar! O Poço das Bruxas, uma geladinha aqui vai cair bem. E o Escorrego, quem sabe se a hora nos vai deixar fazer uma visitinha lá???

Aqui próximo está uma de nossas mais famosas relíquias naturais, o nosso patrimônio vegetal, o Jequitibá Bran-co (Carinianna legallis). O segundo maior catalogado no Brasil. Temos de formar um grupo de dez amigos para abra-çá-lo, sua estética é exuberante, são treze metros de cintura, cinqüenta de altura e completando neste fim de milênio al-guns quatrocentos anos ou mais de idade. Formado por seus incontáveis leitos, o Macacu, neste percurso em que passa pelo centro do bairro, oferece durante as cheias de verão, fortes corredeiras para as aventuras de canoagem. A Trilha do Imperador já garante o point ideal para o Mountain Bike e agradáveis caminhadas. Outra opção que não pode ficar de fora é o vale da Reserva de São Joaquim, falamos de outra maravilha da região que aliás, literalmente, é o Recanto das Águas, fontes hidrominerais. Em toda localidade de Boca do Mato, reúne uma ótima infra-estrutura hoteleira, várias pousadas, casas para temporadas e muitos atrativos para o lazer, meditação e aventura. É só escolher!!!

A Cachoeira dos Três Desejos é um convite especial para um banho. No Balneário do Valério, anualmente acontece o campeonato de Bóia do Macacu, uma autêntica Corrida Malu-ca. Jovens e pirralhos maluquinhos se atiram de cabeça nas longas correntezas do circuito de mais de três quilômetros até a chegada no centro da cidade. Você vai entender o porque um dia resolveu vir conhecer tudo isto. Não tenha nenhuma dúvida. Você acabou de encontrar o paraíso dos seus sonhos!

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO

Altitude: 160 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22° 25,094' Long. 042° 37,271' - Noroeste/Leste.
Localização: Boca do Mato / 1° Distrito / Cachoeiras de Macacu - Situado à distância de 8 km da sede pela rodovia RJ 116, na subida da Serra de Cachoeiras para Nova Friburgo.
Grau de dificuldade: Leve Superior
Classificação: Passeio Ecológico
Tempo de trajeto ao objetivo: 15 minutos (via automóvel) Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"

<b>ROTEIRO 04
TRECHO. FERROVIÁRIO TRILHA DO IMPERADOR </b>

ASPECTO

Não se ouvirá mais o atrito das rodas contra os trilhos, nem o apito da Maria - Fumaça. Tampouco o resfolegar do vapor, mas é indubitável que o trilheiro, ao escolher este roteiro, sentirá a impressão de tudo isso.

Uma exuberante trilha cercada de Mata Atlântica, onde podemos ver plantas de milhares de espécies, pássaros, flores e riachos de águas gélidas e refrescantes, céu azul e com alguma sorte, ser surpreendido com alguns animais nativos. Outros trechos com antigas estações, nos levam a imaginar uma época onde o café era o rei supremo e o problema de se transpor a serra até suas regiões de cultivo, em Cantagalo, tinha que ser solucionado.

Em 1860, os trilhos já chegavam ao pé da serra, na localidade de Cachoeiras, por intermédio de investimento do Barão de Nova Friburgo, Antônio Clemente Pinto. Iniciados os trabalhos para transpor a serra, a natureza impôs seu desafio, vencida só em 1873, com a inauguração do trecho até Nova Friburgo.

O excursionista terá um visual incrível do Vale do Macacu e que se segue pela vista pano-râmica do Rio de Janeiro, entre outros recantos absolutamente românticos para um aconchego com sua namorada. Surge uma magnífica ponte de ferro com seus 17 metros de comprimento e 20 metros de altura, construída em meio ao abismo. Sólida, irremovível. Durante a caminhada, observam-se as pequenas nascentes que vão se juntando para então formar o Rio Macacu. Ele, que antes da ferrovia, era a única opção de acesso à Capital do Brasil. Belíssimo rio, volumoso, atraente, mas às vezes serpente bravia que devasta quase tudo que desafie o seu caminho para a Baía de Guanabara.

Parece-nos que em cada curva vamos topar com um viajante, montado em seu animal, tangido por alguns escravos. Esta caminhada, certamente, é um passeio pela exuberante natureza da Serra do Macacu e claro, uma viagem mágica por duas épocas, duas eras, de diferentes tecnologias. Elas contam vividamente sua história e convidam você a vivenciá-las.

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO

Altitude: 1.080 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22° 28' Long. 042° 36' - Nordeste .
Localização: Teodoro de Oliveira (N.F.) / Boca do Mato (1o Distrito/C.M.) - A 25 km do centro, subindo a serra pela RJ 116, deixaremos em Teodoro de Oliveira (Posto Policial) o automóvel e pegaremos a estrada velha e o antigo ramal ferroviário.
Grau de dificuldade: Leve superior
Classificação: Passeio Ecológico Cultural
Tempo de caminhada: Conclui-se em 5:40 hs.
Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"

<b>ROTEIRO 05
TOCAS - JOÃO PAULO - SÃO MIGUEL - GUAPIAÇU</b>

ASPECTO
O que você acha de estar num destes lugares, nas montanhas, em que possa chegar antes do pôr do sol, antecedendo a uma noite de céu limpo, repletamente estrelado ou então com aquela linda lua cheia?

Este será um programa para um fim de semana dirigido às pessoas com os mesmos motivos e objetivos: de se encontrarem, se conhecerem e buscarem juntas um estilo de vida mais natural, partilhando suas vivências com a natureza. O que você acha disso?

O lugar de encontro será na fazendinha das Tocas, um recanto especial que com certeza vai você adorar conhecer. É de onde iremos partir para este passeio ecológico. É um programa especial, com direito aos recursos disponíveis, direito a luau próximo à piscina e à cachoeira, imagine...Tudo o mais natural que podemos oferecer em todos os sentidos, até o dado horário de saída.

As estrelas, o luar, a magia da madrugada, às vezes o assobio quase assombrador do vento na floresta fechada, a vista panorâmica das luzes cariocas, a névoa surrealista sobre a Baía de Guanabara e o Cristo Redentor lá distante iluminado, completam este cenário de perplexidade. É sem dúvida, absolutamente um roteiro de variadas emoções, de aspectos incríveis, não sendo possível transcrevê-los em todos os seus detalhes.

Teremos um pequeno tempo de descanso para beber uma água pura e geladinha da nascente, observar a beleza da trilha, ouvir a cantoria matinal da passarada já eufórica em abrir o espetáculo que dentro em instante surgirá do leste. Um show forma esta "apoteose ecológica" que a gente jamais esquece, tal o privilégio em assistir dessas altitudes da fazenda João Paulo o nascer do astro celeste.

A noite já há pouco se deitou por detrás da Serra do Mar, daqui a um momento os primeiros raios se refletirão no granito do Oratório. É um esplendor de visual!

Não precisamos nos apressar, o dia só está amanhecendo, e há ainda muito mais novidade a lhe surpreender adiante. Aguarde!...

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 820 m
Posição geográfica: Lat. 22°34' S Long. 042°36' W - Norte
Localização: Tocas (1° Distrito) - Situada a 4 km do centro, seguindo pelo bairro Tuim.
Grau de dificuldade: Semi pesada
Classificação: Travessia (trekking)
Tempo de caminhada: 6 h
Duração do programa: 2 dias (intercalados)

<b>ROTEIRO 06
CASTÁLIA - SÃO LOURENÇO </b>

ASPECTOS

Foram vários os caminhos abertos para o interior da província durante o império, desde 1567 a 1750. Aqui, entre o vale do Macacu, iremos reviver em resumo um capítulo deste fato, neste passeio pelas "trilhas e rumos" da Corte, as aventuras da epopéia portuguesa, pelas águas e terras das Sesmarias do Macacu. Infelizmente, não temos mais referências concretas sobre esta nobre madeira que deu nome ao rio, e daí o sobrenome do atual município. Há vestígios que se somam a outras relíquias desta herança cultural histórica, muitas extintas, outras como veremos em ruínas que o descaso nos legou, provavelmente virão a se perder de vez, caso nós, excursionistas, pesquisadores, historiadores, políticos e sociedade não tivermos a sensibilidade e capacidade de levantar apoio, promover campanhas e criar condições para preservar o que ainda resta desta memória que devemos entregar às gerações futuras. As ruínas do Caminho Real que vamos conhecer hoje, fazem-se pedaços deste grande patrimônio ecológicocultural de Cachoeiras, pequenos trechos estão ainda em conservação, outros mais desaparecidos, em meio às barreiras e a mata, que buscamos conseguir recuperar. A Trilha do Imperador cruzava toda a região do recôncavo da baía para ligar a capital São Sebastião do Rio de Janeiro às vilas distantes da fronteira da Serra dos Órgãos. A vila de Macacu seria a principal via da Coroa Imperial para este contato com os senhores do café, fazendas localizadas ao norte e nordeste da província. E era aqui, exatamente pela Castália que se fazia o acesso aos cafezais do norte, enquanto a trilha do Alto do Pena, por Boca do Mato, conduzia ao Nordeste, passando por Morro Queimado (a atual cidade de Nova Friburgo), rumo às fazendas de Bom Jardim, Cantagalo, etc. etc. etc. Esta travessia inicialmente tinha de se fazer através do Rio Macacu, até o seu último ponto de desembarque, o porto do Taboa, aqui em Taboado, onde deixavam a navegação e seguiam para a serra. São Lourenço (em Friburgo), era o primeiro objetivo como rota nessa conexão. A comunidade possui historicamente uma característica propriamente agrícola, a cultura predominante é o cultivo da alface, da couve-flor, da beringela, da beterraba, repolho e a floricultura. Podemos afirmar que esta vocação vem de longe, uma vez que sua origem em parte vem da colonização, pelos imigrantes suíços e alemães, adaptáveis às condições frias. É uma belíssima localidade, onde vemos uma paisagem camponesa de grandes plantios destas hortaliças. A Pedra dos Três Picos tem um bucólico cenário cinematográfico, digno das gravações que ali foram feitas do seriado Maria Moura. Aqui em Terra Fria, faremos uma pequena pausa para um lanche, é o limite dos Municípios de Friburgo e Cachoeiras. Estamos também em um ponto bem elevado, a 1.300 metros, onde se registra uma sensível baixa de temperatura, chegando a 15o negativos em certos dias de inverno. E por aqui desceremos a trilha da era imperial, um roteiro que expressa em alto nível esta integração turismo e cultura, nesta importante travessia da história do Brasil que por aqui marcou seus passos.

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 1.300 mts
Posição Geográfica: Lat. 22o26,43' Long. 042o38,5' - Norte
Localização: São Lourenço (N. Friburgo) / Castália (1o distrito/C.M.) - A 60 km do centro, seguiremos pela rodovia RJ 116 até Friburgo e após pela estra-da BR 495 (Friburgo-Teresópolis), deixaremos o automóvel em São Lourenço e tomaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Semi pesada
Classificação: Travessia (trekking) - passeio ecológico cultural
Tempo de caminhada: 7 h
Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"

<b>ROTEIRO 07
CANOAS - AREAL - ESTREITO </b>

As primeiras referências de que temos notícias sobre os respectivos povoados datam lá pelos anos de 1820.

De acordo com as informações de seus antigos moradores, tais localidades serviam de rota dos mercadores e fazendeiros que tinham de negociar seus produtos para o comércio da cidade serrana de Teresópolis, e vice-versa. O trajeto partia de São José da Boa Morte, seguindo pela Serra do Subaio, chegando ao Areal e daí desbravavam a íngreme montanha. Havia ainda uma outra rota que saía da Vila de Santana de Japuíba, cruzava o Rio Macacu e a longa extensão do Caminho do Carmo, atravessava o Rio Guapiaçu, quando à frente encontrava com o caminho que liga Guapiaçu ao Areal e ao Estreito. Daquela época até meados de 1953, foi freqüente o sobe e desce de tropas, cada uma tendo de dez a quinze animais e que inclusive conduziam grandes boiadas, as quais iam levadas para o Porto das Caixas, Itaboraí, Rio Bonito e adjacências. Geralmente, saíam de Juiz de Fora das Minas Gerais, cavalgavam todo o sertão ultrapassando os despenhadeiros da Serra dos Órgãos. A trilha, sempre tomada pela mata fechada, não se caracteriza unicamente em trechos acidentados, ela retém um aspecto geológico de incrível beleza surrealista.

De repente, um enorme manto de nevoeiro desce sobre a formação de granito e envolve a trilha, um panorama de alucinar, o imenso oceano branco cobre toda a região. Alguns minutos depois, o vale reaparece com a vista da baixada fluminense e a Baía de Guanabara.

Um privilégio oportuno aos que se engajam neste passeio na Cordilheira dos Órgãos. Estamos no mirante da Lagoinha, a 980 metros de altitude, divisa de Cachoeiras com Teresópolis. Teremos muitas maravilhas à nossa espera.

Podemos escolher entre duas trilhas que nos promete muitos atrativos, várias cachoeiras, quenions, um cenário que temos de filmar para recordação. Partiremos de Canoas ou podemos optar por Vargem Grande, qualquer uma nos liga ao nosso destino: o Estreito. Planeje com seus amigos agendar este roteiro. Aguardamos vocês por aqui. Até lá!



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 980 m
Posição Geográfica: Lat. 22o26'013' S Long. 042o47'919' W - Noroeste
Localização: Canoas (Teresópolis) / Estreito (3o Distrito/C.M.) - A 80 km de distância do centro de Cachoeiras seguir pela rodovia RJ 122 até Parada Modelo, subir para Teresópolis pela Rio-Bahia, entrare-mos por Albuquerque até Canoas, de onde tomaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Semi pesada
Classificação: Travessia (trekking)
Tempo de caminhada: 6 h
Duração do Programa: 2 dias (intercalados)

<b>ROTEIRO 08
RESERVA ECOLÓGICA DE GUAPIAÇU </b>

Situada em uma área de incrível beleza natural, a Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA), com 7.385 hectares é um dos últimos lugares da Mata Atlântica onde as florestas tropicais continuam intactas, desde o nível do mar até os picos mais altos da Serra do Mar, alguns com mais de 2000 metros de elevação. A importância ecológica da Reserva Ecológica de Guapiaçu é, entretanto, muito maior do que este grande espaço ocupado pelos habitats florestais.

Acima das florestas de planícies e montanhas da reserva, estão as incríveis florestas nubladas da REGUA, que provêem uma conexão vital num restrito corredor florestal, unindo duas reservas de região montanhosa: o Parque Nacional da Serra dos Órgãos a oeste, e a Reserva Ecológica de Macaé de Cima a leste. Este importantíssimo corredor de vida selvagem protege um contínuo cinturão de florestas montanhosas e provê um habitat essencial para muitos pássaros e mamíferos da reserva, que precisam de grandes áreas para viver.

REGUA é um refúgio muito importante para primatas ameaçados, entre estes um dos últimos grupos do enigmático Macaco Aranha Rouco (Brachyteles arachnoides). O maior macaco do Novo Mundo, tido por muitas autoridades como o primata mais raro do mundo. Outras espécies de primatas ameaçadas são encontradas na REGUA.

Cinco espécies de gatos selvagens, desde o enorme Jaguar até a Jaguatirica Pequena, são encontrados na REGUA. Como os mamíferos, e claro, todos os outros grupos de plantas e animais encontrados na Reserva Ecológica de Guapiaçu, a diversidade de pássaros só pode ser descrita como assombrosa. Mais de 430 espécies já foram documentadas, incluindo mais de 130 que são endêmicas da Mata Atlântica, ou seja, só são encontradas aqui.

REGUA abriga grandes populações de alguns dos mais raros e ameaçados pássaros do planeta. Vinte espécies, incluindo Falcão de Pescoço Branco, Periquitos de Cabeça Vermelha, Papagaio de Rabo Dourado e Costas Marrons, são referidos como ameaçados de extinção, enquanto outras trinta espécies são listadas como "quase" ameaçadas de extinção.

Botanicamente, a Reserva Ecológica de Guapiaçu com certeza é uma das melhores reservas no mundo. Estudos feitos pelo professor Sir Ghillean Prance FRs, antigo diretor dos Jardins Botânicos Reais, em Kew, Inglaterra, e patrono da REGUA, mostraram que mais de 50% de toda a vida vegetal (mais de 6000 espécies) encontrados na Mata Atlântica não ocorrem em nenhum outro lugar no planeta.



Altitude: 120 m
Posição geográfica: 22o25'45" lat. S - 042o44'62" long. W
Localização: Guapiaçu, 3o Distrito, Cachoeiras de Macacu
Grau de dificuldade: Leve a leve superior
Classificação: Excursão para escolas e universidades
Duração do programa: A critério

<b>
ROTEIRO 09
PEDRA DA VISÃO </b>

ASPECTO
A Pedra da Visão, segundo o Conselho Nacional de Geografia e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é o marco de limites dos Municípios de Cachoeiras de Macacu, Macaé de Cima, Silva Jardim e Nova Friburgo.

Consta na cartografia do IBGE como Pedra do Faraó, mas também é conhecida popularmente por Pedra do Corcovado, devido ser parecida com o Corcovado do Cristo, no Rio de Janeiro.

A Pedra da Visão está classificada entre as demais formações Geológicas como a que exige maior resistência aos excursionistas.

Chegar ao seu ponto culminante requer desafio, boa condição física e psicológica e recursos. Este imenso rochedo na realidade é subdividido em quatro blocos deslocados do principal. A exuberante localidade apresenta uma topografia extremamente íngreme e acidentada, conserva uma floresta primitiva, e sinistra, uma vegetação bastante exótica. Em outro aspecto, quase sempre somos surpreendidos por Iambus, Jacus, entre diversos outros pássaros.

Diríamos igualmente, que, quase sempre somos espionados por uma comitiva de Iraras, Porcos do Mato, e um bem familiar grupo de Macacos Barbados. Além deles, caso tenhamos sorte e virtuosa coragem, poderemos perceber e fotografar uma acompanhante felina.

Vale descrever a magnífica paisagem que temos daquelas alturas. A imponência de seus 1.719 metros se destaca nitidamente a partir do centro de Cachoeiras, tanto quanto podemos visualizála de fora do Município. A Pedra da Visão nos possibilita uma vista distinta das outras regiões, ela se encontra estrategicamente em um ponto privilegiado para que nos favoreça esta visão panorâmica tal como descrevemos: ao Sul, Região dos Lagos; ao Sudoeste, a Capital e a Baixada Fluminense; no Centro e a Nordeste, Cachoeiras e Nova Friburgo.

Somando a estas características, a Pedra da Visão apresenta um aspecto de maior importância para todos nós. Ela é o berço e nascente de três famosos Rios: O Rio Batatal da Boa Vista que retém um potencial extraordinário de quedas d'água. Um paraíso quase totalmente intocável que podemos usufruir e deixar conservado. O Rio das Flores que ruma para Silva Jardim e se encontra com o Rio São João, o qual atravessa por e o Rio Macaé de Cima, que segue para Macaé.



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 1.719 Metros.
Posição geográfica: Leste. Localização: Serra de São João / 1° Distrito / C.M. - A 9 km de distância da sede, seguiremos pelo bairro Santo Antônio, seguiremos pela Avenida Aristides Falcão, bairro Boa Vista, até a Reserva Ecológica Santa Fé e pegaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Super pesada
Classificação: Expedição Tempo de caminhada: 2 dias (Intercalados).
Duração do programa: 1 semana.
Local de recepção: Praça do Relógio do Sol - Centro


<b>ROTEIRO 10
PEDRA DO ORATÓRIO </b>

ASPECTO
No alto da Serra do Mar, em frente ao Carmo, num verdadeiro paraíso de imagens rochosas a Pedra do Oratório se destaca como um símbolo profético do mais alto interesse turístico. Nitidamente descoberto numa altitude de mais de mil metros e cavoucado no imenso monólito, o Oratório ali está para quem quiser admirá-lo na sua grandeza e perfeição, tão perfeito como os demais Oratórios concebidos pela Fé Cristã. Contam muitas histórias e lendas sobre a origem deste Oratório, entretanto a mais interessante, é a seguinte:

LENDA DOS ATLANTES Há quem acredite na passagem pelo local dos Atlantes, homens gigantescos de poderes sobrenaturais, cuja embarcação em que viajavam assemelhava-se a um oratório armado num barco de proporções colossais. Amarraram cordas e no meio da rocha cavoucaram um similar de sua guarita náutica. A lenda é um tanto interessante, mas muitos se esquecem e outros não sabem que as rochas e todas as terras já viveram milhões de anos cobertas pelas águas de um só oceano, que envolveu todo o globo terrestre, até a Era dos grandes levantamentos dos solos. A ciência não despreza a hipótese de terem sido as águas primitivas os verdadeiros arquitetos e escultores das grutas, cavernas e bueiros colossais encontrados nos grandes sistemas rochosos do planeta. De uma forma ou outra, a verdade é que o ORATÓRIO fabuloso aparece ali para quem quiser acreditar na lenda ou na força da Natureza que transforma tudo.



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 1.950 m Posição geográfica: Noroeste. Localização: Serra do Mar /Carmo / 3° Distrito / C.M. - Situado a 36 km da sede, chegaremos ao Estreito, onde deixaremos o automóvel e tomaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Super pesada
Classificação: Expedição Tempo de caminhada: 2 dias (intercaladas)
Duração do programa: 1 semana.


<b>ROTEIRO 11
FURNA DO RONCADOR </b>

ASPECTO
Nas proximidades da Serra de São João, numa distinguida área da extensa floresta, existe uma formidável e interessante garganta ou cratera, a que batizamos de Mundo Novo. Do seu interior precipitam-se ventos fortíssimos, tão fortes que repelem com violência alguns objetos, jogando longe para fora da abertura colossal. Ninguém sabe de onde provém esses ventos tão frios e constantes como se fossem impelidos por um fole descomunal.

Mais estranho ainda é uma espécie de areia fina que acompanha as correntes desse gélido "SIMUM". Sabe-se que do lado oposto ao imenso penhasco existe uma floresta virgem que ninguém jamais pôde penetrar no seu interior. A imensa altura faz desanimar qualquer "alpinista" que ouse romper tamanho mistério. Estas informações foram colhidas numa pesquisa junto ao fazendeiro e ex-administrador de Santa Fé, Sr. JOSÉ MARIA RODRIGUES que acrescentou: "o lugar é realmente muito estranho e a GARGANTA DO RONCADOR, de quem já estou familiarizado, é um espetáculo digno de ser conhecido pelo "TURISMO DE CACHOEIRAS DE MACACU". Por que o nome de Furna do Roncador? O que justifica este nome? - A razão é a seguinte: os ventos impelidos com tamanha força de dentro da chaminé, produzem um som tão forte e intenso como o ronco de motores ou turbinas.



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 910 Metros. Posição geográfica: Leste.
Localização: Serra de São João / Fazenda Santa Fé / 1° Distrito/C.M. - Se encontra a 9 km da sede, pegaremos o bairro Santo Antônio, seguiremos pela Avenida Aristides Falcão, bairro Boa Vista, até a Reserva Ecológica Santa Fé onde deixaremos o automóvel e tomaremos a trilha.
Grau de dificuldade: Super pesada
Classificação: Expedição
Tempo de caminhada: 2 dias (intercalados)
Duração do programa: 5 dias

<b>
ROTEIRO 12
PEDRA DA MARIQUITA </b>

ASPECTO
A Pedra ou Gruta da Mariquita, é mais uma atração turística de grande curiosidade. Um verdadeiro monumento perdido no interior da Floresta Atlântica, qualquer coisa parecido com as furnas da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro. O imenso bloco maciço cobre uma área de 70 x 40 metros, ou seja 2.800 m² , podendo abrigar no seu interior umas vinte pessoas. Pergunta-se como, quando e quem teria feito esta gigantesca Obra de Arte a Natureza ou desígnios da Criação? Atribuir este fenômeno ao poder erosivo das águas durante o Período Arqueano não seria possível, uma vez que o grande levantamento das Cordilheiras do Continente Sul-Americano só aconteceu na passagem da Era Terciária para a Era Quaternária, portanto milhões de anos depois do Período Arqueano. Assim sendo, aqui fica a pergunta aos Arqueólogos e Geofísicos - como quando e quem teria levantado este monólito fabuloso a uma altura incrível fazendo dele o teto de um anfiteatro descomunal?



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 870 Metros. Posição geográfica: Norte.
Localização: Alto de São Miguel / 3o Distrito / C.M. - A 29 km de distân-cia da sede iremos para o Guapiaçu e seguiremos então até São Miguel, onde deixaremos o automóvel e tomaremos daí a trilha.
Grau de dificuldade: Super pesada
Classificação: Expedição
Tempo de caminhada: 8 horas
Duração do programa: 4 dias


<b>ROTEIRO 13
RUÍNAS DE SÃO JOSÉ DA BOA MORTE</b>

ASPECTO
A Igreja de São José foi construída pelo povo e a Irmandade de São José. Primitivamente, existiu uma capela de pau-a-pique, ereta por volta de 1734. Demolida, foi principiada outra de pedra e cal, ampliada após 1834, com tijolos maciços. O visitante poderá visualizar perfeitamente as duas etapas. O fundo de pedra, é a parte mais antiga e a nave, a torre, a sacristia, a mais moderna. Possuía cemitério e em 1834 passou a ser freguesia de São José da Boa Morte, o que motivou sua ampliação. Lendariamente, está associada à catequisação jesuíta, tendo sido atribuído a eles, durante longo tempo, a sua construção, o que é documentalmente desmentido. Também associa-se que nesta localidade, por motivo de uma grande epidemia de malária ocorrida na primeira metade do século XIX em diante, o povo para lá se dirigia para ter uma "boa morte". Daí o seu nome. O naturalista inglês Charles Darwin, em visita à Província do Rio de Janeiro, em 1834, teve três de seus assistentes fulminados pelo impaludismo, após uma incursão pelo Rio Macacu. Entretanto, dados históricos comprovam que devotos de São José já existiam organizados em uma confraria por volta de 1776.

O imóvel é tombado pelo INEPAC desde 1989 e compõe com o Rio Guapiaçu, propício para passeios de barco, uma excelente atração turística, completada pelo carinho e boa receptividade da população aos visitantes.

Saqueada durante anos, só restam paredes que testificam uma época de desenvolvimento e uma história devido às febres. Sem dúvida, visitar Cachoeiras de Macacu e não conhecer São José da Boa Morte é "ir a Roma e não ver o Papa".

CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 42 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22o24,873' Long. 042o46,396' - Sudeste.
Localização: São José da Boa Morte / 3° Distrito / C.M. - A 26 km de distância da sede seguiremos pela rodovia RJ 122, km 17, São José da Boa Morte e tomaremos a estrada vicinal até as ruínas.
Classificação: Excursão Rec. Cultural
Tempo de trajeto ao objetivo: 30 min. Via Automóvel
Duração do programa: 1 dia "day use"

<b>
ROTEIRO 14
BALNEÁRIO DE GUAPIAÇU </b>

ASPECTOS
"...Numa noite de Julho, há uns quarenta anos atrás, saíamos para uma de nossas habituais distrações pela floresta da Serra do Mar, em busca talvez de um velho gambá ou de uma cobiçada paca.

Era uma daquelas noites frias com o céu meio turvo e já marcavam umas vinte e três horas. Não parecia haver nada e nem alguém ali pela estrada da Fazenda do Carmo, nenhum ruído sequer de carro de boi, havia apenas a sinfonia noturna dos grilos e o pisca pisca dos pirilampos. Até que então alguém nos pareceu dar um sinal com uma lamparina, isto a uns duzentos metros adiante. A alameda do Carmo e o pasto estavam meio cobertos de névoa baixa, não tínhamos ainda idéia de quem poderia estar ali à frente com aquele farolete ofuscante, uma luminosidade estranha, hora luz de lamparina, hora clareando como farol daquela forma, naquela distância, um tanto incomum naquela época que não havia quase automóveis pela região, movimentou-se do seu lugar para o outro lado do pasto e sumiu. Daí quem achávamos pudesse ser, num instante nos surpreendeu, pois o inesperado aconteceu, de repente, duas bolas luminosas de uns trinta e cinco a quarenta centímetros reapareceram num bailado ondulante ao nosso lado. Apavorados, disparamos correndo em direção à ponte de balanço, partimos para casa num só fôlego sem pensar querer achar conclusões daquilo que muitos outros falavam terem visto e que apareceu nesta noite para nós."

A Luz do Campestre é um exemplo destes mistérios inusitados da zona rural em todo Brasil. O Guapiaçu é um povoado envolto a muitas curiosidades, casualidades e histórias. Possui uma admirável característica turística. A sua paisagem cinematográfica impressiona qualquer visitante. A localidade foi outrora fazendas de café, aqui na Fazenda do Carmo, por volta de 1911 se fomentou o maior centro de produtividade de todo o município. Muito antes desta ocasião, um português com nome de José da Costa já explorava esta exuberante floresta com seus mais de cinqüenta escravos que derrubavam a mata para extrair as madeiras e levá-las para a capital pelo rio Guapiaçu, toda comercialização era feita por meio dele até o Rio de Janeiro.

Faziam assim toda exploração do café e alimentos para o Imperador, através disso veio a criação do convento da Ordem dos Carmelitas. Hoje, porém, inaugurou-se uma nova era industrial de âmbito nacional, pois é daqui destas águas límpidas e cristalinas que está sendo produzida a puríssima Cerveja Schincariol. Quando se fala de encantamento, então se diz, isto é aqui em Guapiaçu. Muita gente precisa respeitar e entender melhor este lugarejo mágico, telúrico, magnético e especial.

Visitar Guapiaçu é viajar pela história, o folclore, o mito, o mistério, desfrutar da natureza, o bom gosto do leite, do cafezinho da tarde com inhame, aipim ou milho cozido, a cachacinha com mel e caju à beira do riacho, no tanque grande, na prainha ou mesmo no Mariquita, noites de luar, a gaita e violão, preparar o feijão com carne seca no fogão a lenha comprada na vendinha, caminhar nas tardinhas pelo vale, receber o carinho simples, amigo, ingênuo e contagiante destas figuras de Guapiaçu, ninguém esqueceria delas se aqui um dia tudo terminasse naquela represa. Guapiaçu é viver.



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 43 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22o27,146" Long. 042o45,815" - Noroeste
Localização: Guapiaçu / 3o Distrito / Cachoeiras de Macacu - A 26 km de distância da sede. Entraremos pela rodovia RJ 122 à direita na estrada do Funchal.
Classificação: Excursão, turismo rural-cultural.
Tempo de trajeto ao objetivo: 40 min. V/ automóvel
Duração do programa: 1 dia "day use"
Local de recepção: Praça do Relógio do Sol - Centro.
Dia e horário de Saída: Sábado ou Domingo - 07:00 hs


<b>ROTEIRO 15
JAPUÍBA </b>

Foi em decorrência das terras doadas por Miguel de Moura aos padres Jesuítas em 1571, denominadas sesmarias, os quais venderam parte das mesmas a Manoel Fernandes Ozanno, que então se propôs a construir uma pequena Capela em louvor a Santo Antônio, em 1612. Começa desse episódio a primeira página do que somos hoje.

Esse feito foi confirmado pela igreja em 1647, havendo naquele local o estabelecimento da Paróquia de Santo Antônio de Casserebu. Tendo tido aquela colônia um grande prestígio naquela época, devido à sua abundância na produção do açúcar, do feijão, do milho, do arroz, da aguardente e da farinha, recebendo merecedor reconhecimento do Governador Geral do Brasil, Mem de Sá, que lhe concedeu em 5 de agosto de 1697 a elevação de Vila Santo Antônio de Sá. Mesmo com tal elevação, a vila de Sá era sempre chamada por muitos de Vila de Macacu.

A Vila Santo Antônio de Sá não representava essa única e pequena comunidade agrícola, ela se constituía num território que abrangia seis distritos ou freguesias como denominavam. Estas seriam desmembradas para formar os município de Magé, Rio Bonito, Itambi e Itaboraí, inclusive os nossos 3º e 2º distritos que faziam parte do contexto.

A localidade da antiga Vila pertence agora ao Município de Itaboraí, no distrito de Porto das Caixas, nas terras da Fazenda Macacu. Ali podemos ver, com autorização do proprietário, as ruínas do Convento de São Boaventura de Macacu, dentro da área onde foi a Vila, e que ainda vem resistindo ao tempo. Aqui em Japuíba, podemos conferir a arquitetura da Paróquia de Santana erguida por volta de 1646 e 1732. Seguindo um só padrão colonial que era o estilo da época. No entanto, um acontecimento terrível e inesperado estava por vir legado ao destino da Vila, surgiria na forma de uma peste endêmica que por bem pouco não dizimou toda população de vez.

Uma peste temida em toda a província do Rio de Janeiro e São Paulo, tornando-se conhecida e comentada em outras partes do Brasil, tamanho seu poder de contaminação; falavam das muitas vidas ceifadas pelas "febres de Macacu", isto se deu entre os anos de 1829 e 1835. Foi uma forte epidemia de malária, ocasionada pelas enchentes que inundavam vastas áreas das terras baixas, formando pântanos e brejos, pois não havia desnível a favorecer o escoamento das águas acumuladas do Macacu que tinha seu leito original passando nas proximidades da Vila, que seguia para a Baía de Guanabara.

Após dez meses de seca, não tiveram como permanecer nestas terras, vindo o êxodo, o abandono generalizado e por fim os desmembramentos. Assim, Santo Antônio de Sá perdeu sua importância comercial e a prosperidade que naqueles dias desfrutou. Com tudo acontecendo tinham como refúgio a Freguesia de São José, que nas circunstâncias dos fatos, terem lá uma boa morte.

Em 1854 é mudado o nome da freguesia da Santíssima Trindade para Santíssima Trindade de Sant'anna de Macacu. Por motivo do desprestígio da antiga sede, Santo Antônio de Sá se fez transferida para o Arraial da freguesia de Santana, passando Sant'anna de Macacu denominar-se Sant'anna de Japuíba, e então a 27 de dezembro de 1923 a sede de Japuíba foi transferida para o povoamento de Cachoeiras de Macacu.

Contemplada com sua história, Japuíba mui genericamente também é privilegiada em seu aspecto vocativo para o turismo, muito embora não seja devidamente explorado nem divulgado. Vemos neste lugar um recanto aprazível, com diversos pontos bem convidativos ao desfrute de tranqüilidade, paz de espírito, um lugar ideal para quem deseja fazer uma boa higiene mental. Redutos saudáveis e relaxantes e que estão aqui bem próximos a você.

A serra ou Balneário de Bertholdo, é um destes recantos formidáveis que se explora há muitos anos por turistas de cidades vizinhas, mas necessitando haver melhor infraestrutura e controle de visitantes. Porém, isso não desmerece a opção de uma passada por lá. Em Granada, ou em Cavada, há também recantos que podemos achar como um lugar atrativo que vai certamente pesar na escolha de onde vai querer ficar. Somente Japuíba retém o mérito da maior tradicional festa religiosa do município, a "Festa de Sant'anna", que acontece no último final de semana de Julho, comemorase há mais de dois séculos.

Aos extrovertidos e radicais aventureiros, vai aqui um toque. Ao passarem pela cidade, lembrem-se de verificar a estrada da Serra de Sant'anna que liga Japuíba a Rio Bonito ou Silva Jardim, e que dá acesso a Sana e Lumiar. É sem dúvida um excelente circuito para um enduro ou rali. Entre Papucaia e Japuíba existem inúmeros haras, sítios de lazer e hotéis fazenda que alugam cavalos para bons passeios ou longas cavalgadas, e se preferir algumas horas de pedaladas pelas montanhas, terá a opção de várias trilhas para Patis, Soarinho, de Granada ao Faraó, ou para Rio Bonito.

Uma velha sapucaieira é parte também integrante da história de Sant'anna, deve tanto quanto ser conservada tal como vemos a igreja dos Franciscanos Jesuítas na pracinha. Fechando o roteiro, podemos ir ao mirante da Raiz D'água, é um ótimo passeio até chegar aos seus 580 metros que possibilita uma vista panorâmica, pitoresca, como uma belíssima paisagem das serras dos Órgãos e do Mar, do Rio de Janeiro e o ocaso do pôr do sol.

Vale a pena se convencer a arriscar àquele vôo dos seus sonhos, pois dispõe de uma rampa para saltas de asa delta e parapente, com pouso na Fazenda Rancho 70. Tudo pode ser combinado, porque teremos sempre um bom motivo de recebê-lo em Sant'anna de Japuíba. Seja bem vindo!



CARACTERÍSTICAS DO ROTEIRO
Altitude: 36 Metros.
Posição geográfica: Lat. 22°33'38" S Long. 042o21'17" W - Noroeste/Leste. Localização: Seguindo pela RJ 116, km 23.
Grau de dificuldade: Leve
Classificação: Passeio Ecológico e Histórico
Tempo de trajeto ao objetivo: 15 minutos (via automóvel)
Duração do programa: 1 dia (c/ intervalos) "day use"


Fonte: http://www.cachoeirasonline.com.br
Avatar do usuário
rodrigoschemes
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 239
Desde: 18 Nov 2003, 13:38

Mensagem não lidapor rodrigoschemes » 20 Out 2005, 22:02

<b>Como chegar </b>
Imagem

Localização: Região das Baixadas Litorâneas
População: 50.000 Habitantes
Distância da Capital da Cidade: Aproximadamente 100Km
Rodovias de acesso: RJ 116 e RJ 112
Clima: Quente e úmido, com temperatura entre 15C e 38C
Altitude: Entre 30m a 2100m
Área: 1052 Km quadrados
Limites:
Norte - Teresópolis e Nova Friburgo
Sul - Itaboraí e Rio Bonito
Leste - Silva Jardim
Oeste - Magé
Distância em Km das principais Cidades:
Rio de Janeiro - 100 Km
Niterói - 85 Km
Nova Friburgo - 40 Km
Itaboraí - 45 Km
Rio Bonito - 60 Km


Horários dos ônibus:

Rio-Friburgo
05:30
06:00
07:30
08:30
09:30
10:00
11:00 (Via Magé)
12:00
13:00
14:00

Friburgo-Rio
04: 00 (segunda)
04:40 (segunda à sexta)
05:30 (segunda à sexta)
06:00 (Via Niterói)
07:00
08:00
09:00
10:00
11:00
12:00 (Via Niterói)

Cachoeiras X Friburgo
05:20 13:45
06:20 14:30
07:00 15:15
07:40 16:00
08:10 16:45
08:40 17:30
09:10 18:15
10:00 19:00
10:45 19:45
11:30 20:30
12:15 21:30
13:00


Friburgo X Cachoeiras
05:30 15:00
06:10 15:45
06:45 16:30
07:30 17:15
08:15 18:00
09:00 18:45
10:30 19:30
11:15 20:15
12:00 21:15
12:45 22:10
13:30
14:15


Fonte: http://www.cachoeirasonline.com.br
Avatar do usuário
rodrigoschemes
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 239
Desde: 18 Nov 2003, 13:38

Mensagem não lidapor Schwartz » 23 Out 2005, 09:35

Fala pessoal, bom como o Rodrigo postou, existem esses lugares aqui para passeios, mas por outro lado esses lugares não são de fácil acesso ou localização, por isso procure sempre informações com os locais ou guias locais. Valeu. Fiz a uns 3 dias a trilha do Imperador, e pude constatar que as informações do roteiro postado aqui estão erradas sobre o começo da trilha, fui segui-lo e tive que descer o leito do rio por 2 horas, até encontrar o antigo leito ferroviário.

Abraços.
Avatar do usuário
Schwartz
 
Mensagens: 8
Desde: 24 Set 2003, 21:00
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor Schwartz » 01 Nov 2005, 00:31

Bom galera, agora volto pra dizer que, lugar mais em conta, para ficar aqui em Cachoeiras agora tem!!! Estou com um camping aqui para receber a galera que quiser conhecer o lugar. Qualquer coisa me mandem uma mensagem.
Avatar do usuário
Schwartz
 
Mensagens: 8
Desde: 24 Set 2003, 21:00
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor Schwartz » 11 Nov 2005, 22:36

<font face="Verdana">O Lugar

Cachoeiras de Macacu fica situada entre as Serra dos Órgãos, do Mar, Santana e São João, onde se encontra a maior reserva de Mata Atlântica primitiva do estado do Rio de Janeiro. O clima quente-úmido convida para as mais diversas explorações da natureza e para a prática de muitos esportes de aventura, como caminhadas, moutain biking, off-road, cavalgadas, escaladas e rapel. Considerada o "Paraíso das Águas Cristalinas", possui mais de 70 cachoeiras, o lugar ideal para recarregar as energias e localizada a apenas 96 quilômetros da capital Rio de Janeiro.


As Trilhas

Para aqueles que preferem aproveitar a natureza se exercitando, oferecemos varias trilhas, em diversos graus de dificuldade, para os lugares mais inesquecíveis do município. Como a trilha para a lendária Pedra do Colégio, o encontro de praticantes do vôo livre, parapente e dos mais corajosos alpinistas. O trilheiro aproveita esta caminhada, observando a paisagem e a mata que cresce a medida que se sobe. No topo a beleza magnífica da descoberta do vale, visto por uma altitude de 620 metros. Ou a trilha para o Jequitibá Branco (Carinianna legallis). O segundo maior catalogado no Brasil, precisando de dez pessoas para abraçá-lo. E seguindo então para a Cachoeira das Sete Quedas, possuindo 160 metros de quedas é a que mais se destaque no município, passando ainda pela Cachoeira Furna da Onça. Têm também a exuberante Trilha do Imperador feita pela antiga linha férrea, no trecho entre Cachoeiras de Macacu - Friburgo. Cercada de Mata Atlântica, onde podemos ver plantas de milhares de espécies, pássaros, riachos de águas refrescantes e com alguma sorte, ser surpreendido com alguns animais nativos. Além de muitas outras trilhas da região. Venha conhecer Cachoeiras de Macacu!

Saudações Macacuanas!!!</font id="Verdana">
Avatar do usuário
Schwartz
 
Mensagens: 8
Desde: 24 Set 2003, 21:00
Localização: Brasil

Mensagem não lidapor rodrigoschemes » 14 Nov 2005, 20:34

Opções de estadia em Cachoeiras do Macacu.

<b>Camping</b>

no-caminho@hotmail.com
21-26492732

<b>Pousadas:</b>

Pousada Sítio Água Fresca
Boca do Mato
Tel (21) 2649-2723 / 2649-2394

Pousada Das Pedras
Boca do Mato
Tel (21) 2649-2270

Pousada Cabana do Bosque
Est. do ministro 58 - Boca do Mato
Tel (21) 2649-7520

Pousada Canto da Paz
Rod. RJ 116 - Km 51, s/n (Posto Pena)

Pousada Águas Cristalinas
Boca do Mato
Tel (21) 2649-2947

Pousada do Escultor Tuim
Tel (21) 2649-2503

Pousada do Guapiaçu
Est. do Guapiaçu 21
Tel (21) 2745-3906

Pousada do Ourirama
Rod. RJ116 Km 10,5 , Rua 8
Tel (21)2745-1125

Pousada Paladar
Rua Nicola Politoff, 396
Tel :(21) 2745-2352

Pousada A Marca do Faraó
Est do Faraó SN
Tel (21) 2711-8297 / 2714-9048
Avatar do usuário
rodrigoschemes
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 239
Desde: 18 Nov 2003, 13:38

Mensagem não lidapor Márcia Bastos » 17 Nov 2005, 07:48

No Caminho é tudo de bom. Atenção pra trilha sonora natural: o canto dos pássaros.


Vibrações positivas
Márcia Bastos
 
Mensagens: 147
Desde: 15 Dez 2003, 18:25
Localização: Brasil

Próximo

Voltar para Rio de Janeiro



Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante