Intercâmbio por Conta Própria - Guia de Informações

Outros assuntos relacionados com o Guia do Mochileiro


Intercâmbio por Conta Própria - Guia de Informações

Mensagem não lidapor laura-ck » 23 Nov 2010, 12:51


O objetivo desse tópico é a troca de informações sobre intercâmbio por conta própria.


Intercâmbio por conta

A maioria das pessoas desaconselham fazer intercâmbio por conta. Todo mundo fala que é mais seguro fechar com agência, que algumas têm preços melhores, que é muita burocracia, etc. Tudo verdade! Mas fechar por conta também pode dar certo se você tomar alguns cuidados.

Vou tentar passar em termos gerais, o que precisa ser feito, quais decisões e providências precisam ser tomadas para planejar o próprio intercâmbio.


Por onde começar?

Primeiramente você tem que levar em conta que planejar o intercâmbio vai dar trabalho, sim! E bastante! Você não vai ter tanta segurança e comodidade como nas agências onde eles fazem tudo por você. Tem um monte de burocracia e muitas vezes faltam informações.

Como no planejamento de qualquer outra viagem, as pesquisas são fundamentais. Então acho importante lembrar que nem tudo que está na internet é verdadeiro, procure informações sempre em sites oficiais ou confiáveis.

Obs.: a maioria dos sites que você vai pesquisar e parte do contato que você vai fazer serão na língua local e não em português.


Para onde ir?

O fator "custo" sempre influencia na hora de ir viajar, mas nesse caso, o melhor é seguir seu gosto, pois as chances do intercâmbio dar certo (você gostar), serão maiores. Procure um lugar pelo o qual você se interesse! Leve em consideração o sotaque, a cultura, o clima, o atual cenário político e econômico, exigências consulares, etc.

Como você vai viver o dia-a-dia em um país diferente, é imprescindível que você se muna com o máximo de informações possíveis sobre o local. Procure sites, troque informações com pessoas que já foram ou que estão lá, procure atrações que você possa visitar no seu tempo livre, bares que você queira conhecer, viagens para fazer aos finais de semana, etc. O lugar tem que combinar com seu perfil.


Como escolher a escola?

É possível procurar na internet mesmo escolas na maioria dos países.
Para garantir que a escola é confiável, você deve verificar seu reconhecimento e credenciamentos. Por exemplo, se você pretende estudar inglês no Reino Unido, é importante que a escola seja reconhecida pelo British Council.
O credenciamento garante que o curso tem certa qualidade, bons professores e que a escola tem autorização para matricular alunos estrangeiros. Além disso, em alguns países para conseguir o visto de estudante, você precisa estar matriculado em uma escola credenciada.

Qual curso escolher?
Para decidir o curso, você tem que levar em consideração qual o seu propósito em fazer o curso, seu nível no idioma, os resultados que você pretende obter e se você precisa de um certificado.

Tipos de cursos mais comuns
- Geral: normalmente aborda entendimento, leitura, escrita e fala; em assuntos gerais.
- Intensivo: geralmente aborda o mesmo que o Geral, só que com cargas horárias maiores.
- Individual: aulas individuais são mais eficazes e mais caras. Você escolhe os assuntos abordados.
- Preparatório: cursos que te preparam para certificados ou diplomas internacionais (como IELTS, TOELF, DELE, etc.)
- Negócios: pra quem já tem certo conhecimento da língua e quer se especializar no vocabulário de trabalho.
- Geral + atividade: algumas escolas oferecem o curso de língua com atividades, como dança, aula de cozinha, esportes, etc.
- Propósitos Especiais: curso personalizado voltado para seus interesses ou áreas específicas.

Tamanho da sala: numa turma menor você tem melhor aproveitamento, mas geralmente as escolas que trabalham com número reduzido de alunos por sala, são mais caras.

Nº de aulas: pra definir a carga horária do seu curso precisa levar em conta se você quer um curso de maior duração para maximizar os resultados ou se prefere diminuir a carga e aproveitar mais tempo conhecendo o lugar.

Duração: quanto à duração você tem que levar em consideração dois fatores:
- Quanto mais tempo você ficar, menor é o custo do curso por semana. Cursos de 1, 2 meses normalmente saem caro.
- Se você não tem conhecimento da língua, não adianta ir pra ficar pouco tempo, pois não vai ter aproveitamento desejado. Os cursos de curta duração em geral são para quem quer aperfeiçoar a língua.

Pagamento: geralmente você pode pagar com um cartão de crédito internacional, ou através de um depósito em conta. Para fazer esse depósito você tem que ir a um banco que emita ordem de pagamento para outros países e para isso é cobrada uma taxa (R$150,00 no Banco do Brasil).

Após receber o pagamento, a escola enviará um comprovante de matrícula que você vai precisar para dar entrada no pedido do visto.


Qual a melhor acomodação?

No próprio site das escolas eles te dão várias opções de acomodação, mas é possível fechar por conta também.

Alguns tipos de acomodação:

- Casa de família: as famílias normalmente são bem selecionadas e atendem os padrões estabelecidos. Você pode solicitar uma família de acordo com suas preferências e recebe todas as informações sobre ela para que possa escolher.
Essa opção te dá oportunidade de conversar com nativos, viver o dia-a-dia da família, conhecendo a cultura e costumes do país. (Geralmente oferece meia-pensão: café da manhã e janta)

- Residência Estudantil: numa residência estudantil você pode escolher se quer ficar em quarto individual ou compartilhado. Alguns oferecem serviços e atividades, como bar, academia, lavanderia, televisão, sala de jogos, restaurante, etc.
É uma ótima oportunidade para ficar num local com atmosfera estudantil e conhecer estudantes de todo o mundo.

- Hotéis: outro tipo de acomodação oferecida são hotéis próximos às escolas.

- Albergues: normalmente são mais baratos e bem localizados, ótima opção pra quem pretende ficar pouco tempo. Pode também ser usado temporariamente como base até encontrar um lugar “definitivo”.

- Outros tipos de acomodação: apartamento compartilhado, casa (aluguel), flat, etc.


Posso trabalhar enquanto estudo?

Depende! Alguns países permitem que você trabalhe enquanto estuda, outros não. As regras, condições, exigências, visto, etc., mudam de país para país.

Como procurar emprego?

Pela escola: algumas escolas oferecem pacotes de curso + trabalho (que pode ser estágio, trabalho informal, remunerado, não remunerado, etc). Em alguns casos você trabalha meio período enquanto está matriculado no curso, em outros, você tem que cursar tantas semanas para depois começar a trabalhar. A vantagem é que a escola te fornecerá todas as informações necessárias e te auxilia em todo processo. Geralmente garantem um determinado número de entrevistas.

Por conta própria: você recebe a permissão/visto para trabalhar enquanto está estudando e procura as vagas por conta própria.

Obs.: lembrando que o trabalho voluntário também é uma opção válida!


Qual passagem comprar?

Quando se viaja a estudo, você tem duas opções:
- procurar por tarifas comuns e promocionais, que normalmente podem ser compradas através de agências, internet, etc.
- procurar uma agência que possa emitir passagens com tarifa para estudante. As tarifas de estudante geralmente valem à pena quando comprada com bastante antecedência. Nesse caso você precisará apresentar um comprovante de matrícula para efetuar a compra.


Tudo decidido, e agora?

... você precisará verificar quais providências precisam ser tomadas. Para a maioria dos países você vai precisar de:

:arrow: Passaporte: se você já tem, verifique os critérios de aceitação do consulado, pois em alguns países você precisa de pelo menos 6 meses de validade. Se você não tem um passaporte, pode solicitar atrás do site da Polícia Federal http://www.dpf.gov.br

:arrow: Visto: Para obter as informações sobre o visto, o mais indicado é consultar o consolado do país, pois as informações sempre serão precisas e seguras.
Se você não quer lidar com esse tipo de burocracia, pode contratar um despachante para fazer isso por você. Eles cuidam de todos os serviços consulares e te dão uma segurança a mais no pedido do visto. Além de ser uma boa opção para quem não mora na mesma cidade do consulado.
Pra evitar possíveis problemas, é ideal que faça todo o processo com pelos menos 2 meses de antecedência.

:arrow: Seguro Viagem: no consulado mesmo você pode verificar se há necessidade da contratação de um seguro saúde. Alguns países exigem o seguro saúde até mesmo para turistas. Nos países do Tratado de Schengen, por exemplo, eles exigem a contratação e o seguro deve ter cobertura mínima de 30 mil euros.
Você pode simular cotações do seguro saúde através de alguns sites, como por exemplo:
http://www.travelace.com.br
http://www.vitalcard.com.br
http://www.worldplus.com.br
http://www.worldnomads.com
http://www.mondialtravel.com.br
http://www.seguroviagemgta.com.br
http://www.isisbrasil.com.br

Mais Informações sobre Seguro Viagem

:arrow: Carteira de Estudante
É bacana também verificar se vale à pena fazer a carteira de estudante. Na maioria dos países a ISIC, dá desconto em albergues, hotéis, transportes, atrações turísticas, etc. Ás vezes só o desconto que você consegue em um albergue ou em um hotel, por exemplo, já compensa o valor da carteirinha!
Nesse link http://www.isic.org/student-discounts/d ... dwide.aspx você coloca o nome da cidade para onde vai, e ele mostra todos os locais credenciados.

:arrow: Alfândega
Quando você decide ir por conta, não terá toda segurança e suporte de uma agência, então é importante que você faça tudo direitinho para não ter problemas na entrada do país. Quando passar pela imigração tenha em mãos:
- documentos exigidos pelo consulado
- comprovante de matrícula na escola
- comprovante de acomodação
- dinheiro suficiente para se manter durante a estadia (dinheiro, VTM, Travel Check, Cartão de crédito internacional, etc.) e eventualmente uma carta de custeio, caso alguém for bancar a sua viagem
- seguro saúde
- passagem de volta
- e se tiver mais alguma coisa que comprove seu vínculo no Brasil, como carta de faculdade, escola ou emprego, também ajuda!


Como estimar o custo da viagem?

Para estimar o custo total dessa brincadeira, você deve considerar os seguintes gastos:

- passagem de ida e volta
- valor do curso + taxa de matrícula + valor do material + taxa de outros serviços
- acomodação*
- refeição*
- transporte*
- passeios
- gastos extras
- taxas com passaporte, visto, seguro saúde e outras taxas pagas no BR

* Lembrando que mesmo que você pretenda trabalhar, tem que provar que você tem como se manter durante todo o intercâmbio.


Como me preparar para o intercâmbio?

Já que você vai gastar uma grana pra fazer um curso no exterior, é bom estar preparado. Quando se matricular na escola, a primeira coisa que vão fazer é aplicar um teste de nível para saber em qual turma você se encaixa. Então não custa nada dar uma boa reestudada em tudo o que você já aprendeu para não te colocarem num nível abaixo do que você esperava.




Texto: Laura Cervenka
Editado pela última vez por laura-ck em 04 Fev 2011, 14:15, em um total de 5 vezes.
"Life can be wonderful if you're not afraid of it. All it takes is courage, imagination ... and a little dough."

Guia: Intercâmbio por Conta
Avatar do usuário
laura-ck
Colaborador
Colaborador
 
Mensagens: 224
Desde: 02 Fev 2009, 17:30
Localização: Sydney, Australia

Re: Intercâmbio por Conta Própria - Guia de Informações

Mensagem não lidapor Bruna2013 » 21 Jun 2013, 19:07

Como saber se um curso é bom ou não?
Bruna2013
 
Mensagens: 52
Desde: 08 Abr 2013, 18:25


Voltar para Outros assuntos



Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes