Guias e troca de informações sobre destinos do estado de Minas Gerais
#1195610 por tiagokxuera
15 Jun 2016, 08:24
Salve galera!

Antes de mais nada, vou responder algumas perguntas:
- Vai fazer frio? Sim. Quanto? MUITO, MUITO e MUITO. kkkkk
- Vai ter que andar? Sim. Quanto? MUITO. Cansa? Sim. Muito. kkkkk
- Qualquer pessoa sobe o Agulhas Negras? Não. Tem que ter bom preparo físico.
- Tem que reservar Hospedagem e guia? Sim. Veja abaixo como proceder. Se quiser arriscar ir sem reserva tudo bem, mas pode ser que não consiga entrar no mesmo grupo.

Vamos ao rolê!
Estou com ideia de um rolê no parque do Itatiaia, mais precisamente a subida ao Pico das Agulhas Negras.
Localizado no Parque Nacional do Itatiaia/RJ-MG, é a sexta montanha mais alta do Brasil (2.791,55 m).
Quem aprecia a natureza é uma ótima pedida! A maior parte do percurso é subida e exige esforço físico. Não me venham com desculpas coxebas. Tem que andar (MUITO) e vai fazer frio (MUITO FRIO). kkkkkkk
Mas todo esforço é compensado quando alcança-se o topo... a paisagem é fantástica!

Como não tenho experiência em montanhismo, procurei um guia para a subida, pois facilita muito. Ouvi dizer preços entre R$50,00 e R$100,00 por cabeça.
O Evandro Azevedo cobra R$90,00 por cabeça. Para reservar com ele (acho prudente reservar), entre o site: http://www.montanhasdoitatiaia.com.br e siga as instruções.
Em resumo: Preencher os docs da página: http://www.montanhasdoitatiaia.com.br/reserva/
Enviar para o email descrito. Depositar na conta 50% (R$45,00).

Se o guia não tiver mais disponibilidade, segue a lista de outros guias, também cadastrados no site do ICMBIO:
Alberto da Silva Guimarães (24) 3360-8222 / 99999-3782 / 98159-1068 alberto.guimaraes@gmail.com
Célia Regina da Mota Vieira (24) 3352-5085 / 99991-3132 ecogute@uol.com.br
Eduardo Cotrim (24) 3352-5085 cotrim.bio@gmail.com
Evandro Azevedo (24) 98122-7873 evandropatissier@hotmail.com
Fábio Gandra (24) 99258-0802 gandratrek@gmail.com
Felipe Guimaraes (35) 9119-9153 felipeguimaraes13@hotmail.com
Gabriel Fichter Zaccari (24) 3352-1050 gabriel_fichter@hotmail.com
Inês Maria Dalla Vecchia (24) 3359-0730 / 99913-6008 ines_vecchia@hotmail.com
Ingrid Coelho Martins (24) 98148-6992 ingridcoelhoef@gmail.com
Marco Aurélio Fernandes da Silva (24) 99843-7164 marcoaurelioguia@hotmail.com
Maria de Fátima Chaves (24) 99813-3279 / 3355-4982 mfchaves8@gmail.com
Moacir de C. Rodrigues (24) 3351-1553 / 98811-2126 / 99818-8657 moacir.guiatur@hotmail.com
Rodrigo Macedo Paiva (24) 99902-9025 mantiqueirista@yahoo.com.br

A grande vantagem é que o guia consegue ajudar na entrada do parque em dias muito lotados, além de esclarecer dúvidas. Pelo risco envolvido, acho que esta justo o valor. Outro detalhes, ele levará os equipamentos necessários.
Tem que chegar cedo a portaria do parque. Eu estarei lá as 6 horas em ponto. Vale lembrar que para chegar na portaria do parque, tem um trecho OFF ROAD de uns 20Km
Portanto, sair do abrigo beeem cedo.
A entrada no parque é coisa de R$15,00 (Apenas dinheiro).

Quanto a hsopedagem:
Quanto a Hospedagem, vamos ficar no Hostel Picus (R$40,00 por cabeça por diária), um abrigo de montanha. Quem quiser fazer a reserva:
http://www.picus.com.br. Tem que depositar 100% adiantado.

Hostel Picus (Itamonte)
Localizado entre o Km 768 e 769, na BR 354 Rio Caxambu.
Hospedagem a 5 km da entrada da estrada da Parte Alta do Parque Nacional de Itatiaia e a 15 Km do centro de Itamonte – MG.
Fácil acesso.
Com visual de frente a Pedra do Picu, no Bairro Engenho de Serra.
Quartos Comunitários e de Casal.
Banho Quente.
Sala com lareira.
Garagem.
picus@picus.com.br
Telefones:
55 (35) 9 9114-2525
Facebook: http://www.facebook.com/hostelpicus
http://www.facebook.com/picus.com.br
Instagran: @feradamontanha / @tatanamontanha
Snapchat: feradamontanha / tatanamontanha
Quarto comunitário - R$ 40,00 por pernoite por pessoa
Quarto de casal - R$ 50,00 por pernoite por pessoa
Não servimos café da manha nem refeições, temos cozinha e utensílios coletivos.

Eu vou de moto, mas se alguém quiser ir de carro, nos encontramos no Abrigo, sem problemas.

Data escolhida:
Partida para o abrigo sexta dia 08/07/2016
Subida ao Pico: 09/07/2016 (desce no mesmo dia)
Passeios na parte baixa do parque e retorno pra casa: 10/07/2016

Dados do site: http://www.icmbio.gov.br/parnaitatiaia:

QUANDO IR:
O Parque pode ser visitado todos os dias do ano, mas o melhor período para conhecer a parte alta é durante o inverno.
Enquanto que a parte baixa pode ser desfrutada durante todo ano, mesmo no verão, porém é época de grande incidência de chuva.

HORÁRIOS:
O horário de funcionamento é diferente para a parte baixa e parte alta do parque:
Na parte baixa o horário para ingresso inicia-se às 08h00, com permanência até às 17h00. Nas cachoeiras do Complexo do Maromba a permanência é até às 16h00. Em caso de chuva, as cachoeiras poderão ser interditadas a qualquer momento para a segurança do visitante, pois há riscos de cabeça d'água. E na parte alta, o horário para ingresso é das 07h00 às 14h00. A permanência estende-se até às 17h00, impreterivelmente.

COMO CHEGAR:
O Parque Nacional do Itatiaia está localizado na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, próximo ao estado de São Paulo, na Serra da Mantiqueira. Na região Sul Fluminense, também conhecida como Região das Agulhas Negras, o Parque Nacional do Itatiaia (PNI) abrange municípios de Itatiaia e Resende. Já no sul de Minas Gerais, abrange parte dos municípios de Itamonte e Bocaina de Minas. Situa-se geograficamente entre os paralelos 22º19' e 22º45' latitude sul e os medianos 44º15' e 44º50' de longitude W. Abaixo há uma tabela com as principais distâncias entre as duas entradas oficiais do Parque, Posto 1 e Posto Marcão.
A primeira parte da lista é composta das principais metrópoles, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
Em seguida os municípios e distritos nas quais se hospedam visitantes do Parque, ou por serem localidades referenciais para o acesso ao Parque.
Imagem

O maciço das Agulhas Negras é a principal elevação no planalto, seu pico atinge 2.791,55 m, o ponto mais alto do Parque e quinto mais alto do país segundo dados do IBGE de dezembro de 2004 (IBGE, 2011). O visitante tem a opção de caminhar apenas até a base ou seguir até o cume, sendo essas opções escolhidas já no Posto Marcão, onde existe hoje o controle dos visitantes.
O acesso é feito a partir do Abrigo Rebouças, caminhando por áreas de Campos de Altitude. Até a base das Agulhas Negras são 1.300 m que podem ser percorridos em aproximadamente 45 minutos. O tempo de ascensão varia de acordo com a via a ser utilizada, pois o maciço possui mais de 20 vias de escalada com diferentes graus de dificuldade.

Os 2.791 metros de altitude, podem ser alcançados em duas etapas. a primeira, requer cerca de 45 minutos de caminhada moderada do visitante até abase - a partir do Abrigo Rebouças. Depois, mais ou menos duas horas de subida pesada até o topo. Exige experiência, pois certos trechos da subida só são possíveis com apoio de uma corda de segurança. Além dessa, o Pico tem outras vias de escalada. Além da visitação normal, o local é utilizado também para treinamento de grupos especiais e militares. Nessas ocasiões o acesso ao maciço é limitado para os grupos em treinamento, sendo as informações divulgadas na BR-485, próximo à Garganta do Registro. A partir do topo do maciço das Agulhas Negras é possível a visualização panorâmica da região – Vale do Paraíba, maciço das Prateleiras e planalto mineiro. Possui escalada de diferentes níveis de dificuldade, atendendo a diferentes públicos. E o acesso até a base é fácil, sem muitos desníveis do terreno.

RECOMENDAÇÕES:
- Vai fazer MUITO FRIO. Ouvi de um amigo que semana passada fez -7 graus lá.
- Levar bastante água (pode pegar em uma fonte no meio do caminho).
- Levar lanche
- Levar óculus de sol, protetor solar, protetor labial ETC.

Algumas fotos para animar (ou desanimar a galera! kkk):

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

E aí, bora?
Editado pela última vez por tiagokxuera em 21 Jun 2016, 12:48, em um total de 2 vezes.

#1197028 por Hélio Jr
21 Jun 2016, 11:37
Tiago,
bacana a iniciativa! Como vc está procurando infos sobre o parna, se puder me responder:

de acordo com o ICMBio a parte final da subida é mais técnica, necessitando de cordas de segurança em alguns pontos. vc sabe se essas cordas de segurança já estão na trilha (tipo aquelas que funcionam como corrimão)? ou é preciso levar equipamento?

parece que o camping do parque está interditado, é isso mesmo?

agradeço! boa pernada!
#1197032 por tiagokxuera
21 Jun 2016, 11:52
Hélio, beleza?
O camping não esta interditado, porém não há vagas. Tem que entrar no site do ICMBIO e conseguir por lá. É muito concorrido.
Quanto ais equipamentos, o guia leva tudo. Vale lembrar que o guia também deve ser reservado antes, conforme post 2.
Abrass,
#1197133 por Hélio Jr
21 Jun 2016, 17:31
Saquei, mas então, eu já tava pensando em outo rolê, sem guia mesmo. Como você disse que não tem experiência em montanhismo, é o melhor a se fazer.
Fiquei sabendo que é bem concorrido mesmo, não imaginava, talvez seja época também, inverno é alta temporada de montanhistas, digamos assim.
#1201835 por tiagokxuera
11 Jul 2016, 18:44
Salve galera!

O rolê foi massa demais. Cansativo, mas show de bola!
Eu falei que ia estar frio? kkkk Pois bem, fez muuuuito frio.
Cansativo? Demais. Mas valeu a pena.

Se não esta a fim de ver muitas fotos, já feche navegador. kkkkk

Saí de casa por volta das 4:30 da tarde na sexta feira, e já senti que o fim de semana seria gelado. Chegando em Itamonte parei para abastecer e para comer, pois no hostel não tem restaurante. Enquanto tomava um chocolate quente, ouvi um cabra dizendo que na noite anterior Itamonte tinha -1 graus. Pensei Ótimo! Acertamos o fim de semana. hehehehe

Nos encontramos no Picus, Marcus Vinícius (meu irmão), Laís (namorada dele), Ângelo, Fábio, Paulo Lima, Fernandão e Turcão. Esse último não subiu com a gente.

Antes de mais nada, o hostel foi show de bola. Extremamente limpo e organizado. Cozinha bacana pra quem quiser arrumar um rango.
Garagem para as motos, tudo no esquema. Fica a 5 Km da garganta do registro e mais 13Km de terra até a entrada do parque. Muito prático.
Nota 10 pro Picus! =)

Acordamos as 5:00 da matina e o combinado era virar a chave da ignição ás 5:30, sem atrasos. Palmas pro pessoal, que foi muito pontual.
Pois bem, 6 e uns quebrados já estávamos na portaria do parque.
Imagem

Imagem

Uma ressalva pra equipe do Montanhas do Itatiaia, que agilizou os trâmites pra nossa entrada no Agulhas e também a entrada dos veículos.
A melhor dica desse relato é: Chegue cedo e conte com um guia eficaz na hora de dar entrada. A portaria é uma desordem total. Muitos guias na luta para entrarem com os seus grupos,
tudo muito bagunçado. Muita gente não consegue entrar, mas nós conseguimos, graças ao Guia Leonardo e o Evandro, do Montanhas do Itatiaia. www.montanhasdoitatiaiacom.br
Se eles não agilizam, nosso passeio estava perdido.
No começo a galera estava achando neurose minha em chegar cedo, ams depois creio que concordaram. kkkkk

Imagem

Imagem

Passado o sufoco, partimos para o abrigo rebouças, de moto. Fui o primeiro a entrar no parque, e pude ver as poças dagua ainda intactas. hehehehe
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Passadas as instruções iniciais, bora pra cima!
Um pouco de caminhada leve até o pé da montanha. Dali pra frente, só Deus pra ter dó.
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Prateleiras:
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Te falei que ia estar frio?!?!?!?
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Subimos uns rampão de pedra que já assustou a galera. Dava a impressão que o corpo ia escorregar pra trás.
Imagem

Imagem

Imagem

E a vista só melhorando...
Imagem

Imagem

Cansado, Paulo?
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
#1201838 por tiagokxuera
11 Jul 2016, 18:55
Continua...
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Depois o rampão, um paredão de pedra pra subir no braço. Ali já ficou meu irmão e o Fábio, que preferiram não continuar.

Aí veio um tal de trepa-pedra, extremamente exaustivo. ..
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Imagem

Imagem

Imagem

Imagem



Enfim chegamos ao pior ponto. Passamos por baixo de uma pedra, via uma fenda.
Imagem

Imagem

Depois uma subida a beira de um precipício, auxiliado com cordas e muit vento. Confesso que fiquei c*g*nd* de medo. Mas foi que foi, desistir era pior.

Chegamos ao falso cume. Ninguéem se atraveu a ir lá assianr o livro, pois tinha que descer mais um tanto e escalar outro tantão. A vista era linda, mas
o vento estava cortante. Imagino estar uns 5 graus lá em cima, mas a sensação era terrível. Além da balaclava, tive que abrir o capus do corta-vento, pois me doía a cabeça.
Vencemos! ou, quase! Faltava a descida!
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Serra Fina que me aguarde! hehehehe
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Nosso Guia, Leonardo:
Imagem

A bandeira do XT66, flamulando com o vento:
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

hehehehehe:
Imagem

Imagem

Imagem

Conseguimos! Yeah! kkkk
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
#1201840 por tiagokxuera
11 Jul 2016, 19:03
Continua...

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Mandei um lanche por peito, um torcilax e bora descer.
A parte do trepa pedra foi difícil. Muito apedra pra descer e a câimbra pegando forte. Cansaço, mas a sensação de estar descendo era muito confortante. kkkk
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


Descemos a rampa no estilo 5 apoios: pernas, braços e bunda. kkkkk
Imagem

Mais um trechinho punk:
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Da esquerda pra direita:
Fernandão, Ângelo, Armênio, Leonardo, Marcus, Laís, Paulo, Fábio e tiagokxuera:
Imagem

Quando chegamos na trilha leve, mal acreditei. Ufa! Vencemos de verdade.
Imagem

Imagem

Uma olhadinha pra trás, pra ter certeza que a imagem vai ficar na lembrança:
Imagem


Montei na motoca e saí rasgando pra Garganta do registro pra mandar aquele sanduba de linguiça, ovo e queijo. Comprei duas latas de cerveja e levei pro hostel.

Banho quente, digo, fervendo/pelando, conversamos um pouco, toemi as 3 cervas e capotei.

Acordei no outro dia, pronto pra ir embora, com o corpo destruído. ehehheheheh
Imagem

Na volta ainda parei pra umas fotinhas na altura de São Lourenço, trecho da estrada real...
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Cheguei em casa, limpei tudo, olhei as fotos e Meu Deus! Onde é que eu fui me meter! kkkkkk
Valeu galera, o fim de semana foi show de bola! Bora bora animar mais outro!

Abrass,
#1202142 por Hélio Jr
12 Jul 2016, 18:55
Vcs subiram pela via normal? Pelo que vi dá pra subir sem equipamento, certo?

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante