Conecte com a gente

Espanha

Matavenero: Uma cidade espanhola isolada da civilização

Publicado

em


Imagine que você e seus amigos, cansados de tudo que ocorre no Brasil e no mundo, decidam se unir e começar uma nova vida em coletividade no meio das montanhas e uma vila construída, gerida e mantida por vocês mesmos, através de muito trabalho e criatividade. Um lugar onde vocês possam viver segundo suas próprias regras e valores isolados de qualquer tipo de entidade governamental coercitiva e/ou cagadora de regras.

Foi mais ou menos isso que ocorreu em 1989, quando um grupo de hippies decidiu ocupar uma vila medieval abandonada nas montanhas do norte da Espanha em um lugar que hoje é chamado de Matavenero.

Em Matavenero “a maioria das casas são muito pequenas e cheias de pequenos detalhes que explicam os valores morais das pessoas que lá vivem ” define o fotógrafo Antonio Guerra que foi até lá para compor o ensaio “Y tu Sueño“.

Antonio viajou até a ecovila que fica no meio das montanhas de León no norte da Espanha para fotografar e também para ver de perto como vivem estas pessoas.

Algumas das fotos do ensaio “Y Tu Sueño” você confere a seguir e também pode assistir 2 documentários sobre Matevenero no final deste post.

 

 

Votar

10 pontos
Upvote Downvote

Comentários do Facebook

comentários

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espanha

10 trilhas na Espanha de dificuldade média e baixa

Claudia Severo

Publicado

em


Trilhas na Espanha: A mais fáceis e belas do país. Rotas de dificuldade média e baixa, com percurso máximo de 22Km; boa pedida para quem vai mochilar por lá e está com pouco tempo.

Trilhas na Espanha com dificuldade baixa

1 – Pinsapar de Grazalema – Distância: 11Km. Local: Cádiz.

O Abeto Espanhol (Abies pinsapo) é uma árvore nativa e proveniente das montanhas da região de Andaluzia. A espécie já desapareceu da Europa ocidental desde a última glaciação, mas áreas da região de Cádiz ainda conservam esta relíquia botânica. Desde 1977 Grazalema é Reserva da Biosfera, pela Unesco.
O itinerário começa na área recreativa da estrada CA-531, de Grazalema a Zahara de la Sierra e termina em Benhamahoma. Na paisagem, além do famoso ‘pinsapar’ (campo de pinsapos) belos povoados com traçado árabe.
Em algumas datas é preciso contratar guia e solicitar autorização para o percurso devido ao risco de incêndios.

Trilhas na Espanha | Foto: ANDARA RUTAS

Trecho de trilha nas províncias de Málaga e Cádiz. Uma das opções é Grazalema | Foto: ANDARA RUTAS

2 – Via Verde del Plazaola – 15,5Km. Local: Navarra.

O Plazaola era um trem à vapor inicialmente utilizado para transportar minério. Em 1914 passou a transportar passageiros, porém em 1958 encerrou definitivamente as atividades. Depois disso, os 90Km de vías e estruturas (pontes, túneis etc) caíram em ruína.
O trem unia Pamplona a San Sebastián através dos vales de Larraun e Leitzaran. Hoje parte do trajeto é conhecido como ‘via verde’. A trilha começa na velha estação de Lecumbrerri. Há pequenas trilhas marcadas com setas brancas e amarelas sendo boa oportunidade para conhecer os bosques do vale de Larraun.

Trilhas na Espanha -Túnel de Ultzi no trecho Leitza-Lekunberri | Foto: Javi Sola

Túnel de Ultzi no trecho Leitza-Lekunberri | Foto: Javi Sola

3 – Cânion do Rio Lobos – 10Km. Local: Soria

O Rio Lobos ‘escavou’ o calcário até formar uma das mais belas paisagens de Castilla e León. A área tem pinheiros milenares, falésias e cavernas.
O caminho começa na capela de San Bartolomé permitindo recorrer o fundo do cânion, até a ponte dos Siete Ojos. Na paisagem florestas de zimbro, azinheira, pinheiro, lagos e piscinas de rio.

Trilhas na Espanha -Trilha começa na capela | Foto: lospatosnoentiendendehielo

Trilha começa na capela | Foto: lospatosnoentiendendehielo

4 – Montserrat – 8,5Km. Local: Barcelona

Numa das montanhas mais emblemáticas da Catalunha, está o Mosteiro da Virgem de Monserrat, de onde é possível partir para conhecer algumas das várias opções de trilhas deste maciço, conhecido também como ‘Montanha dos 100 picos’.
A rede de trilhas de Montserrat é bastante extensa e uma das opções para começar a conhecer a montanha é subir até o topo da St. Jerome. A trilha parte do monastério.

Trilhas na Espanha - Há várias trilhas na região da Monserrat | Foto: Valéria Deda Perli

Há várias trilhas na região da Monserrat | Foto: Valéria Deda Perli

5 – Castelo de Monfragüe – 10,5km. Local: Cáceres

O parque natural de Monfragüe fica na província de Cáceres. Mais de 18.000 hectares do parque se estendem em um retângulo de cerca de 30km de comprimento, paralelo ao rio Tajo, entre o Salto del Gitano e Casas de Miravete. A ladeira norte da área, na serra das Corchuelas é quase toda declarada reserva integral, não
sendo permitida a visitação, mas uma porção bastante representativa dela permanece aberta sendo possível aos interessados conhecerem a autêntica selva mediterrânea.
Uma trilha circular parte de Villareal de San Carlos, cruza o Tajo e sobe para o castelo Monfragüe, onde há bela vista do parque.

Vista do Parque Montagüe e o rio Tajo | Foto: Victor Gómez

Vista do Parque Montagüe e o rio Tajo | Foto: Victor Gómez

Trilhas na Espanha com dificuldade média

1 – Los mallos de Riglos – 22Km. Local: Huesca

Às margens do rio Gallego e na confluência das províncias de Huesca e Zaragoza está um território de grande riqueza natural e impressionantes formações: montanhas em forma de charutos, os mallos. A trilha parte da vila de Riglos.

Formações também são procuradas por escaladores | Foto: José Manuel San Segundo

Formações também são procuradas por escaladores | Foto: José Manuel San Segundo

2 – Real Camino de La Mesa – 20,5Km. Local: León-Asturias

Este pode ser um dos caminhos mais antigos de ligação entre o planalto e o litoral espanhol. Ele une o norte de León às cidades asturianas de Quirós e Teverga. O trecho mais espetacular deste caminho é o que vai da cidade de Torrestío, em León até o topo de San Lorenzo passando por campos e pastos na cordilheira Cantábrica.

Trecho do Camino real de la mesa em território asturiano | Foto: Rubén Marcos

Trecho do Real Camino de la mesa em território asturiano | Foto: Rubén Marcos

3- El Montgó – 7,4Km (a partir de Denia) ou 3Km (a partir de Les Planes). Local: Alicante

A formação Montgó surge como uma pedra solitária entre os campos de laranja que separam as cidades de Jávea e Denia. Está em um dos parques com mais rica flora na província de Alicante. São mais de 600 diferentes espécies.
Existem duas formas de se aproximar da montanha: a menor (3Km) é via Les Planes, na estrada que liga Jávea a Denia; e a maior (7,4Km) via Denia.

Ao fundo a montanha Montgó | Foto: Marjolaine

Ao fundo a montanha Montgó | Foto: Marjolaine

4 – El sendero Riojano – 22Km. Local: La Rioja

O GR93 (Gran Recorrido 93) tem ao todo 141Km, ligando o Atlântico ao Mediterrâneo, apresentando clima e paisagens tipicas destes dois ‘ambientes’.
O caminho vai desvendando a tranquila vida rural da La Rioja, seus vales e o rio Oja, que dá nome a comunidade.
É possível percorrer o caminho todo ou por trechos. Um dos mais recomendados é o que começa no mosteiro de Yuso, no sopé da Sierra de la Demanda. Ele segue por cerca de 6 horas de caminhada, terminando em Anguiano.
O mosteiro Yusho e outro nas proximidades de Suso, são considerados o berço do castelhano, pois ali, no século X teriam sido escritos os primeiros textos em navarro-aragonês, riojana, basco, latim etc (as Glosas Emilianenses).

Monastério de Yuso em San Millan de la Cogolla, La Rioja | Foto: Javier

Monastério de Yuso em San Millan de la Cogolla, La Rioja | Foto: Javier

5- Chorros del río Mundo – 16Km. Local: Albacete

Na Sierra del Segura está uma das fontes de água mais espetaculares da Espanha, o Rio Mundo. Depois de percorrer mais de 42Km de redes labirínticas, galerias, salas e numerosos lagos subterrâneos o rio vê a luz do sol quando sai da de uma cova rumo ao vazio, formando um incrível salto de 82m de altura.
A partir da área recreativa da base da cascata há uma trilha que leva até o pico Argel, caminho no qual é possível conhecer uma genuína paisagem cárstica, com impressionantes formações realizadas pela natureza (corrosão) no calcário.

Cascata formada pelo Rio Mundo | Foto: Miguel Angel Sanchez Guerrero

Cascata formada pelo Rio Mundo | Foto: Miguel Ángel Sánchez-Guerrero

Com informações de El país.
Fotos: crédito nas legendas. (A imagem que abre a matéria é de Miguel Grannel)


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

Quanto custa viajar para Maiorca

Publicado

em


A Ilha de Maiorca (Mallorca) na Espanha é ainda pouco conhecida, mas basta ver algumas fotos do mar absolutamente transparente pra se apaixonar! Nós do Blog Fui Ali fomos lá e anotamos todos os gastos pra contar aqui quanto custa viajar para Maiorca!

No nosso roteiro de 5 dias em Maiorca, e no roteiro gastronômico mostramos também todos os lugares que fomos durante os 5 dias que ficamos nessa ilha!

Nos nossos gastos, alguns valores relacionados a transporte como aluguel de carro, estacionamentos, gasolina, etc, são independentes de ser para 1 ou 2 pessoas. Todo o resto foi calculado como para 2 pessoas, ok?

A moeda em Maiorca é o Euro, então todos os valores aqui estarão nessa moeda, já que a cotação pode variar ao longo dos dias. Colocar em real poderia sofrer essa alteração. Mas para saber quanto equivale em relação ao real, é só procurar no google por “conversor euro real” e colocar o valor.

 

Quanto custa viajar para Maiorca:

Passagens aéreas

Muitas pessoas incluem Maiorca no roteiro quando passam antes por Barcelona, e como partimos também desse local, nosso valor é relativo a Barcelona – Maiorca – Barcelona.

Ficamos sempre de olho no Skyscanner para encontrar passagens baratas e conseguimos encontrar pra nós dois por 52,80 euros ida e volta.

Nós fomos com a Ryanair e só levamos bagagem de mão, então não tivemos que pagar nenhum adicional. Sendo assim nosso custo foi só o de 52,80 euros mesmo.

 

Aluguel de carros

Como já falamos no post do roteiro, para conhecer o máximo de lugar em poucos dias em Maiorca é indispensável alugar um carro! Nós alugamos com a rentcars que teve o melhor custo final na cotação que fizemos. Você pode visitar o site e ver o valor que ficaria na sua data.

aluguel sozinho foi 31,45 euros, mas quando vamos pegar as chaves tem mais alguns valores que aparecem. Não tem muito como fugir.

Tivemos 2 opções lá na hora:

1) pagar 1.100 euros pelo depósito, que funciona como um pagamento caução, ou seja, esse valor volta pra você caso não ocorra nenhum dano com o carro. Porém se houver dano, e dependendo de como for, o valor pode ser ainda maior e você “perderá” esse dinheiro pra pagar o dano.

2) Pagar 120 euros pelo seguro. Esse é um valor que não volta pra você, mas em compensação você pode ficar tranquila com relação a qualquer dano que possa haver. Independente do que for, você não terá que pagar nada a mais. Nós escolhemos essa opção.

Outro gasto que você terá lá na hora é o da gasolina. Tem uma taxa de abastecimento que não é opcional e custa 30,00 euros. Tem também 58,00 euros que eles vão cobrar mas depois te devolvem uma parte se você entregar o tanque cheio. Então você vai gastar de fato o valor do tanque cheio (que no caso ficou 40 euros). Eles abateram então esses 40 euros do 58 euros que cobraram quando pegamos as chaves.
E aí fora esses valores só pra sair andando com o carro, tivemos também o custo do abastecimento pra rodar na cidade. Foi de 20 euros (colocamos mais ou menos meio tanque).

 

Os valores com o carro então foram:

O que

Quanto

Aluguel carro 31,45 €
Seguro 120,00 €
Taxa de abastecimento 30,00 €
Primeira abastecida 40,00 €
Segunda abastecida (1/2 tanque) p/entregar c/ tanque cheio 21,00 €

Total

242,45 €

Hospedagem

Nós ficamos hospedados na casa de um amigo, então não tivemos esse custo. Porém estávamos pesquisando antes de ir e tínhamos visto valores desde 40 euros (hostels) até 300 e pouco (pousadas de alto luxo). Na região em que ficamos (próximo a Torrent de Sa Riera) os valores estavam em torno de 75 / 80 euros (valores desde hostels até hotéis) pra 2 pessoas em setembro. Então pra efeito de valor geral, vamos colocar 80 euros que é o valor de um Hotel okque pegaríamos.

Gastos de dia a dia

Como muita gente sabe, em bagagem de mão não podemos levar embalagens acima de 100ml. Então chegamos lá e as primeiras coisas que compramos foram itens de higiene pessoal como shampoo, condicionador, sabonete, desodorante, etc.

Para comer, comprávamos sempre de manhã alguns sanduiches, sucos e biscoitos pra fazer lanchinhos durante o dia na praia. Em nenhum dia almoçamos em restaurante. Deixamos pra ir a noite, pra não “atrasar” nosso roteiro e a gente poder aproveitar o máximo de tempo nas praias (e também pra economizar, claro).

Durante os 5 dias nossos gastos com alimentação e outras coisas diárias foram:

O que Onde Quanto
Lanchinhos e itens de higiêne Carrefour 38,00 €
Capa de chuva Lojinha em Valldemossa 5,90 €
Jantar (2 hamburguers + batata + 2 bebidas Badal 29,30 €
Lanchinhos Supermercado Mercadona 4,50 €
Jantar (Buffet livre + bebidas) Sushi King 33,50 €
Lanchinhos Supermercado Mercadona 14,30 €
Jantar (2 hamburgues + 4 cervejas) Rota Copa (Mercado SanJuan) 25,00 €
Ensaimadas (12 pequenas) Can Joan de S’Aigo 21,60 €
Estacionamento (2h) Valldemossa 2,40 €
Estacionamento (1h) Deià 1,00 €
Entrada Museu (2 pessoas) Son Marroig 8,00 €
Lanche (2 fatias pizza + 2 capuccinos) Lanchonete do Cap Formentor 13,80 €
Pedágio Soler 5,10 €
Estacionamento Cala SAlmunia 5,00 €
Estacionamento Es Trenc 4,00 €
Estacionamento Centro de Palma 1,00 €

Total

212,40€

Nosso gasto geral então para 5 dias em Mallorca foi em torno de 508,00 euros, para duas pessoas. Isso contando com o valor do aluguel de carros que recomendamos e achamos super importante fazer! Há pessoas que vão a Maiorca sem alugar carros, mas eu sinceramente acho que não teriamos conseguido conhecer nem metade dos lugares se não tivéssemos alugado um.
Em alguns locais eu sequer vi opção de transporte público pelo caminho. Foi um custo quase da metade do custo total da viagem, mas que achamos que valeu muito a pena pra conseguir conhecer tudo. Sem contar que é uma delícia dirigir pela cidade. A estrada é super charmosa, há vários bichos “não comuns” de serem vistos (como ovelhas, veados, etc) e locais lindos pelo caminho, onde a gente pode parar a qualquer momento para tirar uma foto.

Enfim, esses foram nossos gastos nessa viagem e esperamos que possam servir de base pra você ter uma ideia mais ou menos de quanto custa viajar para Maiorca.

Se você quiser ver mais posts sobre essa viagem à Maiorca, é só clicar aqui.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

Tarragona, ruínas romanas na catalunha

Publicado

em


Barcelona pode ser a capital da Catalunha moderna, mas era Tarragona, ou mais precisamente Tarraco, a principal cidade da região nos tempos do império romano. Então parte da província de Hispania, esta bonita cidade banhada pelo Mar Mediterrâneo possui diversas ruínas bem preservadas de dois mil anos de idade: os destaques são o incrível anfiteatro à beira-mar, o imponente aqueduto da Ponte do Diabo, as muralhas e o Fórum Romano.

Diversos trens regionais partem diariamente de Barcelona para Tarragona, numa viagem de cerca de uma hora. E não poderia ser mais cômodo para os turistas: a estação ferroviária fica a poucos minutos de caminhada das mais importantes ruínas – apenas o aqueduto fica afastado do centro histórico da cidade, mas acessível por ônibus de linha regular.

Anfiteatro de Tarragona

Uma dica importante: tente sair de Barcelona bem cedo para aproveitar Tarragona ao máximo e fique atento aos horários de funcionamento das atrações. Aos domingos muitos monumentos fecham às 15h e às segundas-feiras a maioria não abre. Confira informações no site oficial da cidade.

O anfiteatro romano é a primeira parada na visita a Tarragona – na bilheteria do local você já pode comprar um passe (o preço era 11,05 euros em maio de 2017) que dá direito a todos os monumentos históricos da cidade. O Coliseu em miniatura se destaca pelo bom estado de conservação e por sua localização privilegiada, com o Mar Mediterrâneo ao fundo. Os visitantes têm a chance de circular entre as ruínas e, ao menos fora da alta temporada, não precisam disputar espaço com multidões como as que encontra nos monumentos de Roma.

O passeio pela antiguidade continua com o tour pelo fantástico Fórum Romano e pelo circo romano. Diversas imagens reconstituindo o esplendor de Tarraco ajudam os visitantes a terem uma noção exata das construções imperiais – uma grande maquete da vista da cidade por volta do século III também se mostra útil para formarmos uma ideia mais ampla da grandiosidade do local.

A construção de Tarraco começou a partir de uma muralha de proteção – a cidade era um posto militar que se expandiu com o passar dos anos. A muralha também foi reforçada gradualmente e ainda se mantém em pé em diversos pontos, inclusive com três torres originais. Procure por indicações Muralles ou Passeig Arqueològic para localizar a entrada do passeio.

O passe que dá direito às atrações romanas também permite aos visitantes conhecer outros pontos turísticos da cidade, como a interessante Casa Castellarnau, do século XV, que foi lar de uma importante família da região. Já a entrada na bela Catedral de Tarragona têm de ser paga à parte – a praça diante do monumento religioso foi palco de uma sangrenta batalha entre tropas francesas e espanholas em 1811. O cerco da cidade, que acabou ocupada pelo exército napoleônico, resultou em milhares de mortes.

No caminho para a Praça Imperial, aproveite para descer a bonita Rambla Nova, parando para fotos na Fonte do Centenário e no Monumento aos Castellers – as famosas pirâmides humanas…

Para fechar com chave de ouro o passeio por Tarragona, não deixe de conhecer o Parque da Ponte do Diabo, onde está localizado um impressionante aqueduto romano em ótimo estado. Você pode ir de taxi ou, economicamente, pegar um ônibus de linha regular (ônibus nº 5) na Praça Imperial Tarraco, no centro da cidade.

O ônibus nº 5 (linha vermelha) passa diante da escondida entrada do Parque da Ponte do Diabo. Peça para o motorista avisar quando você deve descer, pois a parada é no acostamento da estrada e é fácil para o turista passar batido.

A entrada no parque é gratuita e, após uma agradável caminhada de alguns minutos você chega ao aqueduto. Construído na época do primeiro imperador romano, Augusto, que governou de 27 a.C. a 14 d.C., a obra abastecia de água a cidade de Tarrago e tem 217 metros de extensão e 27 metros de altura, com 11 arcos em sua fileira inferior e 25 na superior.

O que mais me impressionou no aqueduto, além de sua óbvia beleza, foi a possibilidade de caminhar por cima dele. Gosto de altura, mas foi impossível não sentir uma leve vertigem ao saber que minha vida dependia da força estrutural de uma construção de dois mil anos! Sem dúvida alguma, uma atração fenomenal, assim como toda a cidade de Tarragona…

Mais textos em Destino Mundo

Instagram: @destinomundoweb


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Espanha

Trilha ‘mais perigosa do mundo’ reabre dia 28

Claudia Severo

Publicado

em


Em 2001 'Caminito del Rey' entrou em manutenção depois da morte de duas pessoas | Foto: kozzmen.

Em 2001 ‘Caminito del Rey’ entrou em manutenção depois da morte de duas pessoas | Foto: kozzmen.

O ‘Caminhozinho do Rei’ (em português) fica no sul da Espanha, com seus 3Km de extensão encravados nas paredes de cânions, num desfiladeiro (de los Gaitanes) a 100m de altura.

Foto: Reprodução/Caminitodelrey.info

Foto: Reprodução/Caminitodelrey.info

Após uma reforma para manutenção que visa garantir maior segurança a quem fará o trajeto, o caminho será reaberto no próximo dia 28.
De acordo com a administração do local os interessados em fazer a trilha terão que registrar-se antes de pegar as entradas e observar as regras de segurança.
Segundo o site oficial da atração, mais de 32.000 reservas para a trilha foram feitas somente na primeira semana de funcionamento da ferramenta na web. (Numa olhada rápida na área de reservas do site, para os meses de abril e maio não há mais vagas disponíveis. Os meses seguintes não aparecem).

História
Originalmente o caminho foi construído para servir de passagem para os trabalhadores e transporte de materiais para uma hidrelétrica local. A obra foi finalizada em 1905.
Já o apelido veio depois que o rei Alfonso XIII percorreu o caminho, em 1921.

Foto: Caminitodelrey.info

Foto: Caminitodelrey.info

Outros membros da nobreza também apareceram por lá | Foto: caminitodelrey.info

Outros membros da nobreza também apareceram por lá | Foto: caminitodelrey.info

O perigo
Além das condições naturais (estar em um desfiladeiro a 100m de altura) o caminho é (ou era) uma espécie de ‘calçada’ de menos de 1m de largura encravada na parede dos cânions. Com o passar do tempo e a falta de manutenção grades de segurança, pedaços de pavimento, vigas etc foram se deteriorando.

Trecho deteriorado e sem proteção | Foto: Gabi

Trecho deteriorado e sem proteção | Foto: Gabi

Veja fotos do caminho (antes e depois da restauração):

Trecho já restaurado | Foto: Caminitodelrey.info

Trecho já restaurado | Foto: Caminitodelrey.info

Trecho restaurado | Foto: Caminitodelrey.info

Trecho restaurado | Foto: Caminitodelrey.info

Detalhe da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

Detalhe da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

El Chorro - Málaga | Foto: Salvador Fornell.

El Chorro – Málaga | Foto: Salvador Fornell.

Trecho antes da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

Trecho antes da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

Foto: Caminitodelrey.info

Foto: Caminitodelrey.info

Trecho antes da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

Trecho antes da restauração | Foto: Caminitodelrey.info

Resto do caminho, antes da restauração | Foto: Jose.

Resto do caminho, antes da restauração | Foto: Jose.

Antes da restauração | Foto: Gabi.

Antes da restauração | Foto: Gabi.

Foto: Gabi.

Foto: Gabi.

Placa lembra os que morreram no local | Foto: Gabi.

Placa lembra os que morreram no local | Foto: Gabi.

Mais informações sobre o Caminito del Rey podem ser obtidas no http://www.caminitodelrey.info/es/#1


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Espanha

Espanha é o país da Europa com mais bares por habitante

Claudia Severo

Publicado

em


Não há uma métrica exata, já que o anuário econômico espanhol de 2013 mostra somente dados (do ano anterior) de municípios com mais de 1000 habitantes, mas é este o mapa que se vê:

Reprodução

Reprodução

Se você vai pra lá e quer “salir de copas”, as cidades da província de Cáceres tem 8 bares por cada 1000 habitantes. As Islas Baleares têm 7,7. As áreas eminentemente turísticas são as que obtém o maior número de bares por morador.
Destacam-se também as altas taxas de bares em quase toda a Galícia e parte do norte Cantábrico.
De acordo com dados do La Caixa, na Espanha há um bar por cada 176 habitantes. Para efeitos comparativos, são 236 linhas de internet banda larga por 1000 habitantes.
Com informações de EXPOhorecab e La Caixa.

Na imagem que abre o post, vista do Cabo Formentor, em Mallorca, maior ilha do arquipélago Baleares | Foto: SeeSpain/Divulgação.

Confira roteiros de viagem pela Espanha feitos (ou a serem feitos) por viajantes da comunidade Mochileiros.com aqui.

 


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Espanha

Trem turístico Granada- La Alhambra começa a funcionar

Claudia Severo

Publicado

em


O trem turístico criado para conectar a La Alhambra com os demais pontos da cidade de Granada, na Espanha começou a funcionar nesta quarta-feira (04) de acordo com informações do portal granadino, Ideal. O trem (uma espécie de ônibus com cara de trem moderno) ‘Granada City Tour’ passará pelas zonas mais emblemáticas da cidade, e pelos bairros de Albaicín e Realejo.

Albaicín é um bairro vizinho a La Alhambra, de onde se tem belas vistas | Foto: Divulgação Turismo Granada

Albaicín é um bairro vizinho a La Alhambra, de onde se tem belas vistas | Foto: Divulgação Turismo Granada

Além do serviço diurno (que oferece onze paradas), o trem também terá uma rota noturna, na qual subirá até a Alhambra, com paradas na Plaza Nueva, Paseo de los Tristes, Placeta de Abad e San Miguel Bajo.
O equipamento tem motor híbrido, único na Europa; teto panorâmico, audioguias em doze idiomas e canais adicionais com informações para crianças.

Trem também terá rota noturna | Foto: Divulgação Turismo Granada

Trem também terá rota noturna | Foto: Divulgação Turismo Granada

Preços

De acordo com o portal GranadaDirect, uma volta completa (sem descer nas paradas) custará 6 Euros. Quem deseja descer para visitar os museus e monumentos (o ingresso do trem não paga as entradas) pagará 8 Euros.

Mais

– Sobre a Alhambra você pode conferir aqui e aqui.
– Sobre o trem aqui.
– Como adquirir os ingressos para o incrível palácio-fortaleza aqui.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

A arte islâmica na Alhambra

Claudia Severo

Publicado

em


Muitos viajantes brasileiros vão à Alhambra, o palácio-fortaleza localizado na cidade de Granada, na Espanha que é Patrimônio Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e certamente uma das mais belas obras arquitetônicas da Europa, mas neste post (como em outros da série*) queremos despertá-lo para os detalhes. (E lá tem muitos!)
No interior da Alhambra, encontra-se o mais belo da ‘arte islâmica‘ , o que vai muito além dos seus icônicos e fantásticos motivos geométricos, da caligrafia e arabescos.
A arte islâmica encontrada na Alhambra também é conhecida como arte mourisca, ou arte hispano-mulçumana, que foi desenvolvida no Al-Andalus entre os séculos VIII e XV. Al-Andalus foi o nome dado à Península Ibérica (Gibraltar, Portugal, Espanha, Andorra e uma pequena parte da França) por seus conquistadores islâmicos no século VIII.

A arte mourisca ou hispano-muçulmana tem como seus maiores expoentes a Alhambra de Granada, a Mesquita de Córdoba, em Córdoba e o Palácio da Aljafería, em Saragoza, todos na Espanha.

A foto que abre o post é do australiano Craig Huxtable

Confira abaixo os cliques dos detalhes da Alhambra feitos por outros fotógrafos:

Cadre au monde

Foto de Albert.

Volte "a oriente"

Foto de O.Cartu.

Alhambra

Foto de Luciphoto.

Alhambra, Granada

Foto de Frans Vandewalle.

alhambra flower

Foto de wizardesign.

Alhambra, Granada

Foto de Frans Vandewalle.

Alhambra

Foto de Benoit Demers.

Granada, SPAIN - The Alhambra, Ceiling Design

Foto de Randy Sellet.

Palacio Carlos V,  Granada

Foto de Jose Luis Gonzalez

in the "Alhambra"

Foto de Stephan Berthold

Interior Torre de la Cautiva (Detalle)

Foto de Victor Ovies. O fotógrafo tem publicadas mais belas imagens da Alhambra também no http://www.alhambraphoto.com/.

2012 La Alhambra

Foto de Jose Gonzalvo Vivas.

León de la Fuente de los Leones

Foto de RaMaOrLi

Pretty holy

Foto de Albert

Granada - Day 7

Foto de Cody Stonerock

Alguns relatos de viajantes que já estiveram por lá:

– Na comunidade Mochileiros.com o viajante fabiofixies relata sua viagem à Andaluzia, que incluiu Granada e Alhambra aqui. Ele também é autor do blog Barcelost – Weird Barcelona, onde traz algumas experiências de viagem.
– O blog ‘Turomaquia’ passou por lá e conta a experiência aqui.
– O blog ‘Sonhos em mosaico’ também tem um post sobre Alhambra.

>> NOTA: Este post faz parte da série ‘Atrativos pouco explorados em destinos já conhecidos’. A série traz atrativos naturais, culturais, arquitetônicos entre outros, pouco explorados em países ou cidades que já são conhecidos dos brasileiros, mas não tão explorados por eles – Pedacinhos deste lindo e rico mundo pra você ir ampliando seus roteiros e horizontes =]


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Os 10 + vistos do Mês

Log in

Or with username:

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…