Ir para conteúdo

Viagem de Cabo frio RJ ao sul da Bahia de Falcon 400


Posts Recomendados

  • Membros

Sexta feira, 07 de outubro de 2011, saio de Cabo Frio, cidade na região dos lagos do Rio de Janeiro com destino a Regência, norte do estado do Espírito Santo, para conhecer o Projeto Tamar, tendo em vista a época do ano, que as tartarugas marinhas estão em desova naquela região....

Dois dias antes, pego emprestada a Falcon 400 ano 2000 de um amigo, com incríveis 18.400 km ( Valeu Marcio....) para rodar com ela antes de começar a viagem.

Foi ele mesmo que ofereceu a moto devido a querer soltar o motor dela.

Dois Dias de “Test Drive” e saio no sentido de Rio das Ostras para pegar a BR 101.

Passo por Campos, cruzo a fronteira do estado do Espírito Santo, passando por Iconha, Guarapari, pego a Rodovia do Sol com destino a Vila Velha, onde chego as 13:00 hs, ainda a tempo de almoçar com um grande amigo que tenho naquela cidade. O Junior.

Acabo aceitando o convite de terminar o dia com ele, tomando uma gelada e fico esta noite lá. Fui maravilhosamente bem recebido por ele e por sua esposa que cozinhou um lombo com cebolas inesquecível!!!!!

No dia seguinte saio cedo com destino a Regência, porem vou pela ES 010, uma estrada linda e sem movimento que começa na cidade de Serra, ao lado de Vitória e segue margeando o oceano. Nessa estrada, capturei as melhores imagens da viagem, com rios lindos desembocando no mar e plantações de coqueiros de se perder de vista.

Em um dado momento saio do asfalto para me aventurar em quase 80 km de estrada de terra, que em alguns momentos não conseguia jogar a segunda marcha devido as valas e cavas e logo em seguida alcançava 100km por hora em um retão de cascalho.

Chego no projeto Tamar ao meio dia de sábado. Estava fechado para almoço e fui almoçar na cidade. Depois do almoço retornei ao projeto, cerca de 5 km da cidade, sempre em estrada de terra, onde fui muito bem recebido por todos os funcionários e biólogos do local (em especial pelo Ivan)onde pude conhecer toda a estrutura de assistência as tartarugas.

Terminado este passeio, achei que era cedo para voltar para casa. Ouvi falar em uma cidade chamada Itaunas, na divisa com a Bahia, onde as dunas haviam “engolido” a cidade antiga e foram obrigados a construir uma nova depois do rio.

Pego a Bruta, e sigo rumo a itaunas, rodando mais uns 50 km de estrada de terra, agora em melhores condições que a primeira.

Já chego no final da tarde na cidade, que estava vazia, com muitas pousadas fechadas, mas me acomodo bem em uma das que estava funcionando. No dia seguinte, saio de retorno ao Rio de Janeiro. Porem, pesquisando em um mapa rodoviário de um posto de gasolina, vi que estava a cerc a de 50 km da fronteira com a Bahia. Porto seguro, ai vamos nós.......

Quando cheguei em Teixeira de Freitas a uns 300 km de porto seguro, o tempo fechou, e vi que se continuasse subindo mais, pegaria mais chuva.

Fiz a volta e fui dormir em Guarapari. Nesse dias, foram mais de 600 km do moto.Fiz uma coisa que não devia, pilotar a noite. O farol não vence e como a estrada não tinha a sinalização perfeita, alguns sustos eu passei.

Chego em casa, na segunda feira, dia 10/11 ao meio dia, com 1620 km rodados em 4 dias, e ótimas lembranças na bagagem.

A Falcon se comportou muito bem apesar de eu achar que ela anda pouco de velocidade final. Cruzeiro dela é em torno de 100 a 110 km/h, mais que isso, ela começa a forçar. Não que não de 130 ou 140, mas aí, forçando muito, e em uma viagem como essa, não vale a pena forçar tanto. Ela tem muita força e uma retomada muito boa, mas muitas cg’s 150 e algumas Bros também andaram comigo na estrada. Diferença era só na retomada. O consumo dela foi sempre em torno dos 20 km /l.

Vantagens e desvantagens de se viajar sozinho.

Tirar foto é um problema, pois nem sempre tem alguém por perto para registrar você e a moto....

Caso tenha algum problema mecânico, um companheiro ajudaria muito. Não foi o meu caso. Nenhuma lâmpada queimada, ou nenhuma libra de pressão de pneu baixada.

A tocada com acompanhante é diferente, pois sempre tem uma moto mais forte que a outra e uma vai forçar mais ou deixar o que tem a moto mais forte frustrado por não poder abrir o gás devido ao companheiro, em contra partida, viajando sozinho, não tem que negociar nada com ninguém, para onde quer, fotografa o que quer, dorme onde quer etc.. É a primeira viagem que faço sozinho, e já estou planejando a próxima, só que agora para a Serra do Rio do Rastro, em santa Catarina.

 

Um abraço a todos

Seguem algumas fotos da viagem.

 

 

20111128163303.jpg

20111128163350.jpg

20111128163441.jpg

20111128163545.jpg

20111128164845.jpg

20111128164934.jpg

20111128165036.jpg

20111128165124.jpg

20111128171531.jpg

20111128171606.jpg

20111128171640.jpg

598d9f374b6c7_ViagemaBahia001.jpg.8ad8ce1f3639413d9e60d7738693a050.jpg

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 4 semanas depois...
  • Membros

Muito legal. Acabei de voltar da Bahia. Fui de Casimiro de Abreu (RJ) até Ilhéus. Como estava com pressa, fiz todo o trajeto pela BR-101. Igual a vc estava sozinho. Minha companheira era uma XRE 300. Boa moto, mas tb não é de correr muito. 110 km/h 115, de vez em quando 120 até 130 e só. O vento é o principal inimigo dela, aliás, como de todas motos altas. Peguei muita chuva no caminho, muitos caminhões de madeira. De resto foi muito legal.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...