Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
Thiago Inter

Europa - 24 dias - Lisboa, Roma, Paris, Amsterdã, Bruxelas e Londres

Posts Recomendados

Demorou mas vou dar minha contribuição, graças a contribuição que também peguei daqui do fórum e de conversas com amigos que já viajaram pelo velho mundo.

Meu itinerário – Do dia 8 de maio a 1º de junho

 

Brasília – Lisboa / Lisboa – Roma (Voo low cost) / Roma de trem para Pisa e Florença / Florença trem para Paris (Versalhes e Giverny) / Paris trem para Amsterdã / Amsterdã trem para Bruxelas / Bruxelas trem para Londres / Londres para Lisboa (low cost) e Lisboa para Brasília (no mesmo dia, TAP)

 

Total de dias viajando – 24.

 

Recursos – Compras de passagens pela Internet – TAP (Bsb – Lisboa) e usando o Buscador http://www.skyscanner.com.br comprei as passagens dos trechos Lisboa – Roma e Londres – Lisboa.

 

Para as passagens de trem eu usei o Eurorail (http://www.raileurope.com.br). Paguei pouco mais de 300 euros para 3 regiões: Itália, França e Benelux (Bruxelas, Holanda e Luxemburgo). Vc paga somente as reservas, baratas, média de 15 euros, os trens que não precisam de reserva ficam “gratuitos” com a apresentação do Europass.

09/06/2010 – Lisboa

Desci no aeroporto de Sacavém e peguei o Autobus. Por conta da mala tive que pegar o mais caro, um estilo turista, Aerobus 3,50 euros. Fui até a Rua Augusta onde ficava o hostel onde eu estava hospedado, o Traveler House. Indicadíssimo, limpo, equipe gentil (brasileiros) e um clima muito bom no hostel, ótimo lugar pra se fazer amizade.

Fui à luta, caminhei pela Rua Augusta, Praça do Comércio, Rossio até resolver subir até o Castelo de São Jorge. Passando pelo Largo das Portas do Sol, etc. Fiz isso td a pé, uma caminhada bem longa, mas prazerosa demais.

No mesmo dia resolvi ir a Belém. Peguei o trem na estação Cais de Sodré e lá fui eu. Torre de Belém, Mosteiro, CCB, Monumento dos descobrimentos, etc... além, claro de ter comido os famosos pastéis de Belém. =)

No dia seguinte havia um passeio organizado pelo Hostel que valeu a pena ter feito. Por menos de 20 euros, vc vai a Cascais, Oeiras, Sintra e Cabo da Roca, o lugar mais oeste da Europa, onde termina a terra e começa o mar, segundo Camões.

Visitamos O Palácio da Pena, Quinta da Regaleira e o Cabo das Rocas. Teve Tb as praias de Cascais, teve gente que arriscou até colocar os pés nas águas geladas portuguesas, e eu, como um bom brasileiro, prefiro as praias do nordeste daqui mesmo, hehehe.

Sério, visitar estes lugares te completa como turista e visitante.

 

Dia 11 – Roma

Daí foi dia de partir de Lisboa e ir a Roma. Detalhe, o Papa tava indo pra Lisboa no mesmo dia. Quase nos cruzamos no caminho.

Peguei o avião em Sacavém e rumei pro aeroporto de Roma, o Fiumicino. De lá peguei o metrô e fui pra estação central, Termini, onde ficava perto do hostel onde havia reservado, o Alessandro Hostel – mais ou menos, achei a equipe meio preguiçosa, tinha café da manhã e uma pequena janta servida gratuitamente – macarrão com molho. As condições dos quartos são medianos, e os banheiros ficam nos corredores.

Daí vamos andar. Fui até o foro Romano e o Coliseu a pé. Voltei de metrô. Almocei e rumei pro vaticano. Tem um metrô que vc pega facilmente, e vai até a cidade do Vaticano. Sem grandes problemas. Comprei uma passagem de metrô por dia inteiro e andei a cidade toda, Fontana de Trevi, entre outros lugares. Roma é um museu a céu aberto, uma maravilha arquitetônica.

Dia 13 fui rumo a Florença. A cidade não faz muito meu tipo, romântica, quieta. Prato vazio pra quem tá solteiro e viajando sozinho. Então dei uma passeada pela cidade, andando da estação passando pela ponte Vecchio, P.za Del Duomo, della Republica, Toscana e Basílica de San Lorenzo.

Como eu tinha a vantagem de viajar sozinho resolvi ir em Pisa no mesmo dia pra conhecer a famosa torre torta. Cheguei na cidade, andei, tomei um gelato, almocei por lá e voltei à noite pra Florença. Peguei minha bagagem que havia deixado no maleiro da Estação e rumei prum hostel perto pra ver se tinha vaga, e tinha.

O hostel é ótimo, perto da estação central Maria Novella. Plus Florence. Tem banheiro no quarto, seguro, confortável e a equipe bem solícita.

Dia 14, logo cedo, peguei o Trem para Paris, aliás, vários trens. Um dia todo de viagem. Não tinha vaga para trem direto, então fui pra Milão, Ventimiglia, Nice (passando pelo Principado de Mônaco) até Paris. Três trens incluindo um noturno.

Dia 15 – Paris.

Eu reservei 3 dias para Paris, mas vi que era pouco, então fiquei 5. Pra mim, cinco dias também são poucos para Paris, a cidade tem muita coisa, muito museu e vc acaba deixando muita coisa pra trás, o que é normal.

Desci na estação Gare d’Austerlitz. Peguei o metrô e fui ao Porto de Bagnolet. Fui procurar lá o Hostel que tinh ano meu guia. O Dartanham. O lugar é agradável, banheiro no corredor e tem uma boate legal que dá pra reunir uma galera de noite. O problema é que é afastado do centro, porém, tem metrô em toda esquina em Paris, acaba que não fica tão ruim.

Reservei dois dias para ir em Giverny, no jardim de Monet, e em Versalhes, no palácio real. Mas isso não comprometeu o resto da viagem, nos dias que passei eu visitei vários museus e lugares de Paris. Pompidou, Torre Eiffel, Louvre, Champs-Elyseé, Arco do Triunfo, os Parques gigantescos de Paris, a Galeria Lafayete, Notre Dame, Pantheon, Saint German, Moulin Rouge, entre outros incontáveis lugares de Paris.

Para ir a Versalhes e Giverny tem que pegar um trem estilo interregional. No caso do Jardim de Monet, ainda tem que pegar um ônibus pra chegar lá...

Acaba que, com td isso, a cidade fica cara, pois comer em Paris é caro, compras de supermercado também, e o metrô, idem.

Achei Paris mais caro que Londres. Mesmo com a disparidade das moedas.

Dia 20 – Amsterdã

Então, reservei meu lugar no trem pra ir a Amsterdã. A cidade e o povo, pra mim, é o mais sensacional da Europa. Livres, sem preconceitos, sem medo de atentados terroristas. Um povo desencanado, que ligou a tecla foda-se pra muita coisa, inclusive pro preconceito dos outros.

Resolvi procurar o hostel por lá, neste trecho estava com dois brasileiros que acabei fazendo amizade na estrada. A gente escolheu um hostel meio trash, Aroza Hostel, mas muito descolado, a equipe é engraçada e divertida, cada figura que dá pra escrever um livro com cada personagem que eu conheci lá.

Fomos andar por lá, conhecemos as casas barcos e o espírito do povo holandês, acenam pra vc gratuitamente, te tratam muito bem, são educados e finíssimos. Ao contrário do q pensam não é todo mundo que anda doidão o tempo todo. A polícia lá é outra coisa intrigante, vc pede informação e eles ainda te desejam um bom divertimento.

Fomos em uma boate a cinco minutos de metrô da praça principal, o policial que deu a informação ainda fechou com um “have fun”. Chegamos no hostel 5 da manhã e ainda fomos recepcionados com um “E aí, se divertiram?”, de um dos funcionários.

O Holandês é diferente do povo europeu, não tem nada de frio, não tem frescura, não tem preconceito. Mas cuidado, nem todos q trabalham lá são holandeses, tem os árabes e os marroquinos que estragam a boa fama deles, não confunda.

Visitamos o museu Van Gogh e o Anne Frank, fomos na Red Light District e no Ice Bar, um bar feito só de gelo, copos, assentos, mesas, etc.

Visitamos alguns lugares famosos na praça principal e daí, resolvi ficar 5 dias, logo depois, parti pra Bruxelas, pra conhecer e seguir pro destino final, Londres.

Dia 25 – Bruxelas

Eu resolvi dizer que Bruxelas é o lugar que morreu e esqueceram de enterrar. Também cheguei num dia ruim, era feriado. Td morto, penei pra comer pq todos os restaurantes estavam fechados, tive que caminhar muito pra achar um Pizza Hut e almoçar uma daquelas pizzas mais ou menos.

Fiquei num hostel até bozinho, mas, assim como a cidade, morno. Quartos amplos, recepção preguiçosa, internet muito ruim mas tinha banheiro no quarto e era medianamente confortável.

::putz:: O povo de Bruxelas vive em neurose, com medo de um ataque terrorista, mais medrosos que a Inglaterra. E tem uma comunidade árabe de peso, querem proibir a burca, por exemplo. Tinha tanta mulher de burca q pensei, ué. Será que dormi tanto que vim parar na Arábia? :lol:

Graças a Deus eu só fiquei um dia na cidade, passei duas noites. Como Mas me deixou exausto, eu dormi e descansei a primeira, na seguinte eu segui andando pela cidade. Passei pelo Grand Palace, o Jardim de Tuin, o Parlamento Europeu, Maneken Pis, etc.

Me arrependi, poderia ter ido a Bruges em vez de Bruxelas. Aqui a dica, se for escolher, opte por Bruges, é mais movimentado e melhor pra festas e vida noturna, Bruxelas não atendeu minha demanda, fiquei triste lá... hehehehe

Dia 26 – Londres

Saí da bruxa, ops, Bruxelas e fui pra melhor cidade do mundo, Londres. Vc tem que passar pela imigração de novo, preencher um formulário e ser entrevistado pra entrar, provar td que vc fala, seu emprego no Brasil, seu book no hostel, etc. Inglaterra não é UE, portanto, regras diferentes.

Londres não é parte da União Europeia, ou seja, as regras são diferentes. Eu não tive problemas, mostrei minhas reservas de passagens de volta a Lisboa, volta pro Brasil e a rserva do hostel. Além disso, minha carteira internacional de jornalista, o q comprova que trabalho, etc. Perguntam se tem amigo lá.. eu não tenho, mas vi que se a pessoa tiver e responder q tem, isso já pode ser um problema pra entrar.

Fiquei no melhor albergue da viagem. O HI Hostel YHA Central. Perto do metrô Great Portland, perto da Oxford Street, Soho, etc. Td dá pra fazer a pé..

Nos dias que seguiram eu fui andar por Londres, fui a Abbey Road, onde fica a faixa dos Beatles, Notting Hill, Liverpool, visitei o estádio do Chelsea, Palacio Buckingham onde assisti a troca de guarda, Madame Tussauds, London Eye, Tower Bridge, British Museum, Museu de Ciência e Museu de Geologia (esse povo sabe fazer museu).

Em Londres Tb devo ter deixado muita coisa pra trás, mas não ligo, penso e voltar lá logo, mas é apaixonante, e não achei tão caro como dizem, absurdamente caro.

De lá, no dia 31, peguei o avião, para Lisboa e no mesmo dia para Brasília. Cheguei aqui dia 1º.

 

Se quiserem tirar alguma dúvida, perguntar ou me corrigir, fiquem à vontade, adoraria.

 

Muito obrigado a este fórum por ter me ajudado na minha viagem, e espero vcs na próxima aventura.

 

Se quiserem ver algumas fotos, entrem no meu flickr - http://www.flickr.com/photos/thiagointer

 

Abrasssss

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabens pelo relato Thiago!! Show de bola! Em setembro estarei indo para o velho continente, espero que possa aproveitar tanto quanto você! Valeu pela contribuicao ao site!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Thiago! Parabéns pela sua viagem. Estou planejando uma trip para Europa. Gostaria de algumas dicas, se vc puder me ajudar, fico muito grato.

Eu gostaria de saber a respeito dos voos low cost, são realmente baratos? Percebi tbm que vc escolheu os albergues qdo já estava lá, tem algum albergue que vc reservou no Brasil? E gostaria de saber tbm se vc conheceu os famosos coffe shop de Amsterdã? Se vc conheceu, pode me dar detalhes desses lugares? Muito Obrigado!!

e-mail e msn: [email protected]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Edu. =)

 

Vai em skyscanner.com.br - lá vc pode pesquisar os valores de cada trecho que vc quer fazer, depende tb de lugar pra lugar. Alguns lugares vale a pena o trem, em outros o avião... mas aí é pesquisa. Acho que em Bruxelas nao vale a pena avião pra Lisboa, acho eu. São valores que vão de 50 a 100 euros..

 

Alguns hostels eu reservei no site hostelworld.com. Outros eu fui na doida e dei as caras lá mesmo. =) Só reservei no Brasil os hosteis em Lisboa, Roma e Londres. os demais foram na cara e na coragem, mais fácil na temporada em baixa.

 

Coffe shop em Amsterdã é o que há.. no meu flickr tem fotos se vc quiser ver, na parte Holanda (www.flickr.com/thiagointer). É proibido fumar cigarro normal dentros dos bares, já a ervinha do diabo é liberada. na rua vc nao pode (ou nao deveria) consumir bebidas alcolicas, mas a ervinha vc tb pode..

 

Onde vc andar em Ams vc vai encontrar coffes shops.. tranquilo demais, todo buraco, toda esquina, sem esforço.

 

Se divirta em Amsterdã cara, cidade livre, sem preconceitos e o povo desencanado. Simpatia melhor até que a brasileira. Boa estadia por lá.

 

Estamos por aqui.. abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Thiago. Parabens pela viagem, e seu relato fico muiro bom. E como vc falo q pode te corrigi,vo faze so uma correção,rrsrsrsrsr, a Inglaterra faz parte sim da união europeia, o Reino Unido(Inglaterra + Escocia+ pais de Gales+Irlanda do Norte) aderiu a UE em 1973. A unica diferença da Inglaterra é que assim como a suecia, decidiu não adotar o Euro.

Abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É vero pedrovisk.

Na verdade, eles tb adotaram o tal tratado de Schengen, Só que contribuem policial e judicialmente, não significa livre trãnsito pra Inglaterra como outros países da UE.

 

Por exemplo, se vc sair de Portugal com o visto da UE não precisa mais passar pela imigração na Espanha, Itália, Bélgica e etc. Mas deve passar pela imigração na Inglaterra entre outros países.

 

É isso mesmo, Ingl faz parte da UE mas tem regras diferentes

 

valeu pedro!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...