Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo
cienfuegos

Relato de Viagem a Los Roques - 17/09 a 26/09/2010

Posts Recomendados

Relato de Viagem a Los Roques

 

Período: 17/09/2010 a 26/09/2010

 

A vida no paraíso não é difícil para nós turistas mas, como tudo que é bom dura pouco, está difícil retornar a rotina do trabalho depois de incríveis oito dias num paraíso tal qual um papel de parede que vem no Windows. Pois bem, vamos lá:

 

PREPARAÇÃO

 

Como muitos sabem, é indispensável a troca de informações e leitura de fóruns de duas ótimas comunidades brasileiras: http://www.mochileiros.com e http://www.orkut.com (Comunidade Los Roques, Venezuela). A riqueza de dicas é incrivelmente vasta desde para aquele viajante que pretende viajar com o espírito mochileiro, de ir se acertando no caminho como para aquele mais tradicional, que quer deixar tudo organizado com o máximo de antecedência.

 

No meu caso optei pelo tradicional. Fechei todo o meu pacote com o Fábio Blinder (http://www.venebrasil.com). Deu tudo certo, ele é uma pessoa muito atenciosa e prestativa. Porém, senti um pouco a (falta de) presença dele no decorrer da viagem, o que vou explicar melhor mais pra frente.

 

As passagens aéreas internacionais foram todas com milhas da TAM e o trecho Caracas/LR/Caracas foi pela Chapi Air.

 

Em oito dias, a viagem foi organizada da seguinte forma:

 

17/09 – Saída de Brasília

18/09 – Chegada em Caracas às 4:30

18/09 – Saída para Los Roques às 6:30

 

18/09 a 22/09 – Hospedagem no veleiro Turpial

22/09 a 25/09 – Hospedagem na pousada Guaripete (neste período fiz 03 dias de mergulho com 06 imersões pela Ecobuzos)

 

25/09 – Saíde de Los Roques

25/09 – Pernoite em Caracas

26/09 – Saída para o Brasil

 

Sobre o câmbio, fiz a troca com o Miguel (indicado no mochileiros.com) no aeroporto por 7.5BsF. Na ilha vi variações entre 7.6BsF a 7.9 BsF.

 

1º DIA – A caminho de Los Roques

 

Após uma saída conturbada de Brasília (com direito a perder o vôo), embarcamos em São Paulo no horário previsto. Dentro do avião, pronto para a decolagem, recebemos uma notícia desagradável que teríamos que voltar por problemas de comunicação da aeronave. Resultado, o vôo atrasou 01 hora e logo, as 02 horas que teríamos para fazer a imigração, retirar bagagem, fazer o câmbio e o check-in na Chapi Air ficou bem reduzido.

 

Viajei na madrugada um pouco preocupado por causa do horário (não bastasse perder o vôo em Brasília). A nossa sorte foi que deixei combinado com o Miguel, que precisaria fazer o check-in na Chapi Air e só depois faria o câmbio, tudo por conta do prazo curto que teríamos.

 

Eram 06:15 da manhã e tínhamos acabado de pegar a nossa bagagem. Saímos em disparada e estava lá um funcionário do Miguel com uma plaquinha com meu nome (alívio!). Logo perguntei sobre o vôo da Chapi e ele me disse que o Miguel já tinha entrado em contato com o pessoal e disse que estávamos a caminho. Ou seja, o que foi acordado com o Miguel era somente o câmbio e ele nos fez um imenso favor em nos levar até a Chapi, nos levar para pagar as taxas e só nos largou na porta de embarque.

 

Aqui entra a observação que comentei sobre o Fábio Blinder no início do relato. Creio que se não fosse pelo Miguel, teria perdido o vôo da Chapi e a dor de cabeça seria muito maior. Não há nada nem ninguém da Venebrasil a quem poderia recorrer ali na hora para resolver algo de imediato, caso precisasse. Enfim, deu tudo certo e cerca de 1 hora depois estávamos aterrisando em Los Roques.

 

Chegando ao destino, o capitão Massi nos esperava e imediatamente nos levou para o Veleiro, onde ficamos até o dia 22/09.

1º ao 4º DIA – Veleiro Turpial

 

O veleiro Turpial é uma embarcação que apesar de ser da década de 70, está em ótimo estado de conservação. Pode ser que tenha veleiros mais estruturados, mas o Turpial não deixa a desejar. Ainda mais com o carisma e ótima prestação de serviço do capitão Massi e sua esposa Fanny, tivemos também o prazer de conhecer o irmão dele, Leo, que estava passando um tempo com eles em Los Roques.

 

Uma boa estadia no veleiro depende completamente do clima. Nestes quatro dias tivemos altos e baixos por conta do tempo não estar favorável. Acreditem, pegamos dias nublados e chuvosos em Los Roques. Os dias que fizeram sol, mormaços e bons ventos, foram incríveis. Porém, os de chuva nos deixaram bastante ociosos, sem poder fazer nada e nem velejar para outro ponto.

 

Sobre as refeições, simplesmente perfeitas. Sempre com pescado fresco, o Capitão Massi realmente é um verdadeiro chef. No veleiro, come o que se pesca e um dia os peixes não colaboraram e fizemos uma refeição vegetariana. Pasmem! O carpaccio de abrobinha e o macarrão com berinjela estavam fantásticos. E olha que não sou o maior fã de verduras. De sede e de fome realmente não dá para morrer no veleiro.

 

Creio que o bom proveito de todas essas maravilhas tem um contra ponto. Ficar no veleiro não é para qualquer um. Por quê? Você não tem tanta privacidade, vai conviver em um espaço pequeno por alguns dias com várias pessoas, então é importante ter boa companhia, os banheiros não são confortáveis e o banho (ah, o banho!) é no bom estilo marinheiro: cai no mar, sai da água, ensaboa, cai na água e passa uma ducha rápida para tirar o sal (ou não!). Água doce é preciosa na embarcação. Por exemplo, eu realmente esqueci da vida, não usei nem chinelo. Ou estava de sunga ou estava de bermuda e sem cueca, bem largado no paraíso (mas sempre com higiene, ok?).

 

Resumindo, vamos aos pontos positivos e negativos:

 

Positivos – liberdade de ir e vir (se o tempo colaborar), acordar as 5h da manhã e ver o pôr-do-sol e lavar o rosto no marzão do caribe, realmente não tem preço. Velejar tranqüilo, sem pressa, curtir noites bem estreladas, comer muito bem e ter uma praia só para você depois que os últimos turistas foram embora às 17h, fantástico.

 

Negativos – se o clima estiver ruim, nem pense em ficar no veleiro, pois além da chuva, os mosquitos atacam com força dependendo do local que estiver atracado. Tivemos falta de gelo para a cava (isopor) e no veleiro não tinham cadeiras de praia e somente um guarda-sol para 04 pessoas (é pouco).

 

Conclusão: não recomendo ficar mais do que quatro dias em um veleiro, pois apesar de ser muito bom, o clima das pousadas em Gran Roque também vale a pena com a possibilidade de ter contato com várias pessoas diferentes, etc. E me faço uma pergunta aqui no final: Voltaria a Los Roques e ficaria num veleiro? Sem sombra de dúvida sim, desde que teria a certeza que o clima vai estar bom e que a companhia seja de amigos e no máximo quatro dias.

 

4º ao 8º DIA – Pousada Guaripete e Ecobuzos (mergulho)

 

Depois do último dia no veleiro, que foi chuvoso e em tom de despedida, pisar em terra firma deu uma injetada de ânimo bem forte na nossa viagem. Chegando na pousada, fomos calorosamente recebidos pela Fabíola e pelos brasileiros que conhecemos antes de viajar na comunidade do Orkut e Mochileiros.com (abraços para Marcelo e Fernanda, Débora(dora) e Juliano).

 

A pousada Guaripete é simplesmente fantástica. Além de aconchegante e simples, mas com boas acomodações, lá se come excessivamente bem ao ponto de recursarmos alguns pratos por não agüentarmos mais. Éden, o cozinheiro e a Fabíola, a gerente, são muito, mas muito receptivos. Parecem amigos de longa data.

 

Os dias em terra firme se resumiram em mergulhos pela manhã e praia à tarde. No nosso caso fechamos um pacote de meia pensão, pois estaríamos ocupados fazendo mergulho com a Ecobuzos e aproveitamos a viagem para eles nos largarem em alguma ida e no final do dia alguma lancha nos buscar na praia conforme combinado pela manhã.

 

A noite, sempre depois da janta (e que janta!), descansávamos e íamos ao Aquarena. Numa noite tinha até DJ, dançamos e bebemos à beça. Foi muito bom, nas outras noites foram mais relax. O lugar é muito agradável, um lounge na areia, resumindo.

 

Não vou relatar os passeios às ilhas/cayos, pois é cada uma mais paradisíaca que a outra e muito já se falou por aqui. Tenho como sugestão/dica fazer mergulhos em Los Roques. Se possível, com o curso certificador feito aqui no Brasil. Fiz um pacote de 06 mergulhos, mas acho que 04 são o suficiente. Mesmo para aqueles que não querem fazer o curso no Brasil, faça pelo menos um dos pacotes com um mergulho. Eles dão uma mini-aula com instruções básicas, etc. Vale a pena, mas não te dá nenhum certificado de mergulhador. A paisagem submarina é o outro lado do paraíso de Los Roques. Recomendo a Ecobuzos de olhos fechados. São muito bons no que fazem.

8º e 9º DIA – Volta para o Brasil

 

A volta ao Brasil foi menos problemática. O único pesar era a despedida daquela paisagem e das pessoas que nos confortaram tão bem durante uma semana. O tempo, graças a Deus, não passa em Los Roques e estes oito dias passaram muito devagar. Fui embora sem ter nenhuma saudade do Brasil, e querendo ficar tranquilamente mais uma semana. Mas... a realidade é outra!

 

Tivemos que pernoitar em Catia La Mar/Maiquetía, pois o vôo da TAM eram as 09 horas da manhã de domingo. Ficamos hospedado no hotel Catimar. O lugar é bem estranho, os restaurantes na redondeza, idem. Ou seja, ali é pra chegar, dormir, acordar e pegar o beco.

 

Na volta, é interessante chegar com pelo menos 03 horas de antecedência. Não sei do que o Chávez tem medo, mas tivemos que passar por três revistas, sendo duas com raios-X, antes de embarcar no avião.

 

CUSTOS

 

A viagem do casal, indo e voltando com milhas da TAM, ficou entre R$5.000,00 e R$5.500,00. Nestes valores inclui tudo, desde a taxa de Los Roques a uma cerveja no Aquarena. Não foi a viagem mais barata para Los Roques, porém foi bem completa, aproveitamos o máximo. Com certeza dá para se gastar na faixa de R$4.000 a R$4.500,00 o casal. Depende das escolhas.

 

CONCLUSÃO

 

Esse foi um breve relato da nossa viagem ao caribe venezuelano. Espero que gostem e qualquer dúvida é só postarem que tento ajudar na medida em que for lembrando.

 

Grande abraço!

 

Daniel e Marcela

 

Fotos: http://picasaweb.google.com/danieljunqueira/LosRoques2010?authkey=Gv1sRgCI3OkPzs5aeMjgE&pli=1&gsessionid=qwuKaARAuU8kXAmL6YLlSw#

 

Vídeo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Daniel,

bem legal o seu relato. Acabei me decidindo e fechando com a Guaripete para a minha ida em dezembro. Vou dia 13/12 e volto 20/12. Também reservei a noite em Caracas no Catimar, sabendo que não é nada memorável...

Quanto à chuva, dizem que a época mais chuvosa vai de final de setembro a começo de dezembro, mas dizem que são chuvas rápidas. Espero que seja assim mesmo...

Gostei também do álbum de fotos. Percebi vocês usando camisas Solo para mergulhar (snorkel). Eu tenho esses trajes X-Thermo, uso pra andar de moto, parece igual aos das fotos, é isso mesmo? É confortável pra mergulhar? Eu sempre usei camiseta comum para snorkel, pra proteger as costas. Ou existe algo mais recomendável?

Estou bem ansioso e empolgado com a viagem. No fim do ano pretendo postar um relato completo com fotos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Kaka.

 

Com certeza não vai se arrepender da Guaripete.

 

Essas camisas Solo são aquela 2ª pele, não é tão grossa. Não sei se é a mesma que você usa para andar de moto. Eu usei esta porque não tinha outra opção, pois era a única que também protegia a nuca. Apesar de não ser própria para o mergulho, achei bem confortável.

 

Porem, a mais indicada seria as camisas de neoprene ou de lycra, própria para mergulho mesmo. A primeira é mais cara, as de lycra consegue na faixa de R$60,00.

 

As chuvas sempre foram rápidas. O problema é que se você está em Gran Roque e quer ir para uma praia pro lado de Cayo d´Água e pra lá está nublado/chuvoso, pouco provável de alguém querer te levar pra lá.

 

Abraços!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E ae Daniel ahahaha tudo bom? rs

 

E o mais legal da ilha eh q ela é tão pequena que vc acaba conhecendo td mundo rs

 

Bom soh vou discodar a respeito da ecobuzos, nw sei se dei azar, peguei eles de mal humor o que foi, mas no primeiro dia o Otto foi super simpático, depois no dia que fui fechar, um outro menino nos atendeu eu e mais um casal, e foi de uma grosseria e arrogancia inacreditável, fazendo pouco caso, sai de lá puta da vida, e acabei indo na Arrecife, que fica perto do inparque, e foi a melhor coisa que eu fiz, não se se vc passou por lá, mas eles tem uma estrutura muito melhor, o juan carlos explica tudo, tem uma baita paciencia, eu fiz o batismo, eles me deixaram mto segura e tranquila, super atenciosos e equipamentos novinhos... Todo mundo elogiando e reclamando da mesma coisa da ecobuzos...

 

Vi muuuuuuuuuuuita gente falando super bem do fábio blinder, ele faz milagre, mandou até uma camera para um casal que a camera tinha explodido na ilha, literalmente, e muita gente com problemas com a aerotuy, atrasos e cancelamentos de vôo

 

Pra mim os pontos altos:

- batismo/mergulho na boca de cote

- norosnki nadar com as tartarudas

- bajo fabian (é um banco de areia praticamente uma ilha particular)

- cayo de agua

 

Mas todas são lindas...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eaí cíntia, beleza?

 

Tem uma foto sua com a gente lá no Aquarena no álbum do Picasa. Você viu?

 

Poxa, que estranho esse seu relato com a Ecobuzos. O serviço deles com a gente e com o pessoal que estavam fazendo o mergulho conosco foi excelente. Principalmente o capitáo do barco, que nem lembro o nome! Hehe.

 

Fabian ou Cayo Muerto é fantástico mesmo. Passei a noite lá com o veleiro, então tive a oportunidade de ficar pela manhã sozinho com a marcela, antes da chegada do pessoal e também depois das 17h, quando os últimos turistas foram embora...

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

e ai galeraaaaaaaaaaaaaaaa !!!!, estou preparando meu relato da nossa viajem a los roques comemorando nosso 7 anos de casado...o tema será...7 dias em los roque no preço...kkkkk. graças é claro primeiramente a Deus e depois toda a galera dos mochileiros...

 

Cintia....beleza? que saudade da nossa turma de brasileiro...

 

Daniel, é como a cintia valou...a Ecobuzos estava estrela demais....cara é nos distratou...pense...todo vez que agente ia lá eles dava uma desculpa diferente pra não fazer o mergulho...era pacote fechado com agentinos, era o tempo, agente reservava e no outro dia dava uma outra disculpa, até falta de humildade os caras desmotravam por causa de uma camera aguatica...de não sei quantos 100000 dolares ,,,kkkk...enfim mandamos eles para pastar..e fomos descubrir outra que é a arrecife...muitooooo boa...é terceira operadadora, pouca falada aqui nos muchileiros mais é 10....como a citia comentou.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma pena esse lance da Ecobuzos. Ainda bem que comigo deu terco.

 

Mas é isso mesmo... fico até receoso de indicar a Eco. Hehehe.

 

Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal,

 

O vídeo da viagem está no youtube. Para quem já foi matar a saudade e para quem vai, ficar mais ansioso, hehe.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Nem me fala. Toda hora fico vendo o vídeo, hehe.

 

Valeu, Daniel, o video ficou muito bacana. A camisa Solo é a mesma que eu tenho (segunda pele). Acho que vou levar :)

Também quero mergulhar, vou sondar a Ecobuzos e as outras também...

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Kaka!

 

Pelo menos nos primeiros dias a camisa salvou as costas no snorkel. Se for acompanhado de mulher, fala para passar bastante protetor no bumbum ou usar algum short. Porque o biquini não tampa como a sunga, e sol não perdoa as bochechas inferiores! Hehehe.

 

Sonda a Arrecife também, já que teve gente que não curtiu a Ecobuzos.

 

Abraços!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu já mandei tres emails para saber o curso de mergulho (PADI) e até agora ninguem me respondeu.

Devem estar se achando mesmo.

Alguem tem o email ou site da Arrecife?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Resposta de e-mails do pessoal de Los Roques em geral é demorada mesmo.

 

Mas, Daniela, recomendo você fazer o curso aqui no Brasil mesmo, se você pretende ter o certificado. Porque estar em Los Roques e "perder tempo" com aulas teóricas e exercícios práticos, mesmo que no marzão do Caribe, acho que não vale a pena. Agora, se pretende só ir fazer um mergulho, pode fazer o que chamam de batismo, que é uma explanação rápida de 1 hora mais ou menos e mais um ou dois mergulhos.

 

Valeu!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O curso dá pra fazer sim. Só não acho valhe mais a pena aproveitar o tempo curtindo o paraíso do que fazendo curso. Ah não ser que tenha tempo de sobra e que não tenha problemas com o idioma. Pois no curso você acaba aprendendo sobre muita coisa teórica que se não tiver o domínio do espanhol pode comprometer também.

 

Acho que sair com o curso feito daqui é muito mais vantajoso.

 

Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, sou nova por aqui... acabei de fazer o meu cadastro...

Gostei muito do seu relato. Los Roques é meu próximo destino: janeiro de 2011.

Meu destino preferido é praia, então acho que será perfeito...

 

Abraços,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por Paola Rafaelly
      12/12- SUCRE
      Fala gente! Vi que já tem uma galera acompanhando o relato e fico muito feliz de saber que estou ajudando alguém  Então, tentarei escrever o relato em até dois meses, afinal, quero escrever tudo bem detalhamente com preços e tudo mais, e sei que é bem chato ficar esperando um relato muito tempo. 
      Eu esqueci de falar que nós levamos todo nosso dinheiro em dólar, porque vale mais a pena, o real não compensa muito lá fora. Indico também trocarem o dinheiro aos poucos, porque você corre menos risco de perder dinheiro. Pra vocês terem noção, trocávamos nosso dinheiro aos poucos e pagávamos R$3,30 mais ou menos e quando fomos trocar da ultima vez, pagamos R$3,45, imagina quanto dinheiro não vai nesses 15 centavos.
      Bom, dito isso, vamos lá. Chegamos em Santa Cruz 1h20 e o nosso voo para Sucre seria só 11h. Passei as 10h mais entediantes da minha vida, tentando dormir naquele banco duro do aeroporto, mas sem sucesso né. Dada a hora do embarque, fizemos o check-in, foi bem tranquilo, mas façam com antecedência porque ouvi falar que sempre tem muita fila. Nós voamos com a Amaszonas e gostei da de voar com a companhia. O avião estava cheio com todos os bancos ocupados. Foi servido apenas um café com leite, mas não esperava mais que isso, eu tava na maior larica e o cafezinho deu pra dar uma enganada, uma dica é sempre levem uns snacks do Brasil, a larica vai bater e você não pensar duas vezes antes de gastar aquela grana no aeroporto. Por sorte, ainda tinha sobrado algumas comidinhas na mochila e eu comi. O voo durou uns 40min ou menos, foi bem rápido.

      Dica: Eu indico comprar a passagem aérea para Sucre, vi em muitos relatos que as estradas da Bolívia não são muitos boas e até um pouco perigosas, sem contar que a viagem é bem demorada, então invistam nisso. Compramos ainda no Brasil.
      Chegamos em Sucre e detalhe: não tínhamos nenhum boliviano, porque pensamos "ah, vamos deixar pra trocar dinheiro no aeroporto de Sucre" maior erro que cometemos. Quando chegamos no aeroporto e fomos procurar uma casa de cambio, NÃO TINHA NENHUMA! Nós fodemos legal haha Ficamos besta de como um aeroporto não tinha uma casa de cambio, e pior é que o aeroporto ficava no meio do nada, não tínhamos pra onde ir hahaha 
      Então, lá fomos nós procurar um taxista que aceitasse dólar ... Achamos um que estava cobrando Bs.60 e acabamos fechando por $10 (obvio que perdemos dinheiro). Depois de uns 20min. chegamos a Plaza de Armas. Como eu já tinha baixado o mapa da cidade e eu já tinha um hostel em mente, então foi fácil encontrar o lugar- se o mapa não tivesse nos levado para o lugar errado- mas depois de tanto andar, encontramos o bendito hostel. Ficamos no Kutur Berlin, super indico esse hostel galera, foi bom e barato, bem localizado e já tinha café incluso (melhor café da manhã da viagem). 
      Deixamos nossas coisas, tomamos uma ducha, fomos trocar dinheiro e finalmente comer. Eu estava quase desmaiando de fome, encontramos um restaurante bem legal (e barato ). Se chama Condor cafe, é um lugar bem aconchegante. Comprei um pastel de queso (com uma massa bem diferente do nosso pastel hahaha) e um refrigerante com aparência de xixi e gosto de guarana. 

       
      Depois fomos numa loja comprar agua e uma batatinha (que eu odiei). Fomos passear um pouco pela cidade e devo dizer que eu não dava nada pra Sucre, mas cheguei lá e me encontei pela cidade, ela é bem charmosa, vale a pena ficar um dia na cidade e conhecer seus principais pontos. Fomos no mirador de la Recoleta e em um outra praça, cujo nome não lemro. Fomos numa especie de parque dos dinossaouros (não é aquele pago), eu não sei porque, mas os bolivianos tem um apego com dinossauros, que eu não compreendo hahaha Depois fomos só andando e admirando a cidade. Fomos ao mercadão e acabamos comprando umas uvas com uma venderdora muito simpatica, que até nos deu umas uvas de brinde. 

      Eu queria ter mais fotos da cidade pra mostrar pra vocês, mas não vai ser possível e mais tarde eu conto o porquê. 
      Cuidado com o que vocês vão comer desse mercadão, porque os Bolivianos no geral não são muito higiênicos e algumas coisas são meio duvidosas. Se for comprar frutas, lave muito bem. Por exemplo, tinha uma mulher arrumando o cabelo da filha do lado das carnes (que também estavam com um cheiro bem estranho ). Então, fiquem espertos.
      Fomos procurar um lugar pra comprar nossas passagens para o Uyuni, a ideia inicial era comprar direto no terminal, mas não valia muito a pena porque teríamos que pagar o táxi, então íamos acabar gastando mais. Compramos no nosso hostel e pagamos um preço Ok, pagamos até mais barato do que havíamos planejado  Compramos pro dia seguinte as 18h.
      Fomos pra Plaza a noite e como estava no mês natalino a Plaza estava linda, toda iluminada <3 Ia ter meio que uma festa no hostel mas eu preferi dormir, porque eu estava morta. Dormi tão bem que nem ouvi o barulho da festa haha Já no outro dia, tomei aquele café da manhã divino do Hostel, como lá também é um restaurante, então o café da manhã é TOP. Acabei conhecendo o Tomek, da Polônia e a Francesca, da Alemanha. Ficamos conversando um bom tempo e a Francesca nos eu varias dicas do Uyuni. Saímos pra conhecer mais da cidade, mas eu já estava meio cansada da cidade, pois já tinha conhecido tudo lá  Almoçamos no hostel mesmo, encontramos o Tomek e almoçamos juntos. Não, e que almoço top hein haha Comi sopa como entrada (é sempre sopa), depois batata, arroz com mais alguma coisa, um refresco de Gergelim (horrível) e de sobremesa foi uma salada de frutas, adorei. 
      Como não tínhamos nada pra fazer, jogamos Uno com o Tomek e foi bem divertido (Uno uni as pessoas, já to avisando ). Tomek nos levou em um Cafe muito legal, que eu amei de verdade, se eu pudesse voltaria lá agora. Era uma loja de chocolate mas também uma cafeteria. Parece que eu experimentei o chocolate de verdade, o lugar se chama Para tí, se puder, vá nesse lugar.

       
      Já estava dando nosso horário, então fomos arrumar nossas coisas. Infelizmente não conseguimos nos despedir do Tomek, então tivemos que ir. Fomos pra Plaza para encontrar um táxi e acabamos encontrando um Brasileira, chamada Nádia e foi muito bom encontrar alguém da minha terra (e eu nem sabia que estava com saudades), ficamos um bom tempo conversando e quando percebi já estava um pouco atrasa para o embarque, então fomos comprar água e achar um táxi.
      Fiquem espertos com os táxis, pois assim que eles veem que você é turista,  já aumentam o preço. Eu indico perguntar sempre antes pra alguém ou algum nativo, quanto custa o táxi, porque assim você vai com o preço em mente. Se eles jogarem um preço muito diferente, já fala "no, no voy pagar eso, tengo poca plata" e ameaça ir embora, ele abaixam o preço rapidinho . Sempre pechinche, dá certo na maioria das vezes. Pegamos o táxi e depois de uns 15min chegamos. Parecia uma guerra, todo mundo gritando no seu ouvido, tentando te puxar pra agência deles haha é horrivel, foca no que você quer e não dá corda pra ninguém la hahaha chegamos no guichê pra pegar nossas passagens, comprem a passagem sempre com antecedência (pelo menos um dia antes) porque essa companhia (aviação 6 de Octubre) é a única que faz o trajeto direto pro Uyuni, então lota bem rápido.
      Pagamos a taxa do terminal e ficamos esperando dar o horário, nesse meio tempo conhecemos o Vicent, da França. Muito simpático, ele disse que ia pra Cusco na mesma época que a gente, então já trocamos contatos e combinamos de nos encontrar lá. Dado o horário nos despedimos dele e fomos pro ônibus. Tivemos que rodar o terminal inteiro pra encontrar a bosta daquele ônibus, que não estava no lugar indicado na passagem. Bolivia é terra sem lei galera, tivemos que ir pedindo informação até achar o bendito ônibus. Encontramos e fomos encarar 11h de viagem.
       
      GASTOS:
      Táxi: $10 
      Câmbio: $1= Bs.6,90 (Trocamos $165= Bs.1137)
      Água: Bs.5
      Batata: Bs.5
      Pastel de queso: Bs.9
      Refrigerante com aparência de xixi: Bs.6
      Uvas: Bs.20 
      Passagem pro Uyuni: Bs.80
      Almoço: Bs.23
      Café: Bs.9
      Água: Bs.6
      Táxi para o terminal: Bs.12
      Taxa do terminal: Bs.2,50
       
       
    • Por Micheli Cruz

      Para quem gosta de curtir um final de semana, férias, feriadão super tranquilo com a família em uma ilha paradisíaca localizada no baixo sul da Bahia irá se surpreender com os encantos naturais em que essa ilha nos proporciona.
      A idéia dessa viagem surgiu através do meu pai que é nativo e sempre convidou a família pra passar as férias e enfim concordei também a partir de 2008 em conhecer os encantos da ilha.
      A ilha de Boipeba é inserida no Arquipélago de Tinharé e é cercada de um lado pelo oceano e de outro pelo estuário do Rio do Inferno.
      Contemplada por uma floresta densa da Mata Atlântica, restinga, dunas, extensos manguezais e praias paradisíacas com coqueirais e recifes de grande valor ecológico e paisagístico.

      Quem for de Salvador enfrenta uns 300 km, a viagem é demorada. Sempre quando eu viajo vou pelo Ferryboat. Você pega uma estrada pela BA001 até a cidade de valença baixo sul da Bahia. E por Valença tem mais um trecho pela frente. A caminho você vai encontrar placas indicando Morro de São Paulo, Boipeba. Você segue o caminho onde tem escrito Boipeba, ainda vai passar por uma estrada de Barro até Torrinhas, onde você vai pegar um barco ou lancha se preferir.
      O bom de viajar pelo rio é ir descobrindo aqueles lugares que estão fora dos roteiros oficiais de turismo. Por exemplo, bares, restaurantes, flutuando no rio, frequentados pelos nativos. A dica aqui é comer ostra crua, cultivada aqui mesmo no rio.
      A maior atração de Boipeba está mesmo no mar. As piscinas naturais são de um azul tão forte e limpo que você tem a sensação de estar mergulhando num aquário. As piscinas ficam a mais de um quilômetro da praia.


    • Por leticiaMR
      Olá Pessoal,
      tudo bem?
       
      Fui para a Ilha de Boipeba, agora no reveillon.
      Eu e meu namorado começamos a nossa jornada no aeroporto de guarulhos no dia 29/12.
       
      CHEGANDO EM SALVADOR - COMO CHEGAR A ILHA
      Chegamos em Salvador ainda no dia 29/12 as 06h da manhã, de lá pegamos um Uber até o Terminal Marítimo de São Joaquim (R$40,00) ** lá o uber não esta regularizado, então vale a pena ficar de olha se tem algum CET ou PM)**
      Chegando no terminal e de se assustar, é lotado e o povo vai te atropelando, então relaxa e não deixa a muvuca te irritar. O Ferry sai lotado e demora mais de 1 hora de viagem ( até todo mundo entrar e etc e sai por R$4,80 de seg a sex) sábado e feriados R$7,50.
       
      O Ferry faz a travessia ate a cidade de Bom Despacho, de lá você toma um ônibus até a cidade de Valença. O horário dos ônibus é sincronizado com o Ferry, então na hora que você desembarcar do Ferry, não enrola muito e compra a passagem (R$23,00/pessoa) Tem uns caras que fecham o carro até Valença também, que sai um pouco mais caro que o ônibus, porém mais rápido (já que não faz parada). Sai em media uns R$30,00 por cabeça, fechando em 4 pessoas o carro.
       
      Chegando em Valença, existem 2 possibilidades
      1º Ir até o porto e pegar uma lancha direto para Boipeba (R$60,00/70,00) pessoa
      2º Pegar um ônibus até a cidade de Graciosa (R$3,50) e de graciosa pegar uma lancha de R$25,00/pessoa até Boipeba.
       
      Nos pegamos o ônibus e fomos até graciosa, pois a nossa grana era curta e vou te falar, compensa bastante. O ônibus é mega rápido e não demora nem 15 minutos pra chegar no porto de graciosa, lá já ter uma galera pra te levar.
       
      CHEGANDO EM BOIPEBA
       
      Depois da maratona de quase 5/6 horas de viagem, nos chegamos a Ilha de Boipeba
      No centrinho, onde o barco te deixa, você tem opções de mercadinhos, lanchonetes e etc, HAAAAAAA bom avisar, em Boipeba não existe caixa eletrônico e quase todos os comércios não aceitam cartão, então LEVEM DINHEIRO. Alguns estabelecimentos, até fazem um rolo ( você passa 200 no cartão e ele de dá 150). Mas nossa caminhada não terminada ali, já que o nosso camping era na Praia de Moreré (linda, maravilhosa, de tirar o folego). Ali no porto, tem uns meninos que oferecem carregar a sua bagagem nos carrinhos de rolimã por uns R$10 conto. Nos como somos roots, fomos andando.
       
      PARA CHEGAR EM MORERÉ
       
      Bom para chegar a praia, você precisa pegar um Trator, caminhamos até o ponto do trator (20 minutinhos) e de lá partimos R$10,00/pessoa. O Trator só sai com o minimo de 10 pessoas, então nos tivemos que esperar um tempo. Chegando em moreré, as opções ficam cada vez menores, existem apenas 2 mercadinhos ( que por milagre aceitavam cartão, mas os únicos lugares da praia inteira que aceitavam) Os preços são mais caros que no centrinho de Boipeba, então aconselhamos levar o máximo de coisas de casa ou comprar em Salvador e levar.
       
      CAMPING DO CEPACOL
       
      Nos ficamos no camping do cepacol, que fica na ponta esquerda da praia bem de frente pro mar.
      O camping é muito grande os dois campi ng do lado eram da mesma família. O Dono do camping é gente finíssima, assim como todo o pessoal que trabalha lá. Banheiro limpinho, lugar pra colocar a barraca com grana, uma cozinha com fogão a lenha e com alguns utensílios para cozinhas ( uma boa fazer uns rangos no camping, por que comer fora é caro, os pratos saem quase R$40/pessoa) No camping existem uns opções de café da manha MARAVILHOSAS, um pão de hambúrguer com um ovo (R$4,00) sucão daora de acerola (melhor da ilha) 4 dolatas tbm. Nenhuma opção de comida sai mais de R$10 reais. Além do mais, o camping é o mais movimentado ( se você quer uma boa bagunça. o cepacol é o lugar) Forro todos os dias, sambinha raiz. uma delicia mesmo. O valor do camping é R$20 reais a diária e se for casal ele faz por R$35 a diária.
       
      O QUE FAZER?
       
      Em geral todas as praias são muito lindas, dá pra ir andando até o centro de Boipeba e vendo as praias uma nice, a maioria tem poucos quiosques, então levem um lanchinho. Você pode pagar uma lancha e conhecer o Morro de São Paulo, saindo de moreré (R$100/pessoa) ou ir ate Castelhanos R$60,00 pessoa. Vocês tem que comer o bolinho de apim de lagosta do camping verde (em moreré), ELE É SENSASIONAL. Serio cara, parece um enroladinho de salsicha bem barrudo, e cheio de lagosta, sai 6 mangos e com uma cervejinha fica sensa.
       
      No centrinho de morerê, tem a barraca do Seu Cristóvão, que faz uma caipirinha otina R$10,00
      Mas o que vale é procurar por um PAULINHO, sai pergutando que alguém te fala onde encontrar o dito. O Paulinho pesca uma lagosta por R$40/kilo pra você meu chapa. Mas você precisa encomendar 1 dia antes. De resto o lugar é magico e qualquer coisa feita lá, vai ser incrível.







    • Por nnaomi
      Período: 01 a 09/12/2013
      Cidades: Cairú - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo (MSP)
       
      A Costa do Dendê tem natureza privilegiada com praias, baías, costões rochosos, rios, estuários, nascentes, lagoas e cachoeiras emolduradas por vegetação como manguezais, restingas e coqueirais. São 115 km de litoral. Inclui outros municípios, mas nessa viagem foi contemplado apenas Cairu, cujos locais mais famosos são Morro de São Paulo e Boipeba. Cairu deriva do tupi-guarani Aracajuru que significa Casa do Sol. Trata-se do arquipélago fluvial do Rio Una, cujas principais ilhas são Cairu, Tinharé e Boipeba. A sede da cidade de Cairu está localizada na ilha homônima e Morro de São Paulo na Ilha de Tinharé.
       
      MSP e Boipeba são duas ilhas vizinhas, tão próximas e tão distintas. É comum ficar hospedado em uma delas e conhecer a outra em um passeio bate e volta. Recomendam não dividir a estadia entre as duas ilhas, pois como são muito diferentes, ao gostar de uma, a probabilidade de antipatizar com a outra é alta. Entretanto, fiquei nas duas ilhas e gostei de ambas, cada qual com suas belezas e características peculiares. MSP tem mais infraestrutura, noites animadas, e recebe fluxo maior de turistas, já Boipeba lembra mais uma pacata vila de pescadores com praias mais tranquilas, ainda que a infraestrutura e o fluxo de turistas estejam crescendo. O que ambas têm em comum, são as belas praias e paisagens.
       
      Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Ficamos hospedados na Vila de Velha Boipeba na Ilha de Boipeba e na Vila em MSP.
       
      Obs.: Além da seção "Dicas" antes do relato, há outras dicas específicas espalhadas pela página. ATENÇÃO: Não possuo nenhum vínculo com pousada, hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. "Outras opções" referem-se às indicações que recebi de guias ou funcionários de CITs ou são provenientes de pesquisa. Dessa forma, alguns estabelecimentos, bem como alguns dos pontos turísticos, não foram visitados por mim e, portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade se os dados são atualizados e/ou verossímeis.
       
      Índice
       
      A cidade
       
      Como chegar
       
      Quando ir
       
      Onde ir em Boipeba
       
      Onde ir em Morro de SP
       
      Onde ir em Cairu
       
      Onde ir em Valença
       
      Onde ficar em Boipeba
       
      Onde ficar em Morro de SP
       
      Onde comer
       
      Dicas (Contatos úteis, Postos de Informações Turísticas, Links úteis, Receptivos Turísticos e Dicas)
       
      Mapas
       
      Sugestão de roteiros
       
      Relato de viagem
       
      Relatos 2013:
      21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
    • Por vfmarques
      Em setembro de 2017 eu fui com meus pais para California, passei 2 semana por la. Segue abaixo o roteiro e relato da nossa viagem com algumas fotos:
      Aug 31 -> Toronto to San Francisco
      Sep 1 -> San Francisco
      Sep 2 -> San Franciso
      Sep 3 -> San Fransciso to Napa
      Sep 4 -> Napa to Lake Tahoe
      Sep 5 -> Lake Tahoe
      Sep 6-> Lake Tahoe to Yosemite
      Sep 7 -> Yosemite
      Sep 8 -> Yosemite to Monterey
      Sep 9 -> Big Sur
      Sep 10 -> Solvang & Santa Barbara
      Sep 11 -> compras no outlet
      Sep 12 -> Los Angeles area
      Sep 13 -> San Diego
      Sep 14 -> San Diego
      Sep 15 -> San Diego
      Sep 16 -> voo de volta para Toronto
      Sep 1: San Franciso
      Eu ja estive em San Francisco antes, voltei de novo para passear com meus pais ja que eles nao conheciam. De manha fomos passear no cable car, fomos ate Lombart Street. De la andamos ate  Firshman's Wharf and Pier 39. Estava super quente, a temperature estava batendo records de calor.  A tarde fomos andando devagar ate o bairro italiano - North beach e depois passeamos na Chinatown.
      Em San Francisco ficamos no hotel MayFlower, muito bom. Boa localizacao, bom cafe da manha, eu recomendo.


      Sep 2: San Franciso
      Hoje de manha nos comecamos com o city hall, fiquei super decepcionada com tanta gente dormindo na rua, especialmente jovens. Em volta do city hall, so tinha mendigos. De la fomos andando ate Alamo square. Depois andamos ate o Golden Gate park e dai para Union Square. 


      Sep 3: San Fransciso to Napa
      Pegamos o carro que tinh alugado logo de manha e nossa primeira parada foi Palace of Fine arts e depois Golden Gate bridge. Infelizmente era bem cedo e estava nebilna. Fomos ate Salsalito e andamos um pouco pela cidadezinha. De la fomos fomos ate Muir Woods, o estacionamento estava lotado, tinha gente parando quase 30 minutes da entrada do parque, ja estavamos desistindo quando o estacionamento do lado do parque abriu para 2 vagas :o) depois de passear pelo parque fomos em direcao ao Napa Valley onde iamos passar a noite. A estrada eh linda, parace um mar de plantacoes de uva. Paramos em alguns vinhedos no camigo... 




      Sep 4: Napa to Lake Tahoe
      Hoje de manha nos passeamos na area do Napa Valley, fomos ate Calestoga atraves da HWY 29, cheio de vinehos gigantes e dai voltamos pela estrada Silverado Road Trail, cheio de vinhedos tambem. A tarde pegamos a estrada em direcao ao Lake Tahoe.


       

      Sep 5:  Lake Tahoe
      De manha fomos em direcao a Esmerald Bay, com varias paradas para ver a vistas. De volta a cidade, eu queria ir na gondola, mas infezmente estava fechada, como era fora de temporada so abre em fim de semanas. Sorte que estava fechada, pois o tempo mudou rapido e comecou a chover forte. No fim da tarde parou e fomos andar pela regiao, adorei esse lugar. 


      Sep 6: Lake Tahoe to Yosemite
      Saimos cedo, pois tinhamos uma viagem longa ate Yosemite. Passamos pelo Lake Mono e dai entramos na HWY 120, conhecido como Tioga Pass que so abre durante o verao, nossa que estrada linda. Ja dentro do Yosemite park, tinhamos que ir ate o outro lado para ir em direcao ao nosso hotel. Passamos for varios lugares lindos: FairView Dome, Tenaya Lake, Olmsted Point, bridalveil fall,  Yosemite village e Lower Fall. O unico problema era a fumaca e cheiro de queimado, um pecado.
       



      Sep 7: Yosemite
      Dia para explorar parte do parque. Decidimos fazer a trilha para o Lake Mirror, ate chegar na trilha paramos varias vezes para foto. Depois da trilha fomos no Majestic Yosemite Hotel e dai fomos em direcao ao Glacier Point com varias paradas, Valley View, Tunnel View, Washburn Point. A vista do Glacier Point eh demais!! Uma pena que nao ia ficar mais no parque, um lugar que concerteza quero voltar para explorar mais.




      Sep 8: Yosemite to Monterey
      Pegamos a estrada cedo em direcao a costa. Chegando em Monterey, andamos pelo Fishrman's Wharf onde almocamos. A tarde passeamos um pouco em volta do aquario, mas nao entramos la. Depois fomos em direcao a Carmel, atraves da 17-mile drive. Passamos por Carmel River state beach ate chegar em Carmel-by-the-sea


      Sep 9: Big Sur
      Infelizmente a HWY 1 estava parciamente fechada por causa de um deslizamento de terra que aconteceu em Maio. Fomos ate Pfeiffer Park onde a estrada acabava, tivemos que voltar para Monterey e pegar HWY 101, dai fizemos un detour para descer denovo na HWY 1 para dirigir entre McWay Fall and Sand Dollar Beach e voltar para Hwy 101. Nossa utima parada do dia foi San Luis Obispo onde passamos a noite.



      Sep 10:  Solvang & Santa Barbara
      De manha passamos por Pismo beach e fomos em direcao a Solvang, bem dinamarquesa. Super legal a cidade, passamos horas andando por la. Dai fomos para Santa Barbara, outra cidade super gostosa.


      Sep 11:  compras no outlet
      Hoje nos passamos o dia no Camarillo outlet e depois fomos para LA.
      Sep 12:  Los Angeles area
      Hoje andamos em volta da area de Los Angeles, acabamos nao indo na cidade. Comecamos com Beverly Hill, parando na famosa Rodeo Drive e dai passeando de carro pelas mansoes. Depois fomos para Malibu. Depois fomos para Santa Monica, andamos na promenade e no famoso pier. Nossa ultima parada do dia foi Venice beach, onde andamos na boarwalk e visitamos os canais.




      Sep 13: San Diego
      Hoje dirigimos em direcao a San Diego, parando em varias cidades no caminho. Minha parada foi Long beach, depois veio Huntington beach, cidade cheia de surfistas. Passaos por Newport, com suas marinas e Dana Point, ate chegar em La Jolla. 



      Sep 14: San Diego
      Hoje comecamos o dia visitando Mission beach,. Deois fomos para o Balboa Park. A tarde nos fomos para Old Town, Ocean beach e Cabrillo National Monument.



      Sep 15: San Diego
      Ultimo dia em San Diego, comecamos com Coronado Island. Depois fomos no Gaslamp Quarter, passando pelo Pecto park. A tarde fomos no Sea Part village, andamos pelo Embarcadero ate o USS Midway Museum. Nossa ultima parada foi little italy antes de voltar para o hotel.


       
       
       
       
×