Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Londres: A viagem perfeita deve ser planejada com carinho


Posts Recomendados

  • Membros


Não deixe Londres fora da sua lista de destinos para conhecer na vida. Aproveite esse período de quarentena e faça pesquisas sobre o destino e se antecipe aos fatos, montando um roteiro com lugares que quer conhecer quando essa situação passar, pois para Londres, a viagem perfeita deve ser planejada com muito carinho.

Você sabia que a capital da Inglaterra é um dos lugares mais interessantes no mundo, uma cidade que reúne em um mesmo local culturas de diversos países, gastronomia diversificada e atividades o tempo todo, que não deixam Londres dormir e nem os visitantes se sentirem entediados.

A capital inglesa não estava diretamente na nossa lista, mas depois que encontramos uma promoção de passagens aéreas acabamos aproveitando a oportunidade e incluindo a terra da rainha em nosso roteiro. Essa inclusive é uma dica para quem está na Europa, fique atento pois em algumas companhias aéreas low cost como a Ryanair, é possível conseguir passagens a partir de 10 euros, sem bagagem inclusa. Para entrar no Reino Unido os brasileiros não precisam de visto e podem permanecer no país como turistas por 6 meses. Porém, é necessário comprovar hospedagem, ter passagem de saída do país e às vezes a imigração também solicita comprovante de renda para saber se tem recursos para estar no país.


Nós passamos 10 dias em Londres, tentamos conhecer os locais mais interessantes do nosso ponto de vista, já que a cidade tem inúmeros lugares turísticos, parques e museus. Inclusive, é um alerta para quem pretende conhecer a cidade, fazer um roteiro prévio, pesquisar sobre o local antes chegar e não correr o risco de ser invadido por um turbilhão de informações. Uma dica é elaborar o seu roteiro contando com o segundo dia que estiver na cidade, isso porque os aeroportos de Londres ficam distantes e leva um tempo até chegar ao centro.

O nosso voo, por exemplo, aterrissou no aeroporto de Gatwick ao Sul da capital, entre as opções para chegar ao centro a mais em conta que tínhamos foi o ônibus National Express, pagamos 7 libras, o nosso destino final após cerca de 40 minutos no trajeto foi a Liverpool Street, de lá seguimos até o nosso endereço.

Para te ajudar a se organizar antes de visitar a capital da Inglaterra, vamos compartilhar algumas dicas, para ajudar a definir os lugares que pretende visitar, assim poderá elaborar um roteiro e conhecer mais sobre esse que é um dos destinos mais interessantes do mundo.

Confira nossas dicas de Londres, vá se preparando para explorar este destino, quando puder viajar novamente.


Londres, onde você pode ser o que quiser

Uma das características que mais chamou a nossa atenção em Londres é o fato de você poder ser o que quiser e ninguém está nem aí. As pessoas não ligam para a forma em que está vestido, a cor do seu cabelo, o que fez ou deixa de fazer pelas ruas.

Pode ser por causa da pressa e da vida acelerada que os moradores dessa cidade tem, por isso a frase “Keep Calm and Carry On” que surgiu através do ministério da informação, para motivar ainda mais as pessoas e deixar o aviso.

A diversidade cultural na cidade também é tanta, que a mais línguas faladas pelas ruas de Londres do que em qualquer outra cidade do mundo, o motivo é que há cerca de 5 milhões de imigrantes. São detalhes que tornam essa uma cidade cosmopolita e interessante.

Transporte público prático e amplo


Tudo funciona muito bem em Londres, o transporte público é um dos serviços mais eficientes. Além dos famosos e imponentes ônibus vermelhos de dois andares, que são uma das diversas marcas da cidade, os passageiros podem contar com um sistema servido de trens, trens leves “DLR”, metrô, tube, que são os mais usados, entre outros que cobrem a demanda dentro e fora da cidade. Com tantas opções, você obviamente conseguirá chegar em qualquer lugar da cidade usando este sistema!

Os valores das passagens são calculados de acordo com zonas de transportes na qual a cidade é dividida.

Para pagar o sistema de transporte a maioria das pessoas usam o Oyster Card, que é um cartão eletrônico que pode ser comprado por 5 libras em terminais automáticos de bilhetes das estações de metrô e em diversas lojas pelas ruas de Londres, esse valor da compra do cartão volta para você se fizer a devolução depois de um ano.

As tarifas pagas através do cartão são reduzidas, pode fazer a recarga no valor que quiser e a medida que usa o valor é descontado. Uma outra vantagem é que existe o “daily cap”, que é o teto diário para cada zona de transporte. O que quer dizer que você pode usar o metrô, ônibus, overground, várias vezes até atingir o limite e a partir daí não será descontado mais nada.

É possível pagar as passagens também com cartão de débito tipo “touch card”, daqueles que só encosta na máquina e já desconta o valor solicitado.

Já a opção passagem avulsa que pode ser adquiridas nas máquinas, são válidas somente para um trajeto e é a forma menos econômica.

Dicas para um roteiro prático e sem perda de tempo 1º dia – Trafalgar Square, Downing Street, Westminster, Big Ben, London Eye

Você pode pegar um transporte até a Trafalgar Square e de lá começar explorar a região considerada como coração de Londres. A Galeria Nacional é um dos pontos onde pode começar a descobrir a cidade, ela é a maior pinacoteca do Reino Unido e tem milhares de obras de arte do século XIII ao XX.

Depois seguir no sentido da Downing Street, onde está localizada a residência oficial do Primeiro Ministro Britânico. No meio da Avenida Whitehall, logo depois da Downing St, há um monumento bem significativo o Túmulo Vazio ou Cenotáfio feito em homenagem aos mortos de guerra.

Seguindo pela avenida você chegará em Westminster, o prédio do parlamento inglês, onde também está o famoso Big Ben que até 2021 vai estar em obras, mas não deixou de ser uma atração. Vá caminhando até a Abadia de Westminster que é uma igreja anglicana onde são realizados casamentos e funerais de reis e personalidades britânicas há mais de mil anos. Ao lado também está a Praça do Parlamento, onde há 12 estátuas de personalidades mundiais importantes, como Winston Churchill, Nelson Mandela e Mahatma Gandhi, uma das recentes a serem colocadas no local é a de Millicent Fawcett, a sufragista que lutou pelo voto feminino no início do século XX.

Passe pelo St James’s Park até chegar ao Buckingham Palace e se tiver pesquisado pelo horário ideal, poderá ver a troca de guarda, uma cerimônia que marca a troca de turno dos soldados. Sempre tem muita gente na frente do palácio para presenciar o momento.

Deste ponto você pode voltar ao prédio do parlamento Westminster e depois seguir para a região da London Eye, que já pode ser vista do Big Ben, é só atravessar a ponte e já vai estar ao lado da famosa roda gigante panorâmica que tem 135 metros de altura. Se comprar ingressos com antecedência poderá desfrutar a vista de cima de toda Londres.

Continue caminhando ao longo do rio Tâmisa nesse sentido e passará por Southbank Center, essa é uma das áreas mais movimentadas desta região da cidade, principalmente aos sábados, com muitas apresentações musicais, artistas de rua mostrando seus talentos de diversas formas, food trucks com diferentes comidas e uma vibe que só a cidade tem. Descanse nos bancos espalhados pelo local e passe um tempo admirando a região, pode comer algo e relaxar enquanto observa os prédios do outro lado rio.

Esse roteiro você pode deixar para o primeiro dia que for reservado para conhecer a cidade, assim já mata a curiosidade de ver pontos importantes e interessantes da capital inglesa. A sugestão é começar cedo e assim poder ver com calma cada ponto. Se estiver muita disposição e tempo pode seguir até a Tower Bridge, mas com o excesso de informações talvez será melhor para o segundo dia.

2º dia – Catedral São Paulo, Galeria Tate Modern, HMS Belfast, Tower Bridge, Greenwich

No seu segundo dia explorando a encantadora Londres, eu sugiro que continue conhecendo o Leste, dessa vez comece pela imponente e majestosa Catedral de São Paulo, onde foi realizado o casamento do príncipe Charles e Diana, também considerada a maior e mais alta igreja do mundo. Dentro da catedral há 7 capelas, algumas que estão desde a primeira construção e outras que foram sendo adicionadas ao longo do tempo.

É necessário comprar um ingresso para ter acesso a St Paul’s Cathedral, mas uma forma gratuita de conhecer é assistir à apresentação de coral Eversong, que acontece diariamente no final do dia.

Saindo da catedral siga em linha reta e vá em direção a ponte Millenium, que termina na entrada da Galeria Tate Modern do outro lado do Tâmisa. A entrada é gratuita no espaço que é dedicado à arte moderna e contemporânea, com obras e instalações de artistas de várias partes do mundo.

Ao sair da galeria, siga o agradável percurso às margens do rio em direção o HMS Belfast, um navio da II Guerra que virou um museu aberto para visitação, no caminho vai passar por outros pontos como a prefeitura de Londres e chegar na Tower Bridge. Este com certeza está na lista dos lugares famosos na cidade, onde se tem um visão linda do rio Tâmisa e rende fotos lindas para os visitantes, para atravessar a ponte não se paga nada, é só seguir pela calçada lateral, mas se quiser conhecer mais sobre a história da estrutura é necessário ter ingresso.

Dessa região você pode pegar um barco no Píer Tower Millenium e ir até Greenwich ou fazer o trajeto de ônibus ou trem. Esse é um dos bairros mais versáteis da cidade e que tem de tudo, natureza, astrologia, história, boa gastronomia e a parte central foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

É no Parque de Greenwich que está a atração mais famosa do bairro, o meridiano de Greenwich, que divide o globo em ocidente e oriente e permite medir a longitude e estabelecer os fusos horários. Se gosta de astrologia essa também é a região certa, que tem diversas outras atrações.

3º dia – Museu Britânico, Covent Garden, Piccadilly Circus, Oxford Street

Para o seu terceiro dia na cidade eu sugiro conhecer uma região mais comercial que inclui também programação cultural com museu. A começar pelo Museu Britânico que gratuito e enorme, a minha dica é que antes da visita pesquise sobre o museu e saiba exatamente o que quer ver lá dentro, porque tem muitas salas e exposições e cerca de 71 mil peças, seria necessário um dia todo para conhecer. Por ano o espaço recebe cerca de 6 milhões de visitantes e é uma das atrações mais visitadas do Reino Unido. Depois de um passeio cultural volte para as ruas de Londres e siga até Covent Garden com lojas bacanas, brechós, bares e restaurantes e apresentações de artistas de rua, é uma área bem bonita, onde vale a pena passear.

Não deixe de ver também o Piccadilly Circus, onde está algumas das importantes avenidas da cidade, além de ser considerada uma região privilegiada, com diversos painéis luminosos e o Memorial de Shaftesbury ou Fonte de Eros. Para vida noturna é uma das regiões mais animadas da cidade, com gente para todos os lados em qualquer hora do dia. Mas se gosta de compras, próximo dali está a Oxford Street, a maior rua do mundo, oferecendo 2,4 quilômetros com mais de 90 lojas de moda e beleza, tecnologia e artigos para casa. Com mais de 500 restaurantes a cinco minutos a pé, você terá muitas opções de café da manhã, almoço e jantar. Acredito que o terceiro dia explorando a cidade pode ser concluído neste ponto, com uma boa caminhada e um café para arrematar o dia de passeio.

Não deixe de ver em Londres

Se ficar na cidade durante mais dias, os demais pontos turísticos poderão ser explorados sem pressa. Indico que não deixe de visitar a estação St Pancras considerada uma das mais belas estações ferroviárias do mundo. É um exemplar de arquitetura Gótica Vitoriana na Inglaterra, onde funciona a estação de trem e tem um grande hotel em anexo. O Borough Market, que é um delicioso programa de sábado, principalmente se gosta de apreciar novos sabores e presenciar uma diversidade gastronômica que reúne comidas de diversas partes do mundo, além de iguarias deliciosas. O bairro chinês de Chinatown e suas peculiaridades, Portobello Road e suas iguarias de segunda mão, o superinteressante Camden Town na região no centro-norte de Londres, com seus punks, lojas artesanatos e produtos vintage, estúdios de tatuagem e a vibe alternativa que marca a região preferida da cantora Amy Winehouse, são pontos que não devem ficar de fora do seu roteiro.

Não importa quanto tempo vai passar em Londres, você nunca vai descobrir a cidade por completo, sempre há coisas novas acontecendo e atrações que chamam a atenção não só dos moradores, mas principalmente daqueles que visitam a cidade pela primeira vez. Mas o pouco que descobri já vai ser suficiente para fazer você se apaixonar pela capital inglesa.

Confira: Mais detalhes de Londres nos destaques do nosso instagram @depoisdomedovemomundo.

page2.jpg

page5.jpg

  • Gostei! 1
Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...