Roteiros de Viagem na Europa


#865515 por Bruno Marinho
31 Jul 2013, 07:24
Após muito tempo de pesquisa, resolvemos chegar até a Europa pelo mar. Compramos um cruzeiro da MSC para fazer a travessia e ainda resolvemos fazer outro cruzeiro, saindo da Itália e indo até a Grécia e Turquia. Vou postar aqui o dia-a-dia de nossa viagem, tentando ilustrar ao máximo o que vimos nessa longa viagem.
Inicialmente, o nosso grande problema foi saber como seria uma viagem transatlântica, pois existem pouquíssimos relatos sobre essas viagens. Porém, para nossa sorte, a viagem foi excepcional, sem nenhum problema, do início ao fim. Parecia que o navio estava em um lago, de tão pouco que balançava. Os dias também passaram rápido demais e não tivemos nenhum problema com monotonia, pois sempre estávamos envolvidos em alguma atividade.
Nosso roteiro foi o seguinte:
1° Dia - Saída do Rio de Janeiro (MSC Orchestra)
2° Dia - Navegando
3° Dia - Salvador
4° Dia - Recife
5° Dia - Navegando
6° Dia - Navegando
7° Dia - Navegando
8° Dia - Navegando
9° Dia - Navegando
10° Dia - Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias - Espanha)
11° Dia - Navegando
12° Dia - Lisboa
13° Dia - Cádiz - Espanha
14° Dia - Navegando
15° Dia - Barcelona
16° Dia - Toulon - França
17° Dia - Gênova (fim do cruzeiro)
18° Dia - Gênova x Lucca
19° Dia - Lucca - Itália
20° Dia - Lucca x Civitavecchia - Embarque Cruzeiro Norwegian Jade
21° Dia - Navegando
22° Dia - Olímpia - Grécia
23° Dia - Atenas - Grécia
24° Dia - Izmir - Turquia
25° Dia - Istambul - Turquia
26° Dia - Istambul - Turquia
27° Dia - Navegando
28° Dia - Navegando
29° Dia - Nápoles - Itália
30° Dia - Civitavecchia (fim do cruzeiro) x Florença (passando de carro por Viterbo, Farnese e Orvietto)
31° Dia - Florença
32° Dia - Florença x Siena x Arezzo x San Marino x Florença
33° Dia - Florença x Caminho da FEB-Força Expedicionária Brasileira - Pistóia, Porretta Terme, Monte Castelo, Montese x Florença
34° Dia - Florença x Verona
35° Dia - Verona
36° Dia - Verona x Lugano - Suiça x Verona
37° Dia - Verona x Veneza x Pádua x Verona
38° Dia - Verona x Madrid
39° Dia - Madrid
40° Dia - Madrid x Rio

1° Dia - Saída do Rio de Janeiro (MSC Orchestra)
Chegamos cedo ao embarque para evitar filas, já que a infraestrutura do porto do Rio de Janeiro é um lixo. Da última vez que tinha embarcado em cruzeiro, passei sede durante o período de embarque, pois não havia nada para bebermos. Tudo se esgotou em poucos minutos, devido ao calor infernal que fazia no terminal.
Imagem

2° Dia - Navegando
Aproveitamos para conhecer melhor o nosso hotel flutuante, que seria a nossa casa por mais 16 dias.

Imagem

Imagem

3° Dia - Salvador
Como o tempo de estadia em Salvador seria curto, optamos por visitar o Mercado Modelo, subir o Elevador Lacerda, visitar o Pelourinho e fazer um passeio de taxi para conhecer os principais pontos turísticos. Fomos até o Farol da Barra e a Igreja do senhor do Bonfim.

4° Dia - Recife
Em Recife contratamos um passeio fora do navio, o que nos custou menos de 1/4 do preço do mesmo pacote oferecido a bordo. Fomos até Olinda e à Central de artesanato. Aproveitamos para fazer as nossas últimas compras em Reais e retornamos para o navio para o início da travessia transatlântica.

5° ao 9° Dia - Navegando
Essa era a nossa maior preocupação antes da viagem. As principais dúvidas: vai balançar muito? será que alguém vai passar mal? vamos ficar enjoados? entediados? o tempo vai demorar muito a passar? As respostas foram: não, não, não, não e não. Na verdade foi uma parte muito boa da viagem, onde pudemos conversar bastante, curtir o navio, jogar baralho, aproveitar a piscina enquanto estávamos próximos ao Brasil (porque depois ficou frio demais) e apreciar as paisagens durante o caminho. No segundo dia de travessia passamos muito perto de Fernando de Noronha. Fomos para a varanda e curtimos o panorama durante bastante tempo. Já no quatro dia de travessia passamos por Cabo Verde, não tão perto quanto Noronha, mas tivemos algumas vistas bacanas daquele país.

Imagem

Imagem
Fernando de Noronha

Imagem
Fernando de Noronha

Imagem
Batismo de Netuno ao passar pela Linha do Equador

10° Dia - Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias - Espanha)
Já no início da manhã pudemos avistar a Ilha de Santa Cruz de Tenerife, bem como, parte de seu imenso vulcão, El Teide. O clima estava excelente, nem calor, nem frio e descemos do navio com blusas de manga curta (o que depois nos custou sentir muito frio!!!)
Pouco depois da descida no navio contratamos um taxi para fazer um tour pela ilha. Fomos incialmente até o Vulcão El Teide e, nessa hora, sentimos muito frio, pois fomos para uma grande altitude em questão de minutos, o que fez a temperatura cair abruptamente. A paisagem é impressionante, diferente de tudo que eu já tinha visto. Muito bacana mesmo!
De lá seguimos para Orotabo e Porto la Cruz, mais duas cidades da Ilha de Santa Cruz de Tenerife. Em Orotabo visitamos um local de venda de artesanato chamado Casa de los Balcones e em Porto la Cruz fomos até as lojas de eletrônicos, uma vez que na ilha os produtos são vendidos sem impostos. Mas cuidado, compre apenas produtos com garantia internacional, pois no navio escutamos diversas histórias de prejuízos devido a compras muito baratas em lojas duvidosas.

Imagem
El Teide

Imagem

11° Dia - Navegando
Só um dia de navegação já parecia até brincadeira!. rs

12° Dia - Lisboa
Resumo do dia: muito frio e chuva constante!
O dia não estava agradável para o turismo, pois a chuva incomodou muito. Como já conhecíamos Lisboa, resolvemos voltar a alguns lugares que gostamos. Já no desembarque pegamos um ônibus turístico, o que não se mostrou uma boa opção, já que o transporte coletivo seria muito mais barato. Fomos até o Planetário, Museu da Marinha e Mosteiro dos Jerónimos, todos fechados! Aí seguimos para a loja do pastéis de Belém. Tomamos um chocolate bem quente e comemos as iguarias da casa. De lá seguimos para o centro de Lisboa e fomos a várias lojas nas ruas e a um shopping, rodamos um pouco, pois o frio estava desanimando muito. No final pegamos novamente o ônibus turístico, já que o nosso ticket era válido o dia inteiro, demos uma volta dentro do ônibus e voltamos para o porto. Mas antes compramos alguns queijos de cara e de ovelha e levamos para o nosso lanche da tarde, dentro do navio. Antes de embarcar ainda fomos ao museu do Exército, que fica ao lado do porto. Muito interessante e tem uma pequena parte que fala sobre os descobrimentos de Portugal, inclusive o do nosso país.

Imagem
Padrão dos Descobrimentos

Imagem
Torre de Belém

13° Dia - Cádiz - Espanha

Cádiz é uma minúscula cidade espanhola localizada na região da Andaluzia. O clima estava ótimo e o dia foi muito agradável. Mais uma vez, bobeamos pegando o ônibus turístico, pois a cidade é realmente muito pequena e daria pra conhecer praticamente tudo a pé. Mas tudo bem, já que estávamos com os meus pais e ainda teríamos muitos dias de viagem pela frente, então era bom nos pouparmos um pouco. Foi um local de vontade de ficar, de tão bacana que era. Tudo muito antigo e muito conservado. Praias muito bacanas. Pena que só tivemos 1 dia por lá. Esse é o problema dos cruzeiros, você só conhece um pouco dos locais. Só dá pra saber se quer voltar ou não.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
Resquícios das muralhas que cercavam toda cidade.

14° Dia - Navegando

15° Dia - Barcelona

Barcelona dispensa comentários! é realmente uma cidade impressionante. Pena que o tempo foi tão pequeno, pois um dia dá pra ver muito pouco do que o local tem a oferecer. Desmbarcamos e pegamos um taxi até o início das Ramblas, que na verdade é uma das ruas principais da cidade. de lá fomos até o funicular pra Montjuic, onde visitamos o Castelo de Montjuic e o Estádio Olímpico. Depois descemos as escadas rolantes a céu aberto, passando pelo Museu de Arte Catalã, onde não pudemos entrar devido à escassez de tempo. Fomos até perto da praça de touros e pegamos o metrô para a Catedral da Sagrada Família, onde também não conseguimos entrar, porque estava lotada e não poderíamos esperar até o final da tarde que era a previsão de entrada, então tiramos fotos e seguimos de volta para as Ramblas, onde visitamos o Mercado Municipal, que é um lugar impressionante pelas cores e sabores das frutas e sucos. Tomamos vários sucos antes de sair. Passeamos um pouco mais pelas Ramblas e voltamos para o navio.`

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

16° Dia - Toulon - França
Foi a pior parada do cruzeiro. Primeiro pelo frio, que estava absurdo, segundo pela chuva constante e terceiro porque o porto não ficava em Toulon, mas sim em Seyne-sur-Mer. Era necessário atravessar uma pequena baía ou contorná-la de ônibus. O navio ofereceu transporte até Toulon, só que pago, e caro. Achamos um absurdo, pois estava escrito que iríamos para Toulon e não foi isso que ocorreu. Pegamos um trenzinho turístico e seguimos até o pier, onde pegamos uma balsa e atravessamos pra Toulon. Rodamos um pouco, fomos a uma feira e a uma igreja, andamos mais um pouco e retornamos para o navio. O grande atrativo da região são as praias, portanto não aproveitamos nada, devido ao frio que fazia.

Imagem

Imagem

17° Dia - Gênova (fim do cruzeiro)
No fim do cruzeiro já começamos a sentir saudades do navio. Sabíamos que sentiríamos falta de sua praticidade e conforto durante o restante da viagem. O porto de Gênova é gigante. Muito grande mesmo!!! Mas quando desembarcamos foi uma confusão absurda pra pegarmos um taxi. Estava frio e chuvoso e todos estavam tentanto pegar o primeiro taxi que aparecia. Demoramos um pouco pra conseguirmos nosso transporte. O hotel ficava próximo ao porto. Lugar simples, mas atendeu perfeitamente as nossas necessidades. Fizemos o check-in e já saímos pra conhecer a cidade de Cristóvão Colombo. O local é repleto de igrejas antigas palácios para serem visitados, além da casa onde viveu Cristóvão Colombo (acredite se quiser! rs).
O planejamento inicial era alugar um carro em Gênova para seguir pra Lucca, porém o tempo estava chuvoso e não tive nenhuma vontade de dirigir. Comprei as passagens de trem e desisti da reserva do carro, o que me custou uma pequena taxa. Mas acho que foi a melhor escolha, pois não gosto de dirigir com chuva nem no meu país, imagine em outro!

Imagem

Imagem

18° Dia - Gênova x Lucca
19° Dia - Lucca
Pegamos o trem em Gênova com destino a Lucca. Como sempre, a viagem de trem foi super tranquila. Muito mais prática que de avião, pois a estação era ao lado do hotel e não temos a obrigação de chegar uma hora antes pra fazer check-in. Chegando em Lucca foi um pouco difícil de encontrar o nosso "hotel", pois na verdade, apesar de parecer um hotel pelas fotos do booking, o local era na verdade um prédio residencial onde eram alugados quartos com banheiro. Na prática era igual a um hotel, mas sem fachada ou recepção, por isso não conseguíamos encontrá-lo de jeito nenhum. Tivemos que ligar para o nosso contato, que nos deu mais orientações e veio nos encontar em um ponto mais próximo do hotel. No fim deu tudo certo, pois os quartos eram muito bons e ficamos muito bem localizados na cidade, que por sinal, também é muito bacana. O centro antigo é todo cercado por uma muralha medieval, o que dá um aspecto muito interessante ao local. Comemos ótimas pizzas nessa cidade!

Imagem

Imagem

20° Dia - Lucca x Civitavecchia - Embarque Cruzeiro Norwegian Jade
Pegamos um trem em direção a Civitavecchia, que é onde fica o porto que atende a Roma, mas a 70 km de distância daquela cidade. A viagem foi muito bacana, pois seguimos praticamente o tempo todo pelo litoral. Pena que as janelas do trem estavam sujas e não conseguimos tirar nenhuma foto boa do caminho. Chegamos a Civitavecchia e seguimos para o porto, que fica bem perto da estação de trem. O embarque foi muito rápido e o navio, Norwegian Jade, era excelente!!! Voltamos à mordomia de um navio, o que foi ótimo para todos! Chegamos e fomos fazer um reconhecimento de nossa nova casa e ficamos comparando com o MSC Música. Eu preferi o Norwegian, pois achei mais luxuoso que o MSC e também achei a comida melhor. Sem falar no preço, pois pagamos aproximadamene R$ 1.400,00 por pessoa na cabine externa com janela para 10 dias de cruzeiro com tudo incluído! Isso mesmo, os valores estão em Reais. Nos saiu por aproximadamente R$ 140,00 por ida com direito a transporte, hospedagem, alimentação e entretenimento a bordo. O melhor custo benefício que já consegui até hoje. Sem falar que o itinerário do návio era excelente: Olímpia e Atenas, na Grécia, Izmir (Ásia) e Istambul na Turquia e Nápoles na Itália. Com direito a pernoite em Istambul!

Imagem

Imagem

21° Dia - Navegando
Mais um dia de navegação. Porém bem atípico, pois passamos por um vulcão ativo, o Stromboli, e pela Sícilia, onde também vimos o Vulcão Etna. A passagem pela Sicília foi muito interessante, pois o navio passou por um canal estreito entre o continente e a ilha e fizemos uma viagem panorâmica nesse ponto.

Imagem
Vulcão ativo

Imagem
Sicília

22° Dia - Olímpia - Grécia
Na verdade o navio aportou em Katakolon,e de lá fizemos uma pequena viagem até Olímpia, o berço das Olimpíadas! Em Olímpia nós visitamos o museu e sítio arqueológico, que é simplesmente impressionante. Dentro do museu fomos chamados a atenção porque estávamos tirando fotos das relíquias e aparecendo junto nas fotos. Isso não podia. Só podia tirar fotos das relíquias, mas você não pode aparecer nas fotos. Não sei se entendi muito bem, mas nos disseram que era uma falta de respeito com as relíquias. Não entendi, mas obedeci. É muito difícil entender como conseguiam levantar obras tão grandes sem a tecnologia que temos hoje. Na região do porto existiam diversas lojas com lembranças e restaurantes com comidas típicas. Fui o único do grupo que se arriscou a comer uma pita, sanduíche típico da Grécia.

Imagem

Imagem

Imagem

23° Dia - Atenas - Grécia
A primeira impressão da cidade, logo na saída do porto, não foi das melhores, pois fomos insistentemente assediados por taxistas nos oferecendo passeios turísticos. Juntamos um grupo grande de brasileiros do navio, mais ou menos 20, e tentavam a todo custo nos levar para passeios em seus taxis. A crise por lá está realmente feia! Eu estava convicto de não pegar taxi, pois tinha lido em vários lugares que o metrô ficava bem perto do porto. Com muito custo, muito mesmo, conseguimos nos livrar dos taxistas. Mas não fomos até o metrô, pois encontramos um ônibus turístico por um preço ótimo, que valeu muito a pena. Saiu por menos da metade do que o taxi queria nos cobrar e ainda ganhamos uma gratuidade devido ao tamanho do nosso grupo.
A má impressão ficou apenas pela abordagem inicial dos taxistas mesmo, porque gostamos de tudo o que vimos depois!!! De cara fomos para a Acrópole, de onde pudemos ter uma excelente vista da cidade, depois continuamos o passeio com o ônibus, rodamos bastante, fomos até o estádio olímpico da primeira Olimpiada da Era Moderna, que funciona até hoje e por final, fomos ao Bairro de Plaka, que existe desde o Século II antes de Cristo e é o melhor lugar pra fazer compras baratas.

Imagem
Partenon - Acrópole

Imagem
Estádio Olímpico

Imagem
Acrópole

Imagem
Plaka

24° Dia - Izmir - Turquia
Pisando na Ásia pela primeira vez!!! Um resumo do lugar: impressionante! Inicialmente nós estávamos receosos em relação segurança na Turquia, principalmente devido ao choque cultural de uma sociedade oriental islâmica com a nossa realidade. Por isso, pela primeira vez, compramos os pacotes turísticos do navio, tanto para Izmir quanto para Istambul. Preocuopação completamente infundada, pois tudo nos pareceu muito tranquilo. Para nosso espanto, muitos comerciantes falavam portugês!!! Como disse o meu pai, pra vender eles conseguiriam conversar até com um marciano que desembarcasse por ali! Em Izmir até que valeu a pena ter comprado o passeio do navio, pois os locais que resolvemos visitar ficavam longe de onde aportamos, bem como a guia deu uma aula de história e simpatia. Fomos até a cidade de Ephesus e à casa onde supostamente Maria, mãe de Jesus passou os últimos dias de sua vida. A casa de Maria é um lugar pequeno, mas muito interessante até mesmo para quem não é religioso, como é o meu caso. Já Ephesus é impressionante. Um lugar gigantesco, uma cidade muito grande, que foi toda soterrada e que teve apenas 12% de sua área escavada. O que mais nos impressionou foi a riqueza de detalhes das construções de mais de 2000 anos. Pra quem gosta de história, é um local imperdível.

Imagem
Banheiro público (se limpavam com as mãos e lavavam as mão em uma canaleta que corria a frente dos "sanitários"

Imagem
Biblioteca de Celsus - tinha uma passagem secreta para um bordel

Imagem
Deusa Nike (olha o símbolo da Nike aí)

Imagem
Casa de Maria

25° Dia - Istambul - Turquia
26° Dia - Istambul - Turquia
Sem dúvida, uma das melhores partes da viagem! Lugar impressionante, a capital dois impérios é um lugar imperdível! Gostamos de tudo. Contratamos um passeio de dois dias pelo navio, que poderia muito bem ter sido feito sem qualquer auxílio, porque ficava tudo bem próximo. Fomos ao Mercado de especiarias, ao Gran Bazar, à Cisterna Bizantina, à Hagia Sofia, à Blue Mosque, ao Museu de arqueologia, ao Palácio de Topkapi, que funcionou como lar dos sultões e fizemos um passeio de barco pelo estreito de Bósforo. Mais uma vez nos impressionamos com a quantidade de comerciantes que falavam português. E são bons de venda mesmo. Negociam muito e todos saem contentes no final.

Imagem
Blue Mosque

Imagem
Hagia Sofia - comsímbolos católicos e muçulmanos.

Imagem
Gran Bazar

Imagem
Blue Mosque

Imagem
Hagia Sofia e Blue Mosque

Imagem
Cisterna Bizantina

Imagem
Ponte dobre o estreito de Bósforo

27° Dia - Navegando
28° Dia - Navegando
Descansando, porque a moleza e a mordomia estavam prestes a acabar.

29° Dia - Nápoles - Itália
Última parada entes do término do cruzeiro. Desembarcamos e fomos direto para Pompéia, em um translado oferecido pelo próprio navio, por um preço justo. Mais uma vez ficamos impressionados com a perfeição das obras da antiguidade. A cidade foi destruída pela Vulcão Vesúvio no Século I, era uma cidade muito organizada, de fazer inveja a muitas cidades atuais. Ainda existem os moldes de pessoas que morreram com a erupção e acabaram eternizadas pelas cinzas vulcânicas. Foi uma pena que não conseguimos avistar o vulcão, pois o céu estava muito encoberto. Só conseguimos avistar um pequeno pedaço dele quando o navio estava zarpando. Depois de Pompéia, retornamos a Nápoles, onde não vimos nada que nos agradasse muito. O trânsito é um verdadeiros caos. A cidade é literalmente infestada de lambretas e os carros estacionam em qualquer lugar. Em vários pontos o pedestre tem que passar pela rua, pois a calçada fica completamente tomada de carros. Sem falar nas abordagens constantes de pessoas tentando te vender algum produto eletrônico de origem duvidosa. Ah, fomos comer uma pizza napolitana, pois dizem que lá é o local onde a pizza foi inventada. Comemos na tradicional Pizzaria da Michele, uma das mais antigas de Nápoles. Essa pizzaria aparece no filme Comer, Rezar, Amar. Decepção total. Parecia mais uma borracha do que uma pizza. Encontramos outros brasileiros lá que disseram que estava boa, mas eu, sinceramente não gostei. Mas valeu a experiência.

Imagem
Pompéia

Imagem
Pompéia

Imagem
Pompéia

Imagem
Pompéia

Imagem
Pompéia

Imagem
Nápoles - Pizzaria da Michele

Imagem
Nápoles

Imagem
Vesúvio

30° Dia - Civitavecchia (fim do cruzeiro) x Florença (passando de carro por Viterbo, Farnese e Orvietto)
Chegamos em Civitavecchia, nos despedimos de nossos amigos brasileiros que conhecemos no navio e seguimos em nossa parte terrestre da viagem. Pegamos o carro que estava reservado na Hertz e seguimos viagem.
Primeiro passamos por Viterbo e depois por Farnese, cidade natal do avô de minha mãe. Foi a segunda vez que fomos até lá e aproveitamos para fazer um lanche em uma lanchonete que conhecíamos. Passeamos um pouco pela minúscula cidade e seguimos para Orvietto, um local muito bacana. É uma cidade toda cercado por muralhas, porém está situada no alto de uma montanha. Lá visitamos o Poço de San Patrício, rodamos um pouco e pegamos a estrada pra Florença.

Imagem
Farnese

Imagem
Farnese

Imagem
Orvietto

Imagem
Poço de San Patrício

31° Dia - Florença
Berço do renacimento, Florença é a cidade italiana com o maior acervo cultural por metro quadrado. Pra cada lado que olhar você verá uma estátua, uma ponte ou um prédio antigo. São cartões postais por todos os lados! Visitamos a Galeria dei Ufizzi, a Ponte Vecchio, a Prefeitura Antiga, várias igrejas, a feira de artesanato, onde encontramos diversos brasileiros vendendo produtos italianos, e andamos pelas ruas apreciando a paisagem.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

32° Dia - Florença x Siena x Arezzo x San Marino x Florença
Dia um pouco corrido, mas nada de absurdo. Saimos cedo de Florença, passamos primeiro por Siena, onde visitamos a praça onde acontece anualmente uma corrida de cavalos, chamada de Pálio (dois carros da FIAT em uma tacada só rs). A cidade é bacana, repleta de locais históricos. Diria até que muito parecida com a próxima cidade que passamos, Arezzo, onde fomos a um praça central e observamos os prédios históricos.
De lá, seguimos para San Marino, que era nosso objetivo principal naquele dia. Pena que nosso GPS nos pregou uma peça naquele dia. Passamos por cada barranco de assustar, em estradas onde mal passava um carro de cada vez. Na verdade eram estradas praticamente desertas, onde só passavam pessoas a caminho de suas residências rurais. Mas no final deu tudo certo! Chegamos a San Marino e pudemos desfrutar de suas vistas do alto da montanha, sofrendo apenas um pouco com o frio. O local é repleto de lojas de souvernirs e de perfumes. Compramos algumas coisas e depois, já no carro, descobrimos que os perfumes, apesar de virem no tamanho correto, eram em embalagens de mostruário. Os picaretas vendiam mostruário como se fosse embalagem para venda.
Rodamos um pouco pelo minúsculo país e depois retornamos, já a noite, para Florença.

Imagem
Siena

Imagem
Arezzo

Imagem
San Marino

Imagem
San Marino

Imagem
San Marino

33° Dia - Florença x Caminho da FEB-Força Expedicionária Brasileira - Pistóia, Porretta Terme, Monte Castelo, Montese x Florença
Dia reservado para conhecer os locais onde a Força Expedicionária Brasileira combateu em solo italiano. Primeiro seguimos para o Monumento Votivo, onde se encontravam os corpos dos brasileiro mortos em combate, até o translado dos corpos para o Rio de Janeiro. De lá seguimos para Porretta Terme, onde foi o Quartel General das tropas brasileiras. Depois seguimos para Monte Castelo, onde tombaram muitos brasileiros para conquistar o terreno em poder dos alemães. Local bonito e de reflexão. Nesse local existe um monumento composto por duas partes, uma concava e outra convexa justapostas, de forma que, de qualquer posição que o sol esteja, ele projeta uma sombra em formato de cruz, em homenagem aos mortos naquele terreno. Depois seguimos para Montese, onde os brasileiros participaram de um combate urbano para tomar a cidade que estava em poder dos alemães. Almoçamos em Montese e retornamos para Florença, onde ainda conseguimos fazer alguns passeios.

Imagem
Cemitério Brasileiro de Pistóia

Imagem
Cemitério Brasileiro de Pistóia

Imagem
Porretta Terme

Imagem
Monte Castelo

Imagem
Montese

34° Dia - Florença x Verona
35° Dia - Verona
Pegamos a estrada no sentido norte e seguimos para Verona, a "terra" da Giullieta. Sim, essa mesmo, do romance Romeu e Julieta. Tudo bem que é só um romance escrito a mais de 100 anos, mas a cidade incorporou isso como se fosse verdade e tem todo um turismo voltado para esse historinha. Creio que depois do filme "Cartas para Julieta" o turismo nessa cidade tenha crescido. Lógico que essa foi uma sugestão de minha namorada e como ela teve que ir ver o caminho da FEB, nada mais justo que eu ter que ir à Casa de Julieta. rsrs. Brincadeiras a parte, Verona é muito mais do que a terra de Julieta. Lá existe uma arena, mais antiga que o Coliseu, de Roma, que ainda funciona como local de espetáculos!!! Tudo bem que não são mais combates de gladiadores, mas sim festivais de música, mas é impressionante ver uma construção de 2000 anos funcionando até hoje! Além disso, a cidade também parece um cenário de filme antigo. Pra qualquer lado que se olhe, parece que um cartão postal. Destaque para o loft que alugamos em Verona. Gostamos tanto que resolvemos cancelar o hotel de Veneza e fazer apenas uma viagem de um dia a Veneza, que é um lugar absurdo de caro, e ficar mais dois dias em Verona. O mais bacana foi o dono do loft nos instruir como pagar os dois dias adicionais. Simples, basta deixar a chave dentro de casa, deixar o dinheiro sobre a mesa e bater a porta! O cara nem nos viu, pois quem nos entregou a chave foi um funcionário, que só vimos no primeiro dia, nos alugou mais dois dias por telefone, não tinha nada nosso, nenhuma garantia e confiou que pagaríamos o combinado. Só por isso já valeu a nossa estadia prolongada, sem falar na localização e beleza do lugar. O único inconveniente é que o estacionamento era um pouco longe, uns 2 km, pois o local é permitido apenas para carros de moradores cadastrados. Mas pudemos ir até lá para pegar nossas malas, sem problemas. Se voltar a Verona, ficarei lá com certeza! Aí vai o link da propriedade: http://www.homeaway.com/vacation-rental/p3023382. esperoq eu ninguém use essa informação pra tentar tirar alguma vantagem do proprietário. Pois infelizmente essa é uma das características mais vergonhosas de boa porte de nosso povo, tentar tirar vantagem de tudo. Em viagens pelo exterior, mais de uma vez vi brasileiros fazendo vergonha, dando o golpe em metrô ou coisa parecida.

Imagem
Arena de Verona

Imagem
Ponte Pietra

Imagem

Imagem
Casa de Giulietta - Vista da Varanda

36° Dia - Verona x Lugano - Suiça x Verona
Saímos cedo de Verona com destino à Suiça. Como tudo na Europa é muito perto, rodamos apenas 228 quilômetros até o nosso destino. No meio do caminho tivemos que parar pra comprar a vignette, que é um adesivo que funciona como pagamento de uma taxa para trafegar de carro na Suiça. Muito mias prático, pois assim não existem pedágios. Compramos em um posto de gasolina perto da fronteira da Itália com a Suiça. Chegamos cedo em Lugano, andamos um pouco pelo centro e resolvemos fazer um passeio de barco pelo lago. Na verdade não tem nada me muito interessante, pois a vista da viagem é praticamente a mesma durante todo o trajeto. Depois subimos o Monte San Salvatore, de funicular. Isso sim, bem interessante. A subida é dividida em duas etapas, a primeira um pouco inclinada, já a segunda, quase a 90 graus de inclinação. rs Abaixo existe uma foto onde pode ser observado o formato do vagão e dá pra ter uma idéia da inclinação da subida. Chegando lá no alto, andamos um pouco e subimos até o ponto mais alto da montanha, onde eixste uma pequena igreja e uma visão impressionante dos alpes suiços, com seus topos congelados. Depois da nossa descida caiu a maior chuva e esse foi o sinal pra irmos embora pra Verona, pois passear na chuva não dá.
Mas no meio do caminho vi uma placa indicando um lugar chamado Campione d'Itália, um enclave italiano dentro da Suiça. Como eu tinha visto isso no mapa do google e fiquei curioso por nunca ter ouvido falar sobre este enclave, decidi seguir até lá e, como a chuva já havia parado, rodamos por todo o enclave, que é muito pequeno mesmo. Depois li que lá é um paraíso fiscal. Depois que vimos tudo, pegamos a estrada de volta.
Antes de irmos embora paramos em um shopping pra fazer umas compras na Suiça, chocolates e queijos. Esse shopping tinha um supermercado onde encontramos tudo o que queriamos. E ainda fomos ajudados por um brasileiro que encontramos lá no shopping mesmo, que foi muito bacana e seguiu conosco até o mercado pra nos indicar os melhores queijos.
A impressão que tivemos da Suiça é de que é um lugar muito organizado e muito caro também.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
Campione d`Itália - enclave italiano dentro da Suiça

37° Dia - Verona x Veneza x Pádua x Verona
Mais um dia de passeio saindo de nossa base em Verona. Dessa vez pegamos a estrada pra Veneza e na volta passamos em Pádua, pra conhecer a Catedral de Santo Antônio de Pádua.
Chegamos em Mestre por volta de 10:00h e deixamos o carro em um estacionamento. Mestre é logo antes de Veneza e de lá sai o trem em direção a Veneza, em uma viagem de poucos minutos sobre uma ponte que liga Veneza ao continente. Já estava tudo bem cheio. De cara fizemos o passeio de gôndola. Depois fomos para a praça São Marcos, onde tentamos entrar na basílica. Existia um cartaz informando o horário de funcionamento da igreja, até as 17h. A fila estava relativamente grande e quando faltavam umas 10 pessoas pra entrarmos, a porta fechou, por volta de 12h. Me dirigi a um funcionário da igreja e perguntei qual o horário da reabertura, já que ainda estava no horário previso no cartaz. Ele me respondeu na maior tranquilidade. Abre às 8h, amanhã pela manhã. Dá pra imaginar como fiquei extremamente feliz com a resposta. Mas fazer o quê??? Segui para a Ponte dos Suspiros, que não achei nada demais. Depois pegamos um vaporeto pra Murano. Vaporetos são so barcos-ônibus de Veneza. Como lá tudo é no mar, o transporte em geral é feito por barcos. EM Murano visitamos algumas lojas de cristais e ficamos impressionados com o trabalho dos artesãos, que fabricavam peças em segundos, bem na nossa frente. Até eu que não sou nada consumista, nem muito fã de enfeites de casa fiquei com vontade de comprar tudo, imagine a minha mãe e a minha namorada. Se tivessemos comprado tudo o que elas queriam, teriamos que fretar um avião pra trazer as bagagens. rsrs Depois voltamos, comemos algo, fomos até a Ponte Rialto, passeamos pelos becos e canais, tiramos milhares de fotos e voltamos pra Mestre, onde pegamos o carro e seguimos para Pádua e visitamos a Igreja de Santo Antônio. A fachada estava em obras, mas o seu interior é muito bonito e atrai milhares de fiéis. Ela estava lotada. Dali retornamos pra Verona e arrumamos nossas malas para o dia seguinte, onde faríamos o nosso primeiro trecho de avião nessa viagem.

Imagem

Imagem
Ponte dos Suspiros

Imagem

Imagem
Murano

Imagem



38° Dia - Verona x Madrid
39° Dia - Madrid
Pegamos a estrada novamente pra Veneza, pois nosso voo saiu de lá em destino a Madrid. Devolvemos o carro e fomos para o aeroporto. Pegamos o voo sem nenhum contratempo. No início parecia mais um voo panorâmico, pois tivemos toda a vista do complexo de ilhas de Veneza, como pode ser visto em uma foto abaixo. Chegamos em Madrid na hora do almoço. Era o único local onde não tinhamos reserva de hotel. Liguei na hora pro Ibis e fiz a reserva. Me informaram que eu deveria seguir para um ponto do aeroporto e aguardar o microônibus que nos buscaria, sem nenhum custo. EM pouco tempo o micro nos pegou e seguimos para Ibis Madrid Barajas. Depois do check-in, saímos e almoçamos em Barajas mesmo, depois pegamos o metrô em direção a Madrid, que é uma cidade muito bonita. É um lugar que pretendo voltar com toda certeza. Fomos a diversos locais: ao Palácio Real, à Catedral que fica logo ao seu lado, ao Jardim Botânico, ao Mercado San Miguel, ao Parque do Retiro e passseamos pelas ruas. Andamos muito mesmo. E, infelizmente, nossa viagem chegava ao fim. Foi a melhor viagem que já fiz até hoje, que me deixou mais viciado ainda em viajar.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem



40° Dia - Madrid x Rio
Pegamos o voo para o Rio e fizemos uma viagem sem nenhum problema.
Espero que ajude a alguém na montagem de seus roteiros de viagens! Qualquer dúvida é só perguntar que terei o maior prazer em responder!!!

Boas viagens a todos!!!



Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 21 visitantes