43 anos da morte de Jack Kerouac


Jack Kerouac por Tom Palumbo, foto de 1956.

 

Em 21 de outubro de 1969 morria Jack Kerouac, ícone da chamada Geração Beat ou Beatnik, formada por escritores e artistas, os quais constituíram um dos mais significativos movimentos literários do século passado.
Autor do best seller que influenciou várias gerações a caírem na estrada, o livro “On the road”, Kerouac passou 7 anos viajando os EUA na companhia do amigo Neal Cassady.
Foram as jornadas pela Rota 66 que corta o país de leste a oeste e as frequentes descidas ao vizinho México, que renderam o clássico, cujos protagonistas são 2 amigos, Dean Moriarty e Sal Paradise (em alusão ao amigo e ao próprio Kerouac, interpretados no cinema recentemente por Garred Hedlung e Sam Riley, no “Na Estrada” dirigido pelo brasileiro Walter Salles).
Resenhas sobre o On the road aqui.

“Mais mochileiro”

Há quem diga que outro romance de Kerouac é ainda mais ‘mochileiro’. Os Vagabundos iluminados narra o encontro de um jovem escritor com um fascinante estudioso de filosofias espirituais praticante de montanhismo. A vida simples, de contemplação e com pouco dinheiro apresentam ao escritor uma nova perspectiva sobre a vida. Festas, bebedeiras, orgias e viagens fazem parte do livro dos personagens vagabundos que buscam a Iluminação, numa perspectiva zen-budista.
Resenhas sobre o Os Vagabundos Iluminados aqui.

Mais sobre Jack Kerouac aqui e sobre a Geração Beatnik aqui

 

Claudia Severo de Almeida

Jornalista, há 20 anos escreve sobre Turismo Backpacker/Mochileiro e viagens independentes.
Participou do corpo de júri especializado do Prêmio 'O Melhor de Viagem e Turismo' (categoria Hospedagem - Hostel). Cocriadora do site Mochileiros.com.
Claudia Severo de Almeida

Deixe um comentário