Agência de viagens lança fotolivro para auxiliar na folha de pagamento

Apesar de tratarmos de viagens independentes (por conta própria) achamos bacana a iniciativa da agência Meu Mundo Viagens para manter o seu quadro de colaboradores. Assim como muitas empresas de Turismo, a agência vem cobrindo suas despesas apenas com o próprio fluxo de caixa e para ajudar a pagar a folha de funcionários os sócios Juliana Borges e Leandro Ladêa lançaram o fotolivro “Poeta do Olhar”. A agência cuja especialidade são viagens corporativas ainda não teve que demitir nenhum de seus três colaboradores, apesar da queda de 97% no faturamento por conta da pandemia do novo coronavírus.

Neste período “ainda foi preciso cancelar as viagens [já programadas], fazer reembolso e correr atrás de clientes que não conseguiam voltar ao Brasil”, conta Juliana sobre o trabalho a mais. Essa onda de trabalho multiplicado percorreu até abril, mês em que a empresa não havia vendido nenhuma viagem. Nesse momento foi necessário fazer corte de custos para que pudessem passar pelo período mais difícil causado pela crise econômica.

Então, assim que o mês de maio chegava, eles decidiram iniciar um projeto que auxiliasse no fluxo de caixa para cobrir a folha de pagamentos. “Eu não acreditava que depois de 10 anos eu iria ter que fechar a agência”, conta Juliana Borges. Segundo ela, foi nesse momento que a ideia de fazer um fotolivro surgiu.

Poeta do Olhar

Foto: Divulgação.

No começo, os testes foram criar um Instagram para que vissem como a ideia seria recebida. Juliana Borges e Leandro Ladêa compartilharam com amigos e viram que a ideia estava sendo bem aceita. Nesse momento começaram a pensar no segundo passo do projeto, que era idealizar a edição impressa.

Os poemas contidos no livro foram escritos por Juliana Borges. Ela conta que o objetivo é narrar sobre a vida, a fé e o ambiente em que vive o Sertanejo. “Parte da premissa de retratar a beleza da vida rural e as experiências vividas na fazenda.”

As fotos foram captadas pelas lentes dos celulares de Leandro Ladêa e Juliana Borges numa fazenda que fica em Uberlândia (MG), onde Juliana cresceu e viveu antes de se mudar para São Paulo (SP). As imagens mostradas têm o intuito de ilustrar as paisagens do sertão e imergir o leitor sobre um pouco do dia a dia do homem simples do interior.

Então, assim que o projeto foi finalizado, os sócios encontraram uma gráfica que topou fazer a impressão dos 600 exemplares do livro. Até o momento já foram vendidos 450 exemplares da obra e a arrecadação será destinada para auxiliar no fluxo de caixa na cobertura integral da folha de pagamentos durante os próximos três meses.

Você pode adquirir o fotolivro no https://poetadoolhar.com.br/produto/livro-poeta-do-olhar/

Deixe um comentário