Airbnb e Coronavírus: o que você precisa saber antes de reservar


O aluguel de casas na plataforma Airbnb tem sido alternativa para quem quer tirar uns dias de descanso com, além de uma paisagem diferente, uma estrutura diferente – não é todo mundo que tem uma piscina, um fogão a lenha ou até mesmo um espaço para tomar um sol em casa não é? Que o diga quem mora nos apartamentos dos centros de grandes cidades. Qualquer verde é um fundamental recarregar de baterias.
Muitas cidades reabertas para o Turismo estão com sua capacidade hoteleira reduzida e muita gente prefere o aluguel de um espaço inteiro (como uma casa ou chalé) para não correr o risco de esbarrar com turmas que não sejam a de seu convívio e pior, com alguma que esteja desrespeitando o momento e promovendo aglomerações.

Neste post “Airbnb e Coronavírus: o que você precisa saber antes de reservar” pretendemos ajudar você a esclarecer algumas dúvidas, sobretudo relacionadas a cancelamento e reembolso.

Cancelamento e reembolso

É compreensível que você mesmo com uma imensa vontade de viajar, se sinta inseguro para fazer uma reserva em qualquer hospedagem. A situação com a Covid-19 é incerta e muda conforme a evolução dos casos, por isso é muitíssimo importante analisar cuidadosamente a política de cancelamento disponível nos anúncios publicados no Airbnb.
A “Política de Causas de Força Maior” da plataforma, que abrange o assunto cancelamento e reembolso foi atualizada recentemente e segue cobrindo “desastres naturais e eventos similares que estejam fora do controle ou das expectativas de qualquer pessoa”.
Se o hóspede sofrer uma interrupção típica de viagem, como o atraso de um voo, ele poderá ter direito a um reembolso de acordo com a política de cancelamento disponível em cada anúncio, por isso a importância de analisar cuidadosamente o anúncio da propriedade na qual você pretende ficar.

politicadecancelamento01

Neste exemplo, simulei uma reserva com check-in em 12/02/2021 e check-out em 16/02/2021. O anúncio informa que se eu fizer o cancelamento até às 8h da manhã de 11/02/2021 não pagarei nada por isso.
Caso eu cancele até às 8h da manhã do dia 12/02/2021, no dia em que eu entraria na hospedagem serei reembolsado, porém pagarei a primeira noite e a taxa de serviço cobrada pelo anfitrião | Foto: Reprodução.

 

Parece informação obvia, mas a plataforma deixa claro que cancelamentos por “circunstâncias pessoais inesperadas e condições meteorológicas previsíveis, sazonais e naturais” não têm reembolso, diferentemente dos “casos de desastres naturais, como erupções vulcânicas, tsunamis ou outros eventos imprevisíveis de grande escala, os hóspedes poderão cancelar e receber o reembolso.”
Mais uma vez, é importante analisar atentamente os anúncios quanto a todos os quesitos, do que é oferecido pela hospedagem, passando pelas regras impostas e também sua política de cancelamento. Cada anfitrião (propriedade) opta por um tipo de cancelamento, do “Flexível” (que não gera cobrança ao hóspede se ele fizer o cancelamento até 24h antes do check-in) até ao “Super Rigoroso de 60 Dias” (nela “os hóspedes podem cancelar pelo menos 60 dias antes do check-in e receber um reembolso de 50% do preço por noite e da taxa de limpeza, mas não da taxa de serviço”).

tiposdecancelamento

Cada anfitrião elege o cancelamento que melhor se adequa a sua realidade. Fique atento ao tipo de cancelamento antes de reservar. Aqui é possível conhecer os tipos de cancelamentos existentes na plataforma | Foto: Reprodução.

 

As situações que podem ocorrer após a reserva, imprevistas no momento da reserva e que podem impedir ou proibir legalmente a conclusão da reserva são:

Alterações nos requisitos de viagem do governo. Mudanças inesperadas nos requisitos de visto ou passaporte impostos por um órgão governamental que impedem a viagem para o destino. Isso não inclui documentos de viagem perdidos ou expirados ou outras situações pessoais relacionadas à autorização de viagem de um hóspede.

Emergências e epidemias declaradas. Emergências locais ou nacionais, epidemias, pandemias e emergências de saúde pública declaradas pelo governo. Isso não inclui doenças endêmicas ou comumente já associadas a uma região, como malária na Tailândia ou dengue no Havaí.

Restrições de viagem do governo. Restrições de viagem impostas por um órgão governamental que impedem ou proíbem viajar para, ficar ou retornar do local da Acomodação. Isso não inclui alertas de viagem não vinculativos e orientações governamentais semelhantes.

Ações militares e outras hostilidades. Atos de guerra, hostilidades, invasões, guerra civil, terrorismo, explosões, bombardeios, rebeliões, revoltas, desordem civil e agitação civil.

Desastres naturais. Desastres naturais, casos fortuitos, interrupções em larga escala de utilidades essenciais, erupções vulcânicas, tsunamis e outros eventos climáticos graves e anormais. Não estão incluídas condições climáticas ou naturais comuns o suficiente para serem previsíveis nesse local, como furacões que ocorrem durante a temporada de furacões na Flórida.

Os pontos acima são situações cobertas pela “Política de Causas de Força Maior” do Airbnb. Todas as demais situações não estão cobertas. Mais detalhes podem ser conferidos aqui.

Vale ressaltar que essas regras se aplicam às propriedades anunciadas na plataforma, exceto as definidas como “Airbnb Luxe”, que têm “Política de Reembolso” própria que pode ser conferida aqui.

E as condições do Airbnb e coronavírus especificamente?

Segundo a plataforma não há reembolso de uma reserva devido a Covid-19 a menos que o hóspede esteja com a doença.
Para ter uma maior tranquilidade, o Airbnb recomenda que você busque por uma propriedade cuja política de cancelamento seja “Flexível”. Há um filtro de busca para que estes anúncios sejam encontrados. (Como mostra a figura abaixo).

Se acredita que possa ter que cancelar sua reserva, habilite a opção de cancelamento “Flexível” para encontrar propriedades que oferecem essa condição | Foto: Reprodução.

E se o cancelamento partiu do anfitrião?

Sim, isso pode acontecer e claro, ser bastante frustrante – mas pense, um anfitrião pode assim como você, ser afetado pela covid-19 de alguma forma.
Segundo o Airbnb, se o seu anfitrião cancelar sua reserva você pode ser elegível para um reembolso integral. Para mais informações acesse a seção ‘Viagens no site ou aplicativo do Airbnb.

Mantenha-se informado sobre os alertas emitidos pelas autoridades sanitárias

A plataforma tem uma seção em sua Central de Ajuda que leva a outras páginas com informações sobre ‘restrições e alertas de viagem’ emitidas pelos governos em várias partes do mundo. Você pode consultá-la aqui.
É altamente recomendável acompanhar o noticiário local. Escreva o nome da cidade para a qual você quer ir no Google e clique em ‘notícias’ e ou acesse o site e redes sociais dos órgãos oficiais do município.
Há destinos no Brasil mesmo exigindo teste negativo para covid-19. Neste caso não adianta você ter o comprovante de reserva no Airbnb ou a de um hotel e não ter o resultado do exame em mãos ao ser abordado numa barreira sanitária por exemplo.

#ficaemcasa

Sim, mas neste caso em uma que não é a sua… e sim, apesar da folga, os cuidados devem ser mantidos.
O “ambiente casa” pode trazer mais segurança enquanto se está viajando, porém você tem que ter em mente que infelizmente a pandemia não acabou. Não relaxe nos cuidados e siga os protocolos sanitários. Ainda que você entre no seu carro e vá para este local que está reservando, no caminho poderá por algum motivo parar numa loja de conveniência de um posto de gasolina, por exemplo. Lembre-se: a máscara é para cobrir boca e nariz! Higienize suas mãos. Se conseguir ir sem paradas, melhor ainda!

Aqui você pode conferir as recomendações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) sobre como se proteger ao utilizar o transporte (público, táxis, veículos pessoais etc).

Muita gente opta por levar os mantimentos para estadia já de casa, comprados no mercado onde costuma frequentar. Se for comprar no comércio da cidade onde reservou, algo interessante até para ajudar na economia local, siga com os mesmos cuidados: distanciamento, máscara cobrindo nariz e boca e higienização das mãos.
Independente de onde estiver esses cuidados devem ser mantidos. Ah e claro, não faça aglomeração!

Hóspedes e anfitriões que precisem interagir pessoalmente devem usar máscara e manter 2 metros de distância entre si o tempo todo, comenta a plataforma sobre “os hóspedes precisam seguir as práticas de segurança contra a covid-19?” neste artigo. A plataforma diz ainda que “investigará denúncias de violações específicas desta orientação e poderá tomar medidas para proteger a saúde e a segurança da comunidade, incluindo a remoção de uma conta do Airbnb.” (de hóspede e ou anfitrião).

Quando NÃO reservar?

(No Airbnb ou em qualquer outra opção de reserva de hospedagem disponível).

O Airbnb ressalta que um hóspede não deve reservar/fazer check-in em qualquer acomodação se:

  • Estiver infectado ou testou positivo para covid-19 nos últimos 30 dias;
  • Suspeita que está doente ou foi exposto e está aguardando resultados dos testes diagnósticos de covid-19;
  • Apresenta sintomas ou está preocupado com uma possível infecção de coronavírus;
  • Teve contato próximo com um indivíduo com confirmação ou suspeita de infecção com covid-19 nos últimos 14 dias (profissionais da Linha de frente de combate ao coronavírus têm condições específicas para estadia na plataforma. Se é o seu caso confira aqui ).

– Se você tem dúvidas sobre o que é e como funciona o Airbnb clique aqui e confira este artigo que explica tudinho!

A foto (da home e) que traz até este post é de Anna Shvets/Pexels.


Tags:

Comunidade de ajuda mútua entre viajantes independentes e mochileiros. No ar desde 1999, tem dicas e informações e mais de 10.000 relatos de viagens publicados. Ganhador do Prêmio 'Influenciadores Digitais' por dois anos consecutivos. Aqui no blog traz histórias inspiradoras e notícias relacionadas ao universo viajante.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

      Deixe uma Comentário

      Mochileiros.com
      Logo