Bolívia proíbe reuniões com mais de 100 pessoas e entrada de viajantes da Europa


O governo boliviano anunciou a proibição de reuniões com mais de 100 pessoas no país. A medida que começa a valer hoje (16) visa prevenir e conter a propagação do COVID-19.
A proibição envolve fechamento de bares, ginásios, cinemas, discotecas, eventos esportivos de massa, parques de diversão e atividades noturnas em salões de eventos, informa a Agência Boliviana de Información (ABI).
Outra medida para tentar conter o avanço do coronavírus na Bolívia é a proibição da entrada de viajantes provenientes da Europa, de países do Espaço Schengen, Reino Unido, Irlanda e Irã. Cidadãos bolivianos que estejam nestes locais e que desejem voltar ao país poderão fazê-lo desde que cumpram os protocolos exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
Ainda de acordo com a agência, a presidente da Bolívia, Jeanine Áñez fará uma reunião extraordinária amanhã (17) para discutir a aplicação das medidas e analisar a possibilidade de novas iniciativas.

O governo também decidiu eliminar a tarifa de importação de medicamentos e detectores de febre ou sobre doações relacionadas à luta contra o COVID-19.

No momento o governo pede à população, sair o menos possível de suas casas; às Forças Armadas e à Polícia Nacional que estejam alertas para a ajudar na batalha contra o vírus; aos meios de comunicação que informem sobre como prevenir o contágio e não criar pânico e aos empresários que trabalhem juntos para evitar um impacto econômico nas famílias bolivianas.
Dias atrás, informa a ABI, o governo boliviano já havia proibido a concentração massiva de mais de 1000 pessoas e pedido a suspensão das aulas em todo o país.

Área do Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo, um dos lugares mais visitados da Bolívia | Foto: Jerzy Andrzej Kucia/Pixabay.

 


Deixe um comentário