Brasil ganha mais uma trilha de longa distância


O Parque Nacional de Ilha Grande, no Paraná agora faz parte da ‘Rota dos Pioneiros', que integra a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso, a “Rede Trilhas”.
No final de semana passsado o “Viva Ilha Grande – Viva essa experiência”, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Consórcio Intermunicipal para Conservação do Remanescente do Rio Paraná e Áreas de Influência (Coripa) entregaram à comunidade do município de Altônia, em parceria com a Prefeitura, a Trilha da Lagoa Xambrê, com mais de 2,5 km ao longo da maior lagoa do estado do Paraná, ligando à Rota dos Pioneiros. Os próximos trechos a serem abertos e sinalizados na Rota dos Pioneiros serão a Trilha da Ilha Grande e a Trilha Aquática do Rio Paraná.

De acordo o ICMBio, responsável pela gestão do Parque, a maior parte dos visitantes de unidades de conservação (UC) utiliza as trilhas como principal meio de recreação, seja para alcançar uma lagoa ou um mirante ou como um atrativo em si, quando o próprio passeio na trilha é o principal objetivo da visita. A “Rede Trilhas” será composta por trilhas que ligam diferentes biomas de Norte a Sul do País, conectando paisagens e ecossistemas brasileiros para promover a organização, estruturação e ampla visibilidade à oferta turística de natureza no Brasil, sendo que cada uma pode ser percorrida em espaços de tempo variados, encaixando-se em diferentes períodos como férias, feriados e finais de semana.

A trilha, segundo o chefe do Núcleo de Gestão Integrada ICMBio Rio Paraná, Erick Xavier, também faz parte da APA das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná e representa o primeiro passo para um longo trabalho que integrará as duas unidades de conservação federais num percurso por terra e água que poderá ir além de seus limites ultrapassando 300 km. A Rota dos Pioneiros integrará e conectará as trilhas da região do Parque e da APA, novos trechos serão abertos enquanto outros serão conectados. O ICMBio convidou também as UC estaduais Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema no Mato Grosso do Sul, Morro do Diabo em São Paulo e Estação Ecológica do Caiuá no Paraná, para inserirem suas trilhas nesta rota.

Um dos objetivos da Rota dos Pioneiros e da Trilha da Lagoa Xambrê é promover a educação ambiental e desenvolver o turismo regional, por meio do ecoturismo e do turismo rural. Segundo Xavier, o envolvimento dos donos das propriedades particulares por onde a trilha passa, das comunidades rurais e dos grupos de esportistas, como os praticantes do ciclismo por exemplo, é fundamental para o sucesso das trilhas de longo curso.

O sistema de trilhas brasileiro de ‘Longa Distância' ou de ‘Longo Curso' utiliza a sinalização de uma pegada como identidade visual. A ‘Rota dos Pioneiros' mescla um bote à pegada | Foto: Acervo/ICMBio.

Cada Trilha de Longo Curso utiliza em sua sinalização uma pegada como sua identidade visual, remetendo ao tema de sua região. A Rota dos Pioneiros adotou uma pegada com um bote/caiaque em seu interior atravessado por um remo na transversal. A escolha da marca e do nome remete à região do Corredor de Biodiversidade do Rio Paraná e de seus afluentes (Ivinhema, Piquirí e Paranapanema por exemplo) que foram palco de batalhas, rota de acesso (e de fuga) pelo interior do continente, para indígenas, espanhóis e portugueses, fossem eles jesuítas ou bandeirantes, um processo de ocupação de grande importância por motivo histórico e cultural que poderá ser revivido pelos visitantes. A escolha se deu também em vista das oportunidades que as unidades de conservação oferecem de travessias tanto por trilhas terrestres como por trilhas aquáticas.

Com informações do ICMBio.


Deixe um comentário