Caminho percorrido por Hiram Bingham até Machu Picchu se transformará em rota turística


O caminho de subida a Machu Picchu percorrido pelo explorador americano Hiram Bingham em 1911 se tornará uma nova rota turística.

Hiram Bingham e um antigo mapa que mostra o cerro Machu Picchu – Foto:AFP

Segundo informações da Agência Andina, o chefe do Parque Arqueológico de Machu Picchu, Jose Bonita Abuhadba, anunciou que “foram encontrados artefatos líticos em um sitio arqueológico onde havia uma ponte de troncos construída por Melchor Arteaga”.

Melchor Arteaga é o camponês que relatou ao explorador americano a existência de ruínas no alto de cerro Machu Picchu.  Embora cético, conhecedor dos muitos mitos que existiam sobre as cidades perdidas, Bingham insistiu em ser guiado ao lugar. Chegando ao cume, um dos meninos das duas famílias de pastores que residiam no local o conduziu às edificações de pedra cobertas por vegetação espessa que ali estavam abandonadas por séculos.  Enquanto inspecionava as ruínas, Bingham, assombrado, anotou em seu diário:

“Would anyone believe what I have found?” (Será que alguém vai acreditar no que eu encontrei aqui?).

De acordo com o projeto, no inicio do caminho haverá um infográfico com fotos que detalhariam a cena daquele dia em julho de 1911 “muito mais visitantes vão querer seguir esse caminho”, disse o chefe do Parque que acrescentou que a nova atração pode se tornar um “caminho de interpretação”, que permita aos viajantes experimentarem como foi a descoberta que Hiram Bingham fez em 24 de julho de 1911.

Atualmente, apenas uma porcentagem mínima dos mais de 4.000 turistas diários acessam Machu Picchu através da rota de pedestres, que leva cerca de 45 minutos a uma hora.


Deixe um comentário