Casal e cachorrinha vivem quase 3 anos em Kombi pela América do Sul


A brasileira Carolina Bello, o espanhol Salvador Costas e a cachorrinha deles, a Carica (ela é carioca) estão completando 2 anos e 9 meses a bordo da Margarita, uma Kombi-home que eles montaram durante 3 meses, de sol a sol para iniciarem a jornada. Foram mais de 47.000 quilômetros percorridos, 10 países da América do Sul (e algumas horas no Panamá, já na América Central) e muitas histórias pra contar.
Abaixo eles dividem com a gente um pouco da Expedição Margarita, que está voltando ao Brasil.

“Quando nos passou pela cabeça viajar pela América com a nossa casa rodante, não sabíamos a magnitude do nosso sonho. Sonhar é grátis, mas porque não colocar em prática? Porque acreditamos que nossos sonhos não podem virar realidade?
Em 2014 enquanto viajávamos de mochila pelo sudeste asiático, recebemos uma oferta tentadora para voltar ao Brasil, mais especificamente, ao Rio de Janeiro. Enquanto cruzávamos o Atlântico a muitos metros de altura, já estávamos pensando em qual seria nossa próxima grande viagem, mas não queríamos que fossem poucos meses, desta vez seria por mais tempo, e levaríamos nossa casa conosco.

Margarita, Carica, Carolina e Salvador | Foto: Expedição Margarita.

Somos Carolina, Salvador e nossa cachorra Carica, e estamos percorrendo a América do Sul juntos desde dezembro de 2016, com a nossa Kombi Margarita, furgão VW T2 brasileira, modelo 2012.
Durante os 2 anos que moramos no Rio de Janeiro, começamos a construir nosso novo estilo de vida. Adoramos viajar, mas queríamos viajar de uma maneira diferente. Nossa ideia era que o tempo NÃO fosse nosso inimigo, não ter que planificar até o mínimo detalhe da nossa viagem para não “perder tempo” ou estar limitados a não chegar a certos lugares por nossa conta.
Assim que, compramos uma kombi, foi amor a primeira vista. Ela tinha poucos kms rodados, estava super bem cuidada, era amarela, trabalhava para os Correios. Sabíamos que essa seria nossa futura casa! Ela merecia muito mais do que ficar estacionada no bairro Cascadura, no Rio de Janeiro, e logo ganhou o nome de Margarita, espírito livre.

Foto: Expedição Margarita.

Era o momento e estávamos prontos para cumprir nosso sonho. Deixamos nossos trabalhos, vendemos tudo o que não era necessário da nossa casa que alugamos no bairro Laranjeiras e mudamos para Ribeirão Preto – SP, cidade onde mora a família da Carol e a nova central de operações da Expedição Margarita. Trabalhamos de sol a sol durante 3 meses para transformar a Margarita na nossa casa.

Interior da Kombi-home Margarita | Foto: Expedição Margarita.

Como todos os projetos, as vezes existem detalhes que não saem como o esperado, mas, mesmo com o atraso maior do que o esperado, em Dezembro de 2016 saímos oficialmente com um propósito, conhecer a América do Sul do nosso jeito.
A verdade é que não acreditávamos que ficaríamos tanto tempo na estrada. Ao princípio, pensávamos que em um ano, daríamos a volta na América do Sul, mas aos 7 meses de viagem, ainda estávamos na Argentina, descobrimos que o ritmo seria diferente.

Foram 47.000Km rodados pela América do Sul | Foto: Expedição Margarita.
Expedição Margarita e outros viajantes dos muitos que cruzaram pelo caminho | Foto: Expedição Margarita.

Nos esforçamos para a sustentar nossa Expedição sem usar nossas economias, a fotografia, que era um hobby até esse momento, é uma boa fonte da renda. Aprendemos novas habilidades, impensáveis meses atrás, como costura, macramé, edição de vídeo, venda das nossas fotos como postais, fizemos alguns investimentos e pouco a pouco percebemos que sim, é possível viver viajando.
E ainda temos a companhia da nossa fiel companheira Carica. Carica vem de carioca, é uma cachorrinha de 4 anos que resgatamos de Niterói. Carica chegou a nossa família ao mesmo tempo que a Margarita, e isso foi perfeito para que ela se adaptasse a viajar em kombi. Carica já subiu aos picos nevados dos Andes, correu por desertos, nadou em praias caribenhas, atravessou densas florestas, perseguiu guanacos pela Patagônia Argentina, se banhou nos frios lagos glaciares e colocou suas patinhas no deserto de sal. Mas já está com saudades do Brasil.
Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Panamá (por algumas horas) e atualmente Colômbia, são todos os países que visitamos durante todo esse tempo. Já dirigimos pela América do Sul de ponta a ponta, dos estepes de Tierra del Fuego, na Argentina aos desertos da La Guajira, ao norte da Colômbia. Agora estamos prontos para voltar ao Brasil e viajar por todos os lugares que desconhecemos do nosso lindo país, já que Brasil, como todo mundo diz, é como um continente. Nosso plano inicial era conhecer o Brasil, mas nos empolgamos e acabamos na Patagônia.
Nosso retorno ao Brasil será emocionante. Agora na Colômbia, viajaremos por estrada até o sul do país, onde começa a selva Amazônica. Embarcaremos todos (Margarita também) em uma balsa que navegará pelo rio Putumayo e Amazonas durante 12 dias e quase 2000 kms até a fronteira entre Colômbia e Brasil, a cidade de Letícia.
Quando chegarmos em Letícia, cruzaremos a fronteira para a cidade brasileira Tabatinga e daí teremos que embarcar outra vez até Manaus.
Na capital do Amazonas, depois de conhecer todas as belezas dessa incrível região, embarcaremos em um novo ferry até Belém do Pará, na costa Atlântica do Brasil.

Família está voltando ao Brasil, certamente para uma nova aventura! | Foto: Expedição Margarita.

Parece tudo muito rápido, mas serão um total de 3 semanas navegando e 9.000 km viajando pelo coração da floresta, sempre com correnteza a favor. Mas para isso, temos que nos preparar primeiro. A primeira missão será convencer ao capitão, em Puerto Asis, Colômbia, que nos leve até a fronteira sem gastar todo nosso dinheiro. No Brasil, lançamos uma campanha de financiamento faz uns dias. Estamos vendendo um adesivo edição especial “Missão Amazonas” pela internet, e a campanha está indo muito bem!
Essa travessia pelo Amazonas não ficará somente nas nossas lembranças, nosso propósito é criar uma exposição fotográfica assim que chegarmos ao Brasil, com todas as experiências, vivencias e rostos dessa aventura. Também prepararemos um e-book, com fotos e pequenos relatos. Queremos que nossos seguidores conheçam a floresta Amazonas através dos nossos olhos.
O que vai acontecer quando chegarmos a Brasil, já é outra história, que contaremos quando chegue o momento, mas, estamos certos de que seguiremos com a mentalidade de conhecer-lo de uma forma diferente, a nossa maneira.”

Você pode colaborar com o projeto comprando um adesivo na loja online da Expedição Margarita (aqui) pode saber mais sobre essa história, a viagem e novos projetos no site, Facebook ,Instagram e no canal deles no Youtube.


5 comentários em “Casal e cachorrinha vivem quase 3 anos em Kombi pela América do Sul”

  1. As pessoas não querem ser mais escravas do sistema,trabalhando para um patrão ganancioso,que pensa só em si…tenho 60 anos e sempre combati o mesmo,viajo de gol(motorgol)dormindo(eu e a patroa)dentro dele,tomando banho em postos de gasolina e fazemos nossa comida…chega de enriquecermos de dinheiro os outros…vamos nós enriquecermos de liberdade e aventura,as montanhas e os campos nos aguardam…sejamos felizes.

    Responder
  2. Muito legal o projeto deles, mas não há nenhuma novidade…! Hoje temos o casal do VMA que ja esta a 3 anos na estrada, fizeram todo o Brasil primeiro, depois do Ushuaia, ja cruzaram todo resto da America do sul, ja estão no Panamá, vão até o Alasca, e não param por aí, seguem em uma volta ao mundo…Africa, Europa, Ásia…e tudo de kombi.
    Temos tb o casal Nossa kombi é uma Viagem, que tb estão a 3 anos estrada afora, eles e o cachorrinho Zed, e além de cruzarem ja toda America do sul e central, ja estão nos Estados Unidos, rumo ao Alasca, e eles saíram desde o inicio de casa sem qualquer dinheiro guardado, sempre vivendo do trabalho na estrada….Tem tb o menino shurastey e o cachorro, um Golden, que tb ja fizeram toda America do sul, incluindo grande parte do Brasil, e ja está la pelos lados do Panamá, rumo ao Alasca, e tudo isso, de fusca, e grana, saiu de casa não tinha nem 1500 reais na conta…E ainda lá no Brasil, tem os meninos da Expedição Kombita, que saíram lá do extremo sul do Brasil, do final da BR 116, e estão fazendo primeiro todo o Brasil e depois seguem o mesmo destino do casal do VMA, uma volta ao mundo por TODOS os continentes, e também de kombi…parece que são o único casal homoafetivo dessa galera numa volta ao mundo de kombi inclusive…enfim…tem uma galeeeeeeeeeeeera estrada afora

    Responder
    • Nenhuma viagem é igual a outra, então é sempre novidade sim. Os nomes dos países que passaram são apenas referências do tamanho e importância desse rolê, mas o que eles viveram, só eles viveram e tem sido muito massa acompanha-los!

      Responder
      • Concordo com você Denis! Os momentos de cada um são únicos por isso devemos vivê-los intensamente!
        Carol e Salvador. Continuem em busca dos seus sonhos o tempo passa rápido.
        Carol sei que também você aprendeu a costurar parabéns!
        Cuidem bem da carica. Bjs.

        Responder
    • São “contemporâneos” Jorge 🙂
      Sem falar naqueles que faziam viagens do tipo sem o “palco” que são as redes sociais.
      Sobre o Jesse e o Shurastey, nós fomos os primeiros a falar sobre eles. O Jesse inclusive participa do nosso grupo no Facebook 🙂
      Abraço.

      Responder

Deixe um comentário