Chapada Diamantina (BA) poderá ter novo roteiro de TBC


Entre os dias 17 e 19 de outubro, profissionais do turismo da Chapada Diamantina (BA) fizeram um roteiro experimental, parte do projeto “Integrando iniciativas de Turismo de Base Comunitária (TBC) com o Parque Nacional da Chapada Diamantina e o Parque Natural Municipal de Andaraí – Rota das Cachoeiras” visando a criação de novos produtos turísticos na região.
O projeto, executado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), tem foco na integração dos ricos patrimônios cultural e natural locais. Nesta etapa os profissionais vivenciaram a diversidade e o potencial turístico no entorno dos assentamentos rurais de Itaetê, no sul do Parque Nacional. O intuito foi apresentar as principais possibilidades de passeios existentes na região e colher a opinião dos profissionais convidados sobre os atrativos e os serviços turísticos oferecidos. “A partir das contribuições levantadas, iremos aperfeiçoar a proposta e apoiar a formatação de roteiros viáveis comercialmente”, explica Marcela de Marins, analista ambiental do ICMBio.
Para você que quer ir além das viagens tradicionais pela Chapada esta poderá vir a ser uma nova opção ao lado por exemplo, de práticas já em atividade como a visitação à Comunidade Grota Quilombola, também na região sul do Parque Nacional.

Atrativos visitados

O roteiro buscou contemplar um pouco de toda multiplicidade de atrativos da região, incluindo atrativos de Itaetê, Andaraí e Nova Redenção localizados em áreas naturais particulares, assentamentos rurais, Parque Nacional e Municipal. Foram visitados desde atrativos famosos, como o Poço Azul e Encantado, até locais pouco visitados, como a Gruta Lapa do Bode e a Cachoeira Bom Jardim, esta última localizada no limite entres as unidades de conservação abrangidas no projeto. Essas visitas foram mescladas com refeições e hospedagens na casa de moradores, visita a casa de farinha, fábrica artesanal de rapadura, hortas agroecológicas e apresentações culturais de reisado e capoeira na casa de cultura Rosa Preta, localizada na sede de Itaetê.

Foto: Laís Correard/Divulgação ICMBio.
Foto: Laís Correard/Divulgação ICMBio.

Além do modo de vida tradicional do campo, as comunidades rurais do projeto, Rosely Nunes, Europa e Baixão, possuem o diferencial de serem assentamentos de reforma agrária do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), agregando à experiência conhecimento sobre organização social e democratização da terra.
“Conhecer esses assentamentos simplesmente mudou a minha vida. Vi pessoas felizes, unidas, dinâmicas e organizadas, convivendo em harmonia com a natureza e produzindo alimento para toda região”, declarou Tulio Saraiva, fotógrafo e membro do trade turístico de Lençóis.
Esse sentimento foi compartilhado pelo grupo e está entre os objetivos do Turismo de Base Comunitária, que é estabelecer conexões verdadeiras entre as pessoas e, assim, dirimir estereótipos, contribuindo para a construção de uma sociedade mais harmônica.

Com informações do ICMBio.
A foto (da home e) que abre este post é de um dos muitos ícones naturais da Chapada Diamantina, o Morro do Camelo. Foto de Gleidson Santos/MTur.


Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…