Deixar de viajar não evitará propagação do Coronavírus, diz WTTC


Fechar fronteiras, proibir viagens e políticas governamentais extremas não impedirão a propagação do coronavírus. A afirmação é do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (World Travel & Tourism Council – WTTC) entidade global representante do setor privado de Viagens e Turismo.
A presidente e CEO do WTTC, Gloria Guevara pede às autoridades de todo o mundo para que não tomem medidas desproporcionais numa tentativa de controlar o Covid-19. Guevara foi Ministra do Turismo no México e na ocasião teve que lidar com o vírus Influenza H1N1 no país. Tomar ações extremas não se mostraram eficazes, comenta sobre experiências passadas. “Instamos os governos a explorar medidas baseadas em fatos que não afetam a grande maioria das pessoas e empresas para as quais a viagem é essencial.”, reforça.
Em texto dirigido à imprensa e publicado no último dia 25, uma análise do WTTC mostra que 33 países, apenas 16% do número total em todo o mundo, relataram casos de Covid-19. A grande maioria dos pacientes afetados pelo vírus também se recuperou totalmente. O Covid-19 tem uma taxa de mortalidade mais baixa que os surtos virais anteriores, como o SARS em 2003 e o MERS em 2012.

aeroporto pessoaolha erik odiin unsplash
Foto: Erik Odiin/Unsplash.

Milhões de pessoas continuam viajando diariamente pelo mundo, seja em vôos, cruzeiros, viagens de trem ou dirigindo. A cada mês, com base nos números de 2018, uma média estimada de 2,3 milhões de pessoas faz um cruzeiro com pouquíssimos incidentes.
Guevara entende e compartilha da enorme preocupação com o Coronavírus mas diz que não é hora de entrar em pânico.”É importante lembrar que as taxas de mortalidade permanecem muito baixas e as chances de contrair o vírus, para a grande maioria das pessoas, são muito remotas se elas viajam com responsabilidade e observam medidas simples de higiene. ”

Leia também: Ações básicas podem evitar contágio e propagação do novo coronavírus.


Deixe um comentário