Entrada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros será cobrada


A partir do segundo semestre deste ano, a entrada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que atualmente é gratuita, será cobrada.
De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) os ingressos custarão entre R$ 3 e R$ 33. O menor valor (R$ 3) será pago por moradores da região do parque; turistas brasileiros pagarão R$ 17, do Mercosul R$ 25 e dos demais países, R$ 33.
Em dezembro passado o ministério do Meio Ambiente, ICMBio e as empresas Parquetur Participações S.A e Socicam Terminais Rodoviários e Representações assinaram um contrato de prestação de serviços de apoio à visitação ao parque. O consórcio terá por 20 anos os serviços de controle de acesso ao Parque, recepção de visitantes, venda de ingressos, alimentação, loja de conveniência, espaço de campismo das Sete Quedas e transporte interno no Parque da Chapada dos Veadeiros, uma das unidades de conservação mais visitadas do país.
Segundo o ICMBio, houve a apresentação de proposta de investimentos de R$ 14 milhões no parque. Haverá melhoria da infraestrutura de apoio aos visitantes, incluindo a operação do transporte interno até os saltos e a concessionária terá que implementar e manter exposição permanente no Centro de Visitantes sobre as riquezas naturais do parque e garantir a adequação das vias de acesso internas, das trilhas e da sinalização.
Em 2018, este foi o segundo parque a assinar contrato com o ICMBio de concessão de serviços para apoio à visitação. O primeiro foi o Parque Nacional do Pau Brasil, em outubro. O Parque Nacional do Itatiaia, que também está em processo de licitação, teve abertura de propostas no dia 19 de dezembro. O próximo edital a ser publicado, em 2019, será o do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Cachoeira do Salto | Foto: Augusto Miranda/Mtur.
Cachoeira do Salto | Foto: Augusto Miranda/Mtur.
Vale da lua, outro famoso atrativo natural da região do parque. O acesso ao vale por exemplo, já era cobrado | Foto: Augusto Miranda/Mtur.
Vale da lua, outro famoso atrativo natural da região do parque. O acesso ao vale por exemplo, já era cobrado | Foto: Augusto Miranda/Mtur.

Privatização?

O ICMBio ressalta que “concessão não é privatização” e explica que “com as delegações de serviço, as empresas ganham o direito de operar serviços de apoio a visitação por um determinado período de tempo e, em contrapartida, assumem compromisso de fazer investimentos nas unidades. Os serviços de gestão, conservação, proteção e pesquisa continuam sob o controle administrativo e territorial do governo, assim como o monitoramento do serviço concessionado. O objetivo é melhorar a qualidade dos serviços prestados aos visitantes das unidades de conservação, já que o ICMBio não tem como finalidade prestar serviços como hospedagem e alimentação.”

Com informações do ICMBio.


Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…