Faça uma conta bancária internacional e fuja dos altos câmbios


Se há algo que todos os viajantes brasileiros têm em comum é o ódio aos preços altos das casas de câmbio e às taxas altas que os bancos cobram para saques internacionais. E, pior, nos últimos anos o governo elevou para 6,38% o IOF para saque no cartão de débito e no VTM, praticamente acabando com as opções dos viajantes (antes disso já havia elevado o IOF para compras no cartão de crédito, atrapalhando a vida também de quem usava essa opção). Assim, para os viajantes que não queriam perder quase 10% do seu dinheiro com taxas e impostos, a única opção viável era levar todo o dinheiro em espécie.

Porém, há problemas óbvios com isso. Uma delas já foi citada anteriormente: as casas de câmbio não são baratas (no Brasil, os preços nas casas de câmbio variam de 6 a 8% acima do valor comercial). E o pior, muitas moedas não são encontradas nas casas de câmbio brasileiras (e quando são, os preços são exorbitantes), forçando as pessoas que vão a países mais “exóticos” a terem que trocar duas vezes suas moedas (levando prejuízo com as casas de câmbio duas vezes então). Quem compra com cartão em países com moeda diferente do dólar também sofre do mesmo problema, já que paga conversão da moeda para dólar na hora da compra e de dólar para real na fatura. Fora isso, há o risco de se levar o dinheiro de toda sua viagem junto.

Tentando fugir disso, há alguns anos vários brasileiros se interessaram em abrir conta no exterior. Até pouco tempo atrás as opções se resumiam a:

-Alguns bancos que aceitavam abertura de conta feita por estrangeiros não-residentes, desde que estivessem presentes fisicamente no local (aqui se destacam alguns bancos presentes na Flórida, como o Bank of America, Wells Fargo etc que facilitam a vida de turistas brasileiros);

-Uns poucos bancos internacionais que permitem abertura de conta feita remotamente (BB America por exemplo).Uma vantagem desses bancos é que o câmbio para transferência bancária internacional geralmente é um pouco menor do que o câmbio nas casas de câmbio (além do IOF de apenas 0,38%). Além disso, você terá a segurança de andar com um cartão com moeda internacional e poderá o usar para compras, inclusive contas online (sem precisar pagar o IOF de 6,38%).

No entanto, as taxas para transferência são altas (geralmente em torno de 100 reais). Além disso, a maioria dos bancos exige um depósito mínimo para que não haja cobrança de mensalidade (geralmente varia de 500 a 2500 dólares. O BB América exige 10 mil dólares!!!). Pior, esses bancos possuem planos pensados no uso local, com taxas altas para saques em outros países (alguns cobram para saques até em outros estados do mesmo país de origem).

Esse era o cenário que se encontrava a maioria dos brasileiros até o ano passado, mas desde então algumas mudanças ocorreram que podem facilitar muito a vida.Começaram a surgir serviços de transferências bancárias “peer-to-peer”, onde você pode transferir dinheiro para sua conta direto para uma conta internacional sem passar por um grande banco. A vantagem disso é que você foge de grandes taxas e, além disso, a taxa de câmbio é menor do que as taxas oferecidas para transferência (o valor geralmente é em torno de 2,2% acima do valor comercial, metade do spread da casa de câmbio). Além disso, há serviços que trabalham com dezenas de moedas, o que te permitiria teoricamente fazer um depósito direto para a moeda local. Desses serviços, o que mais se destaca é o Transferwise (https://transferwise.com/). O serviço é muito simples, você escolhe qual moeda quer, o valor, e o banco a ser destinado. Eles emitem um boleto que você paga e a transferência ocorre em 2 a 4 dias.
Mas ainda resta outro problema: qual banco internacional usar? Isso também mudou com o surgimento de vários bancos onlines. Vários deles permitem a criação de uma conta simples, sem cobrança de mensalidade. Além disso, há vários bancos online que te permitem contas em diversas moedas estrangeiras (você pode ter uma conta em cada moeda). Ou seja, pareciam o casamento perfeito com o Transferwise. No entanto, como nada é fácil para gente… a maioria não é aceita no Brasil. Eu tentei investigar todos esses bancos, é os que se destacam são:

Transferwise Borderless Account

Foto: Reprodução.

– Te permite múltiplas contas em até 27 moedas diferentes;

– Não tem custos mensais;

– No entanto, ainda não oferece cartão internacional (só é útil para quem precisa receber dinheiro de vários países diferentes);

– Aceita clientes de dezenas de países, mas não do Brasil.

N26

Foto: Reprodução.

– Conta em euro;

– Oferece um cartão de débito;

– Não tem custos mensais;

– Não cobra taxas para compras internacionais;

– Cobra taxas de conversão de moedas do cartão (baixa);

– Na versão free cobra 1,7% para saque em moedas diferentes do Euro;

– Só trabalha com clientes da Europa (é preciso de um endereço europeu pra abrir a conta).

Monzo 

Foto: Reprodução.

– Conta em libras;

– Oferece um cartão de débito;

– Não tem custos mensais;

– Não cobra taxas para compras internacionais;

– Não cobra taxas de saque em nenhum local do mundo;

– Cobra taxas de conversão de moedas do cartão (baixa);

– Só trabalha com clientes do Reino Unido.

Starling Bank

Foto: Reprodução.

– Semelhante ao Monzo.

Revolut

Foto: Reprodução.

– Provavelmente o melhor serviço para mochileiros. Permite múltiplas contas em múltiplas moedas (SD, GBP, EUR, PLN, CHF, DKK, NOK, SEK, RON, SGD, HKD, AUD, NZD, TRY, ILS AED, CAD, HUF, INR, JPY, MAD, MXN, QAR, THB, ou ZAR);

– Não cobra mensalidade;

– Te oferece um cartão de débito multi-currency (com o mesmo cartão você pode gastar em todas suas contas);

– É necessário pagar por cada cartão, podendo custar até 30 euros dependendo do local onde você está;

– Taxas de conversão de moeda inferiores ao dos cartões;

– Taxa de saque de 2%;

– Aceita clientes de dezenas de países, mas não do Brasil LMas nem tudo está perdido, a segunda melhor opção aceita clientes do Brasil!

A foto (da home) que traz até este post está sob licença Creative Commons.


Categorias Blog

4 comentários em “Faça uma conta bancária internacional e fuja dos altos câmbios”

  1. Infelizmente os serviços da LeuPay não estão mais disponíveis para brasileiros, ao que parece por motivos legais.
    Mais uma vez estamos sem opções =(

    Pelo que vi, o Revolut planeja nos salvar oferecendo seu serviço, mas ainda está em desenvolvimento.
    Fico me perguntando porque no Reino Unido por exemplo, tem vários bancos digitais internacionais e no Brasil (país com grande mercado pra esse tipo de produto), ainda não temos nenhum…
    Mas da pra entender isso vendo que o Brasil está na 153º posição no Indice de Liberdade Econômica, enquanto o UK está na 7º

    • Pois é, tive minha conta terminada em outubro… Estava aqui lendo tentando encontrar uma alternativa pra isso. :'(

Deixe um comentário