Conecte com a gente

São Paulo

Hotéis e Pousadas Pet Friendly no estado de SP

Redação - Onde Cê Vai Loko

Publicado

em

Pet Friendly

Olá viajantes e amantes de pets! Quantas vezes queremos viajar e pensamos no nosso amiguinho que não terá onde ficar, e por fim, cancelamos aquela tão sonhada viagem pra não deixar nosso pet sem os cuidados que ele merece. Venha conhecer essas dicas de hospedagem pet friendly.

Muitos hotéis hoje já pensam nos hóspedes de quatro patas e amantes de animais.

Confesso que essa ideia foi do meu excelentíssimo namorado, mas achei muito boa. Farei uma sequencia de posts por estados, de hotéis que aceitam pets.

Antes de listar esses lindos lugares que aceitam nossos amigos de 4 patas, vou deixar uma breve histórinha.

Um homem pretendia viajar com seu cão e escreveu antecipadamente ao a um hotel para saber se seria possível acomodar um hóspede de quatro patas. No e-mail ao hotel perguntou:

“EU GOSTARIA DE LEVAR MEU CÃO COMIGO. ELE É BEM TREINADO E QUIETO,

VOCÊS PERMITEM ANIMAIS NO VOSSO HOTEL?”

Eis a resposta:

Caro senhor,

Trabalhamos na indústria hoteleira há mais de trinta anos…
e nunca encontramos toalhas ou cobertores do hotel na mala de um cão, nem manchas nos móveis do fundo de garrafas; Até agora, nunca precisamos de chamar a polícia para expulsar um cão por distúrbios causados a altas horas da noite; Até hoje, nunca um cão pegou fogo à roupa da cama por adormecer com o cigarro na pata. Portanto, é óbvio que teremos todo o gosto em receber o seu cão no nosso Hotel.

Cumprimentos
A gerência

Ps. Se ele se responsabilizar pelo senhor, venha também.

Lindo né? Agora fica aqui a lista de alguns hotéis em SP Pet Friendly =)

1 – São Sebastião (Litoral Norte SP)

hotel petfriendly

Ciribaí Praia HotelPousada Petfriendly: localizado na Rua dos Jacarandás, 165 – Praia de Paúba (1,5 Km de Maresias).

Os animais de estimação ficam no quarto junto com os hóspedes, pois o hotel não dispõe de canil. Cada apartamento comporta um cão e é necessário se atentar para algumas regras, a fim de que toda a estadia seja o mais confortável possível. Basta consultar a recepção.

Na hora da reserva, é preciso que a carteira de vacinação do cachorro seja enviada. Dois dias antes de embarcarem rumo ao Ciribaí, o dono do animal de estimação tem que aplicar remédio contra pulgas, carrapatos e dirofilaria (aquele verme do coração).

Serviço: As alas Luxo Lazer, Standard e Premium do hotel estão aptas a receberem seu cão.
Porte dos cachorros permitidos: pequeno e acima de 12 meses. Demais informações e taxas para levar o seu grande amigo estão  disponíveis na recepção.

2 – Brotas – Interior SP

Sitio Roda D'agua

 

 

 

 

Brotas Roda D'agua

 

Sítio Roda D’Água: localizado na Rua Doutor Guena, 80, Bela Vista.

Os animaizinhos são muito bem vindos há quase 10 anos. É permitida a presença de cão de companhia em chalés apenas, não em vivendas. O criador deve apresentar vacinação e vermifugação do animal atualizadas, além do cachorro portar coleira antiparasitaria/anti-insetos. Na presença de outros hóspedes ou animais, ele deve circular e permanecer com guia/coleira, como à hora das refeições ou à beira da piscina. Mas na maior parte do tempo, pode correr nos gramados e nadar no rio à vontade.

Para cada animal de estimação é cobrada uma taxa de 10% sobre o valor total da hospedagem, sendo o valor mínimo de R$ 35/dia por animal. A tarifa diária do hóspede ou taxa adicional do cão não asseguram a cobertura de danos provocados por este.  Evite que enxoval de cama e toalhas sejam pisoteados pelas patinhas do seu pet, para evitar cobrança para reposição dos mesmos no seu check-out. Cães de guarda, defensores, de linhagem descendente de cães de rinha, cães essencialmente territorialistas ou considerados de média agressividade pelo Anuário de Raças, não são aceitos em respeito aos demais hóspedes que podem se amedrontar.

 

3 – Olímpia – Interior SP

Estancia

 

 

 

Capturar

 

Hotel Fazenda Estância Imperial: localizado na Rodovia Assis Chateaubriand, km 134, Olímpia – SP

Os animais de pequeno porte se hospedam com o dono no apartamento, médio e grande porte possuem um ESPAÇO PET espaçoso e confortável para sua hospedagem. Não aceitam algumas raças consideradas “agressivas”.

Os apartamentos são higienizados a cada saída de hóspede, com produtos específicos e água de reuso. Roupas de cama e toalhas são lavadas em lavanderia especializada e entregues embaladas e esterilizadas. Não se responsabilizam pelo pet, ele de responsabilidade do dono, que deverá seguir as regras estabelecidas pelo hotel.

Não aceitam PET sem RESERVA antecipada.

Aqui os valores das diárias: De 1 a 3 diárias = R$ 30,00 por dia. De 4 a 6 diárias = R$ 25,00 por dia. Acima de 6 diárias = R$ 20,00 por dia. *tarifa por animal

4 – Igaratá

Capturar

 

 

 

 

Pousada Gaia Viva: localizada na rua Irineu Prianti Chaves, 500, Igaratá, Estado de São Paulo.

CapturarNa Gaia os cães são tão bem-vindos que chega a parecer que é uma pousada para cães que aceita humanos! Eles podem compartilhar todo o ambiente sem guia, se eles se adaptarem, porque não é justo somente os humanos curtirem. Se os cães gostam de nadar, correr, brincar ou descansar na grama sob o sol, estarão no local certo! Podem frequentar todos os ambientes, inclusive restaurante e piscina onde podem até mesmo nadar! E eles ficam nos chalés com os donos.

As regras para hospedagem são: o cão precisa ser dócil com humanos e cães; os machos devem ser castrados; as fêmeas não podem estar no cio (se por acaso ela entrar no cio depois de reservada a estadia, é só remarcar) e é necessário que seu cão (com mais de 5 meses) esteja vacinado e protegido. CÃES VIOLENTOS PARA PESSOAS E/OU OUTROS CÃES, NÃO SERÃO RECEBIDOS OU ESTÃO SUJEITOS A TEREM DE SE RETIRAR, SEM DEVOLUÇÃO DO VALOR DAS DIÁRIAS RESERVADAS E/OU PAGAS. Se você não sabe a reação do seu cão perante outros, entre em contato com a pousada para conversar melhor. Uma boa conversa pode resolver tudo

As fotos que eles tem no site são tão fofas que decidi colocar algumas aqui pra vocês.

5- Socorro 

Capturar

 

 

 

 

O Hotel Fazenda Campo dos Sonhos: Fica localizado na Est Farmacêutico Osvaldo Paiva, Km 06, Caixa Postal 02 | Lavras de Baixo, Socorro.

CapturarNo campo dos sonhos o seu Pet é muito bem vindo!

Para quem não gosta de deixar seu bichinho em casa, eles tem chalés preparados para receber o seu melhor amigo e assim ele também aproveita o passeio.

  • É permitido ficar com os hóspedes em apto ou chalé animais que estejam habituados a este tipo de convívio. Jamais deixe seu animal de estimação sozinho no apartamento / chalé se ele fizer barulho, para que os demais hóspedes não se sintam incomodados.
  • Procure fazer caminhadas ou passeios com a coleira (guia), pois há muitos adultos e crianças que têm medo de cães, mesmo que sejam mansos.
  • O canil está à disposição para permanência no período em que o hóspede se encontrar hospedado, sem nenhum acréscimo, desde que o animal não estranhe estar sem o dono, latindo incessantemente, e desde que haja vaga no mesmo.
  • Limpeza, manutenção e alimentação / água no canil, fica a cargo exclusivo do hóspede.
  • Não é permitido o acesso de animais no interior das áreas do restaurante, lanchonete, shopping e áreas das piscinas e lazer.
  • No apartamento / chalé não é permitido o uso de material de cama e banho. É solicitado ao hóspede o prévio aviso às camareiras sobre o animal para a limpeza do apartamento.
  • O hotel não se responsabiliza por danos causados pelo animal tanto no apartamento / chalé como em outras dependências do hotel, devendo estes danos serem ressarcidos pelo dono do animal.
  • É necessário a apresentação da carteira de vacinação do animal.

No caso de vinda de outros tipos de animais ou aves, ou em caso de alguma dúvida, a recepção deve ser informada com antecedência.

Espero que tenham gostado das dicas. Agora podem viajar com seu melhor amigo sem problema algum. Em breve haverá post de pousadas/hotéis Pet Friendly em MG.

Boa viagem =)

ondecevailoko

Nas redes ?

Instagram: @ondecevailoko

Facebook: @ondecevailoko

Blog: Onde Cê Vai Loko

✈ Blogs Brasil: Onde Cê Vai Loko

✈ Superela: Colunista

Votar

4 pontos
Upvote Downvote

Comentários do Facebook

comentários

2 Comentários

2 Comments

  1. Aventura de Férias

    26 de maio de 2017 em 11:59

    Gente!!! Muito legal esse post!!!

    Postem sempre que souberem de locais petfriendly around the world hehehe!!!

    Bjs no coração

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

5 lugares baratos para viajar em SP

Mochileiros.com

Publicado

em

lugares baratos para viajar em SP

Procurando lugares baratos para viajar em SP?  Nessa lista selecionamos destinos clássicos conhecidos pelos bons mochileiros de plantão e também alguns passeios ainda pouco conhecidos.  Se você está com o bolso curto mas quer se aventurar nos finais de semana, estas são alternativas perfeitas para explorar o melhor do Estado de São Paulo e arredores.

Você sabia que o Brasil ainda possui belos destinos pouco explorados? Confira a nossa série sobre destinos imperdíveis e pouco conhecidos.

Essa lista reúne lugares baratos para viajar em SP, destinos perfeitos para quem mora na grande São Paulo.

01 – Praia do Sono – Paraty

lugares baratos para viajar em SP

Praia do Sono – Foto: André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Localizada em uma área de proteção ambiental (APA de Cairuçu) e praticamente intocada pela civilização, a Praia do Sono segue resistindo como uma pacata vila de pescadores.  O principal meio de hospedagem do local é o camping. São 17 áreas oferecidas pelas 17 famílias remanescentes da luta contra a especulação imobiliária na região.

” Tem pequenas mercearias também que vendem itens básicos por preços caros. Quanto ao lazer, pode seguir de trilha pra praias próximas como Antigos, Antiguinhos e Ponta Negra. Se tiver no gás, dá pra conhecer a belíssima cachoeira do saco bravo. No Sono tem também um poço de água, o poço do Jacaré.” – Dica do Colaborador Raphael Moraes

Ônibus São Paulo x Paraty: + – R$ 80
Diária de camping: R$ 25 a R$ 30
Refeição: R$ 20 a R$ 25

02 – PETAR

Cachoeira das Andorinhas – Foto: Danilo / PETAR [email protected]

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR)  fica  a 320 km da cidade de São Paulo, entre os municípios de Apiaí e Iporanga no sul do estado de São Paulo, próximo a fronteira com o Paraná. O Parque  possui quatro “núcleos” abertos a visitação turística. Os núcleo Santana, Ouro Grosso e Casa de Pedra ficam em Iporanga e o núcleo Caboclos em Apiaí .

Dicas da viajante Jenny Frd enviadas no grupo do Mochileiros.com no Facebook

 “Ficamos na pousada Núcleo Terra em Iporanga SP. Pousada simples, mas muito aconchegante e o dono, Júlio, montou um roteiro com guia por três dias. Conhecemos 2 núcleos de cavernas (Santana e Ouro Grosso), caverna do Diabo, fizemos a trilha das ostras e fomos até a cachoeira de meu Deus e por fim terminamos no boia Cross. Para quem quer sair da rotina e ir atrás de aventura, ótima pedida.”

Preço do ônibus São Paulo X Apiaí = +- R$ 95

Mais informações sobre o PETAR:

  • Relatos de viagem sobre o PETAR no fórum do Mochileiros.com: aqui, aqui e aqui.
  • Mais informações, fotos e dicas de viajantes no grupo do Facebook: aqui

 

03 – Prainha Branca

Foto: Rogério Planciunas de Melo / Youtube

“Total final de semana: R$ 250,00 – se tiver a barraca e levar a comida pra fazer no camping sai bem mais em conta.  Obs: Meu amigo levou a barraca e fez a comida no camping e gastou R$ 150,00” – Dica da Cristine Granato

  • Ônibus São Paulo X Bertioga = R$ 39
  • Camping com aluguel de barraca – R$ 50,00
  • Alimentação – R$ 30,00 por dia.

Mais informações sobre a Prainha Branca aqui e aqui.

04 – Paranapiacaba

Trilha da Raiz da Serra, em Paranapiacaba – Foto: William Miranda Andrade

O vilarejo de Paranapiacaba em Santo André foi erguido no final do século XIX para servir como centro de controle operacional e residência para os funcionários da Ferrovia São Paulo Railway . Por seus trilhos, todo o café produzido no interior do estado era então escoado para exportação através do Porto de Santos. Além de ser um ponto chave do escoamento do principal produto de exportação do país na época, Paranapiacaba também foi palco de outro momento importante na história da cultura nacional,  ali ocorreu o primeiro jogo de futebol do Brasil, promovido por Charles Miller, que era funcionário da São Paulo Railway.

Hoje o vilarejo vive do turismo e alguns de seus prédios de arquitetura inglesa foram transformados em museus .  A vila também é o ponto de partida para um conjunto de trilhas e travessias que se estendem por uma das mais belas áreas de Mata Atlântica do Estado de São Paulo, a Serra do Mar.

“Você gastará apenas o valor da passagem de trem que sai da Estação da Luz ou Brás até a estação Paranapiacaba.  Quem vai pra lá geralmente fica no Simplão de Tudo,  um camping, pousada e Rock Bar localizado dentro da serra do mar, há 8 km da vila. A diária sai por R$ 20 em dias da semana e R$ 30 em fins de semana”. – Dica do viaUaren Cassio

Veja também:

05 – Praia de Santiago

Praia de Santiago – Foto: Leandro Macedo Gonçalves / Flickr

Acampamento na praia 30,00 por noite. Carro econômico saindo do interior de sp (+- 150,00 por pessoa) – Dica do viajante Tiago Lima

 


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Brasil

São Paulo é o que você quiser que seja!

Publicado

em


Passando alguns dias difíceis aqui no sul. Mas, isso ajudou a movimentar as coisas por aqui. Me tirar de vez do comodismo e botar em prática o que nunca saiu da minha mente: viajar. Há alguns dias a única coisa que passava pela minha cabeça era “preciso sair daqui”. Pra onde? Não sei, mas SP não era uma opção, até então. Mas, de última hora, em menos de duas semanas, sem poder gastar muita grana, SP apareceu. E aí, um salve pra amiga Kelly que pilhou e resolveu que iria junto, que me acompanhou nessa trip da noite para o dia.

Comecei me apaixonar por São Paulo já no momento em que pesquisava o que fazer na maior cidade da América Latina. Óbvio que opções não faltam. Passei a contar os dias. Para uma pessoa com alma de viajante mas que não viaja com a frequência que gostaria, este foi o passo que faltava para nunca mais ficar em casa por muito tempo.

Passagem comprada, hora de ver hospedagem. Membro do Couchsurfing desde 2013, nunca havia usado para me hospedar. O convite para nos hospedar veio de um membro novo do CS, mas a experiência foi melhor do que o esperado. Nosso host Alex, fez toda a diferença para que nossa estadia em SP fosse perfeita, e até fez questão de tomar chimarrão! Momentos assim me fazem ver que há tanto para conhecer, que, como diz a colega de trip, “seria uma pena morrer sem conhecer ao menos uma parte deste mundo”. E, principalmente, ver que ainda existe bondade em algumas pessoas por aí.

Além do agito cotidiano, uma cidade com problemas como qualquer outra. Nada que não vejo todos os dias em Porto Alegre. Pessoas dormindo nas ruas, drogas, trânsito. Mas o que a maioria das pessoas vê em SP é apenas isso. Consegui ver além disso e vi também aquela terra de oportunidades para onde muitos brasileiros e estrangeiros vão em busca de algo maior. Permita que o lugar se apresente a você.

Fui surpreendida pelo frio que fez em SP! gente, sair do Rio Grande do Sul  pra passar frio em São Paulo foi demais HAHA!  Sou obrigada a deixar registrado que ainda encontramos mais um amigo gaúcho, que animou ainda mais nossos dias – Salve Lalá!

Os passeios, as culturas, as etnias que compõem Sampa me encantaram. Uma cidade que não para, a vida acelerada que muitos odeiam, eu amo! Um cidade moderna, que talvez pela grande população e falta de planejamento não se desenvolve o quanto poderia.

São Paulo é Rock N’ Roll!

Antes de pesquisar mais sobre Sampa, um dos únicos lugares  que eu realmente queria conhecer era a Galeria do Rock. Gente, minha vida lá dentro haha! Para os amantes do rock, sem dúvida é o paraíso. Na noite, conhecemos apenas um bar de rock, mas super recomendo! fica na Vila Madalena, Morrison Rock Bar. Tivemos o prazer de assistir a banda These Days – Bon Jovi Cover. Que momento! Casa lotada, all singing together! Mesmo antes do show, com os clássicos do rock anos 80 e 90 rolando, a galera cantava enlouquecida! São Paulo é Rock N’ Roll!

Mas, SP também é o que você quiser que seja!

Parada Gay

A Avenida Paulista já é uma atração em um dia comum, imagina em dia de festa. Confesso que não lembrava que seria o fim de semana da Parada. Quando lembrei, confirmei presença. Afinal, porque não ver e celebrar junto com a maior festa da diversidade? E quer saber, AMEI. Uma celebração de quem no dia a dia não pode se expor, e como é ruim não poder ser você mesmo. Bebidas e pegação tinha sim, ou seja, nada que a “baladinha hétero” não tenha. Com a diferença que na Parada não fomos desrespeitadas.

Museus, praças e parques. A Galeria. O Centro Velho com o Mercado Público, Mosteiro e a divertidíssima 25 de Março. O charme da Liberdade, tradicional bairro oriental (de origem japonesa, mas que hoje já concentra chineses e coreanos). Os mirantes pra ver SP do alto. Os grafites. A agitada Augusta. A noite.

Percebi que lá, não há meio termo. Ou se ama ou se odeia São Paulo.  Digo então meus amigos: São Paulo ganhou mais uma apaixonada.

Obrigada São Paulo por ter se apresentado pra mim no momento em que mais precisei e, me espera de volta!

 

 

 


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

8 passeios fantásticos pelo Sudeste

Mochileiros.com

Publicado

em


Por Guilherme da Luz*

O Sudeste brasileiro é um lugar incrível para conhecer e aqui selecionei alguns passeios fantásticos e que valem a pena se fazer. Confira a lista e inclua-os em sua programação.
Quando falamos da região Sudeste do Brasil, logo nos vêm à cabeça que é a região mais populosa do país. Porém, os quatro estados que formam a região, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, merecem destaque por suas atrações.
Selecionei aqui alguns lugares para você conhecer, que fogem do roteiro comum. Confira a lista de passeios fantásticos para incluir em seu roteiro.

Vista do Morro da Urca – Rio de Janeiro | Foto sob licença Creative Commons.

O que visitar na região Sudeste do Brasil

A região Sudeste do Brasil possui cerca de 927,286,2 km e tem muitas atrações para seus visitantes. Confira uma lista com 8 passeios fantásticos pelo Sudeste e prepare o sue roteiro:

1-  Aldeias indígenas – São Paulo

No extremo sul da cidade de São Paulo está a terra indígena Tenondé Porã, da etnia Guarani mbiá. Na imagem, crianças da etnia | Foto: Tatiana Sapateiro/CC BY 2.0

Para fugir do agito da cidade grande, que tal conhecer as aldeias indígenas próximas a São Paulo? Excelentes opções de passeios, três aldeias estão a apenas 40 km do centro, localizadas no extremo sul da cidade, e oferecem cachoeiras, mananciais e rica fauna e flora.
É possível chegar ao local por transporte público ou de carro. Porém os passeios são organizados, já que passa por diversos projetos de preservação. Você vai adorar conhecer o lugar, que é um dos passeios fantásticos na capital paulista.

2- Pedra Azul – Espírito Santo

Parque Pedra Azul – Domingos Martins – Espírito Santo | Foto: Argeone Herbst/Mtur

Para fugir um pouco das praias, que tal explorar as montanhas? A Pedra Azul é uma excelente referência e você vai adorar essa experiência. Localizado em Domingos Martins, o Parque Estadual da Pedra Azul possui a famosa formação rochosa (Pedra Azul).
O circuito de subida é realizado por trilhas curtas ou longas, a pé ou por bike elétrica, passando por formações rochosas com líquens que mudam de cor, conforme a posição do sol. Ao chegar ao topo, a caminhada compensa devido a vista incrível e piscinas de água natural. Aproveite para fazer um rafting no Rio Jucu.

3- Mirante Dona Marta – Rio de Janeiro

Vista parcial do mirante | Foto sob licença Creative Commons.

Com mais de 350 metros de altura, o mirante é um dos lugares mais incríveis e procurados por turistas. Do alto é possível apreciar uma vista panorâmica de belas áreas da cidade, contemplando vários dos cartões-postais mais incríveis do Rio de Janeiro. Entre eles, a Lagoa Rodrigo de Freitas, Corcovado, Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar.
É possível chegar ao mirante a pé (de bike, moto ou carro) por exemplo, a partir dos bairros de Santa Teresa ou Cosme Velho e também a pé, via o Morro Dona Marta que fica no topo da favela Santa Marta. Você pode aproveitar para fazer um favela tour no Rio de Janeiro enquanto sobe o morro para pegar a trilha com acesso ao mirante e conhecer a vida dos moradores na comunidade Santa Marta e os diversos projetos por lá. Aprecie as vistas fascinantes da trilha que dura cerca de 30 a 50 minutos de caminhada. Não perca essa oportunidade!

4-  Vale Encantado, Parque Nacional do Caparaó – Espírito Santo/Minas Gerais

Cachoeira Bonita | Foto: Igor Tibiriçá Mendes/Creative commons.

O Caparaó é um dos lugares mais incríveis do Brasil, considerado um dos ícones do montanhismo no país, já que abriga o Pico da Bandeira, terceiro ponto mais alto brasileiro.
O Vale Encantado é uma das atrações mais buscadas por turistas e possui um poço de águas naturais, formado perto de grandes paredões, proporcionando uma vista imperdível. Aproveite os mais de 32 mil hectares e escolha um trajeto com a dificuldade, extensão e estilo que desejar.

5- Floresta da Tijuca – Rio de Janeiro

Estrada das Paineiras, no Parque Nacional da Tijuca | Foto: Silnei L Andrade/Mochileiros.com

Visitar a maior floresta urbana é um dos passeios fantásticos pelo Rio de Janeiro e você vai ter contato com diversas espécies da fauna e flora brasileira. Ela está localizada, oficialmente, no Parque Nacional da Tijuca e oferece diversas atrações, como Mirante Excelsior, Cascatinha Taunay, Barracão, Capela Mayrink, Gruta de Paulo e Virgínia, Açude da solidão, Lago das Fadas e Vista Chinesa. Não perca essa chance!

6- Pavilhão Japonês – São Paulo

Foto: Divulgação/Bunkyo.org.br

Para quem deseja fazer um passeio diferente e agradável ao visitar São Paulo, esse é um ótimo passeio. Localizado dentro do Parque Ibirapuera, é uma construção inspirada no Palácio Katsura, Quioto. O local foi um “presente” da colônia japonesa à cidade, em seu quarto centenário.
O lugar é agradável, com jardim cheio de árvores japonesas, lago com carpas coloridas e sala de chá. As visitas podem ser feitas de terça a domingo, das 9h às 17h.

7- Jardim Botânico – Rio de Janeiro

Área do Jardim Botânico | Foto: Claudia Severo de Almeida/Mochileiros.com

Depois de conhecer os atrativos da Cidade Maravilhosa, que tal relaxar e curtir um pouco mais de natureza? O jardim botânico é uma excelente opção para caminhada ao ar livre, belas fotos e apreciar mais de 8 mil espécies de árvores nativas e plantas de quase todas as partes do mundo.
O local ainda oferece o Jardim Japonês, orquidário e estufas de bromélias, bem como locais para as crianças, como labirinto, playground, área de piquenique, entre outros.

8- Solo Sagrado – São Paulo

Foto: Divulgação/Messianica.org.br

Se você está visitando a capital paulista, não pode deixar de conhecer um lugar diferente de toda a cidade, mas que merece a sua visita. O Solo Sagrado é um local para quem curte as belezas da natureza.
Construído em 1945, ele é conhecido como o “paraíso terrestre”, já que reflete o “mundo ideal” em seus mais de 300 mil metros quadrados construído às margens da Represa de Guarapiranga. Os visitantes encantam-se com os jardins com paisagismo, espaço para caminhada, diversas espécies de árvores e cachoeiras artificiais.
Está localizado no Jardim Casa Grande, a entrada é gratuita e para grupos é preciso fazer agendamento.

Então, gostou da lista de passeios fantásticos pelo Sudeste? Conhece outros que merecem estar na lista? Deixe nos comentários!

*Guilherme da Luz é redator publicitário e um louco por viagem


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Brasil

Paulista Cultural promove domingo de atividades especiais

Mochileiros.com

Publicado

em


Para além do título de cartão-postal e principal eixo econômico de São Paulo, a Avenida Paulista reafirma sua vocação como um dos principais corredores de cultura da cidade no domingo, 11 de março. Seis grandes instituições culturais sediadas na avenida se unem pela primeira vez para oferecer um dia inteiro de atividades gratuitas voltadas ao teatro, à música, às artes plásticas e visuais, à dança, à literatura, à fotografia e à botânica, além de cinema, que terá preços promocionais.
Inspirada no “Museum Mile”, que anualmente congrega os museus da 5ª Avenida, em Nova York, a primeira edição da Paulista Cultural promove o intercâmbio e uma parceria inédita entre os principais espaços culturais da avenida: Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, IMS Paulista, Itaú Cultural, JAPAN HOUSE São Paulo e MASP. Além de estimular a visitação, a iniciativa oferece ao público a possibilidade de construir o seu próprio roteiro cultural.
Outras nove instituições também se unem para dar apoio à iniciativa: Sesc Avenida Paulista, futuro morador do endereço, CINEARTE-Conjunto Nacional, Cine Caixa Belas Artes, Espaço Cultural Conjunto Nacional, Espaço Itaú de Cinema, Instituto Cervantes, Livraria Cultura, Fnac Brasil, Mirante 9 de julho e Teatro Gazeta.

Trecho da Avenida Paulista | Foto: Silnei L Andrade

Intercâmbios

A partir das 10h, cada uma das seis instituições, além da programação em cartaz, abrigará atividades de outra, visando proporcionar aos visitantes uma imersão cultural ao longo de quase 3km de asfalto, aberto ao livre trânsito dos pedestres aos domingos. A ideia é que cada pessoa possa montar seu próprio circuito e encontrar, nos locais que já costuma frequentar, um pouco do que os demais têm a oferecer.
As interações confirmadas para essa primeira edição da Paulista Cultural são: Casa das Rosas recebe o Instituto Moreira Salles; Instituto Moreira Salles recepciona o Centro Cultural Fiesp; Centro Cultural Fiesp abriga a JAPAN HOUSE São Paulo; Itaú Cultural acolhe o MASP; MASP hospeda a JAPAN HOUSE São Paulo; JAPAN HOUSE São Paulo atende a Casa das Rosas.

Sericleta (Casa das Rosas | 11h às 15h)

Casa das Rosas | Foto: André Hoff/Divulgação.

O Instituto Moreira Salles leva para a Casa das Rosas a “Sericleta”, uma unidade móvel de impressão em serigrafia, idealizada especialmente para a produção de materiais gráficos. O público é convidado a participar da ação como observador, interlocutor e impressor das peças gráficas, experimentando da mágica da impressão manual.

Atividade gratuita | Capacidade: indeterminada

Kamishibai (Centro Cultural Fiesp | 11h30)

Centro Cultural Fiesp | Foto: Everton Amaro/Divulgação.

Localizado ao lado de um jardim projetado por Roberto Burle Marx, o Espaço Café do Centro Cultural Fiesp recebe a apresentação de contos japoneses da JAPAN HOUSE São Paulo. Mais do que contar a história, a técnica do Kamishibai – junção das palavras japonesas shibai (teatro) kami (papel) – ilustra suas passagens por meio de desenhos feitos em cartões sequenciais. Os contos O Cozinheiro e Chapéus para os Jizos serão apresentados dentro de um palco de madeira, como manda a tradição.

Atividade gratuita | Duração: 30 minutos | Capacidade: indeterminada

Oficina Autodesretratos – Processo criativo da construção da imagem (Instituto Moreira Salles | 15h às 17h30)

Instituto Moreira Sales | Foto: Pedro Vannucchi/Divulgação.

A oficina ministrada pelo artista Rafael Silveira, responsável pela mostra Circonjecturas – em Cartaz no Centro Cultural Fiesp –, convida os participantes a fazer um autorretrato diferente, ao estilo do artista. Para o “autodesretrato”, cada pessoa é fotografada no início da oficina e depois constrói sua obra a partir de um acervo de imagens disponíveis para recorte e colagem. Como resultado, surgem retratos sem semblante, que revelam a intimidade da mente de cada participante.

Atividade gratuita | Duração: 150 minutos | Capacidade: 15 pessoas | Distribuição de senhas a partir das 14h30.

Yuzo Akahori e Yoohey Kaito (Instituto Moreira Salles | 11h)

No térreo do IMS, onde habitualmente ocorrem apresentações de música brasileira, a JAPAN HOUSE São Paulo será representada pelo duo contemporâneo de Shamisen e Taiko, executado pelos músicos Yuzo Akahori e Yoohey Kaito, em uma programação paralela. Os músicos nipodescendentes aprenderam a tocar esses instrumentos tipicamente japoneses no Brasil e aprimoraram sua técnica em diversas expedições ao Japão.

Atividade gratuita | Duração: 40 minutos | Capacidade: 150 pessoas | Distribuição de senha (1 por pessoa) 30 minutos antes.

Aulão de Batekoo no Itaú Cultural (Itaú Cultural | 14h, 15h e 16h)

Itaú Cultural | Foto: Ivson Miranda/Divulgação.

O Aulão da Batekoo é uma ação do MASP, que nasceu para incentivar as pessoas a explorarem suas habilidades corporais por meio da dança. No Itaú Cultural, os professores trabalharão com movimentos de danças pertencentes aos ritmos do Passinho, Dancehall, Afrohouse & Kuduro, Funk e Twerk. As atividades serão realizadas em três turmas: começam com a de aquecimento e na sequência são oferecidas as aulas específicas de Dancehall, com a Queen Fabi Silva, e Afrohouse/Kuduro, com a Angolana-Carioca Gabi Ziriguidum. Haverá interpretação em Libras.

Atividade gratuita | Duração: 45 minutos por aula | Capacidade: 40 pessoas por aula | Ingressos: pré- inscrições presenciais para as três turmas a partir das 13h30 [as inscrições ficarão disponíveis até lotação das vagas].

Polvos Poéticos (JAPAN HOUSE São Paulo | 16h)

Japan House | Foto: Rogério Cassimiro/Divulgação.

A Casa das Rosas realiza na JAPAN HOUSE São Paulo uma atividade inspirada na antiga brincadeira do telefone sem fio, Os Polvos Poéticos. Como uma forma divertida e encantadora de chamar a atenção, três ou quatro atores do Grupo Sensus declamam Haikais japoneses através de conduítes, para serem ouvidas por seis pessoas simultaneamente.Os Haikais apresentados são pequenos poemas traduzidos por Haroldo de Campos e Guilherme de Almeida. A atividade acontece na área externa e nos três pisos da JAPAN HOUSE São Paulo.

Atividade gratuita | Capacidade: indeterminada.

Workshop de Furoshiki (MASP | 14h e 15h)

Masp | Foto: Eduardo Ortega/Divulgação.

O MASP se rende à técnica tradicional de embrulho do Furoshiki, muito utilizada para embalar presentes e transportar objetos. A origem do nome – “Furo” (banho) e “shiki” (abrir) – remonta ao período Edo, quando era comum o uso do furoshiki para guardar as roupas enquanto se banhavam nos banhos públicos, conhecidos como Sento. A atividade é um intercâmbio com a JAPAN HOUSE São Paulo.

Atividade gratuita | Duração: 45 minutos | Capacidade: 16 pessoas por sessão | Ingressos: Inscrição 1 hora antes, na recepção do MASP.

➡ Mais informações sobre a primeira edição da Paulista Cultural podem ser conferidas aqui.
➡ Mais informações sobre os espaços culturais participantes podem ser conferidas no site de cada um deles. Para acessá-los basta clicar sobre seus respectivos nomes (sublinhados) no início deste texto.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

5 experiências de aventura para quem quer perder o medo de altura

Mochileiros.com

Publicado

em


Se você nasceu com um coração selvagem, mas, ao mesmo tempo precisa lidar com alguns medos específicos como o medo de altura, esse post é para você!
Existe uma frase que diz que a coragem é o medo que já se entregou. Por isso, acreditamos que mais corajoso do que aquele que enfrenta um desafio sem temor, é aquele que mesmo com muito medo, o encara de frente. Dentro do universo do Ecoturismo e experiências de aventura, você vai precisar deixar alguns medos de lado. É claro que não estamos dizendo para você entrar em um avião e saltar de paraquedas logo de cara. Não faça isso! Mas, queremos instigar você, caro leitor, a enxergar o que há por trás do seu medo. Na maioria das vezes, existe uma experiência incrível, pronta para ser vivida e experimentada em seu mais elevado nível – literalmente.
Por isso, a Dreampass selecionou 5 experiências de aventura para quem quer perder o medo de altura de uma vez por todas. Confere aí:

1- Rapel no Bico do Papagaio

Bico do Papagaio | Foto: Divulgação.

Localizada no Rio de Janeiro, o Bico do Papagaio possui 989m de altitude e é a segunda maior montanha do setor A do Parque Nacional da Tijuca. A experiência de rapel tem quase 20 metros de altura e conta com a imensidão da Floresta da Tijuca bem atrás, que, devemos mencionar: é considerada um dos Patrimônios da Humanidade pela Unesco. Sem dúvidas, um bom motivo para encarar o seu medo e de quebra ter o vislumbre de uma das florestas mais lindas do mundo e contemplar, ainda, as cores do Oceano Atlântico se mesclando com o azul piscina do céu carioca.

Saiba mais aqui.

2- Salto duplo de paraquedas – Boituva

Salto duplo de paraquedas | Foto: Divulgação.

Essa é uma das aventuras mais radicais do mundo, com 12.000 pés (aproximadamente 3.700 metros de altura. A queda livre tem duração aproximada de 45 segundos com uma velocidade de mais de 200 km/h, tem coragem? Apesar da altura, a vista é recompensadora e saber que você terá a vista de Boituva e cidades próximas embaixo de você para se contemplar, certamente te dará uma segurança a mais. Quem encararia essa aventura para viver momentos incríveis de muita adrenalina?

Saiba mais sobre aqui.

3- A maior tirolesa da América Latina

Segunda maior tirolesa do mundo está no interior de SP | Foto: Divulgação.

Não poderíamos deixar de citar essa atração, nem se quiséssemos. De fato, essa experiência testa a coragem até dos mais desbravadores aventureiros. A maior, repito, maior tirolesa da América Latina, e a segunda maior do MUNDO, está localizada na Pedra Antônia Maria, no interior de São Paulo. A tirolesa possui, nada mais e nada menos do que 250metros de altura, e percorre uma extensão de 1.900 metros a uma velocidade de 107 km/h.
Caso você esteja se perguntando o quão alto é 250 metros, imagine dois edifícios de 20 andares – que ainda não chegam a altura exata da tirolesa – para ter uma pequena noção do que te aguarda.  Após viver essa aventura, você já pode se considerar uma nova pessoa, porque você terá enfrentado em grande estilo o seu medo de altura.

Saiba mais aqui.

4- Pedra da Gávea – Rio de Janeiro

Uma das mais belas vistas da capital fluminense | Foto: Divulgação.

Se você sentiu uma leve vertigem só de olhar para essa foto, respira fundo e continua com a gente. Essa é a Pedra da Gávea, o maior bloco de rocha à beira mar do mundo. Do alto dos seus 842 metros é possível avistar as principais montanhas da cidade do Rio de Janeiro, além da Baía de Guanabara, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra da Tijuca e Região Serrana. Para chegar até o topo, é preciso realizar uma trilha de nível elevado, com alguns obstáculos no meio do caminho. Mas, nada que não valha a pena para poder desfrutar de uma vista como essa. Imagina as fotos incríveis que essa aventura irá render?

Saiba mais aqui e aqui.

5- Voo de Balão

Cidades como Itu e Boituva, no interior de SP são ótimas opções para o voo | Foto: Divulgação.

Por fim, e não menos importante, temos o Voo de Balão. Geralmente a altura alcançada é de 500 metros do chão. O que não é muito, comparado à experiência anterior, mas ainda sim, faz com que muitas pessoas deixem o sonho de voar de balão de lado. Você não irá cometer esse erro também, né?

Saiba mais aqui e aqui.

E aí, se sentiu um pouquinho mais encorajado(a)? Sim? Não? Conta tudo para nós!
E lembre-se: sempre vale a pena encarar medos para realizar sonhos e viver momentos inesquecíveis! 😀

Para mais viagens e aventuras acesse o site aqui e baixe gratuitamente o app da Dreampass Experiences clicando aqui.
Siga a Dreampass nas redes sociais: Facebook e Instagram.

Texto e fotos: Equipe Dreampass Experiences.
Este é um publieditorial.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Notícias

Arquipélago de Alcatrazes será aberto para visitação

Mochileiros.com

Publicado

em


[Atualizado em 16/09/2017 para acréscimo de informações]
Pouco conhecido e com forte potencial turístico, o Refúgio de Vida Silvestre (RVS) do Arquipélago de Alcatrazes, localizado em São Sebastião, litoral norte paulista, será aberto para atividades de mergulho recreativo e passeio embarcado para observação da fauna.
Segundo o ICMBio serão instaladas 10 poitas no RVS para o turismo de mergulho. Em cada âncora serão permitidos no máximo 20 mergulhadores e será sempre acompanhado por um profissional.
A Portaria de Autorização para Visitação em Alcatrazes e um acordo de cooperação com a SOS Mata Atlântica será assinada no dia 13/09 na Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião.
A partir da publicação da portaria, s empresas de turismo e profissionais autônomos interessados, que atenderem os pré-requisitos estabelecidos no documento, poderão se cadastrar para prestar serviços de visitação no Refúgio. A perspectiva é que no início de 2018 o turismo no local esteja já em funcionamento. “O turismo em Alcatrazes é uma antiga reivindicação de vários setores locais, que possibilita a apropriação e a valorização pela sociedade desse importante patrimônio natural”, argumenta a chefe do Núcleo de Gestão Integrada de ICMBio Alcatrazes, Kelen Luciana Leite.
Segundo ela, a criação do refúgio de Alcatrazes representa o fortalecimento do ecoturismo no litoral de São Paulo, em especial para os municípios de São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba, Ubatuba, Bertioga, Guarujá, São Vicente e Santos, que juntos possuem uma expressiva frota de embarcações de esporte e recreio.
A demanda por visitação ao Arquipélago de Alcatrazes é histórica, remonta à década de 90, quando foram iniciadas ações em prol da criação do Parque Nacional Marinho dos Alcatrazes, que propunha o aumento da área marinha protegida e a implantação do ecoturismo como opção para o desenvolvimento sustentável regional. Apesar da expectativa para o turismo no arquipélago, atividades com esta finalidade nunca ocorreram devido a restrições relativas à Estação Ecológica (Esec) Tupinambás (categoria de unidade de conservação que não permite a visitação pública) em algumas áreas, bem como por determinação da Marinha do Brasil, que em função de seus exercícios militares (que atualmente ocorrem na ilha da Sapata), interditou a navegação na região de 1998 até 2008.

Vista de área do arquipélago | Foto: Divulgação/ICMBio

O refúgio é gerido de forma unificada com a Estação Ecológica Tupinambás, compondo o Núcleo de Gestão Integrada ICMBio Alcatrazes. Nas duas unidades foram registradas 1.300 espécies, sendo que 93 delas estão sob algum grau de ameaça de extinção. Além das ameaçadas, o arquipélago dos Alcatrazes abriga espécies endêmicas e possui a fauna recifal mais conservada e biodiversa do Sudeste e Sul do Brasil, sendo também área de reprodução e crescimento de espécies de valor comercial para o setor pesqueiro. Regionalmente é reconhecido como patrimônio natural, referência de paisagem para a população, além de abrigar sítios arqueológicos e importante patrimônio histórico.
Abriga também um dos maiores ninhais do país com nidificação de fragatas, atobás e gaivotões. Estão protegidas em Alcatrazes 259 espécies de peixes, destacando-se a garoupa, o tubarão-martelo, entre outras, e ocorre ainda presença considerável da-tartaruga-de-pente e da tartaruga-verde, ambas ameaçadas de extinção. Na região há intensa ocorrência de baleias e golfinhos, sendo ao todo 10 espécies registradas para o arquipélago.
A vegetação do arquipélago é caracterizada por áreas de mata atlântica e campos rupestres, e já foram encontradas 320 espécies de flora. Além de exuberante beleza e expressiva biodiversidade, o arquipélago de Alcatrazes faz parte do patrimônio arqueológico, histórico e cultural da região. Os paredões graníticos de 316 metros de altura no meio do oceano impressionam os navegantes por sua beleza, e suas águas com boa visibilidade e grande quantidade de vida marinha são um convite ao mergulho contemplativo.

Foto: Alexandre Costa/Divulgação ICMBio.

Algumas das proibições estabelecida pela Portaria de Visitação

• Utilizar produtos de higiene e cuidados pessoais tais como sabonetes, xampus, cremes de cabelo, óleos bronzeadores e outros, excetuando-se aqueles destinados à proteção solar
• Portar petrechos de pesca, salvo aqueles destinados à salvaguarda da vida humana, assim considerados pela Marinha do Brasil
• Descartar qualquer tipo de resíduo sólido ou líquido, inclusive orgânico, bem como descartar diretamente efluentes sanitários ou acionar bombas e sistemas de esgotamento de tanques de retenção de efluentes das embarcações
• Acionar buzinas e outros sinais sonoros, bem como utilizar equipamentos sonoros coletivos e instrumentos musicais diversos dentro do perímetro de uma milha náutica (1,8 km) das ilhas, exceto em condições necessárias à segurança de navegação, como visibilidade restrita.
• Preparar alimentos que possam atrair as aves das unidades de conservação, a exemplo de churrascos
• Alimentar a fauna silvestre
• Desembarcar em qualquer ilha ou formação do arquipélago
• Tocar nos costões rochosos, perseguir, tocar ou apanhar quaisquer organismos marinhos, retirar ou coletar qualquer material (conchas, pedras, dispositivos de pesquisa experimental etc.)
• Mergulhar com cetáceos ou outros animais marinhos que possam oferecer risco ao visitante.

Clique aqui para conhecer a portaria que estabelece as regras de visitação.

Com informações do ICMBio.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

Parque Ilha Anchieta é opção para quem visita Ubatuba (SP)

Mochileiros.com

Publicado

em


Com 17 quilômetros de costa e praias de águas cristalinas, local reúne história, educação ambiental e recebe visitas frequentes de baleias

Quem aprecia natureza, história e conhecimento sobre educação ambiental tem no Parque Estadual Ilha Anchieta (PEIA), no município de Ubatuba, litoral norte de São Paulo, uma excelente opção de destino turístico.
Com 828 hectares, 17 quilômetros de costões rochosos e sete praias de águas cristalinas que contrastam com o verde da Mata Atlântica, o PEIA protege a segunda maior ilha do litoral paulista e possui uma paisagem única.
Criado em 1977, o parque oferece atividades como caminhadas, mergulho e contemplação de paisagens belíssimas, além de um patrimônio histórico que inclui um presídio desativado. Além de preservar e conservar os ecossistemas naturais, o PEIA também amplia o desenvolvimento de pesquisas e a realização de atividades de educação ambiental.
Habitada por tribos indígenas até o inicio do século 19, a ilha era conhecida como Terra de Cunhambebe, nome do chefe da Confederação dos Tamoios. Os colonizadores a batizaram como Ilha dos Porcos e, em 1904, recebeu uma colônia correcional, que depois virou presídio político.
Em 1955, após intensas rebeliões carcerárias, o presídio foi desativado. O nome da ilha foi mudado para Ilha Anchieta em 1934, como parte das homenagens ao quarto centenário do nascimento do Padre José de Anchieta.

Em 1904, a ilha recebeu uma colônia correcional, que depois virou presídio político e acabou sendo desativado | Foto: Secretaria do Meio Ambiente-SP

Avistamento de baleias

No último dia 19 de agosto, duas baleias Francas-austrais (Eubalaena australis), uma fêmea e seu filhote, foram avistadas no entorno do Parque (vídeo abaixo), dentro do território da Área de Proteção Ambiental Marinha Litoral Norte (APAMLN). Segundo os técnicos da Unidade de Conservação, tem sido comum avistar baleias dessa espécie no percurso até o parque.
Também conhecidas como baleias francas ou baleias certas, a espécie é facilmente identificada por não possuir nadadeira dorsal, além das calosidades na cabeça – espessamentos da epiderme cobertos por colônias de ciamídeos.
Também chamados piolhos-de-baleia, são transferidos da mãe para seu filhote a partir do nascimento ou durante a cópula, formando um padrão único para cada animal, como uma “impressão digital”.
De acordo com o pesquisador Diogo Destro Barcellos, que atualmente realiza a pesquisa intitulada “Baleias e golfinhos no entorno da Ilha Anchieta”, já foram registradas na ilha diversas espécies, como a baleia jubarte (Megaptera novaeangliae), baleia de bryde (Balaenoptera brydei), orca (Orcinus orca) e baleia franca-austral (Eubalaena australis).
Guilherme Fluckiger, oceanógrafo do Programa de Monitoramento de Praias, revela que o último registro da espécie baleia-franca-austral se deu em 2012. Esta espécie possui hábitos costeiros e circula em profundidades inferiores a 20 metros. Se não forem incomodadas, as baleias costumam permanecer com seus filhotes por longos períodos no mesmo local – relatos apontam que uma fêmea e seu filhote já permaneceram por cerca de um mês na baía de Paraty-RJ.
A Lei Federal 7.643/87 e a Portaria IBAMA 117/96 estabeleceram a proibição da pesca e os limites de aproximação para avistamento de cetáceos, respectivamente, em águas brasileiras. Para observação, deve ser mantida uma distância mínima de 100 metros de um cetáceo.

No www.mochileiros.com (onde você pode pesquisar mais sobre) o viajante Guilherme Tosetto publicou um relato de viagem por Ubatuba, na qual fez a Trilha das 7 praias e também conheceu a Ilha de Anchieta.
Outro que fez a Trilha das 7 praias foi o Ecodurismo. Confira aqui.

Mais informações sobre a Unidade de Conservação (valor da taxa de entrada, horários e dias de funcionamento e etc) podem ser conferidas no site http://www3.ambiente.sp.gov.br/parque-ilha-anchieta/

Confira abaixo vídeo que registrou duas baleias Francas-austrais (Eubalaena australis), uma fêmea e seu filhote, no entorno do Parque no último dia 19/08/2017:

Com informações da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado de São Paulo.

 


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

Comunidades do ‘Circuito Quilombola Paulista’ oferecem experiência ímpar

Mochileiros.com

Publicado

em


Roteiro é oportunidade única para vivenciar o modo de vida no campo e aprofundar nossas tradições e raízes culturais

No Estado de São Paulo existem 33 comunidades remanescentes de quilombos, em áreas que serviam de abrigo e resistência dos antigos escravos, desde o Século 17. Hoje, nessas terras reconhecidas pelo Governo do Estado (confira o mapa na imagem abaixo), vivem cerca de 1,4 mil famílias que celebram a cultura de seus antepassados e produzem diferentes produtos agrícolas, com assistência técnica da Fundação Itesp, que promoveu o trabalho de regularização fundiária das terras.

Para ver o mapa ampliado, clique aqui | Foto: Reprodução.

A Comunidade de Ivaporunduva, no município de Eldorado, no Vale do Ribeira, sul do Estado, por exemplo, foi reconhecida em 1998 e titulada em 2003. Ela faz parte do Circuito Quilombola Paulista, criado em março de 2016, para desenvolver o turismo agroecológico e cultural das comunidades.

Os visitantes são recebidos pela comunidade, que mantém no local uma pousada para pernoite, com café da manhã, almoço e jantar. É uma oportunidade para experimentar o modo tradicional de vida quilombola e aprofundar o conhecimento sobre uma de nossas principais tradições e raízes culturais.

Quilombo Ivaporunduva | Foto: Du Amorin/A2img

Bem estruturada, a comunidade mantém monitores para atender os visitantes e orientá-los sobre a história da região e suas características, em especial as lutas que envolveram a resistência dos escravos contra os seus opressores.

Entre as atrações do local, está a igreja mais antiga da região, a Capela Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, construída no Século 17, às margens do Rio Ribeira e que é tombada pelo Condephaat, órgão de preservação do patrimônio histórico. A comunidade também produz um bonito artesanato, como bolsas, cintos e almofadas, feito com sementes e folhas de bananeira e doces preparados pelas quilombolas. O principal produto agrícola é a banana orgânica.

A Capela Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, construída no Século 17 | Foto: Gilberto Marques/A2img

Família residente no Quilombo Ivaporunduva, às margens do Rio Ribeira | Foto: Gilberto Marques/A2img

Família residente no Quilombo Ivaporunduva, às margens do Rio Ribeira | Foto: Gilberto Marques/A2img

O cultivo orgânico da Banana está entre as principais culturas do Quilombo | Foto: Gilberto Marques/A2img

Para visitar a Comunidade Ivaporunduva, agende pelo telefone/WhatsApp (13) 98106-5573, com o presidente da comunidade, sr. Elson.

Outras comunidades integrantes do Circuito Quilombola Paulista que podem ser visitadas:

  • Quilombo do Mandira, no Municípío de Cananéia;
  • Quilombos São Pedro, André Lopes, Pedro Cubas, Pedro Cubas de Cima, Sapatu, todos no Município de Eldorado;
  • Quilombos da Caçandoca, da Fazenda, Camburi, no Muncípio de Ubatuba;
  • Quilombos Cedro, Reginaldo e Ribeirão Grande, no Município de Barra do Turvo;
  • Quilombo Peropava, no Município de Registro.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado de São Paulo.


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Blog

16 passeios alternativos para fazer em São Paulo

Publicado

em

Parque Estatual da Cantareira, passeios alternativos em São Paulo

Apesar da correria, barulho e trânsito, a cidade de São Paulo oferece muitas opções de lazer, dos tradicionais – como um passeio pelo Mercado Municipal ou pela Avenida Paulista – aos que ainda não foram descobertos amplamente pelos viajantes. Para explorar os lugares diferentes que a “Terra da Garoa” oferece, selecionamos 16 passeios alternativos na capital paulista. Confira:

1 – O Velhão

Foto: Humberto Muller / Panoramio

Este lugar fica no coração da Serra da Cantareira e proporciona uma viagem no tempo! Todo o complexo foi construído com material de demolição e, hoje, funciona por lá um restaurante, cinco bares e algumas lojinhas muito charmosas. Há ainda uma serralheria, que faz portas, gazebos, ornamentos, entre outros objetivos. Tudo feito como no século passado, sem soldas.
Endereço: Estrada Santa Inês, 3000 – Mairiporã – São Paulo.

2 – Feira Kantuta

Feira Kantuta, passeios alternativos em São Paulo

Créditos: Divulgação

Kantuta é um pedaço legítimo da cultura boliviana no país e um dos passeios alternativos em São Paulo. É ainda uma das feiras mais originais da cidade. Todo domingo, das 11h às 19h, a feira reúne imigrantes bolivianos, que festejam o encontro com muita culinária típica, artesanato e música.
Endereço: Praça Kantuta, 924 – Canindé

3 – Aldeias indígenas

Aldeias Indígenas, passeios alternativos em São Paulo

Créditos: Creative Commons

Situadas no extremo sul da cidade há duas áreas de proteção ambiental, a Capivari-Monos e a Bororé-Colônia, que abrigam cachoeiras, mananciais, animais selvagens e aldeias indígenas, as quais recebem visitas guiadas. E acreditem: você pode ver uma cratera de 35 milhões de anos feita por um meteorito. Tudo isso a menos de 50 mil metros da Praça da Sé, no centro de São Paulo.
Endereço: Região de Parelheiros. Mais informações sobre, aqui.

4 – Casa da Xiclet

Casa Xiclet, passeios alternativos em São Paulo

Crédito: Adriana Latorre

Um espaço localizado na Vila Madalena, certamente diferente de tudo que você já viu. A Casa da Xiclet é uma galeria de arte e também uma residência, o que a torna um lugar excêntrico e em constante construção. Em sua programação, há exposições de arte, espetáculos musicais, projeção de filmes, jogos, palestras e oficinas.
Endereço: R. Fradique Coutinho, 1855 – Vila Madalena, São Paulo.

5 – Museu da Voz

Quem conhece a feirinha de antiguidades e quinquilharias da Praça Benedito Calixto que funciona aos sábados das 9h às 19h, se apaixona. E é lá que o Museu da Voz funciona, em uma barraca mesmo, onde você pode conferir vinis, fitas antigas e algumas outros relíquias da música popular brasileira. Um ótimo passeio alternativo em São Paulo.
Endereço: Praça Benedito Calixto – Jardim Paulista, São Paulo.

6 – CAOS

Essa mistura de bar, balada e loja de antiguidades não poderia faltar em nossa seleção. O lugar que fica na badalada Rua Augusta é tão incrível, que já foi até tema de uma série do canal History Channel. Para dizer que conhece São Paulo, tem que visitar esse espaço!
Endereço: R. Gen. Júlio Marcondes Salgado, 321, Santa Cecília – São Paulo.

7 – Pedra Grande | Parque da Cantareira

Parque Estatual da Cantareira, passeios alternativos em São Paulo

Créditos: Creative Commons

Silêncio em São Paulo é luxo. Para fugir das buzinas não é preciso sair da cidade. A apenas 10 km da Praça da Sé, na zona norte da cidade, fica o núcleo Pedra Grande do Parque da Cantareira. É um canto verde de mata atlântica no meio da metrópole! A dica é conhecer o mirante da Pedra Grande, da onde se tem uma vista panorâmica da capital paulista. Funciona aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h.
Endereço: R. do Horto, 1799, Parque da Cantareira.

8 – Matilha Cultural

Possivelmente o único espaço do país onde os animais são muito bem vindos e inspiram boa parte da programação, que é gratuita ou a preços populares. A Matilha Cultural está entre os melhores lugares alternativos em São Paulo, pois traz conteúdos de vanguarda, sempre acompanhados de debates produtivos, palestras e oficinas que consolidam a democratização do conhecimento.
Endereço: R. Rêgo Freitas, 542 – República, São Paulo.

9 – Museu da Pessoa

Museu da Pessoa, passeios alternativos em São Paulo

Créditos: Divulgação

Em São Paulo você tem a oportunidade de conhecer um museu totalmente dedicado a vida de pessoas comuns. O Museu da Pessoa tem um acervo de histórias de vida aberto à participação gratuita de toda pessoa que queira compartilhar seus relatos. Sua sede fica em Pinheiros e, caso tenha interesse em compartilhar sua história, pode gravar seu depoimento pessoal de vida em vídeo.
Endereço: R. Natingui, 1100 – Vila Madalena, São Paulo.

Continue lendo mais sobre os passeios alternativos em São Paulo, no Guichê Virtual!


Comentários do Facebook

comentários

Continue lendo

Os 10 + vistos do Mês

Log in

Or with username:

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…