10 lugares para viajar no Rio de Janeiro

A sensação de estar descobrindo algo é das melhores quando se faz uma viagem não é? E o Rio de Janeiro, apesar de sua capital e praias tão conhecidas ainda tem muito a ser explorado. Por isso neste post você encontrará sugestões de lugares para viajar no Rio de Janeiro, na região serrana e litoral, alguns destinos já conhecidos pelos viajantes e outros que para alguns serão belas surpresas. São incríveis paisagens naturais, rico patrimônio histórico cultural, praias e montanhas, parques e florestas, atrações imperdíveis para um(a) apaixonado(a) por viagem como você. Neste post você também vai encontrar opções de hospedagem para ficar em cada destino (para saber mais sobre cada sugestão basta clicar sobre o nome do estabelecimento).
E como o friozinho tá aí, vamos começar pelos…

Lugares para viajar no Rio de Janeiro (Região Serrana)

Petrópolis

A “Cidade Imperial” emoldurada pela exuberante paisagem montanhosa ainda guarda construções da época em que a família real portuguesa buscava temperaturas mais amenas para se refrescar do calor da capital. Hoje algumas destas belíssimas construções são museus como o Museu Imperial, que é uma verdadeira viagem pela História contando com mobiliário, documentos, obras de arte entre outros. Destaque também para os jardins do palácio que receberam espécies de árvores e flores de mais de 15 regiões do mundo.
Muito arborizada, na Avenida Koeler você encontrará outras joias arquitetônicas (nem todas abertas à visitação) como a Casa da Princesa Isabel ou o (hoje hotel) Solar Dom Afonso e o Museu Palácio Rio Negro, construído em 1889. Cruzando a avenida, já na Rua São Pedro de Alcântara está a emblemática Catedral São Pedro de Alcântara, construção em estilo neogótico inspirada nas antigas catedrais do norte da França. Além da beleza arquitetônica, um dos atrativos históricos da catedral é a capela onde estão os restos mortais do imperador D. Pedro II e da imperatriz D. Teresa Cristina, além dos túmulos da princesa Isabel e seu marido, o Conde d’Eu.
Aliás, foi o Conde d’Eu quem deu de presente à esposa o Palácio de Cristal, uma construção quase inteira de vidro e outro ícone da cidade e que pode visitada por você, assim como a ‘Casa de Santos Dumont’, a Casa de Stefan Zweig, o Palácio Quitandinha, entre outros.
Para conhecer uma cidade, nada melhor que caminhar por ela e o Centro Histórico de Petrópolis por si só já é um convite e se você é daqueles(as) viajantes que gosta de ir um pouco além do que leu nas plaquinhas de sinalização ou na internet, pode contratar um tour guiado por lá. Dê uma olhadinha nessa opção clicando aqui.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Palácio de Cristal em Petrópolis | Foto: Wilfredor/(CC BY-SA 4.0)
Palácio de Cristal em Petrópolis | Foto: Wilfredor/(CC BY-SA 4.0)

Gastronomia e Cerveja

Petrópolis conta com a tradicional Festa do Colono Alemão, a Bauernfest, uma espécie de ‘Octoberfest’ que ocorre no inverno. Neste ano ocorreu entre 24/06 e 04/07 e com adaptações por conta da pandemia.
Além do festival onde há muita culinária alemã e cerveja, na cidade está instalada uma das fábricas de cerveja mais antigas do Brasil, a Bohemia. É possível fazer o ‘Tour Cervejeiro’, com direito a degustação “direto da fonte”. Mais informações sobre aqui.
Se você aprecia a arte cervejeira, existem na cidade várias outras opções de cervejaria como as: Itaipava , Real, Brewpoint, Colonus, Odin, Alter e a Doutor Duranz. Sites, endereços e contatos podem ser encontrados clicando aqui.
Se prefere fazer uma visita guiada partindo do Rio de Janeiro (capital), pode visitar 3 cervejarias artesanais de Petrópolis através de tours oferecidos por operadoras da cidade. Se achar legal, de confira uma das opções aqui.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Cervejarias em Petrópolis | Foto: engin akyurt/Unsplash
Se você aprecia cerveja, pode conhecer as várias cervejarias da cidade e região | Foto: engin akyurt/Unsplash

Itaipava

Se você é do tipo que gosta de comprinhas, pode gostar do distrito de Itaipava. Além da tradicional feirinha, por lá há shoppings e lojas como a cerâmica Luiz Salvador.
Se ainda ficou faltando algo no seu tour cervejeiro é por lá que está o Castelo de Itaipava, réplica de um castelo medieval construído na primeira metade do século XX onde há fabricação de cerveja. Mais informações aqui.
Se você está buscando mais natureza pode conhecer a Cachoeira da Macumba (ou Cachoeira do Treze) que fica saindo de Itaipava, no KM13 da serra Petrópolis-Teresópolis. É possível deixar o carro estacionado e com cerca de 10 minutos de caminhada já observar os primeiros poços e mais adiante uma a queda d’água.  É uma opção de trilha que não exige muito esforço (para quem tem algum condicionamento), principalmente se no dia anterior você fez um tour pelas cervejarias – risos. Pelo fácil acesso, o lugar pode estar cheio, principalmente durante finais de semana e feriados.
No vídeo abaixo você pode ver um pouquinho da cachoeira, onde também praticam rapel:

 

Secretário

Secretário é uma pequeno vilarejo de Pedro do Rio, distrito de Petrópolis. Se você quer se sentir no interior, essa é a pedida. Por lá você poderá fazer passeios por fábrica de queijos e doces artesanais, cachaçaria, conhecer a vinícola Inconfidência, a única vinícola do estado (consulte sobre visitação -sobretudo no período da pandemia – no site ou através dos contatos disponíveis nele) e até conhecer uma cachoeira (da Rocinha) que fica a cerca de 10 minutos a pé do centrinho de compras de Secretário, entre outros passeios e trilhas. No site ‘Visite Secretário’ há várias dicas (acesse aqui e clique em ‘o que fazer’).

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Vinícola Inconfidência | Foto: Divulgação/@vinicolainconfidencia
Vinícola é a única do estado do Rio de Janeiro | Foto: Divulgação/@vinicolainconfidência

Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso) – Sede Petrópolis

O Parque criado em 1939 abrange as cidades fluminenses de Guapimirim, Magé, Petrópolis e Teresópolis e é sem dúvida uma das mais belas paisagens naturais do Brasil.
Nele está uma importante trilha de longa distância brasileira, a Travessia Petrópolis-Teresópolis, que dura cerca de 3 dias. Você pode conferir experiências de outros viajantes nessa travessia no espaço dedicado às Trilhas no Rio de Janeiro do fórum Mochileiros.com.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Parque Nacional da Serra dos Órgãos
Nascer do sol com vista para o monumento natural Castelos do Açu, em trecho da travessia Petrópolis-Teresópolis, no parque nacional | Foto de Tabatajac que publicou sobre essa experiência aqui.

A sede Petrópolis fica na Estrada do Bonfim, no Bairro de Correias e é a “porta de entrada” para a travessia. Nela há trilhas com diversos níveis de dificuldade e que dão acesso à poços e cachoeiras. Na sede Petrópolis não há estacionamento. Você pode saber mais sobre o Parnaso/Sede Petrópolis clicando aqui.

Lugares para visitar no Rio de Janeiro - Mapa de Trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sede Petrópolis | Foto: Reprodução/ICMBio.
Lugares para visitar no Rio de Janeiro – Mapa de Trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sede Petrópolis | Foto: Reprodução/ICMBio.

Onde ficar em Petrópolis

A cidade tem ótima oferta de hospedagens, para todos os gostos e bolsos. Abaixo algumas sugestões de hospedagem em Petrópolis para você aproveitar o melhor da cidade. Para saber mais sobre os estabelecimentos, ver fotos e reservar, clique sobre o nome deles:

Village Hostel – o hostel oferece quartos compartilhados e privativos e fica a 1,4Km do Museu Imperial, 2,1Km da Catedral de São Pedro de Alcântara e a 10Km da rodoviária. Recebeu nota 9,7 (de 10) dos viajantes que deixaram suas opiniões sobre ele na plataforma Booking.com.

EcoLodge Hostel – também tendo recebido nota 9,7, este hostel está a 10km da Catedral e a 15Km da rodoviária. Tem bar, piscina e oferece quarto compartilhado (misto) ou econômico com uma cama de casal ou 2 camas de solteiro.

Hostel do Suca – o hostel está perto do centro, a 6Km da rodoviária. Oferece piscina e quartos compartilhados divididos em masculino e feminino. Recebeu nota 9,8 (de 10) no Booking.com.

Pousada Dom Petrópolis – esta pousada recebeu nota 9 (de 10) no Booking.com e as avaliações destacam como bastante positiva sua localização. Está a cerca de 6Km da rodoviária e a 2Km da catedral de São Pedro de Alcântara. Oferece quartos privativos de ‘duplo econômico’ até ‘quarto família Deluxe’, com 3 camas de solteiro e 1 de casal.

Casa Julia – oferece espaços de ‘Loft’ (para até 5 pessoas); ‘Maisonette’ (para até 3 pessoas) e ‘Apartamento com varanda’ (para até 2 pessoas), todos com cozinha equipada com micro-ondas. Uma geladeira e fogão também são fornecidos assim como uma cafeteira. Está a 10Km da rodoviária de Petrópolis e a 4,4Km da Catedral de São Pedro de Alcântara.

Loft Palácio de Cristal – está a cerca de 750m do Palácio de Cristal oferecendo os espaços ‘Loft’ (2 camas de solteiro e 1 cama de casal) e ‘Apartamento – Térreo’ (3 camas de solteiro e 1 de casal), todos com cozinha compacta equipada com micro-ondas, geladeira, torradeira e chaleira. Todos com varanada ou sacada, além de área de estar.

Para mais opções de hospedagem em Petrópolis clique aqui.

Teresópolis

Bem, algumas atrações de Teresópolis acabam se misturando um pouco, sobretudo as “coladas” como a Cachoeira da Macumba, com a saída de Itaipava como comentamos ao falar das atrações de Petrópolis. A incrível beleza cênica é mesmo a da Serra dos Órgãos (que engloba os 2 municípios, mais áreas de Guapimirim e Magé). Além da travessia Petrópolis-Teresópolis, merece destaque na cidade o Mirante do Soberbo (KM92 da BR 116), que faz parte de Guapimirim, mas que pode aparecer em Teresópolis em suas pesquisas. De lá é possível ter uma vista… soberba… do pico Dedo de Deus, um dos cartões-postais da região e um símbolo do alpinismo brasileiro. Além do Dedo de Deus é possível ver outros pontos da Serra dos Órgãos e picos como do Escalavrado e Cabeça de Peixe.
Outro cartão-postal de Teresópolis é a Cachoeira dos Frades, que fica no Vale dos Frades, cujo acesso se dá via estrada de terra na altura do KM20 da Teresópolis-Friburgo. São cerca de 10 minutos de carro até uma pequena trilha que chega numa piscina natural com duas quedas d’água. Devido ao fácil acesso o local fica bastante cheio aos finais de semana e feriados, sobretudo na primavera e verão.

 Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Dedo de Deus é um dos cartões-postais da região | Foto: Bruna Prado/Mtur.
Dedo de Deus é um dos cartões-postais da região | Foto: Bruna Prado/Mtur.

Bonsucesso

Trilha das Torres – o acesso a essa trilha de paisagem espetacular e pouco explorada se dá através do distrito de Bonsucesso. A montanha formada por 3 “torres” fica na região do Parque Estadual dos Três Picos que engloba áreas das cidades de Teresópolis, Nova Friburgo, Silva Jardim, Guapimirim e Cachoeiras de Macacu. Não há placas indicativas para a trilha que é indicada para pessoas que já têm algum condicionamento e experiência. Você deve seguir pela rua José Manoel Rodrigues (no centro de Bonsucesso) em direção a R. Theodoro Maria Dalia. Dê uma conferida no Google Maps, aqui.
A paisagem é tão bonita que a gente não resistiu e inseriu neste post dois vídeos de lá:

 

Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso) – Sede Teresópolis

A sede Teresópolis do Parnaso fica na área urbana da cidade e com estrada interna de 3Km facilita o acesso a vários pontos de visitação. A partir desta sede há várias trilhas, como as Trilha Suspensa e da Primavera (consideradas leves), as Cartão-Postal, 360 e Mozart Catão (moderadas) e a considerada pesada, Trilha da Pedra do Sino. Você pode conferir experiências de outros viajantes nessa travessia no espaço dedicado às Trilhas no Rio de Janeiro do fórum Mochileiros.com. Você pode conferir na imagem abaixo onde elas estão no mapa:

Lugares para visitar no Rio de Janeiro - Mapa de Trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sede Teresópolis | Foto: Reprodução/ICMBio.
Lugares para visitar no Rio de Janeiro – Mapa de Trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sede Teresópolis | Foto: Reprodução/ICMBio.

Aqui você tem mais informações sobre a Sede Teresópolis do Parnaso e o que fazer nessa região do parque.

Onde ficar em Teresópolis

Camping Imaginário Ecoturismo – o camping está a 18Km do terminal rodoviário de Teresópolis e oferece estacionamento privativo gratuito.

Intercity Teresópolis – este hotel da rede Intercity está a 600m da rodoviária de Teresópolis pertinho do centro da cidade. Todos os quartos têm banheiro privativo, TV com canais a cabo e todas as áreas têm wi-fi gratuito; apontado pela Booking.com como ‘ideal para viagem em dupla’, tendo recebido a nota 9 (numa escala de 10) na plataforma.

Pousada Sítio e Poesia – localizada em área privilegiada do Parque Estadual dos 3 Picos, a pousada oferece piscina, terraço com banheira de hidromassagem e quartos com varanda. Espaço ideal para uma viagem à dois.
O restaurante da pousada serve massas caseiras e o bar extensa carta de vinhos. Tem nota 9,3 (de 10) na Booking.com.

The Lodge – O The Lodge tem vista para as montanhas e oferece chalé com varanda térrea, área de estar com lareira, cozinha compacta equipada com micro-ondas, geladeira, fogão, forno, torradeira e cafeteira. Também está à disposição do hóspede a piscina com bela vista, jardim e uma área com churrasqueira. Está a 7Km da rodoviária e a 12Km do Mirante do Soberbo.

Para mais opções de hospedagem em Teresópolis clique aqui.

Nova Friburgo

A urbanização da cidade serrana de Nova Friburgo começou com a vinda (1819/20) de famílias da região de Fribourg, na Suíça. Poucos anos depois (1824) vieram os alemães, antes mesmo de chegarem no Rio Grande do Sul. Hoje a cidade orgulha-se do título “A Suíça brasileira” e além de marcos da sua colonização que ficaram em algumas construções, cultura e gastronomia a natureza é o que mais encanta. Vale destacar:

Parque Estadual dos Três Picos (PETP)

Do parque fazem parte áreas das cidades de Cachoeiras de Macacu, Teresópolis, Nova Friburgo, Silva Jardim e Guapimirim; de Nova Friburgo ele é acessado através do Distrito de Campo do Coelho (RJ-130). Região frequentada por montanhistas desde a década de 40, além de conjuntos montanhosos extraordinários para os escaladores também é palco para belas caminhadas, muitas delas começando de uma localidade chamada de “Vale dos Deuses”.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Área do Parque Estadual dos Três Picos | Foto: Angelo Chernicharo (CC BY-SA 4.0)
Área do Parque Estadual dos Três Picos | Foto: Angelo Chernicharo (CC BY-SA 4.0)

Ah, e Três Picos vem dos Picos Menor, Médio e Maior, um afloramento rochoso de aproximadamente 2.366m de altitude, ponto culminante da Serra do Mar.
Na área do PETP há vários atrativos. Destacamos aqui os:

Pico da Caledônia – uma das maiores elevações da Serra do Mar de lá é possível avistar a cidade de Nova Friburgo e dependendo do tempo, a Baía de Guanabara e parte do Rio de Janeiro, região Serrana, Grande Rio e Baixada Fluminense e até da Região dos Lagos. Fica no PETP entre Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu. A trilha até o pico tem cerca de 6Km e passa por trajetos íngremes, inclusive para acessar a escadaria de 630 degraus que leva o topo. (Consulte o acesso por conta da pandemia).

Pedra Cabeça do Dragão – outro espetáculo da natureza é a vista da Cabeça de Dragão, também no PETP. Para chegar ao seu cume da Pedra Cabeça do Dragão é preciso preparo; há áreas de escalada e caminha-se por algumas lajes de pedra.

Mais informações sobre o PETP podem ser conferidas clicando aqui.

Parque Ecológico Cão Sentado

A cerca de 10Km do centro de Nova Friburgo está o parque que tem uma trilha ecológica de cerca de 45 minutos passando por cavernas e grutas que dão num monumento de pedra natural que remete a figura de um “cão sentado”. Dentro do parque há em determinados períodos do anos atividades de arvorismo e tirolesa. (Funcionamento reduzido por conta da pandemia.) É uma das principais atrações da cidade e uma das opções para quem viaja com crianças.
Você pode conferir mais informações no site http://www.parqueecologicocaosentado.com.br/

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Parque Ecológico do Cão Sentado | Foto: Divulgação/@pedradocaosentado
Monumento natural remete a figura de um “cão sentado” | Foto: Divulgação/@pedradocaosentado

Lumiar e São Pedro da Serra

Lumiar é um distrito de Nova Friburgo, a cerca de 30Km do centro da cidade. Se você resolver dar um pulinho em Lumiar, em volta da Praça do Laguinho encontrará alguns barzinhos e restaurantes bem legais e se tiver buscando um pouco mais de natureza, lá é ponto de partida para cachoeiras como o Poço Belo, o Poço Feio, a Cachoeira de São José e a Indiana Jones. Vizinho ao distrito, também fazendo parte de Nova Friburgo, a cerca de 36Km do centro da cidade está São Pedro da Serra. Por lá (a cerca de 14Km do centrinho) está o “Encontro dos Rios“. O ponto onde o Rio Bonito cai sobre o Rio Macaé é um dos atrativos de Nova Friburgo.
De acordo com o site Visite São Pedro da Serra, o local fica às margens da RJ-142 sentido Casimiro de Abreu e existem 3 opções para os visitantes: tomar um banho na margem ao lado da estrada de onde se vê a queda d’água; atravessar a ponto e subir até a laje do Rio Bonito (uma piscina formada pelo rio pouco antes de cair sobre o Rio Macaé) ou também depois da ponte seguir por uma estradinha de chão até o Bar do Encontro, “onde se pode desfrutar do Rio Macaé e contar com algum serviço.”
O montanhista e guia de trekking, Felipe Lombardi fez um vídeo mostrando um pouco destes distritos de Nova Friburgo:

Onde ficar em Nova Friburgo

Camping Muri – este camping faz parte do Camping Clube do Brasil (CCB), entidade fundada em 1966. Alguns comentários de viajantes feitos em avaliações no Google, dizem que o local está precisando de mais manutenção. Se você é muito exigente quanto a infraestrutura de camping é bom dar uma olhada antes antes de montar acampamento.

Camping Vale do Lago – além da área de camping, oferece passeios pela região, pesca esportiva, airsoft, treinamentos, bike park entre outros.

Hostel Mdemarília – o hostel oferece quartos 1individual pequeno’, quarto compartilhado (até 4 camas) e um ‘Estúdio com cama King-size’ (com 2 camas em beliche e 1 cama de casal grande), wi-fi e estacionamento. Recebeu nota 9 (de 10) dos viajantes que ficaram por lá e deixaram suas opiniões no Booking.com.

Hotel Alê/Alê Hostel – quartos simples instalados em um edifício histórico bem no centro de Nova Friburgo, a 100m de bares e restaurantes. Oferece quartos privativos e compartilhados, wi-fi, recepção 24h e café-da-manhã. Faz parte também a rede de hostels ‘Hostelling International’.

Kanawha Hotel – espaços rodeados de natureza, lugar prefeito para relaxar. Oferece quartos (alguns com banheira de hidromassagem) e chalé (também com hidromassagem e lareira). Está a cerca de 11,5Km do Poço Feio, no Lumiar. Tem bar, restaurante e estacionamento.

Sítio Flor das Águas – cercada de natureza, com belíssima vista das montanhas e floresta e às margens do rio, esta pousada oferece suítes (algumas com hidromassagem) e chalés. Fica a 4,4Km do Poço Feio no Lumiar.

Hostel Casa na Serra Lumiar – ambiente simples, com vista para a montanha. Fica a 26Km da Pedra da Catarina, um dos monumentos naturais de Nova Friburgo, em Lumiar.  Oferece quartos triplos com banheiros compartilhados, estacionamento, lounge e jardim.

Mais opções de hospedagem em Nova Friburgo (e seus distritos) você pode conferir clicando aqui.

Arraial do Sana

Se você gosta de natureza e cachoeiras pode gostar de Arraial do Sana, ou simplesmente Sana, como é mais conhecido.
O distrito faz parte da cidade de Macaé (de onde está a cerca de 70Km de distância), mas quem visita o Lumiar em Nova Friburgo, pode dar uma esticadinha de cerca de 30Km e chegar à vila que tem restaurantes e bares com música ao vivo (realidade bastante alterada por conta da pandemia). Se você  quer seguir imerso na natureza da região, pode fazer a Travessia Lumiar – Sana. São cerca de 8 horas de caminhada considerada pesada, passando por cachoeiras e rios, com belas vistas, incluindo a da Pedra do Peito do Pombo, uma das atrações naturais do Sana.

Também é possível fazer outras caminhadas como a Travessia Bicuda – Sana e trilhas até a Cabeceira do Sana e o Pico do Frade, tudo isso com muito verde ao redor e várias cachoeiras e poços. Por lá também se pratica rafting no Rio Macaé, e você pode conhecer uma comunidade quilombola, o Quilombo do Carukango que já foi um dos maiores do estado do Rio de Janeiro.

Por lá o destaque são as cachoeiras e poços. Há até um “Circuito das Águas” do qual fazem parte as cachoeiras do Escorrega, do Pai, da Mãe, do Filho, Borboletas, Poço do 22, Poço da Gruta e Poço do Sprite. Para fazer o circuito (total ou parcial) é preciso pagar uma taxa por pessoa. Mais informações podem ser obtidas no Instagram @circuitodasaguassana. Ah e tem cachoeiras fora do circuito, como a das Andorinhas, uma das mais visitadas e de fácil acesso a cerca de 2,5Km do centro do Sana; a Roncadeira (ou Tamanduá), a Cachoeira do Silêncio, a do Segredo entre outras.

Em 2021 o Sana Reggae Festival completa 10 anos. Por causa da pandemia, em junho, na conta oficial do festival no Facebook os organizadores publicaram um aviso sobre estarem aguardando liberação das autoridades sanitárias para a realização do evento.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Sana | Foto: Valtair Gomes (CC BY-SA 3.0)
Vista de área do Sana | Foto: Valtair Gomes (CC BY-SA 3.0)

 

Onde ficar no Sana

Camping do Poço – o camping leva este nome porque tem um poço de águas transparentes dentro da propriedade. Aluga barraca e você também pode levar a sua (consulte sobre). Oferece área para refeições e churrasqueira comunitária.

Camping Jatobá – margeado pelo Rio Sana, o camping tem áreas planas e sombreadas. Tem uma cantina na qual vendem refrigerantes, cervejas, vinhos e achocolatados; nos feriados vendem bolos e lanches. Oferece cozinha comunitária e banheiros femininos e masculinos.

Casa Maia Sana Hostel – oferece bela vista e quartos triplos e quádruplos, além de estacionamento e wi-fi gratuitos e cozinha compartilhada. Está a cerca de 8Km (em linha reta) do monumento natural Peito do Pombo. Recebeu nota 9,4 (numa escala de 10) dos hóspedes que lá ficaram e deixaram suas avaliações no Booking.com.

Simplesmente Sana – pousadas simples, no centro da vila, próxima as cachoeiras. Recebeu nota 9,2 (numa escala de 10) dos hóspedes que lá ficaram e deixaram suas avaliações no Booking.com.
Além da pousada, o Simplesmente Sana tem também um pequeno restaurante que recebe muitos elogios (consulte sobre funcionamento por conta da pandemia).

Recanto dos Pássaros – Chalés instalados em uma bela área verde à beira-rio. Oferece estacionamento, redes sob às árvores e na varanda de alguns dos chalés. Jardim e churrasqueira são de uso comum dos hóspedes.

Mais opções de hospedagem no Sana podem ser conferidas clicando aqui.

Cachoeiras de Macacu

A cidade atravessada pelo Rio Macacu faz parte da região metropolitana do Rio de Janeiro. Na região sul tem características e clima de baixada, quando no verão pode fazer perto dos 40 graus; já a parte norte tem características de serra, mas mesmo assim chega a fazer 35 graus na estação mais quente do ano, mas a mata, a altitude, o vento e as águas de suas belas cachoeiras fazem o clima mais ameno.
Parte do Parque Estadual dos Três Picos está na cidade, como mencionamos mais acima. O acesso até ele pela cidade é a partir da Estrada do Jequitibá, 145, no bairro Boca do Mato. Também com acesso por trilha que começa neste bairro, a Cachoeira das Sete Quedas é considerada por muitos uma das mais bonitas de Cachoeiras de Macacu.
Se você busca um lugar tranquilo para curtir uma cachoeira pode visitar a Cachoeira do Jequitibá. Já a Poço das Bruxas é mais visitado, por conta do acesso mais fácil (via Av. Castelo Branco, na altura do 4534).

Reserva ecológica de Guapiaçu (REGUA)

Um espaço de beleza cênica ímpar, história e preservação. Se você estiver pela região vale muito a visita à REGUA. No local há trilhas, jardins, mirante, pousada (serve refeições) etc. Mais informações podem ser conferidas no https://regua.org.br/

A REGUA é uma organização brasileira não governamental (ONG), sem fins lucrativos, visando a conservação da Mata Atlântica da bacia do alto rio Guapiaçu.

Onde ficar em Cachoeiras de Macacu

Além da opção de hospedagem na Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA), sugerimos as seguintes acomodações em Cachoeiras de Macacu:

Hostel Camping do Matuto – oferece cama em dormitório misto, quartos e suítes. Está no bairro Boca do Mato (a 6Km do centro de Cachoeiras de Macacu) onde estão o Poço das Borboletas e a Cachoeira 7 Quedas, distante dali apenas 1Km em linha reta.

Camping Nosso Quintal – fica a 2,6Km do centro de Cachoeiras de Macacu. Oferece estacionamento e vista para a montanha.

Pousada Água Cristalina – cercada de natureza e com o rio cortando a propriedade, esta pousada oferece quartos para até 3 pessoas e estacionamento. Um belo jardim, piscina, churrasqueira, lounge e o salão de jogos são de uso comum dos hóspedes. Está a 2Km (em linha reta) da Cachoeira 7 Quedas.

Você pode encontrar outras opções de hospedagem em Cachoeiras de Macacu clicando aqui.

Itatiaia

Itatiaia fica a 174Km da capital fluminense, na divisa dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, fazendo parte da magnífica Serra da Mantiqueira. Na cidade está o primeiro parque nacional do Brasil, o Parque Nacional do Itatiaia, a vila de colonização finlandesa Penedo, e pequenos paraísos naturais cheios de cachoeiras e poços como Maromba e Maringá, estes dois últimos fazendo parte de Visconde de Mauá, que é uma área de preservação ambiental que tem áreas tanto no RJ quanto de MG. Inclusive há uma Maringá fluminense e uma mineira (vizinhas) e uma paranaense, mas isso é assunto para um post sobre o Paraná né? Visconde de Mauá tem áreas fazendo parte dos municípios fluminenses de Itatiaia e Resende e do mineiro Bocaina de Minas. Localizações à parte, você estará num paraíso repleto de belas paisagens e trilhas.
Só no Parque Nacional, que se divide em partes Alta e Baixa há cachoeiras de fácil acesso como as Véu da Noiva e Itaporani e o Lago Azul (parte baixa) e de acesso moderado como a Aiuruoca, mirante e travessias (Ruy Braga, Rancho Caído e Serra Negra. 22Km, 27Km e 32Km respectivamente) que exigem preparo dos trilheiros. Lá está o Pico das Agulhas Negras, o quinto ponto mais alto do Brasil; o Maciço das Prateleiras e o Morro do Couto. Essas trilhas exigem experiência, condicionamento físico e em alguns trechos, conhecimento de técnicas básicas de escalada em rocha e prática no manuseio de equipamentos de segurança.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Parque Nacional do Itatiaia | Foto: Carol Montoaneli/Arquivo pessoal.
As viajantes Pâmela e Carol Montoaneli em trecho da Trilha para o Pico das Agulhas Negras | Foto: Carol Montoaneli/Arquivo pessoal. A Carol dividiu essa experiência com a gente (leia o relato e veja muitas fotos aqui)

Você pode encontrar mais experiências em trilhas no Parque Nacional do Itatiaia no fórum Trilhas no Rio de Janeiro e informações gerais sobre o parque aqui.

Onde ficar em Itatiaia

Camping no Parque Nacional do Itatiaia – ao lado do Abrigo Rebouças, na Parte Alta do parque – espaço para 20 barracas de até 3 pessoas. Acesso somente por trilha. Consulte sobre disponibilidade durante a pandemia. As normas para reserva e uso do camping estão aqui.

Maple Leaf (Camping, hostel e guesthouse) – a cerca de 24Km do centro de Itatiaia (e a 22Km do centro de Resende), está esta esta reserva ecológica particular cercada de Mata Atlântica. Um lugar interessante se você procura um lugar para curtir a natureza. Por lá você pode montar sua barraca ou alugar uma e contar com uma cozinha de uso comunitário, além de piscina. No local e arredores há várias trilhas e cachoeiras e piscinas naturais. O espaço também oferece acomodações em quartos compartilhados e privativos e estacionamento. Por lá há atividades como passeios e trilhas, aulas de ioga e culinária entre outros.

Pousada Ypê Amarelo – pousada simples instalada em um sítio no bairro Campo Alegre. Fica a cerca de 3Km do centro de Itatiaia, a 1Km da rodoviária e a 6Km de Penedo. Para visitar a Parte Baixa do Parque Nacional do Itatiaia você levará em média 10 minutos de carro, segundo os anfitriões. Há ponto de ônibus próximo a pousada. Além de excelente localização oferece piscina e jardim. Recebeu nota 9,1 (numa escala de 10) dos hóspedes que deixaram suas opiniões sobre ela na Booking.com.

Sítio Valfenda (casas para temporada) – oferece casas de 1 quarto e casas de 3 quartos instalados em uma exuberante área verde. Está a 9Km de Penedo e a 15Km de Visconde de Mauá, próximo as atrações naturais da Parte Baixa do Parque Nacional do Itatiaia. É preciso levar roupas de cama e banho.

Mais opções de hospedagem em Itatiaia você pode conferir clicando aqui.

Onde ficar em Penedo

Hostel Penedo – ambiente simples a cerca de 3Km do centro de Penedo; a 5Km da Casa de Chocolate e a 2,4Km do Museu Finlandês. Tem estacionamento.

Pousada Sítio Itaúna – instalada em uma bela área verde, oferece suítes e chalés com varanda com vista para o jardim. Tem piscina, estacionamento e fica a cerca de 2,3Km da ‘Pequena Finlândia’, a 2,1Km da Cachoeira de Deus e a 1,5Km do Museu Finlandês.

Pousada Serra da Índia – A 3Km do centro de Penedo, oferece chalés e bangalôs (com hidromassagem) com vista para a montanha, varanda e lareira. Cercada de verde oferece piscina, jardim e estacionamento.

Mais opções de hospedagem em Penedo você pode conferir aqui.

Onde ficar em Visconde de Mauá

Pousada Pedra da Gávea – com ambientes simples, instalada em uma bela área verde rodeada de montanhas, a pousada fica a 3,4Km do centro de Visconde de Mauá, a 2,9Km do Parque Nacional do Itatiaia e a 8Km da Cachoeira do escorrega. Oferece apartamentos e chalés, além de estacionamento.

Chalé das Estrelas – a 2,8Km da Cachoeira do Escorrega, em Visconde de Mauá e a 1,5Km do Parque Nacional do Itatiaia. Chalés com cozinha compacta equipada e também opção de quartos. As varandas têm vista para belas montanha e jardins. Oferece também estacionamento. Recebeu nota 9,6 (numa escala de 10) dos viajantes que se hospedaram lá e deixaram suas avaliações sobre no Booking.com.

Recanto do Kaléo – chalés com cozinha compacta equipada, lareira e hidromassagem, instalados numa belíssima área verde com belas vistas. Está a 6Km do centrinho de Visconde de Mauá e a 1,5Km do Parque Nacional do Itatiaia. Recebeu nota 9,6 (de 10) nas avaliações no site Booking.com, que aponta a hospedagem como ‘ideal para viagem em dupla’.

Pousada Colher de Chá – instalada em meio a uma exuberante área verde a 600 metros do Parque Nacional do Itatiaia esta pousada oferece chalés de 1 e 2 quartos – opções com hidromassagem e lareira, todos com varanda para uma belíssima vista. Destaque para o riacho que corta a propriedade e as redes espalhadas sob as árvores. Recebeu nota 9,5 (de 10) dos viajantes que se hospedaram por lá e deixaram suas opiniões no Booking.com.

Cabana Vista Maravilhosa – a 5Km do centro de Visconde de Mauá, oferece cabana com lareira e varanda com vistas estonteantes. Tem nota 9,7 (numa escala de 10) no Booking.com.

Para mais opções de hospedagem em Visconde de Mauá, clique aqui.

Área de Proteção Ambiental Serrinha do Alambari

A cerca de 14Km de Penedo, mas fazendo parte da cidade de Resende está a Área de Proteção Ambiental Serrinha do Alambari. Região pouco explorada por turistas tem belíssimas cachoeiras e poços de águas transparentes como o Poço das Esmeraldas, que fica na unidade do Camping Clube do Brasil local. (Informações aqui). Por lá ainda há vários outros poços como o Bananal, Dourado, Champagne e da Sauna, com trilhas leves e de fácil acesso, sem necessidade de contratação de guias para visitação.
Perto do camping em outra área privada estão o Poço do Céu e Poço Dinossauro, outras atrações imperdíveis no local.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Poço do Céu - Serrinha do Alambari | Foto: Germanoviegas (CC BY-SA 3.0)
Lugares para viajar no Rio de Janeiro – Poço do Céu – Serrinha do Alambari | Foto: Germanoviegas (CC BY-SA 3.0)

Onde ficar na Serrinha do Alambari

Camping Clube do Brasil – RJ-06 Serrinha

Point da Mata Penedo – chalé com cozinha compacta equipada, área para refeições, 1 quarto, 2 banheiros, sala com TV, lareira e varanda para o lago. Oferece estacionamento e aceita pets. (Fica em Penedo, a menos de 5Km da Serrinha)

OBS: As opções de hospedagem na Serrinha acabam sendo as encontradas em Penedo, de onde a Área de Proteção Ambiental Serrinha do Alambari dista 13Km. Você pode conferir as opções em Penedo (mais acima).

Valença

Pouco divulgada, a cidade de Valença a 148Km da capital fluminense e fazendo divisa com Minas Gerais é destino para os amantes de História e Cultura. Das tradicionais serenatas do distrito de Conservatória, passando pelas fazendas do Ciclo do Café (algumas podem ser visitadas), alguns museus e cachaçarias, em Valença está o Quilombo São José da Serra, berço do Jongo dança de origem africana que influenciou na formação do samba carioca, reconhecida como Patrimônio Histórico Nacional. Por lá nasceu a cantora, sambista e jongueira, Clementina de Jesus.
O quilombo fica na RJ 157, altura do KM57 do distrito de Santa Isabel do Rio Preto. As visitas devem ser previamente agendadas através dos telefones (24) 2457-1130 /(24) 2457-1358 ou e-mail [email protected]

Serra da Beleza

Depois de conhecer um pouco da história e cultura locais dá pra se encantar também com a natureza da Serra da Beleza. Também no distrito de Santa Isabel do Rio Preto o “mar ondulado” de montanhas pode ser visto do Mirante que fica na Rodovia Irmãos Freitas (RJ-137), altura do 582. (Há outros pontos da rodovia de onde é possível ter bonitas vistas).
De repente, se você der sorte (ou não) pode até ver algo mais na região. Lá é uma das áreas mais ricas em aparições de UFOs no Brasil, de acordo com pesquisadores da área de Ufologia.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Serra da Beleza | Foto: Restaurante Beleza da Serra
Barracas em área de camping do Restaurante Beleza da Serra, na Serra da Beleza | Foto: Divulgação/@restaurantebelezadaserra

Onde ficar em Valença

Chalés Verde Vida – chalés simples, localizados em Conservatória, a 600 metros do centro do distrito.

Pousadinha da Praça – localizada no coração de Conservatória, em frente a praça da igreja matriz oferece suítes e uma casa de 3 quartos. Recebeu nota 9,7 (numa escala de 10) nas avaliações feitas por viajantes no Booking.com.

Pousada do Vovô Luiz – também no coração de Conservatória esta pousada oferece suítes e terraço de uso comum. Recebeu nota 9,7 (de 10) no Booking.com que a apontou como hospedagem “ideal para viagem em dupla”.

Pousada Solmaior – em Conservatória, oferece suítes para até 4 pessoas. Conta com 2 piscinas, estacionamento, bar e restaurante. Nota 9,2 (até 10) no Booking.com.

 

Lugares para viajar no Rio de Janeiro (Litoral)

O litoral do Rio de Janeiro é bastante divulgado e você já deve ter ouvido muitos comparativos das águas “estilo caribe” de algumas praias da Região dos Lagos (com destaque para Arraial do Cabo, Cabo Frio e Búzios), da incrível vista que Niterói proporciona da cidade do Rio de Janeiro, da magnífica Ilha Grande (que vale uma volta inteira, quiçá mais de uma vez na vida) ou da encantadora beleza que mistura mar, montanha e patrimônios históricos em Paraty. Sim, são todos (sem exceção, todos mesmo) lugares para viajar no Rio de Janeiro em se tratando de litoral, mas neste post vamos destacar:

Parque Estadual Cunhambebe

O parque abrange as cidades de Angra dos Reis, Mangaratiba, Rio Claro e Itaguaí, sendo um corredor ecológico entre o Parque Nacional da Serra da Bocaina e a Reserva Biológica Federal do Tinguá, área que preserva belas montanhas e cachoeiras.
Muitos viajantes fazem a Travessia Sahy-Rubião/Rubião-Muriqui que contempla cachoeiras, poços e mirantes. A caminhada é considerada de dificuldade moderada e tem aproximadamente 7,5Km. Partindo do distrito de Muriqui (Mangaratiba) o acesso é pela BR-101 a partir do Bar da Gaúcha. Saindo do Sahy (Mangaratiba) o acesso é a partir da Sede do Parque (2Km). Outra travessia, mas aí com dificuldade pesada e um percurso de 43Km é a Lídice-Angra dos Reis. Passa por poços para banho, mirantes, pontes, estações antigas seguindo a ferrovia que liga Angra dos Reis, no Litoral a Lídice, na serra.
No parque há outras trilhas catalogadas como a Sahy-Caminho das Águas, Três Orelhas, Pedra Chata, Pico do Papagaio e da Cachoeira do Espelho com dificuldades variando entre leve, moderada e pesada.
De fácil acesso através de uma trilha leve de 650m, a Cachoeira Véu da Noiva é uma das mais visitadas do parque. Acesso também pela BR-101 (Bar da Gaúcha, distrito de Muriqui).
A sede o parque fica na Estrada da Cachoeira, s/n – Sahy – Mangaratiba. Telefone: 21 3789-2965. Mais informações aqui.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Cachoeira Véu de Noiva no Parque Estadual CunhambebeFoto: Alan Senna/Instituto Estadual do Ambiente (Inea/RJ)
Cachoeira Véu da Noiva, a mais visitada do parque | Foto: Alan Senna/Instituto Estadual do Ambiente (Inea/RJ)

Onde ficar em Mangaratiba

Pousada Piquara – a 3Km do centro de Mangaratiba e do cais de embarque para a Ilha Grande, Ilha da Guaíba e da rodoviária oferece apenas 6 suítes com varandas com vista para o mar. Este tipo de espaço menor é raridade na cidade que tem hotéis e pousadas com grande número de quartos e apartamentos e casas em condomínios onde boa parte da infraestrutura é compartilhada com muitas pessoas.

Chalé da Clarissinha (Casa para temporada) – casa com sala, 3 banheiros e 4 quartos (com ar condicionado), acomoda até 10 pessoas. Possui varanda, piscina privativa, jardim e churrasqueira, além de cozinha equipada. Fica a 1,8Km da Praia de Santo Antônio. Recebeu nota 9,2 (numa escala de 10) dos viajantes que lá se hospedaram e deixaram suas avaliações sobre a casa no Booking.com.

Mais opções de hospedagem em Mangaratiba podem ser conferidas clicando aqui.

Reserva Ecológica Estadual da Juatinga (REEJ)

Não teve jeito. Voltamos a falar em Paraty e em uma parte pra lá de especial da cidade que protege a península da Juatinga. Na área estão catalogadas mais de 20 trilhas e a Travessia da Juatinga, uma trilha de longa distância (39Km) que passa por comunidades caiçaras e incríveis praias rodeadas pela Serra do Mar é escolhida por viajantes acostumados às trilhas pesadas.
A trilha Vila Oratório-Praia do Sono é o único acesso terrestre à Reserva e ponto de partida para a região da Praia do Sono e a Ponta Negra. A trilha de dificuldade moderada tem 3,1Km com traçado bem definido e placas de sinalização. Informações sobre outras trilhas catalogadas na reserva podem ser conferidas no http://parquesestaduais.inea.rj.gov.br/inea/reej_t.php

Dentre os atrativos destaque para o Saco do Mamanguá, conhecido ‘fiorde tropical’ pela semelhança com os fiordes nórdicos. É um dos passeios mais vendidos em Paraty. O principal ponto de embarque para o Saco do Mamanguá é o cais de Paraty-Mirim (de onde também é possível fazer uma trilha pela margem esquerda do Saco).

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Saco do Mamanguá - Paraty | Foto: K Thomason/Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)
Saco do Mamanguá – Paraty | Foto: K Thomason/Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

Destaque também para a Praia Martim de Sá, que faz parte de uma das regiões mais preservadas da REEJ. Nela só chega de barco ou através de trilha (19Km) a partir da Vila Oratório ou (4Km) a partir da comunidade da Praia do Pouso da Cajaíba. Na Martim de Sá só existe um camping, administrado pelo patriarca da família dos Remédios, único núcleo familiar caiçara desta praia.
Uma caminhada pesada de cerca de 4,2Km a partir da comunidade de Ponta Negra leva até a Cachoeira do Saco Bravo, uma das mais belas da reserva. Ela deságua no costão rochoso, formando um poço a poucos metros do mar aberto. O que faz do local tão belo, também o faz perigoso já que as ondas do mar aberto podem invadir o poço. É preciso estar muito atento(a). Não há salva-vidas no local.

Lugares para viajar no Rio de Janeiro - Cachoeira do Saco Bravo - Paraty | Foto: Julien Bonnardel (CC BY-SA 3.0)
Cachoeira do Saco Bravo – Paraty | Foto: Julien Bonnardel (CC BY-SA 3.0)

Alguns viajantes dividiram suas experiências de trilhas na REEJ com a gente, como o Gustavo Sanches que fez a Travessia Saco do Mamanguá + Volta da Juatinga (informações, dicas e fotos você pode ler no relato dele, clicando aqui), a Vanbrandaos que fez a Trilha da Praia do Sono à Ponta Negra – Cachoeira do Saco Bravo (o relato dela com dicas e fotos você pode conferir aqui) e a Cyndell que pegou até um Reveillón por lá (o relato dela e fotos estão aqui). Vale lembrar que mencionamos os relatos neste post para você ter uma ideia de como são as trilhas e travessias citadas. Todos eles foram publicados antes da pandemia.

Se você não busca tanto isolamento, a Praia do Sono é a mais populosa. Por lá há campings e chalés e muitos caiçaras alugam suas casas para temporada. Não é permitido camping selvagem, ou seja fora das áreas de camping que pertencem aos moradores. Você pode chegar até a Praia do Sono via trilha (3Km) de nível moderado a partir da Vila Oratório. Também é possível pegar um barco que sai do cais do condomínio Laranjeiras (onde se pode chegar em uma Kombi que transporta turistas e moradores).
Vale lembrar que em nenhuma área da REEJ tem caixa eletrônico e o sinal de comunicação é precário, então os pagamentos dos serviços contratados com os moradores deve ser feito em espécie.
Na Vila Oratório existem estacionamentos particulares. Da rodoviária de Paraty partem ônibus para a vila (Linha Paraty-Vila Oratório).

Ilha da Pescaria e Lagoa Azul

Bem… ainda seguimos por Paraty (sim vale muito conhecer a cidade, o centro histórico e algumas de suas praias, como as do distrito de Trindade e áreas da Reserva Ecológica da Juatinga, como falamos acima) e se você pensa em visitar uma ilha por lá, não deixe de conhecer a Ilha da Pescaria, onde está a “Lagoa Azul”. Bem, este é um dos passeios de barco oferecidos pelas operadoras na cidade e sim, dependendo do dia você vai ter que dividir um pedacinho do paraíso com muita gente do seu barco e de muitos outros barcos que flutuam por lá.
A visibilidade da água é incrível e você vai nadar/flutuar com uma enorme quantidade de peixinhos ao seu redor. Se quiser registrar o momento, no cais de Paraty vendem umas capinhas “impermeáveis” para celular (nunca utilizamos uma, então não podemos tecer comentários ou recomendar o uso) para o passeio; se você quer algo que vá acompanhá-lo(a) nesta e em outras viagens (dentro e fora d’água) pode dar uma olhada no nosso post sobre câmeras de ação.

Onde ficar em Paraty

Happy Beach Camping – este camping está à beira-mar da Praia Vermelha e oferece espaços em área sombreada, banheiros e cozinha de uso comum. Também tem bar e oferece buffet ou café-da-manhã a la carte. Fica a cerca de 9Km da rodoviária de Paraty e a 5Km da Praia de Paraty Mirim. Recebeu nota 9 (numa escala até 10) dos viajantes que deixaram suas avaliações no Booking.com.

Camping Marymar – camping na Praia do Jabaquara de onde está a cerca de 300 metros de distância. Está a 1,4Km do Centro Histórico de Paraty. Para se hospedar lá você pode alugar uma das “tendas” (cabaninha tipo barraca canadense) com futon e ventilador ou chalés. Disponibiliza cozinha comunitária equipada para os hóspedes.

Camping Club do Brasil – RJ-04 – Paraty.

Camping Família Viva Trindade Casa da Tais – camping a 500 metros da Praia do Cachadaço, no distrito de Trindade. Disponibiliza cozinha comunitária equipada com geladeira, fogão e pequena churrasqueira.

Odoyá Hostel – Caminhos do mar – hostel a 700 metros da Praia do Cais, oferece camas em dormitório feminino e misto e também quarto quádruplo com banheiro. Recebeu nota 9,9 (numa escala até 10) dos viajantes que deixaram suas avaliações sobre o hostel no Booking.com.

Maracujá Hostel – oferece cama em dormitório e suítes privativas bem no centro de Paraty (a 600 metros da rodoviária). Conta com recepção 24 horas, bar e oferece café-da-manhã.

Mais hostels em Paraty podem ser encontrados clicando aqui.

Chalé Vale das Flores – totalmente integrados à natureza, a área está ao lado do Parque Nacional da Serra da Bocaina e a 10Km do centro histórico de Paraty. Os chalés tem varanda privativa com vista para as montanhas e e alguns, cozinha equipada.

Oca Paraty Chalé Ecológico – os chalés instalados em meio à exuberante Mata Atlântica ficam a 500 metros das Cachoeiras Tobogã e a 7Km do Centro Histórico de Paraty.

Você pode encontrar outras opções de hospedagem em Paraty acessando aqui.

Muitos lugares para viajar no Rio de Janeiro não? Esperamos que este post tenha lhe ajudado a pensar num roteiro bem bacana para sua(s) próxima(s) viagens.
Lembrando que estas são algumas sugestões e que você certamente vai descobrir ainda mais coisas interessantes nas suas andanças pelo Rio de Janeiro.  Depois vem contar pra gente! Abraço e boas e belas viagens!

A imagem em destaque é de área do Parque Estadual dos Três Picos | Foto: Angelo Chernicharo (CC BY-SA 4.0).

1 comentário em “10 lugares para viajar no Rio de Janeiro”

Deixe um comentário