Os 10 países menos visitados do mundo


A Organização Mundial do Turismo (OMT)  publica anualmente um relatório com os números do turismo mundial,  incluindo o número total de visitantes internacionais que cada país recebe. Entre os menos vistados de 2017 (os números de 2018 ainda não foram publicados) estão países do continente africano que vivem em condição de guerra civil, como Líbia e Somália e também algumas ilhas remotas do pacífico sul, verdadeiros “paraísos perdidos” que merecem estar na lista de qualquer viajante que se preze.

Confira abaixo a lista com os 10 países menos vistados do mundo:

 

10 – São Tomé e Príncipe

8.000 visitantes em 2017

Ilha de Príncipe – Foto: Rui Camilo

As ilhas de São Tomé e Príncipe estiveram desabitadas até 1470, quando os navegadores portugueses João de Santarém e Pedro Escobar aportaram em suas terras. Se tornaram então colonia de Portugal até a independência em 12 de julho de 1975.  É o menor de todos os países de língua portuguesa e o segundo menor país da África (o primeiro são as Ilhas Seicheles). Para os amantes da natureza o destaque fica com a ilha de Príncipe, habitada por apenas  7.000 habitantes e sem dúvida um dos últimos “paraísos perdidos” da Terra.

 

9 – Niue

8.000 visitantes em 2017

Localizada no sul do Oceano Pacífico, a 2.400 km a nordeste da Nova Zelândia, no triângulo formado por Tonga, as Samoas e pelas  Ilhas Cook, Niue, cuja capital é a aldeia de Alofi , é um estado autônomo em livre associação com a Nova Zelândia. Comumente referida como a “Rocha da Polinésia”, é uma das maiores ilhas de coral do mundo. Um verdadeiro paraíso cercado por águas azul turquesa.

Mais um dia ensolarado em Nuie – Foto: Niue Tourism

8 -Líbia

6.250 visitantes em 2017

A Líbia é o quarto maior país da África (depois de Argélia, República Democrática do Congo e Sudão). Quase todo seu território faz parte do Deserto do Saara com exceção do extremo norte do país, cujo a costa é banhada pelo Mar Mediterrâneo – a única região que ainda é possível ser visitada a partir de sua capital, Trípoli . O país abriga cinco Patrimônios Mundiais da UNESCO, três dos quais são antigas ruínas de cidades do império grego e romano, com destaque para as ruínas de Leptis Magna, Cirene e Sabratha. Desde 2011 o país vive uma guerra civil e infelizmente a maior parte de seu território permanece inacessível para os viajantes.

Oasis no Deserto da Líbia – Pixabay

7 – Ilhas Marshall

6.000 visitantes em 2017

Atol de Majuro – Foto: Rob Griffith

As paradisíacas Ilhas Marshall estão localizadas no Pacífico Norte, a meio caminho entre o Havaí e a Austrália. São 29 atóis e 5 ilhas, divididas em dois grupos: Ratak (que significa “nascer do sol”) e Ralik (pôr do sol).  Depois de quase quatro décadas sob a administração dos Estados Unidos, as Ilhas Marshall alcançaram a independência em 1986 sob um Pacto da Livre Associação, se transforando assim em um protetorado estadunidense. Os atóis de  Bikini e Enewetak serviram de palco para os maiores testes nucleares já realizados pelos EUA entre anos de 1947 e 1962 ; Kwajalein, o famoso campo de batalha da Segunda Guerra Mundial, ainda é ocupado por uma base do exercito americano e também um campo de testes de mísseis.

 

 6 – Guiné Equatorial

5.700 visitantes em 2017

Praia da Ilha de Corisco – Foto: Embassy of the Republic of Equatorial Guinea

Dividida em uma área continental e cinco ilhas vulcânicas (a mais popular é a Ilha Bioko), a nação africana da Guiné Equatorial é conhecida por suas belas e numerosas praias de areia branca.  É o único país independente na África com o espanhol como língua oficial e tem a maior taxa de alfabetização de adultos de toda a África Subsaariana.

5 – Sudão do Sul

5.500 visitantes em 2017

Rio Luri no Bandingilo National Park – Foto: Tim Mckulka

O Sudão do Sul é o país mais novo do mundo, conquistou a independência em 9 de julho de 2011. Está localizado na África Central, tem aproximadamente o tamanho da França e uma população de 11 milhões de pessoas. Cerca de 83% dos sul-sudaneses vive em estruturas circulares de barro chamadas “tukels”.  O inglês é a língua oficial do país, mas várias formas de árabe e mais de 60 línguas tribais também são faladas.

 

4 – Kiribati

4.000 visitantes em 2017

Kanton Island – Foto: Kiribati National Tourism Office (KNTO)

Uma nação extremamente isolada geograficamente, a massa terrestre de Kiribati é de 800 quilômetros quadrados, mas as ilhas estão dispersas em mais de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. A nação é extremamente intocada, graças à forma isolada e inacessível das ilhas. Para chegar lá, você pode voar de Nauru ou das Ilhas Marshall, em vôos que partem uma vez a cada duas semanas, ou de Fiji, que tem duas partidas semanais para South Tawara, a capital de Kiribati.

 

3 – Tuvalu

2.000 visitantes em 2017

 

Vista aérea do atol de Funafuti – Foto: Lily-Anne Homasi / DFAT

 

Tuvalu é um dos menores e mais remotos países do mundo localizado no Oceano Pacífico, a meio caminho entre o Havaí e a Austrália. Seu pequeno tamanho e população, juntamente com a falta de recursos naturais, fazem de Tuvalu a menor economia do mundo. Parte da renda do país provém do pagamento anual de quase US $ 4 milhões que o governo recebe dos royalties do domínio do país, o .tv, muito utilizado por emissoras de TV e empresas de áudio visual mundo afora.  Para chegar até lá, você precisa primeiro chegar a até as ilhas Fiji e de lá pegar um avião da Fiji Airways que tem apenas 2 voos semanais.  O arquipélago é composto por nove ilhas e atóis (três ilhas verdadeiras e seis atóis de coral), dos quais o principal é Funafuti, um atol com a única pista de pouso do país. Os visitantes recebem um visto de turista gratuito de 30 dias na chegada e não há taxa de embarque.

Vá antes que desapareça:

Por conta da baixa elevação, as ilhas são vulneráveis ​​aos efeitos dos ciclones tropicais e estão ameaçadas a desaparecer do mapa devido ao aumento do nível do mar causado pelo aquecimento global.

 

2 – Somália

400 visitantes em 2017

Cidade de Mogadishu – Somália – Foto: ONU / Flickr

A Somália hoje sofre com os conflitos armados entre o governo e as grupos terroristas como a Al Shabab, ligado à al-Qaeda. Antes das guerras civis começarem no início dos anos 90, a Somália era extremamente receptiva aos turistas. O país é especialmente notável por suas cachoeiras, cadeias de montanhas e parques nacionais. As áreas naturais abrigam um grande número de animais selvagens como leões, chitas, hienas, leopardos, avestruzes, etc. Além disso, o país tem o maior litoral do continente africano e possui inúmeras belas praias.

1 – Nauru

160 visitantes em 2017

Uma das praias da pequena nação de Nauru – Foto: Nauru National Tourism Office

Localizada no meio do Oceano Pacífico, a ilha de Nauru tem apenas 21 quilômetros quadrados.  O país coleciona alguns recordes bastante curiosos, além de ser o menos visitado, é a menor nação insular e também o país mais obeso do mundo. De acordo com o World Factbook da CIA, 71,1% de seus 10 mil residentes são obesos.  Seu PIB é de apenas US $ 102 milhões, o segundo menor do mundo, mas incrivelmente por um breve período nos anos sessenta, o país teve o maior PIB per capita do mundo por conta de suas reservas de fosfato que estão em grande parte esgotadas.

Apenas uma companhia aérea atende o país, a Nauru Airlines,  a infra-estrutura turística, como hotéis e restaurantes é modesta.  Para os entusiastas da Segunda Guerra Mundial, há restos da ocupação japonesa espalhados pela ilha.


Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…