Parque Nacional Santa Teresa – Uruguai


Praias, lagoa, belas vistas, gente de todas as partes do Uruguai e do mundo e uma belíssima fortaleza portuguesa (símbolo do local e um dos monumentos históricos nacionais de maior interesse) fazem do Parque Nacional de Santa Teresa uma das mais agradáveis áreas do país, tanto para uma visita rápida quanto para passar uns dias acampado por ali. Aliás, se você gosta de acampar, irá amar Santa Teresa.

Passeando pelo parque, a impressão que se tem é que acertaram na conta preservação + recreação. Nos belíssimos 3.000 hectares há grandes áreas para acampamento e picnic, estacionamentos, mini mercados, restaurante, caixa eletrônico, posto médico, centro de informações turísticas, loja de artesanato, cabanas e até uma danceteria, a “La Posta – Disco Bar” – total infraestrutura para o visitante.
O parque é aberto diariamente, das 8h às 20h e a entrada é gratuita.

As praias

Além de todo o verde local, fazem parte do parque, 4 belas praias: La Moza, Las Achiras, Playa del Barco y Playa Grande. A La Moza por exemplo, apesar da grande área tomada para estacionamento é uma das mais bonitas; rodeada de dunas e um lajão de pedra onde a vista do pôr-do-sol fica ainda mais bela.

Visitantes curtem tarde na Praia La Moza | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil
Visitantes curtem tarde na Praia La Moza | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Outros atrativos

Sem dúvida a Fortaleza de Santa Teresa é o grande cartão-postal do parque. As visitas ao monumento histórico, um dos mais importantes do Uruguai, pode ser feita de quarta a domingo das 13h às 19h.
Prevendo uma guerra com a Espanha, em 1762 os portugueses mandaram construir esta joia arquitetônica. O ponto protegido era chamado Castillos Chicos, um território que segundo o Tratado de Madrid, de 1750 pertencia a Portugal (uma estreita faixa de terra separando a zona lacustre do departamento de Rocha e o Oceano Atlântico).

Vista da fortaleza, principal ícone do parque nacional | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil
Vista da fortaleza, principal ícone do parque nacional | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

No Invernáculo/Jardim Botânico construído em 1939 são cultivadas espécies de plantas dos 5 continentes. A arquitetura de pedras e cúpulas de vidro somada às plantas é cenário para boas fotos.
No Sombráculo, construído no mesmo ano, também são cultivadas plantas, são mais de 90 espécies, também de todas as partes do mundo. Ali há um aquário com grande variedade de peixes.
Entre ambos, o Rosedal, jardim com aproximadamente 300 espécies de rosas.
Pra quem ‘cansou’ das praias dali (se é que isso é possível) há uma piscina de água de rio, seminatural, construída a partir dos acidentes naturais do terreno, o El Chorro.

Invernáculo no Parque Nacional Santa Teresa | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil
Invernáculo no Parque Nacional Santa Teresa | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Onde ficar

Se você deseja passar uns dias na área do parque nacional, pode ficar em uma das cabanas ou acampar (é preciso pagar uma taxa por pessoa e levar seu/s equipamento/s).
Como há variações de preços entre alta e baixa temporada, os valores podem ser consultados através do e-mail [email protected] ( Como é um e-mail do turismo de todo departamento, deixe claro sobre o que deseja informações). Você também pode ligar para o Centro de Interpretação Ambiental – SNAP do Parque Nacional: 099 931436 para mais informações).

Como chegar

O Parque Nacional de Santa Teresa fica entre os quilômetros 302 e 306 da Ruta 9.
De ônibus a partir de Montevidéu – do Terminal Tres Cruces, na capital uruguaia partem ônibus para a região. No http://www.trescruces.com.uy/horarios.php há as opções e no http://turismorocha.gub.uy/images/noticias/HORARIOS%20OMNIBUS%20VERANO.xls uma planilha do Departamento de Turismo de Rocha com os horários de ônibus por todo o departamento (Estado). Atente para as empresas Rutas del Sol, COT e CYNSA que operam em vários destinos de Rocha (até a capital do departamento Rocha, também Rocha, as viagens de Montevidéu costumam durar aproximadamente 3 horas).
De ônibus a partir do Brasil – Uma das opções até Montevidéu partindo das capitais da região Sul e de São Paulo é a empresa TTL Turismo (horários e preços no http://www.ttlturismo.com/horarios.html ).
De avião a partir do Brasil – Há voos do Brasil para Montevidéu e também para Punta del Este. Ambas cidades têm ônibus para os destinos de Rocha e outros pontos do Uruguai.

Entrada do parque nacional, ali você deve se identificar e informar se deseja ou não acampar no local | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil
Entrada do parque nacional, ali você deve se identificar e informar se deseja ou não acampar no local | Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Nossa jornada

Nós chegamos até o Parque Nacional de Santa Teresa depois de termos ido ao magnífico Parque Nacional Cabo Polonio em veículo próprio, via Ruta 9, sentido Chuy (ainda Uruguai), Chuí (já no Brasil).
É, já já estamos no Brasil… sobre o Chuy e o Chuí a gente fala amanhã!

 

Claudia Severo de Almeida

Jornalista, há 20 anos escreve sobre Turismo Backpacker/Mochileiro e viagens independentes.
Participou do corpo de júri especializado do Prêmio 'O Melhor de Viagem e Turismo' (categoria Hospedagem - Hostel). Cocriadora do site Mochileiros.com.
Claudia Severo de Almeida

12 comentários em “Parque Nacional Santa Teresa – Uruguai”

  1. Oi. É bem fácil de ir tanto de carro quanto de ônibus.
    De carro saindo de Porto Alegre, por exemplo, segue pela BR 116 passando por Pelotas. E Pelotas pegue a BR 392 em direção a Rio Grande e logo após percorrer uns 35, 36 km vão passar pela uma localidade da Vila Da Quinta e ao invés de seguirem reto para Rio Grande, peguem a saída da direita antes do viadulto bem de frente ao cemitério local. Essa saída da acesso a BR 471 que leva aos municípios de Santa Vitória Do Palmar e do Chuí. Após percorrerem 220 km chegarão ao Chuí. Daí é só atravessar a fronteira, que nada mais é do que uma avenida ou, se preferirem, podem seguir reto pela BR ao invés de entrarem na cidade. Se seguirem pela saída da esquerda passaram por fora do município do Chuí(Brasil) e dado Chuy(Uruguai). A uns dois Km a diante encontraram um posto de fronteira uruguaia e a uns 20 Km adiante estará a primeira entrada para o Parque nacional Santa Tereza. Note que na Ruta uruguaia da para ver o Forte Santa Tereza. A segunda entrada fica a uns dez Km mais a frente.
    OB: para acampar não é cobrado nenhuma taxa.

    Se for de ônibus da qui do Brasil é só pegar um ônibus, de linha, que vá para o Chuí, atravessar a avenida principal da cidade que já estarão no Chuy uruguaio e comprar uma passagem atéa Lá Fortaleza e após 30 minutos já estarão lá. O ônibus entra na segunda entrada onde tem uma Mine rodoviária bem de frente ao inventário com a cúpula de vidro. Porém de ônibus passarão um pouco de trabalho pois o lugar é muito grande e apé não consiguirão conhecer todo o lugar.

    Espero em ter ajudado um pouco.

  2. Olá Cláudia, vou dia 30/12 para o Parque de Santa Teresa acampar, fiz uma carta verde de 1 semana e vou sem GPS nem nada. Agora a dúvida, precisa fazer alguma reserva pra entrar no parque, mesmo que pra camping? Outra dúvida: eu entro pelo acesso que tem pelo Forte de Santa Teresa ou sigo abaixo pela rota, onde tem outra entrada? Obrigadão!!

  3. Olá Claudia, dia 27 irei de carro com amigos para La Paloma, onde ficaremos até dia 02/01/2014. Vamos pernoitar no Chuí e descer o litoral. A minha dúvida é: conseguimos visitar o Parque de Santa Teresa e o de Cabo Polonio no mesmo dia ou seria um passeio muito puxado?

    • Oi Cristiano! Eu acho que vocês aproveitarão muito pouco de um ou outro :(. Outro ponto a se levar em conta é que, como será época de festas, os lugares estarão mais cheios que o normal então ficar mais tempo na região do parque ou em Cabo Polonio vai depender do que vocês procuram…
      Abraço e boa viagem!

Deixe um comentário