Viajante contrai grave doença por picada de carrapato

Viajante contrai grave doença por picada de carrapato


Os amantes de trilhas precisam estar atentos aos perigos decorrentes da picada de carrapato. Rara no Brasil a doença de Lyme está entre estas ameaças.

Aparecida Tomé Dermoni, diagnosticada com esclerose múltipla há mais de um ano – felizmente com os sintomas controlados – há meses luta contra essa doença: a Doença de Lyme. A enfermidade é causada pela picada de carrapato, por aqui conhecido como “Carrapato estrela”.
Aparecida, que utilizava-se dos bastões de trekking durante algumas viagens agora tem que usá-los no dia-a-dia por conta da fraqueza e das fortes dores que sente nas articulações. A doença também já afetou sua visão, causou-lhe perda de peso e problemas para dormir, entre outros. A bicicleta que usou para conhecer as belezas do Brasil está sendo rifada…
Neste momento ela precisa de ajuda para iniciar um tratamento nos Estados Unidos. O procedimento, além de ter um custo elevado pede o retorno do paciente por algumas vezes ao médico.

Como ajudar?

picada carrapato
Foto: Reprodução Facebook.

– Você pode contribuir com ela através do site Vakinha: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/vencendo-a-doenca-de-lyme

– Através de depósito (de qualquer quantia) em conta corrente no banco Itaú. Agência 6684. Conta corrente: 08116-6. Favorecido: Aparecida Tomé Dermoni. CPF: 326.499.082-20.

Divulgando a história dela. Através deste post, do link do Vaquinha, da página ‘Vencendo a Doença de Lyme‘  e ou do vídeo abaixo:

“Eu e a Lyme”

Por Cida Tome Dermoni*

“Amo fazer trilhas a pé, travessias de montanhas, rapel em cachoeiras, trilhas de bike, trilhas entre praias, acampamentos selvagens, viagens por chapadas, entre tantas outras aventuras em meio a natureza, sempre com segurança, responsabilidade e profundo respeito pela natureza.
Assim como eu, atualmente, milhares de pessoas vêm aderindo à prática do ecoturismo, o que me motivou a compartilhar minha história.

A doença de Lyme
Eu nunca tinha ouvido falar nessa doença, até o dia em que descobri, tardiamente, que a tinha contraído. É causada pela bactéria Borrelia Burgdorferi, transmitida pela picada do carrapato “Estrela” infectado, com registros nos Estados Unidos e em algumas regiões central e leste da Europa.
A apresentação da doença varia bastante, podendo, em seus estágios iniciais incluir erupção cutânea e sintomas parecidos com os da gripe, além de uma mancha avermelhada peculiar, com núcleo branco no local da picada. Ainda, manifestações musculosqueléticas, artríticas, neurológicas, psiquiátricas e cardíacas.
Na maioria dos casos, os sintomas podem ser eliminados com antibióticos, especialmente se o tratamento é iniciado precocemente. O tratamento tardio ou inadequado, geralmente desenvolve o que se denomina “estágio tardio” da Doença de Lyme, que é debilitante e difícil de ser tratado.
De início assintomática, após um mês de infecção aparecem alguns sintomas, que tendem a sumir. É mais comum do que parece. No entanto, de acordo com o Centers for Disease Control and Preventivo, importante centro de pesquisas dos EUA, o número de casos é subestimado, pela falta de identificação e comunicação dos pacientes aos órgãos competentes. Deste modo, ratifico a necessidade de divulgar a minha jornada desde que fui diagnosticada com a doença.
Para que eu volte as minhas aventuras por este lindo país, preciso realizar o tratamento fora do Brasil. Há precedentes de pacientes com diagnóstico semelhante ao meu que conseguiu melhora na qualidade de vida após tratamento nos EUA.
Eu acredito que terei acesso a um tratamento eficaz e não vou deixar um médico decidir o quanto ou como irei viver. Afinal, da mesma forma que trilhei inúmeros caminhos desafiadores, passo-a-passo, estou disposta a esta travessia fundamental em minha vida.
Sou muito mais que uma estatística, e quero divulgar esta história para que todas as pessoas, principalmente as que têm mais contato com a natureza, tenham essa informação, e sigam em frente…”

*Texto publicado por Cida, no Facebook.

Abaixo um pouco mais sobre a Doença de Lyme:



Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…