11 lugares imperdíveis na capital da Namíbia

11 lugares imperdíveis na capital da Namíbia


Na minha viagem deixei Windhoek por último, afinal, já tinha visto deserto, safáris, tribos e agora queria mesmo era um pouco de movimento e cerveja, e isso, só mesmo a capital do país poderia oferecer.

Fiquei dois dias e duas noites aqui, e penso que foi o suficiente, tempo ideal para curtir a maioria das atrações e não ficar à toa na cidade.

As atrações aqui são na sua maioria culturais, e envolvem museus, praças, cervejarias e lojas, portanto vou listar neste artigo o que consegui fazer nestes dois dias, não na ordem, mas por categorias de atrações para facilitar seu entendimento.

 Mapa: Localização das principais atrações de 

ESTE POST É PARTE DO RELATO DO BLOG QUERO MOCHILAR.COM.BR, E NO POST ORIGINAL HÁ MAIS INFORMAÇÕES. NO BLOG TAMBÉM HÁ OUTROS ROTEIROS PARA NAMÍBIA. NÃO DEIXEM DE CONFERIR.

Falando um pouco sobre Windhoek…

Antes de chegar, ainda sobrevoando a região, não vemos nada, nem cidade, só deserto… e daí pensamos: “Nossa, não deve ter nada aqui”, mas você se engana com esse pensamento.

Windhoek, quando olhamos do centro, é uma cidade bem organizadinha, limpinha e até bem estruturada. Fui muito com a cara dela. Suas ruas são largas, sem lixo, o transito flui bem e é bem tranquilo de andar, uma realidade totalmente diferente dos arredores.

Foto: Centro de Windhoek.

Percebemos pobreza somente quando estamos nos afastando da área central, já nos arredores da cidade, dai chega a dar tristeza, nada muito diferente das nossas favelas no Brasil se pensarmos bem. Apesar que aqui, as casas destas áreas de ocupação não regulares, assim digamos, são feitas de alumínio. Penso que nos dias de sol forte, quase 100% do ano, deve ser insuportável ficar lá dentro.

Foto: As “favelas” de Windhoek. A capital esta rodeada delas.

Ambientado, vamos lá…

O QUE FAZER EM WINDHOEK?

Vou separar as atrações da cidade em grupos e colocá-las em uma sequência lógica para facilitar sua programação, ok?

Vamos lá…  quero começar falando primeiro do centro, sua rua principal e arredores.

GRUPO 01: Centro e Atrações principais.

1- Independence Avenue (Avenida Independência).

Nada diferente de um calçadão ou rua principal de uma capital, portanto, programe um tempo para andar, lanchar e comprar lembrancinhas na principal avenida da cidade. Aqui você irá encontrar de tudo.

Ahhh… cuidado neste passeio. Várias vezes que tirei meu celular para fotos me alertaram para ter cuidado.

Alguns pontos de interesse da região central:

1.1- Namibia Craft Center

Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 18h00. Sábado das 9h00 às 16h00 e domingo das 9h00 às 14h00.

Aqui são vendidos artesanatos, peças de arte, decoração e vestuário de toda a Namíbia.

Foto: Crafts shop.

Foto: Souvenirs comuns na Namíbia.

1.2- Bushman Art Gallery.

Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 18h00. Sábado das 9h00 às 16h00 e domingo das 9h00 às 14h00.

Esta é uma loja muito tradicional da cidade, com souvenirs de qualidade superior, porém mais caros. Ela é linda e vale a pena entrar nem se for para conhecer.

Um pouco de história…

Os bushman são um dos povos antigos da África ocidental. Na verdade eles ainda existem, porém em número bem reduzido. A palavra bushman, significa “homens do mato”, e hoje infelizmente é um termo usado de forma pejorativa no país.

Os Bushman eram grupos nômades no deserto do Kalahari (Namíbia) e entre a África do Sul, Angola, e Botswana, que viviam de coleta e pastoreio. Muito utilizados como mão de obra barata e até escrava, foram explorados por muitos anos, e a fama era de povo preguiçoso, mas o problema era que os Bushman eram pessoas de pequena estatura e frágeis, não muito aptos para trabalhos braçais, o que os possibilitou, por outro lado, se desenvolverem no artesanato.

Hoje sua arte é muito valorizada no país.

Foto: Os Bushman retratados na entrada da loja – Pertenciam a uma tribo de pequena estatura e não eram muito valorizados para trabalhos braçais por serem frágeis e pequenos.

Foto: A rica arte destes africanos.

1.3 – Post Street Mall e Town Square Mall

Próximo a Bushman Gallery há um calçadão, onde você pode passear percorrendo as feirinhas ao ar livre até chegar a um shopping bem grande e completo, onde você encontrará até supermercado para comprar seus petiscos, água e etc, tudo mais em conta.

Foto: Um monumento no meio do calçadão que vai até o shopping. Não sei o que é, mas achei legal… rs.

Foto: São inúmeras as feirinhas de ruas. Ótimas para comprar suas lembrancinhas – Claro, sempre depois de pechinchar muito… rs.

Foto: Interior do shopping.

Bem próximo aqui está a principal atração e símbolo da cidade.

2- Igreja Luterana Christuskirche

Horário de Funcionamento: Sem informações na internet.

Valor: Grátis.

A Igreja de Cristo, traduzindo no pé da letra, foi construída em 1907, com materiais importados da Alemanha e Itália, sendo o símbolos da arquitetura germânica na cidade que marcou os tempos em que o país foi invadido e colonizado pela Alemanha.

Duas curiosidades a cercam: A primeira é que as missas na igreja são celebradas em alemão e a segunda, que em seu interior há uma placa em bronze com o nome de soldados alemães mortos em batalhas contra a libertação da Namíbia – o que causa bastante desconforto na população local.

Foto: A beleza da arquitetura que é o símbolo da cidade.

Foto: Admirando…

Foto: O simples interior da igreja.

3- Parlamento da Namíbia

Horário de Funcionamento:  Fechado para o público.

Valor: Grátis – Jardins.

Bem próximo a igreja podemos caminhar mais um pouco e estaremos de frente ao parlamento da Namíbia, que apesar de fechado ao público, há um jardim em frente ao prédio e vale a pena a ida para umas fotos.

Foto: O parlamento da Namíbia.. É… Nada demais… rs.

Foto: Lembro que estava derretendo de calor neste dia… rs.

Foto: O Jardim do parlamento e a igreja logo alí ao fundo, no canto esquerdo da foto.

Conciliando neste mesmo passeio, aproveite para ir no museu que conta a história do país.

4- Museu da Independência .

Horário de Funcionamento:  Segunda a sexta das 9h00 às 17h00. Sábados e domingos das 10h00 às 17h00.

Valor: Grátis

Ainda colado no parlamento, aproveite para visitar o museu da independência. Aqui você vai encontrar a verdadeira historia do pais, seus heróis e acontecimentos. O museu é bem simples, mas interessante. Há poucos objetos e fotos e penso que poderia ter sido melhor explorado, mas vale a pena, ainda mais de graça… rs.

Foto: Fachada do museu – Um presente da Coreia do Norte.

Foto: Com Sam Nujoma – Este cara foi o presidente do país após sua independência em 1990, e permaneceu até 2005.

Sobre Sam Nujoma…

Filho de camponeses, este cara foi o primeiro presidente da Namíbia, tendo sido um dos grandes incentivadores de sua independência, em 1990, como líder da SWAPO (Organização dos Povos do Sudoeste Africano), que durante trinta anos travou uma batalha sem trégua contra a ocupação do regime minoritário sul-africano na época denominado de Apartheid.

Considerados por muitos como o pai da Namíbia e por outros como um lutador.

Foto: Eu e o amigo Jonas aprendendo um pouco de história.

Todas estas atrações podem ser visitadas em um único momento, e próximo a elas ainda estão alguns outros museus da cidade, o que quero aproveitar para falar um pouco.

GRUPO 02: Museus em Windhoek.

5- Galeria de Arte Nacional.

Horário de funcionamento: Segunda das 14h00 às 17h00. Terça a sexta: Das 8h00 às 17h00. Sábado 9h00 às 14h00 e fechado aos domingos.

Valor: Grátis

Esta é uma pequena galeria bem central na cidade, onde há uma exposição permanente de reconhecimento internacional que mostra a arte da Namíbia, África e Europa. A galeria também mostra arte local. Joe Madisia –  um artista – é o diretor do museu.

Não achei interessante pra falar a verdade, só recomendo entrar se estiver na frente ou amar arte.. eu não gosto de museus de arte, então, não sirvo de referência.. rs.

Foto: Entrada da galeria.

6- Museu Owela (História Natural).

Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 18h00. Sábado e domingo das 15h00 às 18h00.

Valor: A entrada é gratuita, mas pedem uma doação para uma instituição de caridade que ajuda portadores de HIV – Não custa ajudar.

Eu adorei este museu, aliás, adoro museus de história natural.

Simples, mas interessante. Indicado para aqueles que querem descobrir um pouco mais sobre a cultura da Namíbia.

O Museu Owela é bem central e aqui aprendemos sobre história natural e antropologia. O nome Owela vem de um jogo tradicional Africano. Grupos de pessoas são encontrados frequentemente fora do museu jogando o jogo na grande placa de pedra esculpida.

O museu mostra trechos da história natural da Namíbia e tem exibições interessantes e educacionais dos primeiros habitantes da África. 

Foto: Apesar deste entrada feia está cheio de coisas interessantes lá dentro… rs.

Foto: Muitos exemplares empalhados das aves do país.

Foto: Os felinos da Namíbia também estão aqui com toda sua história e biologia.

Foto: Até um leopardo e sua história de como ele veio parar aqui (atropelado).

Foto: Oportunidade de aprender sobre os povos da Namíbia.

Já um pouco mais afastado da região central está outro museu bem interessante.

7- Geological Survey Museum

Horário de funcionamento: Segunda a sexta, das 8h00 às 17h00.

Valor: Gratuito.

O Museu Nacional de Ciências da Terra no Serviço Geológico é o principal acervo de espécimes geológicos na Namíbia e abriga uma grande coleção de rochas, minerais e fósseis. Os depósitos minerais econômicos da Namíbia são representados por exibições de várias minas operacionais e prospectos de exploração. Achei bem interessante e valeu a visita.

Foto: Instrução de lapidação de diamantes. Há vários tipos de rochas em exposição, uma verdadeira aula de geologia.

Foto: Fósseis encontrados em pedras.

Foto: Os primeiros habitantes do país.

Foto: A história da evolução na Namíbia.

Foto: Há ossos de vários animais pré históricos.

Foto: Podemos até brincar de escavar um dinossauro… rs.

Observação: Como este museu foi difícil de achar até com GPS, vou deixar seu endereço: 6, Aviation Road. A entrada não tem cara de museu, e não há placas, com isso ficamos bem perdido, e só perguntando mesmo que o achamos. O GPS nos mandou para o fundo do prédio, mas não desistam, é bem interessante.

Agora que falei dos museus, vou falar das atrações que estão um pouco mais afastadas da cidade e que precisam de um pouco mais de planejamento para sua visita.

GRUPO 03: Atrações afastadas da cidade.

8– Heroe´s Acre – Monumento para os heróis.

Horário de funcionamento: Não encontrei as informações, mas sei que fecha cedo, ás 15h00.

Entrada: N$ 50 – R$ 13,50.

Um cemitério de gente importante, assim se resume este lugar.

O Acre dos Heróis é um memorial de guerra construído nas colinas desabitadas ao redor de Windhoek, a cerca de 10 km ao sul do centro. Inaugurado em 2002, este lugar tem como objetivo “fomentar” um espírito de patriotismo e nacionalismo e transmitir o legado às futuras gerações. Foi ideia do presidente Sam Nujoma, após uma visita ao Zimbabwe em 1997.

Foto: Entrada, onde paramos e pagamos a taxa.

Foto: O lugar é bem bonito, e lá do alto temos uma bela visão da paisagem. Observem que não há uma sombra… pior parte!

Foto: Várias pessoas importantes do país aqui repousam.

Foto: O Ex presidente e idealizador do monumento.

9- National Botanical Research Institute – Jardim Botânico

Horário de funcionamento: Segunda a sexta das 8h00 às 17h00. Fechado nos finais de semana e feriados.

Entrada: Grátis.

Próximo ao Parlamento, mas não o suficiente para ir a pé, está o Jardim Botânico da cidade.

O lugar é bem simples, mas interessante. Ainda mais se você gosta de plantas e natureza. Aqui você irá encontrar principalmente varias espécies de plantas naturais de Namíbia.

Foto: Entrada do museu.

Foto: Um exemplar da Butter Tree – Planta típica do país.

Foto: Um jardim interno com várias plantas da África.

Foto: Você pode fazer uma pequena trilha por aqui, o difícil mesmo é animar de andar neste sol para só ver árvore seca… as vezes em outra época do ano seja melhor… rs.

Foto: Planta típica do deserto da Namíbia – Linda!!

10- Penduka Village.

Horário de funcionamento: Diariamente das 8h00 às 17h00.

Entrada: Gratuita.

Este é um lugar muito interessante e nem tanto turístico, e que recomendo muito conhecer. O Penduka é um projeto de empoderamento das mulheres criado na Namíbia com apoio da Holanda. Este projeto, busca a independência financeira das mulheres da região, para que assim, elas possam ter mais liberdade e poder de escolha, e não depender tanto de relacionamentos.

Foto: A simplicidade do prédio onde funciona este incrível projeto.

A Namíbia ainda é um país que não aceita muito bem mulheres trabalharem fora e serem independentes, e se forem mais bem sucedidas que seus maridos, isso é uma vergonha tão grande que gera até divórcio.

Segundo o que disse o Jonas, meu motorista, isso é inaceitável, e esta cheio de mulheres “poderosas” solteiras por esse motivo… estranho, não?

E tem gente que acha o Brasil machista ainda… rs.

Aqui você além de conhecer o projeto, poderá conversar com mulheres que trabalham por aqui, principalmente com pintura e artesanato.

Realmente gostei de conhecer, e não custa nada comprar uma lembrancinha para ajudá-las, não é mesmo?

Foto: Elas nos explicam com maior atenção sobre o projeto e seus produtos.

Foto: Até me arrisquei… rs.

Foto: Trabalham com várias sementes para fazer bijuterias.

11- Oshetu Market.

Horário de funcionamento: Não encontrei na internet.

Entrada: Gratuita.

É aqui que você vê realmente a alma da Namíbia!

Foto: Entrada – nada atrativa, mas há um show de cultura lá dentro te esperando.

Nós brasileiros somos muito crítico em relação a limpeza e higiene, e para conhecer aqui, desapegue destes conceitos, abra sua mente e seja feliz. Nada de observar as moscas, as carnes expostas (cabeças inteiras) e cheiros… rs, ok.

Comecei meu passeio por Windhoek por aqui e recomendo à você. Muito legal este “bagunção”.

Você encontrará neste mercado todas comidas típicas, as frutas, os insetos, as larvas e tudo mais que é apreciado na Namíbia. Aliás, até roupas você encontra aqui, entre outros serviços e acessórios.

Foto: Café da manhã.

Foto: Eu no meio desta infinidade de temperos, comidas e cheiros.

Foto: Vendedores não tão insistentes aqui… penso que sabem que turistas só querem mesmo fotos…

Foto: Larvas secas – Usadas para fazer um caldo, tipo uma sopa… vai encarar??

Foto: Peixes secos no sal – Também usados para fazer caldo.

O ponto máximo desta visita é o Kapana, que é um dos pratos típicos da Namíbia.

Para este prato, a carne (tida como a picanha deles… rs) é preparada em uma churrasqueira com as próprias mãos de seus churrasqueiros, que creio eu, que devem ter calos enormes para aguentar aquela “quentura” toda.. sua preparação chama muito a nossa atenção.

Foto: A preparação do prato principal.

Para acompanhar o prato, vai um vinagrete, tudo sai em torno de N$ 60 – R$ 16,20.

Foto: Preparação do vinagrete na hora – Muito rápido na habilidade com as facas.

Foto: No final fica assim. Se é bom? Comi só um pedaço de carne para experimentar, o tempero era ótimo, mas as 9h da manhã não consegui encarar…rs. Tá bom, confesso que não foi só isso… As carnes ao lado expostas sem proteção, as cabeças e etc ajudaram na decisão…rs.

 E assim, termino minhas dicas na Namíbia… Falando por último do lugar que mais gostei e que conheci primeiro.

Foram apenas 7 dias neste país, pouco tempo, mas intenso.

Continue lendo que ainda tem mais umas dicas…

ESTE POST É PARTE DO RELATO DO BLOG QUERO MOCHILAR.COM.BR, E NO POST ORIGINAL HÁ MAIS INFORMAÇÕES. NO BLOG TAMBÉM HÁ OUTROS ROTEIROS PARA NAMÍBIA. NÃO DEIXEM DE CONFERIR.



Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…