Ir para conteúdo
avimeney

Agulhas Negras e Prateleiras

Posts Recomendados

Estive com um grupo de amigos em Itatiaia de 21 até 24 de abril de 2011. Ficamos acampados na Pousada dos Lírios e visitamos o Parque Nacional nos dias 22 e 23. No dia 22, fomos até o Agulhas Negras, no dia 23 fomos para as Prateleiras.

 

[picturethis2=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508190411.jpg 250 140 Agulhas Negras]A viagem foi maravilhosa. Chegar até o Agulhas era um dos meus sonhos. Tivemos a sorte de pegar dias de céu sem nuvens, excelente para fotos e para admirar as milhares de estrelas sobre as nossas barracas à noite. O Parque Nacional é lindo. Na sua parte alta (onde se situa o Agulhas, as Prateleiras e outras montanhas) predomina a vegetação rasteira e formações rochosas extremamente interessantes. Um local inesquecível e com inúmeras paisagens a serem registradas nas máquinas fotográficas.

 

Quem quiser conhecer a parte alta do parque deve estar preparado para encarar estradas de terra em péssimas condições e temperaturas bem baixas (pegamos 10 graus à noite). Abaixo detalhei minhas experiências no camping, nas Agulhas e nas Prateleiras.[/picturethis2]

POUSADA DOS LÍRIOS (camping)

 

Para chegar, é necessário pegar uma entrada à esquerda na estrada que vai da garganta do registro até a entrada da parte alta do parque. No entroncamento existem as placas de duas pousadas: a dos Lobos e a dos Lírios. A dos Lobos fica próxima à pousada dos Lírios. Não é difícil achar a entrada prestando atenção a essas duas placas.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508185336.jpg 250 140 Camping]A área para camping é ótima. Um imenso gramado bem cuidado e com várias partes bastante planas. Possui banheiros masculino e feminino, com chuveiro aquecido à gás e em estado de conservação razoável. Existe piscina, sauna e é possível fazer refeições no restaurante da pousada (a comida é muito boa). Pagamos R$ 15 por diária no camping. As refeições também custam R$ 15. É possível ficar em chalés, mas não sei o preço.

 

Como ponto negativo, existe a estrada de acesso. É uma estrada de terra, mal conservada, com trechos íngremes e muito próximos a barrancos. Extremamente aconselhável o uso de um 4x4 e extremamente DE-saconselhável o percurso em caso de chuva. Do camping até a entrada da parte alta do parque, gastamos 1 hora usando um jipe.[/picturethis]

AGULHAS NEGRAS

 

[picturethis2=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508191928.jpg 117 149 Rapel voltando de Agulhas]Não é uma trilha trivial. Se você pretende atingir o cume, vá acompanhado por um guia com experiência no local ou por alguém com equipamento e experiência em escalada. A trilha não é difícil de ser seguida, mas existem pelo menos dois pontos onde será fundamental o uso de cordas para transpor os paredões de pedra. São duas escaladas de poucos metros, mas não podem ser feitas sem o equipamento.

 

A trilha começa com uma caminhada bem fácil, seguida por uma segunda etapa onde, para vencer as pedras, é necessário equilíbrio, flexibilidade e o uso intensivo das mãos. É nessa segunda etapa que encontram-se os paredões onde as cordas serão utilizadas. O primeiro paredão aparece mais ou menos no meio do percurso, o segundo fica bem no final do trajeto.[/picturethis2]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508193153.jpg 240 180 Rampão voltando de Agulhas]Apesar dos paredões requererem o uso de cordas, não achei estes os trechos mais difícies do percurso. Usando o equipamento foi possível vencer esses obstáculos sem grande dificuldade. As piores partes foram duas grandes rampas de pedra que precisam ser cruzadas de pé. As rampas são muito íngremes e com poucas agarras. É necessário confiar na aderência da bota na pedra, posicionar o corpo e os pés corretamente e ter muita atenção no relevo da rocha.

 

Saímos do camping às 8 da manhã, de jipe, com destino à entrada da parte alta do parque. Compramos os ingressos na portaria e começamos a caminhada às 9 horas. Alcançamos o cume às 13 horas. Estávamos de volta na portaria do parque às 18 horas. Chegamos no camping às 19 horas. Um total de 9 horas de caminhada.[/picturethis]

PRATELEIRAS

 

[picturethis2=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508193544.jpg 250 140 Prateleiras]Não chegamos no cume. Chegamos tarde no parque e neste dia estávamos sem equipamento de escalada. Por isso, achamos prudente deixar o passeio completo para outra oportunidade. De qualquer forma, valeu muito a pena o passeio. Caminhamos até a base (onde já é possível ter um lindo visual), almoçamos por lá e fizemos a trilha de volta.

 

Achei a trilha para as prateleiras bem mais simples do que para as Agulhas. Me pareceu mais curta e, sem dúvida, requer muito menos técnica do que a outra. Da base até o cume não sei dizer como é o trajeto, mas conversei com algumas pessoas que estavam também desistindo do cume por não estarem equipadas com cordas.[/picturethis2]

Neste dia, chegamos às 11:30 na portaria do parque (com os ingressos comprados no dia anterior), alcançamos a base às 14 horas e estávamos de volta na portaria às 16:10. Ou seja, quase 5 horas de caminhada.

 

RECOMENDAÇÕES PARA OS DOIS PICOS

 

  • Seja Agulhas Negras ou Prateleiras, jamais faça as trilhas com chuva ou sob ameça de chuva. As trilhas possuem diversas partes com rochas íngremes e passagens com exposições. O risco de escorregões com resultados fatais seria muito grande.
     
  • Leve sempre chapéu e protetor solar. Ambas as trilhas são compostas por vegetação rasteira ou rochas expostas diretamente ao sol.
     
  • Leve na sua mochila agasalhos apropriados para temperaturas bem baixas. Caminhando sob o sol, talvez você fique confortável trajando apenas bermuda e camiseta. No entanto, ao cair a noite, a temperatura cai bruscamente. Se em caso de acidente, você estiver dentro do parque após o por do sol, pode ser fatal passar a noite na montanha sem proteção. Além disso, ao chegar no cume, pode ser desconfortável aguentar o vento frio sem um anorak.
     
  • Fora todos os cuidados padrão com um calçado para este tipo de expedição, fique atento em especial ao solado. É importante utilizar um calçado com um bom solado para facilitar a passagem nos trechos que dependem de aderência.
     
  • Ficando na Pousado dos Lírios ou não, a estrada até a portaria da parte alta do Parque Nacional é muito ruim. Se possível, deve-se ir com um jipe ou pagar alguém para fazer o transporte.

 

EQUIPAMENTO

 

Seguem algumas pequenas referências para quem quiser ter uma idéia de qual o equipamento necessário para o passeio (Observar que fui no final de abril. No inverno é mais frio!!):

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110508195742.jpg 250 140 Paisagem na estrada para o camping]Desde o cair da noite até as primeiras horas da manhã, fiquei quase todo o tempo com luvas, gorro, calças compridas, meias, camisa de algodão, fleece e anorak. Para dormir na barraca, usei apenas segunda pele, saco de dormir Lafuma Trek 1000 sobre um isolante térmico. Como disse, pegamos 10 graus à noite.

 

Durante o dia, nas caminhadas, usei calças compridas, camisa, chapéu e uma boa bota. Levei o anorak na mochila pensando no vento frio no cume, mas acabei não vestindo, embora outras pessoas estivessem usando.[/picturethis]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, Frederico!

 

Tudo bom? Não contratei guia não. A galera que foi comigo já tinha ido ao Pico anteriormente e são bem experientes com trilhas e escalada. Eles levaram o equipamento de segurança e guiaram o percurso. Como disse no post, recomendo fortemente que você vá com um guia e o equipamento apropriado. A trilha não é difícil de ser seguida, mas existem pelo menos dois pontos onde será importante estar acompanhado por alguém com experiência e equipamento.

 

Espero ter respondido a tempo. Ah! E se você quer ir em julho mesmo, reforce a proteção contra o frio!!! Qualquer outra dúvida é só falar. Boa viagem!!!!!

 

Abraços,

Ângelo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá, Frederico!

 

Tudo bom? Não contratei guia não. A galera que foi comigo já tinha ido ao Pico anteriormente e são bem experientes com trilhas e escalada. Eles levaram o equipamento de segurança e guiaram o percurso. Como disse no post, recomendo fortemente que você vá com um guia e o equipamento apropriado. A trilha não é difícil de ser seguida, mas existem pelo menos dois pontos onde será importante estar acompanhado por alguém com experiência e equipamento.

 

Espero ter respondido a tempo. Ah! E se você quer ir em julho mesmo, reforce a proteção contra o frio!!! Qualquer outra dúvida é só falar. Boa viagem!!!!!

 

Abraços,

Ângelo

 

Brigadao Ângelo, estamos indo dia 30 de julho e o grupo nao decidiu ainda sobre o guia, mas já temos os contatos!

Vc ficou no abrigo reboucas?

 

abx

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Frederico,

 

Não ficamos no Abrigo Rebouças. Nos disseram que estava lotado, por isso, decidimos ficar no camping que descrevi no meu relato. O camping é muito bom, mas fica distante do parque. É preciso contar com o carro. Depois conte como foi sua viagem!

 

Abraços,

Ângelo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×