Ir para conteúdo
karina.koch

A Conquista da Península Ibérica - Parte 1 - Portugal (Lisboa, Sintra, Évora e Porto)

Posts Recomendados

Olá pessoal!

Este relato é parte de um mochilão que fiz pela Europa em março deste ano, que pode ser lido na íntegra no link http://www.mochileiros.com/portugal-e-espanha-a-conquista-da-peninsula-iberica-lisboa-sintra-evora-e-porto-madri-granada-malaga-sevilha-e-barcelona-t98845.html#p979107 ::otemo::

Aqui, destaco os dias que passei em Portugal. Os detalhes desta viagem estão no relato completo!

 

2º dia – 12/03/2014 – quarta-feira

Paris – Lisboa

O voo foi super tranquilo, e o serviço de bordo é excepcional! Realmente tudo o que você possa ter ouvido falar de bom da Air France é verdade. Chegamos em Paris por volta das 12:00, mas tivemos que atravessar do portão 2E para o 2F (trenzinho e longa caminhada), passar pelos procedimentos de imigração e esteira de bagagens de mão, o que nos tomou cerca de meia hora. Como nosso voo era às 12:35 para Lisboa, e chegamos no portão às 12:30, não permitiram nosso embarque, e remarcaram o voo para às 16:20.

Chegamos em Lisboa às 17:30, tivemos parte de nossas bagagens vistoriadas na saída (procedimento normal, aleatório).

Ainda no aeroporto, compramos o Lisboa Card, no quiosque do Ask me Lisboa. É um cartão que dá direito a entradas grátis em várias atrações da cidade, além de descontos para outras tantas. Você compra ele pelo período de tempo que ficar adequado para sua estada na capital portuguesa (24, 48 ou 72 horas), e ele começa a contar a partir do primeiro uso. Avalie a necessidade e se é vantajoso adquirir o mesmo. No site (http://www.askmelisboa.com/pt/catalog/lisboa-card-1) você pode ver as atrações cobertas pelo cartão e os descontos que ele permite, inclusive no transporte público). Compramos o nosso para 72 horas (€ 39). Como muitas coisas na Europa, eles contam que você é um cidadão íntegro e com boa índole, pois é você que vai escrever no seu cartão o dia e a hora do primeiro uso, e assinar. Então, faça por merecer esse crédito pré-aprovado que seu caráter está tendo! Hehehe. Importante: não rasure seu cartão, senão você pode ter problemas...

No mesmo quiosque, pegamos um táxi por € 23 a corrida até o Hostel.

Ficamos hospedadas no Yes! Hostel, pertinho da Praça do Comércio. Diárias de € 14 em quarto feminino compartilhado, com café da manhã. A recepção é muito amigável, o pessoal muito gentil e atencioso, e as acomodações são muito boas, limpas e confortáveis. Recomendo com certeza. Tem várias opções de atividades turísticas e também oferece diariamente janta a um preço muito bom.

No nosso quarto conhecemos uma menina do RJ, que estava há 5 meses viajando pela Europa. Uma querida a Mariana! Deu várias dicas para a Espanha. Nesta noite jantamos no hostel, € 10 com bebida incluída (chopp liberado). Conhecemos e conversamos bastante com um casal de SP, que estava há um tempo morando na Irlanda e agora viajavam com uma amiga pela Europa, antes de voltarem ao Brasil, e também com o atendente que ficava à noite no hostel, o Fabio. Ele é português, mas os pais são Angolanos. Extremamente alto astral! Depois da janta e do bate-papo, fomos dormir e nos recuperar das longas horas de voo.

 

3º dia – 13/03/2014 – quinta-feira

Lisboa

Acordamos, tomamos café da manhã no hostel e saímos para caminhar pelas ruas de Lisboa. A proposta nesse dia era conhecer a parte histórica da cidade. Começamos pelo Arco da Rua Augusta, Praça do Comércio e margens do Rio Tejo. Seguimos caminhando até a Igreja Conceição Velha (entrada gratuita, muito bonita por dentro), passamos pela Casa dos Bicos (acabamos não entrando, mas acho que é bem interessante pelas obras do Saramago que ali estão) e subimos até a Sé (€ 4 para acessar o claustro e o tesouro). Vale muito a pena a visita. Após a clássica foto do bonde elétrico passando em frente à Sé, caminhamos até o Miradouro de Santa Luzia, com uma linda vista da cidade de Lisboa, suas casinhas brancas e seus telhados uniformes. Naquele dia a vista estava um pouco prejudicada devido a obras no local, mas logo acima, no Largo das Portas do Sol, conseguimos uma vista bem legal. Dali, subimos até o Castelo de São Jorge (€ 6 com o Lisboa Card). Simplesmente espetacular, vista maravilhosa, e um museu anexo bastante interessante.

Saindo do Castelo, pegamos o Elétrico 28, famoso bonde que cruza pela cidade, no Largo das Portas do Sol, em direção à Martim Moniz (final da linha). O percurso é bem bacana, passa por diversos pontos turísticos. Fizemos apenas uma parte dele, mas neste mapa (http://www.carris.pt/fotos/editor2/mapa_carris_paragens_site.pdf) você pode ver o percurso completo, bem como o de outros meios de transporte. Aconselho salvar esse simpático mapinha em seu celular/tablet para consultar quando estiver andando por lá.

Fomos caminhando até a Praça da Figueira e Praça Rossio, onde paramos para almoçar no restaurante Tentação (€ 10 com refrigerante, prato tipo ala minuta).

Após o almoço, caminhamos pelas praças e fomos até a Estação do Rossio, e depois passamos pelo Parque Restauradores até chegarmos ao ascensor da Gloria, uma espécie de bonde/elevador, que leva ao Bairro Alto.

Descendo do bonde e caminhando para a esquerda, fomos ao Miradouro São Pedro de Alcântara. De lá, avistamos em frente, lá no alto, o Castelo de São Jorge. Voltamos em direção à Igreja e Museu São Roque. A visita para estudantes é grátis, e bem interessante. Em seguida, fomos até a Igreja do Carmo, que abriga em seu interior um Museu Arqueológico. Essa Igreja é famosa pelas suas colunas expostas após o grande terremoto ocorrido em Lisboa no ano de 1755. A visita custa € 2,80 com o Lisboa Card, e vale muito a pena.

Terminamos as visitações turísticas indo até o Elevador de Santa Justa, que fica logo atrás da Igreja do Carmo. Paga-se € 1,50 pela subida até o topo, com lindíssimas vistas da cidade de Lisboa.

Descemos novamente até a Baixa e caminhamos pelas ruas até anoitecer. Voltamos para o hostel, jantamos por ali novamente (€ 10 com bebida) e fomos dormir cedo, pois o dia seguinte seria dedicado a Sintra!

 

4º dia – 14/03/2014 – sexta-feira

Lisboa – Sintra

Após acordarmos e tomarmos café, caminhamos umas 3 quadras até a Estação Baixa-Chiado, onde tomamos o metrô até a Estação Parque (linha azul). Próxima desta estação está a loja da Europcar, onde fomos retirar o carro que havíamos alugado para irmos a Sintra.

Sintra é uma cidade da Grande Lisboa, que fica a uns 40 minutos da capital portuguesa. No caminho, está a localidade de Queluz, que abriga um palácio onde viveu a Rainha D. Maria I de Portugal, conhecida também por Maria, a Louca. Pelo tempo, acabamos não entrando no palácio.

Já em Sintra, paramos na “vila” (centro da cidade) e tiramos algumas fotos externas do Palácio Nacional. Acabamos não entrando, pois optamos por visitar o Palácio da Pena, que é lindo demais. A entrada combinada para o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros, mais o trem que leva até o primeiro, sai por € 15,50. Com o Lisboa Card, as mesmas atrações saem por € 15,00. Mas aqui vai outra dica: não esqueça de sempre levar com você o livreto que entregam junto com o seu cartão no momento da compra, pois nele estão os vouchers com os descontos para algumas atrações, como é o caso de Sintra.

Visitamos o Palácio da Pena e, antes de irmos até o Castelo dos Mouros, almoçamos na Vila de Sintra (€ 10 um prato de massa bem saboroso). O Castelo dos Mouros é perto do Palácio da Pena, tem uma trilha que pode ser feita a pé mas é bem cansativa. Fomos de carro, e nos perdemos diversas vezes por aquelas estradas. Mas é uma visita imperdível, lugar impressionante mesmo.

Para finalizar as atrações de Sintra, visitamos a Quinta da Regaleira (€ 4,80), uma propriedade de um excêntrico milionário português do século XIX, que abriga palácios, jardins e vários simbolismos religiosos e históricos. Um lugar bastante legal, que infelizmente não pudemos aproveitar pela falta de tempo, pois ainda queríamos curtir o pôr do sol no oceano pelo caminho.

Saindo de Sintra, seguimos a estrada até o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa, simplesmente lindo e imperdível. Vá perto da hora do por do sol, para contemplar a beleza dessa paisagem, um penhasco na beira do Oceano Atlântico. E ainda dá tempo de dar uma passada na Boca do Inferno, em Cascais, no caminho de volta para Lisboa, e se despedir de vez do sol.

Saímos às 18:40 de Cascais, e pegamos bastante trânsito na chegada a Lisboa. Por muito pouco não perdemos a hora de devolução do carro... E ainda tivemos que abastecer o carro antes da entrega. O curioso é que, na maioria dos postos por lá, é você mesmo que abastece! Se perder meu emprego, já posso ser frentista! Hehehe...

O total do aluguel do carro foi de € 60, e mais € 15 de combustível.

Retornamos ao metro Estação Parque e descemos na mesma Estação Baixa-Chiado, de onde fomos para o famoso Largo do Chiado, jantar, curtir o fim da noite e, claro, tirar uma foto com a estátua do Fernando Pessoa que está em frente ao Café A Brasileira.

 

5º dia – 15/03/2014 – sábado

Lisboa

O dia começou por volta das 09:00, quando pegamos o bonde 15E na Praça do Comércio em direção a Belém.

Descemos na “paragem” do Mosteiro dos Jeronimos, mas era cedo e ainda não estava aberto. Atravessamos a praça e a passagem subterrânea até o Padrão dos Descobrimentos, que também estava fechado. Ambos só abrem às 10:00.

Tiramos algumas fotos e, no horário certo, fomos até o Mosteiro dos Jeronimos (grátis com o Lisboa Card). É muito legal a visita do mosteiro, uma importante obra da arquitetura manuelina que honra a riqueza da Era dos Descobrimentos, e ainda é possível visitar a Igreja (grátis, pode visitar só ela).

Saímos dali as 11:30, e fomos então até o Padrão dos Descobrimentos, localizado a beira do Rio Tejo e que homenageia os grandes navegadores portugueses (€ 2 para subir). A vista é divina lá de cima! É possível avistar o próprio Rio Tejo, a Ponte 25 de Abril, a Torre de Belém...

Depois, visitamos a famosa Torre de Belém, uma fortaleza e ponto de partida das embarcações portuguesas que iam em busca de novas rotas comerciais (grátis com Lisboa Card). É interessante, tem toda a história da época dos descobrimentos e grandes navegações contada nas paredes.

Para finalizar a visita a esse aconchegante bairro de Lisboa, fomos à magnífica Pastelaria Belém, onde você pode saborear os pastéis de Belém, ou pastéis de nata como são chamados em outros lugares de Portugal e do mundo. Mas pastel de Belém, só aqui! E são deliciosos, dos deuses! E experimente também os bolinhos de bacalhau, são magníficos!

Na volta, pegamos o mesmo bonde 15E, mas ele parou numa paragem intermediária e tivemos que descer. Então, para conhecer mais da vida lisboeta, pegamos um ônibus até a Praça da Figueira.

O transporte púbico de Lisboa é bem prático, na parada mesmo você consegue se localizar e ver qual o número do ônibus que você deve tomar. E aquele mapinha dá uma mão também!

Da Praça da Figueira, fomos até a Estação Rossio, pegamos o metro até a Estação Oriente (Linha verde: Rossio até Alameda; troca para a linha vermelha até Oriente), de onde iríamos conhecer o Parque das Nações, a vida moderna de Lisboa.

A saída da estação do metrô é o interior do Shopping Vasco da Gama, onde acabamos voltando no final do dia.

Fomos caminhando até o Oceanário (€ 13,60 inclui exposição permanente e exposição temporária, que na época era sobre tartarugas marinhas). É um passeio incrivelmente demais e simplesmente imperdível. Um aquário gigante que abriga simpáticos pinguins, morsas divertidíssimas e peixes de todos os tipos. Faça um bem para você mesmo e não perca por nada o Oceanário!

Ali perto está o teleférico Telecabine de Lisboa (€ 5,90 ida e volta), de onde se tem uma vista linda dessa região da cidade. Pelo pouco tempo que tínhamos, acabamos não indo ao Pavilhão do Conhecimento, pois fecharia em poucos minutos.

Voltamos ao Shopping, jantamos, demos uma olhada em algumas lojas e voltamos para o hostel. Essa seria nossa última noite em Lisboa, então bora lá arrumar as malas!

 

6º dia – 16/03/2014 – domingo

Lisboa – Évora – Porto

Acordamos cedão, arrumamos o resto das nossas coisas e partimos para o check-out no hostel. Fizemos uns sanduíches para comer no caminho e tomamos um táxi até a Rodoviária de Sete Rios (€ 12,30 a corrida) Você pode também ir de metrô, pegando a linha azul na Estação Baixa-Chiado até a Estação Jardim Zoológico. Lisboa vai deixar muita saudade...

Na Rodoviária estava tudo fechado, até mesmo o lugar para deixarmos nossas mochilas enquanto íamos para Évora. Acabamos tendo que levar tudo junto conosco, torcendo para que em Évora houvesse algum locker ou algo do tipo.

O ônibus saiu às 08:20, e às 09:30 estávamos em Évora. E a sorte estava conosco! € 1 por mochila para eles guardarem a nossa bagagem, até o fim do dia. Siiiim!!! Só um eurozinho! ::otemo::

Tomamos um café e fomos caminhar pela cidade.

Évora, que fica na região do Alentejo, tem um centro histórico bem legal, pequeno e cercado por muralhas. Passando pelo Portal de Entrada, caminhamos poucos metros até chegar na Praça de Giraldo, onde tem uma fonte e mesinhas de restaurantes e cafés. Ali também fica a Igreja de Santo Antão, simples mas muito bonita (grátis). Subimos caminhando até a Sé de Évora, visitamos a Catedral e o Museu (€ 4,50), subindo até as torres da Igreja. Linda vista, lugar interessante e bonito.

Mais adiante, estão as Ruínas do Templo Romano, ou Templo de Diana, em uma praça da cidade (grátis), e o Museu de Évora (€ 1,50 para estudantes), bem interessante.

Voltamos para a Praça de Giraldo, onde almoçamos muito bem (€ 15 em média) no Restaurante Giraldo. Fomos atendidas por um brasileiro que está morando há um tempo já em Portugal, não recordo o nome dele.

À tarde caminhamos até a Igreja de São Francisco, muito bonita. Ao lado, está a impressionante Capela dos Ossos , uma espécie de mausoléu construído com ossos humanos dos cemitérios da cidade. É o tipo de coisa que você talvez não veja em outro lugar, sem palavras, imperdível (€ 1,50 para estudantes, mais € 1 para tirar fotos).

Encerramos nosso dia em Évora no Parque Público, comendo picolé, tomando chopp e relaxando na sombra.

Voltamos então para a Rodoviária, pegamos nossas mochilas e, às 17:40 voltamos a Lisboa. Chegamos às 19:10, fizemos um lanche rápido e, às 20:00, embarcamos no ônibus para Porto, onde finalmente iríamos reencontrar a Rafa, que já estava há seis meses em Portugal!

Às 23:30 chegamos no Porto, e lá estava nossa queridona nos esperando com um sorrisão no rosto. Fomos de táxi até a casa dela, e a conversa e as fofocas foram longe, ficamos até tarde da madrugada colocando todos os assuntos em dia e tomando cerveja, até praticamente desmaiarmos de sono...

 

7º dia – 17/03/2014 – segunda-feira

Porto

Depois de uma ótima noite de sono e um belíssimo cafezão da manhã, saímos a caminhar e conhecer o Porto. Fomos até a Estação São Bento, a mais famosa da cidade, conhecida também por “Comboios”. Além de metrô, de lá também saem trens para outras cidades portuguesas.

Caminhamos dali até a Sé do Porto, o Pelourinho e a Muralha Ferdinando. Atravessamos a pé a Ponte D. Luiz I, que leva até Vila Nova de Gaia, do outro lado do Rio D’Ouro.

Em Vila Nova de Gaia, compramos o tíquete para o Teleférico, passeio de barco pelo Rio D’Ouro e degustação em Cave de Vinhos do Porto (€ 15).

Primeiro, pegamos o Teleférico de Gaia até a parte baixa da cidade, caminhamos pela beira do rio e atravessamos novamente a ponte a pé, agora pela parte de baixo, retornando para a região da Ribeira-Porto (o barco sai na margem do rio do lado do Porto). Almoçamos uma Francesinha, prato típico da região, tomamos um chopp e compramos algumas lembrancinhas. Às 15:00 pegamos o barco e fizemos um passeio pelo Rio D’Ouro, passando pelas 5 pontes (Arrábida, D. Luiz I, Infante, Maria Pia e São João). Voltamos para a Ribeira, caminhamos até Vila Nova de Gaia e fomos até a Cave Quevedo Port Wine para a degustação. Lá pudemos apreciar também um fado (música bem melancólica típica de Portugal). Retornamos de Teleférico até a parte alta da ponte, atravessamos a pé e pegamos o metrô até a casa da Rafa.

À noite, comemoramos o aniversário dela, que havia sido poucos dias atrás, com uma janta deliciosíssima! Bacalhau com Natas e panquecas de morango e avelã! Dia cheio de coisas maravilhosas, barriga cheia... hora de dormir!

 

8º dia – 18/03/2014 – terça-feira

Porto

Hoje o passeio iniciou em direção à parada do ônibus para a Foz do D’Ouro.

Essa parte da cidade é linda! Caminhamos pela Praia dos Ingleses até a barra da Foz do D’Ouro, com seu belo farol.

Depois, pegamos outro ônibus, para Matosinhos. Andamos pela beira da praia, almoçamos num restaurante de sushi muito bom (não lembro o valor, mas não era caro), tomamos nosso bom chimarrão do sul do Brasil e, em seguida, fomos para o Parque da Cidade. Fizemos uma boa caminhada pelo Parque, e retornamos até o Castelo do Queijo (Forte Francisco Xavier), mas já estava fechado).

Sentamos então em um bar na beira da praia para tomar chopp e curtir o por do sol. No fim do dia voltamos pra casa da Rafa. A ideia era sairmos à noite para conhecer o agito do Porto, mas a beleza aqui pegou uma bela de uma gripe (eu sou chique, pego até gripe europeia :P), e acabamos ficando por casa mesmo. Aproveitamos para fazer nossos check-ins dos voos da Ryanair. Essa é uma dica boa: fazer o check-in antecipado assim que possível, para ter opção de escolher o assento, que no momento da compra é cobrado a parte. Se não me engano, são a partir de 7 dias antes do embarque.

 

9º dia – 19/03/2014 – quarta-feira

Porto

Acordamos, tomamos café e saímos para conhecer o Centro Histórico da Cidade do Porto. Começamos pela Avenida dos Aliados, onde estão a Câmara Municipal em uma ponta e o monumento a D. Pedro IV (o nosso D. Pedro I) em outra. Caminhamos até a Torre dos Clérigos (€ 2 para subir), mas infelizmente a igreja estava fechada para obras. Só foi possível subir na torre e curtir a bela vista da cidade. Em frente a essa igreja está a Praça da Cordoaria.

Depois, passamos na Praça Gomez Teixeira, onde ocorre a tradicional festa da “Queima das Fitas”. Bem perto desta praça existem duas igrejas praticamente grudadas, separadas apenas por um apartamento suuuuper estreito (antigamente, duas igrejas de diferentes credos não poderiam ser uma ao lado da outra, por isso construíram esse “apertamento”).

Fomos mais adiante, até a famosa Livraria Lello e Irmãos, com uma belíssima escada em seu interior. Infelizmente, não é possível fotografar. Passamos pelas “Galerias”, onde ocorre a noite do Porto, com seus bares e pubs, e caminhamos então até a Rodoviária pra comprar a passagem de volta a Lisboa para a noite do dia 28/03 (€ 17).

Almoçamos ali perto e saímos para caminhar pela movimentada Rua Santa Catarina, com diversas lojas, a Igreja Capela das Almas de Santa Catarina e vendedores de castanhas portuguesas (assadas na brasa, o gosto parece de pinhão mas é meio doce...).

Fomos até o Mercado Bolhão, uma espécie de mercado público, e depois pegamos o metro até a Casa da Música, passando pela Praça dos Leões. A visita guiada na Casa da Música custa € 5 e é muito legal!

Voltamos para a casa da Rafa no fim da tarde, para arrumarmos nossas malas de partida para a Espanha! Arrumação padrão Ryanair, com muita coisa em pouco espaço! Hehehe. Deixei boa parte das minhas coisas em Portugal, principalmente as lembrancinhas que já havia comprado.

Fomos dormir cedo...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×