Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Diário de Viagem: Primeira parada Berlim!

 

E aqui é o meu ponto de partida pra conhecer algumas cidades do Leste Europeu.

 

A cidade é gigantesca, e me atrevo a dizer que é umas das capitais com mais opção de cultura que conheço, apesar (pode começar a jogar as pedras) de achar que é uma São Paulo que funciona (momento desabafo: como queria que o centro de São Paulo fosse bem cuidado e tivesse mais valorização do turismo), mas vamos lá Berlim oferece de tudo um pouco: cultura, cinema, vida noturna, museus, arquitetura, entre outros.

 

O hotel escolhido foi o Wyndham Berlin Excelsior, que fica na mesma avenida da Igreja Memorial Kaiser e o Zoológico da cidade. É uma avenida com fácil acesso ao metrô/trem além de ser cercada de lojas como H&M, Zara, Forever 21, Desigual, entre outras. Os quartos são modernos e bem aconchegantes, o café da manhã oferecido é compacto, mas saboroso.

 

PRIMEIRO DIA

Chegamos do hotel às 15:00 horas e logo nos arrumamos e saímos para rua.

Eu havia reservado à visita a cúpula de vidro do Reichstag (Parlamento Alemão). Na verdade queria fazer a visita completa ao Parlamento, mas não estava disponível, então fiz a inscrição para a visita a cúpula, onde você recebe áudio-guia grátis na língua que você escolher (tem em português). Existem outras opções para fazer a visita, mas tudo depende da disponibilidade, para fazer a reserva acesse o site.

 

Para a visita somente na Cúpula clique em “Visit to the dome”. Com essa visita o áudio explica sobre a cúpula e também sobre os pontos visíveis de lá da cidade de Berlim. Depois de fazer a inscrição você tem que aguardar por e-mail a confirmação do seu agendamento.

 

Cheguei ao Parlamento com uma hora de antecedência, imaginando que teria que esperar lá! Mas ao contrário, me dirigi a entrada e entrei imediatamente.

 

Você passa por um detector de metais e aguarda juntar um número de pessoas para seguir em frente, onde depois você segue em um elevador (gigante), aonde você chega a um balcão e retira os seus áudios guias para a visitação. O áudio funciona meio como um “GPS”, que avisa aonde você deve para observar mais detalhes e direção. Outra coisa boa! A visita é grátis.

 

Como chegar:

Dica: se você for fazer a visita logo que chegar na cidade desça na Estação Central de Berlim (Hauptbahnhof), digo para descer por lá pq a estação em si já é uma visita. É uma obra arquitetônica linda e é cheia de lojas e restaurantes.

 

Mas também você pode ir de metrô, pois a estação Bundestag é digamos na frente do Parlamento, é só pegar a linha U55.

 

Após a visita seguimos por uma parte de Tiergaten em direção ao Portão de Branderburgo lá encontramos o “Denkmal für die im Naticionalsozialismus ermodeten Sinti ind Roma Europas”, esse é um memorial que lembra cerca de 500 mil pessoas que foram perseguidas entre 1933 e 1945 pelo governo.

 

O monumento foi inaugurado em outubro de 2012, 20 anos após seu planejamento pelo artista Dani Karavan, onde criou uma “piscina” circular que possui 12 metros de diâmetro com um fundo preto, ficando um espelho d’água.

Saindo do monumento seguimos para o Portão de Branderburgo, que me atrevo a dizer que é o monumento mais popular da cidade. Esse monumento conta com mais de 200 anos de história. Ele foi construído entre 1788-1791 pelos projetos de Carl Gotthard Langhans, pensando Propylaea da Acrópole, em Atenas.

 

Em 1793, Johann Gottfried Schadow colocou sobre o portão as esculturas que mantem até hoje, mesmo sendo roubadas em 1806 por Napoleão.

 

Ali do lado fica o Memorial aos Judeus Mortos da Europa (Memorial do Holocausto), como já diz o nome é um memorial para os 6 milhões de judeus mortos durante o Nazismo.

 

O projeto é do arquiteto americano Peter Eisenman que começou a ser construída em abril de 2003 e foi concluída em dezembro de 2004, mas só teve a sua inauguração em 10 de maio de 2005, pois fazia parte das celebrações dos 60 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.

 

O monumento possui 2.711 blocos de concreto enfileirados em uma superfície com elevações, é emocionante principalmente quando você começa a refletir sobre a história, eu diria que da até um certo pavor na caminhada pelo memorial.

 

Após a visita do memorial resolvemos voltar para o hotel e visitar a avenida próximo ao hotel.

Ali fica a Igreja Memorial Kaiser (a qual estava fechada para restauração).

 

A avenida é bem movimentada com diversos centros comerciais, além que no “pátio” da igreja estava acontecendo um festival de verão, com várias barraquinhas de comidas típicas de diversos países e artesanatos.

 

Resolvemos nesse dia jantar no Jim Block, uma lanchonete sensacional, adorei! Experimentei um lanche com hambúrguer angus e molho de cogumelos maravilhoso. O que achei mais interessante foi o sistema de senhas de pedidos do local, cada senha é o nome de uma Praça da Alemanha, tipo Alexander Platz. Ok! Não é fato que foi muito fácil, pois meu Alemão não chega nem ao iniciante baby…rsrsr… O atendente foi super simpático e o local agradável, é uma boa opção para uma refeição rápida e depois voltamos para o hotel, pois o dia prometia.

 

SEGUNDO DIA

 

O dia começou cheio, demos uma passada pelo Tiergaten, uma passadinha mesmo porque o lugar é enorme, a tradução literal é “Jardim dos Animais”, pois era o local de caça da realeza antigamente, durante o reino de Friedrich I, que durou de 1657 até 1713. O local possui cerca de 210 hectares, passando por Zoologischer Garten, Portão de Brandenburgo e Potdsdamer Platz. Ele é um espaço verde para diversas práticas de esportes, passeios, piquenique ou simplesmente relaxar um pouco.

 

Aqui é parque que no verão muitas pessoas adeptas ao naturalismo aproveitam o espaço.

Saindo do Tiergaten seguimos para o Muro de Berlim, parte do muro que vários artistas customizaram o East Side Gallery que é a maior galeria a céu aberto do mundo, com 1.316 metros. Todos os anos a galeria recebe mais de três milhões de visitantes, sendo o único monumento autêntico da reunificação há mais de vinte anos. Ela consiste de 105 pinturas de artistas de todo o mundo.

 

Próxima parada Gendarmenmarkt, que são duas igrejas, uma em frente da outra, sendo digamos quase gêmeas.

Uma delas é a igreja alemã Deutsche Friedrichstadkirche e a outra uma francesa Franzosische Friedrichstadtkirche. No centro dessas duas igrejas fica Konzerthaus, uma sala de concertos construída por Karl Friedrich Schinkel em 1817 em um estilo neoclássico.

 

Digamos que Berlim, como muitas outras cidades, você tropeça em história, monumentos e coisas interessantes. Quando resolvi ir para Berlim fiz uma lista dos lugares que queria conhecer, sabendo que não ir ter tempo para todos (mais pra frente descrevo essa lista), um deles era o Checkpoint Charlie, mas como o tempo voa não consegui ir caminhando até o local, passei apenas de ônibus, mas o que é o Checkpoint Charlie?

 

Esse foi o nome dato a um posto militar entre a Alemanha Oriental e Ocidental pelos Aliados durante a Guerra Fria. Existiam outros dois postos militares: Alpha e Bravo, cada nome indicava uma letra do alfabeto (Alpha a letra A, Bravo a letra B e Charlie a letra C), mas falando do Charlie que foi projetado como um posto militar para a passagem dos estrangeiros membros das Forças Aliadas na Alemanha Ocidental para a Alemanha Oriental.

 

O próximo ponto foi o meu sonhado Museu do Pergamon, que está localizado na Ilha dos Museus. A Ilha dos Museus é uma ilha no rio Spree que fica no centro de Berlim, o local recebe esse nome, pois ali se encontra cinco museus: Museu Pergamon, Altes Museum, Neues Museum, Alte Nationalgalerie, Museu Bode, além de ter a Berliner Dom e Lustgarten.

 

Foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1999. Seu primeiro museu, o Altes Museum (Museu Antigo) foi construído entre 1823 a 1830, destinado a abrigar a coleção de artes da família real da Prússia. Nos anos seguintes, em 1859 foi aberto o Neues Museum (Museu Novo), que antigamente era chamado de Museu Real Prussiano, o qual foi destruído durante a guerra e só foi reaberto em 2009, é nesse museu que fica o busto da Nefertiti.

 

Já o Alte Nationalgalerie, que é inspirado na Acrópolis de Atenas, foi construído entre 1867 e 1876. Por ordem de idade, chegou a vez do Bode Museum que foi aberto em 1904 com o nome de Kaise Friedrich Museum, mas em 1956 teve seu nome alterado para homenagear o seu primeiro curador: Wilhelm von Bode.

 

Mas vamos lá, to aqui pra falar do Pergamon, o qual visitei dessa vez. É o mais famoso e visitado museu de Berlim, recebe quase um milhão de visitantes por ano, mas corra! O museu vai ficar fechado por alguns anos para restauração.

 

Ele foi construído entre os anos de 1910 e 1930 e lá você encontra antiguidades mostradas com suas devidas proporções, como o Altar de Pérgamo, o qual da o nome ao museu; uns dos portões de acesso da cidade da Babilônia; o Portão do Mercado de Mileto; entre outros.

 

Vamos lá! Amei conhecer o Pergamon! De verdade! É sensacional, apesar de ter algumas opiniões diversas que não vem ao caso no momento.

 

Saindo do museu para descansar um pouco fomos fazer um passeio de barco pelo rio Spree, ali do lado do museu tem várias empresas que oferecem o serviço, optamos por uma de um passeio de 1 hora e custou 10 euros.

 

Como muitas viagens eu faço com meus pais, e como já disse sou a raspa do tacho, eles queriam voltar para o hotel para descansar um pouco. Então resolvi caminhar novamente ao redor do hotel, desbravar o bairro.

 

Como já havia mencionado tem várias lojas e aproveitei para dar uma olhadinha. Achei uma loja Saturn (a mesma que tem na Alexander Platz) em um centro comercial chamado Reisebüro Europa Center. Essa loja tem de tudo quando se fala em eletrônicos: celulares, fones, máquinas fotográficas, entre outras mil e uma coisas e com preços bem atrativos. Eu me arrependo muito de não ter comprado diversas coisas, tinhas uns eletrônicos que nunca tinha visto e uns headphones com preços espetaculares.

 

Agora é aquela parte mico xereta da viagem, ao sair da loja Saturn olhei para o outro lado da avenida e vi uma certa movimentação, um cinema com várias bandeirinhas, daí pensei… é o lançamento de um filme.. ah ok! Mas gente… era um tapete vermelho, pode começar a rir, mas nunca vi pessoalmente um Red Carpet, nem mesmo do filme do Toninho do Diabo (celebridade local da minha cidade…hahaha), mas enfim, era o Red Carpet do filme Hectors Reise oder Die Suche nach dem Glück, segunda minha pesquisa a história conta sobre um psiquiatra frustado porque seus pacientes não estão felizes e ele não pode ajudá-los. Daí ele decidi fazer as malas para viajar pelo mundo.

 

Não assisti até o momento que escrevo essa postagem, mas se assistir conto para vocês como foi.

 

http://www.nasciemcasaerrada.wordpress.com

Link para o post
  • 1 ano depois...

  • Membros

Agradeço por compartilhar todas essas informações sobre Berlim @thaisberaldo! Gostei muito! Você passou por Praga também? Gostaria muito de ler a continuação da sua viagem! Estou pensando em uma viagem que inclua Berlim e Praga! O que você achou dos preços da alimentação em geral? Abraços!

Link para o post
  • Membros
Agradeço por compartilhar todas essas informações sobre Berlim @thaisberaldo! Gostei muito! Você passou por Praga também? Gostaria muito de ler a continuação da sua viagem! Estou pensando em uma viagem que inclua Berlim e Praga! O que você achou dos preços da alimentação em geral? Abraços!

 

Oi! tudo bem?

ai vai sim para Berlim e Praga pq é lindo!!!!

vou colocar o link aqui do blog que tem o restinho da minha história.

http://nasciemcasaerrada.com.br/praga/

 

Espero que goste.

 

Qualquer dúvida que eu puder ajudar me avise.

 

bj

Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...