Ir para conteúdo
Ftgreat05

Relato Santiago/Pucon/PuertoVaras/Bariloche/Buenos Aires

Posts Recomendados

Montei minha viagem praticamente pelo mochileiros.com sendo assim vou retribuir o favor e tentar relatar a minha viagem com dicas espero que seja útil para o próximo.

Roteiro realizado em Novembro de 2014 durante 16 dias

 

Rio  Santiago  Pucon  Puerto Varas  Bariloche  Buenos Aires  Rio

 

Dia 01 – Santiago Chile

Fomos para o Apart Hotel deixamos nossas coisas e fomos conhecer o bairro (Providencia). O bairro é ótimo, tranquilo de andar tanto de dia como anoite recomendo a todos que forem para Santiago procurar hotel neste bairro. O mesmo possui integração com o metro e linhas de ônibus.

Anoite pegamos o metro (Pasagem proximadamente Ch$700 dependendo do horário) e fomos ao Patio Bellavista, que é tipo um shopping a ceu aberto com vários restaurantes e lojas. Este bairro é o bairro boêmio de Santiago. Para chegar é só descer na estação Baquedano atravessar a ponte e ir reto, caso não queiram ficar no Patio é só continuar a rua que vai achar vários bares.

No pátio conversei com um rapaz da Turistik (agencia de turismo que tem stand em praticamente todo lugar em Santiago) sobre passeios e preços. Depois do roteiro vou colocar mais info sobre.

Voltamos para o Apart bem tarde, pegamos o metro e andamos pelo bairro de providencia sem estresse e sem medo (algo bem diferente do Rio de Janeiro).

 

Dia 02 – Santiago Chile

Acordamos cedo e fomos para a rodoviária comprar passagem para Pucon pela Turbus (Linha vermelha do metro na estação Universidade de Santiago). Compramos a passagem pegamos o metro novamente e descemos na estação la Moneda. Passamos o dia andando pelo centro, incluindo Plaza das Armas, Catedral, museus, Cerro Santa Luzia e Cerro San Cristobal.

Indico muito a subida para o Cerro San Cristobal (Morro onde se encontra a estatua da nossa senhora). Sou católico e o local e não tenho palavras para descrever o local, especialmente uma capela que tem la. Para os não católicos a vista é simplesmente a melhor que vao ter de Santiago. Para subir é necessário pegar o funicular localizado no final da rua Pio nono (mesma do Patio Bellavista – Estacao de Metro Baquedano). Este funicular também te da acesso ao zoo da cidade.

Aproveito a oportunidade para o momento marketing do roteiro. Na rua do funicular tem um restaurante chamado Taco Bell que para mim é o melhor restaurante de fast food do mundo (comida mexicana). Tem um monte de Dunking Donut espalhado em Santiago também, la vocês encontram as melhores donuts.

 

6147304060307389186?hl=pt_BR&pid=6147304060307389186&oid=103684545397721176652

 

Dia 03 – Santiago Chile (Vina del Mar / Valparaiso)

Separamos este dia para conhecer vina del mar e Valparaiso. Pela manha enviei um email para a vinicula Undurraga para reservar um tour.

Apesar de não gostar de city tour fiz as contas e cheguei a conclusão que seria melhor e mais barato contratar um pois não tem como conhecer as cidade por conta própria em um dia Fomos até a rodoviária e contratamos um tour com passagem por Ch$20.000. A turistik também oferece esse tour porem é bem mais caro.

Não gostei do tour, não por ser ruim é porque não gosto de city tour mesmo. Não deveria ter feito acho que poderia ter aproveitado melhor o dia em Santiago. Mas se não tivesse ido teria ficado com aquela duvida se valeria a pena. A praia é brava e gelada não dar para entrar, então se o objetivo e entrar no oceano Pacifico, é so p molhar o pe. Caso tenha que escolher apenas uma cidade, va para Vina del Mar pois valparaiso e velha e feia.

 

 

Dia 04 – Santiago Chile

Acordei cedo e fui conhecer a cidade da melhor maneira possível, correndo . Peguei a Av Andres Bello que tangencia o rio e parti para os 10km do dia. Muito bom correr ali, super tranquilo, mas fiz o pior tempo da minha vida! haha.

Fomos ate a ultima estação da linha vermelha (Los Dominicos) na feira de artesanato. Achei muito legal e ótimo lugar para comprar presentes aos familiares.

Domingo dia de Igreja, sendo assim fomos a missa e até que deu para entender bem o padre.

Santiago possui uma quantidade enorme de viniculas sendo a mais famoso Concho y Toro, ela não e a mais famosa por ser a melhor mas sim porque fez mais marketing, e durante a conversa que tive com o guia da turistik a Viña Undurraga seria melhor. Sendo assim escolhi ir nela. Em uma conversa posterior com um casal que foi as duas eles realmente acharam o tour da Undurraga melhor.

O tour pela turistik e de Ch$29.000 por pessoa, DESNECESSARIO. Fomos por conta própria. Peguei novamente o metro (linha vermelha) e desci na Estação Central, ao sair dei de cara com o um shopping (Arauco) e fui até o final dele ao Terminal de Buses San Borja. Subi a escada rolante e pela esquerda no terminal 77 peguei um microbus para Talagante. Pergunte para o motorista se ele passa na frente da Viña Undurraga, se não me engano tem dois micros para Talangante um não passa por la, e pede para ele parar na frente da Vinicula. O micro vai pegar a autoestrada toda vida, assim que ele sair da autoestrada fique esperto que esta chegando, se necessário lembre o motorista ele te deixa na porta (vou deixar uma foto da entrada). Para voltar é so pegar do outro lado da rua o micro com placa Santiago. Preco = $900(micro) + 700 (metro) + 8000 (Viña) = $9600 bem diferente do cobrado pela turistik, aproveitei essa economia para comprar vinho... Obs: Nem todos os vinhos valem a pena comprar la, de uma olhada na net primeiro.

Voltamos para o Apart Hotel Pegamos nossas malas e partimos para a rodoviária de Taxi para pegar o ônibus sentido a Pucon as 23h.

 

Dia 05 – Pucon Chile

Chegamos em Pucon por volta das 10:00AM. Pegamos um taxi e fomos parao Hostal Pucon Sur. Lugar simples mas muito aconchegante, aconselho.

Fomos apé até o centrinho da cidade onde compramos a subida ao vulcão por $70.000 ($35.000 cada). Existe uma diferença boa de preços então sugiro pesquisar, no dia ficamos preocupado em comprar um mais barato e deixar a desejar por uma razão ou outra mas no fim os guias são os mesmos e o vulcão tbm . Podem ir com o mais barato que a experiência vai ser idêntica. Andamos um pouco e voltamos para o Hostal descansar.

 

Dia 06 – Pucon Chile

No próximo dia acordamos cedo e fomos ate o centro encontrar com o guia. Pegamos uma van sentido ao vulcão e paramos na estacao de esqui (que estava fechada), o teleférico ainda não estava aberto então subimos o percurso todo. [ No inverno tem uma estacao de equi no local, no inverno ela fica fechada mas o teleférico fica aberto justamente para o pessoal subir ate uma parte do vulcão]. A subida é realizada em fila única em zig zag, ou seja o grupo vai tao rápido quanto o seu integrante mais lento. São aproximadamente 5h de subida dependendo do grupo. Voce não precisa ser atleta para chegar ao cume, os 100% sendentarios vao sofrer um pouco mais mesmo assim da para chegar com um pequeno esforço. Quando você vai subindo sempre fica aquela duvida de como vai ser a descida sugiro que não pensem muito sobre pois ele e feita por skibunda. Os que subirem vao entender o porque estou falando isso, pois uns pontos são bem íngremes hehe.

Veredito final da subida. VALE MUITO A PENA! DEFINITIVAMENTE O HIGH POINT DA VIAGEM! A paisagem é fantástica a experiência também. Apesar de ter bastante neve não ponham muita roupa pois quando começarem a andar vao ficar com calor. Oculos de Sol e protetor solar são obrigatórios. Caso tenham uma daquelas mascaras de ski levem pois o sol refletindo na neve queima e muito. Levem agua e comida fácil de abrir porque a ultima coisa que vao querer fazer e tirar as luvas.

Voltamos ao Hostal por volta das 17h, saímos para comer algo e ver o por do sol no lago. Perfeito.

 

 

Dia 07 – Pucon Chile

Após 4 dias bem agitados resolvemos ficar a manha atoa para descansar um pouco. Fui correndo na rodoviária comprar passagem de ônibus para Puerto Varas.

A tarde alugamos umas bicicletas na pousada e saímos andando pelas trilhas de Pucon. Quando perguntei ao atendente de uma loja se tinha muito lugar para andar de bike a resposta dele foi “Pucon e o melhor lugar do mundo para andar de bicicleta” e ele não estava errado. Andamos sem rumo, mas foi lindo.

 

Dia 08 – Puerto Varas Chile

No sexto dia fomos ao terminal da JAC (não era o mesmo terminal onde chegamos) e pegamos o bus ate Puerto Varas. Me desculpem mas não lembro direito quanto tempo de viagem mas chegamos em Puerto Varas antes do almoço. Ficamos no Hostal Carla Minte da senhora Carla, muito bem localizado, quartos grandes e os funcionários são extremamente atenciosos.

Andamos um pouco no centro da cidadezinha e almoçamos no Donde el Gordito onde se vende o melhor pisco sour de Puerto Varas (existe ate um trofel la hehe). Para falar a verdade achei o melhor pisco sour do chile! E olha que bebi vários durante a viagem. A ideia era ir para Bariloche fazendo a Cruce de Lagos e fomos comprar a passagem, era para ser o segundo grande momento da viagem após a subida do vulcão em Pucon. So que acabou que não tínhamos tempo ($$) para fazer o Cruce-- R$1500. Comparado ao bus $150, achamos melhor fazer o caminho 100% terrestre.

Anoite contratamos um passeio para o dia seguinte no valor de Ch$30.000. Daria também para alugar um carro, a diária mais barata que encontramos foi Ch$25.000. Existem outras cidadezinhas ao redor do lago que dizem ser ótimas também, conhecemos um casal que alugaram carro e se viraram numa boa. Mas por comodidade achamos melhor deixar quem já conhece nos levar.

 

Dia 09 – Puerto Varas Chile

Tomamos café e esperamos a van passar para nos buscar para iniciar o passeio. Segue abaixo algumas fotos.

Ao para no Osorno pegamos os 2 telefericos e subimos o vulcão. Não chega ao cume como em Pucon mas e um visual muito bacana também. Vale a Pena

 

Dia 10 – Bariloche Argentina

A estrada até Bariloche é simplesmente fantástica. Queria MUITO estar de moto para fazer a travessia, imagino que de carro também e linda com o Cruce então nem se fala. Queria poder postar algumas fotos so que a minha excelentissima esposa apagou elas. Novamente peco desculpa pois não lembro tempo de viagem (Escrevi a parte de Santiago logo na volta mas enrolei para escrever essa parte da Argentina ).

Ficamos no Belgrano Decks que é um aparthotel sem recepção. Tudo muito certinho, o apartamento e muito bem equipado e limpo. Bem localizado porem é em um morrinho que iria dificultar a vida de alguém com problemas de mobilidade ou carrinho de bebe. Demos uma ida rápida ao centrinho da cidade mas comoestavamos completamente mortos então tiramos o resto da tarde para descansar. O que foi um “erro” pois em todo lugar sempre saiamos no dia em que chegamos e começávamos a ver o que tinha para fazer no local o que estava aberto ou fechado etc, em Bariloche não fizemos isso e deu no que deu... (continue lendo hehe)

 

Dia 11 – Bariloche Argentina

Acordamos no Domingo e como o apart-hotel não oferece café da manha fomos tomar café na rua. Em Bariloche não existe cobrador, precisa comprar um cartão (tipo Rio Card) e colocar credito, cada lugar que você vai tem um valor. Paramos em uma banca de jornal e compramos nosso cartão dai partimos para o Cerro Catedral, pegamos um ônibus cujo ponto final é o cerro. Ao chegar la FECHADO!!!!! Dai já viu ne perdemos a manha, se tivesse procurado saber antes teria ido a outro lugar e voltado la outro dia. O cerro catedral fecha aos domingos durante baixa temporada. Ficamos parado no ponto esperando o ônibus de volta.

Chegando no hotel resolvemos descansar mais um pouco e fomos a missa na catedral da cidade. Bariloche é conhecida também por suas choperias, então fomos a La Pinta uma choperia perto do hotel em que ficamos. La comemos uma pizza e tomamos um chopp para esquecer a manha perdida, gostei muito do local.

 

Dia 12 – Bariloche Argentina

Antes de tomar café paramos numa casinha no centro para comprar a entrada do Cerro Otto assim como a passagem do ônibus. Pegamos o ônibus de 9:15 (eu acho, se não foi esse foi por volta desse horário hehe). No topo do cerro tem um café, sentamos tomamos um chocolate quente e comemos um (surpresa) alfajor. Tiramos fotos vimos tudo que tinha que ver e descemos. No pe do cerro pegamos o ônibus e voltamos para o centro pegar o ônibus (comum de linha) para cerro campanário.

Na ida percebi que não precisava ir ao centro pois o ônibus para o cerro campanário passa na rua margeando o lago, ou seja era so descer e pegar o ônibus la embaixo sem precisar ir ao centro. Pagamos a entrada do cerro campanário e subimos, la em cima tem um rapaz que tira sua foto caso queira comprar.

Cheguei ao cerro campanário pensado “A é mais um cerro com uma vista de um lago” e após Pucon,Puerto Varas e o Cerro Otto já vi vários cerros e vários lagos. Porem fiquei boquiaberto com o lugar. É simplesmente espetacular!!! Caso tenham um lugar para conhecer em Bariloche ecolham Cerro Campanhario.

Ao chegar no centro fomos a uma loja de turismo (tem um monte pesquise o preco mas no final vai tudo para o mesmo lugar no mesmo barco) e compramos uma viajem para o próximo dia ate Isla Vitoria. Tem como comprar apenas o passeio de barco ou o passeio + translado ate a marina. Como um bom mochileiro achei melhor me virar e chegar na marina por conta própria e econimizar uma grana.

 

 

Dia 13 – Bariloche Argentina

Pegamos o ônibus e fomos a marina. Foi super tranquilo pois tinham varias pessoas indo para o mesmo lugar. O dia não estava muito bonito e estava frio, então o passeio poderia ter sido melhor mas foi legal mesmo assim. Paramos em dois lugares, o primeiro teve uma pessoa para explicar sobre as arvores e um blah blah blah danado sobre a fauna e a flora do lugar (desculpe aos leitores ambientalistas) e o segundo lugar e um bosque muito louco onde dizem que o Walt Disney teve a inspiração para o desenho do Bambi. O passeio durou o dia todo. Voltando para marina pegamos o ônibus de volta ao Hotel.

Anoite fomos a um restaurante cujo nome não lembro e comemos uma pizza de frango e abacaxi muito boa (sei que esse comentário vai ajudar muito hehe)

 

 

Dia 14 – Bariloche/Buenos Aires Argentina

Pedimos um taxi rumo ao aeroporto e demos adeus a Bariloche. Só que o voo atrasou muito!!! Acabamos perdendo uma boa parte do voo de castigo no aeroporto. Como ele e longe de tudo nem dava para passear mais um pouco.

Chegando em Buenos Aires pegamos nossas malas saímos do aeroporto e pagamos um taxi rumo ao hotel. Dai começou uma frase que ouvi os poucos dias que estive em Buenos Aires “Heyyy Brasilenos 7x0!!!”, graças a Deus por Mario Gotze pois não iria aguentar se eles tivessem ganhado.

Em Buenos Aires ficamos no hotel Dolomen. Também recomendo. Chegando no hotel saímos pela Rua Florida e fechamos um show de tango porque “se você foi a Buenos Aires e não for a um show de Tango você não foi a Buenos Aires”aff fazer oque ne. Tambem fechamos um city tour! Sim apesar de não ser fã fizemos mais um city tour mas vamos a desculpas. Não iriamos parar em Buenos Aires mas como tínhamos que fazer escala por la vindo de Bariloche decidimos ficar um dia. Entao como não teríamos tempo para fazer as coisas resolvemos fazer um city tour para ter uma nocao básica da cidade.

 

Dia 15 Buenos Aires Argentina

Fizemos o city tour..... e fomos ao show de tango (Sabor a Tango – até que é legalzinho)

 

Dia 16 Buenos Aires Argentina

Acordamos e fomos novamente a rua Florida comprar um casaco de couro para minha esposa e um chapéu para eu coroa. Voltamos para o hotel pegamos um taxi para o aeroporto e voltamos para nosso Rio de Janeiro que continuava lindo.

 

 

Espero que este relato tenha ajudado um pouco e peço desculpas ao Portugues por ter assassinado ele neste relato hehe.

O que teria mudado na viagem? Teria prestado mais atenção em Bariloche para não ter perdido aquela manha linda. Talvez teria feito o trajeto Pucon/Puerto Varas de carro, porque dai conheceria algumas cidades no caminho e rodado em PV também.

Partes boas? Achei muito legal o carinho que o povo Argentino tem pelo Papa Chico, isso me comoveu muito.

Partes chatas? Achei muito chato o carinho que o povo Argentino tem para me lembrar que o Brasil levou um sacode da Alemanha.

Ponto Alto? Villarica sem duvida

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ajudou bastante!

 

Obrigada pelas informações. Pretendo fazer um mochilão em Agosto e estava em dúvida sobre como andar em santiago e ir para os passeios. Gostei da dica da corrida! Também gosto de correr.

 

Não pretendo ir a Pucom... mas quero ir a Buenos Aires e terminar a viagem em Montevidéu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ajudou bastante!

 

Obrigada pelas informações. Pretendo fazer um mochilão em Agosto e estava em dúvida sobre como andar em santiago e ir para os passeios. Gostei da dica da corrida! Também gosto de correr.

 

Não pretendo ir a Pucom... mas quero ir a Buenos Aires e terminar a viagem em Montevidéu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Larissa,

 

Fico feliz em poder ajudar!!! Santiago é uma cidade super tranquila de se locomover, pode ir numa boa. Se for ao sul do Chile pense em Pucon com mais carinho pois vale a pena. Um caminho que vejo algumas pessoas fazendo saindo de santiago ruma a BA ou vice-versa e por mendonza.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×