Ir para conteúdo

Audiência pode definir obra do teleférico em Chapada


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

:arrow: Midia News

http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=3&idnot=7198

 

Secretaria de Meio Ambiente do Estado quer que a população conheça e opine sobre obra polêmica

Ednilson Aguiar

 

 

[align=justify]O Estudo do Impacto Ambiental (EIA) para implantação de um teleférico na cidade de Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte de Cuiabá), apresentado pela Secretaria de Desenvolvimento do Turismo (Sedtur), visando à liberação de licença ambiental pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema), entra em sua fase final de avaliação. A construção do teleférico vem gerando polêmica entre o Governo do Estado e o Ministério Público Estadual (MPE).

 

Atendendo a uma obrigatoriedade para liberação das construções, o secretário de Meio Ambiente, Luis Henrique Chaves Daldegan, marcou para o próximo dia 18 (sexta-feira) a realização de uma audiência pública, prevista para iniciar às 19 horas, na sede da Secretaria Municipal de Turismo, em Chapada dos Guimarães.

 

Na reunião, a Sema apresentará o Relatório de Ambiental Simplificado (RAS) da implantação do teleférico. A finalidade de audiência é informar a população sobre o projeto da Sedtur, colher a opinião dos moradores e segmentos organizados de Chapada dos Guimarães.

 

O teleférico, que faz parte de um programa de investimentos na cidade, segundo o projeto apresentado pela Sedtur, seria construído na localidade denominada Serra do Atimã, próximo à trilha da Passagem da Cavalgada (Tope de Fita), do Cindacta (Base da Aeronáutica), do Loteamento Bom Clima, a 2 km do centro de Chapada. As áreas foram doadas ao Governo do Estado.

 

Interdição

 

As obras do teleférico, que, segundo o secretário de Turismo, Yuri Jorge Bastos, sequer foram iniciadas, estão interditadas desde o dia 9 de julho, por determinação do juiz de Chapada, Eduardo Calmon, após o MPE propor uma Ação Civil Pública em desfavor de Antonio Checchin Júnior, proprietário de uma das área prevista para construção do teleférico. A alegação do MPE é de que o empresário estaria edificando em área de preservação permanente e sem licença ambiental.

 

Além disso, a ação atinge o Governo do Estado, acusado de realizar licitação e contratação de empresa vencedora do certame para instalar o teleférico na área de propriedade de Antônio Checchin, o Leivinha. A desembargadora Clarice Claudino da Silva negou recurso interposto pelo Governo do Estado para a desinterdição das obras.[/align]

Link para o comentário
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.
×
×
  • Criar Novo...