Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Viagem de Moto a Machu Picchu janeiro 2016 ( Roteiro, Relatos e Gastos )


Posts Recomendados

  • Membros

VIAGEM DE MOTO MACHU PICCHU JAN/2016 ( GASTOS, ROTEIRO E RELATOS )

Video da viagem no youtube:

 

Foi minha primeira grande viagem de moto e aqui vai as informações para encorajar quem nunca fez, mas tem vontade de fazer. Vamos lá:

 

Países: Brasil / Argentina / Chile / Perú

Período: 20/01/16 à 20/02/16 ( 30 dias )

Gasto Total: U$ 1.500,00 dólares ( real à 4,00 na época ... em reais R$ 6.000,00 )

Moto: Lander 250 Yamaha ano 2011

Quilometragem total na viagem : 10.500km ida e volta

 

Roteiro:

 

Ida:

São Paulo x Foz do Iguaçú (BR 374 / PR 323 )

Foz do Iguaçú x Paso de Los Libres - ARGENTINA ( Ruta 12 / Ruta 14 )

Paso de Los Libres x Resistência - ARGENTINA ( Ruta 126 / Ruta 12 )

Resistência x Jujuy - ARGENTINA ( Ruta 16 / Ruta 9 )

Jujuy x San Pedro do Atacama - CHILE ( Ruta 9 / Ruta 52 / Ruta 27 )

San Pedro do Atacama x Tacna - PERÚ ( Ruta 23 / Ruta 24 / Ruta 5 / Ruta 1S )

Tacna x Mollendo - PERÚ ( Carretera 1E / Carretera 15A )

Mollendo x Sicuani - PERÚ ( Interoceanica Sur / Carretera Vale Del Colca )

Sicuani x Cusco - PERÚ ( Carretera 3S )

 

Volta:

Cusco x Juliaca - PERÚ ( Carretera 3S )

Juliaca x Arica - CHILE ( Carretera 3S / Interoceanica Sur / Carretera 36A / Carretera 1S / Ruta 5 )

Arica x San Pedro do Atacama - CHILE ( Ruta 5 / Ruta 24 / Ruta 23 )

San Pedro do Atacama x Purmamarca - ARGENTINA ( Ruta 23 / Ruta 52 )

Purmamarca x Resistência - ARGENTINA ( Ruta 9 / Ruta 16 )

Resistência x Puerto Iguaçú - ARGENTINA ( Ruta 12 )

Puerto Iguaçú x Assis - SP Brasil ( PR 323 )

Assis x São Paulo ( BR 374 )

 

 

RELATOS:

 

Não falo espanhol, e esse era meu maior receio, porém com o “portunhol” deu pra me virar bem, basta pedir pra falarem devagar e pronto, entende-se tudo, ou quase tudo.

Gastei U$ 1.500,00 dólares , sem nenhum tipo de exageros, tudo muito econômico e calculado. Fiz o erro de trocar real por dólar ainda aqui no Brasil, mas não há essa necessidade, pois basta ir com real que fazem o câmbio da nossa moeda em qualquer cidade desses países que passei, uma dica boa é ir com notas novas zeradas, pois na hora de cambiar eles não trocam notas amassadas ou velhas ( isso serve tanto pro Real ou pro Dollar ou qlq outra moeda de outros países ). Usei apenas dinheiro, não usei nada de cartão. O meu maior gasto foi com gasolina, isso já estava previsto. Acampei em alguns trechos ( para economizar )

Para se alimentar, levei latas de atum e algumas sementes e castanhas, pão integral e frutas desidratadas... já nas cidades procurei sempre comer em lugares baratos.

Para me hospedar, procurei Hostel sempre priorizando economia, em alguns casos dividi quarto com 10 pessoas e banheiro coletivo.

Fiz praticamente o mesmo caminho ida e volta, apenas priorizando algumas cidades na ida e outras na volta.

A média de km por dia foi de 500km ( em alguns trechos na Argentina por exemplo Purmamarca x Resistência foram 950km no dia )

A moto não apresentou nenhum problema durante toda a viagem.

Fiz as trocas de óleo corretamente, filtro de óleo e lubrificando a corrente todos os dias com óleo ( não usei graxa ). Antes de fazer a viagem fiz uma revisão completa na moto e troquei tudo que foi necessário trocar para que não apresentasse nenhum problema.

Tentei levar apenas o necessário, então na moto foi: Baú traseiro de 35 litros da protork / mochila pequena com as ferramentas e óleos da moto, amarrada no lugar do garupa / galão de 10 litros de gasolina / barraca e colchonete.

Sobre gasolina: levei um galão de 10 litros e me salvou algumas vezes, porém se fosse um galão de 5 litros me salvaria do mesmo jeito, além de fazer menos volume e peso. Alguns trechos longos na Ruta 16 na Argentina, Ruta 5 no Chile e a Carretera do Vale Del Colca ... são trechos longos que quase não tem postos de gasolina, distância média de um posto a outro nesses trechos é de 300km. Meu tanque só tem 12 litros e tem autonomia de 240km, ou seja, precisei mesmo do galão extra.

 

Sobre as estradas:

 

A Ruta 16 na Argentina é o primeiro grande desafio, uma linha reta de quase 600km, ventos fortes, calor extremo e alguns trechos de estrada ruim. Já na Ruta 9 na região de Salta e Jujuy se tem muita beleza, clima mais agradável e estrada boa. Seguindo pela Ruta 52 subindo a Cuesta de Lipán é beleza seguida de beleza e a partir daí é só admirar as paisagens do deserto até chegar nas Salinas Grandes. Fiz o erro de entrar com a moto nas Salinas, o sal grudou no motor e grudou em varias partes da moto, a maior parte saiu com água... gastei minha água pra tirar o sal q estava grudado no motor, depois qd eu cheguei no Brasil tive q desmontar ela toda, lavar, passar WD em tudo, pois corria o risco de enferrujar tudo. Então fica a dica, não entrem com a moto nas salinas pq o sal corrói tudo em questão de dias. Continuando... passando pelo Paso de Jama ( Aduana ) pela Ruta 27, chega-se a um dos pontos mais altos do deserto do Atacama, então nunca passem por esse trecho a noite, pois eu cometi esse erro e quase morri ( de verdade ) , sensação térmica de -10º as 22h ( em pleno verão ), aliás, no deserto do Atacama em qlq período do ano, se faz muito frio a noite e madrugada, frio extremo mesmo, CUIDADO, caso forem pra lá de moto, peguem a estrada somente de dia... enfim passei pelo susto e cheguei vivo a San Pedro do Atacama, dediquei 4 dias nessa cidade, vale muito a pena, lugar fantástico e com certeza um dia retornarei lá. A Ruta 5 no Chile tbm tem trechos longos e retos e de muito calor, ao chegar em Arica vale a pena passar 1 dia nessa cidade, muito linda ( Aliás o Chile foi o melhor dessa minha viagem )... continuando... Carretera 1S no Perú, pela costa do pacifico, a vista do pacifico é linda e a estrada é boa, mas, há muito lixo e entulho nos acostamentos ( aliás, lixo nas estradas foi o q mais vi no Perú ) ... na região de Arequipa seguí pela carretera do Vale Del Colca, 150km de estrada de rípio, mas valeu muito a pena, paisagens lindas e a grande surpresa para mim, foi passar por um longo trecho nos picos das montanhas geladas da região, vi neve pela primeira vez na vida, muito frio... mas nada comparado ao frio do Atacama a noite ( risos kkk ) ... continuando... enfim, Carretera 3S q leva até Cusco, a beleza esta em trechos q não há habitantes, pois quando chega em cidades tudo muda; é caos, businas, transito, cachorros, multidão, lixo ... aliás foi assim minha chegada a Cusco, não me animou nada saber que a entrada de Cusco era dessa forma... a única coisa bela de Cusco é o centro histórico, onde esta concentrado todo o turismo da cidade. O que valeu a pena do Perú foi Machu Picchu, lugar de energia incrível e inexplicável.

 

Sobre Aduanas e documentos:

 

Antes de sair do Brasil, fiz o PID ( Permissão Internacional para Dirigir ) não me pediram em nenhum momento nas aduanas ou em paradas policiais. Carta Verde, fiz apenas para entrar na argentina, Aduana na Argentina é tranquilo, pedem seu RG, DOC da moto e Carta verde. Aduana no Chile já é mais burocrática, revista a moto, bagagem, e alguns alimentos não permitem entrar no país na bagagem, solicitaram RG, DOC da moto e vc passa por uns 4 ou 5 setores até te liberarem. O Soapex ( seguro pro Chile ) não me pediram nem na ida e nem na volta, porém, na volta vi alguns caras de moto que tiveram que pagar na entrada ( eu não paguei nada, pois não me pediram Soapex em nenhum momento) . Aduana no Perú, vc tem que preencher um formulário, apresentar RG e DOC da moto, não me pediram nenhum tipo de seguro ao entrar no Perú.

 

Propina para policiais na Argentina: fui com um câmera no capacete ( GoPobre ) rsrsrs... talvez isso tenha intimidado os policiais argentinos, pois pelos outros relatos de amigos viajantes, tem fama de cobrarem propinas aos motociclistas brasileiros. Não me cobraram nada, aliás em toda a viagem, só fui parado uma única vez na Argentina, e só pediram RG e DOC da moto e mais nada... ou seja... não paguei propina alguma, com certeza a “GoPobre” ajudou nisso, fica a dica. Outra dica sobre a câmera; para economizar, comprei uma imitação da GoPro, pois sai praticamente a 90% do valor da original... pois bem, a qualidade é horrivel, nem se compara com a original, a maioria dos meus videos fiz com meu celular Moto Play... enfim, entao se vc puder investir numa GoPro original será a melhor opção para vc ter bons videos da sua viagem. Como eu sou fotógrafo e editor de video, consegui salvar alguns segundos de poucos videos da minha GoPobre rsrs... confiram no video: Video da viagem no youtube

 

Ví alguns aventureiros com motos menores ( CG150 ) que estavam seguindo para San Pedro do Atacama, então vc q tem uma moto de baixa cilindrada oq esta esperando para fazer a sua viagem? Faça uma boa revisão na moto, pneus novos, câmaras novas, documentos em dia, e pronto, pé na estrada.

 

Alguns valores basicos ( período de 20/01/16 á 20/02/16 )

 

Gasolina:

Argentina 16,00 pesos o litro ( em real R$ 3,20 o litro +ou- )

Chile 700,00 pesos o litro ( em real R$ 4,00 o litro +ou- )

Perú 16,00 soles por 4 litros ( ou seja o litro sai á 4,00 soles em média ) ( em real R$ 3,80 o litro +ou-

 

Hospedagem e Campings:

Argentina: Camping na cidade de Barranquera Resistencia 100,00 pesos / Camping em Purmamarca 50,00 pesos e hostel em Purmamarca 150,00 por pessoa / Comida na Argentina em média de 130,00 pesos por pessoa /

Chile: Hostel á 10.000 pesos chilenos e Camping a 5.000 pesos chilenos e comida em média de 5.000 pesos chilenos ( San Pedro de Atacama ) e Hostel á 15.000 pesos chilenos e comida em média de 10.000 pesos em Arica / Perú: Hostel de 30,00 soles em Tacna e comida em média de 10,00 soles / Hostel de 40,00 soles em Mollendo / Hostel de 20,00 soles em Cusco e comida em média de 12,00 soles / Hostel de 25,00 soles em àguas Calientes e Camping municipal á 15,00 e comida em média de 12,00 soles

 

*Não fiz nenhuma programação antes dos lugares que me hospedei, eu chegava numa cidade e procurava uma hospedagem barata ou acampava onde dava.

 

Sobre optar em ir de Van até a Hidroelétrica e não de moto:

 

Ao Chegar em Cusco em baixo de chuva ( normal para o período de verão ) ví alguns noticiários locais sobre alagamentos e deslisamentos de terra em estradas próximas. Após estudar o trajeto de Cusco até o pueblo de Quillabamba ( carretera 28-B ) ví q o maior trecho dessa estrada era de terra e de penhascos que beiravam as montanhas da região ( uma estrada da morte peruana, onde só se passa um carro por vez ). Se não fosse as chuvas que não paravam e nem as noticias de deslizamentos eu teria ido de moto sim, pois a aventura e as paisagens vale muito a pena. No pueblo de Quillabamba tem hostel e vc pode deixar sua moto lá, e de lá vc pode pegar uma Van até a hidroelétrica e seguir a pé pelos trilhos até Águas Calientes, ou, pega a van e desce no próximo pueblo Santa Tereza e lá pega o trem simples e barato q te deixa em Águas Calientes. Mas, pensei melhor, e como eu estava viajando sozinho, optei em deixar a moto em Cusco no hostel onde eu fiquei hospedado, além de deixar a moto em segurança lá, deixei tbm todas as minhas coisas, levei apenas o necessário numa mochila para Águas Calientes. Então minha opção foi: pegar uma Van em Cusco até a hidroelétrica ( +ou- 6 horas de viagem com muito enjôo rsrsrsrs e muita aventura ) a maioria dos turistas gringos fazem esse trajeto de Van, por ser mais barato e ter um pouco de aventura. Eu não quis sair de Cusco de trem direto para Machu Picchu, pq o valor do trem era um absurdo. Pensei em fazer a trilha sagrada Inca de 4 dias até Machu Picchu, mas as chuvas me fizeram desistir... Pois choveu todos os dias q eu estava no Perú, a minha sorte é que no dia de Machu Picchu não choveu e pude caminhar tranquilo pelas ruínas da cidade sagrada.

 

Outras informações para quem pretende ir a Machu Picchu de trem ou pela trilha inka de 4 dias de caminhada ( período de: 20/01/16 á 20/02/16 )

 

Saindo de Cusco:

Trem valores em dollar: U$ 60 dolares vagão simples econômico ... ou ... U$ 90 dolares vagão parecido com simples, porém menos pessoas ... ou .. U$ 120 dolares vagão panorâmico com teto de vidro, luxo total, lugares limitados ( o trem chega em 4 horas em Águas Calientes )...*Não esta incluso ingresso a machu picchu, nem hospedagem e nem alimentação em Águas Calientes

 

Saindo de Cusco:

Trilha Inka de 4 dias: 600,00 soles em média por pessoa ( esse valor muda muito depende da época q vc for, se optar em fazer esse trekking de 4 dias, feche com uma agencia, pois dentro desse valor estará incluso café da manhã, camping e banho quente ) * esse valor é apenas os 4 dias de caminhada... *Não esta incluso ingresso a machu picchu, nem hospedagem e nem alimentação em Aguas Calientes ( trilha recomendada apenas a quem já tem experiencias em trekking, pois os 4 dias são bem puxados )

 

 

Video da viagem no youtube:

Instagram @romeubart_photographer

http://www.facebook.com/romeubart

  • Gostei! 3
Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 30
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

VIAGEM DE MOTO MACHU PICCHU JAN/2016 ( GASTOS, ROTEIRO E RELATOS ) Video da viagem no youtube:   Foi minha primeira grande viagem de moto e aqui vai as informações para encorajar quem nunca f

show de bola, Ainda realizo esse sonho, parabéns, yamaha é foda mesmo.

  • Membros
::hãã:: Bela aventura Romeu! Parabéns. Gostaria de saber onde vc acampou, se é fácil acampar nesses países que vc visitou ? É possível relatar as despesas de hospedagem? E parece que vc viajou só, apesar de relatos que desaconselham, porem você se saiu bem. ::hãã::

 

Opa, obrigado Hercilio... inicialmente fui com um outro cara de moto, nos encontramos na Argentina e seguimos até o Chile, depois cada um por sí... então fiz minha viagem praticamente sozinho mesmo... sobre acampar, tive facilidade em Resistencia Barranqueras (argentina ) num parque municipal e outra vez acampei num pequeno pueblo na ruta 16 onde consegui camping numa base policial... já despesas de hospedagem ( hostel ) em Jujuy consegui 1 diária por 140,00 pesos / em Purmamarca por 100,00 pesos a diaria hostel e 50,00 pesos camping / Em San Pedro de Atacama diarias de hostel á 10.000 pesos chilenos e camping por 5.000 pesos chilenos / Em Arica hostel por 15.000 pesos chileno / Em Tacna ( Perú ) diária de hostel a 30,00 soles / Em Mollendo ( Perú ) diária de hostel á 40,00 soles / Cusco ( Perú ) diária de hostel a 20,00 soles / Águas Calientes ( Perú ) diária de hostel á 25,00 soles e camping municipal á 15,00 soles

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
VIAGEM DE MOTO MACHU PICCHU JAN/2016 ( GASTOS, ROTEIRO E RELATOS )

Video da viagem no youtube:

 

Foi minha primeira grande viagem de moto e aqui vai as informações para encorajar quem nunca fez, mas tem vontade de fazer. Vamos lá:

 

Países: Brasil / Argentina / Chile / Perú

Período: 20/01/16 à 20/02/16 ( 30 dias )

Gasto Total: U$ 1.500,00 dólares ( real à 4,00 na época ... em reais R$ 6.000,00 )

Moto: Lander 250 Yamaha

Quilometragem : 10.500km

 

Roteiro:

 

Ida:

São Paulo x Foz do Iguaçú (BR 374 / PR 323 )

Foz do Iguaçú x Paso de Los Libres - ARGENTINA ( Ruta 12 / Ruta 14 )

Paso de Los Libres x Resistência - ARGENTINA ( Ruta 126 / Ruta 12 )

Resistência x Jujuy - ARGENTINA ( Ruta 16 / Ruta 9 )

Jujuy x San Pedro do Atacama - CHILE ( Ruta 9 / Ruta 52 / Ruta 27 )

San Pedro do Atacama x Tacna - PERÚ ( Ruta 23 / Ruta 24 / Ruta 5 / Ruta 1S )

Tacna x Mollendo - PERÚ ( Carretera 1E / Carretera 15A )

Mollendo x Sicuani - PERÚ ( Interoceanica Sur / Carretera Vale Del Colca )

Sicuani x Cusco - PERÚ ( Carretera 3S )

 

Volta:

Cusco x Juliaca - PERÚ ( Carretera 3S )

Juliaca x Arica - CHILE ( Carretera 3S / Interoceanica Sur / Carretera 36A / Carretera 1S / Ruta 5 )

Arica x San Pedro do Atacama - CHILE ( Ruta 5 / Ruta 24 / Ruta 23 )

San Pedro do Atacama x Purmamarca - ARGENTINA ( Ruta 23 / Ruta 52 )

Purmamarca x Resistência - ARGENTINA ( Ruta 9 / Ruta 16 )

Resistência x Puerto Iguaçú - ARGENTINA ( Ruta 12 )

Puerto Iguaçú x Assis - SP Brasil ( PR 323 )

Assis x São Paulo ( BR 374 )

 

 

RELATOS:

 

Não falo espanhol, e esse era meu maior receio, porém com o “portunhol” deu pra me virar bem, basta pedir pra falarem devagar e pronto, entende-se tudo, ou quase tudo.

Gastei U$ 1.500,00 dólares , sem nenhum tipo de exageros, tudo muito econômico e calculado. Fiz o erro de trocar real por dólar ainda aqui no Brasil, mas não há essa necessidade, pois basta ir com real que fazem o câmbio da nossa moeda em qualquer cidade desses países que passei. Usei apenas dinheiro, não usei nada de cartão. O meu maior gasto foi com gasolina, isso já estava previsto. Acampei em alguns trechos ( para economizar )

Para se alimentar, levei latas de atum e algumas sementes e castanhas, pão integral e frutas desidratadas... já nas cidades procurei sempre comer em lugares baratos.

Para me hospedar, procurei Hostel sempre priorizando economia, em alguns casos dividi quarto com 10 pessoas e banheiro coletivo.

Fiz praticamente o mesmo caminho ida e volta, apenas priorizando algumas cidades na ida e outras na volta.

A média de km por dia foi de 500km ( em alguns trechos por exemplo Purmamarca x Resistência foram 950km no dia )

A moto não apresentou nenhum problema durante toda a viagem.

Fiz as trocas de óleo corretamente, filtro de óleo e lubrificando a corrente todos os dias.

Antes de fazer a viagem fiz uma revisão completa na moto e troquei tudo que foi necessário trocar para que não apresentasse nenhum problema.

Tentei levar apenas o necessário, então na moto foi: Baú traseiro de 35 litros da protork / mochila pequena com as ferramentas e óleos da moto, amarrada no lugar do garupa / galão de 10 litros de gasolina / barraca e colchonete.

Sobre gasolina: levei um galão de 10 litros e me salvou algumas vezes, porém se fosse um galão de 5 litros me salvaria do mesmo jeito, além de fazer menos volume e peso. Alguns trechos longos na Ruta 16 na Argentina, Ruta 5 no Chile e a Carretera do Vale Del Colca ... são trechos longos que quase não tem postos de gasolina, distância média de um posto a outro nesses trechos é de 300km. Meu tanque só tem 12 litros e tem autonomia de 240km, ou seja, precisei mesmo do galão extra.

 

Sobre as estradas:

A Ruta 16 na Argentina é o primeiro grande desafio, uma linha reta de quase 600km, ventos fortes, calor extremo e alguns trechos de estrada ruim. Já na Ruta 9 na região de Salta e Jujuy se tem muita beleza, clima mais agradável. Seguindo pela Ruta 52 subindo a Cuesta de Lipán é beleza seguida de beleza e a partir daí é só admirar as paisagens do deserto até chegar nas Salinas Grandes. Fiz o erro de entrar com a moto nas Salinas, o sal grudou no motor e grudou em varias partes da moto, tive q desmontar ela toda, lavar, passar WD em tudo, pois corria o risco de enferrujar tudo. Então fica a dica, não entrem com a moto nas salinas pq o sal corrói tudo em questão de dias. Continuando... passando pelo Paso de Jama ( Aduana ) pela Ruta 27, chega-se a um dos pontos mais altos do deserto do Atacama, então nunca passem por esse trecho a noite, pois eu cometi esse erro e quase morri ( de verdade ) , sensação térmica de -10º as 22h... enfim passei pelo susto e cheguei vivo a San Pedro do Atacama, dediquei 4 dias nessa cidade, vale muito a pena, lugar fantástico e com certeza um dia retornarei lá. A Ruta 5 no Chile tbm tem trechos longos e retos e de muito calor, ao chegar em Arica vale a pena passar 1 dia nessa cidade, muito linda ( Aliás o Chile foi o melhor dessa minha viagem )... continuando... Carretera 1S no Perú, pela costa do pacifico, a vista do pacifico é linda e a estrada é boa, mas, há muito lixo e entulho nos acostamentos ( aliás, lixo nas estradas foi o q mais vi no Perú ) ... na região de Arequipa seguí pela carretera do Vale Del Colca, 150km de estrada de rípio, mas valeu muito a pena, paisagens lindas e a grande surpresa para mim, foi passar por um longo trecho nos picos das montanhas geladas da região, vi neve pela primeira vez na vida, muito frio... mas nada comparado ao frio do Atacama a noite ( risos kkk ) ... continuando... enfim, Carretera 3S q leva até Cusco, a beleza esta em trechos q não há habitantes, pois quando chega em cidades tudo muda; é caos, businas, transito, cachorros, multidão, lixo ... aliás foi assim minha chegada a Cusco, não me animou nada saber que a entrada de Cusco era dessa forma... a única coisa bela de Cusco é o centro histórico, onde esta concentrado todo o turismo da cidade. O que valeu a pena do Perú foi Machu Picchu, lugar de energia incrível e inexplicável.

 

Sobre Aduanas e documentos:

 

Antes de sair do Brasil, fiz o PID ( Permissão Internacional para Dirigir ) não me pediram em nenhum momento nas aduanas ou em paradas policiais. Carta Verde, fiz apenas para entrar na argentina, Aduana na Argentina é tranquilo, pedem seu RG, DOC da moto e Carta verde. Aduana no Chile já é mais burocrática, revista a moto, bagagem, e alguns alimentos não permitem entrar no país na bagagem, solicitaram RG, DOC da moto e vc passa por uns 4 ou 5 setores até te liberarem. O Soapex ( seguro pro Chile ) não me pediram nem na ida e nem na volta, porém, na volta vi alguns caras de moto que tiveram que pagar na entrada ( eu não paguei nada, pois não me pediram Soapex em nenhum momento) . Aduana no Perú, vc tem que preencher um formulário, apresentar RG e DOC da moto, não me pediram nenhum tipo de seguro ao entrar no Perú.

 

Propina para policiais na Argentina: fui com um câmera no capacete ( GoPobre ) rsrsrs... talvez isso tenha intimidado os policiais argentinos, pois pelos outros relatos de amigos viajantes, tem fama de cobrarem propinas aos motociclistas brasileiros. Não me cobraram nada, aliás em toda a viagem, só fui parado uma única vez na Argentina, e só pediram RG e DOC da moto e mais nada... ou seja... não paguei propina alguma, com certeza a “GoPobre” ajudou nisso, fica a dica. Outra dica sobre a câmera; para economizar, comprei uma imitação da GoPro, pois sai praticamente a 90% do valor da original... pois bem, a qualidade é horrivel, nem se compara com a original, a maioria dos meus videos fiz com meu celular Moto Play... enfim, entao se vc puder investir numa GoPro original será a melhor opção para vc ter bons videos da sua viagem. Como eu sou fotógrafo e editor de video, consegui salvar alguns segundos de poucos videos da minha GoPobre rsrs... confiram no video: Video da viagem no youtube

 

Ví alguns aventureiros com motos menores ( CG150 ) que estavam seguindo para San Pedro do Atacama, então vc q tem uma moto de baixa cilindrada oq esta esperando para fazer a sua viagem? Faça uma boa revisão na moto, pneus novos, câmaras novas, documentos em dia, e pronto, pé na estrada.

 

Alguns valores basicos ( período de 20/01/16 á 20/02/16 )

 

Gasolina:

Argentina 16,00 pesos o litro

Chile 700,00 pesos o litro

Perú 16,00 soles por 4 litros ( ou seja o litro sai á 4,00 soles em média )

 

Hospedagem e Campings:

Argentina: Camping na cidade de Barranquera Resistencia 100,00 pesos / Camping em Purmamarca 50,00 pesos e hostel em Purmamarca 150,00 por pessoa / Comida na Argentina em média de 130,00 pesos por pessoa

Chile: Hostel á 10.000 pesos chilenos e Camping a 5.000 pesos chilenos e comida em média de 5.000 pesos chilenos ( San Pedro de Atacama ) e Hostel á 15.000 pesos chilenos e comida emmédia de 10.000 pesos em Arica /

Perú: Hostel de 30,00 soles em Tacna e comida em média de 10,00 soles / Hostel de 40,00 soles em Mollendo / Hostel de 20,00 soles em Cusco e comida em média de 12,00 soles / Hostel de 25,00 soles em àguas Calientes e Camping municipal á 15,00 e comida em média de 12,00 soles

 

 

Video da viagem no youtube:

Instagram @romeubart_photographer

http://www.facebook.com/romeubart

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Ótimo relato, o que achou de viajar esta época do ano? Pegou chuva? Acho muito legal o camping nestas viagens, apesar de nem sempre ser possível, proporciona uma redução nos gastos, outra coisa bacana é o contato com culturas diferentes da nossa, te enriquece muito. Já tem algum outro destino em mente? Parabéns pela viagem, e obrigado por dividir sua experiência.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Ótimo relato, o que achou de viajar esta época do ano? Pegou chuva? Acho muito legal o camping nestas viagens, apesar de nem sempre ser possível, proporciona uma redução nos gastos, outra coisa bacana é o contato com culturas diferentes da nossa, te enriquece muito. Já tem algum outro destino em mente? Parabéns pela viagem, e obrigado por dividir sua experiência.

 

Blz Mauricio... entao, na ida nao peguei nada de chuva, só qd cheguei no Perú proximo a cusco, ai foi chuva quase todos os dias, dei a sorte de no dia em Machu Picchu não ter chovido... já na volta peguei chuva na argentina e no paraná. Já tenho outro destino sim, Ushuaia em 2017 ... se tudo der certo $$$ ;)

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...