Ir para conteúdo
Bruno Albuquerque

Peru - 18 dias - Fevereiro 2010

Posts Recomendados

Olá Moçada,

resolvi em cima da hora fazer essas trip, e apos ler MUITO esse forum, livro do Zizo e informacoes de diversos lugares, montei esse roteiro inicial

 

8/2/2010 - Lima

chegada as 10:55

o que fazer? Citi Tour

onde ficar? Hostel Loki (http://www.lokihostel.com)

 

9/2/2010 - Lima

o que fazer? dia livre (descubro o que fazer por la)

como sair? busão de noite pra Huaraz - nao decidi a companhia ainda

 

10/2/2010 Huaraz

chegada entre 06:00 e 08:00

o que fazer? Passeio pelas ruínas de Chavin, enquanto vou me aclimatando

onde ficar? Hostel Churup (http://www.churup.com)

 

11/2/2010 Huaraz

o que fazer? Passeio pela Lagoa de llanganuco

 

12/2/2010 Huaraz

o que fazer? Passeio pelo Glaciar de Pastoruri - 5200mts, até la estarei aclimatado (I hope)

 

13/2/2010 Huaraz

o que fazer? free, descubro por la

como sair? busão de noite pra Lima

 

14/2/2010 Ica

Chega cedo em Lima e já pega um bus pra Ica

o que fazer? de tarde passeio de buggie/sandboard em Huacachina

onde ficar? a ideia é se hospedar no La Casa de Arena, recomendado pela Júnia Pimenta

 

15/2/2010 Ica

o que fazer? Passeio Islas Ballestas + Paracas

como sair? não sei se saio no mesmo dia pra Nazca ou fico por lá e saio as 06:00 - a definir isso + companhia busao

 

16/2/2010 Nazca

o que fazer? Sobrevoo das linhas... se sobrar tempo ir no Aqueduto

onde ficar? a definir

 

17/2/2010 Nazca

o que fazer? um casal aqui recomendou visitar a Punta San Fernando... estou tentado a ir, mas posso cortar se me delongar antes

como sair? busao de noite pra Arequipa

 

18/2/2010 Arequipa

o que fazer? devo perder a manha, pq o busao demora ateh 14h... entao de tarde city tour

onde ficar? a definir

 

19/2/2010 Arequipa

o que fazer? Canion de Colca, 1º dia

 

20/2/2010 Arequipa

o que fazer? Canion de Colca, 2º dia

como sair? Busao de noite pra Cuzco

 

21/2/2010 Cuzco

o que fazer? demora pra chegar, talvez perca a manha... circular na plaza de armas

 

22,23,24,25,26/2/2010 Cuzco

o que fazer? o que parece estar liberado: Chinchero, Urubamba, Moray, Maras, Ollantaytambo, Tambomachay, Qenko, Puka Pukara e Saqsayhuaman. Tem 20 dias pra eles acharem uma solucao para MP, mas se não achar, fica pra proxima trip

como sair? voo pela Taca as 07:56 para Lima, e de Lima para GRU as 12:55

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1º dia - Lima

 

o voo chegou bem no horario, as bagagens chegaram inteiras e fui pechinchar um taxista (o taxi oficial do aeroporto ateh miraflores custa S45), pechinchando encontrei um taxi nao de aeroporto que faria por S35... que taxi trash, um toyota a diesel ano 80 e bolinha caindo aos pedacos... deu medo mas fui trocando uma ideia com o taxista e ele fez um caminho pela praia (assim eu podia me localizar geograficamente)

 

o hostel Loki eh bacana... mas da mto pouco latinoamericano... tem 1 grupo de argentinas e todo o resto eh de westerners, americanos, ingleses, aussies alemaes, com excecao de uma gangue de israelenses q chegou junto comigo. o lugar inspira confianca ateh, mas todo cuidado sempre eh pouco com suas tralhas

 

Lima, apesar de ser costeira, tem um desnivel de uns 40-50m entre a cidade e a praia em si, composto de varias falesias... algo diferente e bem bonito.

tambem tem muitos parques, cheio de canteiros de flores impecavelmente bem cuidados.

 

as 13h sai pra dar umas bandas em miraflores: conheci o parque del amor (em si nao eh grandes coisas, mas a vista eh animal), tem um pessoal do lado fazendo paragliding q faz a S150 o passeio de 15min (RS100, to tentado a fazer no segundo dia, bora ver...). conheci o shopping larcomar, construido no meio/em cima das falesias bem no meio da cidade... muito bom o lugar, mas nao vale consumir nada, muito caro. ah, aproveitei pra tomar um pisco sour (S15 bebida tipica peruana - pra mim horrivel, uma batida de uma aguardente de uva com ovo e limao, bem azedo)

 

sai do shopping em direcao ao centro de Miraflores, entrando pelo caminho numas lojinhas q nao sao pra turista ver, mas bacana de se ver pra vivenciar um poco a vida do Limenho. Cheguei no parque central/kennedy mas nao achei o lugar absolutamente nada demais, exceto pela quantidade absurda de criancas disputando os brinquedinhos montados la. a Catedra da virgem milagrosal tambem nao tem nada demais, bem estilo colonial, mas nada que a gente nao conheca morando no Brasil.

 

depois voltei ao hostel e fiquei de bobeira bebendo Cusqueña (cerveja daqui, boa ateh) e acabei conversando por horas com uma mocada q tinha acabado de conhecer (filipino, israelense, americano e ingles).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

2º dia - Lima

nao reparem na pontuacao, aqui os teclados nunca estao configurados

quanto aos nomes dos lugares, eu vou corrigir com calma depois, visto que sempre tem mta gente querendo usar pc em albergue

 

a noite foi horrivel, um calor do diabo e um frances roncando botaram a prova meu sono pesado.

de manha combinei com o filipino para darmos uma volta no Centro de Lima, pegamos um taxi (S 12) e comecamos pela plaza de armas... provavelmente a maior do peru... tem ao redor o palacio arcebispal, a catedral, Palacio do governo e diversos predios coloniais muito bem conservados... ficamos de bobeira um tempo apreciando e um guarda da policia turistica perguntou se queriamos informacoes (muito prestativo por sinal). acabou por indicar o quiosque de informacoes turisticas, aonde nos atulharam de mapas e folhetos com varias opcoes para conhecermos

 

comecamos pela Museu Combatientes del Moro de Arica, mantido na casa onde o Heroi peruano Cel. Bolognesi nasceu. muito fraco o museu pra S 5, nao tem nada demais e tenta exaltar o lado heroico peruano na batalha que eles foram destruidos pelos chilenos. nao recomendo ir la...

decepcionado com a perda desses soles, fomos no Museu de filatelia Peruana, que era free, mas muito ruim.

andamos um pouco mais ateh encontrar o Museu de la Inquisicion y del Congreso, free tambem... interessante, falando de toda parte processual do julgamento e condenacao dos hereges na America latina. Varias ilustracoes da epoca, uma parte de catacumbas onde os hereges apodreciam esperando pelo julgamento e algumas formas de tortura que a Santa Inquisicao usava para °livrar° os hereges do mal ou arrancar confissoes... Lugar legal, visto que foi free, se tiverem tempo conhecam

 

a fome bateu e paramos em um restaurante de esquina, cujo menu del dia por S 12 era frango (bom), papas fritas (boas), salada (deu medo comer, nao topei), 1 copo de inka kola(sem gas, horrivel) e uma torta (peguei a de floresta negra, INACREDITAVELMENTE SENSACIONAL, do tamanho de um tijolo e muito saborosa)

 

entao ai fomos ao que acabamos por descobrir sendo o melhor de Lima Centro: Museo del Convento de Santo Domingo. um antigo monasterio superbemconservado, com belas obras de arte, mobiliario original, uma biblioteca enorme de livros do seculo 17 e catacumbas assustadoras com ossos de 25000 pessoas somente no primeiro nivel (muitos, muitos femures e cranios)

 

depois voltamos a Miraflores, dei um tempo, me despedi de meus novos amigos e peguei um taxi para a garagem da Cruz del Sur (companhia de onibus, em Lima nao existe terminal rodoviario, curiosamente) rumo a proxima parada: Huaraz

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

3º dia - Huaraz

 

o Onibus da Cruz del Sur era realmente bom. Um Marcopolo de 2 andares novo (ateh serviram lanchinho a bordo)

ao meu lado foi uma Suica de seus qse 40 anos que estava mochilando sozinha a AL ha 4 meses (inacreditavel a quantidade de europeu q vem fazer mochila por meses a fio) e tinha bastante assunto. Finalmente umas 2h depois dormi... mas nao por muito tempo... la pelas 4h eu tive um pesadelo absolutamente sinistro e acordei com falta de ar... conclui q ja devia estar ha uns 3000 m... me acalmei, bebi meio litro de agua e perdi meu sono pro resto da noite.

 

chegando em Huaraz, a temperatura estava em torno de 10c, bem nublado e com cara que nao ia melhorar muito. O taxista do Hostel ja estava me esperando (amem) e fiz o check-in as 07:00. Lugar bem legal, meio vazio mas impecavelmente bem cuidado.

ja esquematizei um trekking para conhecer o Chavin De Huantar (S 35), ruinas de um povo que habitou a regiao 2000 anos antes de Cristo (ou seja, bem mais antigo q Inca, Maia, Asteca e cia). O que poderia ser excelente acabou sendo bem meia boca.

 

O Busao passou as 9:00 no hostel, e passou mais 1 hora pegando gente em outros hostels. acabei ficando do lado de uma Hungara muito simpatica, habitante de Stuttgart... o que ajudou a tornar as longas horas ateh as ruinas menos macantes.

detalhe que o guia disse que de manha faz sol, mas de tarde SEMPRE chove, e eh muito perigosa a estrada com chuva

 

a estrada, se fosse boa, permitiria uma trip de uma hora e meia... maaaaaaaaaaaaas... um ziguezague gigante, buracos do tamanho de um caldeirao e pedras do tamanho de lhamas no meio da pista (alias, sempre rola deslizamento... e em nenhum trecho havia barreiras contra tal... MUITO hardcore) nos custou QUATRO HORAS pra chegar no restaurante do lado das ruinas.

no meio da trip, a vista para a Laguna Querococha e pausa pro cha de coca a 4000m (tem gosto de nada, de grama aparentemente, mas eh incrivel como aumenta sua disposicao)

 

chegando no bendito restaurante, mais 1h pra comer a pilha de comida que serviram (adivinhem? Pollo com fritas!!! eta povo criativo) e esperar a galera mais de idade comer com calma.

 

bom, as Ruinas finalmente estavam a nossa frente as 15h, com um sol de rachar a cabeca. Um lugar realmente bonito, no encontro de 2 rios, com o Templo disposto de maneira que o sol de manha aparecia entre duas cordilheiras (Blanca e Negra) e se punha entre 2 montanhas da Cordillera central. Blocos gigantes de granito muito bem cortados, mas vindos de sabe Deus de onde, dispostos com uma simetria impressionante.

 

mas, claro, algo ia atrapalhar. o guia, que parecia uma metralhadora falando mostrou as coisas do lado de fora(menos interessantes) durante longos e torridos 30 minutos, tempo necessario pra nuvens pretas aparecerem do nada e comecar a cuspir raios. O cara resolveu correr, mostrou as catacumbas em 15 minutos e saiu correndo pro onibus. detalhe: SEM TODOS OS TURISTAS que ainda estavam nas catacumbas quando a luz de dentro ACABOU... imaginem a gritaria que foi.

 

putos e desolados, embarcamos devolta as 16h, pra chegar em Huaraz as 19h (notem que durou menos tempo a viagem, apesar de chuva o tempo todo...)

 

ah, detalhe que ao chegar em Huaraz, nao havia LUZ. a companhia tem feito °cortes° de luz diariamente, por motivos desconhecidos...

 

O dia acabou nao saindo como o planejado, mas foi uma aventura e tanto... amanha tem glaciar de Pastoruri, saindo as 7 da matina rumo a 5.200 metros de altitude!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Brunão, eu vou para Huaraz nos prox meses!

Bom ler seus relatos... vc acha q é melhor fechar pacote antes de chegar em Huaraz ou nao tem necessidade?

a cidade é grande? tem hostel's com facilidade? e as agencias, pechincha ajuda?

 

Toda sorte a ti,

uma boa aventura

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

4º dia - Huaraz

 

bueno, como falei, hoje era dia de Glaciar de Pastoruri, a 5200 metros de altura!

o dia amanheceu com sol, e do terraco que fica em cima do hostel vc tem uma vista privilegiada da segunda maior montanha das Americas: Cerro Huascaran.

 

tomei meu desayuno (2 paes com uma geleia de morango incrivel q fazem por aqui, cha de coca e cafeh com leite)

hj o tour passou qse 8h da manha, mas eu fui o ultimo a entrar no onibus...

 

como nem tudo sao flores, do meu lado havia uma senhora francesa de 70 anos que nao falava absolutamente nada alem de frances e buenos dias. enfim, fiquei interagindo com uma belga e uma inglesa do banco da frente, ateh que o guia (outro, gracas a Deus) comecou aquelas piadas sem graca de comeco de tour GRITANDO no meu ouvido e no da belga (eu sou um cara q ouve musica alta, falo alto e sou barulhento - mas sou mega amador comparado ao cara). ele disse que iamos de bus ateh o sopeh e de la poderiamos caminhar 2km morro acima ou andar a cavalo por 1,5km e andar 500m

 

o caminho hj era diferente, tinha sol e a estrada, embora em mas condicoes, era muito melhor que a pra Chavin (bom lembrar que essa soh subia, a outra subia e descia). demoramos umas 2h ateh a entrada do parque Huascaran, reserva onde ficam os nevados da regiao, e de la ateh o sopeh do pastoruri mais 1h.

 

o falta de ar ja comecou dentro do bus e saquei que o pessoal mais velho (tipo a senhora francesa) nao ia conseguir sem os cavalos, e olhe la... eh um teste fisico consideravel caminhar e carregar seu proprio peso nessa altura.

 

bom, chegamos la e... cade os cavalos? tadaaaaaan... necas... todo mundo ia ter q encarar morro acima no peh e na coragem.

de comeco a subida eh simples, mas eh dificil manter o pique pra quem nao ta acostumado ou nao tem preparo... meu coracao tava na boca, a mochila parecia pesar uns 20kg, o vento dificultava o equilibrio e vc respirava e o ar nao vinha.

 

resolvi apelar, saquei um chumaco de folha de coca e comecei a mascar... pode ter um gosto horrivel de capim, mas eh um esteroide animalesco... a fadiga desapareceu em 15m e cheguei la no alto uma meia hora antes do que eu achei q conseguiria...

 

bahhh, eh indescritivel. a sensacao de superacao eh... magica... vc rompe seus limites e tem como premio uma vista sensacional, que corre risco de sumir em alguns anos devido ao aquecimento global. o vento bate e vc enregela... e quando o sol bate sem vento vc comeca a suar loucamente... eh uma sensacao muito diferente que todo mundo deve experimentar.

 

claro que eu comi o gelo do glacial. claro que nao era gostoso e tinha gosto de ferro

Alias, legal lembrar que vc ta vendo neve quase na altura do equador.. tipo Recife-PE!

 

bueno, pra descer todo santo ajuda... entao a volta pro bus foi susse, pra saida do parque tambem... e nao choveu!

quase em huaraz, descemos e fui comer uma Truta fresca recem pescada... coisa papa fina, picante pra diabo, do jeito q eu gosto...

 

no caminho de volta acabamos combinando um trek °nao pra turista ver°, estilo mais aventura, para amanha com a belga e um argentino pela llaguna Churup... o carro passa pra me buscar as 7h, entao vou-me nessa pq estou um trapo!!

 

ateh!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

5º dia - Huaraz

 

o destino do dia era o Lago Churup, um dos mais bonitos e de trek dificuldade alta (soh me falaram q era o trek mais dificil quando eu tava semimorto no meio).

 

O taxi passou as 07:30 pra me buscar no Hostel. o Marino(argentino) e a Annelies (belga) ja estavam a bordo... e em 40 minutos o taxi nos levou nas cercanias de Huaraz, de onde andariamos por 1 hora ateh a entrada do parque de Huascaran (o mesmo de ontem, S5 na entrada) e mais 3,5h de subida muito TRASH...

 

Ateh a entrada do parque, passamos por uns vilarejos mega pobres pela zona rural morro acima. Curioso eh q nenhum nativo da zona rural curte fotos, eles sempre se escondem. (sabe Deus pq... vai ver a supersticao diz q as fotos vao roubar as almas deles)

 

logo na entrada do parque, comecei com o peh esquerdo, enfiado 30cm numa lama oculta... weee!

Comecamos a trilha de verdade eram umas 9:30... caminho em si era bonito, com varias cachoeiras e gargantas ao nosso lado, e quando as nuvens permitiam, um nevado ou outro aparecia. A trilha estava bem demarcada, mas MUITO irregular...

 

Passada 1 hora entre as nuvens chegamos a primeira escalada. algo tipo 60-70º bem inclinado, abracando a rocha. Resolvi perguntar se tinha equipo de seguranca e... adivinhem? claro q nao! era na mao mesmo, tenis na pedra umida e muita coragem... bueno, nada impossivel, passando o medao subi susse e o trecho da trilha piorou... MUITAS rochas irregulares, e a altitude tava pegando forte... eram ja 4000m. fui procurar as hojas de coca e... putz! esqueci!!!! que merda!!! sem folha de coca pra ajudar vai ser foda!!!

 

De parada em parada a cada 100m, bebendo o resto a agua q eu levei e comendo barrinha de cereal, fomos indo e indo, com o sol quase dando o ar da graca. Ainda faltava subir muito quando ai veio A escalada. uma subida de uns 20m, em cima de uma garganta, se segurando entre o cabo de aco e as pedras. Na boa, juro que nunca passei tanto medo na vida... pra ajudar o corno do guia ainda disse q volta e meia um europeu se esbolacha 20-30m abaixo e ou morre ou quebra uns 20 huesos.

 

Bah, eu nao tinha andado um inferno pra morrer na praia. Avaliei o risco e confiei nos meus bracos... A Adrenalina foi tanta, mas tanta q quando acabei de subir... eu estava absolutamente sem dores no corpo e o ar fluia como se eu estivesse na beira do mar.

 

mais um pequeno trecho meio pela borda da agua e la estava ele... o Lago de Churup. o de pior acesso, lindo, cercado de montanhas e com varios tons de azuis, ajudados pelo sol que saiu enquanto estavamos la.

 

Denovo. a sensacao de vitoria, de poder e determinacao eh algo indescritivel... ontem no pastoruri era mais alto... mas a trilha eh peanuts comparada a essa... fiquei uns 15 minutos olhando pro Lago e para o Nevado Churup, de 6 mil e pocos metros ao lado dele, sem fazer nada... somente com um vazio na cabeca... inexplicavel a sensacao

 

a adrenalina baixou um poco e comecamos a bater zilhoes de fotos e fazer varios filmes por la... devorei 2 sanduiches de queijo e bebi a agua do lago (ah, na boa, impossivel me fazer mal de tao pura que era... e se fosse fazer, valeria a experiencia)

 

O Nirvana durou 1h, pq depois la em cima o ceu comecou a empretecer com cara de chuva e o Nevado do outo lado da lagoa sumiu. Sinal de chuva. Peh na trilha denovo.

 

descer foi muito, mas muito pior do que subir... nao sei se foi a descarga de adrenalina, falta de oxigenio, dor no joelho de tanto forcar na subida ou falta de agua (visto q durante a descida minha garrafa se suicidou garganta abaixo) soh sei q descer foram 3h de pesadelo, dor e uma satisfacao meio sadica...

 

la embaixo ja fizemos o mesmo tour rural, interagimos com os locais (principalmente as criancas... sempre querendo saber de onde eramos e se tinhamos chocolates, caramelitos, balas, etc)

ja no comeco da civilizacao pegamos um coletivo rumo a Huaraz - alias, que experiencia bizarra... uma besta que cabiam 12 pessoas com 20 dentro, descendo por uma estrada de terra muito podre a alta velocidade... eu apesar de estar comprimido no fundo, dei com a cabeca 2 vezes no teto

 

enfim, hoje foi fenomenal, talvez um dos dias mais alucinante da minha vida. tou podre, com bolhas nos pehs, queimado de sol e as pernas bambas... mas faria tudo denovo pra rever o q eu vi la em cima.

 

amanha queria uma laguna 69, que eh mais facil de se chegar e de cor turquesa, cercada de nevados... mas sozinho nao rola. S 260 com guia. e como eh baixa temporada, nem as agencias acharam interessados. entao vo pra um trek mais light pelas lagunas de Llanganuco e de noite pego meu busao rumo a Lima seguido de Ica

 

ateh!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

6º dia - Huaraz

 

acordei as 8:00 e a primeira coisa que eu pensei foi °Ainda bem que eu nao fui pra Laguna 69...° Amanheci com MUITA dor nos joelhos, e com uma queimadura de sol monstra em cima das maos.

 

o passeio hj prometia ser light, somente ateh a primeira laguna de Llanganuco (Chinacocha). hj nao era busao, e sim uma Van. Haviam muitos peruanos, 1 menina da letonia, 1 francesa e um casal de coroas de PoA (muito simpaticos alias). o lance bacana de Van eh que por ser menor, parece que a galera interage mais...o Guia era o mesmo do pastoruri, o Max... gente fina e melhor que os outros que vi por aqui...

 

a primeira parada foi em Carhuaz, vilarejo famoso pelo seu sorvete na regiao... tomei um sorvete de cerveja (sim, de cerveja) e comprei luvas pq as queimaduras na mao tavam feias... lugarejo sem nada muito especial

 

proxima parada foi a cidade sepultada de Yungay... em 1970 um terremoto destruiu boa parte da regiao, mas o que arrasou Yungay foi a avalanche que desmoronou do Huascaran Norte (foi tanto gelo que caiu que ja fazem 40 anos e o nevado ainda nao se recuperou)... morreram 25000 pessoas, e

eh assustador saber que vc estah 8 metros acima do nivel original da cidade... soh sobrou a torre da igreja, 4 palmeiras q estavam em linha com a torre da igreja, e o cemiterio, q era numa colina (curioso saber que os 92 sobreviventes foram salvos por estarem ali)

 

Desgracas a parte, vamos logo ao lago... estradinha como sempre mequetrefe, muito irregular e cheia de curvas, para subir ateh o lago...

 

ahh, o lago... nao eh como o Churup, isolado, selvagem... era de facil acesso, com bastante infraestrutura. Isso nao torna o lago menos impressionante. Com uma cor turquesa bem viva, vc fica extasiado de ve-lo entre os paredoes de pedra do Huascaran e Alpamayo

 

podia dar um roleh de barco com os nativos pelo lago... mas optei por uma trilha ao redor dele. nao me arrependi, foi bem legal... em seguida resolvi encarar um milho (que alias, eh mais branco, tem as bolinhas maiores e tem um gosto melhor do que o nosso) e uma especie de pipoca nao estourada das mega bolinhas.... boa tambem.

 

voltamos susse pela estradinha ateh um restaurante no meio do caminho, onde resolvi encarar um Cuy um tipo de porquinho da india que eles tem por aqui... bom, carne meio dura e dificil de comer... nao curti. valeu mais pela foto do que pelo gosto.

 

proxima parada Caraz, quase anoitecendo... para provar o Manjar blanco, uma especie de doce de leite que eles tem muito orgulho por aqui, mas sinceramente muito pior que o que temos por ai no Brasil.

 

Chega ao fim minha passagem por Huaraz... cidade com pouco a oferecer por si soh, mas o Hostel eh fantastico (Churup Guest House - S 20,00 pelo dorm, com desayuno e acomodacoes praticamente de luxo) os passeios sao bem bacanas (e baratos por supuesto). Pra quem curte natureza, um lugar indispensavel. com certeza vou voltar aqui um dia pra um trekking de varios dias e conhecer a llaguna 69

 

fiquei meio assim de sair daqui em 4 dias e ja ir pro sul... Trujillo parece um lugar legal, Chiclayo tambem... maaaas... hj rolou um boato que vai rolar um sismo por la amanha (calma, sismo eh um terremoto BEM suave, casas nao desabam com ele)

 

agora vou pegar um Bus pra lima e de la pra Ica-Huacachina (total umas 12h de trip), um oasis perto da costa para praticar sandboard e ver animais marinhos

 

ateh!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

7º dia - Huacachina (Ica)

 

a noite foi meio ruim no busao... nao conseguia pegar no sono e pra minha infelicidade sentou crianca de 4-5 anos atras e na minha frente, abrindo berreiro esporadicamente durante a noite. pelo menos minhas maos queimadas melhoraram um poco de tanto creme q eu passei e o joelho se recuperou

 

cheguei em Lima 1h antes do previsto, e tive q esperar por 1h30 pelo primeiro Bus rumo a Ica, mais ao sul, no deserto de Nazca. Durante o trajeto, mais comedia romantico-depressiva americana.

 

Em Ica, um sol de rachar e 40 graus no coco... ja de cara fiz a primeira cagada: fui direto pra Huacachina sem fazer cambio, e ao chegar la descobri q soh em Ica rolava. (S 10 no lixo, mas tdo bem). o Hotel (El Huacachinero) eh bem massa, tem uma piscina sensacional, 2 papagaios e 1 arara (informacao bem util :lol: ). ta com uma ocupacao razoavel, mas os dormitorios vazios, soh pra mim (S 20,00). Ja cheguei e agendei um passeio de buggy e sandboard pras 16:30

 

Huacachina em si eh um lugar bacana, microvilarejo com boa estrutura de restaurantes e hostels, mas pouco oferece alem das dunas ao redor... hj tava bem crowd pq era valentines day aqui no peru, (e ainda domingo) entao tinham centenas de casais andando ao redor do lago no maior romance... mas poucos turistas aparentemente, tudo peruano

 

as 16:30 comeca a aventura... no carro umas americanas do Bronx, um alemao q trabalha em Cingapura, um casal de romenos e um japa muito locao. o Motorista era completamente louco, e as dunas GIGANTES... serio, achei q ia voar varias vezes pq ele ia no pau e as vezes o carro descolava do chao nas descidas... mto alucinante!

 

entre uma parada e outra: sandboard! soh tinha praticado em Sao Francisco do Sul-SC mas la as dunas sao uma piada perto dessas... entao primeiro fui de barriga e quando quando fui tentar em peh, me custou uns 10 tombos ateh descer uma duna de 30m direitinho...d muito alucinante... vale a parada em Huacachina soh pra fazer esse tour. depois da loucura, um banho de piscina... Irado!

 

amanha passeio pras Islas Ballestas, na reserva de Paracas... comeca as 6 da matina e acaba meio dia. tarde livre e pego um bus mais tarde pra nazca

 

ateh!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

8º dia - Huacachina

 

Dormi bem (tinha ventilador no quarto) e sai cedinho, la pelas 07:30 para o passeio nas Islas Ballestas.

50min depois, chegamos no porto de Paracas e embarcamos em umas lanchas possantes rumo as Islas. (meu e como tinha turista, tinham umas 5 lanchas com 40 pessoas cada)

 

a reserva de Paracas eh o lugar mais seco do Peru (chove menos de 2mm por ano). Na parte continental, pouco se ve de fauna, e absolutamente nada de flora... destaque para El Candelabro escavado numa encosta, cujas teorias sobre sua origem vao desde os Nazca, Piratas e ateh San Martin (o libertador da america latina espanhola)

 

Varias formacoes rochosas deixam o lugar com um aspecto muito interessante. Mas nada, absolutamente nda impressiona mais do que a quantidade de aves marinhas no lugar (Pelicanos, pinguins, etc) sao MILHOES, mas MILHOES mesmo. e como consequencia o lugar fede terrivelmente a Caca de passarinho. Curioso eh que antigamente esse guano (como se chama caca de passarinho por aki) era muito procurado pra fazer polvora, devido aos altos valores de fosforo e potassio nele... e as unicas construcoes nas ilhas sao bem antigas, feitas por esses extratores de guano.

 

alem dos passaros (que alias, eh impossivel vc sair sem tomar uma bomba na cabeca) havia tambem muitos leoes marinhos,

que se reunem la para se reproduzir. muito legal!

 

na volta fui pro hotel e fiquei na piscina de papo com o casal romeno e com o alemao de Cingapura.

depois cometi meu maior erro da viagem. O hotel era um lugar muito bala, com coziha internacional e tal... ai me arrisquei em um peixe e numa salada de ovos com maionese... o resultado eu conto depois...

 

peguei o onibus da soyuz as 1800 rumo a Nazca e cheguei la as 2030 (nao recomendo a soyuz, onibus podres e meio sinistro pra carregar suas coisas...nao compensa mesmo pelo preco ridiculo)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

9º dia - Nazca

 

cheguei em Nazca passando mal, meio com febre e com muito cansaco... fui pro Hostel WalkOn Inn e me deram um quarto MEGA quente, sem ventilador... e nao tinha ventilador no hostel inteiro!!

 

tomei um banho na esperanca de melhorar e fui me deitar as 22:00... quando deu 01:00 e eu nao tinha melhorado com antitermico, resolvi ir pro hospital.

 

Nazca, uma cidade de 30.000 habitantes no meio do deserto no Peru certamente nao teria muito a oferecer... o hospital m si era estilo hospital publico no Brasil, mas pior... depois de meia hora a medica concordou q era intoxicacao, me passou antibiotico, me deu soro na veia e me mandou embora

 

chegando no hostal pedi pra mudar pra um quarto melhor e mais arejado e consegui finalmente dormir.

 

resolvi entao tirar o dia pra descansar, fiquei morgando na TV (ainda bem q tinha bastante dvd no hostel) e bebendo um soro sabor morango bem azedo ::bruuu::

 

voar sobre as linhas ficaria pro proximo dia, se eu melhorasse

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

10º dia - Nazca & Rodovia Panamericana

 

amanheci consideravelmente melhor, o suficiente para encarar o voo de teco-teco sobre as Linhas de Nazca. para quem nao conhece, sao linhas desenhadas no chao do deserto e/ou na rocha solida com diversas formas - baleia, papagaio, maos, beja-flor, macaco e ateh um astronauta(isso sim q eh esquisito pra 1000 e tantos anos atras).

 

pagos os USD 55 pelo passeio, a van veio coletar la pelas 8h e paguei mais S 20 pelas taxas de aeroporto.

no teco-teco, 2 argentinos e um Eslovaco... ou poderia chama-lo carinhosamente de Elsovaco (autoexplicativo nao?)

 

decolamos e comecamos a rodear as linhas... do alto elas nao parecem ser mto impressionantes nem grandes... o aviao fica deitando de lado o tempo todo pra vc visualizar as linhas bem de cima... o que eh bom, mas se vc tem estomago sensivel vai sofrer muito provavelmente. era mto ruim de tirar foto pq vc visualizava pela janela o desenho mas nao pela maquina, e com zoom entao era pior ainda... sairam soh 2 fotos boas em 35min de voo

 

a unica coisa q eu fiquei realmente intrigado com o astronauta (desenho na rocha de uma montanha, um cara acenando, cabecudo com 2 olhos grandes... parecia mais um ET) porra... quem diabos e pq fez aquilo, ainda mais ha tanto tempo atras?

 

na volta fechei minha conta no hostel e resolvi pegar o Bus pra Arequipa durante o dia mesmo, pra aproveitar a paisagem e permitir mais um dia de relax pro corpo. Paisagens de deserto interminaveis a minha esquerda e o oceano pacifico a minha direita, durante 10h de viagem (filme pra ajudar)... Ponto alto foi o Por-do-sol, muito bonito la no fundo do pacifico (nunca tinha reparado que soh tinha visto o sol nascer do mar, mas nunca se por)

 

em arequipa, cheguei as 23h, cansado e fui direto pro Hostel

no dia seguinte acho q farei um city tour e depois hasta el Cañon de Colca!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

11º dia - Arequipa

 

Dormi como um anjo ateh as 10h da manha, perdendo meu desayuno for free.Meh

conversei largamente com o dono do Hostal del Oro (muito massa, bem familia, poucos quartos, mas sempre com gente) sobre o que podia fazer durante o dia. Eu entendi que pegar o bus pro city tour era roubada pq aparentemente tudo estah ao redor da plaza de armas

 

Sai com 2 objetivos: Monasterio de Santa Catalina e o Museo Santuarios Andinos

 

antes deles, comecei de cara a apreciar a cidade... pela limpeza incrivel pros padroes Peruanos (ateh parece Curitiba!), pela beleza da plaza de armas (muito grande e bem cuidada), pela seguranca (sem brincadeira, 2 guardas por esquina, e varios transitando) e principalmente pela cor das construcoes... sao todas feitas com pedras vulcanicas, chamadas sillas, que da um aspecto bem colonial e de tonalidade branca (nao eh a toa que eh conhecida como ciudad blanca) ... soh faltou o El Misti (vulcao q tem do lado da cidade) aparecer... mas como tava nublado nao rolou

 

Curiosidade a parte: geral no Peru nao curte o pessoal de Arequipa, dizem q eles sao muito arrogantes por sua cidade ser aparentemente melhor que o resto do pais (hmmm, suave relacao entre arequipeños e curitibanos). Uma teoria que eu ouvi, eh q na guerra do Pacifico, contra o chile, Arequipa se rendeu sem lutar, para nao ter suas belas construcoes danificadas... bueno, seila eu, volta e meia da um tremor de terra e a cidade se estraga de qquer maneira

 

enfim, primeira parada Museo Santuarios Andinos (S 15,00) primeiro assistindo um documentario da National Geografic a respeito da Mumia que eu nao veria (ja explico) - basicamente o museu eh a respeito da Juanita, uma menina nobre Inca que foi sacrificada em ao redor de 1500 para aplacar a furia dos Deuses (comum fazerem expedicoes religiosas de Qosqo - ou Cuzco atualmente - de ateh 2000 pessoas para sacrificar uma leva de criancas no alto dos vulcoes aki no sul, a mais de 5000 metros de altura. O corpo dessa menina foi encontrado congelado no El Misti por um arqueologo em 1995.

 

o Museu em si eh bem profissional. Tem a temperatura controlada em 16 graus, iluminacao fraca e nao se tira foto nem por decreto... ao longo das exposicoes, ceramicas, bonecas de bronze/prata/ouro que eram oferendadas junto as criancas, artefatos metalicos tipo plumas de ouro/broches/aneis e muita roupa de la de Vicunha e Alpaca, em cores incriveis, tudo encontrado pelas expedicoes nesses vulcoes... o bacana eh q o manto aonde Juanita estava enrolada eh vermelho/branco/vermelho, igualzinho a bandeira do Peru, que significa a dualidade entre o Divino (branco) e a Realeza (vermelho),

 

o premio final do museu foi um corpo congelado encontrada em posicao de lotus, tambem oferendada aos deuses. meio macabro, mas a Juanita (que seria bem mais macabra, ja que tem pele e tudo) fica em laboratorio entre janeiro e abril... e nesse meio tempo eles expoem outros corpos que eles tem no acervo deles.Recomendo o lugar, muito bom

 

a fome de falta de cafeh da manha e almoco bateu e eu fui comer - com seguranca eh claro - Pollo arroz e Fritas num restaurante indicado pelo Juan (dono do Hostel). bagatela de S 7,00 por uma barriga cheia e feliz.

 

proxima parada: Monasterio de Santa Catalina . Facao de S 30,00 pra passear num monasterio gigante, onde moravam centenas de freiras. Arquitetura interessante, varias obras de arte sacra, bonitos jardins, mas muito pouco pelo custo. Gastei 1h la visitando pelo menos 50 claustros (alguns bem grandes, com cozinha, sala, jardim e ateh lugar pra criar porquinhos da india) - a coisa mais bizarra que eu vi foi um vaso que elas guardavam as pulgas que encontravam (nem pulga elas matavam) e depois alimentavam!!! (soh nao entendi o proposito de se criar porquinhos da india com isso, ja que ele eh criado pra ser comido mesmo)

 

sacudo de tanta arte sacra, sai andando sem destino e encontrei o Museo Historico Municipal, uma pechincha de S 2,00 pra ver varias coisas antigas misturadas. a Unica coisa interessante eh sobre a Historia da Marinha do Peru, das vitorias contra os espanhois aos heroicos embates contra o Chile.

 

na falta do que fazer, entri na Catedral de Arequipa pra continuar minha overdose de Arte Sacra

depois fiquei circulando, falando com turistas, vibrando quando aparecia um gaviao no ceu e os milhares de pombos na plaza de armas voavam em terror pelas suas vidas (pra quem nao sabe, odeio pombos).

 

na sequencia fui me enfiando em uns becos pra explorar... acabei encontrando milhares de lojinhas de artesanato e comprei um gorro peruano (tipo o do chaves...hahahaha).

 

de volta na plaza de armas, por acidente me dei de cara com uma igrejinha nao muito chamativa, mas q sabe-se Deus pq eu resolvi explorar. Se chamava Iglesia y Claustro de la Compañia e eu realmente me comovi.. sentei la na Igreja e fiquei contemplando longamente... Inexplicavel, o lugar em si nao tinha nada demais... mas o bacana de viajar eh justamente vc andar e encontrar lugares que vc parece q se acha, e fica em paz com vc mesmo.

 

voltei pro Hostel umas 19h e fiquei de papo com outros mochileiros... amanha tem Canion de Colca num trek de 2 dias, recheados de emocao, beleza natural e condores voando ao seu redor! a Van vem me pegar as 3:30 da matina entao vou-me logo pra poder descansar

 

ateh! =)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

12º dia - Canyon de Colca

 

Prometido e cumprido. 3:30 tava o busao na frente do hostel pra minha captura. Foram aproximadamente CINCO horas de estradas sinuosas ateh chegarmos na entrada do canyon...

 

no meio do caminho, paramos no Mirador Cruz Del Condor o techo mais estreito do Canyon - uma "garganta profunda" de 3.500 metros de profundidade - Lugar muito bonito (curiosamente cheio de mosquitos) onde dizem q eh o melhor ponto pra se avistar voo dos Condores (maiores aves voadoras do mundo, com 2,5m de envergadura, carniceiras que colocam 1 ovo por ano e vivem ateh 60 anos!) Para infelicidade geral da Nacao e dos turistas, apareceu somente um pequeno e MUITO longe, la embaixo no Canyon... paciencia! o Guia (Marcos, palhaco 100% do tempo, melhor guia ateh agora) disse que a gente teria mais chances nas proximas 24h, ja que passariamos mais de 10h subindo e descendo o morro.

 

nosso grupo era composto por 2 guias, 3 holandeses (Kim,Suzane e Jaron), 1 finlandes (Antii), 3 brazucas (Eu, Joao e Luana - cariocas), 1 espanhol (Daniel), 1 irlandesa (Emily?), 1 Alema (Daniela) e um americano (Sean). muito legal que desde o comeco o Marcos insistiu muito que deveriamos permanecer juntos e o quanto importante isso seria pra gente... e o resultado no final foi muito legal

 

o Trek seria composto de 4 partes:

 

1) Descida direta do paredao de 1300 metros.

2) Atravessar o Rio Colca sobre uma ponte e subiriamos uns 400 metros

3) Descer denovo 400 metros e chegar no Oasis aonde dormiriamos

4) subida pelos 1300 metros, em outro trecho

 

vamos passo a passo entao:

 

1) Descida direta do paredao de 1300 metros.

dessa vez eu tinha jurado que nao ia lascar meus joelhos, entao peguei emprestado um cajado la do dono do Hostel pra ajudar na descida... e como ajuda (meus joelhos iriam pro saco igualmente, mas sem o cajado eu nao teria conseguido completar tudo).

Comecamos numa trilha susse, nao muito inclinada pela primeira hora... passado algum tempo do nada surge um Condor ENOOOOORME voando logo abaixo da gente... o susto foi enorme e a passagem foi rapida, logo ngm conseguiu tirar nenhuma foto... e claro que todo mundo ficou com a camera na mao pela proxima hora e nenhum apareceu... hehehehe

o resto do caminho piorou... a trilha era irregular (e onde era menos irregular, muito, muito esterco de mula no caminho... hehehe) e com mtas pedras pequenas entao volta e meia alguem escorregava e qse se esbolachava.

3,5h depois chegamos ateh o ponto mais baixo (a ponte)... sentamos e descansamos um pouco os joelhos e os tornozelos.

 

2) Atravessar o Rio Colca sobre uma ponte e subiriamos uns 400 metros.

Subimos uns 50 metros durante uns 15min pelo meio do mato ateh a nossa primeira parada oficial - o Almoco - em um casebre no meio do mato.

Feliz da vida q poderia sentar e beber agua (minha garrafa acabou no meio do caminho) descobri que la embaixo do canyon eles cobram DEZ SOLES por uma garrafa de 2.5l (o normal é 3,00). Resolvi pegar agua da torneira e purificar com as pastilhas de cloro q eu comprei em Curitiba.

acabei tendo q comprar uma garrafinha de sprite por S 5,00 pq a sede era muita e precisava de meia hora pra purificar a agua. o Almoco era de carne de Alpaca (duvidei na hora, mas depois comi denovo e conclui q era mesmo)... nao tem nada demais, eh tipo bife de vaca mais durinho

 

na hora que comecamos a andar denovo a chuva desabou... meo como eh ruim andar na chuva... o casaco impermeavel te proteje da chuva q vem de fora, mas vc sua tanto dentro de tanto calor que faz q praticamente da no mesmo... foram 2,5h subindo 400m no meio do mato, com mto calor, chuva e barriga cheia (sim, eles te entopem de comida no almoco como se vc fosse deitar o resto do dia numa rede) ateh chegarmos no primeiro vilarejo - tivemos q sair quase correndo pq o Holandes se encostou em um poste de energia mal-colocado que abastecia uma torre de celular e o mesmo caiu... nao tinha viva alma por perto entao simplesmente vazamos.

 

3) Descer denovo 400 metros e chegar no Oasis aonde dormiriamos

 

3 vilas depois chegamos no inicio da descida... e a chuva parou! otimo... e a trilha era suave e ainda tava mais "macia" pq tava molhada pela chuva. Tudo ia bem ateh q uma pedra pequena rolou morro e acertou o braco da Luana. Susto grande, mas nao foi nada serio, ainda bem, porem estavamos em uma zona de deslizamento de terra entao tivemos q apressar o passo para q nao acontecesse nada mais serio.

sem a chuva a paisagem era realmente deslumbrante, e eu simplesmente nao consigo descrever quao bonito estava.

depois de passarmos um campinho de futebol no meio dos terracos para agricultura, avistamos o Oasis la embaixo... a principio muito promissor, cheio de piscinas bem azuiszinhas muito convidativas, que, segundo o guia, de agua morna!!! Aquilo encheu de alegria nossos coracoes e o resto foi um passeio!

 

chegamos la as 18h30 e a decepcao do que era obvio: a agua nao era morna (soh o finlandes achou)

enfim, nos dividiram: os casais teriam seus proprios quartos, as holandesas ficariam em outro e o ultimo quarto sobrou pra mim pro finlandes e pro holandes derrubador de postes...

 

vamos ao quarto: 4 paredes, telhado de palha, chao de terra, 3 camas e nenhuma luz... nao havia eletricidade la embaixo!!! isso que a maldita mulher da agencia disse q nao precisaria de lanternas! era algo bem aventura mesmo... curti pra ser sincero, foi algo bem rustico, mesmo no breu e sem poder tomar banho, ja que o chuveiro nao tinha agua quente e funcionava muito mal.

 

ficamos de papo ateh umas 19h30 (quando ja estava um pretume soh) e fomos jantar a melhor das iguarias de acampamentos... macarrao com atum enlatado, com uma sopa sei-la-de-que mas que estava deliciosa! Algumas horas a mais ao redor da mesa quando bateu o bode e foi todo mundo dormir

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

13º dia - Canyon de Colca

 

a noite em si foi susse, o Maledetto do guia nos acordou as 04:50 para nos arrumarmos, tomarmos um cha de coca e comecarmos a subida... meu joelho doia, mas nem tanto quanto eu esperava

 

4) subida pelos 1300 metros, em outro trecho

o motivo de comecarmos a subir tao cedo eh q se o Sol saisse no meio do caminho nossa vida ia se tornar um inferno - primeiro por causa da propria luminosidade, q seria demais, e segundo pq ele ia "secar" a trilha, e onde antes se tem barro e coco de mula, que proporcionam "aderencia" no chao, vira poh e tudo fica pior de se subir. e tomariamos cafeh da manha somente la em cima, pq nao ia rolar subir de barriga cheia...

 

comecamos a empreitada e a parada ia ser dura: subida acentuada, em ziguezague, e com todas as roupas ainda molhadas (nada secou durante a noite). Paravamos com certa frequencia, ateh q o guia decidir dividir a galera em 2 grupos. os mais rapidos (Jaron, Antii e o Joao) e os mais lentos (o resto)... o que acabou por se tornar 3, ja que acabou surgindo um grupo do meio (eu, Kim, Sean e Daniela). A Suzanne subiu de mula (S 40,00) pq tava com muita dor nas pernas

 

independente de quem ia na frente, o objetivo comum era chegar la no alto... o que foi feito em 3h, alcancando o topo as 08:30 da manha. denovo mocada, a sensacao de vitoria eh incrivel... por mais em frangalhos seu corpo esteja, eh uma sensacao de dor com felicidade. joia demais!

 

do alto, andariamos mais uns 15 minutos ateh chegarmos em Cabanaconde, o vilarejo onde tomamos nosso cafeh da manha.

depois de um belo cafeh com ovos fritos, cafeh com leite e pao com geleia (parece humilde, mas naquela hora foi muito over)

fomos a praça, aonde todo mundo estirou as roupas pra secar no sol (pareciamos um monte de mendigos ::tchann:: , destruidos pela subida e roupas molhadas) hahahah... micos a parte, tudo secou, todos felizes pegaram o bus pra voltar!

 

no meio do caminho, havia o melhor por vir... piscinas de aguas termais super limpas em Chivay, aonde tambem almocariamos.

 

Chegando no lugar, nossa horda de mochileiros exaustos sairam completamente alucinados do bus, pagaram suas entradas (S 10,00) trocaram de roupa (eu nao, ja subi o morro de sunga pra economizar tempo ::cool:::'> ) e se arremessaram na piscina... meeeeeeeeeeeeeeeo que massa! 35º C na primeira... dava pra passar as proximas 6h ali dentro, boiando sem fazer absolutamente nada. Aquilo era o Nirvana para os musculos e juntas despedacados. Infelizmente nao tinhamos mto tempo la, soh 1h, entao nao daria pra aproveitar muito. Tentei uma piscina de 39º, mas senti q estava comecando a cozinhar e voltei pra primeira.

 

na saida, fomos num restaurante muito bom que o guia conseguiu negociar o buffet a vontade por S 10,00 cada.

Loucura dar um buffet a vontade pra mochileiros, ainda mais bom do jeito que era... o frango com curry, a Alpaca grelhada, arroz chaufa (frito, tipo chop suey)e a banana frita pareciam de outro planeta. Foi de longe a maior refeicao que eu fiz na viagem inteira...hehehehe

 

na volta, 4h de busao, com parada (se o tempo tivesse bom) no mirador de los volcanos, no altiplano entre Colca e Arequipa - infelizmente comecou a chover e nao rolou ver patavinas.

 

De volta a Arequipa, trocamos emails, tiramos fotos e cada um pro seu lado... era uma galera realmente joia, o grupo inteiro, foi realmente muito legal dar a sorte de 11 pessoas legais de lugares diversos e criarem um vinculo ao viver uma experiencia tao intensa. Cheguei no meu Hostal e pra minha surpresa nao tinha lugar pra mim! a menina foi atenciosa e reservou outro hostal pra mim, mas resolvi mudar pra o Hostal Los Andes, do lado da plaza de Armas, onde estavam o Sean, a Daniela, Kim e Suzanne.

 

foi uma otima ideia, pq cheguei la, arrumei minhas coisas e acabei combinando pro dia seguinte um Rafting nivel 3+ no Rio Chili com as holandesas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

14º dia - Arequipa

 

hoje foi dia de Rafting... nunca fiz mas sempre tive muita vontade!

a vanzinha passou as 08:30 pra coletar a gente, passamos por outros hostels pra coletar mais gente (2 francesas, 2 inglesas e 1 peruano) e chegamos no rio la por umas 09:30.

 

As instrucoes de seguranca foram passadas e repassadas exaustivamente durante meia hora, e demoramos mais uns 15min pra nos vestirmos (sleeve, calca e camisa protetora, capacete, bota de borracha e colete salva vidas). as 8 pessoas foram divididas em 2 barcos

 

Tudo pronto, caimos no rio, por onde disputariamos passagem entre as rochas e troncos de arvores pelas proximas 2h.

pra quem nunca fez rafting, eh um esporte bastante seguro: vc ta cheio de equipamento, fica bem preso no barco com suas botas de borracha e se o guia eh bom (normalmente eh) ele se vira sozinho em grande parte do trajeto, te dando ordens do que fazer quando precisa de ajuda...

 

eh muito divertido, trabalho em time mesmo, de fazer tudo em sincronicidade... no meio do caminho paramos e pulamos de uma rocha de uns 10 metros num poco gelado que tinha no caminho. Quando acabou mal pareciamos q tinhamos comecado... passou mto rapido o tempo no rio

 

Depois disso, no resto do dia resolvi o lance da minha passagem de volta (a TACA tinha me confirmado um voo pra Lima depois do meu de Lima pra SP - troquei pra um voo da LAN) e de tarde dei umas voltas nas redondezas com as holandesas ateh comecar a chover.

 

20:30 saia o Bus rumo a Cuzco...

 

Arequipa realmente me impressionou... cidade cosmopolita, bem cuidada, bem segura, linda com suas construcoes de pedra branca... de fato que eh um lugar a parte no Peru. Valera uma nova visita no futuro com certeza

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

15º dia - Cuzco

 

A viagem acabou durando 2h a mais do que o previsto, pq rolou um acidente na estrada e ficamos parados qse 2h durante a madruga. Tudo bem, jah q viajar de noite eh pra dormir mesmo

 

a chegada em Cuzco foi as 08:30 mas cheguei mesmo no Hostel Loki (www.lokihostel.com - o mesmo de Lima, curti o esquema) ja que ele fica num laderao, 6 quadras da Plaza de Armas.

 

larguei minhas coisas la e fui correndo fazer cambio, pq tinha S 1,00 no bolso... desci o laderao rumo a Plaza de Armas e ja comecei a me amarrar no lugar. Diferente do resto do Peru, ruas estreitas, bem coloniais (dava pra perceber que aqui era o lugar mais importante do Birú - como os nativos chamavam essa terra antigamente) com Igrejas e casaroes muito bem trabalhados...

enfim, eu fui pra trocar grana e peguei a pior taxa da trip (1USD = 2,83 SOL). ja tinha marcado o city tour no Hostel e voltei pra atualizar os posts antigos.

 

13:15 desci ateh a esquina onde ja tinha um povo esperando pela van. Um canadense, um americano (militar aposentado) e 2 gurias, 1 inglesa e outra de nacionalidade duvidosa... conversamos um poco e a van chegou

 

deixa eu explicar um esquema antes: Em Cuzco, o basico pra se comprar eh o Boleto Turistico um passe valido por 10 dias que te isenta de entrada em 14 atracoes (em algumas vc nem consegue entrar sem ele). O preco normal eh S 130,00 , mas como a coisa anda preta com a falta de turista aqui, paguei numa promocoa S 70,00 por 5 dias.

 

a primeira etapa seria a Catedral de Cuzco, construida em 1540´s em cima de templos Incas no mesmo lugar (esse lance de construir o seu sobre o do outro pra demostrar supremacia eh meio trash... mas nao vou julgar). a Igreja reune milhares e milhares de obras sacras, e segundo o Guia (provavelmente exagerando) era a catedral mais rica das Americas, perdendo apenas para uma no Mexico. o lugar eh de uma riqueza realmente absurda, tanto em altares cobertos de folhas de ouro (provavelmente feitas do ouro derretido dos incas dos outros templos) como na riqueza das pinturas, da Escola Classica Cusqueña - essa escola de arte eh muito curiosa, pq ela mescla descaradamente nas pinturas sagradas Catolicas (Jesus, Maria, Santos e etc) elementos da cultura Inca. Exemplo: Um quadro da Santa Ceia onde estava servido porquinho da India (Cuy) ao inves de carneiro - e Judas com a cara do Pizarro (o conquistador que acabou com os Incas), outro eh uma imagem de Maria com Jesus no colo, aonde aparecem ocultas na figuras da trindade Andina (Condor, Jaguar e Serpente) e Maria, ao inves de ter uma aureola, tem varios raios saindo da cabeca, como sendo o Sol. Eh muito interessante ver como os nativos aceitaram a religiao mesclando elementos da religiao antiga deles com a nova... realmente mto legal

 

a proposito, a entrada nao estava inclusa no Boleto e desembolsei S 25,00 pra entrar la. Nao me arrependi nem um tico

 

Proxima parada: Templo de Qorikancha, um antigo complexo de templos que foi sobreposto por um convento ( ::grr:: )

do complexo original, soh sobraram algumas paredes (pedras enormes encaixadas como lego, milimetricamente calcudadas... soh vendo pra crer)... nao tinha muuuuuita coisa pra ver, mas bacana ver as sobreposicoes dos templos incas com as construcoes catolicas... o lugar tb era de adoracao a Viracocha a Divindade representada pelo Sol.

 

em seguida o Tour iria visitar as ruinas Incas ao redor de Cuzco: Q'enqo, Saqsayhuaman, Pukapukara e Tambomachay

 

Q'enqo era uma construcao ja meio em pedacos que vc nao conseguia definir mta coisa... tinha uma enorme estatua de Jaguar (simbolo de Qosqo,Cuzco) mas os espanhois arrebentaram a cabeca... o lugar servia para os sacrificios humanos e embalsamamento de Incas importantes.

 

Saqsayhuaman era um templo enorme ao Noroeste de Cuzco, representando a cabeca do Jaguar (o corpo seria o resto da cidade). Era o Palacio de onde o imperador observava sua capital e comandava seu imperio... haviam 3 enormes piramides no complexo, mas foram postas abaixo pelos invasores... nota especial para as pedras ENORMES, de dezenas de toneladas, encaixadas com uma precisao cirurgica... e la do alto se pode ver completamente a cidade de Cuzco

 

Pukapukara (forte vermelho) era tipo o quartel general dos exercitos incas... tem esse nome pq eh feito de pedras q ficam bastante vermelhas ao anoitecer, nao rolou saltar do bus pq caiu o maior chuvao

 

Tambomachay era um lugar de fontes sagradas, e onde comecava a fonte de um complexo sistema de irrigacao dos terracos de plantacao Incas. lugar bacana mas como tava chovendo muito nao rolou ficar mto tempo.

 

na volta, passamos por uma fabrica de roupas aonde tivemos uma aula sobre como identificar a diferenca em uma roupa de tecido sintetico p/ Alpaca p/ Baby-Alpaca e Vicuña (que alias, q la macia... e cara. pra ter uma ideia, um coberta custava USD 2800). Jah no Hostel fiquei de papo com o ex-milico, bebmos uma bera e eu comi um frango extra picante com curry... que provavelmente vou me arrepender em algum momento =)

 

amanha eh dia de passeio pelo Valle Sagrado, dia inteiro!!!

 

so long leitores =)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

16º dia - Cuzco

 

acordei ruim a beça do estomago... achei q o dia ia pro pau, mas desci pra tomar cafeh, tomei um cha de coca, outro de anis, 2 paes e tomei minha ultima pilula q me receitaram em Nazca. voltei pro quarto, deitei mais 20min e consegui melhorar o suficiente pra pegar a van na esquina as 09:00, acompanhado de uma leve chuva, que nos acompanharia o resto do dia. A bordo, o ex-milico americano, uns canadenses, uma russa, uns australianos e um pessoal do Alaska

 

o plano do dia seria visitar o Valle Sagrado, regiao ao longo do Rio Urubamba e cujo final se dá em Aguas Calientes e consequentemente Macchu Picchu.

 

a primeira parada seria Pisac, antiga cidadela Inca muito importante devido a sua estrategica posicao. Ao Norte se ia pra Amazonia, a Noroeste tem-se Macchu Picchu e Choquequirao, e ao Sudeste caminho a Cuzco, Titicaca e Sul do Imperio.

o que chama mais atencao sao os terracos para agricultura: somente em Pisac tem-se mais de 700... uma vista estonteante. deu pra aproveitar bem mesmo com chuva leve, pq as nuvens q passavam ao redor davam um certo ar de misterio no lugar.

 

a segunda parada seria Ollantaytambo, mas antes parada para o almoço, num restaurante chamado "Jacarandá" em qoya, cidadezinha perto de urubamba. barato, buffet a vontade, coisa boa pra mochileiros sempre famintos

 

pouco tempo depois chegamos em ollantaytambo, que em quechua significa Descanso de Ollanta (um guerreiro Inca). esse lugar consiste em varios terracos, aonde estava em construcao o maior templo de todos para louvar a Viracocha (o Deus criador de todo o resto). sao uma serie de terracos onde uma enorme torre estava sendo erguida quando os espanhois chegaram (inclusive, o ultimo embate entre incas e espanhois ocorreu justamente aqui). Eh possivel ver as pedras enormes largadas no meio do caminho rumo ao topo quando os incas fugiram dos espanhois (o guia inclusive comentou a respeito de cidades incas encontradas na Amazonia peruana ha 5 anos atras por arqueologos franceses - vou verificar a respeito).

Lugar fantastico, mas nao parou de chover 1 minuto... mto chato pra tirar fotos.

 

por ultimo a gente seguiu rumo a Chinchero, onde havia uma igreja do seculo 17 construida sobre outro palacio inca nos aguardava. nao estava muito animado pra essa visita, mas quando cheguei, uau! novamente um lugar no meio do nada, impressionantemente rico em arte cusqueña e altares folheados a ouro 18 quilates. ponto alto eram as pinturas no teto, feita pelos nativos, tambem com tematicas cusqueñas feitas a base de tintas extraidas de cactus, insetos, raizes etc... muito legal

na saida, passamos por uma aldeia e tivemos uma aula de como eles obtinham as tintas, como lavavam as las, teciam e blablabla... serviram Chicha pra gente (uma bebida fermentada de frutas - parece iogurte) e eu acabei comprando um agasalho bem massa feito pela galera ali mesmo por S 50,00 (baratissimo)

 

Amanha eu nao sei o que fazer, penultimo dia por aqui entao estou pensando em retribuir tudo o que vi e aprendi aqui... veremos

 

ateh!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

17º dia - Cuzco

 

o plano era ir fazer voluntariado pra ajudar um vilarejo destruido perto de Urubamba: tinha ja combinado com uns suecos e com um canadense q iria junto, mas acordei realmente ruim da barriga (ta certo q nenhum dia eu acordei zerobala, mas nesse dia foi um pouco pior q o habitual) e nao ia rolar ficar fazendo forca cavando e carregando coisas.

 

no cafeh da manha la estava o Lawrence (o ex-milico) e disse q ia tirar o dia off, fazer coisas light, compras e tal... esse era meu plano pro ultimo dia, mas resolvi antecipar, assim teria companhia e nao abusaria das minhas visceras...

 

saimos la por umas 11h, pegamos um taxi pro Mercado artesanal, meio longe, no final da avenida El Sol, mas era tipo um mercadao municipal com milhoes de lojinhas a precos acessiveis... aproveitando das minhas recem-adquiridas skills em saber identificar la de alpaca, baby alpaca, sintetico, ovelha e vicuña... apos muito pechinchar comprei um algumas lembrancinhas pra umas poucas pessoas (infelizmente a grana nunca da pra metade das pessoas q vc gostaria de presentear)

 

depois vazamos e fomos no Museo de Sitio de Qoricancha, coberto pelo boleto turistico... o lugar eh meio simples, mas guarda umas informacoes legais sobre as ruinas do templo de Qoricancha e algumas mumias secas encontradas em vasos. soh valeu a pena pq tava no boleto...

 

a fome apareceu e acabamos indo circular na plaza de armas... entrei soh pra dar um look no Paddy´s Irish Pub, cuja entrada constava uma placa do Guiness book dizendo ser o "Pub irlandes localizado a maior altitude do mundo"... lugar MUITO massa, vc podia esquecer completamente que estava no Peru se nao olhasse pela janela... esqueci q tava ruim da barriga e pedi uma baguette de Philly steak (S 17,00) e veio um sanduba IRADISSIMO, de 30cm, muito bom e acompanhado de batata frita... nao aguentei e levei o resto pro jantar (pobre? nah, contra o despedicio mesmo ::tchann:: )

 

na saida, bateu o bode e ficamos sentado na plaza de armas, tentando conversar e apreciar o movimento... mas hordas de vendedores ambulantes nao davam 30s (cronometrados) de paz... pior q vem querendo saber de onde vc eh, e quando vc diz de onde (Brasil) eles soltam uma ENXURRADA de informacoes inuteis (sua bandeira tem 4 cores, seu presidente eh o Lula e tem 1 dedo a menos, vcs sao o 5º maior pais do mundo e blablabla)... depois de umas 10 ocorrencias, me enchi e comecei a nao responder mais em espanhol e quando perguntavam de onde eu dizia "LIECHTEINSTEIN"... ideia brilhante, eles simplesmente iam embora!!

 

volta e meia, aparecia um gaviao sobrevoando a praca e aqueles milhares de pombos simplesmente SUMIAM... serio era incrivel como eles simplesmente revoavam e faziam "puf" (vcs podem achar bobagem, e eu talvez ja tenha dito isso antes, mas eu tenho pombos q moram no meu telhado e sempre vibro quando eles se ferram ::quilpish:: )

 

na saida, passamos na frente de um Museu por acaso que tambem por acaso estava no boleto turistico e resolvemos entrar.

Era o Museo de Arte Contemporaneo, com algumas pinturas andinas muito peculiares, meio abstratas, meio com temas incas... bacana, mas visita rapida.

 

chegando no hostel, como tava meio podre ainda, resolvi ir ler as 19:00h na minha cama pra assistir um DVD na sala do Hostel as 20:00h mas acabei acordando somente no dia seguinte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×