Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
bad-and-ugly

Praia de Aventureiro em Ilha Grande RJ

Posts Recomendados

Oi pessoal

Depois de muito pesquisar aqui no fórum, no poraidemochila.com.br, ilhagrande.org e outros, finalmente fui conhecer Ilha Grande. Escolhemos, eu e meus dois amigos, um feriado prolongado. Essa páscoa passada, de 14 a 17 de abril (de sexta a segunda).

 

Nossa pesquisa apontava ser prudente ou mesmo necessário reservar camping com antecedência, para não correr o risco de ficar sem lugar. Também precisaríamos providenciar a ida de barco, já que não existe serviço regular. E, para ficarmos em Aventureiro, tínhamos que fazer um cadastro pessoalmente em Angra dos Reis, devido ao limite de pessoas dentro da reserva onde fica a praia.

 

Depois de muita indecisão com campings e horários de chegada (meus amigos viriam de SP e eu sairia de Niterói), acabamos não reservando nada. Nos encontramos em Angra sexta-feira de manhã, no cais Santa Luzia. Um barco saíra pouco antes pra Aventureiro, e às 11 da manhã sairia mais um. Depois dele, teria outro às 14, se me lembro bem. O cara que nos vendeu o barco de 11 horas (creio que o braco chamava Caroline II, só sei que um dos tripulantes era o Eber/Ebinho) deu risada quando eu falei de fazer o cadastro. Disse que tem uns dois anos que não aparece nenhum fiscal por lá, que o Estado está quebrado, etc. Pagamos R$60 (por pessoa) pra pegar o barco. Não fizemos cadastro no TurisAngra.

 

Chegando em Aventureiro, tudo nublado e molhado, fomos de camping em camping pra ver os preços. A maioria deles estava um tanto vazia. O camping 5, do Ferreira, estava lotado. Ficamos no camping 6, do seu Mario, que só tinha nós três e mais um casal que veio no mesmo barco que nós. Era R$30 por noite, mas negociamos e saiu por R$25. Tinha pé de tangerina, de laranja e de urucum. Chuveiro quente e chuveiro frio, cozinha, panelas, pratos, talheres, coadores de café, espelho, dois tanques/pias. Tomadas na cozinha (gerador ligado até 22h ou 23h). Deram sal pra gente, porque não levamos. Acho que não tinha papel higiênico. O camping é recuado, entre dois córregos, ao lado/atrás da igreja.

 

À noite, as pessoas fizeram fogueira na praia. Como esperado, a partir das 22h não havia eletricidade.

 

No sábado, saímos às 9:30 da manhã do acampamento. Íamos para a praia de Parnaioca, leste dali. O caminho até lá é através da reserva e é proibido fazer - só pode ir lá com autorização para pesquisar, estudar. Não é aberto para turismo. Neste dia estava ensolarado. Primeiro uma trilhazinha 5 ou 10 minutos para a praia do Demo. Essa praia é maior que Aventureiro e também tem um pouco de água doce escorrendo nela. Depois dela, uns 10 ou 15 minutos de caminhada sobre as pedronas. Depois é a praia do Sul, que é uma das duas praias proibidas. É uma praia longa. Depois dela, tem uma trilha de 10 ou 15 minutos pela mata. Ela termina numa água marrom que escorre de um mangue. Aí já é a praia do leste, a outra praia proibida. Outra longa caminhada até o fim da praia, onde começa a trilha pela mata para Parnaioca. Essa é uma trilha por cima do morro, e leva cerca de 1 hora (nós fizemos em 1h30min).

 

Chegamos em Parnaioca às 14:30. Levamos cinco horas porque formos parando e aproveitando bastante o caminho. Em Parnaioca tem córrego de tamanho bem razoável chegando no mar, dá pra abastecer o cantil e tudo. A praia é maior do que Aventureiro, acho que do mesmo tamanho da do Demo, se não me engano. Nem caminhamos nela toda. Conhecemos o camping do seu Silvio. Muito gentil e hospitaleiro, foi maravilhoso conhecê-lo e seus hóspedes também. Eles vendem PF por R$25, um peixe frito delicioso, e prato muito bem servido. Veio com salada, farofa, feijão, arroz. Dois pratos bastaram pra nós três com FARTURA, abundância mesmo. Quem fez a comida foi André, que pelo que entendi, estava hospedado lá também. Lá é grande, cabe muita gente, tem uma rede de vôlei e uma antena da Sky. Gerador ligado até as 22h também. Ali perto tem uma igreja e um cemitério, a igreja ficava aberta e era bem mantida (com velas, cadeiras, etc.) O mar estava calmo (ao contrário das outras três praias pode onde passamos).

 

Ali perto tem uma cachoeira, acho que a uns 10 ou 15 minutos de caminhada. Simplesmente deliciosa. São várias quedas d'água pequenas, tem que achar o lugarzinho nas pedras pra poder aproveitá-las. Foi o ponto alto de Parnaioca pra mim. Na verdade, nem entrei no mar (por uma série de questões rs).

 

Ficou muito tarde para voltarmos pra Aventureiro e decidimos passar a noite lá. Os hóspedes do seu Silvio, tudo gente da oceanografia da USP, ofereceram jantar pra gente, que eles tinham feito, e também um bolo de aniversário. Depois de fazer uma fogueirinha, fomos no camping comer e André (que tinha feito almoço pra nós mais cedo) ofereceu lugar pra gente dormir lá, disse que tinha rede ou podia pegar barraca ou nem sei o quê. Agradecemos mas voltamos pra fogueira. Ficamos até tarde lá, Leo e André (um outro André), também hóspedes do Silvio, nos ajudaram a levar mais lenha e manter o fogo. Minha amiga pisou num prego e ficamos morrendo de medo dela ficar doente. Leo e André ficaram até tardão cuidando de nós três, pra não deixar a gente sem fogueira. Uma hora foi todo mundo embora dormir e ficamos nós três lá na fogueira. De manhã cedo ainda voltamos no camping pra comer bolo, usar banheiro, dar tchau pro pessoal.

 

Pegamos a trilha de volta às 7h e chegamos em Aventureiro por volta de 10:30. É que paramos no caminho, acho que esse trajeto entre Aventureiro e Parnaioca é uma caminhada de 3 horas. Fazia sol.

 

À noite choveu. Seu Mario havia nos emprestado uma cobertura plástica pra proteger as barracas.

 

Outra coisa que nossa pesquisa apontou é que, indo embora na segunda feira (em vez de domingo, que é mais comum), talvez fosse possível pegar carona no barco da escola ou no barco dos mantimentos, e não precisar pagar. Assim como a fiscalização na reserva, a lotação dos campings e a necessidade de cadastro, isso também não ocorreu, rs. Domingo à noite minha amiga já tinha descoberto que Fábio, filho do Vovô, sairia na segunda às 8 da manhã pra pegar a rede e que às 9h ou 10h levaria a galera pra Angra. Tentamos falar com ele no domingo, mas não conseguimos. À noite teve uma missa de páscoa na igrejinha. Não era programação oficial do Vaticano rs, a missa era conduzida por mulheres.

 

Segunda de manhã já estávamos prontos no píer por volta das 9h ou 9:30. Quando Fábio chegou no barco verde e branco (não lembro o nome) ele buzinou um tanto, chamando todos os mochileiros. A gente nem precisava ter ficado lá, veio todo mundo que ouviu a buzina. Pagamos R$50 (por pessoa) pra voltar pra Angra.

 

Gastos

- Barco de Angra pra Aventureiro: R$60 por pessoa

- Camping nº6 do seu Mario: R$25 por pessoa por noite (negociado a partir de R$30/pessoa-noite)

- Almoço em Parnaioca no camping do Silvio: R$25 o PF (dois pratos serviram três pessoas com FARTURA)

- Comida, água e papel higiênico adquiridos em diversas cidades do continente, rs: R$70 (6l de água comprados em Angra em garrafas de 500ml, quatro rolos de papel higiênico, amendoim, passas, damasco seco, mix de castanhas, plátanos, macaroni, molho de tomate, etc.)

- Barco de Aventureiro pra Angra: R$50 por pessoa

 

Obrigado a todos que compartilharam informações comigo, não só diretamente mas também neste e em outros fóruns. É muito importante que haja riqueza de informação circulando fora do Facebook. Senão, ficaremos todos presos. Um abraço!

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×