Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul


#1240511 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 21:59
Em maio deste ano fiz o melhor mochilão da minha vida! ::love::
Ele fez com que eu ampliasse meu autoconhecimento e reconhecesse mais a minha força.
E, antes tarde do que nunca, estou compartilhando essa experiência por aqui.
Compartilho em gratidão a essa fonte de pesquisa tão especial na minha vida. Amo este fórum.
Compartilho para encorajar todos a viajar! Experiências de viagem é algo precioso em nossas vidas! Mas quero encorajar, em especial, as meninas a viajarem sozinhas. Com cuidado e estudo, viajar sozinha é um sucesso!
E eu adoro escrever, então faço isso com o maior prazer! Aproveitem! Estou a disposição para quaisquer esclarecimentos!
Estudar é parte essencial para qualquer viagem independente! Para uma viagem desse porte garante a sua sobrevivência. Não tive qualquer problema de saúde, de segurança, falta de dinheiro porque me planejei muito bem! Estudei exaustivamente durante uns 3 meses!
Assim, fomos para esta viagem incrível: Deus, eu e minha mochila!

O preparo:
Comecei a estudar para isso no fim de janeiro. Fiz muitas pesquisas, muitas anotações, li muitos relatos...
Em fevereiro achei passagens a preços bons e comprei...
O esqueleto do meu roteiro estava definido... Chegaria à Bolívia pelo Mato Grosso do Sul, pegaria o famoso trem da morte e voltaria pelo Acre (pra provar que ele existe). O resto eu fui definindo nesse tempo...

No fim, o roteiro ficou assim:

Brasília – Campo Grande
Campo Grande – Corumbá
Corumbá – Puerto Quijarro
Puerto Quijarro – Santa Cruz de La Sierra (no trem da morte)
Santa Cruz de La Sierra – La Paz
La Paz – Copacabana
Copacabana – Puno
Puno – Arequipa
Arequipa – Cusco
Cusco – Puerto Maldonado
Puerto Maldonado – Assis Brasil
Assis Brasil – Rio Branco
Rio Branco – Brasília

Vou destrinchar o roteiro por dia, assim fica mais fácil de compreender... E infelizmente não tenho valores do meio para o fim da viagem ::toma:: ... então vou colocar o q conseguir lembrar!

Antes de tudo, levei a mochila com algumas roupas leves pra caminhada, um abrigo de frio bom, uma manta, cachecóis, uma farmacinha completa (essencial), produtos de higiene em tubinhos pequenos e tals...
Seguro saúde é essencial, mas graças a Deus fiz parte de uma minoria que não precisou utilizá-lo.
Editado pela última vez por brunasscarvalho em 06 Jan 2017, 21:39, em um total de 1 vez.

#1240512 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 22:02
Dia 01 (30/04)

Brasília – Campo Grande

Sai de Brasília pela manhã... Quando estava no aeroporto, próximo ao embarque, me dei conta de que esqueci meus cartões de crédito em casa. ::putz:: Fazer o quê, né? Chorei, chorei e como estava com todo o dinheiro vivo necessário para a viagem fui sem mesmo. ::lol3::
Mesmo sem essa segurança, graças a Deus , não fizeram falta em momento algum da viagem.

Chegando em Campo Grande, tentei colocar em prática todas as dicas sobre como sair o aeroproto de ônibus. Mas esperei muuuuito na parada e não consegui nada! No fim, me rendi a um táxi (não sou dessas) para ir até a rodoviária.
Comprei minha passagem para o início da madrugada pela internet, na viação andorinha. Foi em torno de 110 reais.
Sai da rodoviária e fui dar uma volta pela cidade. Peguei um bus para a feirinha, mas a cidade estava com tudo fechado (era sábado). Acabei indo só na feirinha e voltando para a rodoviária. E esperei uma vida pelo ônibus... Fazia muito frio naquele lugar o que fez a espera ser mais sofrida. ::Cold::
Peguei o bus das 23:59 e dormi como um anjo... Acordei em Corumbá!

Contabilidade:

Táxi aeroporto – rodoviária: R$ 48,00
Guarda-volumes: R$ 4,00
2 passagens de ônibus: R$ 6,50
Almoço na feira: Sobá – R$ 17,00
Rapadinha: R$ 4,00
Banho: R$: 4,00
#1240516 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 22:18
Dia 02 (01/05)

Chegando em Corumbá, umas 7h da manhã, era hora de ir para a fronteira...
Conheci na rodoviária uma menina que fazia medicina na Bolívia e que também ia atravessar a fronteira. Dividimos o táxi. E na espera na fronteira nos juntamos com uma moça do Pará que ia pra Santa Cruz. E dividimos histórias também... Tive uma aula de como era a saúde pública boliviana (e agradeci pelo SUS).
A saída do Brasil é bem tranquila, e embora a fila estivesse bem grande, tive prioridade por ser brasileira.
De lá, em uma caminhada curta, atravessa-se a ponte, e vai para o lado boliviano onde a fila estava um pouco maior. Devo ter passado uns 40 minutos nela.


Gente, é imprescindível dar saída do Brasil e entrada na Bolívia. Se não fizer isso pode dar problemas.
Troquei algum dinheiro na fronteira na cara e na coragem. E dividi um táxi com as meninas até o terminal... Elas iam de ônibus.
Se estiver com bastante tempo é possível fazer essa caminhada a pé. Mas até pela bagagem, paguei o táxi mais caindo os pedaços da minha vida.
Como cheguei no terminal de trem muito cedo, resolvi dar um role pela cidade. Pedi pro moço da estação guardar minha bagagem de grátis!

Grande importante observação: comprei minha passagem pela internet. Desnecessário já que o trem sai vazio, vazio...
Fui nessa super pullman que está no site abaixo e confesso que até hoje não descobri cadê o trem do povão que era o que eu queria!
http://www.fo.com.bo/SERVICIOS/Pasajeros/SitePages/TarifasItinerarios.aspx

Enfim, sai da estação e dei uma biiig volta na cidade, até porque eu precisava comprar comida para a viagem. Façam isso, porque só teve uma parada longa na qual eu não me distanciei muito do trem porque tava com medo dele partir e me deixar!
A cidade é paupérrima. Esgoto a céu aberto, muito, muito feia. Por ser o primeiro lugar boliviano onde estava, o choque de realidade foi enorme.

20160501_101825.jpg
Puerto Quijarro
20160501_101825.jpg (2.72 MiB) Exibido 22052 vezes

Sou enjoada com comida e meu medo de comer era enorme... Não consegui almoçar, fique a base de industrializados (por muito tempo, aliás).
Até que chegou a hora da partida! “Ói, ói o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olha o trem... Ói, ói o trem, vem trazendo de longe as cinzas do velho éon...
20160501_124752.jpg
O trem!
20160501_124752.jpg (254.55 KiB) Exibido 22052 vezes

O que dizer da viagem?
O trem é muito confortável... E como estava muito vazio (tinha eu, um casal e duas crianças no vagão), fiquei com duas cadeiras só pra mim... Dormi muito bem!
A paisagem não tem nada de surreal... Mas é interessante passar por cidades, estações, imaginar como é a vida das pessoas ali...
Até Santa Cruz são 17 horas... Mas não senti tédio porque dormi bastante.
No vagão tem uma TV onde passam clipes e filmes... E tem um vagão restaurante!

Contabilidade:
Troquei R$ 100,00 por bolivianos, o que me rendeu 690 bolivianos, melhor cotação da viagem
Barra de amendoim + água: 10 bob
Suco de maçã 2L: 10 bob
Cerveja sem álcool: 5 bob
Biscoito óreo: 10 bob
Táxi Corumbá – Fronteira: R$ 20,00 dividido por 2, paguei R$10,00
Táxi Fronteira – Terminal: 10 bob dividido por 3, nem sei quanto paguei...
#1240520 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 22:43
Dia 03 (02/05)

Depois de 17 horas de viagem cheguei a Santa Cruz de La Sierra!
O trem chega no mesmo lugar de onde saem os ônibus!
E a coisa que eu mais precisava na vida era um banho!
Separei umas roupas, deixei a mochila em um guarda volumes e fui para o merecido banho! O banheiro era tão, mas tão sujo que fiquei com medo de dar bicheira no pé...
Logo após o momento limpeza na sujeira, fui atrás de passagens para La Paz... Como já tinha lido aqui, optei por um ônibus menos pior e paguei mais caro por isso... Fui pela Trans Copacabana... Comprei passagem para as 14h, e como era 10h da manhã fui dar um role pela cidade antes de viajar de novo!

Procurei uma lan house para minha família não acionar o FBI... Na frente da rodoviária tem algumas... E tomei um táxi para a praça principal que é bem bonita!

20160502_094534.jpg
Catedral de Santa Cruz
20160502_094534.jpg (589.13 KiB) Exibido 22040 vezes


De lá, sai meio que sem rumo até uma feirona muito massa, onde com certeza é vendido absolutamente tudo! Sensacional!
20160502_110056.jpg
Mercado perdido na feira louca em Santa Cruz!
20160502_110056.jpg (2.5 MiB) Exibido 22040 vezes


Aproveitei para ter meu primeiro contato com os mecanismos profiláticos para a falta de ar...

E deixo uma das dicas mais importantes do meu relato: não negligenciem isso... Como li relatos de MUITA gente que se deu mal por conta disso, comprei logo um saquinho de folhas de coca e as sorochi pills... Durante minha viagem, usei isso todos os dias... Mas usei muito! E não tive problemas maiores...
(Se tiver preconceito ou achar ruim, cai duro no meio da rua... vi muito isso com essas lentes de contato que comprei) ::bruuu::

Voltei para rodoviária e comprei mais lanches para a outra viagem... Mais uma vez não consegui comer!
O ônibus saiu pontualmente... Deu uma parada umas 17h horas na estrada para a galera comer... Aproveitei pra comprar frutas...
E conforme anoiteceu começou um outro drama da viagem... Frio, muito frio, muito frio pra ficar com a janela aberta... E um fedor de CC que me dava náuseas... Com o tempo, aprendi a amenizar isso tascando vick no nariz, porque esse fedor lá é cotidiano! ::dãã2::
Dormi bem... o ônibus era bem confortável...
Mais 17h de viagem até La Paz

Contabilidade:
Banho no terminal: 4 bob
Passagem para La Paz: 180 bob
Taxa de terminal: 3 bob
Lan house: 3 bob a hora
Táxi até a catedral: 15 bob escutando piense em mi, lhore por mi...
Alfajor + suco de mochi que eu não sei o que é: 13 bob
Sorochi pills: 18 bob
Folhas de coca: 5 bob em um saco que durou a viagem toda e foi pra outra viajante de doação
Táxi para a rodoviária: 15 bob
Batata frita pacote bem grande: 14 bob
Refri: 7 bob
Água + snacs+refri: 21 bob
Biscoito + suco + tangerina: 21 bob
#1240527 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 23:07
Dia 04 (03/05)

Depois de 17 horas de viagem cheguei a La Paz
A primeira impressão é a do local mais estranho que já estive na minha vida.
As demais impressões confirmam a primeira! Haha

Fiquei hospedada no Loki. Peguei um táxi na rodoviária, tomei um café da manhã no hostel e depois resolvi dar uma volta de leve para me aclimatar (volta leve que durou o dia todo kkk).
Andei meio que sem rumo! E fui a calle de las brujas e ao museo de la coca (compensa, é bem interessante, conta a história do país e o porquê do uso da coca... e tem umas comidinhas e bebidinhas com coca que vale a pena experimentar)...

20160503_144126.jpg
Museo de la coca
20160503_144126.jpg (2.48 MiB) Exibido 22010 vezes


Em La Paz se vende ABSOLUTAMENTE tudo na rua!
Não encontrei nenhum mercado estruturado... ou loja... Tudo bem diferente do que temos aqui...

20160503_155312.jpg
A louca La Paz
20160503_155312.jpg (2.73 MiB) Exibido 22024 vezes

A comida, em sua maior parte também é vendida na rua. As condições de higiene são muito precárias... Fiquei mais um dia sem comer!

Voltei ao hostel a noite pensando que ia dormir... Mas ai que tive mais problemas e deixo ouuuutra dica de ouro: se hospedem no Loki se vcs realmente quiserem festa todos os dias... ::lol3::
Para mim foi um transtorno... No meu quarto os meninos estavam fumando maconha (nada contra, mas dentro de um quarto é falta de respeito... um deles surtou e jogou todos os pertences no meio do quarto... e a madrugada inteira era barulho de porta batendo e tudo).
Tenho bastante experiência com hostel, durmo em praticamente todos os lugares e pela primeira vez peguei minhas coisas e fui embora antes do fim da estadia.

Contabilidade:
Táxi rodoviária – hostel: 15 bob
Museo de la coca (entrada): 15 bob
Bolo + licor de coca: 40 bob
Poncho: 90 bob
Canetas: 30 bob
Gorro: 15 bob
Gorro infantil: 15 bob
Imã de geladeira: 10 bob
Lenços: 60 bob
Blusas: 70 bob (blusas 2ª pele, de verdade, suportam muito frio, me arrependi de não ter comprado mais... procurei a mulher depois e não achei)
Editado pela última vez por brunasscarvalho em 16 Dez 2016, 23:38, em um total de 1 vez.
#1240531 por brunasscarvalho
16 Dez 2016, 23:35
Dia 05 (04/05)

Depois da noite mal dormida por causa dos baderneiros do hostel, acordei antes das 7h da manhã, fiz minha mochila e cancelei minha reserva...
Foi desesperador sair na rua, fazia -4ºC, mochila pesada, uma falta de ar... Mas enfim, tinha que procurar outro lugar para ficar... ::lol3::
Peguei logo uma subida e pensei que fosse morrer... parava nos lugares perguntando os preços e nada cabia no meu bolso!
Depois de muito andar achei um hostel que eu podia pagar (não lembro o nome)... Mas passei medo porque o quarto tinha 3 camas, mas dois habitantes... Eu e um homem muito estranho que morava lá... Confesso que tinha muito medo de ser atacada... sei lá...

Mas enfim, este era o dia de explorar a cidade!
Sai rumo a catedral e a sede do governo... Que loucura! É tudo cercado... Para chegar lá, você passa em um portão, com a polícia... super estranho!

20160504_104318.jpg
Centro de La Paz
20160504_104318.jpg (3.65 MiB) Exibido 22013 vezes


Depois fui a um mercado municipal medonho! Kkkk
Peguei um táxi e fui a um dos mirantes da cidade... A vista é uma loucura... A maioria das casas não é pintada pois os impostos são mais caros pra quem as pinta.
Peguei um táxi de volta para o que eu acho que era o centro. Minha necessidade era comer comida de verdade. Minha estratégia foi achá-la no bairro dos ricos... E lá fui eu...
Como as coisas são muito baratas, tive como pagar tranquilamente pela comida no bairro dos ricos com uma entrada, prato principal e sobremesa! Primeira refeição de verdade em cinco dias!
Pra compensar, fui andando desse bairro até o teleférico (é longe, e com a altitude tudo é mais longe ainda)... passando pelo centro. Aproveitei para fechar o passeio para o Chacaltaya e o Valle de la Luna e o ônibus para Copacabana.
Compensa muito subir de teleférico para El Alto. A vista da cidade realmente é surreal do teleférico e pela espécie de mirante que tem na estação de El Alto.

20160504_155138.jpg
La Paz vista de El Alto
20160504_155138.jpg (3.23 MiB) Exibido 22013 vezes


Depois voltei tudo caminhando e dei mais umas voltas na cidade, que mesmo a noite, é uma feira a céu aberto!

Contabilidade:
Passeio Chacaltaya/ Valle de la luna: 80 bob
Ônibus (turístico que não tem nada de mais, mas te busca no hostel e isso faz toda a diferença na altitude): 30 bob
Lenços: 30 bob
Cadernos: 25 bob
Táxi: 20 bob
Suco: 1 bob
4 chocolates: 10 bob
Almoço + refri: 57 bob
Sorochi Pills: 18 bob
Teleférico: 6 bob
Lanchinhos: 27 bob
Batatinha frita no hostel: 33 bob
#1240560 por brunasscarvalho
17 Dez 2016, 08:09
Dia 06 (05/05)

Dia de fazer os passeios programados.
Bem cedo, a guia da agência passou no hostel para me buscar... Andando de van que pude perceber como o trânsito daquele lugar é confuso e caótico!
Acho que deve ter demorado umas 2h até pegar todo mundo!
Fomos rumo ao Chacaltaya e seus mais de 5000 metros de altura. Este é um desafio e tanto.
No caminho, você passa por lugares beeeem estranhos, onde moradores, por meio de pichações, ameaçam os bandidos de morte. É assustador.
Depois, passa por uma parte rural com casinhas bem pequenas. A van para para que se possa apreciar a vista, que é linda.
Chegando ao monte, especificamente, paga-se a entrada, e as pessoas ficam liberadas para subir ou não.
Metade das pessoas optou por não subir. Algumas delas já estavam passando mal ali.
Eu até tentei subir, mas só tinha meia hora para ir e voltar, então teria de ser rápida e corria o risco de passar mal. Fiquei no meio do caminho.
20160505_103206.jpg
Vista do Chacaltaya
20160505_103206.jpg (2.75 MiB) Exibido 21948 vezes


Depois do Chacaltaya, a van vai para o Valle de la luna, que é do lado oposto. Ela atravessa La Paz e quem não quiser fazer esse passeio pode ficar na cidade.
Nesse caminho temos a oportunidade de ver a parte “muito mais muito mais rica de La Paz”. É um contraste assustador, nunca vi nada parecido. As desigualdades berram.
No Valle de la luna paga-se para entrar e é feita uma caminhada de uns 30 minutos. Esse local consiste em uma formação rochosa parecida com a lua. Como qualquer caminhada a esta altitude é sacrificante, embora tenha feito o circuito todo, acho dispensável para quem precisa descansar ou não tem muito tempo.

20160505_141417.jpg
Valle de la Luna
20160505_141417.jpg (2.81 MiB) Exibido 21948 vezes

Umas 15h o passeio termina. Achei um restaurante que dava para almoçar e perambulei mais um pouco pela cidade!

Contabilidade:
Entrada Chacaltaya: 15 bob
Entradda Valle de la luna: 15 bob
Almoço: 37 bob
Calça segunda pele: 20 bob
Sorochi pills: 20 bob
Água: 8 bob
#1240565 por brunasscarvalho
17 Dez 2016, 08:45
Dia 07 (06/05)

Dia de dar adeus a La Paz.
Três dias na cidade são mais do que suficientes para andar pela cidade com tranquilidade (isso é importante pela questão da altitude) e fazer os passeios.
Para quem quer fazer o passeio de bicicleta pela estrada da morte recomendo mais um. Como não sei andar de bicicleta nunca cogitei isso.
Contratei um ônibus “turístico” para ir a Copacabana. Embora seja mais caro do que o ônibus comum, acho que nesse caso a praticidade compensa, tanto em termos de economia de energia, como em relação a segurança, já que li que o local de onde saem os ônibus para Copacabana (cemitério) é meio perigoso.
A passagem desse ônibus você compra em qualquer agência de turismo ou na própria rodoviária. Eles passam bem cedo para te buscar em seu lugar de hospedagem.
Depois de pegar todo mundo (que demora mais de 1h) a viagem dura umas 4h. Em San Pedro de Tiquina todos descem do ônibus e atravessam o Titicaca de barco. Depois retornam ao ônibus e começa um show de paisagens deslumbrantes.
20160506_110805.jpg
Estreito de Tiquina
20160506_110805.jpg (2.91 MiB) Exibido 21939 vezes

O Titicaca é lindo e eu me tornei sua fã. Me emociono por isso, pois me lembrei de um globo repórter feito nele há muitos anos, onde eu já tinha um desejo imenso de conhecer o mundo... E assistindo o programa eu pensava - acho que nunca vou conseguir conhecer esse lugar. Mas eu consegui!

Chegando a Copacabana, o dono de um hotel ofereceu hospedagem individual por um precinho camarada! Era tudo o que eu precisava para lavar algumas roupas, descansar um pouco. Era mais do que eu sonhava, pois a vista era surreal. A gorjeta pela paisagem era subir 6 andares de escada (me canso só de lembrar). Fiquei no hotel mirador!
20160507_071127.jpg
Paisagem deslumbrante!
20160507_071127.jpg (2.34 MiB) Exibido 21939 vezes


Parti para um almoço mais riquinho com uma vista deslumbrante para aproveitar também wifi grátis e experimentar a truta. Vale a pena gente! Tudo isso a preços muito bons.
20160506_120717.jpg
Faz cara de rica, faz cara de rica...
20160506_120717.jpg (2.72 MiB) Exibido 21937 vezes


Comprei meu bilhete do barco para ir a ilha do sol no dia seguinte. Comprei também minha passagem para Puno.

Passei a tarde descansando. No final dela fui a um deck aplaudir o por do sol. Momento surreal e gratuito.
20160506_181541.jpg
Por do Sol em Copacabana
20160506_181541.jpg (2.42 MiB) Exibido 21939 vezes


Depois fui dar uma volta na cidade, tem muito comércio e tem uma igrejinha. E jantar com certa dignidade.

Gente, os menus turísticos custam 15 bolivianos, e contam com entrada, prato principal e sobremesa. Peçam sopa de quinua como entrada! Delícia. Por esse preço vale a pena.
Copacabana é uma cidade incrível! Em termos de energia certamente superou todas as minhas expectativas e foi o lugar onde me senti mais conectada com a natureza. Mesmo sendo turística, tem uma pegada roots que eu adoro!
A noite fui preparar minhas coisas para a ilha do sol no dia seguinte. Como ia atravessar a ilha, levei o estritamente necessário de roupa, alguma comida, água, módulos de carboidrato para consumir no caminho e a farmacinha.
Enfaixei todos os dedos com micropore para ficar com menos bolhas. E dormi como um anjo!

Contabilidade:
Duas noites de hospedagem em La Paz: 110 bob
Uma noite de hospedagem em Copacabana: 40 bob
Barco para a ilha do sol: 20 bob
Almoço: 60 bob
Duas calças: 100 bob
Tiara que eu perdi: 12 bob
Agulha/linha para costurar a calça rasgada: 4 bob
Inca cola (siiiiiim, lá já tem): 6 bob
Jantar: 15 bob
Passagem para Puno: 30 bob
#1246115 por brunasscarvalho
06 Jan 2017, 21:37
Dia 08 (07/05)

"Tudo começooou há um tempo atrás na ilha do sooool..."

Dia de ir para a Ilha do Sol. Como já falei, resolvi fazer a travessia da ilha. E o que eu posso garantir é que se eu consegui todo mundo consegue (tenho hipotireoidismo, fibromialgia, estou acima do peso e sou louca...)

Fui do norte para o sul porque li que era mais tranquilo. De fato, só de olhar a escadaria de boas vindas na parte sul tive certeza da minha decisão acertada.

Sai de Copacabana umas 8:30h após tomar café e deixar minha mochila grande no hotel.
A viagem é tranquila. Para os mestres em sentir náuseas, como esta que vos escreve, recomendo ir na parte de cima (e o dramin, claro). Faz muito frio, mas melhora os enjoos e a vista é muito linda.

20160507_094442.jpg
Barco para a Ilha do Sol
20160507_094442.jpg (2.74 MiB) Exibido 21717 vezes


Chegando na ilha tem alguns guias que se oferecem para explicar um pouco da história do local. Como era mais de 11h da manhã e eu sei que sou lenta para caminhadas, não perdi muito tempo e já comecei o trecho. Lógico que todas as pessoas passavam por mim, mas o que me importava mesmo era chegar do outro lado ainda com luz do sol.

Não é uma caminhada muito tranquila para os sedentários como eu. Primeiro porque você está em uma altitude enorme. Os efeitos disso no corpo são enormes, a fadiga é acentuada. Mas nada que o consumo de muita folha de coca não amenize. Além de bastante água.
E tem algumas subidas mesmo... Dava vontade de chorar ao ver alguma escadaria nova.

Mas vale muito a pena. Muito mesmo. Faria tudo de novo. A paisagem, junto com a experiência em si, o silêncio e no meu caso, a dor, fizeram aflorar todas as reflexões possíveis e imagináveis.

20160507_113729.jpg
O caminho pela ilha. É muito lindo!
20160507_113729.jpg (2.93 MiB) Exibido 21717 vezes


Demorei cerca de 6h para completar a travessia (e o prêmio tartaruga vai para...).
Vale ressaltar que existem 3 pedágios ao longo da ilha (um custa 5 bob, outro 15 bob e o outro 10 bob). Leve dinheiro.

Claro que cheguei ao outro lado da ilha exausta. E por causa disso não fui muito seletiva com a hospedagem, fiquei no primeiro lugar que me ofereceram e paguei muito caro por isso. Mas meu prêmio pelo dia era um quarto só pra mim.

Jantei deliciosamente bem, com uma vista linda e dormi muito cedo.

20160507_164613.jpg
A recompensa da chegada!
20160507_164613.jpg (2.92 MiB) Exibido 21717 vezes


Contabilidade:

Hospedagem na ilha do sol: 100 bob
Pedágios: 30 bob
Jantar: 35 bob
Refrigerante e água: 14 bob
#1246125 por brunasscarvalho
06 Jan 2017, 22:03
Dia 09 (08/05)

Era o dia de retornar a Copacabana e seguir viagem.

O barco para Copacabana sai as 10:30h, salvo engano. Chega a Copacabana 12h.
De volta para a cidade, resgatei minha mochila no hotel, aproveitei para usar o wifi e avisar para a família que eu estava viva ::otemo:: e procurei um lugar legal para comer.

Entrei em um restaurante e a garçonete era brasileira, tipicamente de humanas, que tinha saído de casa há 1 ano, por ai, trabalhando de cidade em cidade para bancar sua viagem. Achei isso lindo (ahhh se eu tivesse coragem).

Peguei o bus para Puno. De Copacabana até a fronteira dá no máximo meia hora.
Embora estivesse muito cheio, os procedimentos imigratórios devem ter gasto mais meia hora. De lá, o ônibus segue por mais umas 2h até Puno.

20160508_140816.jpg
Fronteira Bolívia-Peru
20160508_140816.jpg (3.21 MiB) Exibido 21706 vezes


Cheguei em Puno umas 16h. Viajaria para Arequipa durante a madrugada, mas queria fazer o passeio das islas flotantes antes de ir. Fui abordada por uma agente ao chegar na rodoviária, que me conduziu rapidamente ao passeio, junto com um espanhol que estava no mesmo ônibus que eu, que também iria para Arequipa e se tornou meu companheiro de viagem naquela noite. Ele estava em um ano sabático na América do Sul.

Fizemos o passeio para islas flotantes. É diferente, é. É interessante, é. Mas é tão comercial! As famílias são treinadas para te receber, contar uma história meio treinada, cantar pra você. Na minha opinião é dispensável para os mais escassos de tempo (assim como a cidade de Puno, em geral). Como anoiteceu rápido, o escuro comprometeu ainda mais o passeio.

20160508_165101.jpg
Barco de Tortora
20160508_165101.jpg (1.95 MiB) Exibido 21706 vezes


Voltando para a cidade, pegamos um tuktuk (eu andei de tuktuk ::love:: ) e fomos ao centro. O espanhol foi atrás de um chip para o celular. Depois fomos atrás de comida. Criei coragem para a minha estreia no Peru e pedi logo uma carne de alpaca. Tem gosto de carne de boi, mas o psicológico afeta as sensações.

20160508_202419.jpg
Carne de Alpaca
20160508_202419.jpg (2.14 MiB) Exibido 21706 vezes


Voltamos para a rodoviária para achar passagens para Arequipa. Eu optaria por mais conforto. Mas o espanhol era a economia em pessoa. Acabamos comprando a passagem mais barata. O ônibus fedia a xixi, tinha pessoas estranhas, mas eu apaguei, então foi uma economia boa.

Chegamos a Arequipa umas 3h da manhã. Como não avisei no hostel que chegaria de madrugada, esperei o dia amanhecer para pegar um táxi até lá. O espanhol seguiu para Chivay.

Contabilidade:

Almoço completo com refri: 37 bob
Tiara: 11 bob
Imã para geladeira para acabar com os bobs: 15 bob
Picolé: 5 soles
Passeio islas flotantes: não anotei ::toma::
Ônibus para Arequipa: 30 soles
#1246133 por brunasscarvalho
06 Jan 2017, 22:30
Dia 10 (09/05)

Amanhecendo, tomei um táxi até o hostel.
Esse hostel foi o melhor custo-benefício da viagem. Paguei 5 doláres por um quarto (pequeno) individual sem banheiro. A localização era excelente. Fiquei no El Albergue Espanhol, fica a umas duas quadras da praça principal. Ahhh, não tem café da manhã.

A primeira providência foi colocar toda a roupa pra lavar (sobrou a que tava no meu corpo kkkk e passei um bocado de frio ::Cold:: )

Depois disso, sai pela cidade e... UAUUUUUU... Que cidade linda! Por alguns momentos achei que estava na Europa.

20160509_083118.jpg
Meu Deus, mas que cidade linda!
20160509_083118.jpg (3.41 MiB) Exibido 21695 vezes


Achei um starbucks para a minha alegria e para o uso de wifi eheh
Depois fui a Plaza de las Armas que é a mais linda do mundo.
Fui muito assediada pela galera que oferece passeios, até que cedi, e fechei um city tour para a manhã e o passeio para o canyon del colca, que era o motivo da minha presença na cidade.

Antes do ônibus para o passeio pela cidade sair, tive um tempinho para conhecer a catedral que é linda.

Vale a pena fazer o city tour? Se você estiver com pouco tempo na cidade e cansada (como eu), compensa sim. Ele para em alguns lugares pagos. Não entrei em nenhum. E passa em uns lugares legais, dá pra comer o helado de queso, ter uma visão geral da cidade, dos vulcões que a cercam, tem uma entrada numa tecelagem com alpaca, e mais algumas coisas que não entrei. Voltamos umas 14h.
Nos prédios da praça tem muitos restaurantes com uma vista incrível. Muitos deles ofertavam o menu turístico por 15 soles, com entrada e prato principal. E eu sempre pedia um pisco de cortesia (e nunca me recusaram) kkkkk

Aproveitei para ir ao mercado central da cidade. Não consegui ir aos museus (motivo para eu voltar lá.

Voltei para o hostel para descansar um pouco e organizar minha mochila.

A noite sai pra jantar na praça e para andar nos arredores. O clima da praça é ótimo (ok, eu adoro uma praça... acho que é porque em Brasília não tem).

20160509_191604.jpg
A vista é linda!
20160509_191604.jpg (2.53 MiB) Exibido 21695 vezes


20160509_192324.jpg
Ceviche peruano
20160509_192324.jpg (2.77 MiB) Exibido 21695 vezes


Dormi cedo, porque o passeio começaria cedo no dia seguinte!

Contabilidade:
Passeio Canyon: 65 soles, bem chorados, porque soy una brasileña hermosa
City tour: 20 soles
Hostel: 5 dólares
Lavanderia: 8 soles
Táxi: 10 soles
Starbucks: 22 soles
Compras no mercado: 25 soles
Imã de geladeira: 10 soles
Diadema: 10 soles
Queso helado: 3 soles muito bem aplicados
Sorvete que caiu: 5 soles
Sorvete para compensar o que caiu: 5 soles
Ceviche com refri no jantar: 34 soles
#1246145 por brunasscarvalho
06 Jan 2017, 22:54
Dia 11 (10/05)

"Por que vos, se nota que no me queres y yo me dedico a el alcohol" (Cerveza - Ráfaga)

Dia de partir para Chivay e o Cânion do Colca.
Deixei minha mochila grande no hostel e levei a pequena somente com o necessário.

A van passou no hostel por volta das 8h. Todos peruanos, menos yo. Crianças, idosos, adolescentes, famílias... Uma experiência maravilhosa.

Antes de sair da cidade, ela passa em uma quitanda patrocinada. É uma ótima oportunidade para abastecer a mochila de lanches. A novidade da quitanda: folhas de coca com um catalisador! (quer dizer, faz efeito mais rápido)
Como já tinha folhas para um ano, o guia me deu um pedaço do dele... é uma pedrinha que potencializa os efeitos das folhas (mesmo), deixa a lingua deliciosamente dormente e tem gosto de açúcar!

Depois de muitas horas de viagem, a van para para que todos vejam alpacas, lhamas e vicuñas.

Mais algum tempo, e ela para em outro lugar que dá pra comprar artesanato e beber o chá de coca com hortelã (que é bem gostoso, esqueci o nome dele agora). Comprei uma blusa de frio e um poncho de pelo de alpaca.

Depois de mais tempo ela chega a Chivay, destino do dia.

20160510_125206.jpg
Chivay
20160510_125206.jpg (2.79 MiB) Exibido 21685 vezes


Todos almoçamos, e depois fomos aos respectivos hotéis. Por 65 soles fiquei no hotel mais afastado da cidade, sem wifi, mas tinha um quarto e um banheiro só pra mim, uma tv e café da manhã. Não posso reclamar de nada.

Os interessados iriam para um local com águas termais. Claro que animei muito.
Deixei minhas coisas no hotel, descansei uns 20 minutos e fomos para Caldas Novas de Chivay.

A água é uma delícia, mesmo no frio cruel. Testei todas as versões: a quente no lugar coberto, a quente no local aberto e o rio MUITO frio.

20160510_153938.jpg
Caldas Novas de Chivay
20160510_153938.jpg (2.51 MiB) Exibido 21685 vezes


Depois, fomos devolvidos ao hotel.

A noite, todos foram reunidos novamente, em um restaurante com apresentações típicas peruanas. É imperdível. Ver os gringos dançando desengonçados não tem preço. Além de conhecer um pouco da cultura local.

20160510_212112.jpg
O bailinho super legal com os companheiros da excursão
20160510_212112.jpg (2.53 MiB) Exibido 21685 vezes


Contabilidade:
Casaco: 42 soles
Castanhas e chocolate: 12 soles
Poncho: 30 soles
Almoço: 30 soles
Águas termais: 15 soles
#1246157 por brunasscarvalho
06 Jan 2017, 23:18
Dia 12 (11/05)

No segundo dia do tour do Canyon del Colca, é onde se conhece de fato o cânion.
A van passa para nos pegar no hostel às 5:30h da matina porque existe um horário ideal para ver o voo dos condores.

Já com a luz do dia, a excursão passa em um povoado muito legal (que eu esqueci o nome ::toma:: ). Na praça é possível comprar artesanato, tirar fotos com as lhamas e suas donas (pagando, claro) e ver as crianças dançando para arrecadar dinheirinho para o passeio do fim do ano (pagando, né).

20160511_064536.jpg
A pracinha do vilarejo que esqueci o nome
20160511_064536.jpg (3.05 MiB) Exibido 21668 vezes


Depois, partimos rumo ao cânion. A van para na estrada e o grupo faz uma caminhada de umas 2h, onde é possível ver o cânion e os condores. Caminhada tranquila.

20160511_084544.jpg
O condor no cânion
20160511_084544.jpg (2.57 MiB) Exibido 21668 vezes


Na volta, a van para em um restaurante e volta para Arequipa, chegando por volta das 16h.

Compensa o passeio?
Muito. Não gosto de excursões. Acho que elas engessam muito o roteiro. Mas nesse caso, ela é necessária, principalmente para quem tem pouco tempo. Existe esse mesmo passeio em 1 dia, sem pernoite, mas deve ser corrido e cansativo demais.
Além de poder conhecer um pouco de tudo, a convivência intensa durante 2 dias com o grupo de peruanos foi de um aprendizado enorme.

Depois de voltar a Arequipa, voltei para o hostel, tomei banho, peguei minhas coisas, lanchei e fui para rodoviária para ir a Cusco.

Já tinha comprado a passagem de ônibus pela internet, em uma promoção muito boa da Cruz del Sur... Cruz del Sur... O que dizer dessa empresa?
A perfeição das estradas.
Na rodoviária tem sala vip com wifi e banheiros limpos.
O ônibus... O ônibus...
Fora o casal que queria trocar de lugar comigo e me fazer ficar na porta do banheiro (e eu briguei em inglês mesmo), o ônibus tem poltronas confortabilíssimas, travesseiro, lençol, entretenimento individual, jantar.

20160517_213629.jpg
Cruz del Sur bus s2
20160517_213629.jpg (2.01 MiB) Exibido 21668 vezes


Se não fosse o piriri que deu a madrugada toda, teria sido a noite dos sonhos!

Contabilidade:

Sanduiche e suco: 18 soles
Táxi: 6 soles
#1253946 por brunasscarvalho
31 Jan 2017, 16:02
Marília Carmo escreveu:Oi, tudo bem? Você se lembra quanto pagou na passagem aérea de Brasilia a Campo Grande?


Uns 120... 130 reais sem a taxa! Esse é um bom preço que é possível de se encontrar comprando com antecedência


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 12 visitantes