Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#1211938 por andersonbatistadesouza
21 Ago 2016, 19:23
O nosso 7º dia era um dos mais esperados, ver aquele monumento natural era um dos principais objetivos da nossa viagem e felizmente fomos presenteados com um belíssimo dia, céu de brigadeiro :)

O passeio é dividido em duas partes, a caminhada sobre o gelo e observação frontal a partir passarelas. Optamos por fazer a caminhada na parte da manhã, ao contratar o passeio é possível escolher o turno, fomos o primeiro grupo a adentrar o gelo no dia. Na primeira parte fizemos uma caminha por algumas passarelas até ao acesso do perito moreno, lá colocamos os crampones para iniciar a caminhada no gelo. A parte inicial é bem tranquila e ao iniciarmos uma parte mais puxada o guia perguntou para todos como estávamos nos sentindo, pois até ali era a parte mais fácil e a que geraria menos transtornos caso alguém desistisse do passeio. Todos confirmaram que estavam bem e seguimos a caminhada. Eram dois guias nos acompanhando, um na frente para indicar o caminho e "afofar" o gelo para conseguirmos fixar os crampones, enquanto o segundo apoiava as pessoas com mais dificuldade. A caminhada dura em torno de 1h30m e percorremos em torno de 0,000000001% do glaciar, essa segunda afirmação é um chute hhehe Serve apenas para demonstrar que andamos em uma parte muito pequena. Ao final tomamos whisky on the rocks, os guias pegam o gelo do glaciar e servem com whisky. Eu não gosto de whisky, mas vale a pena a foto :)

Uma informação importante sobre o minitrekking é que ele tem restrição de idade, a faixa etária permitida é 10 a 65 anos.

Para quem tem um espírito mais aventureiro e não é tão sedentário quanto eu, existe outra opção de passeio que é o BigIce. A faixa etária é de 18 a 50 anos e o passeio dura em tornos de 3h30m.

Na parte da tarde fomos andar nas passarelas e mirar o perito moreno de frente e bem próximo. Este ano o perito moreno tocou uma ilha que fica bem a sua frente e com isso existe a expectativa do fenômeno da ruptura. A água começa a pressionar o gelo e começa a abrir um buraco entre a ilha e o glaciar, formando uma ponte. A ruptura é quando esse bloco de gelo cai gerando uma glande explosão. Este fenômeno não ocorre todo ano e não tem data certa pra ocorrer, depende da natureza. Ao andar nas passarelas observei algumas pessoas com câmeras posicionadas em lugares estratégicos e inacessíveis aos meros mortais. Imaginei que alguém tinha furado o esquema de segurança e estava querendo capturar imagens de algumas quedas de gelo, que ocorrem diariamente, mas não era uma queda qualquer que eles queriam registrar. Dois dias depois durante a nossa viagem descobri que eles estavam lá esperando a ruptura, fomos no dia 08 e dia 10 ocorreu o fenômeno. Quem quiser conferir o momento exato veja esse vídeo https://www.youtube.com/watch?v=L0pq6H7sg1g

Não deu pra estar no momento exato, mas só de saber que passamos tão perto de presenciar este fenômeno foi um diferencial do nosso passeio.

Algumas informações sobre o glaciar que aprendi na viagem:

Como é formado o glaciar?
O guia explicou que diariamente neva no Andes, até mesmo no verão, devido a sua altitude. Essa neve acumulada no alto fica pesada e começa a empurrar a neve acumulada no dia anterior. Na parte baixa por causa das temperaturas mais altas vemos quedas de blocos enormes de gelo, logo pensamos que uma hora ele vai acabar, mas felizmente essas perdas são compensadas pela neve acumulada na parte mais alta. Se fincarmos uma vareta no alto do glaciar, depois de algum tempo ele vai chegar a parte mais baixa até se desprender do glaciar.

O aquecimento global tem afetado o tamanho do glaciar?
Este glaciar é um dos poucos que não apresentou recuo nas últimas décadas, seu tamanho contínua estável.

Quem foi Perito Moreno?
Francisco Pascasio Moreno foi paleontólogo e arqueólogo que explorou a região da Patagônia. Recebeu o cargo de perito por atuar na negociação de fronteiras com o Chile. Ironicamente ele não conheceu o glaciar, o seu nome foi escolhido como uma forma de homenagear os serviços prestados a nação.

#1212234 por andersonbatistadesouza
22 Ago 2016, 22:44
Vou resumir os três dias que gastamos para conhecer Torres de Paine em um único post, pois gastamos dois dias com o translado.

No dia que chegamos a El Calafate compramos a nossa passagem de ida e volta para Puerto Natales com a Cootra. Devem ter pelo menos 4 empresas de ônibus, elas não vendem pela internet e cada uma opera em dias distintos com saídas pela manhã ou tarde, a cootra acabou sendo a mais conveniente para nós. A Cootra têm saída apenas pela manhã de ambos os locais, o trajeto total leva em torno de 6 horas e despendemos em torno de uma hora na fronteira, o ônibus dá uma boa volta. É possível avistar o parque de torres del paine a partir de El calafate, conseguimos visualizar do Cerro Frias, em uma linha reta são apenas 85 km.
Antes de comprar a passagem perguntei para a vendedora qual seria o ônibus e ela disse que era um bom ônibus e ainda por cima brasileiro, era da Marcopolo. Perguntei porque ainda sou traumatizado da minha viagem para a Bolívia onde "What you see is not what you get", eles mostram aquele ônibus bonito no papel e quando chega é um cacareco. Na Argentina foi diferente, o ônibus era exatamente o do papel, em ótimo estado de conservação. Também vale registrar que o motorista dirigiu com muita prudência sempre respeitando os limites de velocidade, em alguns momentos parecia até que que estava abaixo da velocidade permitida.

Tínhamos reservado o Full Day Tour do Torres del Paine com o nosso hotel, era o mesmo preço das agências e estávamos com dificuldades para fazer contato. A van passou no horário combinado e iniciamos o percurso até a entrada do parque, em torno de 100 km. Dessa vez não tivemos muita sorte com o tempo, em nenhum momento conseguimos ver as torres integralmente, sempre tinha nuvens. A região tem microclima, choveu, fez sol, ventou pra caramba e em outros momentos o sol deu as caras. A nossa guia nos ensinou a regra para ter uma noção da velocidade do vento olhando para a água, não me recordo ao certo agora, mas era algo como, se tiver formando onda 80 km, se formar spray mais de 100km/h. Estava mais de 100km....

Os pontos altos do passeio foram os belos animais em seu habitat natural, os rios e lagoas de cor azulada e a diversidade climática em uma região pequena.

Ficamos com vontade de voltar com um tempo melhor e quem sabe nos aventuramos em uma caminhada mais longa. O parque é bem bonito :)

Puerto Natales é uma cidade pequena e não tem muito o que se fazer além de visitar o parque. O que mais gostamos foi comprar ótimos vinhos chilenos com bons preço no Unarc e jantar no Mesita Grande. É uma pizzaria com uma ótima pizza e que tem uma proposta bem interessante, integrar os seus cliente em uma grande mesa onde as pessoas compartilham os lugares.
#1214632 por andersonbatistadesouza
01 Set 2016, 22:34
Já no ritmo de final de viagem fomos fazer o passeio de barco pelos glaciares Upsala e Spegazzini, um passeio mais light.

Esse passeio dura em torno de 5 horas, saímos do hotel às 08:30 e retornamos por volta de 14:30. Sugiro levar um lanchinho, isso se você não pagou o dobro do preço para ir próximo ao capitão e ser servido com bebida e comida durante o passeio. Outra vantagem de quem vai nessa classe é a visibilidade, na classe dos meros mortais a borda do navio é bem concorrida e às vezes incomoda um pouco, nada que faça eu pagar o dobro do preço.

Recomendo o passeio, a paisagem é espetacular e navegar no meio dos blocos de gelo que se desprendem dos glaciares foi uma experiência única.

Quando retornamos para o centro fomos comprar os tickets para o Glaciarium (Museu e o bar de gelo). Compramos os tickets por volta de 15h e agendamos o bar para às 18:30, como tem limite de pessoas e cada grupo tem 30 minutos de permanência, a agência recomenda o agendamento prévio. Pegamos a van no centro às 18h, ela está incluída no valor da entrada e sai da secretária de turismo provincial. Chegamos rapidamente, pois são apenas 6 km, optamos por esperar o nosso horário de entrada no bar, pois não daria tempo de ver o museu.

Na entrada do bar recebemos uma capa com gorro para suportar o frio de -9º. Afinal para manter os blocos de gelo da parede, o balcão do bar e até o copo que tomamos a bebida eles precisam manter essa temperatura. São 30 minutos com música de boate em um volume agradável e bebida liberada, algumas prontas para serem servidas, além de drinks preparados pelo barman na hora.

Terminada a parte do bar entramos no museu. Em 40 minutos percorremos todo o museu, para quem tiver mais tempo vale a pena gastar, achei bem interessante.

Entre os dois passeios do dia, aproveitamos para ir na Cafeteria/Padaria Don Luis e a Ovejitas de la Patagonia. A primeira nos chamou atenção pela vitrine, muito vistosa, que faz qualquer um parar para provar algo. Tomamos um café expresso com um doce bem gostoso, antes de vir embora de El Calafate passei lá para levar algumas empanadas para comer no pré-embarque e também estavam bem gostosas. A Ovejita já era nossa conhecida de Ushuaia, ótimos chocolates e alfajoures, mas dessa vez queríamos experimentar os sorvetes. Fomos presenteados com um delicioso sorvete, fazia tempo que não tomava um tão bom, passando por lá não deixem de experimentar.
#1221961 por andersonbatistadesouza
02 Out 2016, 21:04
No último dia da viagem fizemos o passeio do 4X4 no Cerro Frias. Fomo coletados no nosso hotel e fomos até a base do Cerro numa van. Fica aproximadamente a uns 15 minutos do centro, próximo ao Glaciarium.

Lá pegamos o 4X4 e começamos a subir o Cerro, durante o percurso fizemos umas duas paradas para tirar fotos. Tivemos uma bela visão de El Calafate e também foi possível avistar o Parque Nacional de Torres Del Paine, que fica a 80 km de distância. Ventava muito, então as paradas foram bem curtas, estávamos quase levantando voo.

Tínhamos feito o 4X4 em Ushuaia, então este deixou bastante a desejar em vários quesitos. Sem muita emoção, o motorista era esforçado, mas foi pouco comunicativo. O 4X4 era bem velho, fiquei um pouco preocupado com a segurança do passeio.

Eles também oferecem cavalgada e tirolesa, caso se interessem acho que vale a pena buscar relatos de outras pessoas no mochileiros. O 4X4 eu não recomendo.

Bem, essa foi a nossa viagem. Espero que esse relato ajude a outros mochileiros.

Qualquer dúvida que eu possa ajudar mandem mensagem, será um prazer ajudar.

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 8 visitantes