Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#989861 por rafael_santiago
07 Ago 2014, 18:12
Imagem
Pedra da Estância

As fotos estão em https://picasaweb.google.com/1165318991 ... ubaMGAgo14.

Segundo o site da prefeitura de Itajubá, a Pedra da Estância tem 1300m de altitude e seria a terceira montanha mais alta do município, atrás da Pedra de Santa Rita (1900m) e da Pedra Aguda (1547m). Porém as medições que fiz com o meu Garmin deram um resultado um pouco diferente, sendo 1876m para a Pedra de Santa Rita, 1760m para a Torre do Chico (cume do Cantagalo), 1586m para a Pedra Aguda e 1642m para a Pedra da Estância, o que a mantém em terceiro lugar porém acima da Pedra Aguda. Polêmicas à parte (já que a medição foi feita com um gps portátil), meu objetivo era conhecer as montanhas mais altas do município. Tendo já subido as outras três, parti desta vez para a Pedra da Estância. O relato da Pedra Aguda, feita em forma de travessia, está em travessia-da-serra-da-pedra-aguda-itajuba-mg-fev-14-t92423.html.

Peguei o ônibus da Pássaro Marron das 6h45 em São Paulo e desci na entrada do bairro da Estância às 10h44, no km 165 da rodovia BR-459. Esse local fica 6,6km antes do centro de Itajubá e 4,2km depois do trevo de Venceslau Brás e dali já é possível ver a imponente Pedra da Estância se elevando ao fundo. Altitude de 867m. Atravessei a rodovia e peguei a estrada de terra em direção ao bairro e à pedra. Em 20 minutos passei pela igreja do bairro. Cerca de 270m após a porteira da Cachoeira da Estância (famoso balneário local a 2,5km da rodovia), encontrei uma porteira com cadeado à esquerda e a pulei, exatamente onde a estrada faz uma curva de 180º para a direita. Subi pelo curto calçamento de blocos sextavados e continuei pela estradinha de terra, subindo à direita na bifurcação que surgiu. Cruzei a porteira seguinte e continuei subindo.

Às 11h58 peguei água numa mangueira que abastecia uma caixa-d'água e em seguida cruzei uma tronqueira. Ao final de uma ladeira em ziguezague encontrei um homem junto a um curral e confirmei o caminho que deveria seguir. Ele me orientou quanto ao melhor percurso mas duvidou que eu conseguisse chegar à pedra pois não encontraria o caminho certo lá no alto. Segui pela estradinha na direção de uma outra caixa-d'água e desci um pouco até uma porteira de arame, com um riachinho à direita e uma obra de calçamento da ladeira a seguir. Às 12h27 a trilha parece terminar num pasto com vacas e um pequeno telhadinho, mas procurando à direita do telhadinho reencontrei-a exatamente na direção desejada, ou seja, apontando para algumas araucárias e uma árvore de folhas vermelhas mais no alto.

Imagem
Serra da Água Limpa

Ultrapassada essa árvore segui pelo capim baixo na direção de outras araucárias e entrei na mata. Depois de 180m na mata, fui à direita na bifurcação mas depois descobri que tanto faz pois ambos os ramos alcançam um pequeno pasto mais acima que deve ser atravessado para reentrar na mata. Ali a subida se acentua e se faz em vários ziguezagues até atingir às 13h08 uma porteira com um aceiro do outro lado, o qual vem subindo da esquerda para a direita. Altitude de 1516m. Tomei o aceiro à direita e a subida foi forte por 11 minutos até alcançar o topo e imediatamente começar a descer. Nesse ponto mais alto notei uma trilha meio fechada à direita e entrei. Não me pareceu ser o caminho certo pois desceu bastante e estava fechada e pouco pisada, mas insisti.

Na parte mais baixa dessa trilha surgiu uma cerca à minha esquerda e a cruzei por cima de um tronco caído. Voltei a subir forte bem rente à cerca (à minha direita agora) mas ainda com mato meio fechado. No topo abandonei a cerca e quebrei 90º à direita, seguindo o caminho um pouco mais aberto. Em 30m alcancei as primeiras lajes da Pedra da Estância, às 13h32, na altitude de 1642m. Ali tinha visão apenas parcial da paisagem. Peguei algumas trilhas curtas pela vegetação e passei para outras lajes e mirantes até que encontrei a laje maior, com visão completa. Isso significa dizer que era possível avistar desde o Pico do Ataque à direita (sudeste) até o Observatório de Brasópolis à esquerda (oeste), passando pelo Pico dos Marins, Serra da Água Limpa, Serra da Pedra Aguda bem de frente e a Pedra Vermelha. No quadrante norte ainda se avista o Pedrão e a Serra da Pedra Branca em Pedralva e ainda o Pico da Bandeira de Maria da Fé. Uma paisagem arrasadora!

Iniciei o retorno pelo mesmo caminho às 15h15, passei pela Cachoeira da Estância às 16h58 e cheguei à rodovia às 17h29. Dali consegui uma carona para o centro de Itajubá.

Distância percorrida desde a rodovia BR-459 até o cume da Pedra da Estância (só ida): 7km
Desnível: 775m

Imagem
Vista do cume da Pedra da Estância

Informações adicionais:

A linha São Paulo-Itajubá pela rodovia BR-459 é feita pela empresa Pássaro Marron (www.passaromarron.com.br). Os horários são 6h45, 13h e 18h30, diariamente.

Cartas topográficas:
. Itajubá - http://biblioteca.ibge.gov.br/visualiza ... -III-3.jpg
. Delfim Moreira - http://biblioteca.ibge.gov.br/visualiza ... B-VI-1.jpg

Rafael Santiago
agosto/2014
http://trekkingnamontanha.blogspot.com.br

Imagem
Percurso na imagem do Google Earth

Imagem
Percurso na carta topográfica


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes